Arquivo da tag: de

De uma canetada só: Prefeito Luciano Cartaxo demite três auxiliares das áreas de Esporte e Saúde

O prefeito Luciano cartaxo demitiu  de uma só vez três auxiliares na noite desta quinta-feira. Foram demitidos  a  secretaria adjunta da saúde, a Diretora do Trauminha  e o secretário de Esportes.

No caso do secretário de Esportes, a demissão foi devido  ao mais  vexatório espetáculo no futebol paraibano com o cancelamento do jogo entre Treze e Santa Cruz, válido pelo Campeonato Paraibano de Futebol, por falta de delimitações precisas no gramado. Depois de esperar por mais de 1 hora, o juiz da partida cancelou o jogo, já que o gramado lembrava um campo de golf, sem marcação alguma.

O arbitro João Bosco Sátiro ainda deu um prazo de 30 minutos para que as linhas fossem pintadas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Padrão Fifa

Cartaxo demitiu Secretário de Esporte, leia nota;

Em face do lamentável episódio ocorrido na noite desta quinta-feira (5) no estádio da Graça, provocando o cancelamento da partida entre Santa Cruz x Treze pelo Campeonato Paraibano, o prefeito Luciano Cartaxo decidiu que estão exonerados dos seus cargos o titular da Secretaria de Juventude, Esporte e Recreação (Sejer), Sérgio de Morais Meira, como também o diretor do estádio Leonardo Vinagre da Silveira.

Em face das demissões na área de saúde, os motivos ainda não foram divulgados.

Paraiba.com com ClickPB

Depois de ter pré-candidatura ao governo ‘rifada’ pelo PT, Nadja se inscreve para concorrer à Câmara Federal

nadja-palitotDepois de ter tido sua pré-candidatura ao governo do estado ‘rifada’ pelo PT, a ex-deputada estadual Nadja Palitot realizou no final da manhã desta sexta-feira (30), a sua pré-inscrição para disputar uma vaga na Câmara Federal. Nadja atende um pedido do partido, do prefeito Luciano Cartaxo, e da presidenta Dilma Rousseff, colocando o seu nome à disposição para compor o quadro de deputados federais da Paraíba.

“Sempre confiei nas determinações do meu partido, e também estarei atendendo um chamado das pessoas que, diversas vezes, manifestaram o desejo que eu participasse das eleições deste ano”, explicou.

A petista ressaltou que entra mais uma vez para somar o projeto do Partido dos Trabalhadores e caminhará junto para que a legenda eleja o seu primeiro senador, o companheiro Lucélio Cartaxo, que possui uma história na militância partidária e social na Paraíba.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Quero que João Pessoa continue crescendo, uma Paraíba melhor, sem perseguição, com menos violência, e com mais humanidade, e que o Brasil permaneça no caminho certo”, destacou a petistas, que finalizou dizendo que, assim como os seus companheiros, estará apoiando a aliança entre o PT e o PMDB.

Blog do Gordinho com assessoria

De vendedor de banana a Juiz de direito: Filho de paraibana é destaque em tribunal no DF

juiz edilsonFilho de paraibana com pai potiguar o juiz Edilson Enedino das Chagas, 44 anos, é destaque como titular da Vara de Falências, Recuperações Judiciais, Insolvência Civil e Litígios Empresariais do Distrito Federal.

Com uma equipe formada por doze servidores e dois estagiários, Edilson realiza um trabalho com todo o compromisso com a atividade jurisdicional e de uma singular competência que o credencia como professor de Direito Empresarial.

O Juiz Edilson nasceu em Brasília e um dia vendeu bananas. Ele tornou-se a motivação para os servidores que, com frequência, recebem elogios de jurisdicionados pelo diligente trabalho que executam.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Edilson teve, na invasão do Paranoá, sua primeira residência. Graças a um programa habitacional da extinta SHIS, a família conseguiu uma casa” zero quarto” no Gama. Aos dois anos, perdeu o pai, seu Pedro, que trabalhava como tratorista do GDF. A partir daí, a dona de casa Marlene passa a travar uma tremenda luta pela subsistência – sua e dos cinco filhos. Ao relatar esses tempos, o juiz Edilson pondera que, se não fosse a família unida, a igreja, a casa, a escola e o hospital públicos e também um programa alimentar do governo federal (LBA), talvez nem tivessem sobrevivido.

Era preciso ajudar a buscar o sustento e, aos oito anos, Edilson começa a fazer sua parte vendendo bananas. Aos nove, passa a vender picolés e, aos dez, torna-se jornaleiro. Aos doze anos, vai trabalhar como flanelinha e, aos catorze, como auxiliar gráfico. A diligência leva-o, aos quinze anos, a tornar-se auxiliar de mecânica, mas permanece, como já fazia antes, realizando qualquer trabalho braçal que consegue, sobretudo como ajudante de obra. Até então, poucos poderiam prever que o adolescente laborioso seria, um dia, o primeiro colocado no concurso de 1998 para Juiz de Direito – aliás, o primeiro morador do Gama a alcançar o feito.

Aos 17 anos, Edilson termina o 2º Grau em uma escola pública noturna e, no ano seguinte, realiza o curso de formação de fuzileiro naval da Marinha do Brasil. Em 1989, é aprovado e formado policial militar do DF e, dois anos depois, toma posse no Tribunal Superior do Trabalho, no cargo de Auxiliar Operacional de Serviços Diversos. Foi entre os anos de 1991 e 1994 que uma brilhante carreira jurídica começou a ser delineada. Estudando em uma faculdade particular – na época não havia cotas para as universidades públicas federais – Edilson formou-se em Direito e, apenas um ano após a formatura, tornou-se fiscal do trabalho do DF. Em 1998, veio a conquista do primeiro lugar no concurso para Juiz de Direito e o início de sua trajetória no TJDFT. Passou por Varas Criminais e Cíveis, por Juizado Especial e Vara da Infância e Juventude, enriquecendo seu currículo e competência, inclusive trabalhando, entre 2009 e 2011, como Juiz Eleitoral em Samambaia. Em 2011, passou a atuar na Vara de Falência onde permanece até hoje.

O Juiz Edilson valoriza sua própria história e faz questão de lembrar, sempre, de onde veio. Em suas próprias palavras: “Entendo que importa muito mais quem está conosco do que aquilo que nos acontece. Deus, a família, os amigos, um Estado presente e atuante, uma igreja fraterna. Com essa fórmula, muita fé e honestidade, a vitória sempre chega”.

MaisPB

com TJDFT

Jardineiro revela ter sido usado como ‘laranja’ de deputado

franciscoO jardineiro Francisco Félix de Sousa procurou a imprensa de Sousa para denunciar que teria sido usado como “laranja” do deputado Lindolfo Pires Neto (DEM) e que vem sofrendo com constantes cobranças da Receita Federal para que atualize um débito junto ao órgão.

Tico Félix, como é conhecido em Sousa, revelou ao programa Cidade Notícia (Rádio Líder FM) que desde 2009 ‘empresta’ o nome para que o deputado pague o seu salário e de outras pessoas da sua base política na cidade. Ele disse que recentemente, ao tentar fazer acordo trabalhista, foi demitido da fazenda dos pais do deputado no sítio Matumbo. “Sequer recebi meu salário. Dona Fátima Pires (mãe do deputado) só meu deu R$ 100,00 porque minha mãe implorou”. Contou.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O denunciante tem em mãos as declarações de Imposto de Renda desde 2009 nas quais aparecem recebimentos da ordem de R$ 37 mil a até R$ 75 mil por ano. Tico Félix adiantou ainda que – mesmo sem carteira assinada – recebia o salário como jardineiro da fazenda da família Pires das mãos do senhor Armando Mariz, assessor do deputado.
Ainda de acordo com a denúncia, os pagamentos eram feitos com recursos públicos, destinados pela Assembléia Legislativa que também favorecia outras pessoas na cidade, a exemplo de funcionários de uma emissora de rádio pertencente a Lindolfo Pires. Sobre uma empresa em seu nome, Tico disse desconhecer, mas se lembra de que certa vez esteve em um cartório da cidade acompanhado do assessor do parlamentar, onde assinou alguns documentos.
O outro lado – A reportagem procurou a assessoria do deputado. O senhor Armando Mariz informou que não há nada o que se pronunciar sobre o caso, apenas que se trata de uma briga pessoal do jardineiro com a senhora Zilda Pires e que nos últimos dias Tico Félix tem perdido o controle emocional a ponto de atacar o parlamentar Lindolfo Pires e a sua família.
Cidade Notícia/Parlamentopb

 

Projeto de lei que permite casamento aos 9 anos causa polêmica no Iraque

pedofilia-iraqueUm projeto de lei que, segundo seus opositores, legaliza o casamento das meninas e o estupro conjugal provocou uma polêmica no Iraque, semanas antes de eleições previstas para o fim de abril.

Os opositores ao projeto – que, segundo analistas, tem poucas chances de ser adotado – afirmam que representa um retrocesso em matéria de direitos da mulher e que pode agravar as tensões entre diferentes confissões do país.

Seus opositores ressaltam que um de seus artigos permite que as crianças se divorciem a partir dos nove anos, o que significa que podem se casar antes desta idade, e que outro prevê que uma mulher seja obrigada a ter relações sexuais com seu marido quando ele pedir.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Segundo um estudo de 2013 do grupo de pesquisa americano Population Reference Bureau (PRB), um quarto das mulheres no Iraque se casam com menos de 18 anos.

“Este projeto de lei é um crime humanitário e uma violação dos direitos das crianças”, declarou Hanaa Edwar, que dirige a associação Al-Amal (“esperança”, em árabe).

Os partidários do projeto de lei afirmam que o texto apenas regula práticas que já existem.

“A ideia da lei é que cada religião regule e organize a condição jurídica pessoal em função de suas crenças”, estimou Ammar Toma, um parlamentar xiita do partido Fadhila.

No entanto, analistas consideram muito improvável que o parlamento iraquiano vote este projeto e afirmam que se trata de uma manobra política.

Assim, o primeiro-ministro xiita Nuri al-Maliki pode estar tentando deixar aberta a possibilidade de uma aliança com Fadhila após as eleições, que, acredita-se, não fornecerão maioria parlamentar absoluta a nenhum partido.

G1

Primeiro repasse do FPM de 2014 será de mais de R$ 3 bi

FPMO primeiro repasse de 2014 do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) vai ser de R$ 3.057.768.849,96. O valor considera o desconto da retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), e entra nas contas das prefeituras nesta sexta-feira, 10 de janeiro. Em valores brutos, com a soma da retenção do Fundo, o montante é de R$ 3.822.211.062,45.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Em comparação com o primeiro decêndio de janeiro do ano passado, o repasse teve crescimento de 36,1% – em termos nominais –, sem considerar a inflação. Já em termos reais, ao se descontar a inflação do período, o crescimento foi de 31,5%. Isso também em comparação com o mesmo período do ano passado.

De acordo com levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM), esse crescimento deve-se principalmente a diferenças no cronograma de restituição do Imposto de Renda (IR). O tributo, juntamente com o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), constitui base para o FPM. Ainda de acordo com a Confederação, o repasse reflete à arrecadação realizada no final do ano passado fortalecida pelas compras de fim de ano.

Previsão da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), para o mês de janeiro de 2014, indica aumento de 19%, em relação ao mês de dezembro de 2013.

Veja aqui os valores por Estado.

Bananeiras Online com CNM