Arquivo da tag: Cruzeiro

Rodada decisiva do Brasileirão define rebaixamento do Cruzeiro; Ceará permanece na elite

A última e decisiva rodada do Campeonato Brasileiro de futebol definiu o rebaixamento do Cruzeiro à série B, no próximo ano. Esta é a primeira vez que o time mineiro disputa a segunda divisão do futebol brasileiro.

Precisando vencer o Palmeiras e torcer por um tropeço do Ceará, o Cruzeiro não conseguiu superar o time paulista e sofreu mais uma derrota por 2 a 0. Os mineiros ainda viram o ‘Vozão’ arrancar um empate em 1 a 1 diante do Botafogo carioca, o que mantinha os cearenses na 1ª divisão independente de qualquer outro resultado. Os outros três times rebaixados são o Avaí, Chapecoense e o CSA.

Campeão por antecipação, o Flamengo terminou o campeonato com 90 pontos, recorde absoluto da competição desde que o torneio foi realizado com 20 clubes na modalidade de pontos corridos.

Com o fim do Brasileirão e a queda da Raposa, agora apenas três clubes nunca foram rebaixados à série: Flamengo, Santos e São Paulo.

Confira os resultados:

Internacional 2 x 1 Atlético Mineiro

Cruzeiro 0 x 2 Palmeiras

Fortaleza 2 x 1 Bahia

Corinthians 1 x 2 Fluminense

Santos 4 x 0 Flamengo

Vasco 1 x 1 Chapecoense

Botafogo 1 x 1 Ceará

Avaí 0 x 0 Athlético-PR

Goiás 3 x 2 Grêmio

CSA 1 x 2 São Paulo

 

 (Foto: Divulgação / Cruzeiro)
paraiba.com.br

 

 

Abel Braga coloca cargo à disposição no Cruzeiro, e Adilson Batista é nome forte para assumir

O técnico Abel Braga deixou o cargo à disposição da diretoria do Cruzeiro após a derrota por 1 a 0 para o CSA, nessa quinta-feira, no Mineirão. A saída do treinador é tratada como iminente dentro do clube, e um pronunciamento oficial deve ser realizado nesta sexta-feira. O nome de Adilson Batista, demitido do Ceará na última quarta-feira, é o nome forte nos bastidores do clube mineiro.

A informação sobre a entrega do cargo foi confirmada pela diretoria de comunicação do clube mineiro na madrugada desta sexta-feira. O clube programa uma coletiva de imprensa para esta sexta-feira. Abel Braga ficou pressionado após a derrota no Mineirão e a manutenção do Cruzeiro na zona do rebaixamento. Pelo Cruzeiro, Abel tem 14 partidas, com três vitórias, três derrotas e oito empates. O contrato do treinador é até o final de 2020.

Adílson Batista foi demitido do Ceará após a derrota para o Flamengo — Foto: Jorge R Jorge/BP Filmes

Adílson Batista foi demitido do Ceará após a derrota para o Flamengo — Foto: Jorge R Jorge/BP Filmes

Adilson Batista, ex-jogador do Cruzeiro e técnico do clube entre 2008 e 2010, levando o time à final da Libertadores de 2009, é o nome mais forte nos bastidores da Raposa para assumir o time nas últimas três rodadas do Campeonato Brasileiro. O Cruzeiro ainda enfrenta Vasco, segunda, em São Januário, às 20h (de Brasília). Depois, visita o Grêmio, em Porto Alegre, e encerra sua participação diante do Palmeiras, em casa.

Se tiver o nome confirmado, Adilson Batista terá a missão de impedir o rebaixamento inédito do Cruzeiro. O time tem 36 pontos e está na 17ª colocação do Campeonato Brasileiro, a um ponto do Ceará, primeiro fora do Z-4. A Raposa não vence há seis partidas na competição.

Silêncio após derrota

A aguardada entrevista coletiva de Abel não aconteceu após a derrota. O treinador sequer apareceu na sala de coletiva. Quem apareceu para falar com os jornalistas foi o diretor de comunicação do Cruzeiro, Valdir Barbosa. Naquele momento da coletiva, ainda não havia ocorrido a entrega do cargo. Mas Abel já estava bastante abalado pelo momento.

– Não, não houve essa conversa. O Abel está bastante tenso e preferiu não se pronunciar hoje. Como vocês (jornalistas) estão percebendo, e têm até reclamado, que as entrevistas estão bastante cansativas… O Abel perdeu, como ele disse, “como eu vou explicar? vou dizer o quê num momento como esse?”. Então, ele prefere que amanhã possa fazer uma declaração de uma forma mais tranquila, já com a cabeça um pouco mais fria. Então, é melhor que a gente trabalhe assim.

Diretoria calada

Sobre a presença de membros da diretoria no vestiário do Cruzeiro após a derrota para o CSA, Valdir Barbosa disse que Wagner Pires de Sá e Zezé Perrella estiveram com os jogadores, no Mineirão, antes do jogo.

– O presidente Wagner Pires de Sá estava no estádio, o gestor de futebol Zezé Perrella também estava no estádio. Eles foram ao vestiário antes do jogo, e após o jogo não. Eles sempre vão. Talvez até por essa questão desse tumulto que está tendo no estádio. Não sei se hoje atingiu o hall principal também, mas sempre atinge. A segurança está um pouco duvidosa aqui no Mineirão, haja visto os problemas que aconteceram no clássico, com invasão de camarote, invasão do setor de imprensa, invasão do hall principal. Eles não foram (ao vestiário após o jogo), apenas mantiveram contato por telefone, dando ciência daquilo que está acontecendo. Estão extremamente preocupados. Amanhã, a partir das 9h está todo mundo outra vez de pé, já cada um em seus postos na sede e também na Toca, e qualquer decisão que houver será num sentido mais tranquilo, com a cabeça mais fria.

Questionado a respeito das últimas decisões informadas pelo clube (desde segunda-feira os jogadores não dão entrevista coletiva, e nesta quinta-feira Abel Braga não apareceu para falar com os jornalistas), sobre quem manda no clube e dá aval para essas medidas, e se o torcedor cruzeirense não está sendo desrespeitado, se a diretoria não pensa no lado do torcedor, Valdir Barbosa rebateu:

– Nós pensamos sim, e quem decide é a diretoria, junto com a comissão técnica. E o torcedor não está sendo desrespeitado. Se você acompanha as redes sociais, você viu que o torcedor não se revoltou porque os jogadores não estavam dando entrevista. Eles querem é futebol. A palavra do jogador é importante, mas o mais importante é vencer os jogos. E isso nós não estamos conseguindo fazer.

Globo Esporte

 

 

Rogério Ceni não resiste à pressão e é demitido pelo Cruzeiro; clube já contacta possível substituto

Chegou ao fim a curta passagem do técnico Rogério Ceni pelo Cruzeiro. Menos de dois meses após a chegada à Toca, o treinador foi demitido no início da noite desta quinta-feira, após reunião com Itair Machado, vice-presidente de futebol do clube.

Ainda no vestiário do Castelão, nessa quarta, após empate sem gols com o Ceará, houve um desentendimento por conta da insatisfação de alguns jogadores com a ausência do meia Thiago Neves na partida. Ele ficou no banco de reservas durante os 90 minutos. Esse episódio foi o estopim para a saída do treinador da Toca. Os auxiliares Nelson Simões e Charles Hebert, e o preparador físico Danilo Augusto também deixam o Cruzeiro.

Antes mesmo de anunciar a saída do treinador, o clube já havia iniciado contato com possíveis substitutos. Dorival Júnior, que treinou a Raposa em 2007, era o preferido, mas não vai assumir nenhum trabalho neste momento por estar com cirurgia marcada. Luiz Felipe Scolari e Adilson Batista, que também têm passagens pela Toca, são nomes especulados.

Houve uma reunião na tarde desta quinta-feira na Toca da Raposa entre o treinador e a cúpula do clube, durante a qual foi definida a saída dele. O contrato de Ceni com a Raposa ia até o fim de 2020. Em um mês e meio, foram oito jogos, duas vitórias, dois empates e quatro derrotas.

Foram oito jogos à frente do Cruzeiro e apenas duas vitórias. Ceni deixa a Raposa em 16ª lugar na competição, com apenas 19 pontos. Mesma pontuação do CSA, primeiro time que figura a zona de rebaixamento – e que ainda joga pela 21ª rodada do Brasileiro, podendo ultrapassar a equipe celeste.

Rogério Ceni durou pouco no cargo de treinador do Cruzeiro — Foto: Renato Pizzutto/BP Filmes

Rogério Ceni durou pouco no cargo de treinador do Cruzeiro — Foto: Renato Pizzutto/BP Filmes

Depois da discussão no vestiário, a TV Verdes Mares, afiliada da TV Globo em Fortaleza, confirmou que Rogério Ceni teve uma conversa com o vice presidente de futebol do Cruzeiro, Itair Machado, ainda na noite de quarta-feira. O dirigente sugeriu que Ceni pedisse demissão, mas o treinador recusou. Em contato com a reportagem, a diretoria do Cruzeiro não quis comentar o assunto.

Trajetória

A vida de Rogério Ceni no Cruzeiro não foi fácil, apesar do apoio que tem tido da torcida – manifestado pelas redes sociais e nos protestos contra o mau momento do time. Ele assumiu o clube em meados de agosto, diante do Santos, na 15ª rodada do Brasileirão, e começou bem, vencendo o então líder do campeonato.

Ceni também esteve à frente da equipe no segundo jogo da semifinal da Copa do Brasil, diante do Internacional. O Cruzeiro havia sido derrotado por 1 a 0, na primeira partida, ainda com Mano Menezes, e no jogo da volta, o primeiro revés de Ceni com a Raposa – 3 a 0. Foi depois dessa partida que o clima começou a “azedar”.

Depois da eliminação na Copa do Brasil, o meia Thiago Neves deu declarações polêmicas em relação à escalação. Disse que o treinador fez “muitas mudanças para uma decisão”.

Rogério Ceni chegou a rebater o meia, dizendo que ele não ficou satisfeito em ver um amigo no banco. No caso, Edilson. A respeito disso, o diretor de futebol, Marcelo Djian, afirmou que Thiago Neves se exaltou, e que uma reunião entre o elenco teria acontecido.

– Houve excesso do Thiago, mas nós conversamos internamente e está tudo resolvido. Sempre acontece um pouco de estresse quando é uma entrevista diferente, mas já foi conversado. Colocamos tudo que deveria ser falado entre jogador e treinador. E está tudo resolvido – disse, à época, Marcelo Djian.

Marcelo Djian afirmou, há uma semana, que confiava no trabalho de Rogério Ceni — Foto: Globo Minas

Marcelo Djian afirmou, há uma semana, que confiava no trabalho de Rogério Ceni — Foto: Globo Minas

No último dia 22, Marcelo Djian voltou a falar sobre o momento do time e fez questão de afastar qualquer possibilidade de nova mudança no comando técnico. Aproveitou para transmitir confiança no trabalho que vem sendo feito por Ceni. Menos de uma semana depois, a história do treinador no Cruzeiro chegou ao fim.

GE

 

Flamengo vence, segue isolado na liderança e aumenta a crise do Cruzeiro

Cruzeiro e Flamengo se enfrentaram neste sábado, no Mineirão, e entraram em campo atravessando momentos completamente distintos. O time da casa, vivendo uma das maiores crises de sua história, precisava do triunfo para sair da zona de rebaixamento. O Rubro-Negro, curtindo uma fase espetacular, mirava os três pontos para seguir isolado na ponta do Brasileirão. Melhor para os cariocas, que venceram por 2 a 1, com gols de Gabigol e Arrascaeta, e seguem, com autoridade, na posição mais cobiçada da Série A: a primeira. O Cruzeiro, com a derrota, segue na 17ª colocação e pode até ser ultrapassado pelo CSA na rodada.

Teve de quase tudo na primeira etapa. E se teve de quase tudo, teve, claro, gol do Gabigol. O artilheiro do Brasileirão abriu o placar logo aos seis minutos, após bom cruzamento de Gerson. O VAR sugeriu a revisão do lance em função de uma possível falta no início da jogada, mas o árbitro confirmou o gol. O Cruzeiro equilibrou as ações, levou perigo com um chute de Pedro Rocha e, aos 35 minutos, o mesmo Pedro Rocha sofreu pênalti de Rodrigo Caio. Dessa vez, o VAR respeitou a decisão da arbitragem e não sugeriu a revisão. Thiago Neves cobrou muito bem, com força, no canto, e deixou tudo igual. O empate por 1 a 1 foi o placar levado pelas equipes para o intervalo da partida.

A etapa final começou muito movimentada, com chances para os dois lados, bola na trave de Diego Alves, grande intervenção de Fábio após cabeçada de Bruno Henrique e uma total imprevisibilidade. O 1 a 1 durou 20 minutos, já que aos 21 apareceu a famosa e quase implacável “lei do ex”. Após linda jogada e cruzamento de Willian Arão, Gabigol, com um lindo corta-luz, deixou Arrascaeta livre para estufar as redes de Fábio. O maior artilheiro do novo Mineirão decretou a vitória flamenguista e, claro, deixou furiosos os torcedores do Cruzeiro que pegavam no pé dele desde o início do jogo. Os dois times ainda tiveram mais algumas chances, mas o 2 a 1 permaneceu até o fim.

 

Globo Esporte

 

 

Cruzeiro supera o América-MG e chega a mais uma final

O Cruzeiro é o primeiro finalista do Mineiro 2019. A equipe celeste venceu novamente o América-MG, desta vez por 3 a 0, gols de Léo e Fred, ainda no primeiro tempo, e Rafinha, no fim da partida, e manteve acesa as chances de ser bicampeão estadual, após vencer o título em 2018.

O time do técnico Mano Menezes resolveu a partida ainda na etapa inicial quando imprimiu um ritmo forte, conseguindo seus gols entre os minutos 14 e 19, e só concluiu a classificação no fim da partida, O América teria de fazer quatro gols de diferença para conseguir a vaga, ou seja, uma goleada por 6 a 2. O time americano não conseguiu se infiltrar na defesa celeste e investiu muito em chutes de fora da área, mas com pouca efetividade.

No segundo tempo, o Cruzeiro apenas administrou o jogo, reduziu o ritmo e mesmo assim, o América-MG não teve forças para superar a zaga cruzeirense. A eliminação do Coelho deixará a equipe em longa inatividade, pois fora da Copa do Brasil, o time americano só voltará oficialmente a campo no dia 26 de abril, contra o Operário-PR, pela Série B do Brasileiro.

Já o Cruzeiro tem mais um compromisso antes de lutar pelo bicampeonato Mineiro. Quarta-feira, 10 de abril, contra o Huracán-ARG, às 19h15, pela quarta rodada do Grupo B da Libertadores.

O primeiro jogo da final do Campeonato Mineiro 2019 será no dia 14 de abril,próximo domingo, quando o Cruzeiro jogará contra Atlético-MG, ou Boa Esporte, que se enfrentam neste domingo, 7 de abril, e vão decidir quem será o segundo finalista. O jogo de volta da finalíssima será no dia 21 de abril.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 3 x 0 AMÉRICA-MG
Estádio: Estádio Mineirão- Belo Horizonte(MG)
Data-hora: 6 de abril de 2019, às 19h
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (FIFA-RS)
Assistentes: Bruno Boschila e Felipe Alan da Costa
Gols: Léo, aos 15′-1ºT(1-0), Fred, aos 19′-1ºT(2-0), Rafinha, aos 40′-2ºT(3-0)
Cartões Amarelos: Felipe Azevedo, Zé Ricardo(AME)
Cartões Vermelhos:-
Público e Renda: não divulgados

CRUZEIRO: Fábio; Edilson, Dedé, Léo e Egídio; Lucas Silva(Ariel Cabral, aos 36′-2ºT) e Lucas Romero; Rafinha, Robinho,Rodriguinho(Jadson, aos 30′-2ºT) e Fred(Raniel, aos 13″-2ºT).Técnico: Mano Menezes.

AMÉRICA-MG: Fernando Leal; Leandro Silva, Diego Jussani, Paulão e João Paulo; Zé Ricardo, Christian e Matheusinho; Marcelo Toscano(Neto Berola, aos 25′-2ºT), Felipe Azevedo(França, aos 34′-2ºT) e Júnior Viçosa(Diego Jussani, aos 24′-2ºT). Técnico: Givanildo Oliveira

 

Lance

 

 

Com três de Fred, Cruzeiro bate América-MG

O Cruzeiro encaminhou uma vaga na final do Campeonato Mineiro na tarde deste domingo. Jogando na Arena Independência, o time dirigido por Mano Menezes venceu o América-MG por 3 a 2, com três gols do veterano Fred, pelo jogo de ida das semifinais da competição.

Com o resultado, o Cruzeiro avança à decisão do Mineiro até mesmo com uma derrota simples no jogo de volta, marcado para o próximo sábado, às 19 horas (de Brasília), no Mineirão. O América-MG, por sua vez, precisa de uma vitória por dois ou mais gols de diferença para seguir sonhando com a taça.

Antes, porém, o Cruzeiro tem um compromisso pela Copa Libertadores. Na próxima quarta-feira, às 21h30, a equipe mineira visita o equatoriano Emelec, pela terceira rodada da fase de grupos do torneio continental.

 Fred, do Cruzeiro, comemora após marcar gol em partida contra o América Mineiro, válida pelas semifinais do Campeonato Mineiro 2019, no estádio Independência, em Belo Horizonte, neste domingo (31).
Fred, do Cruzeiro, comemora após marcar gol em partida contra o América Mineiro, válida pelas semifinais do Campeonato Mineiro 2019, no estádio Independência, em Belo Horizonte, neste domingo (31).

Foto: ANTILDES BICALHO/PHOTOPRESS / Estadão Conteúdo

O Jogo – O Cruzeiro começou ligeiramente melhor, mas foi o América-MG quem criou a primeira chance de gol. Aos 11 minutos, o volante Christian recebeu na intermediária e soltou a bomba. A bola passou raspando o poste direito de Fábio, que ficou parado olhando.

Dedé, do Cruzeiro, em partida contra o América Mineiro, válida pelas semifinais do Campeonato Mineiro 2019, no estádio Independência, em Belo Horizonte, neste domingo (31).
Dedé, do Cruzeiro, em partida contra o América Mineiro, válida pelas semifinais do Campeonato Mineiro 2019, no estádio Independência, em Belo Horizonte, neste domingo (31).

Foto: FáBIO BARROS/AGÊNCIA F8 / Estadão Conteúdo

Pouco depois, no entanto, o time visitante abriu o placar. Aos 17 minutos, após grande passe de Rafinha, Egídio foi à linha de fundo e cruzou na medida para Fred marcar de cabeça.

O Coelho quase empatou de forma imediata. Dois minutos depois do gol do Cruzeiro, Marcelo Toscano arriscou de longe e viu a bola desviar em Dedé no meio do caminho. Mas Fábio, atento, fez a defesa.

Em uma falha da defesa do América, o Cruzeiro ampliou sua vantagem no início da etapa complementar. Após Zé Ricardo errar na saída de bola, Robinho rolou para Fred empurrar para as redes de Fernando Leal.

Fred, do Cruzeiro, comemora após marcar gol em partida contra o América Mineiro, válida pelas semifinais do Campeonato Mineiro 2019, no estádio Independência, em Belo Horizonte, neste domingo (31).
Fred, do Cruzeiro, comemora após marcar gol em partida contra o América Mineiro, válida pelas semifinais do Campeonato Mineiro 2019, no estádio Independência, em Belo Horizonte, neste domingo (31).

Foto: ANTILDES BICALHO/PHOTOPRESS / Estadão Conteúdo

O Coelho, porém, reagiu logo em seguida. Aos 11 minutos, após cobrança de escanteio pela esquerda, Diego Jussani superou a marcação de Egídio para testar firme e diminuir a desvantagem. Mas a tarde era de Fred.

O centroavante voltou a balançar as redes aos 25 minutos. Marquinhos Gabriel recebeu lançamento de Dedé e cruzou rasteiro para o veterano, livre de marcação, anotar seu terceiro gol no jogo. O América ainda voltou a descontar aos 38, quando Jonatas Belusso desviou cobrança de falta de João Paulo.

Diego Jussani, do América Mineiro, comemora o seu gol em partida contra o Cruzeiro, válida pelas semifinais do Campeonato Mineiro 2019, no estádio Independência, em Belo Horizonte, neste domingo (31).
Diego Jussani, do América Mineiro, comemora o seu gol em partida contra o Cruzeiro, válida pelas semifinais do Campeonato Mineiro 2019, no estádio Independência, em Belo Horizonte, neste domingo (31).

Foto: GIAZI CAVALCANTE/CÓDIGO19 / Estadão Conteúdo

FICHA TÉCNICA

AMÉRICA-MG 2 X 3 CRUZEIRO

Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)

Data: 31 de março de 2019, Domingo

Horário: 20 horas (de Brasília)

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique

Assistentes: Bruno Boschilia e Felipe Alan Costa de Oliveira.

Cartão Amarelo: Carlos França (América-MG); Robinho, Egídio e Orejuela (Cruzeiro)

Cartão Vermelho: –

Gols:

AMÉRICA-MG: Diego Jussani, aos 11 minutos do 2º tempo

CRUZEIRO: Fred, aos 17 minutos do 1º tempo, e aos 6, e aos 25 minutos do 2º tempo

AMÉRICA-MG: Fernando Leal; Ronaldo, Paulão, Diego Jussani e João Paulo; Zé Ricardo, Christian e Matheusinho (Carlos França); Felipe Azevedo (Neto Berola), Júnior Viçosa e Marcelo Toscano (Jonatas Belusso)

Técnico: Givanildo Oliveira

CRUZEIRO: Fábio; Orejuela, Léo, Dedé e Egídio; Henrique, Lucas Romero, Robinho, Marquinhos Gabriel (Jadson) e Rafinha (Vinícius Popó); Fred (Sassá)

Técnico: Mano Menezes.

Gazeta Esportiva

 

Flamengo vence o Cruzeiro, mas é eliminado da Libertadores

Nos primeiros 90 minutos, o Cruzeiro foi amplamente superior, venceu o Flamengo por 2 a 0, em duelo no início do mês, no Maracanã. Na noite desta quarta-feira (29), no Mineirão, foi o reencontro entre as equipes pela competição. O time rubro-negro até conseguiu o triunfo, venceu por 1 a 0, mas não foi o suficiente. Com isso, a equipe mineira segue na Copa Libertadores.

Foi um duelo agradável de assistir. O Cruzeiro, mesmo com a vantagem, não foi um time chato e pragmático. Evidentemente, em algum momento sentou sobre a vantagem e aproveitou de sua primeira participação. Mas não abriu mão de jogar, criou, teve chances e quase marcou.

O Flamengo também foi gigante. Entrou em campo mesmo com um placar contrário e foi em busca. Nos dois tempos teve períodos melhores em campo e, em um deles, na segunda metade do jogo, marcou seu tento.

O Cruzeiro espera o vencedor de Boca Júnior ou Libertad. A partida decisiva será nesta quinta-feira (30). No primeiro jogo, o Boca venceu por 2 a 0, na Argentina.

Léo Duarte comemora gol do Flamengo
Léo Duarte comemora gol do Flamengo

Foto: Daniel Oliveira / Fotoarena / Estadão Conteúdo

Primeiro tempo

O técnico Mano Menezes resolveu as questões que perturbavam sua cabeça nos vestiários do Mineirão. Decidiu por entrar com Barcos no ataque, tinha dúvida por Raniel, e colocou Lucas Romero improvisado na lateral, deixando Edilson, jogador contratado para resolver o problema da posição, no banco de reservas.

O duelo começou bastante movimentado. O Cruzeiro tinha uma posse inicial no jogo, conseguindo garantir a redonda e fazer disso mais tempo no campo ofensivo. A equipe celeste utilizava bastante Arrascaeta caindo pela ponta e Thiago Neves mais centralizado. Isso, no entanto, não era fixo.

O Flamengo usava bastante a saída com Diego e Everton Ribeiro. Paquetá também contribuía, mas era mais utilizado buscando a bola na defesa e distribuindo naquela primeira saída de jogo.

Algo que marcou os primeiros minutos de jogo também foram as faltas. Com isso, tinha pouca bola rolando.

Aos 20 minutos o Cruzeiro teve sua melhor oportunidade. Após vacilo de Diego, no meio campo flamenguista, a bola chegou em Thiago Neves que colocou Barcos na cara do gol. O atacante perdeu uma oportunidade de ouro.

Depois do susto, o Flamengo melhorou em campo. A equipe carioca conseguia passar pelos volantes da equipe mineira, envolvia, mas a redonda não passava pela zaga.

Thiago Neves disputa a bola com Cuéllar e Rodinei
Thiago Neves disputa a bola com Cuéllar e Rodinei

Foto: Araceli Souza / Dia Esportivo / Estadão Conteúdo

Segundo tempo

O Flamengo voltou atento para a etapa complementar. Diante disso, logo aos 4 minutos conseguiu uma chance clara de gol. O jogo ficou aberto.

Aos 12 minutos, o técnico Mano Menezes precisou colocar Edilson em campo, pois Lucas Romero sentiu dores no pé após uma pancada e não conseguiu seguir na partida. O Cruzeiro passou a se fechar. O Flamengo buscava o ataque com mais intensidade, pois o espaço estava aberto.

Aos 24 o Flamengo conseguiu seu primeiro gol. Em cobrança de escanteio, Everton Ribeiro ganha a bola e toca no meio. Léo Duarte coloca a redonda para dentro.

Depois de sofrer o gol, o Cruzeiro passou a buscar mais o ataque. O técnico Mano Menezes percebeu as necessidades e fez alterações, dando mais velocidade ao ataque com a entrada de Rafinha, por exemplo. O Cruzeiro cresceu, mas ainda assim o Flamengo tinha uma atitude mais ousada. Não foi o suficiente.

Paquetá domina a bola pelo Flamengo
Paquetá domina a bola pelo Flamengo

Foto: Fábio Barros / Agência Free Lancer / Estadão Conteúdo

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 0 X 1 FLAMENGO

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Data: 29 de agosto de 2018 (Quarta-feira)

Horário: 21h45(de Brasília)

Árbitro: Andres Cunha (Uruguai)

Assistentes: Nicolás Tarán (Uruguai) e Mauricio Espinosa (Uruguai)

Gols: Léo Duarte, aos 24 minutos do segundo tempo (Cruzeiro)

Cartões: Rodinei, Léo Duarte, Renê (Flamengo)

CRUZEIRO: Fábio, Lucas Romero (Edilson), Dedé, Leo e Egídio; Henrique e Lucas Silva; Robinho (Rafinha), Thiago Neves e Arrascaeta; Barcos (Raniel).

Técnico: Mano Menezes

FLAMENGO: Diego Alves, Rodinei, Réver, Léo Duarte e Renê; Gustavo Cuéllar (Lincoln), Lucas Paquetá, Diego, Everton Ribeiro e Vitinho (Henrique Dourado); Marlos

Técnico: Maurício Barbieri

 

Gazeta Esportiva

Com vantagem, Cruzeiro recebe Flamengo pelas oitavas da Libertadores

O Cruzeiro construiu uma boa vantagem no primeiro duelo contra o Flamengo, no início do mês, pela Copa Libertadores, com vitória por 2 a 0. Agora as equipes reencontram, na noite desta quarta-feira, no Mineirão, para definir quem avança às quartas de final do torneio continental para enfrentar o vencedor do embate entre Boca Juniors e Libertad, do Paraguai, que duelam nesta quinta-feira, em La Bombonera, na Argentina. Na ida, o time argentino ganhou por 2 a 0.

A Raposa chega embalada para o jogo. No Brasileirão, no último sábado, a equipe voltou a vencer e bateu o Fluminense por 2 a 1, acabando com o jejum de um mês sem triunfar na competição nacional. Na Copa do Brasil a coisa anda bem encaminhada, o time está nas semifinais, e terá o Palmeiras pela frente.

Nos treinamentos na Toca da Raposa II, em Belo Horizonte, o Cruzeiro foi muito bem recebido pelos torcedores. No dia anterior ao jogo, os atletas foram recepcionados pelos fanáticos, que fizeram uma bela festa. No Mineirão, outra grande exibição das arquibancadas está programada com mais de 60 mil ingressos vendidos. Nos treinamentos, Mano Menezes pediu privacidade. Os jornalistas não puderam acompanhar nada que foi feito, nem mesmo o aquecimento.

O treinador tem duas grandes dúvidas para o duelo contra o Flamengo. Uma na lateral-direita e outra no ataque. Na ala, Mano não confirmou o retorno de Edilson. Ele pode manter Lucas Romero, que embora seja volante desempenha um ótimo papel na posição. Na frente, o treinador ainda não confirmou se vai de Raniel ou Barcos. O Pirata ainda não encontrou seu melhor futebol com a camisa celeste, enquanto o brasileiro pede passagem a cada jogo, marcando gols e dando muita mobilidade ao setor.

Pelo lado do Flamengo, Maurício Barbieri vai manter a base que vem jogando, sem mudanças profundas. As duas equipes fazem boas campanhas no Brasileirão, mas preservaram alguns titulares no fim de semana. O Flamengo, também em Belo Horizonte, só que na Arena Independência, ficou no empate por 2 a 2 com o América-MG, figurando na terceira colocação. O São Paulo lidera com 45 pontos.

“No futebol, em um jogo entre duas grandes equipes como são Flamengo e Cruzeiro, qualquer coisa pode acontecer. Portanto, precisamos trabalhar com muita seriedade e em busca de um resultado positivo. Antes de pensar no gol, temos que criar chances. Trabalhar bola, conseguir espaços e aproveitar. A classificação é complicada, mas está ao nosso alcance se estivermos em um grande dia e colocarmos em prática aquilo que foi trabalhado. Embora, o respeito ao Cruzeiro sempre vai existir”, disse Barbieri.

Para colocar seu plano em prática o elenco flamenguista aposta na concentração. “Vai ser um duelo muito complicado, pois são dois times qualificados. Podemos conquistar um resultado positivo e por isso mesmo temos que entrar em campo ligados e tentando nos impor, mas sem perder a capacidade de concentração”, observou o meia Diego.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO X FLAMENGO

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Data: 29 de agosto de 2018 (Quarta-feira)

Horário: 21h45(de Brasília)

Árbitro: Andres Cunha (Uruguai)

Assistentes: Nicolás Tarán (Uruguai) e Mauricio Espinosa (Uruguai)

CRUZEIRO: Fábio, Lucas Romero (Edilson), Dedé, Leo e Egídio; Henrique e Lucas Silva; Robinho, Thiago Neves e Arrascaeta; Barcos (Raniel).

Técnico: Mano Menezes

FLAMENGO: Diego Alves, Rodinei, Réver, Léo Duarte e Renê; Gustavo Cuéllar, Lucas Paquetá, Diego, Everton Ribeiro e Vitinho; Henrique Dourado

Técnico: Maurício Barbieri

Gazeta Esportiva
(Foto: Divulgação)

Cruzeiro bate Santos nos pênaltis e avança na Copa do Brasil

O Santos foi guerreiro. Ao iniciar o jogo, no Mineirão, na noite desta quarta-feira, em confronto válido pelas quartas de final da Copa do Brasil, o Peixe entrou em campo com o placar contrário. Na partida de ida, a Raposa venceu por 1 a 0. Na volta, o clube da Vila Belmiro resolveu complicar: no tempo normal conseguiu vencer por 2 a 1, de virada. Nos pênaltis, no entanto, o goleiro Fábio brilhou, defendeu todas as cobranças e o Cruzeiro classificou-se com 3 a 0.

O Cruzeiro foi superior na maior parte do jogo. Nos dois tempos, a Raposa conseguiu criar mais e ter chances para fazer gols. O Santos, porém, em alguns momentos chegava, mas ainda foi um Peixe travado, com pouca criatividade

Fábio defendeu três pênaltis e foi o destaque da partida
Fábio defendeu três pênaltis e foi o destaque da partida

Foto: Thomas Santos / Agif / Estadão Conteúdo

Primeiro tempo

Precisando do resultado, o Santos entrou em campo com uma postura ofensiva. O técnico Cuca colocou sua equipe com quatro homens de frente, em busca de um gol logo no início da partida para dar tranquilidade do empate no placar agregado.

Nos primeiros minutos o técnico Cuca precisou fazer uma substituição em sua equipe. O zagueiro Luiz Felipe sentiu a coxa esquerda e precisou deixar o gramado. Gustavo Henrique foi chamado.

O Cruzeiro marcava a saída de bola do Santos. Os primeiros minutos começaram intensos e para a Raposa o resultado apareceu. Aos 12 minutos, Thiago Neves recebeu na direita, cortou para o meio e chutou rasteiro para abrir o placar.

Aos 14, o Santos teve uma grande chance. Em cruzamento na área, após falta em Rodrigo, Gustavo desviou de cabeça e levou muito perigo ao time do Cruzeiro.

O tento deixou o jogo mais lento. O Cruzeiro passou a estudar mais as jogadas e deixava o confronto amarrado. O Santos não conseguia infiltrar na defesa azul. Vale ressaltar que o time de Mano Menezes não estava fechado. A principal aposta de Cuca era Rodrygo, mas o setor ofensivo do Peixe não vivia bom momento.

Quando o primeiro tempo caminhava para o final, aos 41 minutos, o Santos conseguiu o empate na partida. Em ótimo chute de Gabriel, de fora da área, a bola pegou na bochecha da meta de Fábio.

O gol colocou o Santos novamente na partida. No placar agregado, neste momento, a partida estava em 2 a 1.

Thiago Neves abriu o placar para o Cruzeiro
Thiago Neves abriu o placar para o Cruzeiro

Foto: Alessandra Torres / Eleven / Estadão Conteúdo

Segundo tempo

Na volta para a etapa complementar, o Cruzeiro assustou o Santos logo aos 9 minutos. Em cobrança de escanteio, a bola chegou até o zagueiro Dedé. Ele desviou de cabeça e a redonda parou na trave do goleiro Vanderlei. No rebote, a defesa conseguiu proteger a redonda e o arqueiro segurou firme.

Na medida que o tempo ia passando, o Cruzeiro mostrava quem mandava no jogo. No lance seguinte, o Cruzeiro fez uma bela jogada, uma troca de passes envolvente entre seus homens de meio campo, Robinho, Arrascaeta e Thiago Neves, finalizando com o lateral Edilson, na cara do gol, mas a zaga tirou em cima da linha.

O Santos seguia com grande dificuldade para criar seus lances no meio campo. Com isso, a bola chegava com mais dificuldade na frente. Rodrygo que não estava acostumado a jogar centralizado, praticamente como um armador, tinha dificuldades para cumprir a função.

Após os 30 minutos, o Santos passou a ficar com a bola nos pés. O Cruzeiro se fechou. O Peixe trocava passes, tentava de todos os lados. Em cruzamento da direita, a bola chegou em Bruno Henrique que mandou para o fundo das redes.

O Cruzeiro se mandou para o ataque. Aos 42, a Raposa quase conseguiu o empate. Rafinha aproveitou o rebote dentro da área e chutou e Vanderlei fez uma defesa milagrosa.

Gabigol empatou para o Santos ainda no primeiro tempo
Gabigol empatou para o Santos ainda no primeiro tempo

Foto: Giazi Cavalcante / Código19 / Estadão Conteúdo

Pênaltis:

Lucas Silva – gol

Bruno Henrique – perdeu

Raniel – Gol

Rodrygo – perdeu

David – Gol

Jean Mota – perdeu

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 1 (3) X 2 (0)SANTOS

Local: Mineirão, Belo Horizonte (MG)

Data: 15 de agosto de 2018 (Quarta-feira)

Horário: 19h30 (de Brasília)

Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR)

Assistentes: Bruno Boschilia (PR) e Alessandro Alvaro Rocha de Matos (BA)

Gols: Thiago Neves, aos 9 minutos do primeiro tempo (Cruzeiro); Gabriel, aos 41 minutos do primeiro tempo, Bruno Henrique, aos 38 minutos do segundo tempo (Santos)

Cartões: Gustavo Henrique, Gabriel (Santos); Edilson (Cruzeiro)

CRUZEIRO: Fábio, Edilson, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Robinho (Rafinha), Thiago Neves e De Arrascaeta (David); Hernán Barcos (Raniel)

Técnico: Mano Menezes

SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe (Gustavo Henrique) e Dodô; Renato (Daniel Guedes), Diego Pituca e Artur Gomes (Jean Mota); Rodrygo, Bruno Henrique e Gabigol.

Técnico: Cuca

Gazeta Esportiva

Cruzeiro acorda no 2º tempo, vira em dois minutos e deixa Ponte perto do Z4

O fato de Mano Menezes não estar no banco de reservas do Cruzeiro neste sábado poderia indicar uma falta de interesse da Raposa na partida contra a Ponte Preta no Mineirão. Mesmo assim, o clube celeste conquistou uma virada por 2 a 1 contra a Macaca, anotando seus dois tentos em dois minutos do segundo tempo.

A partida com mando cruzeirense foi antecipada da 28ª rodada do Campeonato Brasileiro por conta da montagem do palco para uma apresentação de Paul McCartney no Mineirão. No banco de reservas, Sidnei Lobo comandou a equipe, já que Mano Menezes está em São Paulo para um tratamento de pele.

Com a vaga na Libertadores já assegurada pelo título da Copa do Brasil, o Cruzeiro se mostrou pouco interessado na partida no primeiro tempo. Assim, sofreu um gol da Ponte Preta logo aos 11 minutos de jogo, quando Diogo Barbosa recuou errado para Rafael, Lucca se aproveitou e foi derrubado pelo goleiro. A arbitragem anotou o pênalti e, na cobrança, Danilo Barcelos bateu no ângulo e inaugurou o marcador.

Na marca de 30 minutos da primeira etapa, a Raposa acumulava quase 75% de posse de bola, mas não tinha nenhuma finalização. Os primeiros chutes vieram apenas aos 42 e 45 minutos, com Hudson e Henrique arriscando finalizações de fora da área. A Ponte, por sua vez, se limitou a esperar pelos contra-ataques, mas deu trabalho para Rafael apenas em uma oportunidade.

Cruzeiro acorda no segundo tempo

© Fornecido por Fundação Cásper Líbero Se foram apenas duas finalizações dos mandantes na etapa inicial, o time celeste arriscou 15 chutes no segundo tempo. Criando muitas oportunidades pelo lado direito, onde a Ponte Preta tentava impedir os ataques celestes com o zagueiro Yago improvisado na função, o Cruzeiro empilhou oportunidades e foi outra equipe nos 45 minutos finais.

Assim, o inevitável empate veio aos 28 minutos, com Thiago Neves. Judson entrou na área e chutou cruzado, mas a zaga afastou. Alisson pegou a sobra e bateu para defesa de Aranha, mas em novo rebote, Thiago Neves tocou de cabeça para as redes.

Dois minutos depois, a virada fez explodir a torcida no Mineirão. Após cobrança de escanteio de Thiago Neves, Manoel subiu sozinho no meio da área e tocou de cabeça, no canto esquerdo de Aranha.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 2 X 1 PONTE PRETA

Local: Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Data: 7 de outubro de 2017, domingo

Hora: 16h00 (de Brasília)

Árbitro: Paulo Roberto Alves Junior (CBF-PR)Assistentes: Victor Hugo Imazo dos Santos CBF-PR) e Rafael Trombeta (CBF-PR)

Público:

Renda:

Cartões amarelos: Rafael, Diogo Barbosa, Hudson, Thiago Neves e Rafinha (CRUZEIRO)

Cartão vermelho: Elton (segundo amarelo)

GOLS

CRUZEIRO:

Thiago Neves, aos 28, e Manoel, aos 30 minutos da etapa finalPONTE PRETA: Danilo Barcelos, aos 12 minutos do primeiro tempo

Cruzeiro: Rafael; Ezequiel, Digão, Manoel e Diogo Barbosa; Hudson e Henrique; Rafinha (Élber), Thiago Neves, Alisson (Lucas Romero); Rafael Sobis (Rafel Marques)

Técnico: Sidnei Lobo

Ponte Preta: Aranha, Nino Paraíba, Marllon, Luan Peres e Artur (Yago); Elton, Jean Patrick (Fernando Bob) e Wendel (Jorge Mendoza); Danilo Barcelos; Emerson Sheik e Lucca

Técnico: Eduardo Baptista

Gazeta Esportiva

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br


INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627