Arquivo da tag: deslizamento

Homem morre soterrado após deslizamento de terra em Esperança, no Agreste da Paraíba

Um homem de 46 anos morreu após um deslizamento de terras em Esperança, no Agreste da Paraíba, na manhã desta segunda-feira (10). De acordo com a Polícia Militar, o homem estava retirando um material de construção com o filho quando o deslizamento aconteceu e ele foi soterrado.

Conforme o relato de familiares à polícia, o homem costumava retirar materiais do local e estava trabalhando com o filho.

Segundo a polícia, a vítima não usava equipamento de segurança quando o acidente aconteceu. O local também não tem nenhum tipo de regulamentação que permite a retirada de materiais para construção.

Foto: Artur Lira/TV Paraíba

G1

 

Deslizamento de barreira deixa cinco mortos, três feridos e dois desaparecidos no Recife

Um deslizamento de barreira na Rua Bela Vista, no Córrego do Morcego, no bairro de Dois Unidos, na Zona Norte do Recife, deixou cinco mortos, três feridos e duas pessoas desaparecidas, na madrugada desta terça-feira (24). De acordo com o Corpo de Bombeiros, o deslizamento aconteceu às 2h55 e atingiu duas casas.

Entre as vítimas que morreram no local, estão três adultos, uma criança e um bebê. “Quando eu cheguei, estava a casa destruída, entrei em desespero. Começamos a cavar e tirar os destroços de cima”, contou Marco Antônio, vizinho das vítimas que ajudou no resgate.

Os bombeiros buscam duas mulheres desaparecidas. “Nós trabalhamos com a possibilidade de que as pessoas desaparecidas estejam vivas. Em um deslizamento, o material se compacta, sendo mais fácil ter bolsas de ar favorecendo que as vítimas permaneçam mais tempo respirando, então a possibilidade realmente existe”, disse o major Anderson Barros, do Corpo de Bombeiros.

Seis viaturas do Corpo de Bombeiros foram ao local: duas de busca e salvamento, uma de busca com cachorros, uma de comando operacional e duas de resgate. Equipes da Defesa Civil do Recife também foram ao local do deslizamento.

Deslizamento aconteceu no bairro de Dois Unidos, na Zona Norte do Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Deslizamento aconteceu no bairro de Dois Unidos, na Zona Norte do Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

As pessoas que morreram no local do deslizamento são da mesma família e foram identificadas como:

  • Emanuel Henrique de França, de 25 anos: marido de Érica e pai de Érick.
  • Érica Virgínia, de 19 anos: esposa de Emanuel e mãe de Érick.
  • Érick Junior, de 2 meses: filho do casal.
  • Lucimar Alves, de 50 anos: avó de Daffyne.
  • Daffyne (sobrenome não divulgado), de 9 anos: neta de Lucimar.

Os três feridos no deslizamento da barreira são:

  • Otoniel Simião da Silva, de 57 anos:foi levado para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Nova Descoberta, na Zona Norte do Recife, mas o estado de saúde dele não foi divulgado até a última atualização desta matéria. Ele é marido de Lucimar, avó de Daffyne e primo de Emanuel, que morreram no deslizamento.
  • Luiz Tadeu Costa, de 56 anos:também foi encaminhado para a UPA de Nova Descoberta, mas recebeu alta no início da manhã. Ele é marido de Cristina, que também se feriu no deslizamento.
  • Cristina Gomes da Silva, de 43 anos:foi socorrida para o Hospital da Restauração, no Derby, na área central do Recife. É irmã de Lucimar e esposa de Luiz.
Deslizamento atingiu duas casas nesta terça-feira (24) — Foto: Bruno Fontes/TV Globo

Deslizamento atingiu duas casas nesta terça-feira (24) — Foto: Bruno Fontes/TV Globo

Em nota, o Corpo de Bombeiros afirmou que “não pode determinar as causas do acidente”. Não chovia no momento do deslizamento da barreira e moradores da área relataram que dois canos da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) existentes no local estouraram e o vazamento, iniciado às 2h, teria feito a barreira deslizar.

“Pode ter havido o rompimento. O abastecimento de água da região realmente aconteceu ontem [segunda, 23], mas o rompimento não foi causado pelo rodízio. Estava sendo abastecido no momento do desastre”, declarou o gerente da região leste da Compesa, Aprígio Cunha.

Apesar dessa possibilidade, o gerente afirmou que não há registros, no sistema da Compesa, de vazamento na área do deslizamento.

“Não temos nenhum registro de vazamento pendente nessa área. A tubulação está numa profundidade que não dá para detectar se teve ou não vazamento. Estamos fazendo uma vistoria com a Defesa Civil para dizer o que realmente aconteceu. Desde 3h30, fomos acionados e estamos com equipe técnica para ver o que realmente aconteceu”, disse.

Vazamento em canos pode ter provocado deslizamento de barreira no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Vazamento em canos pode ter provocado deslizamento de barreira no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

 

G1

 

 

Passa de 250 o número de mortos em deslizamento no sul da Colômbia

O número de mortos na tragédia ocorrida na cidade de Mocoa, no sul da Colômbia, passou de 250. Segundo último relatório divulgado neste domingo (2) pela Cruz Vermelha Colombiana ao Canal Institucional, os feridos somam 220. Autoridades locais decretaram estado de calamidade na região para facilitar e agilizar operações de resgate e de ajuda às vítimas.

Apesar do balanço atualizado, ainda há um número indeterminado de desaparecidos e atingidos. Na Colômbia, não se descarta a possibilidade do número de vítimas aumentar, já que “há muita gente desaparecida”, segundo o presidente colombiano, Juan Manuel Santos. A região vivenciou uma avalanche de água e pedras após o transbordamento dos rios Mocoa, Sangoyaco e Mulatos na cidade de pouco mais de 45 mil habitantes.

A cidade de Mocoa, na Colômbia, foi declarada em estado de emergência para facilitar as operações de resgate
EPA/Colombian Army/Agência Lusa

A cidade de Mocoa, na Colômbia, foi declarada em estado de emergência para facilitar as operações de resgate

“Toda a capacidade do Estado está voltada para apoiar o trabalho humanitário e de busca e resgate”, publicou Santos em seu Twitter a respeito da tragédia. De acordo com o presidente, a primeira notícia que recebeu sobre o ocorrido foi dada ainda na madrugada de sexta-feira (31) pelo diretor-geral da União Nacional para a Gestão do Risco de Desastres, Carlos Ivan Márquez. O governante afirmou que 30% da chuva ocorreu apenas na noite de sexta, o que “gerou um repentino aumento de vários rios”.

Hospitais superlotados

Em razão da dimensão dos acontecimentos, os serviços de emergência do principal hospital da cidade (de aproximadamente 45 mil habitantes) colapsaram pela quantidade de feridos, segundo detalhou o comandante da Brigada 27 do Exército, general Adolfo Hernández. O oficial detalhou que também “estão sendo feitos esforços de busca no setor de Puerto Limón, onde apareceram alguns corpos”.

Sobre a situação em Mocoa, cidade situada no meio da floresta da região amazônica que só se comunica com o restante da Colômbia por via aérea e por uma precária estrada, o militar afirmou que já começaram a chegar auxílios, apesar das dificuldades de acesso. A tragédia supera o mais recente desastre natural da Colômbia. Em maio de 2015, outra avalanche destruiu a cidade de Salgar, no departamento de Antioquia, e deixou, ao menos, 104 mortos.

* Com informações da Agência Brasil.

 

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

 

 

Deslizamento de terra destrói 350 casas no Afeganistão e deixa centenas de mortos

afeganistaoPelo menos 350 pessoas morreram na província de Badakhshan, no nordeste do Afeganistão, em um deslizamento de terra nesta sexta-feira (2) causado pelas fortes chuvas, anunciou a missão da Organização das Nações Unidas no país (Unama).

“De 350 a 400 casas foram destruídas no distrito de Argo, como resultado das fortes chuvas que provocaram deslizamentos de terra”, disse Mohammad Baidaar, vice-governador da província montanhosa. O número de mortos poderá aumentar com o trabalho dos socorristas.

“Havia mais de 1.000 famílias morando no vilarejo. Um total de 2.100 pessoas –homens, mulheres e crianças– está soterrado”, disse à agência Reuters Naweed Forotan, porta-voz do governo de Badakhshan.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O deslizamento, que aconteceu após uma semana de chuva forte e num período de derretimento da neve, derrubou centenas de casas e danificou outras centenas, disse ele.

Moradores estavam tentando recuperar seus pertences após um deslizamento menor que atingiu o vilarejo. Ninguém ficou ferido no primeiro deslizamento, segundo autoridades, e o segundo aconteceu poucas horas depois.

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, determinou o início imediato dos esforços de emergência, informou o governo em comunicado.

A Força Internacional da Otan no Afeganistão (Isaf) está trabalhando com o Exército afegão nas buscas por sobreviventes, informou a ONU.

Badakhshan é uma província remota do nordeste do Afeganistão, na fronteira com Tadjiquistão, China e Paquistão. “A informação que recebemos é que 600 famílias vivem no vilarejo de Aab Bareek, em Argo”, indicou o chefe da Agência de Gestão de Situações de Crise, Mohammad Daim Kakar.

G1

 

Deslizamento de barreira põe em risco moradores da Rua Dionízio Maia em Bananeiras-PB

Chuvas como sinônimo de perigo, noites em claro, angústia, medo e revolta. A descrição pode fazer parte da realidade de alguns moradores de áreas de risco na Rua Dionízio Maia, em Bananeiras – PB.

Segundo depoimentos de moradores, por causa das fortes chuvas torrenciais a barreira cedeu ocasionando um deslizamento de parte dela.  Após acionar a prefeitura para realizar os procedimentos cabíveis, passaram-se dois meses e a preocupação persiste aos moradores por nada ainda ter sido feito. Eles temem à erosão, que é um problema muito sério e devem ser adotadas medidas imediatas para minimizar a situação.

Mas, em função do pleito a realizar-se no dia 07 de outubro, os moradores temem que a intervenção não aconteça pelo que transcorre a LEI Nº 9.504 – DE 30 DE SETEMBRO DE 1997 – DOU DE 1/10/1997 – LEI ELEITORAL

Segundo os moradores, a preocupação maior não consiste apenas no perigo iminente de perca de bens materiais, e sim, pelo fato de crianças e idosos que muito pouco sabem reagir em situações emergenciais, residirem nas proximidades do local.

“Aguardamos todos os dias uma posição por parte da prefeitura, estou ficando sem esperanças”. São as palavras de quem convive diariamente com essa realidade.

 

 

Bananeiras Online

Chuvas provocam deslizamento de terras e destróem casas em Pilões, no Brejo

As fortes chuvas que caíram na cidade de Pilões nestas quarta e quinta provocaram um deslizamento de terra no Conjunto Bela Vista,  que atingiu duas casas e deixou outras com suas estruturas comprometidas, precisando ser interditadas.

O Tenente Nogueira, a Tenente Vivicléia e o Cabo Fernando do Corpo de Bombeiros de Guarabira estiveram visitando o local e conversaram com os moradores que se recusam a sair das casas.

Por sorte, as duas residências que desabaram haviam sido construídas recentemente e ainda não estavam ocupadas.

O terreno onde houve o deslizamento de terras pertence à prefeitura municipal, mas foi invadido por famílias que de forma alheia e sem fiscalização construíram suas casas.

Os Bombeiros interditaram mais de cinco casas, que estão sendo habitadas, pois as mesmas encontram-se em área de risco e também podem desabar a qualquer momento.

Da Redação com Seligapiloes.net

As fortes chuvas que caíram na cidade de Pilões nestas quarta e quinta provocaram um deslizamento de terra no Conjunto Bela Vista,  que atingiu duas casas e deixou outras com suas estruturas comprometidas, precisando ser interditadas.

O Tenente Nogueira, a Tenente Vivicléia e o Cabo Fernando do Corpo de Bombeiros de Guarabira estiveram visitando o local e conversaram com os moradores que se recusam a sair das casas.

Por sorte, as duas residências que desabaram haviam sido construídas recentemente e ainda não estavam ocupadas.

O terreno onde houve o deslizamento de terras pertence à prefeitura municipal, mas foi invadido por famílias que de forma alheia e sem fiscalização construíram suas casas.

Os Bombeiros interditaram mais de cinco casas, que estão sendo habitadas, pois as mesmas encontram-se em área de risco e também podem desabar a qualquer momento.

Portalmídia com Seligapiloes.net