Arquivo da tag: doméstica

Dois homens são presos por policiais do 4º BPM suspeitos de receptação e violência doméstica

Dois homens foram presos por policiais do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) nessa sexta-feira (30), suspeitos de receptação de culposa e violência doméstica. A primeira prisão aconteceu no Sítio Porções, zona rural do município de Pilões, quando um homem conduzindo uma moto, em atitude suspeita, foi abordado e, após consulta, os policiais constataram que o veículo possuía restrição. O condutor foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil, onde relatou ao delegado que teria comprado a moto sem saber que ela era produto de roubo ou furto.

Em Guarabira, no Bairro do Rosário, policiais prenderam um homem após receber informações que ele teria agredido a própria esposa. Ao chegarem ao local do fato, a vítima confirmou ter sido agredida fisicamente pelo suspeito, que apresentava sinais visíveis de embriaguez e, junto com ela, foi conduzido para a delegacia para a realização dos procedimentos legais.

 

Assessoria 4º BPM

 

 

Filho agride a mãe de 66 anos e é preso por violência doméstica em Alagoinha

Um homem suspeito de agredir a própria mãe, uma idosa de 66 anos de idade, foi preso por policiais da 2ª Companhia do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) na tarde desta quinta-feira (8), na cidade de Alagoinha. Algumas pessoas informaram à guarnição, através da linha direta, que a mãe estaria sendo agredida pelo filho, que tem 36 anos, no interior da sua residência.

Os policiais, sob o comando do cabo Fagner, se dirigiram até o local e constataram a veracidade do fato, sendo o suspeito preso em flagrante pelo crime de violência doméstica e familiar. Ele foi conduzido para a delegacia, juntamente com a vítima, para os procedimentos legais.

 

Assessoria 4º BPM

 

 

Acusado de violência doméstica e falsificação de documentos em patos é preso em Guarabira

Na manhã desta quinta-feira, 08, na cidade de  Guarabira, no Brejo Paraibano, policiais civis da 8°  Núcleo de Homicídios e DP de Mulungu, prenderam José Rodolpho de Lucena Andrade, de 32 anos, em cumprimento a mandado de prisão expedido pela segunda vara da comarca de Patos.

Rodolpho figura como acusado em vários processos/inquéritos por violência doméstica, quebra de medida protetiva, falsificação de documentos em Patos e João Pessoa.

Foragido, o acusado foi localizado e preso pela Polícia Civil em Guarabira, em cujo fórum será apresentado para audiência de custódia.

 

8DSPC

 

 

 

Polícia prende em Guarabira homem acusado de violência doméstica e estupro de vulnerável

Um homem com um mandado de prisão expedido pela Justiça, acusado pelos crimes de violência doméstica e estupro de vulnerável, foi preso por policiais do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) no início da madrugada deste domingo (28), na cidade de Guarabira. Os policiais foram informados que um homem estaria praticando desordem em via pública no Bairro Cordeiro e, ao chegarem ao local, ele tinha se evadido.

Após a realização de diligências, o homem foi localizado e, através de consulta ao Banco Nacional de Mandados de Prisão, os policiais verificaram que ele responde pelos dois crimes e tinha um mandado em aberto expedido no dia 23 de abril do ano passado, pela 1ª Vara Mista da Comarca de Guarabira. O acusado foi conduzido para a delegacia.

 

Assessoria 4º BPM

 

 

Defensoria Pública articula força-tarefa para combater violência doméstica e feminicídio

Uma força-tarefa capitaneada pela Defensoria Pública do Estado da Paraíba (DPE-PB) reuniu na tarde de ontem (quinta-feira 4), representantes do Ministério Público da Paraíba (MPPB), Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana (Semdh) e das 14 Delegacias da Mulher da Paraíba. O objetivo é reforçar o combate à violência doméstica e ao feminicídio, tendo em vista a urgência da questão, em função do aumento dos crimes. O encontro também contou com a participação da coordenadora de Defesa da Mulher da DPE-PB, Fátima Diniz.

Para o defensor público-geral do estado, Ricardo Barros, o saldo da reunião foi bastante positivo em virtude da união das Instituições, que procuram soluções para o mesmo problema. “Temos que unir forças, nós da Defensoria, com o Ministério Público, a Secretaria da Mulher e as delegacias espalhadas pelo estado, através dessa articulação podemos acionar os serviços sociais e psicossociais para fazer esse enfrentamento”, disse.

A subdefensora pública-geral, Madalena Abrantes saiu otimista da reunião. “A Defensoria se enquadrou na missão para a qual ela foi criada”, afirmou. Ela disse que a Instituição conta com a competência da coordenadora do Núcleo de Defesa da Mulher, Fátima Diniz, a quem destacou a atuação. “Isso dá uma sensação de dever cumprido, que a Defensoria está no caminho certo”, disse Madalena.

ARTICULAÇÃO – Para a promotora de Justiça de Defesa da Mulher da Comarca de João Pessoa e integrante do Núcleo Estadual de Gênero do MP, Rosane Araújo, “o enfrentamento à violência doméstica só tem resultado exitoso quando é construído de forma coletiva e articulada, como estamos fazendo”, ressaltou.

“A própria Lei Maria da Penha contempla isso”, observou, acrescentando que é na perspectiva de fortalecer a unidade dos órgãos, numa rede atuante, que a Paraíba se mobiliza para combater a violência contra as mulheres, que tem tirado a vida de muitas. Rosane elogiou a iniciativa da DPE-PB, que no seu entendimento exerce um papel tão importante quanto o do Ministério Público na defesa da população feminina.

IMPORTANTE APOIO – A secretária de estado da Mulher e da Diversidade Humana, Gilberta Soares, reconheceu a iniciativa da Defensoria e destacou o apoio dado pelo DPG, Ricardo Barros, e pela subdefensora geral, Madalena Abrantes, “no sentido de que possamos estreitar a relação da DPE com a Rede Estadual de Atenção às Mulheres Vítimas de Violência”.

Segundo Gilberta, o Núcleo de Mulheres da DPE, representado pela defensora Fátima Diniz, tem dado sua contribuição na construção do protocolo das diretrizes do feminicídio. “Estamos construindo um protocolo conjunto com as diversas instituições da Justiça e da segurança, que estão definindo as formas de investigar, processar e julgar os crimes de feminicídio”, afirmou.

A coordenadora das 14 delegacias da Mulher na Paraíba, Maysa Félix, lembrou que já existe uma parceria com a DPE-PB no combate à essa forma de violência. “Hoje confirmamos e reforçamos, ainda mais, essa parceria, porque a Defensoria tem um Núcleo que funciona na Delegacia de Apoio à Mulher de João Pessoa”. Para Maysa, é necessário aprofundar a articulação e levar essa experiência exitosa para outros municípios.

Assessoria

 

 

Agentes de saúde da Paraíba irão atuar para acolher e orientar mulheres vítimas de violência doméstica

O governador João Azevêdo sancionou uma lei que estabelece que os agentes comunitários de saúde irão atuar diretamente com a prevenção e combate à violência doméstica contra as mulheres. O projeto de lei, de autoria do deputado estadual Nabor Wanderley, foi sancionado pelo governador e publicado na edição deste sábado (29) do Diário Oficial do Estado.

De acordo com o texto do projeto, a Política de Prevenção à Violência Doméstica fica instituída como Estratégia de Saúde da Família. Sendo assim, por meio da atuação dos agentes comunitários de saúde será buscada a proteção das mulheres em situação de violência.

Os agentes comunitários deverão ser capacitados para promover o acolhimento humanizado e a orientação de mulheres em situação de violência, assim como encaminhar elas aos serviços da rede de atendimento especializado, quando necessário.

A lei ainda destaca quais são as diretrizes de Política de Prevenção de Violência Doméstica com a Estratégia de Saúde da Família. Dentre as diretrizes estão a prevenção e combate à violência física, psicológica, sexual, moral e patrimonial contra as mulheres, conforme legislação vigente; divulgação e promoção dos serviços que garantem a proteção e a responsabilização dos agressores e autores de violência contra as mulheres.

 

clickpb

 

 

Quatro são presos por policiais do 4º BPM, dois deles por violência doméstica

Quatro homens foram presos por policiais do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) durante a noite dessa sexta-feira (30) e início da madrugada deste sábado (31), dois deles acusados de violência doméstica e outros dois por dirigir sob a influência de álcool e desacato. A primeira prisão aconteceu no centro de Pilõezinhos, quando a vítima acionou a guarnição policial da cidade, porque o seu irmão, embriagado, teria lhe agredido fisicamente com um soco na testa, quebrado pertences do interior da residência de sua genitora, além de ter ameaçado duas outras pessoas da família. Diante da constatação dos fatos, os policiais prenderam o acusado e o conduziram para a delegacia, onde ele foi autuado em flagrante pelo crime de violência doméstica.

Em Cuitegi, também no centro da cidade, uma mulher denunciou o marido que estaria embriagado e proferia ameaças contra a vida dela, além de ameaçar atear fogo na residência dos seus pais e de sequestrar a filha do casal, menor de idade. Ao manterem contato com o acusado, ele passou a proferir palavras de ameaças também para os policiais, semelhantes às mencionadas contra a vítima, desacatá-los e agredi-los fisicamente com chutes, além de proferir palavras de baixo calão.

Ao receber voz de prisão, o homem ainda resistiu, agindo com agressividade, sendo necessário o apoio de outra guarnição para contê-lo. Em seguida, o acusado e a vítima foram conduzidos à delegacia, onde ele foi autuado em flagrante por violência doméstica, embriaguez, ameaça, desacato e resistência à prisão.

EM BELÉM – Já na madrugada deste sábado, dois homens foram presos pela guarnição comandada pelo capitão Leite, que que realizava fiscalizações de rotina, acusados de dirigir sob a influência de álcool e desacato. Os dois homens conduziam motos e, diante do flagrante, proferiram palavras de baixo calão contra os policiais, que os conduziram para serem submetidos ao Termo de Constatação de Embriaguez e, em seguida, apresentados na delegacia.

 

 Gibal Martiliano

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Mulheres gastam dobro do tempo dos homens com tarefa doméstica

No Brasil, nove entre cada dez mulheres realizam algum tipo de tarefa doméstica durante, no mínimo, uma hora semanal. Entre os homens, sete em cada dez se dedicam a afazeres domésticos, mas dedicam metade do tempo gasto pelas mulheres nestas atividades. É o que revela um levantamento divulgado nesta quinta-feira (7) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Constatou-se, também, que as mulheres dedicam, em média, 20,9 horas semanais aos cuidados com o lar, enquanto eles dedicavam 11,1 horas semanais.

“Isso pode explicar, por exemplo, porque a participação da mulher no mercado de trabalho é menor que a do homem”, apontou Alessandra Brito, analista da Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE.

Por meio da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD), o IBGE buscou, ao longo de 2016, investigar outras formas de trabalho distintas da ocupação remunerada.

Foram investigados no levantamento, além da realização de afazeres domésticos, a realização de cuidados de pessoas, de trabalho voluntário e da produção para o próprio consumo.

“São formas de trabalho que poderiam ser valoradas. São serviços que você poderia contratar ou produtos que poderia comprar, pagando por eles, mas acaba fazendo por conta própria ou sem cobrar nada por eles”, explicou a pesquisadora.

De acordo com a pesquisa, em 2016, 81,3% da população brasileira com mais de 14 anos (cerca de 135,5 milhões de pessoas) havia realizado afazeres domésticos no domicílio onde vive ou na casa de parentes. Entre as mulheres, a taxa de realização deste tipo de trabalho foi de 89,8%, enquanto entre os homens foi de 71,9%.

Tanto entre as mulheres quanto entre os homens, a taxa de realização de afazeres domésticos foi maior no grupo etário entre 25 e 49 anos – respectivamente 93,5% e 75,9% – e menor, para ambos os gêneros, na faixa etária entre 14 e 24 anos de idade – 83,4% entre as mulheres e 59,5% dos homens.

A pesquisa buscou observar, ainda, dentre as pessoas que realizaram tarefas domésticas quantas tinham ocupação profissional. Constatou-se que 82,7% delas trabalhavam. Esta tendência foi observada tanto entre as mulheres quanto entre os homens – 92,2% das mulheres ocupadas realizavam tarefas domésticas, enquanto 75,5% dos homens ocupados também as faziam.

Tarefas relacionadas com a alimentação no domicílio foram as principais atividades domésticas realizadas por ambos os sexos. As mulheres, no entanto, se dedicam mais aos serviços de limpeza do lar, enquanto os homens priorizam pequenos reparos e serviços de manutenção.

Cuidados de pessoas

O levantamento do IBGE sobre formas de trabalho não remuneradas mostrou que cerca de ¼ da população em idade de trabalhar cuidou de outras pessoas em 2016. O percentual de mulheres (32,4%) que se dedicavam a cuidar de pessoas foi superior ao dos homens (21%).

O IBGE destacou que tanto para os homens (64,7%) quanto para as mulheres (60,7%), a realização de cuidados com pessoas se concentrava na faixa etária de 25 a 49 anos. “Essa é uma faixa etária que se caracteriza por um grande percentual de pessoas com filhos com idade de serem cuidados”, observou o instituto.

A pesquisa mostrou que 49,6% das pessoas que receberam cuidados tinham entre 0 e 5 anos de idade e 48,1% tinham entre 6 e 14 anos. O cuidado de idosos correspondeu a apenas 9% dos casos.

Monitorar ou fazer companhia dentro do domicílio foi o principal cuidado desempenhado (86,9%). A menor ocorrência de cuidados foi relacionada ao auxílio a atividades educacionais (66,8%).

“Se eu cuidar do filho da vizinha para ela poder sair, isso não é cuidado de pessoas, isso é trabalho voluntário”, ressalvou Alessandra Brito, analista da Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE.

Trabalho voluntário

A partir da Pnad, o IBGE estimou que 6,5 milhões de brasileiros realizaram trabalho voluntário em 2016. Este contingente corresponde a apenas 3,9% da população com mais de 14 anos.

Em média, foi maior a proporção de mulheres (4,6%) na comparação com os homens (3,1%) que realizaram algum tipo de trabalho voluntário. Todavia, eles se dedicavam a estas atividades por mais horas semanais que elas (6,9 horas para homens e 6,6 horas para elas).

A pesquisa mostrou ainda que foi maior a proporção (4,2%) das pessoas que trabalhavam e se dedicavam também ao trabalho voluntário que a de pessoas desocupadas (3,6%).

Além disso, o levantamento apontou que a Região Norte do país foi a que apresentou a maior taxa de trabalho voluntário (5,6%) na comparação com as demais regiões. Em segundo lugar, aparece a Região Sul (5%). O Nordeste ficou na lanterna deste ranking, com taxa de 3%.

Dentre as pessoas que fizeram trabalho voluntário, a grande maioria (91,5%) o fizeram por meio de empresa, organização ou instituição. Os principais locais de realização deste tipo de trabalho foram congregações religiosas, sindicato, condomínio, partido político, escola, hospital e asilo.

“Às vezes, a pessoa ajudava, por exemplo, a limpar a igreja após uma celebração. Mas ela sequer se dava conta de que aquilo era trabalho voluntário”, destacou a pesquisadora Alessandra Brito.

G1 

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Polícia registra quatro casos de violência doméstica no Agreste da PB em menos de 12 horas

Quatro casos de violência doméstica foram registrados em cerca de 12 horas, entre a manhã e a tarde de segunda-feira (9) nas cidades de Campina Grande e Remígio, no Agreste paraibano. Em dois dos casos, os suspeitos agrediram as vítimas, levaram o celular e fugiram. Em apenas um deles o suspeito foi preso.

Segundo Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop), dois dos suspeitos dos casos foram presos e encaminhados para prestar depoimento. Os outros dois suspeitos fugiram do local das agressões. O primeiro caso foi registrado em Remígio, no Agreste, na manhã de segunda-feira. Os policiais foram chamados para um caso de cárcere privado e violência doméstica. O suspeito e a vítima foram levados para delegacia.

Ainda na segunda-feira no Alto Branco, em Campina Grande, uma mulher foi agredida, pelo ex-companheiro após uma discussão. O suspeito saiu do local da agressão levando celular da vítima. Ainda de acordo com a polícia, ao chegar ao local, o suspeito já havia fugido. Foram feitas buscas na região, mas o suspeito não tinha sido preso até o início da manhã desta terça-feira (10).

O terceiro caso aconteceu no período da tarde, por volta de 14h, no bairro do Cruzeiro em Campina Grande. A vítima, relatou que foi agredida pelo seu ex-esposo com um soco no olho após uma discussão. De acordo com a polícia, quando a viatura chegou ao local, o suspeito não foi encontrado. A vítima foi levada a delegacia para prestar queixa.

Ainda tarde de segunda-feira ocorreu mais um registro em Campina Grande, no bairro do Jardim América. Segundo do Ciop, a vítima informou à Polícia Militar que foi agredida pelo companheiro e que ele tomou seu celular. A vítima foi orientada a ir até a delegacia e registrar a ocorrência.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Homem com mandado por violência doméstica e estupro de vulnerável é preso em Guarabira

Um homem com mandado de prisão por violência doméstica e estupro de vulnerável foi preso por policiais do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) na noite desta quarta-feira (26), no bairro Santa Terezinha, em Guarabira. A guarnição comandada pelo Cb Joabes foi informada de que um homem estaria agredindo fisicamente os familiares no interior da sua residência e, ao chegar ao local e fazer uma consulta no nome dele, através do Copom, foi verificado que ele tinha o mandado de prisão expedido pela Vara de Execução Penal de Guarabira.

No momento em que os policiais chegavam na residência, o acusado tentou fugir, mas foi impedido pelo padrasto e pelo irmão, que ainda foi ameaçado de morte por ele, que estava bastante agressivo e com sinais visíveis de embriaguez. O acusado foi preso e conduzido à Delegacia de Polícia Civil, onde, além do cumprimento do mandado, também foi autuado por embriaguez e desordem.

EM CAIÇARA – Outro mandado de prisão expedido pela Justiça foi cumprido por policiais da 3ª Companhia do 4º BPM na cidade de Caiçara. Um homem de 29 anos, residente em Nova Cruz-RN, acusado de homicídio qualificado, foi preso pela guarnição formada pelo Sgt J. Silva, Cb Tiago e Sd Washington. O acusado foi levado para a cadeia de Caiçara.

Assessoria 4º BPM

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br