Arquivo da tag: empate

Ruim para ambos: Botafogo-PB e ABC ficam no empate no Almeidão

Na tarde deste sábado, Botafogo-PB e ABC ficaram no empate pelo Grupo A da Série C. O resultado foi desastroso para a pretensão de ambas as equipes no torneio. Enquanto o Belo da Paraíba se complicou na luta pelo G4, o Elefante segue afundado no Z2. Os potiguares, aliás, podem voltar para a lanterna caso o Treze vença o Náutico.

TRUNCADO…

O primeiro tempo no Almeidão foi relativamente lento. Com marcações firmes e dificuldades na criação, as equipes protagonizaram um jogo truncado.

Por conta disso, as chances de marcar eram escassas. Apenas nos últimos minutos cada um criou a sua, sem sucesso.

De longe, Clayton testou Saulo e obrigou o arqueiro natalense a fazer grande defesa. A resposta dos visitantes veio ainda nos primeiros 45 minutos. Após boa jogada de Guilherme, a bola foi cruzada com perigo. Contudo, Joécio e Adalberto não conseguiram chegar a tempo.

TUDO IGUAL

O panorama mudou levemente na volta dos vestiários. Precisando vencer para tentar evitar um rebaixamento, o ABC adotou uma postura mais ofensiva. Deu certo. Após cruzamento de Dione, o estreante Lohan abriu o placar aos seis. O tento não acordou os mandantes e os potiguares seguiam mais próximos do segundo.

Apesar disso, valeu uma velha máxima do futebol: quem não faz, leva. Após perder uma chance cara a cara com Jefinho, o decacampeão potiguar acabou punido. Na base do abafa, o Xerife Paraibano se lançou ao ataque.

Pressionando e encurralando, acabou chegando ao empate. Aos 42 minutos, após bate-rebate na área, Nando, de joelho e meio sem jeito, empatou. O tento selou o placar final em 1 a 1, resultando em um empate ruim para ambos.

PRÓXIMOS JOGOS

Botafogo e ABC voltam a campo na próxima semana pela Série C. Na quinta-feira (25), o Belo visita o Imperatriz. Os times medem forças no Estádio Frei Epifânio, em Imperatriz, às 20h. Dois dias mais tarde, no sábado (27), o ABC recebe o Santa Cruz em casa. A partida ocorre às 17h e é vital para ambas as equipes na competição.

Futebol Interior

 

 

Botafogo-PB sofre gol no apagar das luzes e Santa Cruz evita derrota ao garantir empate

Santa Cruz e Botafogo-PB se encontraram pela terceira vez no ano, pela 12ª rodada da Série C, no Arruda, neste domingo. E mais uma vez, o Santa Cruz não conseguiu vencer em casa. Em jogo bastante prejudicado pela chuva que encharcou o gramado, os dois times lutaram muito, mas o 0 a 0 insistiu em continuar. Até que aos 44 minutos do segundo tempo, o Botafogo-PB encaixou contra-ataque para abrir o placar. Porém, para manter a tradição do confronto em 2019, já no apagar das luzes, o volante Charles cobrou falta com violência e estufou as redes de Saulo.

O empate foi muito ruim para a pretensão de ambos os times. A igualdade retirou a chance de ambos voltarem ao G4, fazendo com que times que estavam próximos como Confiança e Sampaio Corrêa abrissem vantagem. Além disso, em caso de vitória do Náutico, na segunda-feira, contra o líder Ferroviário-CE, as duas equipes perderam mais uma posição na tabela.

O Santa Cruz chega a três jogos sem vencer e irá se preparar para enfrentar o Sampaio Corrêa, concorrente direto pelo G4, fora de casa, na próxima quinta-feira, às 20h. Já o Botafogo-PB recebe o ABC, no sábado, às 17h, em João Pessoa.

O jogo

Com o gramado encharcado por causa do grande volume de chuva que caiu sobre o Recife durante o final de semana, o jogo no Arruda começou em ritmo lento. As duas equipes pareciam ter dificuldades em se adaptar ao piso da partida. Por isso, ambas iniciaram a primeira etapa se valendo das bolas paradas e dos lançamentos longos ao invés de trocarem passes.

A dificuldade com o campo fez com que os primeiros minutos registrassem diversas jogadas ríspidas, que originaram dois cartões amarelos para o time do Santa Cruz antes dos 15 primeiros minutos. Em duas faltas duras, Augusto e Kadu foram advertidos, sendo que o do atacante foi o terceiro e ele não enfrentará o Sampaio Corrêa, para cumprir a suspensão automática.

Com o passar do tempo, o Santa Cruz se adaptou melhor ao gramado e começou a impor seu jogo. O time coral teve duas boas chances em sequência perto dos 20 minutos. Primeiro, Dudu fez excelente jogada e clareou para Pipico, que bateu e a bola foi defendida com os pés por Saulo. Menos de um minuto depois, após cruzamento interceptado pelo goleiro do Belo, Charles recebeu bola limpa, com o gol aberto e chutou para fora.

No último terço do primeiro tempo, o Botafogo-PB cresceu. Especialmente, em jogadas protagonizadas por Marcos Aurélio. Aos 27, o camisa 10 do Belo tenta um sem-pulo para o gol, mas a bola é facilmente defendida por Anderson. Dois minutos depois, o experiente jogador bate falta perigosa e exige excelente intervenção de goleiro coral. Mesmo sem grandes chances no minuto final, o alvinegro continuou dominando as ações até o fim da primeira etapa, o que causou insatisfação e tímidas vaias direcionadas aos corais na saída de campo.

 

http://paraiba.com.br

 

 

Palmeiras vence o Inter e fica a um empate das semifinais

Palmeiras se aproximou de uma vaga nas semifinais da Copa do Brasil durante a noite desta quarta-feira. Em um Allianz Parque com mais de 36 mil torcedores, o time de Luiz Felipe Scolari jogou ao seu melhor estilo e, com uma atuação segura, dominou e venceu o Internacional por 1 a 0, com gol de Zé Rafael.

Com o resultado, o Palmeiras ganha o benefício de jogar pelo empate no duelo de volta das quartas de final, marcado para a próxima quarta-feira, às 21h30 (de Brasília), no Beira-Rio. Para se classificar, o Inter precisa de uma vitória por dois ou mais gols de diferença. Em caso de vitória simples, o time gaúcho força a disputa por pênaltis.

Antes da decisão em Porto Alegre, o Palmeiras tem um clássico pela frente: no sábado, às 19 horas, o rival é o São Paulo, no Morumbi, pela décima rodada do Campeonato Brasileiro, do qual o Verdão é líder. O Inter, por sua vez, visita o Athletico-PR no domingo, às 16 horas, na Arena da Baixada.

O Jogo – O primeiro tempo foi de um time só. Após um início truncado, o Palmeiras foi tomando conta das principais ações ofensivas e não demorou a abrir o placar. Aos 19 minutos, após a zaga do Inter afastar escanteio cobrado pela esquerda, Bruno Henrique pegou o rebote na direita e cruzou na medida para Zé Rafael testar firme na primeira trave, sem chances de defesa para Marcelo Lomba.

O Inter tentou responder rápido. Aos 22, Nico López recebeu na intermediária e chutou com força. Foi a única vez que Weverton precisou trabalhar bem na primeira etapa. Com Paolo Guerrero neutralizado, o Verdão levava perigo nos contra-ataques. Um deles nasceu com Zé Rafael, que roubou a bola de Bruno na esquerda, tabelou com Deyverson e bateu para fora.

Aos 42, Dudu quase marcou um gol de placa: após Bruno Henrique carimbar a barreira colorada em cobrança de falta, o camisa 7 pegou de primeira e mandou rente à trave esquerda de Lomba. No último lance, Luan quase ampliou, mas cabeceou fraco e facilitou a vida do goleiro rival.

Em busca de um segundo tempo diferente, o Inter voltou com D’Alessandro no lugar de Nonato, que pouco incomodou na primeira etapa. Mas quem seguia tendo as melhores chances era o Palmeiras. Em dez minutos, Zé Rafael e Dudu, duas vezes, levaram perigo à meta defendida por Marcelo Lomba.

Para se ter uma ideia de como o Inter pouco ameaçava, Weverton só voltou a ter trabalho aos 22 minutos, quando Nico López chutou fraco da entrada da área. No lance seguinte, o Palmeiras desperdiçou grande chance de ampliar, mas Deyverson errou passe fácil em contra-ataque de dois contra um, e a bola não chegou em Zé Rafael, que estava livre.

Para reforçar a marcação no meio-campo, Felipão colocou Thiago Santos no lugar de Felipe Melo, que tinha cartão amarelo. Embora tenha ficado mais fechado, o Palmeiras seguia melhor e quase ampliou em uma linda jogada de Bruno Henrique, que foi travado na hora do chute. Ainda deu tempo de Willian entrar na vaga de Zé Rafael e voltar a jogar após sete meses, período em que ficou afastado por causa de uma cirurgia no joelho.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 1 X 0 INTERNACIONAL

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)

Data: 10 de julho (quarta-feira)

Horário:  21h30 (de Brasília)

Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO)

Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa-GO) e Bruno Raphael Pires (Fifa-GO)

VAR: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG) auxiliado por Elmo Alves Resende Cunha (GO) e Leone Carvalho Rocha (GO)

Público: 36.443 torcedores

Renda: R$ 2.414.083,15

Cartão Amarelo: Felipe Melo e Luan (Palmeiras); Víctor Cuesta e Rafael Sóbis (Internacional)

Cartão Vermelho: –

Gol:

PALMEIRAS: Zé Rafael, aos 19 minutos do 1º tempo

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Felipe Melo (Thiago Santos), Bruno Henrique e Lucas Lima (Raphael Veiga); Dudu, Zé Rafael (Willian) e Deyverson

Técnico: Felipão

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo, Víctor Cuesta e Uendel, Rodrigo Dourado, Edenílson e Nonato (D’Alessandro); Patrick, Nico López (Rafael Sóbis) e Paolo Guerrero (Guilherme Parede)

Técnico: Odair Hellmann

 

 

Gazeta Esportiva

 

 

Treze volta a jogar bem, mas fica no empate com ABC no Amigão

O Treze voltou a jogar bem na Série C, mas ainda não conseguiu emplacar a primeira vitória na competição. Depois de ceder o empate ao Santa Cruz por 2 a 2, na estreia, o time alvinegro ficou no 0 a 0 com o ABC de Natal, neste domingo, no Estádio Amigão, em Campina Grande.

A partida teve validade pela segunda rodada do Grupo A. Com o resultado, o Galo ocupa a sexta colocação, com dois pontos ganhos. Já o time da cartilha aparece em segundo, com quatro pontos.

O Treze volta a campo agora no próximo sábado, quando encara o Imperatriz no Maranhão. Por sua vez, o ABC joga contra o Confiança, em Sergipe, no domingo.

Ficha Técnica

Treze x ABC-RN

Data: 05/05/2019

Local: Estádio Amigão/Campina Grande

Competição: Série C/ Grupo A (2ª rodada)

Arbitragem: Marco Aurélio Augusto Ferreira, Marconi Helbert Vieira, Helen Aparecida Gonçalves (Minas Gerais)

Cartões amarelos: Luan, Anderson Rosa, Guedes (ABC)

Treze: Mauto Iguatu, Edy, Italo, Anderson Penna e Silva; Coppetti, Juninho, Diego Ceará (Júlio Pacato) e Marcelinho Paraíba (Vini); Gil (Vanger) e Eduardo. Técnico: Flávio Araújo.

ABC: Edson, Ivan (Maicon), Maurício, Henrique e Jonathan; Valdemir, Guedes, Anderson Rosa e Luan (Boris Sagredo); Rodrigo Rodrigues e Anderson (Mossoró). Técnico: Ranielle Ribeiro.

 

paraibaonline

 

 

Gustagol sai do banco e arranca empate para o Corinthians

A estrela de Gustagol segue mais forte do que nunca. De volta após 22 dias de lesão, o camisa 19 saiu do banco de reservas e fez o Corinthians arrancar o empate em 1 a 1 com o Ferroviária, em jogo tenso neste domingo, na Arena Fonte Luminosa no qual Diogo Mateus abriu o placar e Cássio saiu machucado, em jogo válido pelas quartas de final do Paulistão.

Com o resultado, tudo está em aberto para o jogo de volta, nesta quarta-feira, na Arena Corinthians, às 21h30. Um novo empate leva a decisão para os pênaltis. O clube que conseguir uma vitória simples se garante nas semifinais.

Ferroviária e Corinthians empataram em 1 a 1 no primeiro jogo das quartas de final do Campeonato Paulista
Ferroviária e Corinthians empataram em 1 a 1 no primeiro jogo das quartas de final do Campeonato Paulista

Foto: Thiago Calil/Agif / Gazeta Press

Locomotiva a todo vapor
Trocando passes em marcha lenta e sendo pouco incisivo, o Corinthians, aos poucos, deu espaços para a Ferroviária avançar. Após cruzamento de Diego Gonçalves, Lúcio Flávio levou a melhor sobre Manoel e assustou em um voleio. Em seguida, Arthur Henrique abriu caminho no meio em uma tabela com Léo Arthur, que concluiu rasteiro. Cássio, caído, apenas observou a bola sair.

Cadê a precisão, Timão?
Aos poucos, a equipe de Fábio Carille voltou a tomar as rédeas do duelo. Pedrinho e Clayson se empenhavam para furar o bloqueio adversário, mas apenas aos 33 minutos veio a primeira chance clara. Em falta cobrada por Pedrinho, Avelar alçou e, depois de um desvio de Henrique, Manoel viu sua cabeçada parar em Tadeu. No rebote, o defensor concluiu para fora. No finzinho, Pedrinho cobrou falta por cima. Em novo cabeceio, Manoel, sozinho, tirou tinta da trave.

Cássio sai e Timão quase se perde na ferrovia
O Corinthians voltou do intervalo em clima de preocupação: Cássio, com dores no quadril, deu lugar a Walter. Pedrinho até lutou ofensivamente, mas o Timão se perdeu na defesa. Diogo Mateus avançou como quis pela direita e encheu o pé. Walter, sem ritmo, tentou desviar, mas a bola carimbou a trave antes de entrar. Em seguida, a Ferroviária quase ampliou. Léo Arthur concluiu, a bola passou por Walter e Michel Macedo salvou em cima da linha.

Gustagol (de novo) salva o Corinthians
Fábio Carille apostou em Jadson e Gustagol para tornar o Corinthians mais ofensivo. Aos trancos e barrancos, a equipe foi aumentando seu ímpeto. Michel Macedo arriscou e a bola passou rente à trave. Em seguida, Vagner Love bateu e a bola passou pelo lado de fora da rede. Cabia a Gustagol salvar a equipe corintiana novamente. De volta após 22 dias, o camisa 19 aproveitou cruzamento de Clayson e concluiu para a rede. Está tudo em aberto para a quarta-feira.

FICHA TÉCNICA

FERROVIÁRIA 1×1 CORINTHIANS

Data-Hora: 24-03-19 – 19h
Estádio: Arena Fonte Luminosa, em Araraquara (SP)
Árbitro: Vinicius Furlan (SP) – Nota L!: 7,0 – Conduziu bem a partida. Acertou ao não dar pênalti para o Timão em lance no início do segundo tempo.
Assistentes: Alex Ang Ribeiro (SP) e Vitor Carmona Metestaine (SP)

Cartões amarelos: Henrique, Danilo Avelar (COR)

Gols: Diogo Mateus, 9/2º T (1-0), Gustagol, 43/2º T (1-1)

FERROVIÁRIA: Tadeu; Diogo Mateus, Rayan, Rodrigão e Arthur; Anderson Uchoa, Tony e Leo Arthur (Higor, 20/2º T); Diego Gonçalves (Uilliam, 35/2º T), Felipe Ferreira e Lúcio Flávio (Thiago Santos, 20/1º T). Técnico: Vinícius Munhoz

CORINTHIANS: Cássio (Walter, intervalo); Michel Macedo, Henrique, Manoel e Danilo Avelar; Júnior Urso, Ralf (Jadson, 26/2º T) e Sornoza; Pedrinho (Gustagol, 15/2º T), Clayson e Vagner Love. Técnico: Fábio Carille

 

Lance

 

 

Com gol impedido do Inter, Corinthians sofre empate na Arena

O Corinthians tentou, mas não conseguiu a virada em cima do Internacional na tarde desse domingo. Depois de sofrer um gol impedido de Leandro Damião, o time alvinegro empatou com Douglas e fechou o placar do confronto válido pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro em 1 a 1, na Arena de Itaquera. O resultado levou o Corinthians aos 34 pontos, na provisória sétima posição. O Inter, por outro lado, chegou aos 50 pontos, uma menos que o São Paulo, ainda líder. O Palmeiras, que completa a rodada ainda nesse fim de semana, agora tem a chance de assumir o posto da equipe colorada na tabela de classificação.

Sem centroavante, mas ciente da pressão de se impor diante de seu torcedor, o Corinthians colocou seus homens de frente para pressionar a saída de bola do Internacional. A maior novidade foi a liberdade dada a Douglas, que diferente dos últimos jogos, passou a encostar nos atacantes e participar mais das ações ofensivas.

Damião celebra gol do Internacional
Damião celebra gol do Internacional

Foto: Marco Galvão / Fotoarena / Estadão Conteúdo

O plano de Jair Ventura funcionou nos primeiros 15 minutos. Primeiro Douglas e depois Fagner tiveram chances claras de abrir o placar em jogadas concluídas de dentro da área do time colorado.

Jadson mais uma vez se mostrou cérebro da equipe alvinegra, com passes precisos e verticais. O problema é que a agilidade corintiana foi perdendo velocidade com o passar do tempo. Aos poucos, o Inter equilibrou o confronto, principalmente por meio das bolas paradas. No mais, o maior susto ao gol de Cássio se deu justamente em um erro do goleiro, que acertou as costas de Leandro Damião ao tentar lançamento e causou calafrios nos corintianos.

Mas o grande lance do primeiro tempo foi protagonizado pelo bandeira goiano Cristhian Passos Sorence. Foi ele o responsável por levar o árbitro Eduardo Tomaz de Aquino Valadão a validar um gol impedido de Leandro Damião, após cobrança de falta de Edenílson.

Jadson é marcado por Patrick
Jadson é marcado por Patrick

Foto: Marco Galvão / Fotoarena / Estadão Conteúdo

Protestos à parte, o Corinthians repetiu a estratégia e voltou para a etapa final amassando o Internacional. Dessa vez, porém, o alvinegro foi premiado. Jadson cobrou escanteio, Romero desviou e Douglas pegou rebote do travessão para marcar seu primeiro gol com a camisa corintiana.

O cenário parecia propício a um grande fim de jogo, mas as duas equipes caíram de rendimento. O Inter, apesar da busca pela liderança da competição, sequer assustou nos poucos contra-ataques efetivos. O Corinthians tentou colocando Pedrinho, Araos e até Emerson Sheik nas vagas de Vital, Douglas e Romero, mas também não encontrou forças para a virada.

Assim, como a própria torcida lembrou após o apito final, “é quarta-feira”. No meio de semana, o Corinthians decide uma vaga na grande final da Copa do Brasil, contra o Flamengo, de novo em sua Arena. Pelo Brasileirão, o América-MG, sábado que vem, em Minas, é o próximo desafio. Já o Internacional volta a campo no domingo, diante do Vitória, no Beira-Rio.

Douglas comemora gol do Corinthians
Douglas comemora gol do Corinthians

Foto: Marcelo Machado de Melo / Fotoarena / Estadão Conteúdo

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 1 X 1 INTERNACIONAL

Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)

Data: 23 de setembro de 2018, sábado

Horário: 16h00 (Brasília)

Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (GO)

Assistentes: Cristhian Passos Sorence (GO) e Leone Carvalho Rocha (GO)

Cartões amarelos: Rodrigo Dourado, Patrick (INT)

Público: 26.916 pagantes (27.199 total).

Renda: R$ 1.149.396,60

GOLS:

Internacional: Douglas, aos 4 minutos do 2T

Internacional: Leandro Damião, aos 44 minutos do 1T

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Léo Santos, Henrique e Danilo Avelar; Gabriel e Douglas (Araos); Romero (Emerson Sheik), Jadson, Mateus Vital (Pedrinho) e Clayson

Técnico: Jair Ventura

INTER: Marcelo Lomba; Zeca (Fabiano), Klaus, Emerson Santos e Iago; Rodrigo Dourado, Edenílson, Patrick e Nico López (Rossi), Pottker (D’Alessandro) e Leandro Damião

Técnico: Odair Hellmann

 

Gazeta Esportiva

Campinense bate Botafogo-PB e fica a um empate do título

fotos: Leonardo Silva/Paraibaonline

No confronto da final do Campeonato Paraibano, o Campinense venceu o Botafogo-PB por 1 a 0, nesta quinta-feira no Estádio Amigão, em Campina Grande.O gol do time raposeiro foi marcado por Tarcísio, logo no começo do clássico.

Com o resultado, a Raposa conseguiu levar a vantagem do empate para ser campeão na partida de volta, que acontece domingo, no Estádio Almeidão, em João Pessoa. Ao Bota, resta vencer por qualquer placar para faturar o título, por ter feito melhor pontuação que o adversário.

Na partida em casa, o Campinense contou com a força da torcida para inverter a vantagem do Belo. Tanto é que, logo a um minuto, conseguiu balançar as redes de Saulo. Tarcísio recebe passe da Rafael Araújo pela esquerda e marca.

O time raposeiro foi dono das ações na primeira etapa. No entanto, quase tomou gol de empate aos 45 minutos, quando Marcos Aurélio chutou forte e a bola acertou a trave do goleiro Jeferson.

Com a vitória parcial em favor do Campinense, o Botafogo-PB voltou disposto a sair pelo menos com o empate. E teve alguma chances de marcar. Mas, o time rubro-negro conseguiu se reencontrar dentro das quatro linhas e chegou a ameçar o gol de Saulo.

Tanto é que, Marcinho, o nome do jogo, conseguiu deixar Tarcísio livre para ampliar o placar, mas ele chutou por cima. O Bota teve uma chance real com Nando, que livre de marcação chutou por cima do gol defendido por Saulo.

Depois disso, o Campinense conseguiu segurar a vitória e a vantagem para o jogo decisivo de domingo, no Almeidão.

Ficha Técnica

Campinense
Jeferson, Alex Murici (Beto), Willian Goiano, Rafael Jensen e Rafael Araújo; Felipe Macena, Neto, Tarcísio (Thiago Potiguar) e Marcinho; Müller Fernandes (Matheus Ortigoza) e Jackinha. Técnico – Ruy Scarpino
Botafogo-PB
Saulo, Felipe Cordeiro, Gladstone, Lula e Mazinho (Mário); Rafael Jataí (Humberto), Rogério, Carlos Renato e Marcos Aurélio (Hiroshi); Dico e Nando. Técnico: Leston JúniorÁrbitro – Francisco Carlos Nascimento (AL)
Assistentes – Rondinelle dos Santos e Maxwell Rocha (AL)
Gols – Tarcísio (C), a 1min do 1º T
Cartão amarelo – Lula, Mazinho, Marcos Aurélio, (B), Alex Murici, Willian Goiano (C)

 

Paraibaonline

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Botafogo derrota o Treze por 2 a 1 e precisa de empate para ir à final

(Foto: Hallan Azevedo)

Depois de travarem uma disputa na Justiça Desportiva, Botafogo-PB e Treze entraram em campo já sabendo que quem passasse pelo confronto iria decidir a grande final com o Campinense. A partida começou um pouco nervosa com os dois times se estudando muito nos minutos iniciais.

A primeira chance do jogo só surgiu aos 10 minutos do 1º tempo, numa jogada trabalhada por Felipe Cordeiro, que cruzou para Dico ajeitar de cabeça para Marcos Aurélio. O jogador do Belo tentou achar o canto direito do goleiro Saulo, mas a bola passou tirando tinta da trave.

Precisando do resultado, o time do Botafogo segue pressionando, mas sem levar perigo ao gol do Galo da Borborema. A equipe de João Pessoa segue dominando a partida, com maior tempo de posse de bola.

Aos 40 minutos, Hiroshi fez valer a velha máxima do futebol, de que ‘quem não faz, leva’. O jogador do Botafogo recebeu um passe do atacante Dico, e após dominar a bola, fez um belo gol de cavadinha. Um minuto antes, o Treze havia desperdiçado a chance de abrir o placar numa jogada de Danilo Itaporanga e Leílson.

O segundo tempo da partida inicia com o Treze pressionando. Em seguida, o time da Capital consegue equilibrar o jogo, mas não resiste ao gol de empate marcado por Leonardo Luiz aos 20 minutos.

Aos 33 minutos, por pouco o Botafogo não toma a virada numa jogada de Talisson, que o goleiro Saulo espalmou.

Quando a partida já se encaminhava para o seu final, o Belo fez o gol que garantiu a vitória diante do Treze. Aos 43 minutos, o meia Allan Dias marcou para o time pessoense.

O jogo da volta acontece no próximo domingo (1º), no estádio Amigão, em Campina Grande.

Portal correio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Flu abre o placar, sofre empate, mas segura Fla e se garante na final

O Fluminense está na final da Taça Rio! Com a vantagem do empate por ter tido a melhor campanha na fase de grupos, o time tricolor abriu o placar, sofreu um gol no fim, mas segurou o ímpeto rubro-negro e garantiu a vaga na decisão. Gum, ainda no primeiro tempo, balançou a rede para a equipe de Abel Braga, enquanto Everton Ribeiro, perto do fim do duelo, deixou tudo igual: 1 a 1.

Fluminense 1 x 1 Flamengo: as imagens no clássico
Fluminense 1 x 1 Flamengo: as imagens no clássico

Foto: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C. / LANCE!

Agora, o time das Laranjeiras vai encarar o Botafogo – que venceu o Vasco na outra semifinal – no domingo, no Maracanã, em jogo que, mais que o título, vale a vantagem para a semifinal do Campeonato Carioca.

PASSADO 
Como esperado, neste primeiro encontro entre Dourado e a torcida do Flu, outrora do mesmo lado, não foi nada amistoso e pôde-se ouvir de tudo vindo da arquibancada. Pelo lado rubro-negro, houve resposta.

TRUNCADO 
Com o gramado castigado pela chuva (e jogo no dia anterior), o primeiro tempo foi equilibrado, mas, praticamente, entre as intermediárias. Chances claras, uma para cada lado: Dourado parou em grande defesa de Júlio César e Ayrton Lucas quase contou com o desvio da zaga, mas a bola foi para fora.

GOL E HOMENAGEM
Nos acréscimos, após cobrança de escanteio, Gum, de cabeça, abriu o placar e homenageou Noah, filho que está por vir.

O QUE É ISSO?
O panorama não mudou muito no segundo tempo. Até piorou. Em certo momento, o jogo virou um “pega pra capar”, com chegadas mais fortes e nenhum futebol arte.

MUDANÇA
A entrada de Vinícius Jr. na vaga de Renê – Everton Ribeiro foi para a lateral -, no intervalo, fez com que o lado esquerdo do Flamengo ficasse mais perigoso, mas logo o Fluminense conseguiu e neutralizar o adversário.

QUASE 
O Fla quase empatou com Jonas, de cabeça, em lance que Júlio César salvou. Já o Flu, poderia ter ampliado, mas Gilberto, depois de contra-ataque, mandou para longe.

ANULOU 
Gum chegou a marcar novamente, mas a arbitragem assinalou posição irregular do zagueiro.

INCENDIOU 
Quase no fim, Everton Ribeiro aproveitou rebote e marcou um bonito gol, incendiando time e torcida. Depois disso, o Flamengo foi para o tudo ou nada, mas o Flu segurou o adversário e saiu com a vaga.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 1 X 1 FLAMENGO

Data-Hora: 22/03/2018 – às 20h (de Brasília)
Local: Estádio Nilton Santos, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Maurício Machado Coelho Junior (RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises (RJ) e Eduardo de Souza Couto (RJ)
Público/renda: 16.923 pagantes / R$ 548.310,00
Cartões amarelos: Pedro e Júlio César (FLU); Éverton Ribeiro, Jonas e Réver (FLA)
Cartões vermelhos: 
Gols: Gum (46’/1ºT – 1×0) e Everton (40’/2ºT – 1×1)

FLUMINENSE: Júlio César; Renato Chaves, Gum e Ibañez; Gilberto, Jádson, Richard (Douglas, 27’/2ºT), Ayrton Lucas e Sornoza; Marcos Júnior (Pablo Dyego, 12’/2ºT) e Pedro (Marlon, 39’/2ºT). Técnico: Abel Braga.

FLAMENGO: Diego Alves; Rodinei, Réver, Juan e Renê (Vinicius Júnior, intervalo); Jonas, Diego e Lucas Paquetá; Everton Ribeiro (Cuéllar, 22’/2ºT), Everton e Henrique Dourado (Felipe Vizeu, 32’/2ºT). Técnico: Paulo César Carpegiani.

Lance

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Vasco e São Paulo ficam no empate em São Januário

Em um jogo que não foi bom para as pretensões de ambos, Vasco e São Paulo empataram em 1 a 1 em São Januário, neste domingo, pela 34ª rodada do Brasileirão. Em jogo que marcou o reencontro com sua torcida na Colina Histórica, que lotou o estádio, o Cruz-Maltino chegou ao terceiro empate seguido em casa e perdeu mais uma chance de entrar no G7 do campeonato. Já o Tricolor paulista não chegou na pontuação estipulada para ficar livre de qualquer risco de rebaixamento.

Equipes empataram em 1 a 1 em São Januário, neste domingo, pelo Brasileiro (Paulo Fernandes/Vasco.com.br)
Equipes empataram em 1 a 1 em São Januário, neste domingo, pelo Brasileiro (Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

Foto: LANCE!

Os visitantes saíram na frente com Marcos Guilherme, e os donos da casa igualaram o placar com Caio Monteiro.

A partida começou equilibrada, com as duas equipes muito bem postadas em campo. O Cruz-Maltino adiantou as linhas e dificultava a saída de bola do Tricolor paulista, que por sua vez estava bem compactado e não dava espaços.
Empurrado por seus torcedores em casa, o Vasco passou a se lançar mais no ataque. Porém, apesar de ter a bola, pouco ameaçava o gol de Sidão.

Depois da parada técnica para hidratação, o jogo melhorou. Nenê bateu falta com categoria da entrada da área e quase abriu o placar. Na sequência, o São Paulo assustou em contra-ataque e fez sua primeira finalização do jogo, aos 34 minutos.

Maicosuel partiu pela esquerda e bateu com perigo para fora. O gol tricolor saiu logo depois. Aos 39 minutos, Jean vacilou e foi desarmado por Marcos Guilherme na frente da área. O meia-atacante avançou e emendou um chutaço de fora, que Gabriel Felix não conseguiu defender.

Atrás no placar, o Cruz-Maltino se lançou ao ataque e ainda ameaçou em cabeçadas de Gilberto e Madson, mas foi para o intervalo perdendo.

Zé Ricardo voltou para o segundo tempo com Evander no lugar de Gilberto, deixando o Vasco mais ofensivo e melhor na partida. O jovem meia assustou Sidão em cobrança de falta. Paulinho e Andrés Rios também tiveram chances, mas mandaram para fora.

O São Paulo se fechava para sair no contra-ataque, mas não conseguia encaixar. Enquanto isso, Sidão garantia atrás, como em boa defesa em chute de Caio Monteiro. De tanto pressionar, o Cruz-Maltino chegou ao empate aos 30 minutos. Andrés Rios chutou, a bola desviou em Rodrigo Caio e sobrou para Caio Monteiro estufar a rede.

O Vasco ainda teve algumas chances, mas não aproveitou algumas e em outras parou em grandes defesas de Sidão.

FICHA TÉCNICA

VASCO 1 X 1 SÃO PAULO

Local: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 12/11/2017 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden – RS (CBF)
Assistentes: Jose Eduardo Calza e Mauricio Coelho Silva Penna (ambos do RS)
Público e renda: 16.439 pagantes / R$ 519.815,00
Cartões amarelos: Arboleda, Edimar (SPO); Henrique (VAS)
Cartão vermelho: Militão, aos 38’/2ºT
Gols: Marcos Guilherme, aos 39’/1ºT (0-1); Caio Monteiro, aos 30’/2ºT (1-1)

VASCO: Gabriel Félix, Madson, Rafael Marques, Paulão e Henrique; Jean (Wagner, aos 28’/2ºT), Gilberto (Evander, no intervalo), Yago Pikachu (Caio Monteiro, aos 18’/2ºT) e Nenê; Paulinho e Andrés Ríos. Técnico: Zé Ricardo

SÃO PAULO: Sidão, Militão, Arboleda, Rodrigo Caio e Edimar; Jucilei, Petros, Hernanes e Maicosuel (Lucas Fernandes, aos 20’/2ºT); Marcos Guilherme (Aderllan, aos 40’/2ºT) e Pratto (Gilberto, aos 29’/2ºT). Técnico: Dorival Júnior

Lance

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br