Arquivo da tag: Deputado

Julian Lemos e Carlos Bolsonaro voltam a se estranhar nas redes sociais: “Me esqueça seu psicopata” diz deputado da PB

Em mais um dia de agressões mútuas o deputado federal paraibano e presidente estadual do PSL Julian Lemos, voltou a rebater declarações supostamente ácidas do vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro, filho do presidente da República Jair Bolsonaro.

“Vá tomar no meio do seu *, @CarlosBolsonaro Você é um merda.. me esqueça seu psicopata. Vá procurar uma mulher parece uma cadela no cio, seu imbecil”, disse Julian em um dos seus posts.  Noutro Julian diz que quer distância dos Bolsonaros.

“Pegue seu pai, sua possessão, sua idolatria, o que pensa sobre mim, sua psicopatia e empurre no seu r*, quero distância de todos vocês” escreveu.

Recentemente Julian Lemos (PSL-PB) discutiu com o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) no Twitter e chamou o filho do presidente de “Carluxa” , de “poodle” e de “doido”.

A postagem foi uma resposta a um vídeo publicado por Carlos em que há um áudio, possivelmente de Julian, com criticas aos filhos de Bolsonaro.

“Você pode bancar o fodão para muita gente, pra mim não, esse ano o lugar do debate vai ser no microfone da Câmara dos Deputados, o remédio de um doido é outro na porta. Esse aí é o grande influenciador do líder do nosso país, apenas um desequilibrado, Carluxa…Tu é um merda!”, escreveu à época o deputado paraibano.

Após a ‘treta’ de hoje, ambos apagaram as publicações.

Confira os posts que foram deletados:

pbagora

 

 

Deputado Chió inicia peregrinação de 18 dias e 500 km até o Santuário de Padre Cícero no Ceará

O deputado estadual Chió  iniciou desde o dia 9 de janeiro uma peregrinação por diversas cidades da Paraíba e do Ceará até chegar ao seu destino final que é o Santuário de Padre Cícero, em Juazeiro. O parlamentar que é adepto desde jovem as maratonas de rua e já realizou diversas campanhas de corrida nas cidades do interior do estado resolveu mudar o rumo dos treinos e aliar a atividade física com a fé que possui em ‘Padim Ciço’.

Segundo o deputado, o percurso vem sendo feito ao lado de seus velhos amigos e já dura sete dias. Ao todo serão 18 dias de caminhada a pé, cruzando 19 cidades, 2 Estados e mais de 500 km.

Além de celebrar o seu aniversário, no último dia 12 de janeiro andando a pé pelas estradas e ruas dos municípios, a peregrinação, segundo ele, também é uma forma de dialogar com a população desses locais.

O parlamentar ainda reforça que o movimento se concretiza dentro de um anseio espiritual. “Em penitência e ação de graças a todas as bençãos recebidas. Saímos do Santuário de Padre Ibiapina, localizado entre Solânea e Arara. Rogo a Deus que nos abençoe e nos dê forças em todo caminho. Levo comigo as preces e as intercessões de cada um de vocês”, comentou.

Acompanhe a jornada do peregrino no seu perfil no instagram.

 

 

clickpb

 

 

Citado em delação na Operação Calvário, deputado nega acusações

A Operação Calvário continua causando polêmicas na Paraíba. Novas delações vêm chamando atenção dos paraibanos e da classe política.

Ao Ministério Público, a ex-secretária de finanças de João Pessoa e ex-secretária de Administração do Estado, Livânia Farias, presa em um das fases da Calvário, revelou compra a de apoio políticos nas eleições de 2014.

Segundo ela, um grupo de políticos do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) pediu a quantia de R$ 8 milhões para dar apoio ao ex-governador do Estado, Ricardo Coutinho, na candidatura à reeleição

Conforme a ex-secretária, estavam presentes na reunião os filiados Manoel Júnior, Trócolli, Júnior, Nabor Wanderley, Raniery Paulino e Hugo Motta.

Em trecho, ela explica o teor da reunião.

– Quando foi decidido quem ia ficar ao lado do governador para a releeição, o MDB tinha decidido, às 2 horas da manhã, que fiaria como vice. E nesse momento o partido, Manoel Júnior, Trocolli, Nabor, Hugo Motta, Raniery Paulino, essas pessoas só aceitaram Vitalzinho como vice se fizéssemos um repasse de oito milhões de reais. Só não ia receber desse montante Vitalzinho, que ia ser vice, e Veneziano. Ricardo passou mal, precisou se recolher e eles queriam que eu desse a minha palavra que teriam esse dinheiro, mas só havia 500 mil – explicou.

Citado na delação, o deputado Raniery Paulino (MDB) se defendeu das acusações.

Em entrevista ele alegou que nunca esteve com Livânia e que pode ter sido alvo de vingança por parte da secretária.

– Reforço minha crença no Gaeco. Nunca tive tratativa ou conversa com Livânia Farias. Posso ter cumprimentado em algum evento, mas nunca sentei para conversar com ela. Eu gostaria de pedir as imagens da granja Santana para saber quem saiu e quem entrou lá no dia que ela disse que estive lá. Em nenhum momento da minha vida estive com ela tratando sobre esse assunto. O único momento que tive foi quando solicitei que ela fizesse esclarecimentos na Assembleia. Talvez ela tenha ficado chateada e quis se vingar – frisou.

 

paraibaonline

 

 

Deputado do PSL diz que filho do presidente Jair Bolsonaro é uma fraude e o outro é vaidoso

O deputado federal do PSL Julian Lemos classificou como uma “fraude” o senador Flávio Bolsonaro (PSL), filho do presidente Jair Bolsonaro, sem partido, e chamou o outro de vaidoso. Desde o começo do mandato, que a relação do deputado paraibano com o presidente da República tem sido marcada por conflitos.

Considerado o braço direito de Bolsonaro no Nordeste, o paraibano vem se queixando do presidente, principalmente por causa dos ataques cibernéticos que sofreu dos filhos de Jair.
Em entrevista, ele comentou os conflitos, alegando que considera Bolsonaro um pai, mas que foi ‘escanteado’ pelos filhos do presidente.

– A minha relação com Bolsonaro era quase de pai e filho. O respeito que tenho por ele é diferente. Jair me fez, me treinou, me doutrinou para que eu fosse deputado e os filhos depois interferiram, inviabilizaram porque não queriam meu protagonismo. Chegamos ao nível de ele não querer tirar uma foto comigo pra não ficar mal com os filhos – contou.

Em mais uma declaração polêmica, Lemos criticou a postura do filho do presidente nas redes sociais.
– Carlos Bolsonaro é uma fraude. Não resolvo minhas coisas por twitter, sou cabra macho e tive a coragem de trazer ele pra o lugar dele que é de poodle e não de pitbull – frisou.
As críticas também foram dirigidas aos irmãos de Carlos.

– Um é vaidoso demais, o outro não diz coisa com coisa e eu quero que justiça seja feita. Sou grato ao presidente, mas não irei tolerar violência dos filhos. Se me der uma pancada eu dou uma maior – pontuou.

PB Agora

 

 

Carlos Bolsonaro volta às redes sociais e posta vídeo mirando artilharia contra deputado federal Julian Lemos

O vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, voltou às redes sociais neste domingo (29), mirando artilharia pesada contra o deputado federal paraibano Julian Lemos (PSL). Em publicação nos stories, o parlamentar posta o link de um vídeo em que Julian estaria sendo contra os paraibanos que o elegeram.

No vídeo Julian diz que é um deputado que não ficará só em twitter e não lamberá botas de ninguém e que não faz rachadinha.

EM TEMPO

Nas redes sociais, Julian reage à publicação e trata Carlos Bolsonaro como um ‘maluco’ com a seguinte postagem:

A quem trate esse maluco como “pitt bull”, mas na realidade é apenas um poodle, claro sem insultar o podre cãozinho.
Eu que sei, um maluco cheio de fantasmas na sua cabeça, alguém que não consegue ter vida social, só dorme no remédio controlado, não consegue ver alguem que não consegue baixar a cabeça pra ele, só tem essa marra nas redes sociais, devia ter feito isso lá dentro da Globo News, mas cadê ?
Pois é, esse Paraíba aqui não vai baixar “Carluxa” Seus dias de perversidade e covardia vai ter oposição, você pode bancar o fodão para muita gente, pra mim não, esse ano o lugar do debate vai ser no microfone da Câmara dos Deputados, o remédio de um doido é outro na porta.
Esse aí é o grande influenciador do líder do nosso país, apenas um desequilibrado.

ASSISTA

PB Agora

 

 

Deputado da PB reage a MP de Bolsonaro que altera escolha de reitores: “Desgoverno que desconstrói o que dava certo”

Em pleno recesso parlamentar, enquanto a população brasileira se preparava para celebrar a véspera de Natal, no último dia 24 de dezembro, o presidente Jair Bolsonaro editou uma Medida Provisória que, segundo o deputado estadual paraibano Jeová Campos, significa uma afronta gravíssima à autonomia das Universidades. Com a MP 914 o governo altera as regras para nomear reitores em universidades federais, impondo uma nova fórmula: o voto dos professores terá um peso de 70% nas eleições, e os funcionários e alunos terão peso de 15% cada, formando uma lista tríplice que irá a julgamento do presidente, podendo este ignorar o nome vencedor da lista apresentada pelas instituições. Para o deputado estadual Jeová Campos, que é professor universitário licenciado, a MP é absurda, autoritária e sem nenhuma argumentação que valide a relevância de tão profundas alterações.

“Bolsonaro é o desgoverno que veio para descontruir o vinha dando certo no país. As universidades têm uma dinâmica própria em função do princípio da autonomia e essa prática permite que as universidades passem a receber não só a gestão financeira e orçamentária, mas definir sua política acadêmica, política e didática. Tudo isso como consequência do princípio da autonomia. Se o governo desconstruir isso, vai extinguir as universidades e só os filhos dos ricos poderão estudar. Índios, quilombolas, negros e pobres ficarão de fora. Já basta o corte no orçamento e agora violar um bem indisponível que é o princípio da autonomia. Isso é um absurdo!”, protestou Jeová.
Embora a escolha do reitor seja uma prerrogativa do presidente, a nomeação de um candidato menos votado rompe uma tradição, desrespeitando a vontade da comunidade acadêmica, bem como anula a prerrogativa dos Conselhos Universitários e favorece a participação de candidatos avulsos que mesmo com votação inexpressiva podem ser escolhidos pelo presidente.

O fato, inclusive, já aconteceu em algumas universidades do país em que Bolsonaro ignorou a escolha das instituições por reitores não compartilhavam as mesmas ideias do governo e não estavam dispostos a aplicar o Future-se. “Bolsonaro está impondo limites à autonomia universitária”, lamentou Jeová, frisando que a MP formaliza ainda mais essa postura autoritária.

O parlamentar – que é professor de Direito licenciado da Universidade Federal de Campina Grande – UFCG – destacou também que a MP foi apresentada de forma inesperada, durante o recesso parlamentar, sem discussão alguma e, principalmente, sem argumentação que convença a sociedade de sua necessidade. “Por essas e outras, como a quebra da soberania, as leis contra o povo, a reforma da previdência, do SUS que se aproxima… É preciso se levantar um movimento ‘Fora Bolsonaro’. Ou a gente se coloca contra a política dele e Paulo Guedes ou a conta vai ficar só de um lado, ou seja, dos pobres”, alertou o parlamentar paraibano.

 

pbagora

 

 

Agentes federais apreendem R$ 37 mil em apartamento do deputado Wilson Santiago

Os agentes federais cumpriram três mandados de busca e apreensão em imóveis do deputado federal Wilson Santiago (PTB), em João Pessoa e em Brasília (DF). Aqui, na Capital, os policiais apreenderam na residência do parlamentar a quantia de R$ 37 mil reais.

No seu gabinete na Câmara dos Deputados e em outra residência, no Distro Federal, foram recolhidos um computador e vários documentos que serão analisados pela perícia técnica. A Polícia Federal chegou a pedir a prisão de Wilson Santiago, o que foi negado pelo ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinou apenas o seu afastamento do cargo.

No apartamento do deputado, que fica em um condomínio na cidade de João Pessoa, os policiais federais passaram quase quatro horas analisando e recolhendo documentos.

paraiba.com.br

 

 

Prefeito é preso e deputado é alvo de buscas durante operação da PF neste sábado

Na manhã deste sábado (21), a Polícia Federal foi às ruas em mais uma operação, a segunda realizada esta semana. Os agentes, segundo informações, cumpriram mandados de prisão e de busca e apreensão determinados pelo Supremo Tribunal Federal (STF), através de decisão do Ministro Celso de Mello.

O prefeito do município de Uiraúna, João Bosco Nonato Fernandes, do PSDB, foi alvo de mandado de prisão. O gestor foi condenado pelo Tribunal de Justiça da Paraíba, neste ano, por improbidade administrativa. Ainda de acordo com informações, endereços de um deputado federal também foram alvos de busca e apreensão.

A Operação Pés de Barro foi realizada com o intuito de dar sequência às investigações relacionadas a possibilidade de desvio de recursos públicos por meio de contratos com recursos federais.

Os agentes da Polícia Federal devem cumprir quatro mandados de prisão, 7 de afastamentos de função e 13 mandados de busca e apreensão nas cidades de João Pessoa-PB, Brasília-DF, Uiraúna-PB e São João do Rio do Peixe-PB. A PF não revelou os nomes dos investigados presos e nem daqueles que serão afastados de suas funções.

Investigações apontam que aproximadamente R$ 1.266.050,67 teriam sido pagos em distribuição de propina. Ainda segundo a determinação do STF, os investigados podem responder pelos crimes de peculato, lavagem de dinheiro, fraude licitatória e formação de organização criminosa

OPERAÇÃO PÉS DE BARRO

A Polícia Federal investiga a possível existência de uma organização criminosa dedicada à realização de pagamentos ilícitos e superfaturamentos de obras no Sertão da Paraíba. 80 agentes participam da operação.

 

 

PB Agora

 

 

Deputado alerta governador e secretário sobre empresa envolvida na máfia das organizações de Saúde que venceu licitação para assumir o Trauma-JP

O deputado estadual Tião Gomes (Avante) recebeu um dossiê contendo provas inquestionáveis relacionadas a nova Organização de Saúde que deverá gerir o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. As informações apontam que a OS faz parte de uma grande máfia de organizações de Saúde que atuam no Brasil.

O documento, que foi entregue ao deputado por um profissional da área que atuou na OS mostra inúmeras irregularidades da empresa Santa Casa de Birigui, a mesma que venceu a licitação para gerir o Trauma-JP, conforme anunciou o secretário de saúde do estado, Geraldo Medeiros.

“A Paraíba recentemente viveu um escândalo de grandes proporções por não ter analisado a vida pregressa da então Cruz Vermelha. Na época, o ex-governador Ricardo Coutinho disse que a Cruz Vermelha seria internacional e idônea. Enganaram Ricardo, mas João eu não vou deixar enganar”, disse o parlamentar em tom de preocupação.

Tião Gomes fez um alerta ao governador João Azêvedo para que no futuro a Saúde da Paraíba não ocupe as páginas policiais do noticiário nacional mais uma vez.

“Basta apenas o secretário Geraldo Medeiros acessar o google e ver notícias como as que li no dossiê entregue a mim sobre essa não muito santa casa de misericórdia de Birigui, acusada de ter os mesmos modus operandi da antiga gestora do Trauma de João Pessoa, a Cruz Vermelha, como por exemplo, dar mimos milionários a alguns dos seus contratantes. Essa empresa está sendo alvo de uma CPI na maior Assembleia Legislativa do Brasil que é a do Estado de São Paulo.Estou inclusive, à disposição do governador e do secretário de saúde para disponibilizar uma cópia do dossiê que a mim foi entregue. Como deputado da base, não, posso me calar e deixar que o meu Governador João Azevedo e o secretário Geraldo Medeiros sejam enganados ou tomem qualquer decisão antes de ler o que tenho em mãos”, finalizou o deputado Tião Gomes.

 

Assessoria

 

 

‘Não vejo a hora do Lula morrer’, diz deputado do PSL

O deputado federal Coronel Tadeu (PSL-SP) afirmou neste sábado que não vê a hora “do Lula morrer”. A frase foi publicada em seu perfil no Twitter durante a tarde, poucas horas depois de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fazer um discurso em tom crítico ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo.

“Não vejo a hora do Lula morrer”, escreveu o deputado na rede social. “Não é discurso de ódio e sim de paz. O histórico desse sujeito não deixa saudades, mas um exemplo para essa nação acordar dos males que sofreu.”

Tuíte do deputado Coronel Tadeu

 (Twitter/Reprodução)

No Twitter, Coronel Tadeu protestou diversas vezes contra a saída de Lula da prisão. O ex-presidente deixou a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba nesta sexta-feira, menos de 24 horas depois de o Supremo Tribunal Federal (STF) barrar prisões após condenação em segunda instância.

Neste sábado, o petista chegou a São Paulo e se encaminhou para São Bernardo do Campo, no Grande ABC, onde fez um discurso para a militância. Lula afirmou que Bolsonaro não foi eleito para “governar para milicianos do Rio de Janeiro” e chamou o ministro da Justiça Sergio Moro de “canalha”.

 

O GLobo