Arquivo da tag: Dorgival

Morre o advogado, escritor e ex-governador da Paraíba, Dorgival Terceiro Neto

dorgivalMorreu na noite desta sexta-feira (12), o advogado, escritor, ex-prefeito de João Pessoa e ex-governador da Paraíba, Dorgival Terceiro Neto, 80 anos. De acordo com a assessoria de imprensa do Hospital da Unimed, onde o ex-governador estava internado há um mês, Dorgival faleceu por volta das 18h20, após um Acidente Vascular Cerebral Isquêmico (AVCI), seguido de insuficiência respiratória aguda.

O corpo do ex-governador será velado no Palácio da Redenção e sepultado neste domingo (14), na cidade de Taperoá, sua terra natal.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Filho de Melquíades Vilar e Eliza Vilar, ele começou seus estudos no Ginásio Diocesano, na cidade de Patos, Sertão da Paraíba. No ano de 1950, seguiu para a cidade de João Pessoa, onde concluiu o ensino médio no Liceu Paraibano. Prestou vestibular para o curso de Direito, pela Faculdade de Direito da Paraíba, atualmente Universidade Federal da Paraíba.

Iniciou a vida profissional no Departamento de Estradas de Rodagem (DER), e posteriormente passou a trabalhar no Tribunal de Justiça do estado da Paraíba. Foi um dos incentivadores da federalização da faculdade local e ainda exerceu as funções de assessor do Conselho Estadual do Desenvolvimento, diretor de crédito de fomento do Banco do Estado da Paraíba (PARAIBAN) e foi procurador do Estado da Paraíba e, por fim, professor de Direito civil e de Direito agrário da UFPB.

Sua carreira na política paraibana tem início no ano de 1971, quando foi nomeado pelo então governador Ernani Sátiro, prefeito de João Pessoa. Em 1974, terminando seu mandato de prefeito, é eleito indiretamente vice-governador juntamente com o governador Ivan Bichara, assumindo o cargo de governador em 14 de agosto de 1978 a 15 de março de 1979, passando o cargo para Tarcísio Burity. Deixando o governo, passou a trabalhar no jornal A União e tornou-se membro da Academia Paraibana de Letras.

 

 

portalcorreio

Ramalho Leite – Dorgival oitentão

 

 

A primeira vez que o procurei foi para pedir um empréstimo.Ele era diretor do Banco do Estado e eu o conhecia da Faculdade de Direito onde começou como professor assistente de Mario Moacyr Porto. De longe, já o vira pela redação de A União concentrado numa maquina de escrever e o cigarro se ultimando à espera de que terminasse o texto. Lá embaixo,nas oficiais quentes e fedendo a chumbo derretido, eu cuidaria da revisão. No caso dele nem precisava. Mesmo na rapidez com que escrevia não se permitia deixar algum erro para ser corrigido. Tive o empréstimo e ganhei um amigo.

Nomeado prefeito de João Pessoa chamou o ex-aluno para um cargo no seu gabinete. Fui secretario até que deixei a função para me candidatar a deputado. Nessa primeira eleição tive dois grandes eleitores: meu pai e Dorgival, que completou minha votação com um reforço de Itaporanga sob a regência de Adailton Teódolo e Sinval Pinto.

Na prefeitura da Capital botou ordem na casa.Inaugurou a era da informática e fez o primeiro Plano Diretor da cidade. Construiu mais de cem salas de aulas, deu sede a secretarias municipais, manteve a cidade limpa e reconstruiu a Bica. Preparou a cidade  para o futuro. Quem veio depois dele, só precisou trabalhar da porta da prefeitura para a rua.

Seu trabalho no município despertou a atenção das autoridades que decidiam o destino da Nação e buscavam novas lideranças. Foi alçado à condição de vice-governador do Estado e depois, com a renuncia de Ivan Bichara, tornou-se seu sucessor até março de 1999.

No governo, concluiu e realizou novas obras. Não lembro se terminou mas queria chegar com o asfalto a Princesa Isabel  passando pela sua Taperoá.

Quando estava na prefeitura lembro de uma noticia publicada em O Norte: “Dorgival chega a idade do lobo”. Completara quarenta anos na chefia do executivo municipal.

Deixou os cargos públicos e instalou sua banca de advocacia. Escreveu livros e ganhou assento na Academia Paraibana de Letras e no Instituto Histórico e Geográfico da Paraíba. Apaixonado pela historia, tornou-se especialista na investigação de ramos familiares da Paraíba e contador de fatos ainda não escritos sobre paraibanos que honraram a nossa terra, mas sem o merecido reconhecimento.

Para que não aconteça com Dorgival Terceiro Neto o que soe ocorrer com outros ilustres paraibanos que foram personagens dos seus escritos, apresso-me para lembrar que a 12 de setembro, este paraibano singular e ícone da nossa recente historia política e administrativa, estará alcançando a casa dos oitenta anos.

Fica para este jornal, a lembrança da necessária comemoração em homenagem ao seu único redator que chegou a Governador da Paraíba.

RAMALHO LEITE

O texto é de inteira responsabilidade do assinante

Solânea/PB: carioca é preso após furtar equipamentos da banda do cantor Dorgival Dantas

O carioca Bernardo do Nascimento Lira, 24 anos, foi preso em flagrante na madrugada desta quarta-feira (13), após roubar equipamentos da banda do cantor e compositor Dorgival Dantas, durante abertura dos festejos juninos da cidade de Solânea, Brejo paraibano.

De acordo com o capitão Leonardo Neves, comandante da companhia de Solânea, o cantor estava se apresentando no palco principal da festa, quando o acusado chegou na mesa de som e começou a subtrair alguns equipamentos.

Um dos integrantes da banda percebeu o crime e acionou a Polícia Militar. Policiais se mobilizaram e conseguiram prender Bernardo nas imediações do bairro Padre Leonardo. O acusado tentou despistar a PM mudando de roupas, mas foi reconhecido.

Com ele, foram apreendidos energéticos, duas escovas de dentes, rádios de comunicação, grampeador, uma esteira para bateria, um alicate, um fone portacross, um alicate e um boné.

Bernardo do Nascimento foi encaminhado para a Delegacia de Solânea, onde deverá responder por furto. A reportagem ligou diversas vezes para a delegacia, mas os telefones não atendem.

O jovem, que é natural o Estado do Rio de Janeiro, mora atualmente no conjunto Padre Cícero, localizado na periferia de Solânea.

1º dia de festa

Segundo o capitão Leonardo Neves, a primeira noite do São João de Solânea foi considerada tranquila. Foram registradas oito ocorrências, sendo que a maioria foi ocasionada por embriagues e desordem.

O capitão informou que durante os festejos juninos, aproximadamente 100 homens da Polícia Militar farão a segurança em vários pontos da cidade para garantir tranquilidade aos participantes da festa. Já na cidade de Bananeiras, serão disponibilizados 40 policiais.

Por Marcio Rangel