Arquivo da tag: definir

Manoel Jr cotado para assumir o Ministério da Saúde; reunião da bancada deve definir

manoel-juniorA bancada do PMDB na Câmara dos Deputados está reunida, em Brasília, desde o final da tarde desta terça-feira (22), para definir os nomes que serão levados pelo líder do partido, Leonardo Picciani (RJ), à presidente Dilma Rousseff (PT), para serem escolhidos para integrar a nova configuração do governo. De acordo com o Jornal O GLOBO, os nomes levantados pela bancada são dos deputados Manoel Junior (PMDB-PB) e Marcelo Castro (PMDB-PI). O paraibano, inclusive, pode assumir o Ministério da Saúde.

— Ficou sinalizado que um dos ministérios seria o da Saúde e que o outro seria algo na área de infraestrutura. A presidente demonstrou ter predileção por deputados do PMDB, então vamos definir nessa reunião da bancada agora à tarde para levar esses nomes. Existe um desejo de participar e ser ouvido nesse processo. A presidente foi expressa ao dizer que a partir de agora haverá a mesma correlação de forças para as bancadas da Câmara e do Senado — afirmou Picciani.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Segundo o deputado, foi dito à presidente que o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, não é indicação da bancada, apesar do grupo “ter apreço” por ele. O nome do ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha, também não está sendo cogitado pelos deputados do PMDB para representar a bancada.

Ontem, em reunião com Picciani e com o vice-presidente Michel Temer, Dilma pediu que o deputado apresentasse dois nomes para compor o governo no âmbito da reforma administrativa que será concluída em breve.

A presidente, no entanto, não especificou quais seriam os ministérios oferecidos à bancada peemedebista. Na ocasião, Dilma quis apenas assegurar que o PMDB da Câmara teria interesse em fazer indicações para a Esplanada e, assim, garantir seu apoio ao governo. Picciani irá se reunir com a presidente até o final do dia para levar as indicações e a expectativa é que Dilma dê mais detalhes sobre o espaço que será ocupado.

Até o momento, os nomes levantados pela bancada são os dos deputados Manoel Junior (PMDB-PB) e Marcelo Castro (PMDB-PI). Os critérios para escolha dos dois deputados se basearam no fato de ambos terem afinidade com a área de Saúde por serem médicos e também por votarem com o governo, ao contrário de outros médicos na bancada que fazem oposição sistemática ao governo, como o deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS). Outros nomes cotados são José Priante (PMDB-PA) e Leonardo Quintão (PMDB-MG).

Deputados do partido dizem que a reforma agora tem que ser definitiva. Caso a presidente não ofereça um espaço significativo para o PMDB, isso significará um rompimento com o governo.

— Se a gente não participar do governo agora com essa reforma, é um rompimento automático. O problema é grave. Se somos aliados, temos que participar de coisas importantes. Não adianta querer dar qualquer ministério — afirma um peemedebista.

PADILHA DIZ QUE INDICAÇÃO PRESSUPÕE APOIO À DILMA
Após descartar a hipótese de o PMDB vir a assumir o Ministério da Saúde, o ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha, disse que, se a bancada do partido na Câmara aceitou o convite da presidente Dilma Rousseff para discutir cargos na Esplanada, o natural é que se comprometa a votar os projetos de interesse do governo.

— Neste caso, (a sugestão de nomes para o ministério) está sendo indicada pela bancada inteira e, presumo que a bancada, vai ter compromisso absoluto com as posições do governo dentro da Câmara —disse Padilha.

A bancada do PMDB na Câmara tem votado sistematicamente dividida, apesar de ser o principal aliado da presidente. Houve somente uma melhora nas votações durante o primeiro pacote de ajuste fiscal, que cortou benefícios previdenciários e trabalhistas, quando o vice Michel Temer e Padilha estiveram à frente da articulação política do governo.

Sobre a reforma ocorrer em meio à discussão do pacote de ajuste que prevê aumento de impostos e à votação de vetos, entre eles, o do reajuste do Judiciário, Padilha disse que muitos integrantes do governo na mira do corte estão descontentes e que o ideal para o governo é minimizar os danos com os aliados.

— (Che) Guevara tinha uma expressão que o poder, ninguém entrega olimpicamente. Se tivermos que extinguir ministérios, e esta é a proposta, há pessoas que estão desconfortadas. A sabedoria do governo agora é fazer que este desconforto seja o menor possível e que isso não venha a ter influencia nas votações — afirmou.

Com O Globo

Dilma espera LDO para definir futuro de paraibanos em ministérios

ricardo e dilmaA presidente Dilma Rousseff (PT) somente iniciará a reforma ministerial de seu segundo mandato depois que houver a votação das Leis de Diretrizes Orçamentárias 2015 pelo Congresso Nacional. O recado foi dado aos partidos aliados, conforme coluna de Ilimar Franco, em O Globo. Assim, três paraibanos cotados para assumirem ministérios terão que esperar pela apreciação da LDO: o senador Vital do Rêgo Filho (PMDB), o deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP) e o secretário estadual de Cultura Chico César.

O cantor e compositor Chico César foi cotado para assumir o comando do MinC. Atualmente, ele ocupa o cargo de secretário estadual de Cultural, na equipe do governador Ricardo Coutinho (PSB). Antes, ele ocupou o cargo de diretor da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope). A ala petista que defende o nome de Chico César é a mesma que defendeu o nome da ex-ministra Ana de Hollanda.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Outro que também terá de esperar pela votação da LDO é o deputado federal Aguinaldo Ribeiro, que já foi ministro das Cidades no primeiro mandato de Dilma Rousseff e, após garantir sua reeleição, pode voltar ao comando do ministério neste segundo mandato.

Candidato derrotado nas eleições para governador da Paraíba, o senador Vital do Rêgo Filho (PMDB) foi inicialmente cotado para assumir o Ministério das Minas e Energia. Depois, formou-se um lobby do PMDB para que ele assuma a função vitalícia de ministro do Tribunal de Contas da União (TCU). O cargo, porém, deve ficar com o próprio PT.

Outros dois paraibanos já tiveram os nomes ventilados para assumir ministérios neste segundo mandato da petista Dilma Rousseff. Há especulações em torno dos nomes do senador Vital do Rêgo Filho (PMDB) para o Ministério das Minas e Energia, e do deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP) para o Ministério das Cidades.

Os próprios dirigentes petistas estariam insistindo, junto aos conselheiros da presidente Dilma, que a reforma ministerial precisa ser feita logo. Uma ala do partido acredita que a nomeação dos ministros poderia dividir o noticiário com a Operação Lava-Jato, essencialmente negativo.

A reforma deverá ter início com a mudança do ministro da Fazenda, mas a mudança completa vai demorar um pouco mais. Integrantes da equipe de transição preveem que a reforma será feita em três fases: a da Fazenda, depois as estratégicas (Saúde, Educação, Cidades, Transportes) e, por fim, as pastas da área social e as demais, como o MinC e o TCU.

Jãmarrí Nogueira – MaisPB

PMDB realiza reunião nesta segunda-feira para definir rumos do partido

PMDBOs 21 integrantes da Executiva Estadual do PMDB vão se reunir nesta segunda-feira (17), às 9h, na sede do Diretório Estadual, em João Pessoa, para avaliar o processo eleitoral de outubro na Paraíba e a nível nacional, analisar o resultado das urnas e debater os novos rumos do Partido. A preservação da unidade partidária será o ponto fundamental da reunião, segundo o presidente da agremiação, senador eleito José Maranhão.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Além do presidente, foram convidados e deverão participar do encontro o 1º vice-presidente, Roberto Paulino; o 2º vice-presidente, Manoel Júnior; o 3º vice-presidente, Gervásio Maia; o secretário-geral, Veneziano Vital do Rêgo; o secretário adjunto e líder do PMDB na Assembléia Legislativa, Raniery Paulino; o tesoureiro Antonio Souza da Silva; os vogais Vital do Rêgo Filho, Nilda Gondim e Hugo Motta; os suplentes da Comissão Executiva Olenka Maranhão, Nabor Wanderley, Márcio Roberto e Ivaldo Medeiros; os membros do Conselho Fiscal Neuza Costa, Severino Fernandes de Lima e Antonio Gualberto Viana Chianca; e os suplentes do Conselho Fiscal José Roberto Dantas, Ana Paula Cavalcanti Ranalho e Josenete Dantas.

Além de avaliar o quadro das eleições estadual e nacional, e de discutir os rumos do partido a partir de agora, a Executiva do PMDB paraibano deverá abordar, também, a questão das dissidências internas. Sobre o assunto, já há um ponto pacífico, segundo o presidente José Maranhão: “O PMDB não vai hostilizar aqueles companheiros que porventura não tenham apoiado a candidatura do Partido”.

 

Assessoria

‘Votos em Vital e votos brancos, nulos e abstenções serão decisivos para definir segundo turno na Paraíba’, afirma cientista político

jose-henrique-artigasPara o cientista político José Artigas, dois aspectos podem influenciar definitivamente a possibilidade de um segundo turno nas eleições deste ano na Paraíba.

“O primeiro deles é a votação de Vital do Rêgo Filho (PMDB), especialmente em Campina Grande. Lá ele vem demonstrando uma intenção de votos pequena, mas nós sabemos que sua família é muito forte na cidade, e pode diminuir a votação de Cássio Cunha Lima (PSDB) na cidade. Este fator pode embolar ainda mais as candidaturas de Ricardo e Cássio”, declarou.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O outro fator são os votos brancos, nulos e as abstenções. “O que vale nas eleições são os votos válidos. Quanto mais votos brancos, nulos e abstenções, maior a tendência de distanciamento entre o primeiro e o segundo colocados. Isso pode gerar uma grande alteração do cômputo geral das eleições”, afirmou.

Ele lembrou que o número de abstenções nas últimas eleições foi de 20%. “Um em cada cinco eleitores não foram votar nas últimas eleições. Isso é um reflexo de um desencantamento das pessoas com o sistema político. Esse número vem crescendo nos últimos 12 anos”, explicou.

Ele espera que as pessoas pensem bem se querem realmente se abster de participar do processo eleitoral. “Esperamos que a população reflita muito bem sobre seu voto e participe. Quem deixa de votar abre caminho para que outros decidam por ele, e abre mão da legitimidade de cobrança. Quem vota tem direito de cobrar os candidatos, quem não vota não tem”, concluiu.

João Thiago

TRE tem até o dia 12 de agosto para definir ordem de veiculação do guia eleitoral

guiaeleitoralOs candidatos já estão liberados para fazer campanha nas ruas e na internet, mas o guia eleitoral só começará a partir do dia 19 de agosto.

De acordo com o calendário eleitoral, os Tribunais Regionais Eleitorais têm até o dia 12 de agosto para realizarem o sorteio para a escolha da ordem de veiculação da propaganda de cada partido político ou coligação no primeiro dia do horário eleitoral gratuito.

A divisão do tempo de guia eleitoral obedece a dois critérios: 1/3 igualitariamente entre todos os partidos e coligações e 2/3 proporcionalmente ao número de representantes na Câmara dos Deputados, considerando, no caso de coligação, o resultado da soma do número2/3 de representantes de todos os partidos políticos que a integram.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Na Paraíba, o candidato a governador Cássio Cunha Lima (PSDB) deve ficar com o maior tempo de guia eleitoral. A coligação ‘A vontade do povo’, encabeçada por ele, conta com 14 partidos.

O governador Ricardo Coutinho (PSB), candidato a reeleição pela coligação ‘A força do trabalho’ deve ficar com o segundo maior tempo de TV, se conseguir manter o PT em sua coligação.

Candidato a governador pela coligação ‘Renovação de Verdade, o senador Vital do Rêgo (PMDB) espera obter êxito na Justiça Eleitoral para atrair o PT para sua base.

O PROS, do candidato Major Fábio, o PSOL, do candidato Tárcio Teixeira, e o PSTU, do candidato  Antônio Radical, não se coligaram com nenhum partido.

 

Blogdogordinho

Partidos têm menos de um mês para definir candidatos à eleição de 2014

partidosOs partidos políticos têm menos de um mês para realizarem as convenções internas, destinadas a escolher os candidatos e as coligações que vão disputar as eleições de outubro. De acordo com a Lei das Eleições (9.504/97), as legendas têm de 10 de junho a 30 de junho para oficializar os nomes dos candidatos que vão disputar cargos eletivos para presidente e vice-presidente da República; governador e vice-governador; senador e deputado federal, além de deputados estaduais – ou distritais, no caso do Distrito Federal. O primeiro turno será no dia 5 de outubro.

Após escolhidos nas convenções partidárias, o candidatos poderão entrar na Justiça Eleitoral com pedidos de direito de resposta contra declarações consideradas por eles como ofensivas por parte dos adversários da disputa eleitoral (candidatos, partidos e coligações). Após a declarações, a parte ofendida terá 48 horas para protocolar o recurso se a ofensa ocorrer na programação de rádio e TV e 72 horas, no caso de imprensa escrita.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

No dia 5 de junho, a Justiça Eleitoral deverá divulgar aos partidos políticos uma lista dos filiados devedores  de multa eleitoral. As informações serão usadas para emissão da certidões de quitação eleitoral, um dos documentos indispensáveis para obtenção do registro para concorrer às eleições.

A partir do dia 10 de junho, emissoras de rádio e tv, por serem concessões públicas, estão proibidas de transmitir programa apresentado ou que tenha participação de candidato escolhido em convenção. A partir da mesma data, os partidos deverão fixar o limite de gastos da campanha e comunicá-lo à Justiça Eleitoral no período de registro do candidatos, que vai até 5 de julho.

A propaganda eleitoral, nas ruas e na internet, será liberada no dia 6 de julho e a campanha, no rádio e na televisão, começará no dia 19 de agosto.

Agência Brasil

Hervázio teme que ALPB não permita entrada de populares em audiência que vai definir elegibilidade do governador

hervazio bezerraO líder do Governo na Assembleia Legislativa da Paraíba, deputado Hervázio Bezerra (PSB) disse, nesta terça-feira (13), que está preocupado com o possível impedimento da entrada de populares na audiência pública, agendada para amanhã, quarta-feira (14), para discutir a prestação de contas da gestão Ricardo Coutinho referentes ao exercício 2011.

“A minha preocupação é clara, já tivemos um ensaio de uma audiência pública na semana passada, quando o secretário de saúde foi convocado para prestar esclarecimentos e a população foi impedida de entrar devido à reforma na Casa, então a minha preocupação vai ser tão somente essa, se a Assembleia vai novamente impedir a entrada da população”, disse.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O líder do governo disse ainda que considera estranha essa audiência, já que, para ele, é um fato inédito na Assembleia Legislativa. O parlamentar considera perseguição o ato por parte de alguns dos deputados para tentar provocar a inelegibilidade do governador, visto que, com as contas reprovadas, o socialista ficaria impedido de disputar a reeleição.

“Nós tentamos incansavelmente que essa matéria fosse apreciada o ano passado, mas a Assembleia postergou o quanto pode, resta saber agora qual o encaminhamento que o presidente da Comissão de Orçamento, Raniery Paulino, vai dar e saber se ele vai cercear o direito da população de participar dessa audiência também”, disse.


PB Agora

DEMARCANDO PODER: Dilma se reúne com Michel Temer na segunda para definir espaços do PMDB na reforma ministerial

dilma-vital regoOs espaços do PMDB na reforma ministerial iniciada pela presidente Dilma Rousseff (PT), serão demarcados na próxima segunda-feira (03), em reunião da petista com o com o vice-presidente da República Michel Temer para tratar do assunto.

De acordo com a edição da Folha de São Paulo deste sábado (01) a presidente Dilma Rousseff (PT) marcou a reunião devido a insistência do vice presidente que tem recebido queixas de peemedebistas pela demora da presidente em definir o espaço da legenda na nova configuração da Esplanada. Um dos nomes cotados para assumir um ministério na reforma de Dilma, é o senador paraibano Vital do Rêgo (PMDB-PB).

Segundo matéria publicada no Uol e no Jornal o Globo, o senador Vital do Rêgo tem o apoio irrestrito da bancada do partido no Senado e na Câmara para assumir uma ministério no governo da presidente Dilma.

Segundo o líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), esteve na última quinta-feira (30) com a presidente por cerca de duas horas, Vital tem total apoio das bancadas. “A presidente não definiu ainda a reforma, mas o senador Vital tem o apoio irrestrito da bancada do partido no Senado e na Câmara e temos grandes expectativas em relação ao seu nome. O PMDB é um partido importante na base e a bancada no Senado tem reivindicado mais espaço no governo. A presidente está conversando com o PMDB e em breve se manifestará”, afirmou.

Encontram-se ainda sobre o balcão as pastas da Ciência e Tecnologia e dos Portos. Na conta do PMDB, o PT controla 17 dos 39 ministérios de Dilma. Cedendo uma poltrona, facilitaria a vida da presidente. Ainda está no arco de possibilidades do senador Vital a pasta da Integração Nacional, do Turismo, da Secretaria dos Portos e da Comunicação.

PBAgora

Após defender aliança entre PMDB e PSDB, deputado diz que pesquisa deve definir quem seria o candidato

trocolli_serioApós afirmar que a aliança entre o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) e o governador Ricardo Coutinho (PSB) não existiria mais, o deputado Trócolli Junior, que segundo Cássio, seria o “embaixador do diálogo” entre o PMDB e o PSDB, defende abertamente a união entre os dois partidos.

Trócolli disse que seus argumentos já ganham apoio dentro do PMDB, mesmo candidato próprio na majoritária.

“Vários companheiros de partido aceitam essa composição e esse entendimento. Lógico que não é unanimidade, mas nós vamos trabalhar para que possamos ter unanimidade para a vitória em outubro”, disse o deputado.

O deputado afirmou que o PMDB segue aberto ao diálogo não só com Cássio, mas também com o ‘blocão’.

Sobre uma eventual chapa com Cássio, Trócolli disse que o PMDB tem as vagas de vice-governador e a de senador da república, porém, acredita que pesquisas devem ser feitas para definir o nome na majoritária. “Havendo essa pesquisa, quem estiver melhor vai para a cabeça de chapa e os demais ocupam os demais cargos”, afirmou.

PB Agora

MP vai definir estratégia de acompanhamento e fiscalização de concursos públicos

O Ministério Público vai reunir no inicio do mês de julho cerca de 40 promotores de Justiça de várias Comarcas do Estado, com o objetivo de traçar uma estratégia para acompanhar e fiscalizar a realização de concursos públicos promovidas pelas prefeituras no interior do Estado.

A informação é do procurador Geral de Justiça do Ministério Público do estado, Osvaldo Trigueiro do vale, adiantando que depois da Operação Gabarito, que desarticulou um esquema que fraudava concursos públicos, que eram direcionados a permitir a aprovação de determinados candidatos apontados pelas prefeituras patrocinadoras do concurso.

O procurador disse que o encontro vai ter a participação do Tribunal de Contas do Estado e anunciou que nos próximos dias deve se reunir com o presidente do TCE, conselheiro Fernando Catão, para definir a pauta e duração do encontro, data e local.

Ele lembrou que a Operação Gabarito investigou o envolvimento da empresa Meta com os concursos fraudulentos, descobriu que desde 2009, foram realizados cerca de 196 concursos com “cartas marcadas” e por isso a recomendação do Ministério Público é para que as Prefeituras suspendam concursos marcados ou já em andamento.

O procurador advertiu que todos os concursos realizados em base falsa e onde se tenha constatado fraude, o Ministério Público vai pedir a anulação.

Jonas Batista