Arquivo da tag: cuidados

Oftalmologista alerta para cuidados com os olhos durante o verão

MulherDeOculosO verão começa no próximo dia 21. Durante a estação, com dias mais quentes e maior exposição ao sol, os cuidados com a saúde, principalmente com os olhos, devem aumentar. Os raios ultravioleta (UVB) estão mais agressivos nesta época do ano, quando os riscos de queimaduras, irritações na córnea e doenças infecciosas também são maiores.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Segundo Marcus Sáfady, presidente da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, a exposição prolongada aos raios solares, sem proteção adequada, pode acarretar a ceratite actínica e o pterígio. “A ceratite actínica é uma inflamação na córnea, que costuma ocorrer em pacientes expostos de 6 a 12 horas ao sol. Os sintomas são vermelhidão, dor na região e sensação de areia. O tratamento é feito com aplicação de soro fisiológico.”

” Já o pterígio, alteração na membrana que recobre o olho, é resultado de anos de exposição ao sol e à poeira. A doença é caracterizada pelo crescimento de uma massa vermelha na direção da córnea, causando desconforto. Com os sintomas, deve-se procurar um oftalmologista para indicação de colírio adequado e, nos casos mais graves, do procedimento cirúrgico”, salientou Sáfady.

Para evitar problemas com os olhos, ele recomenda o uso de bonés e óculos escuros de qualidade, com proteção contra radiação UVA e UVB que, em excesso, podem causar danos irreversíveis. “O filtro UV protege a visão dos raios solares. As lentes escuras de qualidade duvidosa são ainda mais perigosas, pois, ao utilizá-las, a pupila do paciente dilata, permitindo a entrada de uma quantidade maior de radiação. O uso prolongado dessas lentes pode causar catarata”, explicou.

A conjuntivite também é bastante comum no verão, pois a bactéria transmissora se prolifera principalmente em altas temperaturas. A inflamação, que tem os mesmos sintomas da ceratite actínica, é contagiosa e causada, entre outros fatores, por água do mar contaminada e excesso ou falta de cloro em piscinas. O tratamento é com aplicação de água filtrada ou soro fisiológico. Recomenda-se evitar locais com alta concentração de pessoas.

De acordo com o presidente da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, qualquer tratamento deve ser prescrito por um oftalmologista. Ele acrescentou que medicamentos, como pomadas e colírios, não devem ser utilizados sem prescrição médica.

Fonte: Agência Brasil

Autoridades alertam para cuidados com faturas falsas emitidas por bandidos

codigo_de_barrasUm novo tipo de fraude tem levantando alerta entre as autoridades de Segurança do Brasil e também na Paraíba. Golpistas estariam enviando faturas falsas, com códigos de barra adulterados, de forma que quando pagas, os consumidores acabam repassando dinheiro para bandidos. A Polícia Civil da Paraíba já está atenta e faz orientações. O caso é semelhante ao identificado pela emissão de multas falsas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A delegada titular da Delegacia Especializada de Falsificações e Defraudações da Capital, Iumara Gomes, disse ao Portal Correio que tem conhecimento desse tipo de fraude, mas que não recebeu denúncias referentes ao caso em João Pessoa.

“Não recebemos nenhum caso do tipo na Defraudações. Mas estamos acompanhando de perto e pedimos para que qualquer pessoa que se senta lesada por isso, procure qualquer delegacia para registrar a ocorrência”.

A delegada pediu ainda para que as pessoas tenham bastante atenção na hora de verificar faturas e fazer pagamentos, não só por meio de boletos e correspondências físicas, mas também de forma eletrônica, como os e-mails.

“O consumidor não pode pagar pelo que não comprou. É importante observar sempre o que foi comprado, os valores, a empresa onde foi feita a compra e só pagar por aquilo que se tem conhecimento. Em qualquer outra circunstância, a correspondência deve ser ignorada. Se o boleto fraudado tiver sido pago, a pessoa deve reunir todos os papeis que tem em mãos e registrar o boletim de ocorrência para que a Polícia Civil dê início à investigação”, finalizou.

De acordo com o professor de Direito do Consumidor da Faculdade Mackenzie Rio e defensor público, Marco Antônio da Costa, a questão é complexa por tratar-se de uma nova modalidade de fraude.

“A empresa pode alegar que a sua responsabilidade está excluída já que o fato foi ocasionado por terceiros. Por outro lado, o consumidor que agiu de boa fé e fez o pagamento, não pode ser punido duplamente. Em nosso sentir, pelo Código do Consumidor, não tem como obrigar a empresa fazer o ressarcimento, mas nada impede que ela tenha uma política comercial que reconheça que o cliente, agindo de boa-fé, fez o pagamento, até porque se é possível alegar que o fato é praticado por terceiros, não se pode negar que o fraudador se vale exatamente da fragilidade do sistema de cobrança”, explica o professor.

Segundo ele, como o golpe é muito bem feito, é necessário que haja mudança de comportamento para que a fraude seja evitada.

“Os condomínios devem ser orientados a não receber documentação boletos de pagamento que não seja pelos Correios, ou serviço similar perfeitamente identificado, e o consumidor também pode checar antes do pagamento da fatura conferir o código do cedente no alto da barra, se o número não contém campos com tipos e cores diferentes que podem indicar fraude”, alerta.

 

portalcorreio

Cuidados com o carro garantem viagem tranquila e segura

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

Às vésperas das tradicionais festas de fim de ano, muita gente já não vê mais a hora de colocar o pé na estrada para viajar e aproveitar as férias com a família em grande estilo. Antes de colocar as malas no carro, no entanto, é fundamental fazer uma revisão no possante para evitar surpresas desagradáveis no caminho.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Por isso, confira, a seguir, um check-list especial com os sete itens de segurança que devem ser analisados pelo motorista para garantir a sua segurança e a do próximo durante o verão.

 

Limpador de parabrisas – geralmente esquecidos pela maioria dos motoristas, precisa ser checado com atenção antes da viagem. Nesta hora, a dica é analisar se as lâminas e borrachas estão em bom estado e se os encaixes das hastes estão seguros.

 

Pneus – itens fundamentais de segurança, devem estar calibrados para garantir segurança. Por isso, antes de viajar, é fundamental checá-los e trocá-los caso seja necessário. “Se eles estiverem gastos, a recomendação é trocar todos de uma vez ou substituir os mais danificados por novos, colocando-os sempre na parte traseira para facilitar a frenagem do veículo e evitar que ele perca o controle numa pista escorregadia, por exemplo”, indica Roberto Bock, professor de Engenharia Mecânica do Centro Universitário da FEI, de São Paulo.

 

Além disso, é importante incluir o estepe nesta inspeção e checar se há ou não a necessidade de fazer o balanceamento (indicado quando há vibrações no volante) e o alinhamento do carro (recomendado quando há desequilíbrio direcional ou quando é feita a troca do conjunto de pneus).

 

Freios – na hora de cair na estrada, o nível do fluido de freio e possíveis vazamentos também precisam ser checados. Caso haja ruídos, trepidações, perda de eficiência e se o pedal estiver duro, a avaliação deve ser mais minuciosa.

 

Suspensão – o sistema de amortecimento e estabilidade do veículo é tão importante quanto o dos freios. Por isso, além dos amortecedores, as molas, buchas e bandejas, assim como os pivôs e os terminais da direção, também merecem ser checados.

 

Sistema elétrico, faróis e lâmpadas – para viajar com segurança, vale a pena fazer um check-up na bateria, no motor de arranque, no alternador e em todas as lâmpadas (faróis e lanternas) e fusíveis do carro.

 

Fluidos e vazamentos – como na estrada, o motor é submetido a um esforço maior, deve-se conferir os fluidos do freio, da direção hidráulica, dos lavadores do para-brisa e do vidro traseiro, assim como os vazamentos de óleo do motor e do câmbio.

 

Radiador – para mantê-lo em ordem durante a viagem toda, é preciso conferir o funcionamento da válvula termostática, da bomba d’água, da ventoinha e dos marcadores de temperatura no painel.

 

“O ideal é que toda essa checagem seja feita a cada seis meses, pois quanto mais tempo ela demora a ser feita, mais cara ela tende a ficar. Além disso, toda negligência acaba sendo sinônimo de acidente lá na frente”, ressalta o professor.

 

Agência Hélice
Terra 

Saiba quais os cuidados para evitar choque elétrico dentro e fora de casa

choqueNo Brasil, o número de internações e mortes por causa de choques elétricos vem crescendo cada vez mais. Em 2008, 1.343 pessoas morreram e em 2011, esse número subiu para 1.491; já as internações passaram de 1.332 para 2.696 nesse mesmo período.

Por isso, é importante se proteger e tomar cuidado com armadilhas dentro e fora de casa, como alertaram a pediatra Ana Escobar e o clínico geral Arnaldo Lichtenstein no Bem Estar desta quinta-feira (1).

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Dependendo de onde estiver, a pessoa pode levar um choque de 110 volts a 138 mil volts e, em cada caso, a gravidade é maior ou menor. Por exemplo, um choque leve em uma tomada pode fazer apenas o braço adormecer; já um choque médio, em uma cerca elétrica, pode fazer a pessoa ter uma arritmia, parar de respirar ou desmaiar; em um caso grave, como um choque por um raio, pode levar à morte.

Choque (Foto: Arte/G1)

Para se proteger dentro de casa, a dica principal é fazer a manutenção da rede elétrica a cada 10 anos, no máximo. Além disso, é bom usar chinelo de borracha para trocar a temperatura do chuveiro, mas como alertou o químico Luiz Fernando Pereira, o chinelo não é tão eficaz na prevenção de choques muito intensos, é apenas um cuidado a mais.

Em relação à agua, ele explicou que ela pura não conduz eletricidade, mas se tiver cloro, sal ou alguma outra substância, já vira condutora elétrica. Por isso, durante uma tempestade, é recomendado sair imediatamente do mar ou da piscina para evitar um choque por um raio.

Outra medida que pode ajudar bastante em casa é o protetor de tomada, principalmente em famílias com crianças e animais, como lembrou a pediatra Ana Escobar – no mercado, existem vários modelos desses protetores, encontrados por R$ 1 a R$ 5 em lojas de decoração, utilidades elétricas ou materiais de construção.

SEIS PASSOS PARA SOCORRER UMA PESSOA QUE LEVOU UM CHOQUE ELÉTRICO
1. Desligue a fonte de energia
2. Chame ajuda e liguei para o Samu no 192
3. Deite a pessoa
4. Cheque a respiração
5. Cheque o pulso no pescoço
6. Se não houver batimentos, faça massagem cardíaca (Não sabe como fazer? Aprenda no vídeo, clicando aqui)

Em relação aos fios de casa, é essencial mantê-los encapados com fita isolante para evitar o risco de choque, como mostrou o químico Luiz Fernando Pereira. Na rua, a dica é manter-se sempre afastado da fiação elétrica, especialmente dos fios que não estão encapados já que os choques podem ser perigosos.

Aparelhos eletrônicos, inclusive, devem ficar afastados da pia, chuveiro ou banheira porque, se caírem na água, podem sofrer uma pane elétrica e dar um choque em quem estiver usando.

Caso alguém leve um choque, a primeira medida a ser tomada é desligar a chave elétrica da casa, como mostra o passo a passo no quadro. Para ajudar, é importante colocar identificações com etiquetas no quadro de luz.

Caso seja necessário fazer massagem cardíaca, é só clicar aqui para ver um vídeo que mostra o jeito correto de fazer.

Não é recomendado encostar na pessoa que está levando o choque, como fez o pai do Santiago, mostrado na reportagem da Aline Oliveira, de Fortaleza, porque isso pode ser fatal. Em caso de raios ou trovões, a recomendação é tirar todos os aparelhos eletrônicos da tomada e evitar atender ao telefone para se proteger.

Choque ‘do bem
Apesar dos riscos que o choque elétrico traz para a saúde, em alguns casos, ele é usado para melhorar e tratar problemas. Por exemplo, no caso do policial militar Marcelo Ribeiro Silva, a terapia com choque ajudou a aliviar as dores da fascite plantar, também conhecida popularmente como esporação de calcâneo, como mostrou a reportagem do Phelipe Siani.

As dores começaram quando ele tinha 23 anos e de incômodos leves, evoluíram para um problema crônico que passou a limitar os movimentos do policial.

O tratamento escolhido então foi com um aparelho, que emite um choque fraco e causa uma contração muscular no local lesionado. Depois disso, o músculo se fortalece e se regenera. Dessa maneira, após mais de 20 anos sofrendo diariamente com as dores, Marcelo finalmente está conseguindo melhorar.

Bem estar

“Projeto Muda” conscientiza alunos para cuidados com o planeta

projetoAconteceu durante a manhã dessa terça-feira (23) na quadra de esportes da Escola Municipal Humberto Lucena, em Pirpirituba, mais uma brilhante iniciativa de conscientização sobre a preservação do meio ambiente.  O “Projeto Muda”, que tem como lema “Mude de vida, plante uma árvore”, busca fazer com que as crianças sejam defensoras e conscientes dos cuidados com o planeta.
CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Fizeram-se presentes no evento o Coordenador do Projeto, Luis Carlos, bem como Julia Blaese, que é doadora dos recursos para produção de mudas; e a voluntária Sabrina Phillipp, essas fazem parte da Instituição Kinder Missionswek (Infância Missionária) da Alemanha, e incentivam o Projeto.

Alunos e professores da rede municipal e estadual de ensino expuseram brinquedos, arranjos e roupas confeccionados com material reciclado, e ainda foram apresentadas pelos alunos produções artísticas, a exemplo, de paródias também mostrando a necessidade de cuidar bem do meio ambiente.

A Diretora da Escola, Lúcia Monteiro, avaliou como bastante proveitoso o evento e disse se sentir feliz pela participação e atuação dos alunos.

Desde 2012 que o “Projeto Muda” realiza atividades em Pirpirituba conscientizando crianças e adolescentes a partir da plantação e cultivo de mudas de árvores de diversos tipos e no reaproveitamento de material reciclável.

 

 

 

 

 

Da redação / PirpiritubaéNoticia.com

Cuidados com alimentação rica em ferro ajuda a prevenir anemia

Thinkstock
Thinkstock

Baixo desempenho no trabalho, dificuldade de concentração, excesso de sono, tontura, palpitações, falta de ar, perda de apetite. Você se sente assim? Cuidado, pois você pode estar com anemia.

Existem vários tipos de anemia, mas a mais comum é a ferropriva, ou seja, pela deficiência de ferro no organismo. Ela é caracterizada pela deficiência no tamanho ou no número de células sanguíneas (glóbulos vermelhos) ou, ainda, na quantidade de hemoglobina que elas contêm, trazendo como consequência a limitação das trocas de oxigênio e gás carbônico entre o sangue e as outras células do corpo – o que acaba trazendo uma série de problemas, como os citados acima.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Um dos testes mais comuns para checar a presença de anemia é verificar a parte interna no olho: se ela estiver pálida, é melhor procurar um especialista para confirmar o diagnóstico e receber o tratamento adequado.

Mas, como diz o velho ditado, é melhor prevenir do que remediar. E para tanto basta investir em uma dieta equilibrada, rica em nutrientes – especialmente ferro, é claro. Existem dois tipos de ferro nos alimentos: o heme e o não heme. O primeiro é encontrado nas carnes, principalmente as vermelhas, e é absorvido de modo mais eficaz pelo organismo. O segundo é encontrado nos vegetais (verduras, leguminosas, cereais e frutas), porém, tem uma absorção menor pelo organismo.

Assim, é importante garantir a ingestão da quantidade ideal de ferro nas refeições, consumindo especialmente carne vermelha, a maior fonte de ferro. Feijão, beterraba e vegetais de folhas escuras, como brócolis, espinafre e agrião, também são ricos no nutriente.

Algumas pessoas têm que ficar mais atentas à possibilidade de desenvolver anemia. Entre elas, estão as mulheres com fluxo menstrual intenso, assim como quem tem úlcera, gastrite ou crises com hemorroida. Gestantes também precisam de cuidado especial. Na gravidez, mais ferro é necessário para a maior produção de hemoglobina.

Vegetarianos correm o risco de desenvolver anemia e, além do ferro, precisam receber periodicamente a vitamina B12, cuja deficiência pode levar a outro tipo de anemia, a perniciosa. “As fontes alimentares que fornecem a vitamina B12, obrigatoriamente, têm que ser as de alimentos de origem animal, pois essa vitamina não existe no reino vegetal”, alerta Júlio Sérgio Marchini, professor de Nutrologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP.

 

Ricos em ferro

“A dieta para prevenir anemia tem que conter alimentos ricos em ferro, como carnes, feijão, folhas verdes escuras, como brócolis. Alimentos enriquecidos também são importantes para contribuir com o consumo adequado”, diz a nutricionista Márcia Regina Vítolo, professora da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA).

Porém, se a pessoa já tem anemia, muitas vezes apenas a alimentação não basta para repor o nutriente, sendo necessário complementá-lo. “Se uma pessoa já tem anemia deve obrigatoriamente consultar um médico para descobrir a causa e fazer o tratamento específico. Muitas vezes somente a alimentação é incapaz de tratar a anemia, sendo necessária a suplementação terapêutica por dois ou três meses”, diz Marchini.

Ele enfatiza ainda que, mesmo com a suplementação, a alimentação não pode ser negligenciada, para que não ocorra mais perda de ferro.

Aproveitando ao máximo

A absorção de ferro pelo organismo pode ser potencializada pela ingestão de outros alimentos. A vitamina C, por exemplo, auxilia a absorção e mobilização do ferro armazenado. Além disso, ela transforma o ferro não heme em heme, aumentando sua absorção. Assim, beber suco de laranja durante uma refeição, ou então temperar uma salada de folhas verdes escuras com limão, vai fazer com que o organismo aproveite muito mais o ferro dos alimentos.

Alimentos amargos – como jiló, agrião e chicória – também auxiliam o organismo a aproveitar melhor o nutriente, pois estimulam a secreção de enzimas digestivas, facilitando a absorção do ferro.

Por outro lado, existem alimentos que prejudicam essa absorção. É o caso do cálcio, que pode diminuir em até 60% a absorção do ferro pelo organismo. Assim, deve-se evitar consumir leite e derivados em uma refeição rica em ferro. “Por exemplo, num bife à parmegiana, o cálcio do queijo prejudicará a absorção do ferro da carne. O mesmo acontece se ingerir iogurte, queijo branco, milk shake, em uma mesma refeição com fontes de ferro”, explica o nutrólogo e clínico geral Roberto Navarro, membro da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN).

Não é só o cálcio que prejudica a absorção de ferro. As fibras, assim como os taninos e fitatos (encontrados no café, chá preto ou chá mate) também diminuem o aproveitamento do nutriente. Portanto, é necessário evitar o consumo excessivo de pães e massas integrais na mesma refeição que contenha fontes ricas em ferro.

A conduta mais perigosa, no entanto, é ter uma alimentação pouco saudável, muito gordurosa e pobre em variedade e nutrientes. “O que está errado, por exemplo, são os hábitos alimentares inapropriados, como se alimentar somente de um tipo de alimento, não tendo variedade de fontes de nutrientes diferentes necessários para o bom funcionamento do organismo”, afirma Marchini.

Perigos da anemia

O ferro atua no processo respiratório de transporte de oxigênio e dióxido de carbono no organismo e faz parte do processo de respiração celular.  “Os glóbulos vermelhos precisam de ferro para se formar. E eles são responsáveis por levar o oxigênio através do organismo”, explica Navarro. Segundo o nutrólogo, os anêmicos possuem menos formação de glóbulos vermelhos, então, sua oxigenação será menor. As consequências disso são os problemas citados no início do texto.

Se não tratada, a anemia pode evoluir e levar a problemas mais sérios, como déficit de crescimento, diminuição do sistema imunológico, dor nas pernas, queda de cabelo, unhas frágeis e infecções frequentes. “Casos de anemia profunda podem levar a óbito, pois a falta de oxigenação prejudica o coração, que é um músculo que também precisa de força para se contrair”, explica Navarro.

Assim como a deficiência de ferro pode causar anemia, o excesso do nutriente também pode ser prejudicial ao organismo. O nível recomendado de ferro no sangue em um adulto saudável é de 40 a 160 microgramas. Índices acima disso são um sinal de problema e podem provocar vômitos, diarreia, lesões intestinais e até problemas cardíacos. “Vários estudos apontam que o excesso de ferro pode aumentar a incidência de doenças cardíacas, além de lesões no fígado”, aponta Vitolo.

GRUPOS DE RISCO

Algumas pessoas têm que ficar mais atentas à possibilidade de desenvolver anemia. Entre elas, estão as mulheres com fluxo menstrual intenso, assim como quem tem úlcera, gastrite ou crises com hemorroida. Isso porque essas pessoas sofrem com sangramento crônico (contínuo ou repetido), e acabam perdendo mais ferro do que a alimentação pode repor. Por isso é preciso consumir mais ferro nas alimentações, ou alimentos enriquecidos com o nutriente, e, em alguns casos, é necessário o uso de suplementos.
Gestantes também precisam de cuidado especial. Na gravidez, mais ferro é necessário para a maior produção de hemoglobina. Portanto, além dos alimentos, recomenda-se suplementação durante o segundo e o terceiro trimestre de gestação.
Os vegetarianos também correm o risco de desenvolver anemia. “Em função de não consumirem as carnes que possuem o ferro de alta biodisponibilidade (alto aproveitamento), sua alimentação deve ser mais planejada e cuidadosa”, explica Vitolo. Nesse caso, é necessário procurar fontes vegetais ricas em ferro e, é recomendável, conversar com nutricionista para ver a necessidade ou não da suplementação do elemento.
Além do ferro, os vegetarianos precisam receber periodicamente a vitamina B12, cuja deficiência pode levar a outro tipo de anemia, a perniciosa. “As fontes alimentares que fornecem a vitamina B12, obrigatoriamente, têm que ser as de alimentos de origem animal, pois essa vitamina não existe no reino vegetal”, alerta Marchini.

 

 

Uol

Acorde mais bonita com 8 cuidados antes de dormir

mulher dormindoDormir de seis a oito horas por dia traz ótimos efeitos para a pele e o cabelo. É à noite que eles se recuperam das agressões sofridas durante o dia por causa de sol, vento, poluição, frio, fumaça de cigarro e outros agentes. Enquanto dormimos, há maior renovação celular e melhora da oxigenação. O sono, portanto, é um dos melhores tratamentos para as famigeradas olheiras, por exemplo. ?Sem contar que a pele fica mais susceptível à absorção de princípios ativos utilizados em cremes hidratantes e antienvelhecimento?, conta a dermatologista Cibele Tokarski, do Centro de Longevidade Golden Spa, de Brasília (DF). Para potencializar esses efeitos positivos e acordar com uma aparência ainda mais bonita e radiante, siga as dicas abaixo de especialistas todos os dias antes de se deitar.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Evite o sal antes de dormir

Alimentos ricos em sódio podem provocar um “efeito baiacu”: você acorda mais inchada por causa da retenção de líquidos do corpo. O cardiologista Otávio Gebara, do Hospital Santa Paula, explica como ocorre o processo: normalmente, os rins têm capacidade de manipular a quantidade de sódio e regular a quantidade de líquidos que circulam no corpo. Quando ingerimos uma quantidade elevada de sódio, os rins não conseguem eliminar o excesso, provocando um edema (inchaço) no corpo.

Por isso, evite exagerar no consumo dos seguintes alimentos na hora da ceia: frios e embutidos, macarrão instantâneo, comidas congeladas prontas, molho de soja, salgadinhos de pacote, fast food, entre outros.

Mulher coçando os olhos logo ao acordar - Getty Images

Evite a cara amassada e rugas

Se você acorda com linhas marcadas no rosto que demoram a sumir, evite se deitar de bruços. Nessa posição, todo o peso da cabeça faz uma pressão na sua pele contra o travesseiro, fazendo com que você acorde literalmente de “cara amassada”, cheia de marcas de fronha. Mas esse é o problema passageiro. A longo prazo, dormir com a cara enfiada no travesseiro ou até mesmo de lado, comprimindo a lateral do rosto, pode favorecer a formação de linhas de expressão. “Passar oito horas por dia, por vários e vários anos, na mesma posição causa as chamadas rugas de travesseiro”, explica a dermatologista Maria Paula Del Nero, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Deitar-se de lado provoca a formação de sulcos no queixo e bochecha. “Isso explica porque algumas pessoas têm mais rugas de um lado do rosto”, lembra a especialista. A região do colo e pescoço também sofre com essa posição, pois também há a sobrecarga da musculatura. Já dormir de bruços predispõe às marcas na testa. Principalmente em quem já tem a pele e a musculatura do rosto mais flácidas.

Mulher domindo com o corpo virado para cima - Getty Images

Dormir de barriga para cima também deixa os seios mais bonitos

Mulheres que dormem de lado também estão mais sujeitas a terem rugas na região do colo, entre os seios. Segundo a dermatologista Marcia Linhares, do Rio de Janeiro, as linhas que marcam durante a noite tendem a sumir ao longo do dia – mas se o processo se repetir diariamente, pode favorecer a formação dos vincos. Para evitar esse problema, o ideal é dormir com a barriga para cima. Caso não seja possível por costume ou mesmo orientação médica, existem no mercado sutiãs com uma manta acolchoada entre os seios, feitos justamente para evitar rugas na região.

Mulher dormindo com saquinhos de chá nos olhos - Getty Images

Durma com compressa de chá de camomila

Usar um paninho com chá ou soro fisiológico ajuda a diminuir o inchaço das bolsas nos olhos. Já as receitas caseiras de rodelas de pepino e batata devem ser evitadas porque, segundo a dermatologista Cibele, podem causar irritações na pele. A médica também diz que não é necessário seguir a recomendação popular de deixar a cabeça mais elevada na hora de dormir para amenizar o inchaço no rosto. “É verdade que indicamos esse hábito no pós-operatório de cirurgia de pálpebras para não piorar o inchaço, mas no dia a dia a posição não é tão relevante”, diz a profissional.

Meias coloridas - Getty Images

Coloque meias nos pés

Passe um bom creme hidratante para os pés e vista meias. “Ao fazer isso, há uma melhor absorção dos princípios ativos do creme”, explica Cibele Tokarski. A dermatologista sugere cremes à base de ureia, lactato de amônia, óleo de amêndoas ou semente de uva, pois são ativos com alto poder emoliente.

Mulher loira balançando o cabelo ondulado - Getty Images

Dê mais volume e balanço natural aos cabelos

Quer uma leve ondulação e um volume digno de cabelo feito no salão? Durma com um coque no topo da cabeça, sem apertar demais. Mas evite prender os fios se eles estiverem úmidos. “Dormir com os cabelos molhados aumenta o risco da proliferação de fungos e bactérias, piorando ou desencadeando seborreia e caspa”, explica a dermatologista Cibele. Além disso, os fios molhados ficam mais frágeis e podem quebrar e cair com mais facilidade.

Caipirinha de limão - Getty Images

Maneire no álcool

Se você já acordou com ressaca alguma vez, deve ter reparado que a pele perde o brilho e fica mais inflamada. “O álcool tem ação vasodilatadora e aumenta a liberação de agentes inflamatórios, podendo piorar a flacidez da pele e inibir a absorção de vitaminas e sais minerais”, explica Cibele Tokarski. Além disso, pode causar manchas, deixar as unhas mais fracas e favorecer a queda de cabelo. Portanto, em nome da beleza (além da saúde, óbvio), modere no consumo de álcool ao sair para festas e eventos à noite.

Mulher removendo a maquiagem com um algodão - Getty Images

Maquiagem nunca!

A pele precisa estar sempre limpa antes de dormir. “A maquiagem cria uma cobertura a mais na pele, podendo elevar a oleosidade local”, conta a dermatologista Gabriela Casabona, de São Paulo. As impurezas também favorecem o surgimento de cravos e espinhas. Ela lembra que água e sabão não são suficientes – também é preciso usar demaquilante líquido ou na forma de toalhinhas, para livrar qualquer tipo de resquício provocado pela maquiagem.

Depois que a pele estiver limpinha, aproveite para passar cremes hidratantes ou de antienvelhecimento noturnos. Eles são ótimos para acordar com uma pele mais viçosa e saudável.

 

 

yahoo.minhavida

Ministério da Saúde alerta sobre cuidados a serem tomados durante festas juninas

O Ministério da Saúde divulgou hoje (8) uma série de cuidados a serem tomados durante a realização das tradicionais festas juninas. De acordo com a pasta, o número de acidentes que resultam em queimaduras aumenta significativamente nesta época do ano em razão do uso de fogos de artifício e de fogueiras.

O alerta vale, sobretudo, para casos que envolvem crianças e que podem variar de queimaduras leves a gravíssimas, capazes de provocar a perda dos dedos das mãos ou mesmo de músculos.

A orientação é evitar fogos de artifício e, no caso de uso, não permitir que crianças manuseiem o produto. Outra medida de prevenção é não estourar foguetes próximo a residências, além de sempre utilizar equipamentos de proteção, já que o contato direto com a mão aumenta o risco de o rojão provocar uma amputação.

Em casos de acidente e quando a queimadura já tiver ocorrido, o ministério orienta que a vítima seja levada imediatamente ao serviço de saúde mais próximo. Não se deve estourar as bolhas que se formam nem passar cremes, pomadas ou qualquer tipo de solução caseira no ferimento.

Agência Brasil