Arquivo da tag: dorme

Homem dorme em carroça de burro e animal segue viagem na Paraíba

Um homem dormiu enquanto estava guiando uma carroça de burro em uma rodovia estadual no Cariri da Paraíba. Mesmo sem as coordenadas do dono, o burro que puxava a carroça continuou a viagem pela rodovia. Um passageiro de um caminhão, que passava pela via, filmou o ocorrido e acordou o homem, evitando que ocorresse um acidente.

No vídeo, é possível ver que o animal trafega no meio da via de rolamento e, ao perceber a aproximação do caminhão, vai para a área do acostamento e depois retorna, chegando a invadir a contramão da rodovia e ir até o acostamento da faixa contrária.

O flagrante ocorreu na PB-264, entre as cidades de São Sebastião do Umbuzeiro e Monteiro, no Cariri.

A viagem desgovernada só foi parada pois o homem que filmava a cena desceu do caminhão e, com amigos, segurou o animal e acordou o homem. O dono da carroça de burro agradeceu ao grupo e continuou a viagem.

Do G1 PB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Coritiba vence, dorme fora da zona da degola e tira o Fluminense do G-4

coritibaO tabuleiro de Marquinhos Santos estava mais bem organizado que o de Cristóvão Borges. Apesar de não ter Alex, uma das suas principais peças, o técnico do Coritiba escalou o time no 3-6-1, surpreendeu o adversário, obrigou o treinador do Fluminense a fazer uma substituição aos 20 minutos do primeiro tempo e, num contra-ataque, matou a partida: 1 a 0 para o Coxa no Couto Pereira, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro, na noite deste sábado. O camaronês Joel marcou o único gol.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Das nove vitórias conquistadas até então, oito foram como mandante. Fora do Courto Pereira, os paranaenses têm apenas uma. E o triunfo, diante de 10.223 pagantes (renda de R$ 208.970,50), faz com que o Coritiba durma fora da zona de rebaixamento, com 37 pontos. Só volta para lá se o Vitória passar pelo São Paulo, e se Figueirense e Chapecoense empatarem por três ou mais gols. Atualmente está em 14º lugar. Pega o Flamengo no Maracanã na próxima rodada, no domingo.

O Fluminense tem interrompida a sequência de quatro vitórias e sai do G-4 – o Atlético-MG  venceu o Palmeiras e pulou para a zona de classificação para a Libertadores. Está em quinto lugar e ainda pode perder mais duas posições, caso Grêmio e Corinthians pontuem nos clássicos contra Inter e Santos, respectivamente. Seu próximo adversário será o Botafogo, no próximo sábado, no Maracanã.

Coritiba x Fluminense - gol do Coritiba (Foto: Agência Estado)Joel comemora o gol da vitória do Coritiba (Foto: Agência Estado)

O jogo

A opção por iniciar a partida com um meio de campo mais povoado mostrou-se eficaz, e o Coritiba pressionou. Marquinhos Santos começou no 3-6-1. O Fluminense, com Walter e Fred na frente e quatro no meio de campo, não se encontrava. A bola não parava nos pés dos tricolores. Cristóvão Borges teve de mexer. Com 20 minutos, tirou Walter para a entrada de Cícero. Ganhou quantidade no meio e equilibrou o jogo.

Os cariocas passaram a chegar mais. Assustaram. Num lance de ataque, Wagner chutou, Conca pegou a sobra e tocou para trás. Fred, lamentando o que achava ser a conclusão da jogada, não percebeu que tinha na sua frente a chance de marcar. Ainda finalizou, mas em cima da zaga. Aproveitando-se da ofensividade do Flu, o Coxa conseguiu contra-ataque mortal. Joel recebeu sozinho e abriu o placar.

A proposta alviverde mudou no segundo tempo. Mais cauteloso, o Coritiba recuou à espera de mais um contra-ataque. Fabrício, que entrou no lugar do lesionado Elivelton, comportou-se bem. Ajudou a evitar alguns lances em que o adversário apareceu no mano a mano. O ataque tricolor seguia improdutivo. Muitos passes e lançamentos errados. Atabalhoava-se na defesa. Guilherme Mattis vacilou na frente de Norberto, que teve tudo para ampliar, mas mandou por cima do gol, cara a cara.

Com as três substituições feitas, Cristóvão ainda perdeu Bruno, lesionado. Porém, foi pressão total do Flu até o fim. Uma chance perdida aqui, outra ali, princípio de confusão entre Conca e Vanderlei já nos acréscimos… Marquinhos Santos pedia o apito final desesperadamente à beira do campo. E o juiz apitou. Para alívio do treinador, por enquanto fora da zona de rebaixamento.

 

Globoesporte.com

Com gols de Conca e Fred, Fluminense vence fora de casa e dorme no G-4

fluA palavra de ordem do Fluminense na noite deste sábado foi eficiência. Sem precisar exibir seu melhor futebol em meio à fase iluminada, o Tricolor aplicou 2 a 0 sobre o Goiás, no Serra Dourada, alcançou a quarta vitória consecutiva no Campeonato Brasileiro e, enfim, volta a dormir no G-4. Os gols – um em cada tempo – foram de Fred e Conca, que tornaram Walter e Erik, personagens antes do duelo por reencontrarem ex-clube e algoz recente, respectivamente, meros coadjuvantes.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O maior mérito do time carioca foi errar pouco e manter certa regularidade durante os 90 minutos, contendo a tentativa de pressão do adversário, que não esteve inspirado e foi apático especialmente na segunda etapa. Isso tudo foi acompanhado por pouca gente, já que o estádio registrou 3.985 pagantes e renda de R$ 84.655,00.

O resultado colocou o Flu na terceira posição, com 54 pontos, à espera de tropeços de Inter e Atlético-MG para sustentar a vaga entre os classificados para a Taça Libertadores durante a semana. Já o Esmeraldino parou nos 41, em nono lugar, e adiou a confirmação da iminente fuga do rebaixamento.

Vice-artilheiro da competição, Fred chegou à marca de 100 gols na era dos pontos corridos e fica a seis do líder Paulo Baier, que está prestes a se aposentar. De quebra, colou em Henrique, do Palmeiras, na disputa (15 a 14). Fred marcou em quatro das últimas cinco vezes em que entrou em campo e vive grande fase.

Na 34ª rodada, o Tricolor encara o Coritiba no próximo sábado, às 19h30m, no Couto Pereira. Já o Goiás mede forças com o Bahia, domingo, no mesmo horário, de novo no Serra Dourada.

Gol do Flu, pressão do Goiás

Mais confiante pela fase na competição, o Fluminense tentou se impor e controlou a partida no início. Atacando quase sempre pelo lado esquerdo, Chiquinho e Conca eram muito acionados. O Esmeraldino, por sua vez, tinha mais posse de bola. Mas parava no bloqueio do adversário na frente da área e errava mais. Isso não impediu, porém, que, no primeiro vacilo dos cariocas, Bruno Mineiro chutasse para fora a chance clara de abrir o placar, cara a cara com Cavalieri. O Flu fez uma linha de impedimento equivocada e deixou três jogadores sozinhos.

Logo depois, veio o castigo: Conca achou Jean na área, e o volante só teve o trabalho de rolar para Fred balançar a rede e comemorar seu 14º gol no Brasileirão e o centésimo na era dos pontos corridos. Em desvantagem, o dono da casa tratou de avançar a marcação e aproveitou-se do recuo do rival para criar pelo menos três grandes oportunidades de empatar. Erik parou duas vezes em Cavalieri e, já nos acréscimos, David pegou na veia e viu Guilherme Mattis salvar de cabeça em cima da linha.

conca goias x fluminense (Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)Destaques do jogo, Wagner e Conca armam jogada do Fluminense (Foto: Nelson Perez / Fluminense FC)

Flu mata jogo em rápido contra-ataque

O panorama foi o mesmo na volta do intervalo. O Goiás em busca da recuperação, só que com cada vez menos intensidade e abusando da individualidade. Sem um contra-ataque eficaz, Cristóvão Borges apenas trocou Walter por Sobis e Jean por Diguinho e se conformou com o cenário, seguro de que seus comandados não deixariam o ritmo cair. Vez ou outra, a frequente linha de impedimento tricolor até assustava, mas sem comprometer.

As mudanças de Drubscky não surtiram efeito e, dos 25 minutos em diante, o Fluminense cresceu, passando a ocupar mais espaços no campo ofensivo. No fim da partida, nada de pressão esmeraldina. Na realidade, os cariocas sempre estiveram mais perto de ampliar, e o único risco corrido foi em boa jogada isolada de Lima pela esquerda que não chegou em Tiago Real. Já nos acréscimos, como prova da tal eficiência, Wagner achou Chiquinho, que rolou para Conca, na pequena área, fazer 2 a 0 e definir o placar.

globoesporte

Uma em cada oito pessoas no mundo dorme com fome todos os dias

fomeO Programa Mundial de Alimentos, PMA, lançou uma lista com os 10 fatos mais importantes sobre a fome no mundo. A agência da ONU aponta para a importância desta informação ser do conhecimento de todos em 2014. Quantas pessoas no mundo têm fome? Será que este número está a decrescer? Que consequências a fome terá para as crianças? O que podemos fazer para ajudá-las? Estas são algumas das questões a que o PMA procura responder, com uma lista que contribui para a reflexão de final de ano.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

1 – Cerca de 842 milhões de pessoas no mundo não se alimentam em quantidade suficiente para serem saudáveis. Dados revelam que uma em cada oito pessoas vai dormir com fome todos os dias.

2 – O número de pessoas que sofrem de fome crônica diminuiu 17 por cento desde 1990-1992. Se esta tendência se mantiver, o mundo chegará perto de atingir a meta do Objetivo de Desenvolvimento do Milênio de redução da fome mundial.

3 – O Sul da Ásia é a região onde se concentra um maior número de pessoas subnutridas. As outras regiões mais afetadas são a África Subsaariana e a Ásia Oriental.

4 – Um terço de todas as mortes de crianças menores de cinco anos, nos países em desenvolvimento, está relacionado à desnutrição.

5 – Nos países em desenvolvimento, uma em cada quatro crianças sofre de atrofia. A alimentação inadequada prejudica os crescimentos físico e mental.

6 – Os primeiros 1000 dias da vida de uma criança, desde a gravidez até dois anos de idade, são cruciais. Durante este período, uma dieta adequada pode proteger as crianças de atrofia mental e física, que é resultante de situações de desnutrição.

7 – O número de famintos no mundo poderia ser reduzido se houvesse igualdade de recursos para as agricultoras. Se as mulheres tivessem acesso aos mesmos recursos que os homens, na agricultura, o número de famintos no mundo poderia ter uma redução de até 150 milhões.

8 – Fornecer todas as vitaminas e nutrientes necessários para que uma criança cresça saudável tem um custo de apenas US$ 0,25 por dia.

9 – Até 2050, as alterações climáticas podem conduzir até mais 24 milhões de crianças à fome. Quase metade das crianças atingidas estaria na África Subsaariana.

10 – É possivel eliminar a fome das nossas vidas. O Desafio “Fome Zero”, lançado pelo Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, procura conseguir o apoio global para a concretização desse objetivo.

 

Por Ana Duarte Carmo
Da Rádio ONU

Ronaldinho estreia, Atlético-MG bate Palmeiras e dorme líder do Brasileiro

Para o Palmeiras, era o último ensaio antes da primeira semifinal da Copa do Brasil, na quarta-feira, contra o Grêmio. Para o Atlético-MG, além da estreia de Ronaldinho, existia a certeza de que uma vitória valeria a liderança provisória do Campeonato Brasileiro. No jogo realizado na fria noite deste sábado, no estádio do Pacaembu, o R49 buscou jogo, se movimentou, acertou passes, mas não foi brilhante. Não precisou. O Galo, bem superior ao Verdão, venceu com justiça por 1 a 0, foi aos dez pontos na tabela de classificação e mostrou que pode ir longe neste ano.

Com mais um tropeço, o terceiro consecutivo, o Verdão segue na zona de rebaixamento, com apenas um ponto conquistado. Caso a Portuguesa vença o Atlético-GO neste domingo, o time de Palestra Itália terminará a rodada em último.

Pelo Nacional, a equipe paulista buscará a reabilitação no próximo domingo, contra o Vasco, novamente no estádio do Pacaembu. O Galo voltará a campo no mesmo dia, contra o São Paulo, no Morumbi.

Galo melhor

Os dois times entraram em campo com a mesma formação tática: 4-3-2-1. No Palmeiras, foram três alterações em relação à derrota para o Sport, na última quarta-feira, em Recife: Felipe entrou na vaga de Maikon Leite, Daniel Carvalho ficou com o lugar de Valdivia, liberado para viajar ao Chile após sofrer um sequestro-relâmpago, e Thiago Heleno, afastado por sete meses com lesão, voltou e ficou com o posto de Leandro Amaro. No Galo, com a estreia de Ronaldinho Gaúcho, o técnico Cuca apostou na movimentação constante do trio formado pelo recém-chegado, Danilinho e Bernard, com Jô funcionando como referência à frente.

O Palmeiras esteve ligeiramente melhor nos primeiros 15 minutos, principalmente porque matinha a posse de bola. Daniel Carvalho e Felipe se movimentavam bastante e buscavam se aproximar de Barcos a todo o instante. No Galo, Ronaldinho, que, em vez de jogar na esquerda, como no Flamengo, atuou mais centralizado, era marcado individualmente por Márcio Araújo. Aos 17, no único ataque perigoso do Verdão, Luan exigiu boa defesa de Giovanni em chute de fora da área.

Ronaldinho Gaúcho na partida do Atlético-MG contra o Palmeiras (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Ronaldinho Gaúcho foi muito vigiado pelo meio-campo do Verdão (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Com o passar do tempo, o jogo mudou de lado. O Galo passou a ter o controle e, com jogadores mais talentosos e experientes, valorizava a posse de bola. Ronaldinho levava vantagem sobre marcação e, aos 21, o time visitante só não abriu o marcador porque Bernard perdeu gol incrível, cara a cara com Bruno, após passe de Danilinho e falha de Cicinho. Nesse lance, Bruno e Henrique se desentenderam e tiveram de ser separados pelos companheiros.

A torcida palmeirense não via reação e, perto dos 30, começou a reclamar. Seus meias não eram mais notados em campo e deixavam Barcos isolado na frente. Até o apito do intervalo, a equipe não esboçou qualquer reação.

Jô marca, Atlético-MG domina e vence

O Galo voltou ainda melhor para o segundo tempo e empurrou o Palmeiras para trás. Aos três minutos, Bernard se livrou como quis de Cicinho e cruzou na cabeça de Jô, que testou longe do alcance de Bruno: 1 a 0. O Pacaembu se transformou em um caldeirão. O Palmeiras, desorganizadamente, avançou seu meio-campo, mas seguia sem criar nada por absoluta falta de competência. O técnico Luiz Felipe Scolari tentou renovar o gás da equipe, com as entradas de Maikon Leite no lugar de Felipe e de Mazinho na vaga de Luan. Não adiantou. O time só chegou com perigo em duas faltas cobradas por Marcos Assunção, bem defendidas por Giovanni.

Jô e Ronaldinho comemoram gol do Atlético-MG contra o Palmeiras (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Jô e Ronaldinho comemoram o gol do Galo no segundo tempo (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

O Galo, ao contrário, ficou com o jogo em suas mãos. Ronaldinho passou a ter liberdade para jogar, principalmente depois que Márcio Araújo, seu perseguidor, levou cartão amarelo. O gaúcho acertou lançamentos, prendeu a bola e iniciou os contra-ataques. Em um deles, aos 15, Jô marcou, mas a arbitragem anulou, considerando que ele cometeu falta em Henrique. Aos 23, Bruno fez brilhante defesa em cabeça de Jô e evitou o segundo gol da equipe mineira. Seis minutos depois, a arbitragem errou. Em cobrança de falta de Ronaldinho Gaúcho, Rafael Marques marcou, mas o tento foi anulado, sob alegação de impedimento, que não aconteceu.

O tempo passava e o Verdão não dava o menor sinal de que algo poderia mudar. Felipão fez sua terceira mudança, sacando Cicinho e improvisando o volante João Vítor na lateral direita. No Galo, Cuca tirou Marcos Rocha, que havia tomado o cartão amarelo e colocou Serginho. O Galo seguiu soberano em campo e só não aumentou sua vantagem porque diminuiu seu ritmo de jogo nos minutos finais. O Verdão, sem organização nenhuma, até criou chances para empatar, mas apenas na base da bola parada. Aos 39 e 41 minutos, Marcos Assunção cobrou duas faltas e carimbou o travessão em ambas.

Globoesporte.com