Arquivo da tag: critica

Padre Fábio de Melo critica saída de Alexandre Nardoni da prisão para o Dia dos Pais

O padre Fábio de Melo criticou a liberação de Alexandre Nardoni, 41, da prisão por conta do benefício da saída temporária do Dia dos Pais. Condenado pela morte da filha, em 2008, o preso deixou a Penitenciária 2 de Tremembé (147 km de SP), na manhã desta quinta-feira (8).

Em seu Twitter, o padre ironizou, afirmando que a liberação só deveria acontecer no feriado de Finados. “Não entendo de leis, mas a ‘saidinha’ deveria ser permitida somente no dia de Finados. Para que visitassem os túmulos dos que eles mataram.”

Nardoni deve voltar para a cadeia até a próxima quarta-feira (14).

Ele e Anna Carolina Jatobá, 35, foram condenados pelo homicídio triplamente qualificado de Isabella Nardoni, 5. Na ocasião, o júri entendeu que a criança foi asfixiada e jogada do sexto andar do prédio onde o casal morava, na zona norte da capital paulista. Jatobá foi condenada a 26 anos, em regime fechado, pelo crime.

Desde o fim de abril, Nardoni começou a cumprir sua pena de 31 anos em regime semiaberto.

 

 

FOLHAPRESS

 

 

Secretário diz que chuvas se concentraram no Litoral e situação da Paraíba ainda é crítica

As fortes chuvas que têm caído no Litoral paraibano não adentraram o estado e de acordo com o secretário de Estado de Infraestrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente e Ciência e Tecnologia, João Azevedo, a situação de muitos municípios ainda é crítica.

Azevedo destacou em entrevista ao programa Rádio Verdade da Arapuan FM, nesta quinta-feira (06) que com as chuvas no litoral o sistema Gramame-Mamuaba, Marés, Araçagi acumula água e há uma tranquilidade grande. “Em toda questão de abastecimento do estado, o litoral é o que menos preocupa porque chove com frequência e as barragens se mantém”, disse, destacando que o que é necessário é o investimento na distribuição das águas.

Porém, o secretário lembrou que nas regiões onde normalmente não chove continuam com problemas seríssimos como a parte mais noroeste do estado onde a adutora de Capivara que abastece cidades como Uiraúna, Poço de Zé de Moura e Triunfo, está com 4% ou 5% da capacidade.

“O Curimataú graças a Transposição hoje nos dá uma tranquilidade e já entrou em operação a captação no rio para levar água a cidades do Cariri. Já chegou a Monteiro, Caraúbas e o sistema está pegando água para levar até Sumé e de lá para Ouro Velho, Serra Branca, Gurjão e outras”, disse lembrando que a transposição deixa o governo mais tranquilo mesmo que Campina Grande ainda esteja enfrentando racionamento. “A partir de agora não teremos racionamentos mais sérios em Campina Grande.

Marília Domingues

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Três mananciais enchem com chuvas acima da média, mas maioria ainda tem situação crítica no Estado

As chuvas de março, abril e junho foram mais intensas esse ano em relação a anos anteriores, portanto, estamos tendo um inverno um pouco melhor que o período chuvoso dos últimos cinco anos. No Litoral e Agreste, regiões polarizadas por João Pessoa e Campina Grande, as chuvas têm sido acima da média história.

Mas, como se vê no mapa da Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa), dos principais reservatórios do Estado, os mais volumosos, apenas três estão cheios . O mapa da Aesa  mostra que nos demais mananciais o volume de água ainda é crítico, sobretudo no  Cariri, Curimataú e Sertão, apesar de registros de chuvas nessas regiões.

Os 123 açudes monitorados pela Aesa têm capacidade de acumular 3,7 bilhões de metros cúbicos d’água mas a Paraíba hoje dispõe apenas de algo em torno de 600 milhões de metros cúbicos d’água. Com a seca prolongada de cinco anos vai ser preciso alguns bons invernos para que os mananciais recuperem seus volumes e a Paraíba possa ter de novo segurança hídrica.

De acordo com o presidente da Aesa, João Fernandes, o percentual atual do volume total nos 123 açudes é de apenas 14% dos 3,7 bilhões de metros cúbicos. No Conde, a barragem Gramame-Mamuaba, com capacidade de 56,9 milhões de metros cúbicos, está com 100% de sua capacidade. Está chovendo apenas no Agreste, Brejo e Litoral. Parou de chover no Sertão,  Cariri e Curimataú. A situação continua crítica na maioria dos açudes,  disse essa semana o presidente da Aesa.

O fato novo é que as águas da transposição do Rio São Francisco começam a garantir reforço no abastecimento de algumas regiões e num futuro próximo, o canal Acauã-Araçagi, em construção pelos governos estadual e federal vai distribuir  melhor essas águas do velho Chico a partir da barragem Acauã numa extensão de 112,4 quilômetros desaguando no Brejo paraibano. Água não só para beber mas para irrigar 16 mil de hectares. Essa obra histórica, a maior obra hídrica da Paraíba e uma das maiores do Nordeste, transformará diretamente a economia de 38 municípios com benefícios para 590 mil paraibanos. Estão sendo investidos R$ 1,1 bilhão.

Agenda Paraíba 

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Frei Anastácio critica pressa de Cássio em colocar reforma da previdência em votação

O deputado estadual Frei Anastácio (PT) criticou a pressa do senador Cássio Cunha Lima, presidente interino do Senado, em colocar em votação a reforma da Previdência. “Eles estão acuados com a pressão popular e querem apressar essa votação com ausência do presidente do Senado, Renan Calheiros, que é contra a reforma. É mais um golpe contra o povo”, disse o deputado.

Frei Anastácio afirma que essa pressa em aprovar essa reforma, não é para beneficiar o Brasil. “Eles estão querendo acabar com a previdência pública para beneficiar a iniciativa privada. Se botar fogo no Congresso, terá muito gabiru correndo. Ainda existem as exceções, mas esse Congresso atual está infestado de ratos a serviço da ganância dos poderosos desse país”, disse o deputado.

De acordo com Frei Anastácio, o Brasil está passando por crise, não é por causa da previdência. “É em consequência da roubalheira de políticos safados de muitos partidos, inclusive do PT. Também em consequência de políticos que estão no poder, a exemplo do próprio presidente Golpista, a maioria dos seus ministros, deputados e senadores, que posam de bons moços”, disse.

O deputado afirma que essas reformas vêm de uma ‘corja de ladrões’ que querem justificar seu roubo, sua ineficiência de administrar, com reformas que tiram proveito do suor da classe trabalhadora. “Mas, a greve geral deu o recado do povo brasileiro a essa corja que está no poder e quer continuar mamando nas tetas da safadeza. O povo vai tirar todos eles do poder, através da lava jato do voto. Eles apostam no esquecimento do povo, até chegar às eleições de 2018. Mas, eu serei um dos que irão levar os nomes dos traidores dos trabalhadores aos quatro cantos do estado”, prometeu.

O petista disse que andará com a lista dos nomes dos que votaram e vão votar contra os trabalhadores.Estarei sempre refrescando a memória dos trabalhadores, sobre esses traidores do povo Brasileiro. “Esses políticos que querem se reeleger para continuar no poder matando os pobres, têm que ser expulsos pelo voto”, disse.

pbagora

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Ricardo critica greve de professores e diz que Cagepa precisa passar por ‘ajustes’

ricardoO governador Ricardo Coutinho (PSB) afirmou que a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) precisa passar por um redimensionamento para que continue sendo pública e afirmou que a companhia precisa passar por ajustes. O gestor também fez críticas à greve dos professores da rede estadual.

Na entrevista, concedida ao Diário do Sertão, o governador contou que vem estudando o momento atual da Cagepa e afirmou que a empresa possui funcionários que ganham mais do que ele.

“Acho que a Cagepa tem que passar por ajustes caso ela queira continuar estatal. Não é possível que quase todo mundo ganhe mais do que o governador. Estou estudando isso [privatização] para ver o que é melhor para a Paraíba. Ou a gente redimensiona para tornar a empresa realmente pública ou então ela não pode ser simplesmente estatal”, disse o governador.

Ainda segundo Ricardo Coutinho, o governo vai convocar representantes de sindicatos da Cagepa para uma conversa sobre o futuro da empresa.

A possibilidade de uma privatização da Cagepa tem sido levantada na Paraíba, até mesmo por políticos. Mesmo sem nenhuma confirmação do que pode estar em andamento, o líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado estadual Hervázio Bezerra (PSB), por exemplo, admitiu que o Executivo envolver a Cagepa em negociações para conseguir ajuda do governo federal.

Na mesma entrevista, o governador criticou a greve dos professores da rede estadual e afirmou que concedeu reajuste maior do que o piso nacional estabelecido.

“É preciso considerar o seguinte: o piso nacional do magistério foi de 7%, eu dei 10%. Efetivamente não há razão para qualquer paralisação. Eu sei que eu elevo o salário mais do que o piso”, falou Ricardo Coutinho.

Os profissionais da rede estadual de ensino entraram em greve no dia 15 de março. Entre os principais pontos reivindicados estão piso salarial nacional, o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração do Magistério e a Reforma da Previdência. Em todo o estado, 735 escolas com 350 mil alunos e 16 mil professores são afetados com a medida.

portalcorreio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Mais da metade dos açudes da PB estão em situação crítica, diz Aesa

boqueiraoMais da metade dos açudes públicos da Paraíba estão em situação crítica. Um levantamento da Agência Executiva de Gestão das Águas do estado (Aesa), divulgado nesta quarta-feira (22), mostra que 53,9% dos reservatórios monitorados pelo órgão estão com um volume menor que 5% da capacidade total. São 68 com um nível de água considerado muito baixo. Desses, 18 estão cm volume totalmente zerados.

Ao todo, 126 açudes são monitorados pela agência e apenas 24 apresentam um volume superior a 20% nesta quarta-feira. Ainda de acordo com o relatório, os municípios mais afetados pela escassez de água ficam no Sertão, no Cariri e no norte do estado.

Um dos que se encontram em situação crítica é o reservatório de Boqueirão, que abastece outras 17 cidades, incluindo Campina Grande. Nele, o volume corresponde a 3,8% da capacidade. O presidente da Aesa, João Fernandes, destaca que, por causa do baixo nível dos açudes, os racionamenos se tornaram necessários.

“A população já está sendo abastecida com poços e carros-pipa. A gente está acompanhando, conferindo passo a passo. Quero chegar em abril com 10 milhões de metros cúbicos. Se não tivesse essas restrições, o sistema entraria em colapso”, afirma.

Ainda de acordo com ele, a transposição do Rio São Francisco deve chegar a Monteiro, no Cariri, no mês que vem, o que deve trazer um alívio para a região. “A promessa é que deve chega no dia 6 de março. Se a gente já tiver as águas do São Francisco, a gente melhora o abastecimento”, acredita.

Veja os 18 açudes da Paraíba que estão zerados:
– Algodão (Algodão de Jandaíra)
– Bastiana (Teixeira)
– Sabonete (Teixeira)
– Novo II (Tavares)
– Bichinho (Barra de São Miguel)
– Campos (Caraúbas)
– Cordeiro (Congo)
– Ouro Velho (Ouro Velho)
– Prata II (Prata)
– Jenipapeiro (São José da Lagoa Tapada)
– Milhã (Puxinanã)
– Riacho de Santo Antônio (Riacho de Santo Antônio)
– Riacho dos Cavalos (Riacho dos Cavalos)
– Caraibeiras (Picuí)
– São José IV (São José do Sabugi)
– São Mamede (São Mamede)
– Gurjão (Gurjão)
– Serra Branca I (Serra Branca)

G1 PB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Reajuste da conta d’água pode parar na Justiça; oposição critica governo por penalizar paraibano

aguaO reajuste de 12,38% na conta da água anunciado pelo governo tem causado reação da sociedade paraibana. Não só apenas por esse reajuste, mas por outros  que tem corroído a cada vez mais a saúde financeira dos cidadãos desse estado.

Além desse aumento, vale lembrar que o governo estadual já aumentou ICMS, ITCD, IPVA, Funcep e taxas do Detran.

O novo aumento,  está sendo combatido pela oposição que promete ir a Justiça contra mais um ônus a ser pago pelo cidadão.

Para Ruy Carneiro, presidente estadual do PSDB, diferente de outras unidades da federação onde os governos buscam medidas para conter os problemas financeiros, na Paraíba o governador Ricardo Coutinho tem penalizado os paraibanos com o aumento de tributos.

A crise econômica não justificaria ao aumento de tributos na Paraíba.

Segundo levantamento feito pela jornalista Lena Guimarães e publicado no Correio da Paraíba, desde que Ricardo Coutinho tomou posse até novembro de 2016, a receita do Estado subiu 80%, muito acima da inflação, que foi de 49,98%.

Entretanto, os dados demonstram  que faltam  medidas para contenção de gastos, principalmente com pessoal, que continua ultrapassando o estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal, que é de 60%.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Cármen Lúcia critica versão aprovada pela Câmara de projeto anticorrupção

carmem-luciaA presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Carmen Lúcia, divulgou nesta quarta-feira (30) nota oficial na qual lamentou a inclusão no projeto anticorrupção aprovado pela Câmara de medidas que, segundo ela, podem afetar a independência do Judiciário.

Cármen Lúcia afirmou respeitar a separação de poderes, mas frisou que cabe ao Judiciário garantir a democracia. Ela disse que magistrados já foram cassados “em tempos mais tristes” e que se pode “calar o juiz”, mas não se conseguirá “calar a Justiça”.

“[A ministra Cármen Lúcia] não pode deixar de lamentar que, em oportunidade de avanço legislativo para a defesa da ética pública, inclua-se, em proposta legislativa de iniciativa popular, texto que pode contrariar a independência do Poder Judiciário”, diz o texto da nota.

Na madrugada desta quarta-feira, os deputados incluíram no projeto a proposta de punição de juízes e membros do Ministério Público por abuso de autoridade.

A emenda foi apresentada pela bancada do PDT e lista as situações em que juízes e promotores poderão ser processados, com pena de seis meses a dois anos de reclusão. A legislação atual já prevê o crime de abuso de autoridade, mas é mais genérica.

Entre as condutas que passariam a ser crime estariam a atuação dos magistrados com motivação político-partidária e a apresentação pelo MP de ação de improbidade administrativa contra agente público “de maneira temerária”.

Nesse caso, além de prisão, os promotores também estariam sujeitos a indenizar o denunciado por danos materiais e morais ou à imagem que tiver provocado.

Segundo a nota de Cármen Lúcia divulgada pela assessoria do STF, “já se cassaram magistrados em tempos mais tristes. Pode-se tentar calar o juiz, mas nunca se conseguiu, nem se conseguirá, calar a Justiça”.

Nota da presidente do STF

Leia a íntegra da nota da presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia:

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia, reafirma o seu integral respeito ao princípio da separação de poderes. Mas não pode deixar de lamentar que, em oportunidade de avanço legislativo para a defesa da ética pública, inclua-se, em proposta legislativa de iniciativa popular, texto que pode contrariar a independência do Poder Judiciário.
Hoje, os juízes respondem pelos seus atos, na forma do estatuto constitucional da magistratura.

A democracia depende de poderes fortes e independentes. O Judiciário é, por imposição constitucional, guarda da Constituição e garantidor da democracia. O Judiciário brasileiro vem cumprindo o seu papel. Já se cassaram magistrados em tempos mais tristes. Pode-se tentar calar o juiz, mas nunca se conseguiu, nem se conseguirá, calar a Justiça.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Prestes a se encontrar com Temer, Ricardo critica PEC dos gastos: ‘Não podem votar a toque de caixa’

ricardocoutinhoO governador Ricardo Coutinho (PSB) criticou, nesta segunda-feira (14), a Proposta de Emenda Constitucional que estabelece um limite para os gastos públicos pelos próximos 20 anos. Em seu programa de rádio semanal, Coutinho fez uma avaliação da Proposta do governo federal.

“Não acredito que uma matéria dessa não pode ser votada a toque de caixa”, considerou. A PEC tramita atualmente no Senado e já foi aprovada por 19 votos a 7 na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Na próxima quarta-feira (16), Ricardo Coutinho participar de audiência com o presidente Michel Temer (PMDB), em Brasília, para apresentar os pleitos da Paraíba.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Deputado estadual critica Reforma Política e defende fim de partidos grandes: “Só tem corruptos”

tiao-gomesO deputado estadual Tião Gomes (PSL) foi mais um, além do deputado Janduhy Carneiro (PTN), a criticar o texto que propõe a Reforma Política (PEC 36/2016) no país. Tião usou a tribuna do plenário da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) para defender as pequenas legendas ressaltando que são os pequenos partidos que, segundo ele, moralizam o país. Em seu discurso, o parlamentar pediu a extinção de partidos como o PMDB, PSDB e PT.

O texto propõe o fim das coligações, que segundo Tião, pode excluir os partidos pequenos de participar de eleições proporcionais. O deputado do Brejo paraibano foi enfático ao criticar a proposta que já foi aprovada em primeiro truno pelo plenário do Senado. “Querem acabar com os pequenos partidos nesse país. Querem deixar só os grandes, mas deveria ser o inverso, acabar com os grandes e deixar os pequenos, porque nos grandes só tem corruptos”, disparou Tião.

Para Tião Gomes, escândalos que vêm sendo noticiados atualmente envolvem, em sua maioria, as grandes legendas partidárias do país. “Você pega o PMDB, pega o PP, o PSDB e o PT também e só vê coisas que não prestam para o país. (…) Esta é a grande reforma que querem para o país?”, questionou Tião. O deputado do PSL destacou que são os pequenos partidos que atualmente “moralizam o Brasil”.

Tião apontou seu ‘canhão’ direto para Brasília e afirmou que os maiores casos de corrupção envolvem, principalmente, o Congresso Nacional e são denunciados pelos pequenos partidos. “Os pequenos partidos estão lá para fiscalizar. São dois ou três deputados, mas que falam. Então querem tirar esses pequenos partidos para deixar os grandes, que estão desonrando a política nacional. Hoje, nós temos vergonha de dizer que somos deputados, vereadores e são eles, lá em cima, os culpados”.

PB Agora

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br