Arquivo da tag: Empresário

Afinal, o que o empresário precisa ter para enfrentar crises?

Capacitação em gestão é um dos atributos indispensáveis ao empreendedor
Essa crise mundial por conta do novo coronavírus tem afetado milhares de negócios no mundo. Diante desse cenário, o meu papel como consultor empresarial é apontar onde estão os problemas para que a empresa tenha condições de em tempo hábil repará-los, e mais, o objetivo é que essa empresa continue no mercado e tenha lucratividade.

Estou desde 2015 à frente da MORCONE Consultoria Empresarial, atendendo aos micro, pequenos, médios e grandes negócios e com minha experiência de mais de 35 anos no mundo corporativo, trago um artigo especial sobre: o que o empresário precisa ter para enfrentar crises?

Sempre enfrentaremos crises econômicas no Brasil e no mundo. Para falar sobre esse assunto farei uma analogia entre as crises e uma corrida de 1.000 metros com barreiras a cada 100 metros em que o corredor tem que saltar. O espaço entre cada barreira representa o espaço entre uma crise e outra. Cada barreira seria literalmente a crise. O que varia nessa corrida é a altura de cada barreira, ou seja, a intensidade da crise, mas a certeza é: a crise virá.

Estamos nesse momento diante de uma barreira muito alta, e em que a decorrência do caos surgiu de uma força muito maior que é a saúde pública mundial.

Dentre as maiores crises financeiras mundiais temos a Crise de 1929 que se estendeu por toda a década de 1930; a crise dos mercados emergentes em 1994; a crise do subprime, de 2007/2008, considerada uma das piores desde o crash da Bolsa de Valores de Nova York e agora estamos diante de uma crise, já considerada pior do que a crise de 2008 e que pode gerar uma recessão sem precedentes no mundo.

Diante desse cenário de pandemia, o que o empresário precisa ter para enfrentar crises?

A realidade do mundo empresarial e no cenário econômico é que sempre que uma crise termina, em pouco espaço de tempo teremos outra. O que está em jogo nessa realidade, é qual o preparo que este empresário (MEI, ME, EPP e médio), precisa ter para enfrentar esta maratona.

Planejamento Empresarial

Uma vez que a empresa já está funcionando, o empreendedor precisa fazer o que chamo de “olhar pelo retrovisor”, ou seja, precisa olhar para os últimos 12 meses, efetuar uma análise mês a mês, ou seja, é preciso fazer o diagnóstico dos resultados obtidos até o momento.

O empresário só aprende com os acertos e erros se tiver a humildade de reconhecê-los, isso ajuda na criação de soluções. O planejamento é esse mapa do passado, presente e que aponta direções para o futuro.

Capacitação em Gestão Empresarial

Há alguns requisitos para que o empreendedor tenha uma empresa, dentre eles, a capacitação em gestão empresarial. A unidade federativa que tem o menor índice de mortalidade de empresas é o estado de Santa Catarina, e isso ocorre porque para que se consiga uma inscrição estadual é preciso que se tenha uma certificação num curso de capacitação em gestão empresarial, ou seja, quem tem interesse naquela região em ter um negócio, precisa comprovar capacidade empresarial.

Quem vai dirigir um veículo, precisa passar por todo um processo para conseguir a certificação e se tornar habilitado para dirigir, é algo óbvio a ser dito, mas com o empresário não é diferente, é preciso estar capacitado para estar à frente da empresa.

Capacidade de negociação

Com essa crise, a negociação se torna essencial. A queda de faturamento leva à necessidade de que o empresário negocie com os seus fornecedores para conseguir um melhor prazo para cumprir os seus compromissos.

É possível aprender por meio de técnicas de vendas, mas é observando, lidando no dia a dia que se aprimora cada vez mais essa habilidade. Negocie com fornecedores, com colaboradores, enfim, use da comunicação assertiva. Sempre será preciso abrir algumas concessões e ceder também, e em períodos de crise isso é ainda mais necessário.

E quando se fala no caso da necessidade de obter linhas de crédito, é fundamental pesquisar e tentar negociar as melhores condições e taxas.

Gerir com muito cuidado o capital de giro

Esse foi tema de um artigo recente e realmente esses cuidados na gestão do capital de giro são fundamentais e em um período como esse de crise econômica, é evidente que as empresas que sempre tiveram cuidado quanto a isso, têm conseguido lidar melhor com a crise.

É algo básico quando se fala em gestão financeira, mas muitos negócios não se preocupam com o mínimo e em um momento conturbado como esse, infelizmente, entram em colapso.

Comportamento Antifrágil

Quando digo preparo, me refiro não apenas às capacidades técnicas, que devem ser constantemente atualizadas, mas principalmente às capacidades emocionais desse empresário.

O empreendedor precisa ser antifrágil. Esse conceito surgiu após pesquisas realizadas pelo professor libanês da Universidade de Nova York, Nassim Nicholas Taleb, um dos mais importantes nomes do mundo quando o assunto é mercado financeiro. Um dos livros mais conhecidos de Taleb é Antifrágil: coisas que se beneficiam com o caos.

Resumindo, segundo o pesquisador, o oposto de frágil não é forte, mas antifrágil. Frágil é o que sai prejudicado, quebrado, rompido ou deformado, já o antifrágil é o que se torna ainda melhor diante do caos.

Diante da crise, o recomendado é procurar alternativas e não se esconder atrás dos problemas ou não encará-los. Procurar ajuda profissional também é indicado e o ideal é não esperar o problema se agravar e ganhar força.

Carlos Moreira – Há mais de 35 anos atuando em diversas empresas nacionais e multinacionais como Manager, CEO (Diretor Presidente), CFO (Diretor Financeiro e Controladoria) e CCO (Diretor Comercial e de Marketing).É empresário há mais de 15 anos e sócio e fundador da MORCONE Consultoria Empresarial.

 

Empresário confirma sondagem do Campinense pelo volante Moreilândia

Jogador atuou pelo Retrô, de Pernambuco, no primeiro trimestre deste ano, e despertou o interesse do clube paraibano.
 
Livre no mercado, o volante Moreilândia desperta interesse de diversos clubes do Nordeste e um deles é o Campinense. Segundo o empresário do jogador, Douglas Poroca, o atleta tem recebido várias sondagens, sendo que uma delas foi feita pela equipe paraibana, que busca reforçar o elenco para o retorno do estadual, que acontece no próximo dia 18 de julho, e para a disputa do Campeonato Brasileiro Série D.
“Tive contato com alguns clubes, a maioria do Nordeste onde o Moreilândia tem uma grande notoriedade. Um deles foi o Campinense, o qual tivemos conversas iniciais, mas ainda não temos nenhuma definição”, explicou o agente.
Revelado pelo Salgueiro, e com passagens por Trofense, de Portugal, Catanduvense, Mogi Mirim, Fluminense de Feira e América-RN, o meio-campista foi contratado no início deste ano pelo Retrô, de Pernambuco.
Antes da paralisação por conta da pandemia do novo coronavírus, o jogador teve boas atuações pela equipe de Camaragibe, que ocupa a terceira colocação no estadual pernambucano, praticamente assegurando as vagas para as competições nacionais em 2021.
Aos 31 anos, e apto para assinar com um novo clube, Moreilândia acredita que em breve terá uma resposta sobre seu destino para o restante da temporada, e vê com bons olhos a possibilidade de acerto com o time de Campina Grande.
“Fico feliz de saber do interesse dos clubes, principalmente por parte do Campinense que admiro muito. Conversei com meu empresário e espero acertar algo nas próximas semanas. Estou com bastante saudade da bola e não vejo a hora de voltar a atuar. Me sinto confiante e pronto para ajudar dentro de campo, independente da camisa que eu for vestir”, afirmou o volante.
Crédito da foto: Marlon Costa/Pernambuco Press
Luiz Gatti
Leader Press Comunicação

 

Empresário morto por esposa na Paraíba recebeu primeiro tiro de costas, diz advogado

Um dos laudos do inquérito que investiga a morte do empresário Elton Pessoa, assassinado a tiros pela esposa, a também empresária Taciana Ribeiro Coutinho, que foi divulgado nesta quinta-feira (7) pelo advogado da família de Elton, confirma que a vítima foi atingida pelo primeiro disparo quando ele estava de costas. Ainda de acordo com o documento pericial, ele foi atingido por quatro tiros no total, o último deles na cabeça, quando estava apoiado em apenas uma das pernas.

Elton Pessoa foi morto a tiros, na tarde do dia 10 de abril, na fazenda onde estava isolado com a família, em Sapé, devido à pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. O corpo do empresário Helton Pessoa foi enterrado no fim da tarde do dia 11 de abril, no município de Arara, no Agreste paraibano.

G1 tentou entrar em contato com o delegado que preside o inquérito, Reinaldo Nóbrega, mas as ligações não foram atendidas.

De acordo com a defesa da família de Elton Pessoa, o advogado Daniel Alisson, essas informações não correspondem às prestadas pela suspeita de ter matado o empresário. Ele conta que o fato do primeiro tiro ter sido disparado contra Elton quando ele ainda estava dentro do box do banheiro, de costas, contraria a versão de que o disparo só foi efetuado por Taciana como legítima defesa, somente após o então companheiro abrir o box e fazer ameaça de morte.

Taciana Ribeiro Coutinho é suspeita de matar o marido, em Sapé, na Paraíba — Foto: TV Cabo Branco/Reprodução

Taciana Ribeiro Coutinho é suspeita de matar o marido, em Sapé, na Paraíba — Foto: TV Cabo Branco/Reprodução

“Tendo em vista os fatos levantados pela perícia, demonstrou-se que Helton foi assassinado com requintes de crueldade, pelas costas, sem possibilidade de defesa, nem prestação de socorro e que o real interesse da empresária era executar seu companheiro, devido o ‘tiro de misericórdia’ efetuado na cabeça da vítima”, comentou o advogado da família da vítima.

Ainda de acordo com o advogado da família da vítima, o documento do Instituto de Polícia Científica mostra também que na cena do crime não havia vestígios de luta corporal entre a vítima e a suspeita.

“Ao todo foram efetuados contra a vítima quatro disparos, sendo três deles nos membros inferiores e o último na cabeça que fez com que a vítima viesse ao solo. Restando claro, mais uma vez que Taciana mentiu em seu depoimento ao dizer que no primeiro disparo Elton caiu”, rebateu Daniel Alisson.

Arma usada no crime passou por exames periciais do Instituto de Polícia Científica da Paraíba  — Foto: Divulgação

Arma usada no crime passou por exames periciais do Instituto de Polícia Científica da Paraíba — Foto: Divulgação

O advogado de Taciana Ribeiro Coutinho, Genival Matias Filho, explicou que ainda não tinha tido acesso ao laudo cadavérico e que por isso não teria como comentar detalhes do documento nesta quinta-feira (7). “Vou acessar esse laudo nesta sexta-feira (8) e só assim poderei tecer algum comentário”, explicou.

A empresária suspeita de matar o marido a tiros na fazenda Zumbi, em Sapé, foi presa e interrogada pela Polícia Civil, no dia 11 de abril. Os policiais cumpriram um mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça contra Taciana Ribeiro Coutinho. No entanto, a medida foi convertida em prisão domiciliar. Durante depoimento, ela alegou legítima defesa.

G1

 

Em Arara, empresário morre após carro bater de frente com a moto que pilotava

Um grave acidente ocorrido na tarde desta segunda-feira (04) tirou a vida do empresário  Nino Duarte, de 73 anos,  que era bastante conhecido na cidade de Arara. Segundo informações de populares,  o empresário Nino Duarte que pilotava uma moto foi atingido frontalmente por um carro que vinha no sentido contrário na BR 105, no percurso que fica localizado na rua senador Rui Carneiro.

Com o impacto o mesmo foi arremessado da pista a parte abaixo do calçadão, no sentido de quem vai de Arara para Remígio, a moto ficou presa embaixo do veiculo. Muitos curiosos logo se foram ao local, do sinistro. Seu Nino como é mais conhecido na cidade de Arara foi socorrido pelo Samu para o Hospital em Campina Grande, mas no inicio da noite não resistiu e veio a óbito.

O empresário foi proprietário do posto de combustíveis, o qual havia vendido há cinco meses, e era o dono da Madeireira Paula Francinete. Até o momento não foi divulgado que horas acontecerá o sepultamento.

Com portalarara/MIDIA PARAIBA

 

 

Dupla armada invade loja SP Variedades e leva 2 R$ mil de empresário e objetos

Na tardes desta sexta-feira (3), a guarnição foi acionada por um cidadão que relatou que ao abrir o seu estabelecimento comercial SP Variedades, localizado na Avenida Dom Pedro II, tendo em vista que o mesmo se encontrava fechado em razão da determinação do Poder Público para conter a disseminação do coronavírus, fora abordado por dois indivíduos, que possivelmente o estavam seguindo, um deles portando uma arma de fogo, os quais anunciaram o assalto subtraindo a quantia aproximada de R$ 2.000,00 (dois mil reais), um cordão de ouro e um celular da marca Samsung, e em seguida se evadiram tomando destino ignorado.

Diligências estão sendo realizadas no intuito de recuperar os bens e valores subtraídos bem como capturar os envolvidos na ação delituosa.

A vítima foi orientada a comparecer a Delegacia e noticiar o ocorrido ao delegado de polícia para os procedimentos legais cabíveis.

 

 

portal25horas

 

 

Polícia Federal prende empresário com 150 comprimidos de ecstasy em João Pessoa

Um empresário de 30 anos foi preso, nesta sexta-feira (7), com 150 comprimidos de ecstasy, em João Pessoa. A prisão foi realizada pela Polícia Federal e aconteceu no momento em que o homem pegaria a encomenda em uma agência dos Correios, localizada no bairro do Bessa.

O empresário que é dono de uma pizzaria foi encaminhado para a Superintendência Regional da Polícia Federal, no Bairro João Agripino.

A Polícia não informou qual seria o destino dos entorpecentes.

 

clickpb

 

 

‘Xeque-Mate’: ex-prefeitos, empresário e radialista viram réus por compra de mandato na PB

A Justiça da Paraíba aceitou o pedido do Ministério Público e tornou réus sete pessoas no processo que investiga a compra do mandato do ex-prefeito de Cabedelo, José Maria de Lucena Filho (Luceninha), na Operação Xeque-Mate – que desarticulou um esquema de corrupção que teria comprado o mandato do ex-prefeito por R$ 5 milhões.

Os ex-prefeitos Leto Viana e Luceninha, o empresário Roberto Santiago, o radialista Fabiano Gomes, o ex-vereador Lucas Santino, o ex-secretário Olívio Oliveira dos Santos e Fabrício Magno Marques de Melo Silva teriam comprado o mandato do então prefeito Luceninha por R$ 5 milhões.

Conforme a investigação, o aporte financeiro para compra do mandato partiu do empresário Roberto Santiago. Com a renúncia de Luceninha, Roberto Santiago e Leto Viana teriam sido beneficiados. Roberto com interesses empresariais garantidos pelo novo chefe do Executivo e Leto com a eleição ao posto de prefeito da cidade.

Ainda são citados na ação Lucas Santino da Silva, enquanto presidente da Câmara de Vereadores de Cabedelo; Olívio Oliveira dos Santos, enquanto secretário municipal de comunicação e Fabiano Gomes da Silva, responsável pelo marketing da campanha eleitoral de Luceninha.

De acordo com o processo, a pressão para a renúncia do então prefeito eleito teria acontecido em novembro de 2013 e teria sido feita por parte de empresários que financiaram a campanha dele, no sentido de reaverem o dinheiro investido no pleito eleitoral.

A juíza da 3ª Vara Mista de Cabedelo, Giovanna Lisboa Araújo de Souza, destacou que pela “compra e venda” do mandato de Luceninha houve um faturamento de, pelo menos, R$ 5,3 milhões. Deles, R$ 800 mil em espécie e R$ 1.713.000 na emissão de 18 cheques pré-datados.

O restante seria obtido através de indicações de pessoas para preenchimento de cargos públicos na Prefeitura de Cabedelo, entre os anos de 2013 e 2017, em que os salários totalizavam mensalmente o valor aproximado de R$ 70 mil, conforme demonstrativos de remunerações, trechos de delação e canhotos dos cheques acostados na inicial.

A magistrada ressaltou, ainda, que a verificação da concreta existência ou não das ações denunciadas de também o exercício da defesa por partes dos denunciados.

Operação ‘Xeque-Mate’

A operação Xeque-Mate foi deflagrada no dia 3 de abril de 2018 com objetivo de desarticular um esquema de corrupção na administração pública do município de Cabedelo, localizado na região da Grande João Pessoa. A operação moveu algumas peças na gestão da cidade e modificou, rapidamente, a administração da cidade, atingido a Prefeitura e a Câmara de Vereadores.

O grupo envolvido na operação desviou, pelo menos, R$ 30 milhões. Cerca de R$ 4,8 milhões foram utilizados em cargos fantasmas. Cada funcionário recebia até R$ 20 mil e entregava a maior parte para as autoridades locais, ficando com valores residuais.

O que dizem os citados

A defesa de Leto Viana informou que ainda não foi notificada pela Justiça e que quando tiver acesso aos autos emitirá um posicionamento oficial.

Já a defesa de Roberto Santiago disse ao G1 que embora também não tenha sido notificada, garante que ele não cometeu atos ilícitos e que terá a inocência provada no momento próprio.

Olívio Oliveira dos Santos declarou que confia “no trabalho sério do Ministério Público e da Polícia Federal”.

O G1 também tentou entrar em contato com Fabiano Gomes e José Maria de Lucena Filho. Até as 15h40, as ligações não foram atendidas. A reportagem não conseguiu contato com Lucas Santino.

G1

 

Empresário é morto a tiros, na praia do Bessa, em João Pessoa

Um empresário de 59 anos foi morto a tiros, na manhã deste sábado (7), na praia do Bessa, em João Pessoa. Segundo a polícia, Uranildo Farias tinha ido à praia comemorar o aniversário quando foi surpreendido por dois homens.

Em entrevista à TV Cabo Branco, a delegada titular da delegacia de homicídios, Wanderleia Gadi, disse que acompanhou a perícia e que provavelmente o empresário teria reagido a uma tentativa de assalto e foi atingido por um tiro no peito. Ela contou também que Uranildo tinha ido à praia para comemorar o aniversário com amigos e familiares.

“Ele estava na companhia de duas mulheres quando chegaram dois homens. As pessoas que estavam na praia disseram que é possível que os suspeitos sejam menores de idade, mas estavam armados. O empresário estava com uma corrente de ouro, relógio, mas se recusou a entregar os pertences aos assaltantes, quando levou um tiro. Segundo testemunhas, havia um carro esperando os suspeitos”, afirmou a delegada.

Um helicóptero da policia civil está sendo usado para fazer buscas na capital. O empresário deixa a esposa e dois filhos.

G1

 

Empresário que morreu após carro cair no rio Jaguaribe tinha saído da festa de GKay

O homem que morreu na madrugada desta quarta-feira (05) após perder o controle do carro, que caiu dentro do rio Jaguaribe na Br-230, na capital foi identificado como sendo o empresário Evandy Melo, de 25 anos.

As informações são de que ele teria saído da festa ‘Farofa da GKay’ que comemorou o aniversário da influencer paraibana Gessica Kayane.

Um amigo da família relatou à imprensa que o pai do empresário chegou a falar com o filho por mensagem por volta das 3h30 da manhã perguntando se poderia levá-lo da festa já que Evandy tinha bebido, mas ele não respondeu.

Por volta das 4h20, por meio de um aplicativo, o pai percebeu que o carro estava parado na BR-230 há algum tempo. Ele foi até o local e se deparou com o acidente e o filho morto dentro do rio.

PB Agora

 

 

TRF5 manda soltar mais um empresário envolvido na Operação Famintos

O empresário Marco Antônio Querino da Silva, preso durante a primeira fase da Operação Famintos, foi liberado para responder o processo em liberdade, após a aprovação de um habeas corpus pela 3ª Turma do Tribunal Regional Federal (TRF5).

Marco Antônio Querino da Silva, mais conhecido como ‘Macarrão’, faz parte de um grupo empresarial investigado pela Operação, que apura diversos delitos, entre eles fraudes em licitações na aquisição de merenda escolar em Campina Grande.

Com a soltura de Marco Antônio, apenas o empresário Frederico de Brito Lira continua preso.

Operação Famintos já teve três fases e 26 pessoas já foram detidas.

*Com informações do jponline