Arquivo da tag: distritos paraibanos

Homem é preso suspeito de matar ex-sogro a facadas em Princesa Isabel, Sertão da Paraíba

Um homem de 32 anos invadiu a casa da ex-companheira e matou o pai dela a facadas. O crime aconteceu por volta das 22h do domingo (8), em Princesa Isabel, no Sertão da Paraíba.

Segundo a Polícia Civil, o suspeito teria ido à casa da ex-companheira e a agredido. Ele também a ameaçou e disse que voltaria. Minutos depois, ele retornou ao local armado com uma faca e começou a ferir os familiares da mulher.

Ainda de acordo com a polícia, o homem também esfaqueou o ex-cunhado. Pai e filho foram encaminhados para o Hospital Regional da cidade, mas o ex-sogro não resistiu aos ferimentos e morreu na unidade hospitalar, que não informou o estado de saúde da outra vítima. Outras três pessoas que estavam no local também foram agredidas.

O suspeito foi encaminhado para a Cadeia Pública de Princesa Isabel, onde permanecerá até a audiência de custódia.

G1

 

Catadora cedeu nome em troca de R$ 350 para suposto esquema de desvio na merenda da Paraíba

Uma catadora de materiais recicláveis foi usada como ‘laranja’ em um suposto esquema de fraudes em licitações e desvio de recursos na merenda escolar, em Campina Grande, no Agreste da Paraíba. Edna Iara dos Santos, de 32 anos, tem três filhos e mora com eles em uma casa de um cômodo. Mas na investigação da Operação Famintos, o nome dela é apontado como dona de uma empresa.

Para a TV Paraíba, Edna disse teria sido abordada por um empresário e aceitou a proposta de ‘emprestar’ o nome para a abertura da empresa. Em troca, ela recebeu a quantia de R$ 350.

“Se eu soubesse que era para ser usado em uma coisa dessas, eu jamais teria feito. Eles nunca me disseram isso. Eu jamais iria querer fraudar a merenda e prejudicar as crianças porque meus três filhos estudam em escolas públicas”, desabafou a mulher, que não foi denunciada ao Ministério Público.

Além dela, o grupo de empresários investigados chegou a utilizar outros nomes de pessoas humildes. Em alguns casos, as empresas faturaram milhões em contratos com algumas prefeituras paraibanas, mas os ‘laranjas’ recebiam quantias que não ultrapassavam R$ 1 mil.

Famintos

A Operação Famintos foi desencadeada no dia 24 de julho em Campina Grande e outras cidades da Paraíba. Polícia Federal, Ministério Público Federal e Controladoria-Geral da União investigam um suposto esquema de desvios de recursos federais do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), geridos pela Prefeitura de Campina Grande. O prejuízo ultrapassa R$ 2,3 milhões.

G1

 

João Azevêdo define com IBGE lançamento oficial do Censo 2020 na Paraíba

O governador João Azevêdo se reuniu, nesta terça-feira (13), em João Pessoa, com representantes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para discutir parcerias voltadas à realização do Censo 2020. No encontro, ficou definido que o lançamento oficial do Censo será realizado na próxima segunda-feira (19), às 11h, no Palácio da Redenção.

Na ocasião, o chefe do Executivo estadual destacou a importância da colaboração dos paraibanos no levantamento de dados que servirão para o planejamento de políticas públicas.  “O Brasil passará, em 2020, pela realização do Censo Demográfico, uma pesquisa domiciliar, o que se configura como uma verdadeira operação de guerra a ser montada, e o IBGE tem essa responsabilidade de organizar esse trabalho. Nessa reunião ficou definida a participação e a ajuda do Estado naquilo que compete para que o Censo aconteça da melhor maneira possível e traga as informações corretas para que a gente tenha um espelho real do nosso povo para planejar o nosso futuro”, argumentou.

O chefe da Unidade Estadual do IBGE na Paraíba, Roberto Salgado, agradeceu o apoio do Governo do Estado e ressaltou a necessidade do engajamento da população para responder corretamente os questionários.  “A participação de toda a sociedade é importante para que possamos realizar o Censo e, com esse apoio do Governo do Estado, temos a certeza de que as pessoas irão colaborar também. Durante essa reunião, tivemos a oportunidade de apresentar o formato do Censo 2020 e pedimos o apoio da infraestrutura do Governo do Estado para que a gente possa divulgar a sua realização”, explicou.

O uso da tecnologia é uma novidade do Censo 2020. De acordo com Roberto Salgado, todos os questionários serão aplicados com a utilização de um computador de mão e também será oferecida a opção do uso da internet para responder as perguntas.

Também participaram da reunião Fernando José Câmara (supervisor da Base Territorial do IBGE); Francisco Eugênio do Nascimento (coordenador operacional do Censo); e Jorge Souza (supervisor de Disseminação de Informações), além do secretário da Comunicação Institucional, Nonato Bandeira; e do chefe de Gabinete, Ronaldo Guerra.

 

Foto: José Marques

Secom-PB

 

 

Em 3 meses colombianos faturaram R$ 1,7 mi com agiotagem, na Paraíba

A Polícia Federal deflagrou na última sexta-feira (15) a Operação Sicário, com objetivo de desarticular uma organização criminosa dedicada à prática, no Brasil, e mais especificamente na Paraíba, do chamado “cobro” ou “cobrito”, uma vertente colombiana de crime financeiro consistente na organização de uma instituição financeira clandestina para controlar um organizado sistema de empréstimo de dinheiro a juros extorsivos. Segundo a PF, em apenas três meses, os colombianos faturaram quase R$ 2 milhões com o esquema, somente na Paraíba.

Em entrevista coletiva, o delegado federal Fabiano Emídio de Lucena Martins, explicou que o esquema é bastante organizado, com um “chefão” em cada Estado e dois níveis de operadores abaixo, que atuam junto aos comerciantes. “O dinheiro é emprestado a pequenos empresários em dificuldade, com acordo de pagamentos de juros abusivos por dia, por semana ou por quinzena. Além do chefão, há um segundo escalão de gerentes, que guardam provisoriamente, contabilizam e repassam o dinheiro arrecadado. Na base do esquema há os chamados ‘pelados’, que são pessoas em motos, responsáveis por fazer a cobrança e arrecadação dos pagamentos.

Caso algum credor não consiga pagar, são ameaçados com armas e muita violência”, explicou. Para controlar a contabilidade do esquema, os colombianos utilizavam um aplicativo de computador, que já existe no mercado e foi adaptado ao esquema criminoso.

“Ainda não sabemos o montante total do que foi movimentado pelos colombianos, desde que começaram a operar na Paraíba. Mas uma análise inicial no aplicativo usado por eles encontramos um faturamento de aproximadamente R$ 1,7 milhões, em um intervalo de cerca de três meses. Nesse mesmo período, eles faturaram R$ 3 milhões, em Pernambuco. Para dificultar eventuais flagrantes, eles dividiam o valor em pequenas quantidades e guardavam em diversos lugares, conforme encontramos durante as buscas”, acrescentou o delegado.

A PF investiga o “cobro” dos colombianos desde o ano de 2017, quando uma das vítimas procurou os federais para denunciar o esquema. Em uma parcial feita antes da deflagração da Operação Sicário, a PF já contabilizava mais de 50 vítimas do esquema de extorsão, só na Paraíba.

 

pbagora

 

 

Técnico formado pelo Senar desenvolve hortas em unidades prisionais da Paraíba

Projeto incentiva produção de hortaliças em quatro presídios da PB

A agricultura periurbana está presente em quatro unidades prisionais da Paraíba graças ao trabalho e visão de um egresso do curso Técnico em Agronegócio do Senar. Edson Firmino conseguiu aliar a paixão pelo agro à sua rotina de trabalho como agente penitenciário e o resultado foi um trabalho social que transforma a vida de detentos em todo o Estado.

O agente penitenciário teve seu primeiro contato com o agro na propriedade rural dos avós, em Casinhas, no interior de Pernambuco. Com o intuito de ajuda-los na gestão da produção de hortaliças, Edson decidiu fazer o Curso Técnico em Agronegócio do SENAR. Durante as aulas, ele percebeu que poderia ligar seu trabalho, a época na Unidade Prisional Padrão de Santa Rita, à agricultura.

“Dentro do curso, eu entendi que a cultura de hortaliça é de consumo diário, ou seja, alguém sempre vai estar comprando e alguém sempre vai estar consumindo. E quando olhava para as áreas ao redor do presídio, via que tinha oportunidade muito grande para uma produção ali, só precisava descobrir se esse projeto era viável ou não”, explica Edson.

O trabalho desenvolvido pelos detentos também contribui para a remissão da pena. A cada 3 dias de serviço há redução de 1 dia na condenação.

A questão se tornou no trabalho final de conclusão do curso. Edson descobriu que se plantasse 13 itens que o presídio comprava, economizaria dois terços do que o Estado paga por esses mesmo produtos. Ele mostrou a pesquisa para o diretor do Presídio Padrão de Santa Rita da época, Cícero Júnior, que pediu pra Edson implantar o projeto lá.

Juntos, eles investiram uma quantia inicial de 600 reais para implantação e pediram ajuda ao SENAR para criar parcerias que doaram compostos orgânicos, cursos para compostagem e kits de irrigação de microaspersores.

“Trabalhos como o de Edson transformam realidades e incentivam a produção do agronegócio com responsabilidade social e ambiental. É nosso papel como instituição de ensino incentivar a atividade. Nós acreditamos em projetos inovadores e que tem esse perfil social de transformação”, afirma a coordenadora da Rede e-Tec Brasil na Paraíba, Poliana Queiroz.

Poliana Queiroz, coordenadora regional da Rede e-Tec Brasil na ParaíbaPara sua realização, o projeto passou por três fases. A etapa de consumo, que consiste em análise de solo, preparo dos 4 mil m², depois montagem da área de semeadura com plantio das bandejas.

A segunda etapa é a comercial. Edson fez contato com vendedores de mercados de João Pessoa que garantiram a compra do que for produzido do interesse deles. Isso resultou na produção de folhosas – rúcula, alface roxa, americana, coentro e cebolinha –, mais viáveis para se produzir sem que haja um preparo muito grande da terra.

A renda gerada pela comercialização, deverá cobrir os custos da produção e ainda gerar uma renda de aproximadamente R$ 750,00 que será destinada às famílias detentos.

A última etapa é a ampliação. O projeto começou com 12 apenados em Santa Rita, na região metropolitana da capital, e agora já está instalado em outros três presídios no Estado: Presídio Feminino, Sílvio Porto e Penitenciaria Agrícola. Por isso, Edson foi transferido e agora coordena o projeto em João Pessoa.

“Eu acho essa iniciativa muito boa porque me dá trabalho, cuido da minha família e porque eu gosto de plantar. Meu trabalho antes era na construção civil, como pedreiro, mas sempre apreciei o campo. É muito gratificante ver algo que eu cultivei. Quando eu sair daqui eu quero trabalhar na agricultura, porque é na horta que eu gosto de estar. Me sinto bem aqui”, comenta o detento da penitenciária agrícola.

Nos dias de visita, quartas e domingos, eles não trabalham na horta. Todos os outros dias a lida inicia pela manhã e dependendo da necessidade, trabalham 8 horas, mas a carga horária pode variar de acordo com a rotina das unidades.

O agente espera que essa atividade se torne um projeto-lei que seja implantado em todas as classes prisionais e escolas públicas com sua adaptação orçamentária. “Eu acredito na ocupação, e acredito na mão-de-obra prisional. É uma oportunidade para eles conhecerem algo diferente do que as 23 horas que ficam trancados numa cela. Esse projeto é meu voto de confiança neles”, defende.

Assessoria de Comunicação Sistema Faepa/Senar-PB

Trio atira contra ônibus escolar e rouba dez celulares em Pocinhos, na Paraíba

Três homens atiraram contra um ônibus escolar na noite de quarta-feira (18) na cidade de Pocinhos, no Brejo paraibano. Os disparos atingiram parte da lataria do veículo, estilhaços atingiram um adolescente abaixo do olho. A vítima foi encaminhada para o hospital da cidade e em seguida foi liberada.

De acordo com a Polícia Militar, o assalto foi registrado por volta das 18h. Os suspeitos estavam escondidos no matagal, quando saíram atirando na frente do ônibus para que o motorista parasse o veículo. Cerca de dez aparelhos das vítimas foram levados pelos criminosos.

A polícia chegou a fazer rondas nas proximidades, mas até as 8h desta quinta-feira (19) nenhum suspeito havia sido preso nem os objetos roubados foram recuperados.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Carro é flagrado trafegando a 202 km/h na BR-101, na Paraíba

(Foto: Divulgação/PRF)

Um carro foi flagrado circulando a 202 km/h no KM-70 da BR-101, entre Natal e João Pessoa, na tarde da sexta-feira (13), segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Entre a meia noite da quarta-feira (11) e a meia noite deste sábado (14), o órgão flagrou 282 veículos transitando acima da velocidade permitida em rodovias federais na Paraíba.

De acordo com a PRF, o Toyota Corolla a 202 km/h foi apenas um dos três veículos flagrados com velocidade excessiva em um intervalo de menos de vinte minutos, entre as 16h42 e as 17h01 da sexta-feira. No trecho, cuja velocidade máxima permitida é de 100 km/h, os radares do órgão flagraram também um Volkswagen Fox a 177 km/h e um Mercedes Benz Sprinter Cargo a 157 km/h.

Ainda segundo a polícia, dirigir com velocidade até 20% acima da máxima permitida é infração média, com multa no valor de R$ 130,16 e quatro pontos na carteira. Entre 20% e 50% acima da máxima permitida, a infração passa a ser grave, com multa de R$ 195,23 e cinco pontos na carteira. Já no caso dos motoristas flagrados a mais de 50% da velocidade máxima permitida, a infração é gravíssima, com multa de R$ 880,41 e sete pontos na carteira.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Dilma veta criação de municípios e quatro distritos paraibanos não podem se emancipar

ROBERTO STUCKERT FILHO/PLANALTO
ROBERTO STUCKERT FILHO/PLANALTO

A presidenta Dilma Rousseff vetou integralmente o Projeto de Lei 104/2014, que tratava da criação, incorporação, fusão e o desmembramento de municípios. A proposta, aprovada no começo de agosto pelo Senado, substituía um outro projeto sobre o mesmo assunto, vetado integralmente por Dilma no fim do ano passado.

Com o veto da presidenta, a Paraíba deixa de ganhar quatro municípios a mais, como previam algumas lideranças políticas. A partir da promulgação da Constituição do Estado, em 1989, a Paraíba pulou de 171 para 223 municípios.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Um estudo do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea), divulgado no início de dezembro do ano passado apontava que na Paraíba estariam condições de se emancipar e virar municípios os distritos de Galante e São José da Mata (de Campina Grande), Nossa Senhora do Livramento (de Santa Rita, na região metropolitana de João Pessoa) e Renascer (em Cabedelo, também na região metropolitana, no Litoral Sul).

Na mensagem de veto dirigida ao presidente do Senado, Renan Calheiros, publicada nesta quarta-feira (27) no Diário Oficial da União, Dilma Rousseff argumenta que a proposta criaria despesas sem indicar as fontes de receitas correspondentes, o que desequilibraria a divisão de recursos entre os municípios.

“Embora se reconheça o esforço de construção de um texto mais criterioso, a proposta não afasta o problema da responsabilidade fiscal da federação. Depreende-se que haverá aumento de despesas com as novas estruturas municipais sem que haja a correspondente geração de novas receitas. Mantidos os atuais critérios de repartição do Fundo de Participação dos Municípios, o desmembramento de um município causa desequilíbrio de recursos dentro do seu estado, acarretando dificuldades financeiras não gerenciáveis para os municípios já existentes”, diz a mensagem de veto.

O veto da presidente Dilma Rousseff às regras sobre criação de municípios (PLS 104/2014 – complementar) provocou reações diferentes em senadores e deputados. O senador Anibal Diniz (PT-AC) classificou o veto como “lamentável”. Ele disse que a decisão revela a falta de diálogo entre o Executivo e o Legislativo. Anibal lembrou que em outubro do ano passado já havia ocorrido um veto em projeto de mesmo teor (PLS 98/2002). Assim, disse o senador, um novo projeto foi elaborado, como “fruto de um entendimento com o governo”.

 

Portal Correio