Arquivo da tag: Criança

Homem é preso suspeito de estuprar criança de 6 anos na Grande João Pessoa

Um homem de 33 anos foi preso, nesta quarta-feira (24), suspeito de estuprar uma criança de seis anos, no bairro do Mário Andreazza, a cidade de Bayeux, na Grande João Pessoa.

De acordo com informações, a denúncia teria surgido após a esposa do suspeito flagrar o marido sem roupa na cama com a vítima. A versão teria sido confirmada pela criança.

A polícia foi acionada e encaminhou o suspeito à Delegacia da Mulher, na Central de Polícia, no bairro do Geisel, em João Pessoa.

com informações do repórter Gustavo Chaves

 

 

Criança de seis anos cai em fogueira na véspera de São João em Puxinanã, na PB

Um menino de 6 anos teve partes do corpo queimadas após cair em uma fogueira no fim da noite da terça-feira (23), véspera de São João, no município de Puxinanã, no Agreste da paraíba. A criança foi socorrida para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande.

Segundo informações da unidade hospitalar à TV Paraíba, o menino apresentou queimaduras superficiais pelo corpo e recebeu alta na manhã desta quarta-feira (24).

A previsão é de que informações sobre a quantidade de pessoas que sofreram acidentes com queimaduras durante o período junino sejam divulgadas pela unidade de saúde na quinta-feira (25).

Uma operação foi deflagrada pela Polícia Militar, na noite da terça, para coibir o acendimento de fogueiras em áreas urbanas, em toda a Paraíba. De acordo com a PM, 34 fogueiras foram apagadas e outras 67 foram recolhidas, antes de serem acesas. Três multas, de valor superior a R$500, foram aplicadas. Sendo uma em João Pessoa e duas em Campina Grande.

As fiscalizações contaram com a atuação conjunta do Batalhão de Polícia Ambiental (BPAmb), Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema) e Corpo de Bombeiros Militar. A proibição foi estabelecida pela lei nº 11.711, sancionada pelo Governo do Estado.

G1

 

Criança de três anos é estuprada e tio tenta matar suspeito com um facão

Uma criança de três anos foi vítima de estupro na cidade de Areia, no Agreste paraibano, conforme denúncia realizada pela mãe da criança na noite dessa terça-feira (2). O suspeito, um homem de 45 anos, por pouco não foi linchado pela população e morto pelo tio da vítima.

Quando o suspeito foi localizado pela polícia, o tio da criança já estava com ele e ameaçava matá-lo com um facão. A polícia conseguiu contê-lo e apreender a arma branca. Algumas pessoas da região também ameaçavam agredir o suspeito, que precisou ser escoltado pela polícia para sair do local em segurança.

O homem foi levado para a delegacia do município de Esperança. Já a criança foi encaminhada ao hospital e até o momento não há informações sobre o estado de saúde dela.

midiaparaiba

 

Criança de 7 anos atingida por bala perdida segue internada

Uma criança de 7 anos foi baleada na tarde dessa terça-feira (26), no Gervásio Maia, em João Pessoa, após uma suposta tentativa de assalto a outra pessoa. A vítima segue internada no Hospital de Trauma da Capital, em situação estável, sem previsão de alta.

Um homem de 24 anos teria sido abordado por um bandido armado, que teria anunciado um assalto. A vítima correu para escapar e o criminoso começou a atirar várias vezes em direções diferentes. O homem foi ferido com tiros nas pernas e a criança que estava próximo também foi baleada. Os dois foram socorridos em carro particular para o Trauma, onde o homem recebeu atendimento e já teve alta.

O criminoso fugiu e ainda não foi localizado. O caso deverá ser investigado pela Delegacia de Homicídios da Capital.

 

portalcorreio

 

 

Alagoinha tem primeira morte suspeita por covid-19; óbito foi de criança de 5 anos

Uma criança, de 5 anos de idade, morreu com suspeita de Covid-19 nesta quarta-feira (20), em Alagoinha. De acordo com comunicado da Prefeitura, a vítima, que residia no Sítio Barro de Fátima, apresentou cansaço no período que estava se alimentando e dor na região peitoral.
Em virtude de seu estado clínico, a criança foi encaminhada ao PSF local e logo em seguida para a UPA.
Foi realizada o teste rápido, tendo resultado não reagente, mas com o exame SWAB houve a conclusão do diagnóstico.
Segundas informações, a Prefeitura de Alagoinha está tomando todas as providências cabíveis com a família.
“Será um caso investigado e iremos comunicar o resultado à população. Peço a todos que fiquem em casa, inclusive os notificados, pelo amor de Deus”, disse a secretária de Saúde.
O corpo da criança foi sepultado na manhã de hoje.
 
Do Blog de Cristiano Alves com 

 

Criança de 4 anos está entre os oito casos confirmados de Covid-19 em Bananeiras

Uma criança de 4 anos de idade está entre os oito casos confirmados de Covid-19 no município de Bananeiras, Brejo paraibano. Além disso, são 11 casos suspeitos notificados, 32 pessoas monitoradas, duas mortes descartadas e outros 13 casos descartados.

CASOS CONFIRMADOS:

  1. G.G.P, 85 anos, feminino, residente no St. Lagoa do Matias, comunicante de caso positivo para Covid-19.
  2. T.L.O, 4 anos, masculino, residente no St. Lagoa do Matias, comunicante de caso positivo para Covid-19.
  3. T. L. O 30 anos, residente no St. Lagoa do Matias, masculino, apresentando febre e tosse, comunicante de caso positivo Covid-19.
  4. J.E.S. 38 anos, residente na Rua Santo Antônio, apresentando febre, tosse, dor de garganta, mialgia , cefaleia e anosmia.
  5. T.L.L.S, 67 anos, residente na Rua Santo Antônio, apresentando dor de garganta, dispnéia, febre, tosse e cefaleia.

Casos Novos Suspeitos:

  1. F.F.C. 61 anos, Feminino, residente no St. Saboeiro, apresentando febre e tosse.
  2. E.S.A 26 anos, Feminino, residente no St. Saboeiro, apresentando febre, tosse, dispneia, hiposmia e mialgia.
  3. W.F.C 29 anos, Masculino, residente no St. Saboeiro, apresentando febre, mialgia, cefaleia, anosmia.
  4. J.A.N, 29 anos, Masculino, residente no Distrito de Roma, apresentando febre, dispneia, diarreia e cefaleia.
  5. T.F.M, 32 anos, Masculino, residente St. Roma de Cima, apresentando dor de garganta, febre e cefaleia.
  6. J.A.P, 78 anos, Masculino, residente na Chã do Lindolfo, apresentando febre, tosse e rinorréia. Apresenta fator de risco para Imunossupressão.

 

Redação FN

 

 

Suspeito de matar jovem que teria praticado abuso sexual contra criança é preso, na PB

Um homem foi preso neste sábado (9), em Queimadas, na Paraíba suspeito de matar um jovem de 26 anos que teria cometido abuso sexual contra uma criança de um ano e três meses. A criança é sobrinha da companheira do suspeito preso, que negou o crime.

A equipe do Núcleo de Homicídios da 11ª Delegacia Seccional com sede em Queimadas prendeu em flagrante um dos autores do homicídio. Após receber a notícia do crime, os policiais civis do Núcleo de Homicídios entraram em diligências que culminaram com a prisão do suspeito, de 23 anos.

Após a prisão em flagrante o preso foi recolhido na carceragem da Central de Polícia Civil de Campina Grande, onde aguardará a audiência de custódia. “As investigações continuam para se identificar as demais autorias”, concluiu Ilamilton Simplício, Delegado Seccional da 11ª DSPC-Queimadas.

Qualquer pessoa pode fazer uma denúncia sobre qualquer tipo de crime. Para isso, basta ligar para Disque-Denúncia da Polícia Civil pelo número 197 ou para a Polícia Militar, em caso de urgência, pelo 190. A denúncia pode ser anônima e mesmo que o denunciante queira se identificar, todas as informações serão mantidas em absoluto sigilo e sua identidade será preservada.

G1

 

Criança morre e família afirma que atendimento médico foi negado em hospital de João Pessoa

Alice, de 3 anos de idade, morreu na sexta-feira (24), após sofrer um AVC hemorrágico e ter constatada morte cerebral, no Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. A família da menina alega que ela teve o atendimento negado no Hospital João Paulo II, devido a 12 dias que faltavam cumprir de carência no plano de saúde Smile.

Em nota, o Hospital João Paulo II informou que a criança foi atendida “com hipótese diagnóstica de meningite. Naquela ocasião, o quadro de saúde era estável, sem febre, sem convulsão e sem necessidade de oxigenoterapia […]. Não havia emergência, e se tratava de uma solicitação de internamento eletiva para investigação da hipótese de diagnóstico realizada na UPA, situação para a qual a paciente estava sob período de carência junto a seu plano de saúde”. A nota diz ainda que “realizou o encaminhamento para o hospital de referência para tratar doenças infectocontagiosas” e que “a criança não permaneceu nas dependências do Hospital João Paulo II por mais de 30 minutos”.

Também em nota, o plano de saúde Smile diz que não ocorreu qualquer ilegalidade. “Reiteramos a nota de esclarecimento de nosso prestador de serviços em todos os seus termos, ao passo que no colocamos à disposição para sanar eventuais dúvidas”.

O Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) emitiu nota comunicando que irá abrir uma sindicância para apurar infração ética da equipe médica envolvida no caso de Alice. O caso está em análise e se forem constatados indícios de infração ética médica, é instaurado um processo ético-disciplinar contra os profissionais envolvidos.

Procura por atendimento médico para criança

De acordo com Leandro Gonzales, padrasto de Alice, no dia 18 de abril, quando estava dormindo na casa dos avós maternos, Alice acordou às 5h chorando e se queixando de uma dor de cabeça. Os avós de Alice perceberam que a boca da criança estava torta, e que um dos olhos estava tremendo. Os avós chegaram à conclusão de que Alice estava sofrendo convulsões e socorreram a neta para a Unidade de Pronto Atendimento Oceania, no bairro de Manaíra.

Na UPA, Leandro e Jéssica, mãe de Alice, encontraram com a criança. “A médica que estava lá nos atendeu super bem, mas ela não tinha o que fazer na UPA, eles não tinham os equipamentos necessários pra fazer um atendimento desse nível, ela precisava de uma tomografia urgente. Então a médica nos comunicou que iria fazer uma transferência”, disse Leandro.

Jéssica e sua filha Alice, de 3 anos; família acusa hospital por negligência médica, em João Pessoa — Foto: Leandro Gonzales/Arquivo Pessoal

Jéssica e sua filha Alice, de 3 anos; família acusa hospital por negligência médica, em João Pessoa — Foto: Leandro Gonzales/Arquivo Pessoal

Jéssica contou à médica que Alice tinha plano de saúde Smile, então a médica ligou para o Hospital João Paulo II, que atende ao plano. Quando a família estava saindo da UPA, foi informada que o atendimento foi recusado devido à carência do convênio.

“Ligaram do hospital dizendo que foi recusado o atendimento, devido à carência do plano de 6 meses, sendo que elas estavam no plano há 5 meses. Faltando 12 dias pra completar 6 meses, eles recusaram”, conta o padrasto de Alice.

A família retornou pra UPA onde tentaram entrar em contato com o plano de saúde. A empresa pediu uma série de documentos, incluindo uma declaração da médica sobre o caso de Alice. Eles enviaram o documento digitalizado e eles pediram manuscrito, eles fizeram manuscrito e foram para o hospital.

Chegando no Hospital João Paulo II, a equipe reforçou que o atendimento foi negado. “Nesse momento Alice estava nos braços da mãe, a médica em nenhum momento perguntou o estado de Alice, nem sequer olhou pra criança, em nenhum momento ofereceram uma maca para colocar a criança deitada”, desabafa Leandro.

Ainda conforme a família, a médica da UPA seguiu acompanhando o caso e entrou em contato com um amigo do Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW-UFPB), que atualmente está como unidade de referência para casos de Covid-19. Mesmo assim, a criança foi atendida na unidade.

No HULW, foi feita uma tomografia e constataram um AVC hemorrágico. O médico disse que Alice precisava ser levada para o Hospital de Emergência e Trauma. “Eu não tenho o que reclamar da rede pública por onde a gente passou, todos os profissionais foram excelentes”, relata Leandro.

Alice tinha 3 anos e morreu devido um acidente vascular cerebral, na PB — Foto: Leandro Gonzales/Arquivo Pessoal

Alice tinha 3 anos e morreu devido um acidente vascular cerebral, na PB — Foto: Leandro Gonzales/Arquivo Pessoal

De acordo com o Hospital de Trauma de João Pessoa, no dia 18, por volta das 13h, Alice deu entrada no hospital, onde foi feito o atendimento de urgência. Os médicos constataram que metade do corpo de Alice estava paralisado e internaram a criança em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Durante a noite do mesmo dia, o cérebro de Alice continuou inchando e foi preciso uma cirurgia no crânio de urgência. Leandro relata que no dia 19, os médicos conversaram com Jéssica, mãe de Alice, e disseram desconfiar da morte encefálica da criança.

Na segunda-feira (20) foi iniciado o processo para confirmar a morte cerebral de Alice, de acordo com Leandro. Na quarta-feira (22), a morte cerebral de Alice foi confirmada.

“O procedimento é reduzir os medicamentos até o coração parar de bater, porém o coração dela começou a melhorar. Nós mobilizamos muita gente nessa cidade, em prol de oração, em prol de reza, em prol de buscar a Deus, em prol de um milagre. E realmente foi um milagre ela se manter bem até a sexta”, conta Leandro.

Na sexta-feira (24) os aparelhos de Alice foram desligados. A família de Alice alega negligência médica da equipe do Hospital João Paulo II e do plano de saúde Smile.

“Nós acreditamos que poderia ter acontecido algo diferente se o Hospital João Paulo II, mesmo se recusando a internar a gente, fazer o atendimento primário, fazer os testes que fizeram no HU. Poderiam ter indicado pra gente o melhor, indicar pra gente ir direto pro trauma, porque a gente não perderia tempo no translado. Se eles tivessem orientando a gente, a gente teria ganhado três horas. Se eles tivessem feito o mínimo, mas nem olhar pra criança eles olharam”, desabafa o padrasto.

Família de Alice pretende processar plano de saúde, hospital e médica por negligência, em João Pessoa — Foto: Leandro Gonzales/Arquivo Pessoal

Família de Alice pretende processar plano de saúde, hospital e médica por negligência, em João Pessoa — Foto: Leandro Gonzales/Arquivo Pessoal

 

G1

 

 

Programa Criança Feliz mantém atendimento por meio de acompanhamento remoto em Curral de Cima

Mesmo mantendo o distanciamento social como recomendam as autoridades em saúde pública, o programa ‘Criança Feliz’ de Curral de Cima está garantindo o atendimento às famílias cadastradas no município por meio de contatos telefônicos e WhatsApp. Através de vídeos, os instrutores explicam e ensinam atividades e por meio de ligações realizam o atendimento dos usuários.

A medida foi tomada pela Secretaria de Assistência Social atendendo recomendação do Ministério da Cidadania que destaca a importância de se manter o programa durante o enfrentamento ao coronavírus. Em Curral de Cima, o ‘Criança Feliz’ atende 200 usuários entre crianças de zero a três anos e gestantes que estão inseridas no Cadastro Único (CadÚnico) do Governo Federal.

De acordo com a coordenadora do ‘Criança Feliz’ em Curral de Cima, Suellen Fagundes, os atendimentos presenciais e visitas foram suspensos tomando por base decreto municipal. Com isso, a equipe do programa planejou atividades remotas, online, grupos de WhatsApp e contato telefônico, para substituir as visitas e garantir a saúde dos usuários e equipes evitando o contato pessoal.

“O ministério da Cidadania recomendou que fossem realizadas atividades remotas a fim de evitar o contato pessoal, mas que mantivesse os trabalhos, pois eles são essenciais. A equipe tem gravado vídeos, áudios e entrado em contato por telefone com aqueles familiares que possuem esses meios. Mas sabemos que muitos não têm acesso à internet, a telefones e esse é o nosso principal gargalo. Ainda estamos analisando uma forma de como atingir esse público. Precisamos continuar esse acompanhamento, ele é prioridade e fundamental na primeira infância”, destacou Suellen Fagundes.

O programa ‘Criança Feliz’ em Curral de Cima faz por meio de suas equipes o acompanhamento contínuo com orientações importantes e acompanhamento com o objetivo de fortalecer vínculos familiares e estimular o desenvolvimento infantil.

De acordo com a coordenadora do programa, iniciativas como o ‘Criança Feliz’ são capazes de prevenir e identificar atrasos físicos, intelectuais e emocionais e orientar impulsionar o desenvolvimento de habilidades cognitivas, motoras, e psicossocial, através de ações simples.

Suellen explicou ainda que em 2017 o município de Curral de Cima recebeu o programa para atingir 100 usuários, mas a importância do trabalho fez com que o município ampliasse sua meta, atendendo mais 100 usuários. “Ter equipes de referências nas casas de familiares procurando a promoção social quase que semanalmente é gratificante. Algumas dessas famílias não recebiam nenhuma visita, outras não tinham familiares próximos, se sentiam sozinhas, e com a ida da equipe nas suas casas acabaram dando um novo significado a vida”, afirmou.

O programa – O ‘Criança Feliz’, lançado em outubro de 2016, tem como ponto central a visita semanal de técnicos às casas das famílias de baixa renda para acompanhar e estimular o desenvolvimento das crianças até os 3 anos de idade. Com o estímulo correto, o governo espera preparar essa geração para vencer a pobreza. O público-alvo é formado por gestantes e crianças de 0 a 3 anos de idade beneficiárias do Bolsa Família, e até os 6 anos aquelas crianças com algum tipo de deficiência e que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Ainda são acompanhadas as crianças de até 6 anos que estão afastadas do convívio familiar em função de medidas protetivas. Estados e municípios não têm gastos. Os repasses de recursos para a supervisão, capacitação, contratação e remuneração dos visitadores são de responsabilidade do Governo Federal. A adesão é voluntária.

 

Assessoria

 

 

Criança de seis anos é atropelada por trator em João Pessoa

Um menino de seis anos foi atropelado por um trator na Zona Rural do Bairro das Indústrias, em João Pessoa, na manhã desta quarta-feira (15). A criança foi levada para o Hospital de Trauma de João Pessoa.

Em entrevista à TV Correio, a mãe do menino contou que ele estava no veículo  acompanhado de um funcionário que estava fazendo um serviço no terreno de uma fazenda. Segundo ela, a criança teria pulado do trator enquanto ele estava em movimento, em seguida, ocorreu o acidente.

Familiares levaram a criança em um carro particular para a região mais urbana do Bairro das Indústrias, onde o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) fez os primeiros socorros.

A criança teria ficado em estado de choque, com uma lesão extensa e foi levada para o Hospital de Trauma da Capital. Até as 12h desta quarta-feira (15), a unidade hospitalar não tinha divulgado o estado de saúde da criança.

 

portalcorreio