Arquivo da tag: duelo

Atlético-MG sofre, mas se recupera em duelo direto com o Atlético-PR e pressiona líderes

© Vinnicius Silva/Raw Image/Gazeta Press
© Vinnicius Silva/Raw Image/Gazeta Press

Depois de perder por 3 a 0 para o Santos, o Atlético-MG se recuperou no Campeonato Brasileiro. Na manhã deste domingo, no Independência, a equipe mineira fez novo confronto direto, contra o xará paranaense, e levou a melhor com vitória por 1 a 0, com gol marcado por Robinho.

O resultado garante o Atlético-MG no G-4 e ainda pressiona os líderes da Série A, que ainda jogam nesta 21ª rodada. Os mineiros subiram para 38 pontos com a vitória, apenas um a menos que o Palmeiras, que encara a Ponte Preta às 16h, e dois acima do Santos, que enfrenta o Coritiba às 18h.

O primeiro e único gol do jogo foi marcado aos 39 minutos de partida. Carlos invadiu a área pela direita, colocou entre as pernas de Thiago Heleno, que o derrubou. O árbitro Braulio da Silva Machado marcou o pênalti, apesar da reclamação paranaense, e Robinho converteu, deslocando o goleiro Santos.

A arbitragem, por sinal, foi controversa. Antes do pênalti, o trio já havia errado ao anotar impedimento em lance que, com a jogada já parada, acabou em gol do Atlético-MG. Do outro lado, o Atlético-PR reclamou de duas supostas penalidades, em lances de bola na mão dentro da área mineira.

No intervalo, o técnico do Atlético-PR, Paulo Autuori, se mostrou bastante irritado com a atuação do trio de arbitragem e perdeu alguns minutos reclamando com Braulio no centro do gramado. Enquanto isso, era vaiado pela torcida alvinegra, que não tem boas recordações de sua passagem pela equipe.

Já na segunda etapa, se os visitantes tiveram alguma coisa para reclamar foram de sua ineficiência no ataque, com direito a boas chances perdidas logo nos dez minutos iniciais, com André Lima e Lucas Fernandes. Vale lembrar, que o Atlético-PR perdeu Walter, que retornou para o Goiás.

Na reta final do confronto, inclusive, os presente no Independência demonstraram certa insatisfação com o rendimento da equipe, pressionada pelos visitantes – Victor, por exemplo, precisou fazer ótima intervenção para evitar gol de cabeça de Thiago Heleno aos 37 minutos da segunda etapa.

Embora não tenha empolgado seu torcedor, o Atlético-MG comemora uma vitória importante mesmo desfalcado. Fred e Rafael Carioca estiveram suspensos, e Cazares, Marcos Rocha, Erazo, Luan e Júnior Urso estão no departamento médico – fora Douglas Santos e o reserva Uilson, na seleção olímpica.

Enquanto os mineiros sonham com a liderança, o Atlético-PR se distancia cada vez mais do G-4. Com três derrotas seguidas, após perder também para Flamengo e Palmeiras, o time estaciona nos 30 pontos e pode até perder o sétimo lugar, sendo ultrapassado por Ponte, Chapecoense ou Fluminense.

Pela 22ª rodada do Brasileiro, o Atlético-PR tenta se reabilitar na Arena da Baixada, contra o Botafogo, na próxima segunda-feira (29), enquanto o Atlético-MG enfrenta mais um concorrente direto pelas primeiras posições da tabela, contra o Grêmio, em Porto Alegre, domingo (28).

ESPN

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Sul-Americana terá Fla x Figueirense e duelo pernambucano na fase brasileira

flaCom a definição dos classificados para as oitavas de final da Copa do Brasil nesta quarta-feira, foram conhecidos também os confrontos brasileiros da Copa Sul-Americana. O Flamengo, que foi eliminado pelo Fortaleza na segunda fase, enfrenta o Figueirense, que perdeu nesta quarta-feira por 5 a 0 para a Ponte Preta e também deu adeus à competição nacional. Pelo calendário brasileiro, quem se classifica para as oitavas de final da Copa do Brasil não pode disputar a Sul-Americana.

Os pernambucanos Sport e Santa Cruz também se enfrentam no confronto nacional, o que faz com que as duas equipes evitem pelo menos uma viagem. Cuiabá e Chapecoense, separadas por 1.669 km, disputam uma vaga para a próxima fase. As datas dos jogos não foram divulgadas.

Confira os duelos.
Santa Cruz x Sport
Vitória x Coritiba
Figueirense x Flamengo
Cuiabá x Chapecoense

globoesporte

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Sorteio da Copa América define reedição de duelo Neymar x Zuñiga

Copa América terá um novo reencontro entre Neymar e Zuñiga (Foto: Reuters)
Copa América terá um novo reencontro entre Neymar e Zuñiga (Foto: Reuters)

Menos de um ano após duelaram nas quartas de final da Copa do Mundo, Brasil e Colômbia voltarão a se enfrentar em um torneio oficial. Na noite desta segunda-feira, em cerimônia em Viña del Mar, a Conmebol sorteou os grupos da Copa América 2015, que será realizada entre junho e julho de 2015, no Chile. A partida marcará um novo encontro (os dois países voltaram a se enfrentar após a Copa em amistoso em setembro) entre Neymar e Zuñiga. O volante colombiano foi o responsável por tirar o brasileiro do Mundial, com uma joelhada nas costas. Peru e Venezuela completam o Grupo C.

O time de Dunga vai estrear no dia 14 de junho, contra o Peru, em Temuco, a cidade mais ao sul do torneio – 671 km distante de Santiago. As outras duas partidas da equipe canarinho na primeira fase serão em Santiago: em em 17 de junho, a Seleção pega a Colômbia, e quatro dias depois encerra a participação na primeira fase contra a Venezuela. Em viagem pela Europa para acompanhar jogos de clubes europeus, o técnico Dunga não esteve no evento. A CBF foi representada pelo presidente José Maria Marin.

Apresentadora copa América 2015 chile (Foto: Agência AFP )Fernanda Lima chilena? A modelo Tonka Tomicic apresentou o evento e arrancou suspiros (Foto: Agência AFP )

Argentina e Uruguai no mesmo grupo

Das mãos dos ex-jogadores chileno Elias Figueroa e Iván Zamorano, do paraguaio Carlos Gamarra, e do argentino Léo Rodríguez, saiu a definição das chaves. Grupo A será formado por Chile, México, Equador e Bolívia. A Argentina, por sua vez, está no Grupo B, ao lado do Uruguai, Paraguai e Jamaica.

Os 12 participantes foram divididos em três grupos. Os dois primeiros de cada chave, além dos dois melhores terceiros colocados, avançam às quartas de final.

Mascote e bola

Durante o evento de gala, foi apresentado o mascote do torneio. Por ser um animal típico do Chile, a raposa foi escolhida como símbolo da competição. O mascote, no entanto, ainda não tem nome. Até o dia 28 de novembro, os chilenos têm três opções para batizá-lo: “Zincha”, combinação de zorro (raposa em espanhol) e hincha (torcida em espanhol), destacando a importância dos milhões de torcedores que o futebol sul-americano; “Andi”, fazendo referência à Cordilheira dos Andes; e “Kul”, se referindo a “culpeo”, família a qual pertence a raposa chilena, e ao kultrun, tambor cerimonial da cultura Mapuche.

Além do mascote, a bola da Copa América também foi apresentada. Ela se chama “Cachaña”, expressão chilena que equivale a algo semelhante a “drible de corpo”, e tem tecnologia utilizada nos Campeonatos Inglês, Espanhol, Italiano e Taça Libertadores.

O evento foi apresentado pela modelo e apresentadora chilena Tonka Tomicic. Assim como a brasileira Fernanda Lima, no sorteio da Copa do Mundo de 2014, ela arrancou suspiros da plateia e roubou a cena na cerimônia. Ela teve a companhia do também apresentador Martín Cárcamo. A atração musical ficou por conta da cantora de rap, Anita Tijoux.

 

O presidente da Conmebol, Juan Ángel Naput, subiu ao palco e elogiou o presidente da CBF, José Maria Marin, e o presidente eleito, Marco Polo Del Nero, por permitirem que o Chile sediasse a edição 2015 da Copa América. Pelo revezamento adotado pela entidade, seria a vez de o Brasil receber a competição.

Em seguida, a presidente do Chile, Michelle Bachelet, fez um longo discurso e disse que será uma honra para o país receber estrelas internacionais como Messi e Neymar.

Novidades

O Comitê Executivo da Conmebol decidiu acabar com a prorrogação nos duelos das quartas de finais e das semifinais – as duas primeiras fases de mata-mata, portanto, serão decididas por pênaltis caso haja empate após os 90 minutos. Na final, a prorrogação está mantida.

Taça Copa América Chile 2015 (Foto: Agência AFP )Tradicional taça da Copa América foi exibida durante o evento (Foto: Agência AFP )

A entidade também pediu para a Fifa a autorização para que sejam feitas quatro substituições na partida final (em vez das três que a regra prevê), mas ainda não houve resposta de Zurique.

Os técnicos devem mandar para a Conmebol suas listas definitivas, de 23 jogadores, até o dia 1 de junho de 2015. Uma lista prévia, com 30 nomes, tem que ser mandada para a organização um mês antes do início do torneio – ou seja, 11 de maio.

Como acontece desde 1993, a Copa América terá 12 participantes, os dez integrantes da Conmebol e mais dois convidados. Neste ano, serão México e Jamaica – este papel já foi ocupado por Costa Rica, Honduras e até Japão.

A Copa América terá mais sete seleções além dos países convidados (México e Jamaica) e dos cabeças de chave (Chile, Argentina e Brasil). São elas: Uruguai, Colômbia, Peru, Paraguai, Equador, Bolívia, Venezuela.

O Uruguai conquistou a última edição da Copa América. Em 2011, a Celeste bateu o Paraguai por 3 a 0 na decisão. A competição foi realizada na Argentina.

Por 

Treze encara duelo difícil contra vice-líder, torce pelo Belo e luta contra o rebaixamento

Divulgação/Ascom Treze
Divulgação/Ascom Treze

Rivais históricos no futebol paraibano, Treze e Botafogo protagonizam uma situação curiosa na fase final dos grupos da Série C do Campeonato Brasileiro. O Galo torce pela vitória do Belo, na partida contra o Águia, para não ter que cair para a Série D em 2015. O time da Borborema joga contra o Salgueiro neste sábado (4), às 19h, no PV, em Campina Grande

O Treze está na ZB, na nona colocação do Grupo A da Série C da competição, com 16 pontos, três vitórias, sete empates e sete derrotas. O time se complicou ainda mais depois de perder o jogo mais recente, contra o Paysandu. Além de precisar ganhar a partida deste sábado (4), o Galo torce pela vitória do arquirrival paraibano.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O último treino da equipe galista ocorreu na tarde dessa sexta-feira (3), no PV, onde foram feitos recreativo e atividades com bolas paradas. Foi uma momento descontraído, mas também de preocupação e foco.

O goleiro Gilson se manteve firme no incentivo à equipe e disse na tarde dessa sexta que os jogadores que permaneceram no Treze até o final são os “verdadeiros homens que vestem a camisa do clube com orgulho”.

Motivado, ele falou que o importante é fazer um bom trabalho, não só esperando pelo resultado positivo do Botafogo. Gilson ainda fez elogios aos colegas, apesar da derrota contra o Paysandu, e mesmo reconhecendo a grandiosidade do adversário deste sábado, manteve o posicionamento otimista.

Apesar de todo esse empenho, o Treze tem uma dura missão ao encarar o Salgueiro. O time pernambucano ocupa a segunda posição da tabela, com 27 pontos, sete vitórias, seis empates e quatro derrotas.

A equipe do técnico Fernando Alcântara quer ganhar neste sábado para encerrar bem essa etapa da Série C e decidir a vaga na Série B do Brasileiro em 2015.

 

portalcorreio

CLASSICO DOS MAIORAIS: Treze e Campinense disputam liderança do Estadual em duelo no PV

treze -campinenseMais de meio século de rivalidade e a liderança do segundo turno do Campeonato Paraibano em jogo na partida de uma torcida só. É com esse clima que movimenta toda a cidade, que Treze e Campinense entram em campo neste domingo para protagonizar mais um capítulo de um dos confrontos de maior rivalidade do futebol brasileiro. Treze e Campinense se enfrentam no gramado do Estádio Presidente Vargas, às 17h, para protagonizarem o primeiro Clássico dos Maiorias do ano. Será o jogo da paixão e da maior rivalidade do futebol paraibano. Depois de 14 anos a partida volta a ser disputada no PV, a “terreiro” do Galo.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Além de todo o emocional que já envolve um grande clássico, a partida de uma torcida só, promete ser ainda mais acirrada por conta da disputa pelas primeiras colocações do Campeonato Paraibano. Atualmente, a Raposa liderança o segundo turno da competição com 11 pontos. O Galo por sua, vez ocupa a 3ª colocação da tabela com 9 pontos. Quem vencer dá um grande passo para entrar no G2 e garantir vaga na final do certame, juntamente com o CSP e o Auto Esporte. Em 2013, os dois times se enfrentaram duas vezes. No primeiro duelo, o Galo levou a melhor e venceu o Campeão do Nordeste por 4 x 0. No segundo confronto, a Raposa deu o troco e venceu por 1 x 0 mas foi eliminada do Estadual.

Os dois times estão confiantes para o primeiro duelo deste ano. O técnico galista, Leandro Campos, confia nas experiências vividas em rivalidades de outras praças para fazer o time da casa se sair bem.

Por outro lado, Freitas Nascimento carrega na bagagem 16 clássicos, tanto de um lado como do outro. O técnico raposeiro acredita que é experiente o suficiente para tirar proveito do clima hostil do PV.

Será o clássico de número 388. O primeiro embate aconteceu no dia 27 de novembro de 1955 no Estádio Presidente Vargas, casa do Treze, e foi vencido por 3 a 0 pela equipe galista, que tem uma boa vantagem sobre o Campinense.

No retrospecto do clássico, o Alvinegro soma 135 vitórias contra 101 do Rubro-Negro. O número de empates é de 151, o que prova o acirramento no confronto que literalmente para a cidade de Campina Grande. No número de gols marcados, a vantagem também é trezeana. O alvinegro marcou 484 gols do Treze, contra 427 do Campinense.

No entanto, a artilharia do confronto cabe ao ponta-esquerda Valnir, que jogou pelo Campinense na década de 70.

Os dois times já decidiram 15 campeonatos estaduais. Mas em finais, a Raposa leva ampla vantagem. Dos 17 títulos já conquistados pelo Campinense em sua história, em dez o derrotado na grande final foi o arquirrival (incluindo quatro vitórias seguidas entre 1961 e 1964).

Já o Treze venceu 15 campeonatos, mas apenas cinco em cima do time rubro-negro. O detalhe, no entanto, é que foi no ano passado a última vez que o Galo venceu a Raposa numa final. Em sentido contrário, a última vez que o Campinense sentiu o prazer de vencer o Treze numa final foi em 2008 (assista aos dois vídeos, acima e ao lado, com a última conquista de cada um dos clubes).

Curiosidade – Devido a grande rivalidade entre os dois clubes, o Campinense simplesmente baniu a camisa 13 do seu uniforme, como uma forma de não fazer nenhuma menção ao rival. Já o Treze recomenda que ninguém vá à sua sede usando camisas vermelhas, também para impedir que a cor do adversário seja vista em território alvinegro. Já o torcedor do Galo, ao falar sobre sua naturalidade, se diz “campinagrandense”, nunca “campinense”, como manda a regra.

Quanto à denominação “Maiorais”, ela foi criada pelo radialista campinense Joselito Lucena, que, no inicio da década de 70, atribuiu ao clássico o feito de conseguir as maiores arrecadações de bilheteria em jogos do Campeonato Paraibano.

O clássico já decidiu inúmeros campeonatos e juntos, Treze e Campinense detém o maior números de títulos estaduais da Paraíba, fato raro no Brasil, em que os times da capital do Estado, geralmente detém a hegemonia no futebol local.

Prováveis escalações

Treze: Gilson, Hudson, Douglas, Negretti e Júnior Barbosa (Eduardo Arroz); Leanderson, Sapé, Fernandes e Birungueta; Jailson e Fabinho Cambalhota. Técnico: Leandro Campos.

Campinense: Rodrigão, Márcio Alemão, Edson Veneno e Ittalo (Moacri); Zé Leandro, Basílio, Marielson, Renato Medeiros e Badé; Valdo e Rodrigo Dantas. Técnico: Freitas Nascimento.

Severino Lopes 

PBAgora

DUELO DECISIVO: Campinense enfrenta Auto Esporte na luta pela liderança do Campeonato Paraibano

jogoCom 12 pontos na tabela e ocupando a 3º colocação no primeiro turno do Campeonato Paraibano 2014, o Campinense volta a campo neste sábado (01) para enfrentar o Auto Esporte em jogo que pode representar a liderança temporária da competição. A partida acontece às 18h15 no Amigão, e será válida pela sétima rodada do Estadual. Depois da vitória por 3 a 1 contra o CSP, o técnico Leandro Machado teve três dias de intervalo para treinar a equipe para o duelo deste sábado. A liderança do estadual está em jogo, já que o Macaco Autino tem os mesmos 12 pontos do rubro-negro, estando o Sousa na ponta com 14.

CURTA O FOCANDO O ESPORTE NO FACEBOOK

Para o duelo contra o Auto, Leandro Machado ganha duas opções para o ataque. O recém contratado Wanderley está regularizado e já treinou com o grupo, enquanto o também atacante Valdo, recuperado de lesão, está relacionado para a peleja. Em compensação, a Raposa não vai poder contar com uma de suas principais peças.

Homem da bola parada, o lateral direito Osvaldir levou o terceiro cartão amarelo ante o CSP e cumpre suspensão hoje. Na mesma situação está o zagueiro Victor Cardozo. Zé Leandro e David Queiroz, respectivamente, são os substitutos. Os jogadores sabem da importância da partida e por isso prometem empenho para sair de campo com os três pontos. “Sabemos que será um jogo difícil, já que o Auto Esporte faz um bom campeonato e é vice líder. Mas vamos tentar nos impor dentro de campo e fazer valer a força do mando de campo para conquistar os três pontos” disse o Danilo Portugal.

O zagueiro Moacri, um dos destaques do time na temporada, também promete raça para fazer valer o mando de campo e assim se manter com chances de conquistar uma das duas vagas para a final do Estadual. “Será um jogo bem disputado mas a nossa equipe está consciente do papel e da importância de não perder pontos em casa” disse.

Apesar do time ainda não ter feito uma apresentação convincente, a torcida promete comparecer ao estádio e empurrar os jogadores a mais uma vitória.A  diretoria do Campinense manteve o preço do ingresso aos R$ 30,00 na geral, único setor liberado para o torcedor no Amigão.

Pelo lado do Auto Esporte o ambiente não é dos melhores. Mesmo após três vitórias seguidas no certame, os jogadores alvirrubros reclamam de atrasos nos salários. O elenco chegou a ameaçar entrar em greve, e de não jogar hoje contra o Campinense.

Em conversa com o grupo, o técnico Jazon Vieira pediu pela diretoria um voto de confiança aos jogadores. De acordo com o lateral direito Gustavo, os atletas decidiram atender ao chamado do professor “por consideração ao comandante”.

Arbitragem José Renato Soares (CBF/João Pessoa) é o árbitro central de Campinense x Auto Esporte, contando com as assitências de Kildenn Tadeu (CBF/Patos) e Oberto Santos (CBF/Santa Rita).

Prováveis escalações Campinense: Ivan, Zé Leandro, Moacri, David Queiroz e Adriano Chuva; Wellington, Talysson, Danilo Portugal e Thiago Ferreira; Bina e Wanderley. Técnico: Leandro Machado.

Auto Esporte: Robson, Gustavo, Júlio, Léo Oliveira e Danilo Itaporanga; Edmilson, Dimas, Mael, Josimar; Léo Olinda e Léo Lima. Técnico: Jazon Vieira

Severino Lopes 

PBAgora

No duelo entre os líderes do returno, Flu pega o Bahia, invicto em casa

As melhores campanhas do returno se enfrentam nesta quarta-feira. Sob o comando do artilheiro Fred, o Fluminense busca mais uma vitória para ampliar a vantagem na liderança do campeonato. E o Bahia, embalado pelos bons resultados recentes, quer se afastar de vez da zona de rebaixamento. A partida começa às 19h30m, no estádio Pituaçu (BA).

No primeiro colocado do Brasileirão, o desfalque será Thiago Neves, que está com a Seleção Brasileira para a disputa de dois amistosos. A falta do TN7, porém, abriu ainda mais o ataque tricolor, que chegará para o jogo da noite desta quarta com o trio ofensivo formado por Rafael Sobis, Wellington Nem e Fred.

Já o Bahia, no duelo com o melhor time do segundo turno, tem dois trunfos a seu favor: o primeiro é o estádio de Pituaçu. Na recuperação após a chegada do técnico Jorginho, o tricolor baiano está invicto dentro de casa.

O segundo é a mudança na maré de sorte. Se no primeiro turno, o Bahia não conseguiu derrotar nenhum time do Rio de Janeiro, a situação é oposta na segunda metade da competição. O time de Jorginho bateu o Vasco e o Botafogo, além de ter empatado com o Flamengo na última rodada.

O GLOBOESPORTE.COM acompanha todos os lances em Tempo Real, com vídeos exclusivos. O Premiere transmite a partida para todo o Brasil.

header as escalações 2

Bahia: pela primeira vez desde que chegou ao Bahia, o técnico Jorginho vai ter a possibilidade de usar uma escalação pela terceira rodada consecutiva. O atacante Elias, que havia se lesionado no jogo contra o Flamengo, recuperou-se a tempo e vai entrar em campo. O Bahia deve iniciar o duelo com: Marcelo Lomba; Neto, Titi, Danny Morais e Jussandro; Fahel, Hélder e Diones; Zé Roberto, Gabriel e Elias.

Fluminense: Abel Braga tem o desfalque de Thiago Neves, convocado para a seleção brasileira. Com isso, o técnico optou por uma formação mais ousada, escalando Rafael Sobis para formar um trio de ataque ao lado de Wellington Nem e Fred. O Fluminense entra em campo com: Diego Cavalieri, Bruno, Gum, Digão e Carlinhos; Edinho, Jean e Deco; Rafael Sobis, Wellington Nem e Fred.

quem esta fora (Foto: arte esporte)

Bahia: Souza ainda se recupera de um estiramento sofrido na coxa. Ávine e Jones Carioca também estão no departamento médico e desfalcam o time contra o Fluminense. Ciro, por pertencer ao clube carioca, não poderá entrar em campo. E o volante Kleberson cumpre suspensão pelo terceiro cartão amarelo.

Fluminense: não há jogador suspenso. Anderson e Leandro Euzébio continuam fora do time em função de dores na coxa e no joelho, respectivamente. Thiago Neves está com a seleção brasileira, enquanto Valencia foi convocado para a seleção da Colômbia.

header pendurados (Foto: ArteEsporte)

Bahia: Claudio Pitbull, Danny Morais, Elias, Gabriel, Lulinha e Titi.

Fluminense: Anderson, Bruno Vieira, Deco, Diego Cavalieri, Jean, Thiago Neves e Wallace.

header o árbitro (Foto: ArteEsporte)

Raphael Claus (SP) apita a partida, auxiliado por Kleber Lucio Gil (SC) e Thiago Gomes Brigido (CE). Raphael Claus arbitrou oito jogos no Brasileirão, marcou 261 faltas (média de 32,6 por jogo), aplicou 41 amarelos (média de 5,1 por jogo), três vermelhos (média de 0,38 por jogo) e dois pênaltis (média de 0,25 por jogo). O campeonato tem média de 4,9 amarelos, 0,29 vermelho, 36,7 faltas e 0,21 pênalti. O árbitro apitou dois jogos dos baianos na Série A deste ano: Botafogo 3 x 0 Bahia, pela oitava rodada, e Vasco 0 x 4 Bahia, pela 23ª rodada.

header fique de olho 2
Bahia:
Zé Roberto ainda não fez gol pelo Bahia neste Campeonato Brasileiro. No entanto, como o principal articulador do meio de campo, ele tem exercido um papel importante nas jogadas ofensivas e segura a bola no campo de ataque.

Fluminense: o zagueiro Gum vem sendo um dos destaques da sólida defesa do Fluminense. No ano passado, ele teve uma fraca atuação diante do Bahia em Salvador, com direito a gol contra e expulsão, e agora espera se redimir diante dos tricolores da capital baiana.

header o que eles disseram

Jorginho, técnico do Bahia: “Vai ser um jogo muito difícil, o mais difícil que nós temos hoje por todas as circunstâncias que vocês podem imaginar. Há um respeito muito grande, não um temor, mas um respeito muito grande”

Carlinhos, lateral-esquerdo do Fluminense: “Será um jogo complicado. Jogar na casa deles é muito difícil, e a torcida do Bahia é forte, mas tempos todas as possibilidades de vencer a partida”

header números e curiosidades

* Das 18 vitórias do Fluminense neste Brasileiro, 11 foram por um gol de diferença. Foram sete pelo placar de 1 a 0 e quatro por 2 a 1. Sete delas tiveram Fred marcando os gols decisivos.

* O Bahia é a segunda equipe que mais empatou neste campeonato (11 vezes), ao lado do Santos e atrás apenas do Inter (12).

* A última vitória do Fluminense sobre o Bahia em Salvador foi pelo Brasileirão de 1995: 1 a 0, gol de Renato Gaúcho.

* No atual campeonato, os baianos têm desempenho ruim como mandantes, com quatro vitórias, sete empates e três derrotas. É o terceiro pior, à frente dos lanternas Atlético-GO e Figueirense.  Os cariocas têm o melhor aproveitamento fora de casa, com nove vitórias, quatro empates e uma derrota.

header último confronto v2

Na última vez em que se encontraram, o Fluminense goleou o Bahia no Engenhão por 4 a 0, pela décima rodada do Brasileirão. Com dois de Fred, de pênalti, um de Thiago Neves e um de Wallace, o Tricolor venceu e continuou na terceira posição, enquanto o Tricolor baiano caiu para a penúltima posição.

Globoesporte.com

Em duelo de defesas sólidas, Vasco e Corinthians não saem do zero

Em seu terceiro confronto no ano, Vasco e Corinthians entraram em campo neste domingo, em São Januário, com retrospectos extremamente positivos de suas defesas e jogadores que já se conhecem muito bem. O empate por 0 a 0 foi um reflexo de mais um bom desempenho do setor nos dois times, apesar dos desfalques. A estatística para ambos melhorou: cariocas agora acumulam seis jogos sem sofrer gol, e os paulistas levaram dois no mesmo período.

O Vasco pode até lamentar a chance desperdiçada de assumir a liderança do Campeonato Brasileiro, pois foi a 31 pontos, um a menos do que o Atlético-MG, que não atuou nesta 14ª rodada (contra o Flamengo) por causa do pedido do Botafogo de interdição do gramado do Engenhão. No entanto, correu o risco de ser derrotado, numa partida em que o Corinthians foi superior no primeiro tempo e em parte do segundo – terminando o jogo com oito finalizações, contra apenas quatro dos donos da casa.

– Acho que o Corinthians foi melhor, principalmente no primeiro tempo. Mas não saiu o gol. O campo ruim prejudicou o toque. Está de bom tamanho, sair de São Januário com um ponto é bom – afirmou o zagueiro Paulo André.

O Vasco só conseguiu equilibrar a partida depois das entradas, no segundo tempo, de Felipe (aos 15 minutos) e Tenorio (aos 25) nos lugares de Carlos Alberto e Eder Luis. Após a partida, o discurso dos jogadores era de satisfação com o ponto conquistado.

– Foi um ponto importante, espero que no final do campeonato a gente fique feliz com ele. Poderíamos ter jogado mais, criado mais, mas jogar contra o Corinthians é sempre difícil. Por outro lado, também não levamos gols. Não é coisa do outro mundo empatar com o Corinthians – argumentou Juninho.

Os dois times voltam a jogar na próxima quarta-feira. O Vasco, que neste domingo não teve Dedé na zaga, enfrenta o Sport na Ilha do Retiro, às 19h30m (de Brasília). O Corinthians, que teve o desfalque de Chicão, pega o Atlético-GO no Pacaembu, às 20h30m.

O jogo

Desde o fim do ano passado, quando brigaram até a última rodada pelo título do Campeonato Brasileiro, Vasco e Corinthians têm feito jogos equilibrados. Foi assim no confronto pelas quartas de final da Taça Libertadores, em que houve apenas um gol em 180 minutos de bola rolando, com vantagem para os paulistas numa cabeçada de Paulinho.

A história recente do confronto estava a favor do Corinthians. Nos últimos cinco jogos contra o rival, havia conquistado três vitórias e dois empates, além da classificação nas quartas de final da Libertadores. Neste domingo, o começo do jogo seguiu os números recentes do confronto, com o Vasco precisando se cuidar na defesa para não sofrer gols, mesmo jogando em casa.

Logo aos quatro minutos, o zagueiro Douglas travou Romarinho quando o atacante estava livre na grande área para finalizar. Pouco depois, Fernando Prass fez uma defesa estranha em chute de Jorge Henrique, espalmando para o lado uma bola que foi no meio do gol. A pressão continuou e, aos 14, o goleiro do Vasco rebateu mal uma cobrança do meia Douglas e a sobra parou nos pés de Romarinho, que chutou em cima de Douglas, mas o do Vasco.

Em São Januário, o Vasco não conseguia se impor. O Corinthians conseguia uma série de roubadas de bola, evitando uma troca de passes mais intensa ou contra-ataques perigosos. Em jogada individual, aos 29, finalmente uma chance para o time da casa, com o lateral-esquerdo William Matheus, que passou por três marcadores antes de chutar para defesa segura de Cássio.

Apesar da jogada perigosa, quem continuou mandando no jogo foi o Corinthians. A movimentação dos meias e atacantes ajudou a confundir a defesa, formada por Douglas e Fabrício, substituto de Dedé, suspenso. Em boa arrancada, aos 38, Romarinho tabelou com Danilo e chutou, mas a bola saiu fraca, defendida com facilidade por Prass.

A melhor chance do primeiro tempo aconteceu aos 44 minutos, novamente com o Corinthians. Com uma boa atuação, Jorge Henrique fez um excelente cruzamento para Douglas, que entrou livre, quase na pequena área, mas cabeceou mal, para o chão, e a bola saiu por cima do gol defendido por Prass.

A dificuldade do Vasco em se encontrar no jogo aumentou no segundo tempo. O Corinthians aumentou a pressão e começou a arriscar chutes de longa distância. Aos nove, Ralf chutou, Prass deu rebote e Jorge Henrique pegou de primeira para nova defesa do goleiro, em jogada já paralisada por impedimento do atacante do clube paulista. Em seguida, foi a vez de Romarinho chutar cruzado e obrigar Prass a se esforçar mais uma vez para evitar o gol.

A torcida do Vasco já pedia Felipe e o técnico Cristóvão Borges decidiu atender, aos 15 mi nutos do segundo tempo. Ele tirou Carlos Alberto, na tentativa de controlar mais o jogo no meio-campo. Mas quem continuou tendo chances foi o Corinthians. Aos 20, em saída errada de William Matheus, Paulinho recebeu de Jorge Henrique e chutou cruzado, para fora.

Aos 23 minutos, o técnico Tite promoveu a estreia do peruano Guerrero, que entrou no lugar de Jorge Henrique. Pouco depois, Cristóvão colocou o equatoriano Tenório, que não atuava há cinco meses, na vaga de Eder Luis. Ele até se saiu melhor do que o reforço do Corinthians, criando pelo menos duas boas chances de gol, mas não conseguiu evitar o 0 a 0 em São Januário.

globoesporte.com

Corinthians e Vasco revivem 2011 no duelo por vaga nas semifinais

Danilo e Diego Souza, esperanças de Timão e Vasco (Montagem: Globoesporte.com)

Os melhores times do último Campeonato Brasileiro decidem nesta quarta-feira quem continuará em busca do tão sonhado título da Taça Libertadores. Em evidência desde a temporada anterior, Corinthians e Vasco fazem, a partir das 21h50m, no Pacaembu, um jogo sem favoritos que poderá colocá-los entre os quatro principais clubes das Américas ou mergulhá-los em um momento de instabilidade após fracassos também nos estaduais.

Não há vantagem para nenhum dos lados. O empate sem gols, em São Januário, deixou a disputa aberta e a projeção de um confronto emocionante, em São Paulo. Invicto no torneio e sem sofrer gols em casa, o Timão se apega à força dos mais de 34 mil torcedores que lotarão o estádio. Já o Gigante da Colina tem na bagagem a confiança de ter eliminado o Lanús, na Argentina, nas cobranças de pênaltis.

O Corinthians põe à prova um novo esquema tático, sem centroavante. Liedson, cada vez mais em baixa, foi novamente preterido para que o meia Alex atuasse avançado, como no Rio. No Vasco, a esperança está na velocidade de Eder Luis para jogar nos contra-ataques e tentar surpreender.

Quem vencer por qualquer placar estará nas semifinais. Os cariocas têm a vantagem de se classificarem também através dos empates com gols. Em caso de repetição do placar do primeiro jogo, a decisão será nos pênaltis. O ganhador deste duelo enfrentará o Santos (caso o Peixe elimine o Vélez), Fluminense (caso o Flu passe pelo Boca, e o Santos seja eliminado pelo Vélez) ou ainda o vencedor de Universidad de Chile e Libertad (caso Vélez e Boca eliminem Santos e Flu), já que o regulamento prevê que dois compatriotas se enfrentem nas semifinais.

Leandro Pedro Vuaden (RS) apita a partida. Os auxiliares são Altermir Hausmann e Carlos Berkenbrock (ambos RS). A Rede Globo transmite a partida para os estados de SP, RJ, MG, ES, RS, PR (menos Curitiba), SC, PE, CE, PB, SE, MA, RN, PI, AL, DF, MT, MS e Região Norte. Você acompanha também, em Tempo Real, no GLOBOESPORTE.COM.

header as escalações 2

Corinthians: Tite optou por não fazer mudanças no Timão em relação ao empate sem gols no Rio de Janeiro. Liedson jogou mal contra o Fluminense, pelo Brasileirão, e não convenceu o treinador de que poderia voltar à equipe. Com isso, permanece o esquema com o meia Alex mais livre na frente. A formação é a seguinte: Cássio; Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Alex; Jorge Henrique e Emerson.

Vasco: como de costume, o técnico Cristóvão Borges não revelou qual será a formação cruz-maltina para a partida decisiva contra o Corinthians. Mas a tendência é que repita os titulares do empate em 0 a 0, em São Januário. Uma alternativa seria a entrada de Felipe no meio-campo, possivelmente no lugar de Juninho. O Vasco deve começar com a seguinte escalação: Fernando Prass, Fagner, Renato Silva, Rodolfo e Thiago Feltri; Romulo, Nilton, Juninho (Felipe) e Diego Souza; Eder Luis e Alecsandro.

quem esta fora (Foto: arte esporte)

Corinthians: Paulo André (recuperação de cirurgia no joelho direito), Wallace (recuperação de cirurgia no tornozelo esquerdo), Edenílson (fratura no pé esquerdo) e Ramírez (convocado para a seleção peruana).

Vasco: o zagueiro Dedé segue se recuperando de um edema ósseo na perna esquerda. O atacante Carlos Tenorio sofreu uma cirurgia no tendão de Aquiles do pé direito e o meia argentino Abelairas sente dores nas costas.

header fique de olho 2

Corinthians: Emerson costuma assumir a responsabilidade de decidir em partidas importantes do Timão. Na fase anterior, o atacante foi determinante na vitória por 3 a 0 sobre o Emelec, em São Paulo. Agora, é uma das grandes armas de Tite para abrir a defesa vascaína com velocidade e jogadas individuais.

Vasco: ninguém esconde que os contra-ataques serão a grande aposta para marcar o gol que pode dar a classificação no tempo normal. Por isso, Eder Luis será uma peça considerada de extrema importância. A velocidade e a habilidade do camisa 7 são trunfos vascaínos.
header o que eles disseram

Tite, técnico do Vasco: “Vamos para um jogo decisivo em que queremos ser melhores que o adversário, ganhar dentro de campo, com entrosamento e qualidade técnica. É o campeão contra o vice do último Brasileiro. Será um grande jogo mais uma vez”.

Cristóvão Borges, técnico do Vasco: “O Corinthians não tomou gol na Libertadores. Marca muito bem. Nosso time tem é ofensivo, sempre faz gols. A briga é essa. Agora é o jogo decisivo. Ou vamos fazer gol e passar, ou o Corinthians não vai tomar gol e passar”.

header números e curiosidades

*Empatar por 0 a 0 a primeira partida do mata-mata da Libertadores costuma ser uma boa vantagem. Nas últimas oito Libertadores, de 2005 a 2012, houve 12 casos de empates sem gols nas partidas de ida e em dez oportunidades o time que atuou casa no jogo da volta se classificou para seguir na competição.

* Com apenas dois gols sofridos em nove jogos, o Corinthians tem a melhor defesa da Libertadores. Na história da competição continental, essas foram as equipes com as melhores defesas: Boca Juniors campeão de 1977, com três gols sofridos em 13 jogos (média de 0,23), Nacional (Uruguai) campeão de 1971, com quatro gols sofridos em 13 jogos (média de 0,30), Nacional (Uruguai) campeão de 1980, com cinco gols sofridos em 12 jogos (média de 0,40) e Cobreloa (Chile) vice de 1981 com cinco gols sofridos em 12 jogos (média de 0,40).

* Este ano, o Corinthians disputou 18 jogos no Pacaembu, com 13 vitórias, dois empates e três derrotas, marcando 29 gols e sofrendo 10. Em suas últimas 50 partidas no Pacaembu, o Timão venceu 33 vezes, empatou oito e sofreu nove derrotas com um aproveitamento de 71%.

*O retrospecto recente do confronto entre Vasco e Corinthians aponta pequena vantagem vascaína. Nas últimas dez partidas, o Vasco venceu três vezes, contra duas vitórias corintianas e cinco empates. Já no século XXI, este clássico nacional aconteceu 23 vezes, com nove vitórias corintianas, nove empates e cinco vitórias vascaínas, 30 gols do Timão e 23 do Vasco.

header último confronto v2

Corinthians e Vasco se enfrentaram pela na última quarta-feira, em São Januário. Com o gramado castigado por causa da chuva, as equipes fizeram uma partida de pouca produtividade ofensiva. Os cariocas reclamaram de um gol de Alecsandro, anulado corretamente pela arbitragem sob a alegação de impedimento. O empate por 0 a 0 deixou em aberta a disputa pela vaga nas semifinais da Taça Libertadores.

Globoeporte.com

Definidas as oitavas da Libertadores. Fluminense x Inter é o duelo brasileiro

A fase de grupos da Taça Libertadores 2012 chegou ao fim na noite desta quinta-feira. Com a vitória de Universidad de Chile sobre o Nacional de Medellín, por 2 a 1, em Santiago, os últimos emparceiramentos da fase de oitavas de final foram definidos (datas ainda serão apontadas pela Conmebol). Dos seis brasileiros na competição, apenas o Flamengo foi eliminado. Na próxima fase, ao menos mais um representante nacional vai dar adeus à competição: o Fluminense, dono da melhor campanha da primeira fase, vai medir forças com o Internacional, que teve o pior desempenho entre os 16 classificados.

oitavas de final libertadores 2 (Foto: Reprodução/Globoesporte.com)

O jogo de ida será disputado no Beira-Rio. A definição do confronto será no Engenhão. O Fluminense jamais conquistou o título da Libertadores. Sua melhor participação foi em 2008, quando perdeu a final para a LDU. O Inter, por sua vez, acumula dois títulos, em 2006 e 2010. Hoje no Flu, o técnico Abel Braga, o volante Edinho e o atacante Rafael Sobis já ganharam a Libertadores pelo Colorado.

saiba mais

  • Todos os detalhes sobre o mata-mata da Libertadores na home do torneio

Dono da segunda melhor campanha da fase de grupos, o Corinthians vai dar sequência à busca por seu primeiro título sul-americano em confronto com o Emelec (o Timão joga o segundo jogo no Pacaembu). O time equatoriano esteve perto da eliminação no Grupo 2, mas um gol no último minuto, sobre o Olimpia, em Assunção, classificou o Emelec e eliminou o Flamengo da Libertadores. Esta é a 21ª vez que a equipe azul de Guayaquil joga a principal competição do continente. Sua melhor participação foi em 1995, quando perdeu nas semifinais para o Grêmio, que viria a levantar a taça naquele ano.

Atual campeão, o Santos, que também levou o título em 1962 e 1963, terá de encarar a altitude de La Paz nas oitavas de final. O Peixe terá pela frente o Bolívar, que ficou em segundo lugar no Grupo 3. O Santos encara um rival que joga a Libertadores pela 27ª vez. A melhor participação foi em 1986, quando chegou à fase semifinal. O primeiro jogo do confronto será na Bolívia. A volta, no Brasil.

Por fim, o Vasco, campeão da Libertadores em 1998, terá pela frente os argentinos do Lanús. O time grená da Grande Buenos Aires liderou o grupo que tinha o Flamengo. No confronto direto com os rubro-negros, o retrospecto do Lanús não foi bom: empate por 1 a 1 no estádio La Fortaleza e derrota por 3 a 0 no Engenhão. Esta é apenas a quarta vez que o Lanús joga a Libertadores. A melhor participação foi em 2008, quando o time argentino foi eliminado nas oitavas de final. O Vasco joga a partida de ida em São Januário e decide a sua vida na Argentina.

O caminho até a final

oitavas de final tabela libertadores (Foto: Editoria de Arte/Globoesporte.com)

O sobrevivente do confronto entre Fluminense e Inter não deve ter moleza nas quartas de final. O classificado vai ter pela frente o vencedor do duelo entre Boca Juniors e Unión Española. No mesmo lado da chave está Universidad de Chile, atual campeão da Copa Sul-Americana. Se La U seguir passando de fase, pode encarar Flu ou Inter numa possível semifinal.

Na parte de baixo da chave, Corinthians e Vasco vão se enfrentar caso passem pelas oitavas. O Santos, se ganhar do Bolívar, vai ter pela frente Nacional de Medellín ou Vélez Sarsfield. O Peixe encararia o vencedor de Vasco x Corinthians numa possível semifiinal.

Vale ressaltar que, de acordo com o regulamento da Libertadores, se dois times do mesmo país chegarem às semifinais, eles necessariamente têm de se enfrentar, independentemente de sua posição na chave. No caso de três brasileiros alcançarem as semifinais, o emparceiramento será mantido conforme o descrito acima.

Globoesporte.com