Arquivo da tag: equipamento

Policiais são presos na Paraíba com armas e equipamento para assaltos

Três policiais militares de Pernambuco foram presos na noite desta segunda-feira (18) no posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Mata Redonda, distrito de Alhandra.

Ao Portal MaisPB, a assessoria da PRF informou que o trio foi detido com capuz de assalto, pé de cabra, alicate utilizado em arrombamentos, quatro armas, sendo duas deles e outras duas “clandestinas”.

O trio e uma outra pessoa estava em um veículo de uma locadora, que estava sendo monitorado. Ao perder o sinal, a locadora emitiu alerta, o que motivou a abordagem da PRF.

Na fiscalização foi constatado que o documento do veículo também era falso. Todos serão encaminhados para a Delegacia de Alhandra para autuação em flagrante.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Coort-PB defende médico que fez vídeo sobre equipamento quebrado no Trauma da Capital

medicoA Cooperativa de Ortopedia e Traumatologia da Paraíba (Coort-PB) emitiu nota nesta quarta-feira (28) para defender o médico que gravou um vídeo para reclamar que estaria sem um equipamento necessário para um procedimento. A gravação se espalhou nas redes sociais. O Hospital de Trauma, onde o caso foi registrado, disse que o profissional foi antiético e a Secretaria de Saúde do Estado negou que houvesse problemas com equipamentos durante o atendimento.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

A Coort-PB diz em nota que o médico Rodrigo Castro Amaral não infringiu a ética porque a identidade do paciente não foi exposta. Também segundo o texto, o vídeo foi divulgado de maneira errada e acabou ganhando interpretações distorcidas acerca do caso. Segundo a Cooperativa, a gravação deveria ter sido usada apenas para um grupo restrito no WhatsApp e depois dela, o equipamento foi imediatamente trocado, sem prejuízos ao paciente.

Veja um trecho da nota:

“Compreendemos a angústia do profissional quando verificou que o equipamento não funcionava de forma eficiente durante o procedimento cirúrgico. A inquietude do profissional apenas demonstra a humanização do atendimento prestado. Diante da tensão causada pela falha no equipamento, e para não se ausentar do bloco cirúrgico, o cooperado resolveu filmar a situação e enviar para o grupo da Cooperativa buscando uma intervenção da diretoria e demais colegas para intercederem e ajudar a solucionar caso, uma vez que o coordenador de Ortopedia do hospital e o presidente da Cooperativa fazem parte do mesmo grupo no aplicativo WhatsApp.

Logo informaram a direção do hospital que disponibilizou imediatamente um novo equipamento de maior potência […] Com a chegada do equipamento, houve a resolutividade do problema, finalizando o ato cirúrgico com sucesso […] O paciente saiu bem e teve alta hospitalar na segunda-feira”.

A Coort-PB finaliza o texto explicando que o médico tem 13 anos de experiência na ortopedia e traumatologia e que o vídeo teve como objetivo demonstrar a preocupação com o bem estar do paciente, sem conotação política ou intenção de tornar a situação um escândalo.

 

 

portalcorreio

Governo entrega equipamento que detecta entrada de materiais ilícitos em unidades prisionais

body-scanO Governo do Estado, por meio da Secretaria da Administração Penitenciária (Seap), entregou oficialmente, na manhã desta terça-feira (3), o “body scan” (raio-x scanner corporal) às Penitenciárias Romeu Gonçalves de Abrantes (PB 1 e PB2) e Desembargador Flósculo da Nóbrega (Roger), ambas em João Pessoa, e a Penitenciária Regional de Campina Grande Raimundo Asfora (o Serrotão). A instalação do “body scan” tem como objetivo evitar a entrada de materiais ilícitos dentro das três maiores unidades prisionais do Estado, onde foi instalado o equipamento, contribuindo para a manutenção da tranquilidade fora e dentro das penitenciárias.

O secretário de Estado da Administração Penitenciária (Seap), Wagner Dorta, afirmou que a entrega desses equipamentos representa um dia histórico para a Paraíba e ratifica a política do Governo do Estado em humanizar as unidades prisionais paraibanas. “Os investimentos que foram feitos nesses equipamentos vão permitir que o sistema penitenciário do Estado seja ainda mais humanizado e, ao mesmo tempo, que se ofereça mais segurança à população paraibana”, afirmou.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Wagner Dorta destacou ainda que são poucos os estados brasileiros que dispõem dessa tecnologia. “A Paraíba é um dos estados vanguardistas no uso do ‘body scan’, equipamento que vai permitir maior humanização do sistema – vale mais uma vez ressaltar – com todo o rigor que o processo exige. Qualquer pessoa que tente entrar em qualquer unidade prisional onde o ‘body scan’ foi instalado será flagrada. O equipamento emite feixes de raio-x que, literalmente, fotografa a pessoa, respeitando a ética e a dignidade”, prosseguiu.

Estiveram presentes representantes do Poder Judiciário, Ordem dos Advogados do Brasil – Secção Paraíba – e Ministério Público. A juíza da Vara das Execuções Penais da Capital, Hygina Bezerra, ressaltou a importância do funcionamento do “body scan” para a Paraíba. “É uma ação de extrema importância. Isso vai permitir identificar a entrada de drogas e armas, contribuindo para a segurança do Estado. Nós sabemos que algumas ordens de crimes partem de dentro das unidades prisionais. É um equipamento que vai funcionar de maneira isonômica, isto é, todo mundo vai ter de passar por ele, seja advogado, juiz”, pontuou.

Mais dignidade – O secretário da Seap afirmou ainda que as revistas íntimas, queixa antiga de órgãos e dos parentes dos detentos, serão substituídas pelas revistas eletrônicas. “É outro salto importante que o Estado da Paraíba promove, tanto em benefício do detento quanto dos parentes. Todo o constrangimento, que era necessário já que ainda não dispúnhamos desse equipamento, chegou ao fim. Isso era uma reivindicação antiga de órgãos ligados aos Direitos Humanos e outras entidades. Com isso, vamos ter maior controle com relação à segurança das unidades prisionais e, ao mesmo tempo, oferecer mais dignidade à sociedade de maneira geral”, disse.

Wagner Dorta pontuou ainda que o “body scan” é um equipamento usado em todo o mundo e nos maiores aeroportos. “É algo muito inovador para a nossa política de segurança. Queremos, dentro das limitações financeiras do Estado, avançar ainda mais e implantar o “body scan” em outras unidades prisionais. Para isso, já há estudos em andamento”, salientou.

Locação – Os três equipamentos foram locados a um valor mensal de R$ 29,9 mil cada um, totalizando um gasto para o Estado no valor de R$ 89,7 mil mensais. Durante todo o ano, a quantia investida será de R$ 1.076.400. A empresa prestadora do serviço é a VMI Sistemas de Segurança, sediada em Lagoa Santa, Estado de Minas Gerais. “É um custo relativamente alto para o Estado da Paraíba, mas que, sem dúvida alguma, traz retorno. Por isso que já estamos realizando estudos para a aquisição de novos equipamentos”, acrescentou Wagner Dorta.

Radiação – O secretário de Estado da Administração Penitenciária enfatizou que o funcionamento do equipamento atende a critérios técnicos do Conselho Nacional de Energia Nuclear (Cnen). “Em conversa com técnicos, podemos afirmar que uma pessoa que caminha por cinco minutos ao sol recebe mais radiação que alguém que se submeta ao scan. Portanto, tudo está dentro de parâmetros técnicos adotados e não há riscos para quem vai utilizar o equipamento, sejam os visitantes dos detentos, sejam os nossos funcionários”, concluiu.

Secom PB

 

Anvisa suspende lotes de álcool gel, polivitamínico e equipamento de saúde; veja

Fábio Pozzebom/Agência Brasil
Fábio Pozzebom/Agência Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu nesta quarta-feira (3), a fabricação, distribuição, divulgação, comercialização e o uso dos produtos para saúde vídeo-laringoestroboscópio e smartnaso, fabricado por Image Equipamentos Eletrônicos Ltda. De acordo com a agência, uma inspeção sanitária feita no mês passado na empresa comprovou a falta de licença sanitária e a fabricação de produtos sem registro.

A empresa informou que deu início ao processo de regularização em maio deste ano por meio do órgão de vigilância sanitária local. A previsão é que em duas ou três semanas a regularização seja concluída.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Também foram suspensos três lotes do medicamento Comple B (polivitamínico complexo B), fabricado por Natulab Laboratório S.A. Laudos emitidos pela Fundação Ezequiel Dias indicam que os lotes 45050, 45057 e 45058 obtiveram resultados insatisfatórios nas análises iniciais para os ensaios de aspecto e rotulagem. O primeiro lote citado tem validade até 5/2015; o segundo e terceiro, até 6/2015. Por meio de nota, a empresa informou que os lotes já foram identificados e, desde o início de novembro, começaram a ser recolhidos, mesmo antes da notificação da Anvisa. A Biolab assegurou que, no prazo máximo de 120 dias, todos os lotes serão retirados do mercado.

“Vale ressaltar que todos os estudos de estabilidade desenvolvidos pela empresa não identificaram esse tipo de problema descrito na notificação. Mesmo assim, o Grupo Natulab reforçou o material usado na embalagem do produto e está finalizando novos estudos de estabilidade para garantir que seus medicamentos continuarão dentro das especificações e em conformidade com as normas da Anvisa.”

A Anvisa ainda interditou cautelarmente, pelo prazo de 90 dias, o Lote 1014 do Álcool Gel marca Sol, produzido por Super Sol Indústria e Comércio Ltda. O lote, segundo o órgão, apresentou resultados insatisfatórios nos ensaios de rotulagem primária e teor de álcool etílico.

Todas as determinações foram publicadas no Diário Oficial da União.

 

Por Agência Brasil

Alunos surdos da rede pública recebem novo equipamento para facilitar o aprendizado

O projeto-piloto tem a participação inicial de 200 estudantes de 80 escolas das cinco regiões do país


Estudantes com deficiência auditiva das redes públicas de ensino contam com novo equipamento para facilitar o aprendizado. Trata-se de um conjunto formado por um pequeno chip emissor, na forma de microfone, usado pelo professor, e um receptor para o aluno.

EBC No dia 26 de setembro, é comemorado o Dia Nacional do Surdo

  • No dia 26 de setembro, é comemorado o Dia Nacional do Surdo

O projeto-piloto para uso da nova tecnologia, iniciativa da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secad) do Ministério da Educação, tem a participação inicial de 200 estudantes de 80 escolas das cinco regiões do País.

Segundo a diretora de políticas de educação especial da Secad, Martinha Santos, este primeiro momento será de monitoramento e avaliação dos impactos pedagógicos para os estudantes.

“Queremos proporcionar um documento de orientações para expandir o atendimento. Esperamos, a partir de 2013, já atender a educação infantil”, explica.

Seleção

As instituições de ensino foram selecionadas pelas secretarias estaduais de educação. As selecionadas contam com salas de recursos multifuncionais implantadas, oferecem atendimento educacional especializado e têm estudantes com deficiência auditiva matriculados nos três anos iniciais do ensino fundamental. Cada escola elegeu o professor que trabalhará com o equipamento.

Funcionamento

O dispositivo adota o sistema de frequência modulada (FM) para filtrar a voz do professor e eliminar os ruídos da sala de aula, de maneira a melhorar a qualidade do som para os usuários de aparelhos de amplificação sonora e implante coclear (dispositivo eletrônico, parcialmente implantado, para proporcionar sensação auditiva próxima à fisiológica).

Com investimento de R$ 1,5 milhão, a nova tecnologia foi desenvolvida por pesquisa da Secad em parceria com o Laboratório de Estudos do Comportamento Humano da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e com a Universidade de São Paulo (USP), campus Bauru. A evolução do processo nas escolas será acompanhada também por especialistas de outras instituições de educação superior.

Os 80 responsáveis pela implementação do projeto-piloto nas escolas selecionadas, além de pesquisadores das instituições de educação superior integrantes da experiência, participaram de curso de formação promovido pelo MEC.

Sala de recursos

O Ministério da Educação tem um programa para criação de salas de recursos multifuncionais nas escolas públicas de ensino regular. Essas salas aumentam a qualidade do atendimento educacional especializado a estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e superdotação, assegurando condições de acesso, participação e aprendizagem.

O MEC disponibiliza um conjunto de equipamentos de informática, mobiliários, materiais pedagógicos e de acessibilidade para a organização do espaço. Cabe à escola ceder o espaço físico e o professor responsável.

Para isso, a secretaria estadual de Educação deve apresentar a demanda no Plano de Ações Articuladas (PAR) e indicar as escolas a serem contempladas. O PAR é um documento com diagnóstico da situação educacional local e planejamento para uma nova etapa de quatro anos.

Viver sem Limite

O Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – Viver sem Limite  foi lançado pelo governo federal em novembro do ano passado com o objetivo de promover a cidadania, a autonomia e o fortalecimento da participação da pessoa com deficiência na sociedade, eliminando barreiras e permitindo o acesso aos bens e serviços disponíveis a toda a população.

Na área de educação, o plano prevê a ampliação do Benefício da Prestação Continuada (BPC) na Escola, que monitora a frequência de pessoas com deficiência na escola. Para isso, anualmente, são cruzados os dados do Censo Escolar e o Banco do BPC, a fim de identificar os índices de inclusão e exclusão escolar dos beneficiários.

Em 2008, foi identificado que 71% dos beneficiários do BPC, com deficiência na faixa etária de zero a 18 anos, estão excluídos da escola, e que somente 29% destes beneficiários estão na escola.

São formados grupos que fazem visitas às famílias dos beneficiários para identificar o que impede o acesso e a permanência de alunos com deficiência na escola. Atualmente, o programa funciona em todos os estados e no Distrito Federal e em 2.623 municípios (47% do total), abrangendo 68% dos beneficiários nessa faixa etária.

Portal Brasil