Arquivo da tag: emissoras

TRE sorteia nesta terça emissoras que gerarão guia dos candidatos

O Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) realizará, nesta terça-feira (21), sorteio das emissoras de Rádio e Televisão que vai gerar o Guia dos candidatos para o pleito de outubro.

O vice-presidente e corregedor regional eleitoral da Paraíba, desembargador Carlos Martins Beltrão Filho, convidou para participar do sorteio os partidos políticos, coligações e seus representantes e as emissoras que irão gerar o guia.

A solenidade está prevista para começar às 9h, na sala de sessões, no 1º andar, da sede do TRE-PB, no bairro de Tambiá.

MaisPB

Paraibano, Renan da Resenha foi alvo de preconceito em emissoras

O que era apenas uma brincadeira se tornou coisa séria e o paraibano de Nova Floresta, Renan da Resenha, se tornou um dos maiores youtubers do Brasil. O humorista foi entrevistado pelo jornalista Heron Cid, no programa Frente a Frente, da TV Arapuan, onde revelou bastidores das suas “resenhas” e o preconceito que sofreu por ser nordestino.

Em um ano e meio, Renan já gravou 600 vídeos, acumula quase 144 mil seguidores no Youtube e outros 318 mil no Instagram. São mais de 70 milhões de visualizações em suas redes sociais.

Como humorista, Renan da Resenha já fez testes na TV Globo e participações em programas da Rede Record e SBT.

“Já sofri preconceitos por ser nordestino. Um diretor me falou que eu falava muito arrastado e que hoje as coisas são mais modernas. Eu discordei. Ele disse que tinha uma oportunidade para mim, mas que eu precisaria de uma reformulação. Não topei”, revelou.

As resenhas começaram via WhatsApp em áudios compartilhados com amigos sobre as “farras do final de semana”, por exemplo. “E o pessoal me respondia: recebi teu áudio em Cajazeiras, recebi em um grupo de Pernambuco”, contou.

O paraibano percebeu que fazia sucesso quando um de seus áudios chegou às mãos da cantora Solange Almeida. Apostando nas redes sociais, somente na noite em que estreou no Youtuber ele conseguiu atrair 1.500 seguidores.

Entre os humoristas que o inspiram está o também paraibano Nairon Barreto, o famoso “Zé Lezim”. Já entre os famosos que curtem o humor feito por Renan está a cantora Cláudia Leitte.

“É uma loucura, porque a minha vida mudou completamente. Peço a Deus sabedoria para não me iludir com as coisas do mundo”, frisou.

A produção começou de forma simples, pelo celular. Renan era o produtor, editor, ator e algumas vezes contava com o apoio da irmã como cinegrafista.

“Amo nosso Nordeste e nossa cultura muda muito em um pequeno espaço. Procuro buscar inspirações nas coisas do dia a dia”, afirmou.

De vendedor de rapadura a fenômeno nas redes sociais

Renan da Resenha é fenômeno nas redes sociais

Aos 10 anos, Renan perdeu o pai em um acidente de carro. Para garantir a renda da família, a mãe vendia roupas para amigas.

Com 15 anos, o humorista começou a vender CDs para seus colegas na escola. Posteriormente, ele passou a vender rapadura de Picuí nas feiras de João Pessoa. Comemorou ao conseguir vender 20 caixas de uma única vez, mas também enfrentou preconceitos.

Ele ainda trabalhou como vendedor de feijão, veículos e foi assessor parlamentar. Em certo momento se viu envolvido com a política. “Meu avô foi prefeito de Nova Floresta e eu me vi seduzido pela política, participei de campanhas eleitorais”, contou.

Durante a entrevista ele revelou que pretende seguir os passos do seu ídolo, Nairon Barreto, e fazer humor pelos próximos 30 anos. Ele garantiu honrar o nome da Paraíba “com muito amor”.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Emissoras AM terão que pagar até R$ 4,4 milhões para migrar para FM

andre-figueiredoAs emissoras de rádio AM que desejam migrar para a frequência FM deverão pagar entre R$ 8,6 mil e R$ 4,4 milhões pela adaptação da outorga. Os valores foram apresentados hoje (24) pelo governo, no Palácio do Planalto, e levaram em conta fatores como abrangência, potência das emissoras e indicadores econômicos e sociais dos municípios onde estão instaladas.

O valor mais alto, R$ 4,4 milhões, será cobrado para migração de rádios de grande potência (acima de 100 kilowatts) na região metropolitana de São Paulo. O custo mais baixo de migração será de R$ 8,6 mil e valerá para antenas de menor capacidade (até 0,5 kilowatt) instaladas em municípios com menos de 10 mil habitantes. A migração não é obrigatória. A lista com todos os valores será divulgada pelo Ministério das Comunicações esta tarde e publicada amanhã (25) no Diário Oficial.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

“Tivemos preocupação de cuidar dos detalhes, discutir tecnicamente toda a parametrização, que envolveu índice potencial de consumo, PIB [Produto Interno Bruto], IDHM [Índice de Desenvolvimento Humano Municipal] e agregamos também a esses critérios a classe de potência de rádios e a população do município onde a emissora está instalada”, explicou o ministro das Comunicações, André Figueiredo. “Chegamos a valores justos”, avaliou.

A presidenta Dilma Rousseff avaliou os valores como “bastante equilibrados” e disse que é preciso garantir condições de pagamento que possam “viabilizar a sustentabilidade das emissoras”. Após a apresentação de documentos, as emissoras interessadas na migração terão prazo que vai de fevereiro a maio de 2016 para pagar pela mudança.

Além do custo da adaptação da outorga, as rádios terão que comprar equipamentos para a transmissão do novo sinal. De acordo com o Ministério das Comunicações, das 1,8 mil emissoras AM em operação no Brasil, 1.386 manifestaram interesse em mudar para FM. Em 2016, mil veículos já poderão mudar para a faixa. O restante terá que aguardar a liberação do espaço na frequência.

De acordo com o ministro, a meta é garantir a migração dessas rádios até o primeiro semestre de 2018. O espaço na frequência FM será liberado com a digitalização da TV, que atualmente ocupa essas faixas.

Em breve discurso na cerimônia de anúncio das regras de migração, no Palácio do Planalto, Dilma defendeu o papel do rádio na integração de um país continental como o Brasil e disse que as emissoras pequenas e médias devem ser fortalecidas.

“A maioria das nossas rádios é pequena, transmitem em baixa potência, e precisam ser preservadas e incentivadas, afinal, são elas que levam informação, proporcionam entretenimento e oferecem orientação à população pelo interior de todo o nosso país. Na maioria das vezes, é graças ao radinho de pilha sintonizado em uma rádio AM que moradores de comunidades distantes dos grandes centros urbanos, os ribeirinhos da Amazônia, os sertanejos no interior do Nordeste, moradores do Pampa gaúcho e os pantaneiros do Centro-Oeste se conectam com o país”, lembrou.

Segundo Dilma, a migração de emissoras do AM para FM é parte da atualização das plataformas tecnológicas da infraestrutura de radiodifusão do Brasil, processo que deve estar acompanhado pelo bom atendimento à população e pela ampliação da concorrência no setor de radiodifusão. “As novas plataformas tecnológicas devem resultar em ampliação do acesso, da democratização da informação e da diversificação das mídias”.

Agência Brasil

Congressistas eleitos são donos de 55 emissoras de rádio ou TVs, inclusive na PB

tassoHerdeiros de família com tradição na política, líderes evangélicos e empresários estão entre os 33 deputados federais e senadores eleitos que declararam ser proprietários de emissoras de rádio ou TV.

Levantamento feito pela Folha aponta que ao menos 55 concessões pelo país pertencem a políticos que vão tomar posse em 2015. Juntas, as rádios e televisões somam patrimônio de R$ 8,3 milhões.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Entre elas, estão afiliadas das principais redes de TV do país. O deputado Sarney Filho (PV), por exemplo, declarou ter R$ 2,7 milhões em participação na TV Mirante, retransmissora da Globo no Maranhão. O ex-presidente Fernando Collor (PTB), reeleito ao Senado, é sócio da afiliada da Globo em Alagoas.

São sócios de afiliadas da Bandeirantes o senador eleito Tasso Jereissati (PSDB-CE) e a deputada Elcione Barbalho (PMDB-PA), ex-mulher do senador Jader Barbalho.

Na lista dos donos de rádios eleitos também estão Celso Russomanno (PRB-SP) e o ex-ministro das Cidades Aguinaldo Ribeiro (PP-PB).

O senador Aécio Neves (PSDB) declarou na eleição ser sócio em uma emissora de rádio que retransmite a Jovem Pan em Belo Horizonte.

Dois governadores eleitos também são sócios: Robinson Faria (PSD), que possui rádio no interior do Rio Grande do Norte, e o alagoano Renan Filho (PMDB), que declarou participação em outras duas.

O número de congressistas proprietários deve ser ainda maior, já que é comum o registro permanecer no nome de familiares ou laranjas.

Em 2011, cadastro do Ministério das Comunicações mostrou 56 congressistas como sócios ou com parentes no controle de emissoras.

A legislação diz que eleitos podem ser sócios de emissoras desde que não ocupem cargo na direção delas. Projetos em tramitação buscam proibir qualquer vinculação.

Para o professor de comunicação da Unesp Carlo Napolitano, o fato de a lei não permitir que políticos ocupem cargos na direção não impede, na prática, que eles tirem proveito eleitoral disso. “Ele pode usar do meio de comunicação para se favorecer com um serviço público”, diz.

Há ainda casos como o do atual deputado tucano Bonifácio Andrada (PP), que integra a Comissão de Comunicações da Câmara, que analisa pedidos de concessão.

O deputado Arolde de Oliveira (PSD-RJ) diz que impedir sócios de emissoras de se candidatar seria “discriminação”. “Se até analfabeto pode ser candidato, eu não posso por ter uma emissora?”, questiona. Reeleito, ele é sócio de uma rádio no Rio, mas diz que a empresa é de familiares.

O deputado Gonzaga Patriota (PSB-PE), sócio em duas rádios, diz que a internet mudou o cenário que esses meios costumavam ter. “Hoje os meios de comunicação são democráticos”, diz.

Folha de SP

Jornalista afirma que emissoras comunitárias da Paraíba são reprimidas

Dalmo OliveiraO jornalista Dalmo de Oliveira participou da primeira mesa de debates do segundo dia do Simpósio Nacional do Rádio. Ele falou sobre o espaço dos comunicadores comunitários no estado da Paraíba.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A palestra teve como um dos temas Radiodifusão Comunitária e o Mercado de Trabalho. Em conversa com a repórter Jude Alves, Dalmo Oliveira explana a realidade das rádios comunitárias no Brasil e especificamente na Paraíba.

Ouça a entrevista de Dalmo Oliveira em:

http://espaco-experimental.blogspot.com.br/2013/07/jornalista-afirma-que-emissoras.html?spref=fb

 

radiozumbijp

Cerca de 960 emissoras farão a transmissão durante a JMJ 2013

reuniãoCentralizadas na Rádio Catedral Fm do Rio de Janeiro que será a geradora de conteúdos e  programação da JMJ, a Rede Católica de Rádio, RCR,  formarão  um sistema de comunicação de transmissão, ao vivo, da programação exclusiva da Jornada Mundial da Juventude para o Brasil durante os dias 16 a 20, Semana Missionária; de 23 a 28 de julho a Jornada Mundial da Juventude.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Serão cerca de 40 jornalistas de emissoras das bases geradoras Rede Sul de Rádios, Rádio Canção Nova, Rádio Difusora de Goiânia, Rádio Milícia da Imaculada, Rádio Aparecida, Rádio Evangelizar é Preciso  e emissoras da RCR, que prestarão serviço ao ouvinte, atualizando e informando passo a passo da JMJRio2013. Desde a chegada oficial dos peregrinos; Missa de Abertura, em Copacabana; Festival da Juventude em vários pontos da cidade; Catequeses com Bispos presentes em vários idiomas; Acolhida do Papa Francisco em Copacabana; Via Sacra também em Copacabana; Peregrinação dos jovens para Campus Fidei; Atividades Culturais; Vigília dos jovens com o Papa, em Campus Fidei; Missa de Envio presidida pelo Papa Francisco e o Anúncio da sede da próxima Jornada Mundial, a equipe de jornalistas da RCR e Rádio Catedral estarão de plantão 24 horas, dando cobertura completa dos principais acontecimentos da JMJ.

O presidente da RCR, Frei João Carlos Romanini; Padre Marcos Willian Bernardo, diretor Geral Fundação Rádio Catedral; Padre Brito Terceiro, diretor Adjunto e Diretor de Programação; Fátima Lima, coordenadora do Pool, reuniram-se, no Rio de Janeiro, na quarta-feira, 16, para acertar os detalhes do sistema de comunicação, com as cerca de 960 emissoras coligadas e a programação da transmissão durante a JMJ. A Rádio Catedral será a rádio geradora da JMJ e a RCR,  em parcerias com as redes de rádio regional  estarão coligadas com cerca de 960 emissoras de todo o Brasil, na transmissão 24 horas da programação da Semana Missionária, de 16 a 20 de julho e a Jornada Mundial da Juventude, de 23 a 28 de julho. A Rádio Catedral FM (106,7), a partir do dia 16 de julho, terá uma nova programação exclusiva em função da Jornada Mundial da Juventude.

 

com RCR/Brasil

Ministério das comunicações livra emissoras comerciais de cassação

 

radio e tvSanções a emissoras comerciais de rádio e TV poderão se converter em multas simbólicas.
O Ministério das Comunicações publicou em 13 de abril no Diário Oficial da União a portaria de nº 112, que estabelece um novo regulamento de sanções administrativas paras o serviço de comunicação eletrônica (rádio e TV).

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O novo comando normativo estabelece a conversão de multas para emissoras de Rádio e televisão cujos processos administrativos poderiam ser levados para a cassação de outorgas. Entretanto, o mesmo não vale para as quase 5.000 emissoras comunitárias autorizadas, cuja definição se apresenta diferente na nova portaria.
O texto define de forma clara que cassação é uma definição para emissoras de Rádio e TV, e revogação de autorização para o serviço de radiodifusão comunitária. O texto é explicito: só poderá ter reversão de multas apenas o serviço de radiodifusão comercial, excluindo-se as rádios comunitárias desta modalidade.
Para Jerry de Oliveira, coordenador estadual da Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária (ABRAÇO) e do Movimento Nacional de Rádios Comunitárias (MNRC), o governo manteve as posições autoritárias e discriminatórias para o serviço de radiodifusão comunitária, enquanto que para as rádios comerciais dá-se ao luxo de converter as sanções para o pagamento simbólico.
Oliveira explica que, além de converter os processos de cassação em multas, o Ministério das Comunicações aplicará as multas com os valores aplicados na época da constatação da irregularidade, ou seja, se uma emissora foi penalizada em 1999, o valor será cobrado sem correção e sem a aplicação da SELIC, que fará com que as emissoras paguem suas infrações com moedas. “É uma medida discriminatória que deve ser amplamente discutida, pois fere a legalidade e mostra a pessoalidade do Ministério das Comunicações em relação às rádios comerciais”.
Para Oliveira, existem dois pesos e duas medidas com esta portaria, onde livra as emissoras da cassação e legitima a perseguição política contra as rádios comunitárias. “O Ministério das Comunicações mostra-se mais uma vez um leão contra as Radcons e um gatinho em relação às rádios dos poderosos. O Ministro tem lado político discriminatório e não possui capacidade para estar à frente do Ministério. Ele se porta como um Feliciano das Comunicações”, critica Jerry.
Oliveira também diz que não terá outra saída a não ser “fazer luta política” pela  revogação desta portaria, além de pedir a saída de Paulo Bernardo do Ministério. “É uma aberração vermos uma política preconceituosa no Ministério das Comunicações. Já temos um Marco Feliciano na Comissão de Direitos Humanos, e agora um Ministro de Estado discriminador. Isso extrapola os limites da democracia e do bom senso”, afirmou Jerry.

Postado por ABRAÇO/SP

Emissoras de TV devem disponibilizar cinco minutos para divulgação de desaparecidos

desaparecidosA Câmara Federal analisa projeto de lei 5369/13, do deputado federal Major Fábio (DEM-PB), que obriga as emissoras de televisão a disponibilizarem o mínimo de cinco minutos diários de sua programação para a divulgação de fotos de pessoas desaparecidas.

O projeto estabelece que o conteúdo deva ser exibido durante a programação das emissoras no horário das 7h às 23h. O texto altera a Lei nº 4.117, de 27 de agosto de 1962, que “Institui o Código Brasileiro de Telecomunicações”.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O deputado argumenta que as televisões estão em 95% dos domicílios brasileiros. Além disso, com a disseminação da tecnologia digital, há a expectativa de que as emissoras conquistem ainda mais espaço no mercado de comunicação eletrônica. “A função social das emissoras torna-se evidente não somente em situações de calamidade e emergência, mas também na veiculação de campanhas de utilidade pública”.

De acordo com o Major Fábio, o desaparecimento de pessoas tem grande repercussão junto à sociedade e merece ser tratado com melhor atenção pelas autoridades. Segundo as estimativas oficiais, o Brasil registra anualmente cerca de 40 mil ocorrências de pessoas desaparecidas, causando dramas familiares de dimensões gigantescas.

-Nesse sentido, além de enfatizar o papel da televisão como serviço público de interesse coletivo, a proposição também contribuirá para que muitos cidadãos possam retornar ao convívio de seus lares, oportunizando conforto e felicidade para milhares de famílias brasileiras, concluiu o deputado federal.

O projeto aguarda despacho da Presidência da Câmara para iniciar o processo de discussão nas Comissões


Redação com Assessoria

Deputado Federal Efraim Filho concede entrevista em Emissoras de Rádio do Brejo da Paraíba

efraimUma entrevista das mais completas, foi concedida, nesta última Sexta- Feira, dia 05 de Abril, pelo Deputado federal Efraim Filho, abordando diversos assuntos de interesse da Região e, fazendo um resumo de como está se dando sua atuação, na Câmara dos Deputados, em Brasília.

No começo da manhã, o mesmo foi sabatinado pelos comunicadores da Rádio Talismã FM, de Belém, deslocando-se, em seguída, para os Estúdios da Integração do Brejo AM, em Bananeiras, onde, inclusive, já estava sendo esperado por uma grande quantidade de pessoas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Ao ser abordado pelos comunicadores, Cristiano Rícelli e Edílson  Santos, Efrain Filho, pormenorizou uma série de atividades que, em  Brasília, vem realizando, em beneficio dos diversos Municípios da  Paraíba, destacando-se os que foi votado nas eleições passadas.  Além desses tópicos, falou ainda sobre a gravidade do problema da  falta d’água na região e, de diversos outros temas, de integral interesse da coletividade, como um  todo.  Diante de toda sua postura e, de suas diversas colocações, Efrain  Filho, foi por demais aplaudido pelos presentes e, também bastante cumprimentado pelos ouvintes, através dos telefones da emissora.

diariodobrejo Solanea Online

Rádio está presente em 88% das residências e número de emissoras dobra em 10 anos

radioApesar do avanço de novas mídias e da expansão do acesso à internet, o rádio continua sendo um dos principais veículos de informação dos brasileiros. Segundo a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert),o rádio – que comemora hoje seu dia mundial – está presente em 88,1% dos domicílios do país, perdendo apenas para a televisão, que tem penetração de cerca de 97%.

O país tem aproximadamente 9,4 mil emissoras de rádio em funcionamento, incluindo emissoras comerciais AM e FM e rádios comunitárias. O número é mais que o dobro do registrado há dez anos, segundo dados do Ministério das Comunicações. Nos estados de São Paulo e Minas Gerais estão concentrados os maiores números de emissoras, com 1,4 mil e 1,3 mil, respectivamente.

O número de aparelhos de rádio convencionais passa de 200 milhões no Brasil, além de 23,9 milhões de receptores em automóveis e do acesso por aparelhos celulares, que somam  cerca de 90 milhões. Isso sem falar no acesso às emissoras pela internet, por meio de computadores e smartphones. Aproximadamente 80% das emissoras do país já transmitem sua programação pela rede mundial de computadores.

O presidente da Abert, Daniel Slaviero, destaca que o rádio está se adaptando às novas tecnologias para disputar o mercado altamente competitivo da informação e do entretenimento. “Acreditamos no futuro do rádio, não como nossos pais e avós o conheceram, mas inovador, ágil, interativo e com a mesma importância social, eficiência comunicativa e proximidade com as comunidades e os ouvintes. Aos 90 anos, não há dúvida de que o rádio está em plena reinvenção”, avalia.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Para o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, o rádio faz parte da cultura dos brasileiros e não perderá espaço porque está acompanhando a evolução do setor. “Neste momento especial de transformações tecnológicas e do aparecimento de outras mídias, o rádio segue firme no nosso dia a dia porque também se transformou. Hoje é comum, corriqueiro, ouvirmos a transmissão da programação também pela internet, direto das redações das emissoras”, diz. O ministro garante que o governo trabalha para dar à radiodifusão a flexibilidade e pujança necessárias para continuar a crescer.

 

Emissoras de rádio no Brasil

Rádio FM Comunitárias Ondas Médias (AM) Ondas Tropicais Ondas Curtas FM Educativa
Outorgas 2.664 4.421 1.785 74 66 469

Fonte: Ministério das Comunicações – dezembro 2012

 

Agência Brasil