Arquivo da tag: economia

Aliado de Bolsonaro na PB confirma aumento de FPE e FPM e projeta crescimento de 2% na economia

“O movimento do Brasil hoje é de crescimento”. A declaração é do deputado estadual Moacir Rodrigues, do PSL, um dos aliados do presidente Jair Bolsonaro (PSL) na Paraíba.

Em entrevista ao portal PB Agora, nesse final de semana, Moacir disse que hoje a Paraíba teve um crescimento de mais de 8% tanto no Fundo de Participação dos Estados quanto no Fundo de Participação dos Municípios.

Ainda conforme o parlamentar, a economia também apresentou crescimento, sendo 1% neste ano de 2019, com projeção assegurada de 2% para 2020.

“A proposta de Bolsonaro é o crescimento da economia. Nós temos um crescimento hoje já de mais de 8% do FPE e do FPM. A economia brasileira vai crescer em torno de 1% esse ano e já tem 2% assegurado para o próximo ano. Bolsonaro vai ser ordem, progresso e crescimento para o Brasil. O Brasil vai crescer, e eu vou com Bolsonaro no crescimento do Brasil”, arrematou.

 

PB Agora

 

 

O que é economia criativa e como ela pode mudar o seu negócio

Conceito é fio condutor da Feira Internacional de Negócios Criativos e Colaborativos, promovida pelo Sebrae-PB entre 25 e 28 de setembro, no Espaço Cultural, em João Pessoa

A união das antigas tradições do trabalho cultural e industrial a uma gama mais ampla de atividades produtivas (artesanato, audiovisual, museus, games, design, arquitetura, comunicação, teatro, música, websites etc.) levaram ao que hoje se conhece por economia criativa, parte determinante e crescente da economia global. Para estimular a prática dessa mescla de valores econômicos e culturais na Paraíba, o Sebrae promove, entre os dias 25 e 28 deste mês, a Feira Internacional de Negócios Criativos e Colaborativos (Fincc), no Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa-PB.

Em todo o mundo, os governos e os setores criativos dão cada vez mais importância ao papel que a economia criativa desempenha – tanto por ser uma fonte de empregos e riqueza quanto pelo compromisso cultural e pela promoção da inclusão social e da diversidade. De acordo com Regina Amorim, gestora de Turismo do Sebrae-PB, os negócios criativos diferem dos convencionais porque produzem um valor econômico a partir da criatividade, da cultura e do conhecimento intelectual do empreendedor. “As novas economias são a chave para os negócios no século XXI. Entre elas, está a economia criativa, que começa não pelo capital financeiro, mas por uma boa ideia”, diz ela.

Além da ampla e complexa herança cultural, a economia criativa se distingue dos demais setores da economia por se preocupar com a sustentabilidade. Enquanto outros recursos vão se esgotando, o valor da criatividade continua crescendo. Para Regina, os negócios criativos não serão apenas um elemento desejável da atividade econômica, mas o fator crucial da nossa capacidade de nos adaptarmos e sobrevivermos como espécie. “Afinal, criatividade é um recurso ilimitado”, ressalta.

A percepção de que a criatividade é um processo disruptivo, que questiona os limites e os pressupostos estabelecidos, está até mesmo na agricultura, uma das atividades mais antigas da humanidade: enquanto a genética promove oportunidades e riscos, a mudança climática e as pressões produtivas exigem novos paradigmas. “O mundo está mudando em direção a uma economia que depende mais da criatividade e do conhecimento do que de qualquer outra matéria-prima”, conclui Regina.

Ativo econômico – Em relação aos empregos em economia criativa, segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), os bens e serviços culturais participam de aproximadamente 7% do PIB mundial, e há expectativas de crescimentos anual entre 10% e 20%.

No Brasil, a área criativa gerou uma riqueza de R$ 155,6 bilhões para a economia brasileira em 2015, segundo o Mapeamento da Indústria Criativa no Brasil, publicado pela Firjan em dezembro de 2016. Nesse mesmo ano, a participação do PIB Criativo estimado no PIB brasileiro foi de 2,64%, quando a Indústria Criativa era composta por 851,2 mil profissionais formais.

O Sebrae atua para transformar a habilidade criativa natural em ativo econômico e recurso para o desenvolvimento de negócios duradouros, como também para estimular modelos inovadores que desenvolvam a economia criativa brasileira.

 

Vivas Comunicação

 

 

MEC anuncia corte de 5.613 bolsas e prevê economia de R$ 544 milhões em 4 anos

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Nível Superior (Capes) anunciou nesta segunda-feira (4) o corte de 5.613 bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado no Brasil a partir deste mês. O órgão é subordinado ao Ministério da Educação (MEC), que já sinalizou que, em 2020, a Capes só terá metade do Orçamento que era previsto neste ano.

A Capes e o MEC tratam a exclusão das bolsas previstas como um “congelamento” e afirmam que a medida não vai afetar quem atualmente recebe o benefício.

Entretanto, apesar de afirmar que as bolsas serão congeladas, a Capes admite que elas não serão mais oferecidas nos próximos 4 anos, que é o período de vigência previsto caso elas tivessem sido concedidas neste mês.

A Capes possui, ao todo, 211.784 bolsas atividade em todas as áreas de atuação. Desse total, 92.680 são da pós-graduação. Assim, o corte anunciado vai representar o bloqueio de 2,65%.

De acordo com o governo, a medida vai representar uma economia de R$ 37,8 milhões em 2019. Ainda segundo a Capes, as bolsas têm vida útil de 4 anos e a economia no período pode chegar a R$ 544 milhões.

“O contingenciamento será mantido até o início da vigência de novas concessões”, informou o órgão.

Histórico de cortes

Em 4 de junho, a Capes já havia anunciado o corte de 2,7 mil bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado. Á época, a coordenação chegou a uma redução total de 6.198 bolsas em 2019, já que tinha anunciado o bloqueio de 3.474 bolsas em 9 de maio.

A decisão já tinha causado protestos entre os estudantes, e a Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG) afirmou que os “cortes (…) ferem de morte o ensino superior, a pós-graduação e a ciência nacional”.

Considerando todos os anúncios feitos até agora, o total de bolsas que deixarão de ser oferecidas chega a 11.811.

Orçamento 2020

O MEC decidiu cortar pela metade o orçamento da Capes em 2020. Foram reservados somente R$ 2,2 bilhões para a instituição frente os R$ 4,25 bilhões previstos neste ano.

De acordo com o presidente da Capes, Anderson Ribeiro Correia, o MEC e a coordenação estão “buscando alternativas para recompor o orçamento do próximo ano. O governo, no entanto, não detalhou quais medidas estão sendo estudadas.

G1

 

 

Paiva Netto: Sustentabilidade pela Economia Celeste

A sustentabilidade é o desafio das nações emergentes ou das que já atingiram o mais alto nível de crescimento material de suas economias. Ela igualmente é a luta dos ecologistas e a meta a ser alcançada pelos administradores da Terra. Jesus, o Economista Divino, por Sua vez, nos oferece um caminho novíssimo, porque firmado em bases renováveis eternas do Espírito, o moto-contínuo, a curul do desenvolvimento planetário intermundos.

No Evangelho do Cristo Ecumênico, o Estadista Celeste, segundo João, 15:1 a 11, podemos ler:

A videira e os ramos

“Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai, o viticultor. Ele corta os ramos que não derem fruto em mim e limpa todos os que dão fruto, para que o deem mais em abundância. Já estais limpos pela palavra que vos tenho anunciado; permanecei em mim e Eu em vós. Assim como o ramo não pode dar fruto de si mesmo, se não se conservar na videira, o mesmo vos sucederá se não permanecerdes em mim. Eu sou a videira, vós sois os ramos. Aquele que permanece em mim, e no qual Eu permaneço, dá muito fruto, pois sem mim, nada podereis fazer. Se alguém não o fizer, será lançado fora como a vara e secará; e será jogada ao fogo para queimar. Se permanecerdes em mim e as minhas palavras em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será concedido. A glória de meu Pai está em que deis muito fruto, e assim sereis meus discípulos. Como o Pai me amou, assim também Eu vos amo. Permanecei no meu Amor. Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis em mim, assim como tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no Seu Amor. Tenho-vos dito estas coisas, a fim de que a minha alegria esteja em vós, e a vossa alegria seja completa.

É preciso iluminar o Espírito Eterno da criatura humana, origem da sua liberdade ou do seu cativeiro. A chave dessas afirmativas encontra-se no Evangelho, segundo Mateus, 6:33, preconizada por Alziro Zarur (1914-1979) como a “Fórmula Urgentíssima de Jesus”: “Buscai primeiramente o Reino de Deus e Sua Justiça, e todas as coisas materiais vos serão acrescentadas”.

Reforma a partir do espírito

Em meu artigo “Leis, homens etc…”, publicado há quase 30 anos na Folha de S.Paulo, já alertava para o fato de que é urgente educar. A Lei Áurea capaz de abolir a escravatura em qualquer país é livrar seu povo da ignorância. Escreveu Rui Barbosa (1849-1923) que “instruir não é simplesmente acumular conhecimentos, mas cultivar as faculdades por onde os adquirimos e utilizamos a bem do nosso destino. Se não as educamos, simultaneamente, na direção da esfera intelectual e na direção da esfera moral, tê-las-emos condenado a um desenvolvimento incompleto. Conhecer é possuir a noção plena e o conhecimento perfeito da lei no mundo moral, como no da criação material. A ausência da percepção do dever é, pois, uma das faces da ignorância, no sentido em que entendemos, quando lhe opomos como antídoto a escola”.

Não basta, portanto, apenas, instruir, informatizar, porque a Espiritualidade Ecumênica é fator de comedimento que sustenta a ética nas ações humanas, particulares ou públicas. Levemos em conta esta reflexão do velho Sêneca (4 a.C.-65 d.C.), filósofo estoico, arrastado à morte por Nero (37-68): “A estrada para a sabedoria é longa através de preceitos, breve e eficaz por intermédio de exemplos”.

O que não se faz por reformas que flagrantemente batem à porta pode vir a ser realizado por meio de processos traumáticos. E aí, além dos anéis, vão-se os dedos (…).

 

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

 

Supermercado Rei da Economia investe em qualificação para oferecer melhores produtos e atendimento

O supermercado Rei da Economia da Rede Paraíba tem trabalhado a cada dia para oferecer um melhor serviço a seus clientes. Além de preços competitivos, a qualificação de seus profissionais tem sido uma constante no estabelecimento.

O foco da vez tem sido o frigorifico do supermercado, além das melhorias no espaço a profissionalização dos funcionários tem sido a meta. Através da empresa Alfa, o Rei da Economia está realizando um curso de capacitação de seus profissionais na área de manipulação de alimentos, ministrado pelo Professor Waltemberg, Especialista em Manipulação de Alimentos. O objetivo é garantir a higiene e a qualidade da carne oferecida no estabelecimento.

O proprietário do Rei da Economia, Mazinho, destacou a importância desse curso. “O que nós almejamos é sempre oferecer o melhor ao nosso cliente e, após conhecer o trabalho do professor Waltemberg, fiz questão de trazer esse curso para nossos funcionários por saber a importância de manter o padrão de qualidade e garantir também as exigências dos órgãos fiscalizadores”, ressaltou.

Já o professor Waltemberg disse que essa é uma necessidade de todos os estabelecimentos comerciais e que esse curso oferece todas as especificações exigidas para um tratamento adequado aos alimentos perecíveis.

Assista ao vídeo e veja algumas orientações do professor Waltemberg.

Redação FN

 

 

Veneziano reforça tese de RC de que o problema do país não está apenas na Previdência e sim na Economia

O senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB), concordou, durante entrevista a uma emissora de rádio de João Pessoa, com o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) com relação a sua declaração de que o principal problema do país não estaria na Previdência e sim na Economia.

Ricardo pontuou nessa segunda-feira (08) durante reunião da executiva nacional do PSB que o governo nacional não pode achar que vai resolver o problema do Brasil com a previdência, mas sim melhorando a Economia do país.

“O problema do Brasil não é a Previdência é a Economia, a economia que quebra a previdência, não a providencia que quebra a economia é uma coisa óbvia, ninguém ache que vamos resolver o problema do Brasil com a previdência, mas sim avançando na resolução da economia” disse o ex-governador.

Por sua vez Veneziano reforçou as declarações e disse que se RC fez essa menção é porque tem números que confirmam a situação.

“Concordo. O problema não é a Previdência, a previdência precisa de correções sim e Ricardo sabe, mas estamos falando sobre algo que repercutirá sobre a vida de 205 milhões de brasileiros. Amanhã se a proposta for aprovada na Câmara, as suas consequências danosas vão começar a ser sentidas, principalmente para quem menos pode. Quando Ricardo faz menções é porque ele tem números que mostram essa situação” declarou.

PB Agora

 

 

PIS e Pasep injetaram R$ 321,8 milhões na economia da Paraíba

O Abono Salarial do PIS/Pasep injetou R$ 321.804.988,16 na economia da Paraíba entre julho do ano passado e junho deste ano. O valor corresponde ao pagamento de até um salário mínimo a 413.962 trabalhadores que receberam o benefício. Isso significa que 95,42% dos trabalhadores com direito ao Abono Salarial sacaram o dinheiro no estado.

Tinham direito ao abono pessoas que trabalharam formalmente em 2017 com renda mensal média de até dois salários mínimos. Elas tinham que estar inscritas no PIS/Pasep há pelos menos cinco anos, ter trabalhado por, no mínimo, 30 dias em 2017 e terem sido registradas pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

O prazo para saque terminou no último dia 28 de junho. Mais de 18,9 mil pessoas não procuraram as agências bancárias para sacar o dinheiro, o que representa R$ 12.540.908,22, conforme anunciado em julho de 2018.

O trabalhador que perdeu o prazo para sacar o benefício deverá buscar orientações em uma das unidades de atendimento da Secretaria de Trabalho ou entrar em contato com Central de Atendimento 158 para se informar acerca das medidas que deverá tomar.

No Brasil

Em todo o Brasil o Abono Salarial injetou na economia R$ 17,3 bilhões, o que significa que 91,72% dos trabalhadores com direito sacaram o dinheiro. Os mais de R$ 17 milhões pagos representam mais de 91% do total que foi disponibilizado em 26 de julho de 2018.

 

portalcorreio

 

 

Com a antecipação de 50% do 13º dos servidores Governo de Solânea injeta cerca de R$ 600 mil na economia

Prefeito diz que iniciativa é fruto do tratamento responsável com o dinheiro público.

Nesta terça-feira (18) o Governo de Solânea, através da Diretoria de Gestão de Pessoal e Recursos Humanos, realizou os depósitos do pagamento referente à antecipação dos 50% do décimo terceiro salário aos servidores do município. Com a gratificação, cerca de R$ 600 mil reais foram inseridos na economia e comércio do município neste período junino.

O prefeito Kayser Rocha exaltou a iniciativa e explicou que é fruto do tratamento responsável com o dinheiro público. “É a primeira vez que esse tipo de ação ocorre em Solânea. Trabalhamos incansavelmente pensando no desenvolvimento e bem estar do nosso povo. É gratificante puder dá esse fôlego para o servidor e estarmos estimulando a economia”, disse.  Como anunciado semana passada o adiantamento foi pago para servidores efetivos do município e aposentados pelo Programa de Aposentadoria Incentivada (PAI).

Servidores comemoram e adiantamento já reflete no comércio

Hoje (18) o comércio já sentiu o aquecimento nas vendas e aumento no movimento de clientes. “As vendas estão aumentando. Os clientes receberam uma renda a mais e com certeza a expectativa é de mais aquecimento nos próximos dias”, disse a gerente de uma loja de vestuário, Maria das Graças Barbosa.  A servidora da Secretaria de Saúde, Janaína Aragão, comemorou o adiantamento. “Eu achei muito bom o que o prefeito fez. Nesse período junino agente tem mais despesas, e receber os 50% do 13º foi uma ótima surpresa. Dá um gás na economia e ainda organizamos alguns gastos da família sem esperar para o fim do ano”, explicou.

Ascom-PMS

 

Estado paga dia 19 metade do 13º salário e injeta R$ 800 mi economia

O governo do Estado vai injetar mais de R$ 800 milhões na economia da Paraíba com o pagamento de três folhas em apenas 30 dias. É que nesta segunda-feira (17), durante o programa Fala Governadora, na Rádio Tabajara, o governador João Azevêdo confirmou para a próxima quarta-feira (19), o pagamento da primeira parcela do 13º salário, menos de 20 dias após o pagamento da folha de maio. E já no final do mês de junho o Estado também pagará o salário dentro do mês trabalhado.

Segundo o governador, serão mais de 100 mil servidores atingidos com o benefício.

“Mais uma vez num esforço muito grande de gestão o governo faz com que metade do décimo terceiro seja pago agora no dia 19 de junho. Mais de 100 mil servidores devem receber o plus. Serão praticamente 150 milhões injetados na economia. E nós sabemos que entre a folha de maio, a folha de junho e a metade do 13º, nós estaremos investindo mais de R$ 800 milhões na economia do Estado e isso é que tem feito a grande diferença para o Estado da Paraíba. É um esforço grande por parte do governo em manter o ritmo da Paraíba nesse patamar que a gente se acostumou, que é pagamento em dia, pagamento de fornecedor em dia, é investindo em novas obras, tendo a possibilidade de obter nossos empréstimos para fazer as nossas obras porque gera emprego, gera renda e faz a máquina funcionar”, destacou.

João ainda aconselhou os servidores a não gastarem todo o dinheiro nos festejos juninos.

“Aproveitem, mas gastem com muita cautela esses recursos que vocês receberão agora em junho. Comemore o São João mas não gaste todo nos festejos não”, arrematou.

 

PB Agora

 

 

“Prejuízos devastadores à ciência, economia e soberania nacional”, alertou o deputado Chió, sobre cortes na educação

Ao participar das manifestações de rua nesta quarta-feira, 15 de Maio, e de uma audiência pública, em João Pessoa, contra os cortes na educação, o deputado Estadual Chió (REDE) defendeu o envolvimento de todos os setores da sociedade, pela garantia do funcionamento das universidades públicas.

“O que está acontecendo é devastador. Além de afetar diretamente os estudantes, os professores, a pesquisa e a extensão, os prejuízos são imensos para a soberania nacional e para a economia de cidades que se desenvolveram com a chegada e o funcionamento das universidades, como por exemplo, Bananeiras, Cuité, Picuí, Pombal, Patos, entre outras”, alertou Chió (REDE).

De acordo com o parlamentar, as ruas deram um recado e a Assembleia Legislativa, através da Mesa Diretora se mobilizou e já viabiliza uma agenda com toda bancada Federal, para que as vozes de estudantes e professores das universidades e institutos federais paraibanos, ecoem em Brasília.

“Educação, assim como gestão pública, não é para qualquer um. Os impactos dessa visão equivocada de gestão, junto à educação, são incalculáveis. O Brasil precisa aumentar os investimentos públicos para que as instituições de ensino possam receber cada vez mais alunos advindos, em sua maioria, de famílias que dependem do salário mínimo para viver”, completou Chió.

Frente Parlamentar

Nesta semana, o deputado Chió (REDE), que é vice-presidente da Comissão de Educação, Cultura e Desportos da Assembleia Legislativa aprovou o Requerimento Nº 1.467/2019 para a constituição de uma Frente Parlamentar pelo Fortalecimento da UEPB, com o objetivo de discutir, propor e acompanhar ações relacionadas ao fortalecimento da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).

 

Fonte: Ascom Dep. Estadual Chió (REDE)