Arquivo da tag: Dunga

Brasil goleia Japão desfalcado com quatro de Neymar e engata a quarta com Dunga

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

O time reserva Japão não foi capaz de frear o bom início de Dunga no comando da seleção brasileira. Nesta terça-feira, em Cingapura, o Brasil contou com quatro gols de Neymar para vencer por 4 a 0 e garantir os 100% de aproveitamento em quatro jogos desde o retorno do treinador, que assumiu a equipe após o fiasco liderado por Luiz Felipe Scolari na Copa do Mundo. Com seus gols, Neymar se tornou o quinto maior artilheiro da história da seleção: 40 gols.

Com 10 dos 11 titulares que venceram a Argentina no sábado (David Luiz, contundido, deu lugar a Gil), o Brasil teve o controle da partida em todo o tempo e terminou mais uma partida sem sofrer gols (não fora vazado tambémcontra Colômbia, Equador e Argentina). As jogadas com transição rápida da defesa para o ataque e as tabelas entre os jogadores de frente (Oscar, Willian, Neymar e Tardelli) foram destaque mais uma vez. Dunga adota o mesmo estilo de jogo que empregou quando dirigiu a seleção entre 2006 e 2010. Mas nesta terça ele teve seu trabalho facilitado.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O Japão não contou com alguns de seus principais jogadores: Kagawa, do Borussia Dortmund, Uchida, do Schalke 04 e Hiroki Sakai, do Hannover, não estiveram nem entre os relacionados. Honda, do Milan, e Nagatomo, da Inter de Milão, começaram o jogo entre os reservas.

Se com sua força máxima o Japão já não representaria grande ameaça ao Brasil, sem seus principais nomes a partida foi mera exibição de Neymar e Diego Tardelli, que estão demonstrando ótimo entrosamento neste início de parceria no ataque da seleção.

O gol que abriu o placar, aos 17 minutos, saiu de uma troca de posição dos dois em que Tardelli saiu da área, deixou espaço para Neymar penetrar e o lançou. O capitão ainda driblou o goleiro antes de marcar.

No primeiro tempo, Japão chegou com perigo só aos 23 do primeiro tempo em chute de Kobayashi por cima do gol de Jefferson. Aos 28, o Japão reclamou de pênalti em chute desviado com o braço por Luiz Gustavo na linha da grande área. O árbitro de Cingapura não anotou a infração.

Dunga usou o segundo tempo para observar três jogadores que ainda não tinham muitos minutos na seleção principal: Mário Fernandes entrou na lateral-direita no lugar de Danilo, Éverton Ribeiro substituiu Willian e Philippe Coutinho na vaga de Oscar.

E a parceria entre Neymar e Coutinho, que vem desde a seleção sub-15 do Brasil, apareceu logo aos dois minutos do segundo tempo. Neymar se posicionou entre os zagueiros na intermediária e foi lançado pelo meia do Liverpool. Cara a cara com o goleiro, o jogador do Barcelona marcou seu 38º gol em 58 jogos pela seleção. Ele já é o sexto maior artilheiro da história seleção e está um atrás de Bebeto, quinto com 39.

Ao longo da segunda etapa, Dunga ainda deu lugar a Kaká, Robinho e Souza, que fez sua estreia com a seleção. Os três entraram muito bem nos lugares de Elias, Tardelli e Luiz Gustavo. O terceiro gol de saiu após rebote de chute de Coutinho, aos 31. Aos 35, após cruzamento de Kaká, Neymar marcou de cabeça.

A seleção brasileira volta a campo no dia 12 de novembro, contra a Turquia, em Istambul. No dia 19 do mesmo mês enfrenta a Áustria em Viena. São os dois últimos jogos da equipe em 2014. A convocação para os dois jogos será no dia 23 de outubro.

FICHA TÉCNICA: BRASIL 4 x 0 JAPÃO

Local: Estádio Nacional de Cingapura

Horário: 7h45 (de Brasília)

Árbitro: Ahmad A’Qashah (CIN

Gols: Neymar aos 17 minutos do primeiro tempo e aos 2, 31 e 35 minutos do segundo tempo.

Escalações:

Brasil: Jefferson; Danilo (Mário Fernandes, no intervalo), Miranda, Gil e Filipe Luís; Luiz Gustavo (Souza, aos 27 do 2º tempo), Elias (Kaká, aos 30 do 2º tempo), Oscar (Philippe Coutinho, no intervalo) e Willian (Éverton Ribeiro, no intervalo); Neymar e Diego Tardelli (Robinho, aos 19 do 2º tempo). Técnico: Dunga

Japão: Kawashima; Gotoku Sakai, Shiotani e Kosuke Ota; Morishige, Morioka (Honda, no intervalo), Shibasaki, Junya Tanaka (Hosogai, aos 25 do 2º tempo) e Taguchi; Okazaki e Kobayashi (Muto, aos 6 do 2º tempo). Técnico: Javier Aguirre

IG

Dunga esboça seleção com Elias como titular para pegar a Argentina na China

elias-titularA seleção brasileira fez nesta quinta-feira seu primeiro treino coletivo no período de preparação para o amistoso contra a Argentina, sábado, em Pequim. A equipe titular do técnico Dunga trabalhou com Elias no meio-campo. Robinho e Kaká ficaram entre os reservas.

A base da equipe que treinou nesta quinta é a mesma que iniciou os últimos dois amistosos do Brasil, contra Colômbia e Equador, em setembro. Elias ocupou a vaga no time titular deixada por Ramires, cortado por lesão. David Luiz formou a dupla de zaga ao lado de Miranda.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O treino da madrugada desta quinta-feira na China foi o primeiro em que Dunga dividiu seus convocados entre titulares e reservas. Como o volante Rômulo ainda não se apresentou, o técnico da Seleção precisou improvisar. Escalou cada time do coletivo com nove atletas de linha, além de Oscar que atuou pelos dois times ao mesmo tempo.

Terceiro treino da seleção em Pequim. Foto: Heuler Andrey/Mowa Press

O goleiro titular do Brasil no jogo contra a Argentina deve ser Jefferson, que nesta madrugada atuou em um dos quatro gols distribuídos no campo durante o coletivo. Os reservas Rafael e Marcelo Grohe, além do preparador de Taffarel, atuaram nas metas restantes.

O jogo entre Brasil e Argentina pelo Superclássico das Américas está marcado para as 9h05 (de Brasília) deste sábado, em Pequim. O Brasil deve atuar com Jefferson; Danilo, Miranda, David Luiz e Filipe Luís; Luiz Gustavo, Elias, Oscar e Willian; Neymar e Diego Tardelli.

*com Gazeta

IG

Dunga divulga primeira lista nesta terça-feira e abre caminho para 2018

dungaComeça nesta terça-feira a Copa do Mundo de 2018 para os jogadores brasileiros. Às 11h30 (de Brasília), na sede da CBF, no Rio de Janeiro, o técnico Dunga vai divulgar a lista com os convocados para os amistosos contra Colômbia e Equador, nos dias 5 e 9 de setembro, nos Estados Unidos. A reestreia do técnico dará o tom do que a nova comissão técnica espera da Seleção nos próximos anos, depois do vexame na semifinal do Mundial, quando o Brasil perdeu por 7 a 1 para a Alemanha, diante de sua torcida.

E se há algo que nem o treinador nem os atletas poderão reclamar daqui a quatro anos, na Rússia, será falta de tempo para mostrarem serviço. Até lá, a seleção brasileira vai participar das Eliminatórias, de duas Copas América, além das Olimpíadas e de partidas que a equipe sub-23, comandada por Alexandre Gallo, vai disputar como preparação.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Um longo caminho para símbolos da atual Seleção, como Neymar, Thiago Silva e David Luiz, jogadores que desejam se manter no grupo, como Oscar e Marcelo, e outros tantos sonhadores de sua primeira Copa: Lucas, Philippe Coutinho, Ricardo Goulart, Dedé, Ganso, Rafael Cabral…

Todos são cotados para estarem na primeira lista de Dunga. No último ciclo do técnico, entre 2006 e 2010, cada minuto foi levado em conta para inserir e também tirar os atletas da lista final da Copa. Foram 85 convocados até se chegar aos 23 que foram à África do Sul. Alguns deles garantiram seus lugares nas Eliminatórias, torneio que classifica para o torneio. Foi o caso, por exemplo, de Luis Fabiano, atacante que assegurou três pontos contra o Uruguai, no Morumbi, em 2007. Naquele jogo, ele marcou duas vezes no triunfo por 2 a 1.

tabela compromissos seleção até 2018 (Foto: GloboEsporte.com)

 

A Copa América do mesmo ano não teve as principais estrelas da época (Kaká e Ronaldinho Gaúcho). Então, coadjuvantes aproveitaram a brecha, agarraram as vagas e não largaram mais. Josué e Júlio Baptista estavam naquele grupo, que conquistou o título com vitória por 3 a 0 sobre a Argentina, em Maracaibo, na Venezuela.

Mesmo os amistosos pesaram na decisão final de Dunga. Do jogo contra a Noruega, estreia do treinador na Seleção, dez convocados resistiram até a Copa. Elano, talvez, seja uma das maiores inspirações para quem estiver na lista desta terça. Já nos primeiros jogos de Dunga, ele foi decisivo. O ápice foram os dois gols marcados diante da Argentina, numa vitória por 3 a 0.

Ele se firmou, até chegou a oscilar entre o time titular e o banco de reservas, mas chegou ao Mundial como um dos mais importantes da Seleção. Sua lesão contra a Costa do Marfim abalou a pretensão brasileira de conquistar o hexacampeonato.

Enquanto não anuncia sua primeira relação dessa nova passagem, Dunga dá dicas. Já disse que vai priorizar uma mescla de juventude e experiência, um clichê de todos os técnicos da Seleção, e estimular a disputa por posições. A tendência é que, nesse início de trabalho, muitos jogadores tenham chances de se firmarem. Nesta terça, os brasileiros saberão quem sai na frente.

A convocação será transmitida ao vivo pelo GloboEsporte.com. O site também vai acompanhar a divulgação da lista de Dunga em Tempo Real.

Info Convocação da Seleção - Como foi em 2010 (Foto: Infoesporte)

 

globoesporte 

 

Quem sai ganhando e quem sai perdendo na nova Era Dunga?

Dunga está de volta à seleção brasileira. E, com ele, alguns nomes que assim como o treinador defenderam a CBF entre 2006 e 2010, podem voltar. Outros, que foram à Copa do Mundo de 2014 com Luiz Felipe Scolari, deverão ter mais dificuldade para se encaixar no elenco, mesmo desconsiderando-se a idade.

 

Não é possível definir qual futebol Dunga tentará praticar logo de início na seleção brasileira, mas o trabalho do treinador na própria seleção entre 2006 e 2010 e no Internacional, em 2013, servem para analisar quais dos últimos envolvidos começam em alta e quais começam com chances reduzidas.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

 

QUEM COMEÇA EM ALTA?

1. Ramires

Mike Ehrmann / AFP

O meia do Chelsea (ING) foi convocado por Dunga quando poucos o creditavam como postulante à seleção, ainda no Cruzeiro. Com o treinador, passou de volante à opção para a meia direita, vaga que disputa até hoje. Tem boas chances de assumir a condição de titular no lugar de Hulk após a troca de comando.

2. Filipe Luis

JAVIER BARBANCHO / REUTERS

Dunga tirou Marcelo da Copa de 2010, viu o titular, do Real Madrid (ESP), causar problemas defensivos ao time de Luiz Felipe Scolari, e agora vê um antigo preferido se transferir para o Chelsea: Filipe Luis foi lateral da seleção de Dunga quando ainda estava no Deportivo La Coruña (ESP), sem convocações. Agora, começa o ciclo como favorito à titularidade.

3. Miranda

REUTERS/Sergio Perez

Outro que jogou com Dunga entre 2006 e 2010 e que não foi à Copa, mesmo sob o comando do treinador. Recebeu as primeiras convocações quando ainda estava no São Paulo. Foi esquecido por Felipão mesmo com apoio de boa parte da crítica, e agora pode competir com David Luiz caso o treinador não sinta segurança no descompromisso tático do companheiro de Thiago Silva.

4. Felipe Melo

AFP PHOTO/BULENT

O volante foi peça fundamental para Dunga na montagem do time da Copa de 2010 e acabou como vilão devido a expulsão no jogo da eliminação, diante da Holanda. Mesmo assim, ainda joga em bom nível, pelo Galatasaray (TUR), é defensivo como gosta o comandante e tem o perfil aguerrido que o treinador tanto deseja.

5. Sandro

Divulgação/Site oficial Tottenham

Não foi à Copa, não tem o perfil de líder de Felipe Melo. Mas é jovem, já mostrou potencial e começou no Internacional antes de ir para o Tottenham (ING). A seleção brasileira de Dunga tinha Gilberto Silva e Felipe Melo, algo muito mais defensivo do que a proposta de Scolari em 2014.

6. Lucas Leiva

Clint Hughes/Getty Images

Também já jogou com Dunga, é mais defensivo do que os volantes de Felipão e atua em alto nível no Liverpool (ING). Tem boas chances de assumir papel como protagonista no meio de campo da seleção brasileira.

QUEM COMEÇA EM BAIXA?

1. Daniel Alves

Terceiro Tempo

Pode perder espaço no Barcelona, não foi bem na Copa de 2014 e agora terá de trabalhar com um técnico que o manteve no banco de Maicon durante quatro anos. Para Dunga, foi mais opção no setor ofensivo do que na lateral direita.

2. Marcelo

DON EMMERT / AFP

Outro titular que não foi titular com Dunga. Ataca demais para os padrões do atual treinador, que chegou a justificar em 2010 que não o chamaria por atuar mais próximo ao meio de campo do Real Madrid do que à zona de defesa. Agora, Filipe Luis é o favorito.

3. Hulk

AFP PHOTO / JOHN MACDOUGALL

Vai competir com o favorito Ramires depois de desapontar como no ataque da Copa de 2014. No Zenit (RUS), sem evoluir, é provável que perca espaço.

4. Paulinho

AP Photo/Scott Heppell

Foi mal na Copa, vai mal no Tottenham e não é o volante de marcação que Dunga costuma gostar. Pelo contrário. Deve perder espaço para opções mais defensivas, como Lucas Leiva, Sandro e até Felipe Melo.

5. Alexandre Pato

Site Oficial/saopaulofc.net

Outro que teve as primeiras oportunidades com Dunga, mas que, no caso, não correspondeu. Apesar de ter caído na seleção no momento em que sofreu uma crise de diferentes lesões, no período em que estava no Milan (ITA), jamais se recuperou. Hoje, tenta achar sua posição ideal. Com Dunga, foi preterido por outras opções e acabou em baixa nos Jogos Olímpicos de 2008, na China.

6. Paulo Henrique Ganso

Mauro Horita/AGIF

Era visto como o grande craque da próxima geração quando ficou fora da Copa de 2010. Mais promissor até do que Neymar. Agora, em fase irregular no São  Paulo, deverá ter problemas para conseguir espaço na seleção.

Uol

 

Dunga é o novo técnico da seleção brasileira

dungaA Seleção Brasileira terá novamente como técnico o ex-jogador Dunga, que dirigiu a equipe na Copa do Mundo de 2010. O anúncio oficial será feito na terça-feira 22, na sede da CBF, no Rio de Janeiro. A escolha foi feita entre o presidente da entidade, José Maria Marin, seu sucessor eleito, Marco Polo Del Nero, e o novo coordenador técnico Gilmar Rinaldi. Dunga anunciará em entrevista coletiva sua comissão técnica e auxiliar.

Dunga vai substituir Luiz Felipe Scolari, que não teve o contrato renovado após as derrotas da Seleção na Copa disputada no Brasil. Nas semifinais, o time canarinho foi goleado pela Alemanha por 7 a 1, em Belo Horizonte. Na decisão do terceiro lugar, o time foi derrotado pela Holanda por 3 a 0, em Brasília.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Com o retorno de Dunga, a seleção brasileira mantém uma sequência de técnicos gaúchos no comando que dura desde 2006, na primeira passagem do ex-jogador. Mano Menezes, entre 2010 e 2012, e Felipão, entre 2013 e 2014, foram os outros representantes do Rio Grande do Sul à frente da equipe canarinho neste período. O último treinador que não nasceu no estado a estar à frente do Brasil foi o carioca Carlos Alberto Parreira, que trabalhou de 2003 a 2006.

 

brasil247

Inter justifica saída de Dunga: ‘O trabalho precisa de um novo ânimo’

Marcelo Medeiros justifica saída do treinador(Foto: Divulgação / AI Internacional)
Marcelo Medeiros justifica saída do treinador
(Foto: Divulgação / AI Internacional)

As quatro derrotas consecutivas no Brasileirão, custaram o emprego de Dunga no Inter. Mas não é só isso. A direção quer recuperar a motivação do grupo para salvar a temporada.

Ainda no Rio de Janeiro, no início da tarde desta sexta-feira, o diretor de futebol, Marcelo Medeiros, concedeu uma entrevista coletiva no hotel em que o clube está hospedado. Elogiou o trabalho do treinador e do preparador físico Paulo Paixão – que também foi demitido, assim como a comissão técnica. Entretanto, reconheceu que era preciso uma alteração para tentar reencontrar o caminho das vitórias:

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

– O futebol tem um preço muito caro, muito alto. Temos que pensar no que é melhor para o clube. Ocorreu uma queda de produção, de qualidade técnica. Em razão dos resultados negativos, destes quatro resultados, o Inter não conta mais com a comissão técnica.

Medeiros confirmou que a decisão só foi tomada após uma reunião para avaliar com o seu colegiado. A conclusão da cúpula colorada era que o Inter precisava de um novo treinador para tentar remobilizar o grupo para o restante do Brasileirão e também na Copa do Brasil.

– O futebol é uma sequência de fatos. É preciso ter consciência de que o trabalho precisa de um novo ânimo. A maneira impôs que a diretoria tomasse essa atitude séria. O Inter ainda tem 13 rodadas no Brasileiro, um jogo fundamental na Copa do Brasil. Com um novo ânimo, para retomar o caminho.

Para o jogo deste domingo contra o Fluminense, o Inter terá um treinador interino. Clemer, que recém foi promovido para o time sub-20, estará à frente do Colorado.

 

Globoesporte.com

Dunga de volta

artigoramalho

O gordinho de maior jogo de cintura que já conheci, está de volta. Para quem começa a vida como caminhoneiro, sentar na cadeira de governador do seu Estado, mesmo por poucas horas, enobrece o curriculum. Quem pensou que ele tinha virado  peça da nossa história, pode tirar o cavalinho da chuva. Carlos Marques Dunga, ou simplesmente Dunga, prefeito, deputado estadual e federal, suplente de senador, está de volta à Assembléia e vai dar o  que falar.

No penúltimo dia do seu governo e também da minha condição de Lider, Tarcisio Burity mandou me chamar e passou a missão:“Procure Dunga e diga que venha assumir o cargo de Governador. É ele que vai transmitir o Governo a Ronaldo”. E assim foi feito.

Eleito entre os nove deputados da bancada governista, a maior delas, do PRN de Burity, Dunga granjeou a simpatia dos seus companheiros e foi eleito Presidente. Nessa condição daria posse ao novo governador da Paraíba, Ronaldo Cunha Lima. Em suma, de chegada, levou os votos do  governador que saía e os votos do governador que entrava.

Atuando, principalmente, na área de influência do Município de Boqueirão, não se saiu muito bem nas ultimas eleições municipais. Julgo que sua posição na eleição de 2010 o tenha prejudicado. Votou em Ricardo, Cássio e Vital, além de Nilda Gondim para deputada federal. Essa mistura de nomes associada a uma sopa de letras de vários partidos, pode não ter sido bem entendida na eleição seguinte. Eu mesmo, que era candidato a suplente de Efraim Morais, quando instado a ajudá-lo na sua eleição de deputado, neguei-me a fazê-lo, justamente por que ele não estava votando em Efraim, e, em conseqüência, rejeitara meu nome, que compunha a chapa majoritária. Soube que ficou magoado… Mas já fui perdoado, pois ele não é de guardar ódio nem rancor.

Traído pelo tamanho da legenda, perdeu parte do mandato e já entra na Casa de Epitácio na sua segunda metade, depois de vencer uma batalha judicial que dependia da validade de votação alheia. Com a validação desses sufrágios, foi recomposta a totalização da sua coligação e alterado o quociente partidário. Ganhou o mandato e agora ninguém lhe segura. Sua região tem novamente representante à altura.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Devoto de Padre Cícero desde os tempos em que enchia um pau –de- arara de romeiros e os conduzia ao Juazeiro, Dunga costumava anualmente revisitar o “santo” cearense e agradecer as graças alcançadas. Por certo, voltará agora aos pés do seu “Padim” para contar o milagre de ressuscitar na política, e, na sua fé, haver superado os obstáculos que colocaram no seu caminho.

Um episódio dos idos de 1988 marcou a minha avaliação sobre seu companheirismo e solidariedade. Os servidores públicos em greve invadiram o Plenário da Assembléia e eu, como Líder do Governo, era o principal alvo da irritação dos barnabés. Infiltrado entre eles, uma  turba dava sinais de aguerrida e violenta. Dunga me puxou pelo braço e  indagou: “Estás armado?” Respondi que não andava armado… E ele apreensivo: Esse movimento é contra você também. Tome cuidado!

E a partir de então, passou a proteger o meu  magríssimo esqueleto com o seu corpão de muitas arrobas. É esse o Dunga que o Parlamento tem de volta.

 

 

RAMALHO LEITE

 

 

O texto é de inteira responsabilidade do assinante

Carlos Dunga e a matemática do TRE

artigonice

Quando a gente pensa que nada mais no Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) pode nos surpreender, eis que surge um novo fato que coloca qualquer teoria a respeito do judiciário por água a baixo. Como pode uma Corte que se contradiz e se desmente o tempo todo?

 

No ano passado um fato que chamou a atenção foi o TRE ter julgado desaprovadas as contas do então prefeito de Picuí, Buba Germano, e logo em seguida, durante o julgamento de embargos declaratório,s os membros da Corte Regional voltaram atrás do que eles mesmos haviam decidido e resolveram que as contas de Buba estavam todas em ordem e deveriam ser aprovadas. Isso num período em que o TSE havia determinado que político com contas desaprovadas pela justiça eleitoral não podiam ser candidatos porque seriam considerados ‘ficha suja’. Deu o maior rebuliço.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Agora a bola da vez é o deputado Carlos Dunga (PTB). Beneficiado pela validação dos votos de Oswaldo Venâncio (Bado), o petebista conseguiu, mais de dois anos depois, garantir uma vaga na Assembléia Legislativa. Isso porque com a retotalização dos votos das eleições de 2010, o quociente eleitoral foi refeito e foi Dunga a pessoa da coligação que teve o direito garantido de entrar na Casa Epitácio Pessoa pela porta da frente.

 

Pois bem! A decisão sobre o deferimento do registro de candidatura de Bado e que resultou nessa mudança foi do TSE, ou seja, da Corte Superior Eleitoral. Determinada a recontagem dos sufrágios de 2010, o TRE recebeu do TSE a ‘ordem’ para que os trâmites legais fossem garantidos.

 

A Corte Regional, por sua vez, formou uma comissão eleitoral que se encarregou de aprovar, por unanimidade, e homologar a decisão da sua Superior. Como consequência Dunga foi diplomado e, nesta sexta-feira (15), empossado na Assembléia. Posse essa que não deu nem tempo de ser comemorada.

 

O problema é que a matemática do TRE é muito mais confusa do que aquela que aprendemos nos livros. Para a Corte paraibana, um mais um é igual a um. Ora, se o TSE e o próprio TRE decidiram pela posse de Dunga, porque um único membro, o juiz Márcio Accioly, teve o direito de anular todo esse processo? O que acontece com a justiça eleitoral que uma só pessoa consegue ser mais forte do que todos os membros das duas Cortes?

 

Como é que a população vai poder levar a sério as decisões da justiça eleitoral quando ela mesma desfaz o que, por ela, foi feito? Como comemorar uma determinação se não temos a certeza de que ela vai durar, pelo menos, 24 horas?

 

Diante desse fato eu quero dar apenas um conselho a alguém que nem entrou nessa história, o agora prefeito de Esperança Anderson Monteiro. Anderson, sei se você pode comemorar a sua posse por muito tempo não viu!

 

 

O texto é de inteira responsabilidade do assinante

‘Flamengo já ligou para Dunga’, entrega assessor

Após compromissos beneficentes na Colômbia, Estados Unidos e México, Dunga chega ao Brasil na noite desta quarta-feira. E ficará com o celular ligado, à espera de um telefonema de Zinho, diretor de futebol do Flamengo.

O ex-técnico da Seleção foi sondado pelo clube para assumir o lugar de Joel. Quem confirma é seu assessor, Juarez Rosa, em conversa com o blog:

“Ligaram, sim. Dunga disse que estava em trânsito e que esperassem ele chegar em Porto Alegre para trocarem uma ideia. Mas não sei quem ligou. Imagino que tenha sido o Zinho, pois jogaram juntos na Seleção e são amigos”, revelou o assessor.

Dunga deveria chegar ao Brasil somente no domingo, mas antecipou a viagem de volta. Segundo Juarez, por causa de compromissos que nada têm a ver com o Flamengo.

O treinador tem propostas da Itália e quer voltar a trabalhar.

Extra