Arquivo da tag: crescimento

LEDterapia capilar; grande aliada para recuperação e crescimento dos fios após tratamento quimioterápico 

Técnica estimula folículos e as células tronco do cabelo e pode ser aplicada de duas a três vezes por semana

Segundo dados recentes do Instituto Nacional do Câncer (INCA), o  câncer de mama é o segundo tipo que mais acomete brasileiras, representando em torno de 25% de todos os cânceres que afetam o sexo feminino. Para o Brasil, foram estimados 59.700 casos novos de câncer de mama em 2019, com risco estimado de 56 casos a cada 100 mil mulheres.

Aproveitando os números alarmantes e que outubro; mês de conscientização e prevenção contra o câncer de mama chegou, uma questão que vale ser discutida é a queda de cabelo decorrente dos efeitos colaterais da quimioterapia;  situação tão temida pelas pacientes, já que os cabelos são um dos principais símbolos de feminilidade.

Estudos revelam que a queda de cabelo influencia diretamente nas taxas de desistência do tratamento. A alopécia acorre em razão de alguns tipos de quimioterapia que danificam as células responsáveis pelo crescimento dos fios, causando a queda parcial ou total dos cabelos. Em média, o cabelo volta a crescer de dois a três meses após o término do tratamento.

É possível acelerar o processo por meio da LEDterapia, procedimento utilizado em quase todas as clínicas especializadas que estimula as células capilares a trabalharem mais e com melhores resultados. A técnica não é uma novidade no universo de tratamento dos fios. Segundo o cirurgião vascular e especialista em LEDterapia capilar, Dr. Álvaro Pereira, já se sabe há muito tempo que essa radiação, na dose e frequência certa, estimula o crescimento do cabelo. Ela já é utilizada por quem sofre com a perda por outros motivos que não o efeito colateral da quimioterapia, a fim de combater o afinamento, ressecamento e queda capilar em pessoas com tendência à calvície completa.

Na prática, para recuperar o cabelo com a LEDterapia após esse processo de quimioterapia, o paciente usa um boné ou capacete que emite uma radiação com frequência específica, de baixa potência. “Os raios promovem a dilatação dos vasos sanguíneos, o que aumenta a entrada de nutrientes e oxigênio nas células capilares. Com isso, também cresce a produção de energia celular e, consequentemente, a capacidade de produzir mais fios de cabelo de melhor qualidade”, afirma o especialista.

Vale ressaltar que é justamente por conta do efeito de vasodilatação que a LEDterapia só é indicada após o fim do tratamento quimioterápico. Se ela for utilizada durante, o medicamento tende a penetrar ainda mais nas células e provocar o resultado contrário. Assim, a técnica não é uma prevenção contra a perda do cabelo, mas um acelerador de crescimento pós-quimioterapia.

O especialista ainda conclui que o método pode ser aplicado de duas a três vezes por semana, durante 10 minutos.

 

Dr. Álvaro Pereira – Formado na FMUSP em 1978, residência em Cirurgia Vascular no HCFMUSP, Doutorado em Cirurgia Vascular na Divisão de Bioengenharia do INCOR – HCFMUSP, pós-doutorado e especialização em LEDterapia capilar no B&H Hospital – Harvard.

 

Paraíba é o estado brasileiro que apresentou maior crescimento no número de casamentos em cartórios no mês de setembro

A Paraíba foi o estado brasileiro que registrou o maior crescimento no número de casamentos em cartórios no mês de setembro. A informação é do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e registra aumento no número de celebrações durante a pandemia do Coronavírus.

De acordo com os dados que o ClickPB teve acesso, foram 1.001 celebrações durante o mês de setembro. No mês de abril foram registradas 75 celebrações, sendo assim um aumento de 1.234,7%.

O cenário atual fez com que o mês de setembro se tornasse o período com mais registros de matrimônios desde março, superando, inclusive, o mês de maio, conhecido tradicionalmente como o mês das noivas, fato que não ocorria desde 2018

Além da Paraíba, no ranking estão os estados do Piauí (1.156,7%), Amazonas (1.115,2%), e Amapá (863,6%). Quando avaliados os números totais de casamentos realizados em 2019 e 2020, de janeiro a setembro, os estados do Tocantins e do Amazonas foram os únicos a registrar aumento nas celebrações neste ano, com crescimentos de 24,1% e 3,8%, respectivamente.

Os dados constam na Central Nacional de Informações do Registro Civil (CRC Nacional), base de dados dos atos praticados pelos Cartórios de Registro Civil do País, administrada pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil). Em abril deste ano, foram realizados 25.394 casamentos em território nacional, número 61,8% menor que o registrado no mesmo mês do ano passado, quando houve 66.561 celebrações. Já setembro foi o mês responsável pelo recorde do índice desde o início da pandemia, com 61.799 casamentos feitos pelos Cartórios – começando a se aproximar das 80.427 uniões realizadas no mesmo mês do ano passado.

Os Cartórios de Registro Civil tomaram diversas ações para proteger a população nesse período de pandemia do coronavírus. Foram determinadas medidas para espaçamento entre as cerimônias ao longo do dia; permissão de entrada apenas do casal e de duas testemunhas no Cartório para a realização do casamento, sem presença de convidados; uso obrigatório de máscaras por todos presentes no local; disponibilização de álcool em gel e pias para lavagem de mãos; uso de canetas próprias para a assinatura do registro de casamento, sem compartilhamento do objeto; e distância mínima de um metro entre os envolvidos na cerimônia.

Além disso, a criatividade também teve espaço importante neste momento excepcional. Iniciativas como a realização de casamentos em sistema conhecido como “drive-thru” emergiram por todo o País, proporcionando a realização do sonho do matrimônio, mas com a mínima interação física, sem que o casal saia de dentro do carro.

Em alguns estados também foram editadas normas que autorizaram o casamento por videoconferência, permitindo que a celebração aconteça sem a presença dos noivos no Cartório. São eles: Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins.

 

clickpb

 

 

PB registra crescimento de 13,7% no número de pequenos negócios

Reafirmando o seu protagonismo no processo de reaquecimento da economia, especialmente na geração de novas vagas de emprego, os pequenos negócios encerraram o ano de 2019 em alta na Paraíba. Conforme dados da Receita Federal, no fim do mês de dezembro, o estado contava com 176,8 mil pequenos negócios formais, número que é 13,7% maior que o registrado no mesmo período de 2018, quando a Paraíba contabilizava 155,4 mil pequenos empreendimentos.

Desse total de pequenos negócios optantes do Simples Nacional em 2019, cerca de 130,1 mil eram microempreendedores individuais (MEI), categoria que surgiu para incentivar a formalização de profissionais autônomos, que no ano passado completou 10 anos de criação. Considerando apenas os dados dessa categoria, os números registrados em dezembro do ano passado indicam um crescimento de 18,7% em relação ao mesmo de período de 2018, quando o estado possuía 109,5 mil microempreendedores individuais.

Já no universo das microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP), os dados da Receita Federal apontam que no último mês de dezembro o estado contava com 46,7 mil optantes do Simples Nacional, número que no mesmo mês de 2018 era de 45,9 mil empresas, representando um crescimento de 1,8% no período de um ano.

O que favorece os pequenos negócios

Na avaliação da gerente da Unidade de Estratégia do Sebrae Paraíba, Ivani Costa, fatores como os desligamentos dos empregos formais, os modelos de negócio baseados na terceirização e as alterações no regime geral de previdência contribuíram para o aumento verificado no número de pequenos negócios.

“Há um movimento que se origina nos desligamentos dos empregos formais e culmina na formalização de atividades econômicas com ocupações similares. As atividades como a de promoção de vendas, e muitas daquelas que possuem modelos de negócio baseados na terceirização, também contribuem para esse aumento. Além disso, as perspectivas de alterações no regime geral de previdência impulsionaram a busca pelo microempreendedor individual como uma forma segura de alcançar os benefícios previdenciários e garantir uma aposentadoria por idade em um prazo mais curto”, pontuou.

Ainda falando sobre o crescimento do número de pequenos negócios no estado, a gerente também destacou as ações realizadas pela instituição junto aos empreendedores. “Outro fator para esse aumento é o trabalho do Sebrae na promoção e divulgação dos benefícios gerados pela formalização. A inclusão de novas atividades permitidas também contribui para esse número expressivo”, acrescentou Ivani Costa.

 

portalcorreio

 

 

Pequenos negócios​ na PB tem crescimento de 13,7% em 2019, diz Receita Federal

Os pequenos negócios encerraram o ano de 2019 em alta na Paraíba. Conforme dados da Receita Federal, no final do mês de dezembro, o estado contava com 176,8 mil pequenos negócios formais, número que é 13,7% maior que o registrado no mesmo período de 2018, quando a Paraíba contabilizava 155,4 mil pequenos empreendimentos.

Desse total de pequenos negócios optantes do Simples Nacional em 2019, cerca de 130,1 mil eram microempreendedores individuais (MEI), categoria que surgiu para incentivar a formalização de profissionais autônomos, que no ano passado completou 10 anos de criação. Considerando apenas os dados dessa categoria, os números registrados em dezembro do ano passado indicam um crescimento de 18,7% em relação ao mesmo de período de 2018, quando o estado possuía 109,5 mil microempreendedores individuais.

Já no universo das microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP), os dados da Receita Federal apontam que no último mês de dezembro o estado contava com 46,7 mil optantes do Simples Nacional, número que no mesmo mês de 2018 era de 45,9 mil empresas, representando um crescimento de 1,8% no período de um ano.

 

clickpb

 

 

Aliado de Bolsonaro na PB confirma aumento de FPE e FPM e projeta crescimento de 2% na economia

“O movimento do Brasil hoje é de crescimento”. A declaração é do deputado estadual Moacir Rodrigues, do PSL, um dos aliados do presidente Jair Bolsonaro (PSL) na Paraíba.

Em entrevista ao portal PB Agora, nesse final de semana, Moacir disse que hoje a Paraíba teve um crescimento de mais de 8% tanto no Fundo de Participação dos Estados quanto no Fundo de Participação dos Municípios.

Ainda conforme o parlamentar, a economia também apresentou crescimento, sendo 1% neste ano de 2019, com projeção assegurada de 2% para 2020.

“A proposta de Bolsonaro é o crescimento da economia. Nós temos um crescimento hoje já de mais de 8% do FPE e do FPM. A economia brasileira vai crescer em torno de 1% esse ano e já tem 2% assegurado para o próximo ano. Bolsonaro vai ser ordem, progresso e crescimento para o Brasil. O Brasil vai crescer, e eu vou com Bolsonaro no crescimento do Brasil”, arrematou.

 

PB Agora

 

 

Com coletas na zona rural e automação de equipamentos, Laboratório Municipal tem crescimento em mais de 70% nos atendimentos em Bananeiras

Nos últimos anos, o número de atendimentos de exames laboratoriais alcançaram um crescimento significativo proporcionando benefícios e comodidade aos usuários do Sistema único de saúde em Bananeiras.

Com a implementação do Projeto Laboratório sobre rodas  em 2018, os atendimentos saíram de 17169 em 2016 para 29450 só em 2018. Um aumento de 71,53 % nesse período.

Em 2019 os número tendem a crescer ainda mais, já que entre os meses de Janeiro a Abril já foram realizados 8621 atendimentos. Em um ano de implantação do Projeto e com a automação de todo o laboratório a população só tende a ganhar com a agilidade no processo de coleta e nos resultados dos exames que agora podem ser online através do site do governo municipal.

Para Douglas Lucena poder proporcionar esses avanços na saúde em Bananeiras mostra o empenho da gestão em driblar a crise e sempre procurar apoio através de emendas e suporte em instituições que possam contribuir nas melhorias para a população.

 

Ascom-PMB

 

 

Crescimento da próstata é câncer?

Dr. Francisco Carnevale explica a diferença entre as duas doenças e quais são os tratamentos para cada uma delas

A próstata é uma glândula presente no organismo masculino, do tamanho de uma noz, responsável pela produção do líquido seminal. Por volta dos 45 anos, ela tende a aumentar naturalmente de tamanho, no que chamamos de Hiperplasia Benigna da Próstata (HPB). Essa condição atinge cerca de 14 milhões de brasileiros de acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia e pode causar obstrução parcial ou totalmente da uretra, sendo, por isso, considerada uma doença.

O aumento da glândula não tem relação alguma com o câncer de próstata e a diferença entre a HPB e o câncer é justamente a benignidade do crescimento da glândula, enquanto que o tumor pode se espalhar para outros órgãos (metástase) e levar o paciente ao óbito. “Há outras diferenças também. Na HPB, dentre os principais sintomas estão a dificuldade e a necessidade frequente e urgente de urinar, o aumento da micção noturna, a constante sensação de não esvaziamento completo da bexiga, entre outros. Já no caso dos tumores malignos de próstata, a grande maioria cresce de forma tão lenta que nem chega a dar sinais durante a vida”, explica o Professor Dr. Francisco Cesar Carnevale, médico do CRIEP – Carnevale Radiologia Intervencionista Ensino e Pesquisa, da capital paulista.

A HPB, portanto, não é um tipo de câncer e não apresenta relação com o câncer de próstata, nem aumenta as chances de desenvolvimento do mesmo. “Porém, um homem pode desenvolver HPB e câncer de próstata ao mesmo tempo. Daí a importância de consultar um médico urologista para o diagnóstico e terapia adequada”, alerta o médico.

Existe também diferença nos tratamentos das duas doenças. Alguns tipos de câncer de próstata crescem lentamente e demandam monitoramento. Outros tipos são agressivos e necessitam de radioterapia, cirurgia, terapia hormonal, quimioterapia ou outras opções terapêuticas. Já a HPB pode ser tratada por meio de um método minimamente invasivo: a chamada Embolização das Artérias Prostáticas (EAP), realizada por via endovascular para reduzir o fluxo de sangue da glândula. O procedimento é feito com anestesia local e o paciente recebe alta algumas horas após a intervenção.

“O objetivo é diminuir o volume e alterar a consistência da próstata, tornando-a mais macia e os resultados são muito satisfatórios: “Já tratamos mais de 400 pacientes e a taxa de sucesso ficou entre 90 a 95%”, conclui o médico.

Prof.  Dr. Francisco Cesar Carnevale – médico do CRIEP – Carnevale Radiologia Intervencionista Ensino e Pesquisa – autoridade médicareferência nacional e internacional em Radiologia Intervencionista, Angiorradiologia e Cirurgia Endovascular. Sua principal linha de pesquisa está focada no tratamento de pacientes com sintomas do trato urinário inferior associados ao crescimento da próstata pela Hiperplasia Prostática Benigna (HPB). Pioneiro a publicar na literatura científica mundial, a técnica de Embolização das Artérias da Próstata (EAP) dentro do Hospital das Clínicas da FMUSP, sob a supervisão dos professores Miguel Srougi e Giovanni Guido Cerri.  É diretor de Radiologia Vascular Intervencionista do Instituto de Radiologia (InRad-HCFMUSP), do Instituto do Coração (InCor-HCFMUSP) e do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo (SP). É responsável pelas disciplinas de Graduação e Pós-graduação na área de Radiologia Intervencionista da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP).

Redes Sociais:

Instagram: @clinicacriep

https://www.instagram.com/clinicacriep/

Facebook: @criep.com.br

https://www.facebook.com/criep.com.br/?ref=br_rs

 

Assessoria de Comunicação

 

 

Prefeito de Bananeiras observa crescimento da campanha de Veneziano: “tem todas as condições de nos representar muito bem no Senado”

Em entrevista à imprensa paraibana, o Prefeito de Bananeiras, Douglas Lucena (PSB) avaliou o crescimento da campanha socialista na Paraíba, para estas eleições, e ratificou sua confiança na vitória do candidato a Senador pelo PSB Veneziano Vital do Rêgo (400). Segundo Douglas, o trabalho desenvolvido por Veneziano como Deputado Federal para Bananeiras e o Brejo vai ser ampliado com a presença dele no Senado Federal.

“O crescimento da campanha de Veneziano é notado a olhos vistos, pois a Paraíba sabe o que quer. Quer desenvolvimento, quer planejamento, quer organização administrativa e Veneziano tem todas as condições de nos representar muito bem no Senado. Vamos à vitória”, disse Douglas. Veja: (https://youtu.be/Oo4HsxwzoHw).

Segundo dados da Câmara dos Deputados, Veneziano já destinou para a cidade emendas para a implantação de infraestrutura esportiva no município no valor de R$ 250 mil; outra emenda para a compra de equipamento para Secretaria de Saúde Municipal, no valor de R$ 190 mil; e recursos na ordem de R$ 472.960 mil para o Fundo Municipal de Saúde.

Assessoria para o FN

Paraíba registra maior crescimento de microempreendedores individuais do Nordeste

A Paraíba registrou crescimento superior ao do Nordeste no aumento de microempreendedores individuais (MEI), entre 2015 e 2016. No  Nordeste, o número aumentou 13,6%, enquanto na Paraíba este percentual foi de 17%. A Região já detém 1,24 milhão de pessoas cadastradas no Portal do Empreendedor. O montante representa 19% do total de cadastros do país, a segunda maior participação.

Os dados são do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), órgão vinculado ao Banco do Nordeste. Grande parte (72,3%) dos microempreendedores está concentrada em quatro Estados: Bahia, Ceará, Paraíba e Pernambuco.

Somente na Paraíba, 89.430 pessoas já atuam nesta condição. A quantidade representa crescimento de 17% em relação a 2015 e equivale a uma participação de 7,2% entre os nove Estados nordestinos. Além da Paraíba, houve crescimento: Rio Grande do Norte (+15,5%), Sergipe (+15,0%),Pernambuco (+14,8%) e Ceará (14,7%).

Segundo o Etene, parte do atual contingente de desempregados pode estar migrando para um negócio próprio, uma vez que o faturamento permitido para o enquadramento como MEI é considerado relativamente baixo (R$ 60 mil bruto por ano, com tolerância de 20%, além de ter o recolhimento de impostos simplificado).

Crediamigo
No Banco do Nordeste, os microempreendedores individuais contam com o apoio do Crediamigo, maior programa de microcrédito produtivo da América do Sul. Em 2016, o programa atendeu 174 mil clientes do segmento, 17% a mais do que em 2015, e liberou mais de R$ 903 milhões, por meio de 315 mil operações de crédito.

Recentemente, a instituição lançou o Crediamigo Mais, nova linha de crédito voltada exclusivamente para clientes que possuam o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), em projeto piloto no Ceará e Sergipe. Estão aptos ao novo produto clientes que desejem fazer aquisição de máquinas e equipamentos, novos ou usados, reforma e assistência técnica de instalações físicas, e cursos relacionados a sua atividade. O Crediamigo Mais possui como diferencial a carência de até seis meses, o prazo de até 24 meses para pagamento e a taxa de juros diferenciada.

Microempreendedor individual

O microempreendedor individual é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. É necessário faturar no máximo até R$ 60 mil por ano e não ter participação em outra empresa como sócio ou titular. A Lei Complementar nº 125, de 19/12/2008, criou condições especiais para que o trabalhador conhecido como informal possa se tornar MEI legalizado.

Entre as vantagens oferecidas por essa lei está o registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilita a abertura de conta bancária, o pedido de empréstimos e a emissão de notas fiscais. O MEI também pode ter um empregado contratado que receba o salário mínimo ou o piso da categoria.

Assessoria

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Deputados devem barrar lei que inviabiliza crescimento de empresas

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB) e mais 21 parlamentares apresentaram, nessa terça-feira (18), projeto na Assembleia Legislativa da Paraíba para revogar uma lei já existente e que determina que as empresas instaladas no Estado paguem até 1% do faturamento bruto para programas socioambientais. Segundo o parlamentar, a lei pode inviabilizar o crescimento da economia, tornando o Estado menos competitivo e atraente para novos investidores.

Com as assinaturas colhidas, a lei será apreciada em plenário da Casa Legislativa sem tramitar nas comissões.

Tovar Correia Lima afirmou que não é contrário aos investimentos em projetos socioambientais, “mas somos contra a possibilidade de uma quebradeira das empresas, o que pode gerar milhares de demissões na Paraíba”, destacou o parlamentar, lembrando que o projeto conta ainda com apoio dos deputados Dinaldinho Wanderley (PSDB), Daniella Ribeiro (PP) e José Aldemir (PP), mesmo não tendo assinado deles na lista.

Tovar explicou ainda que caso a lei continue em vigor, existe a possibilidade de um massacre aos empresários e, consequentemente, aos empregados. O governador Ricardo Coutinho (PSB) já vem onerando as empresas, segundo o deputado, com outras tantas leis que já conseguiu aprovar na Assembleia Legislativa e que criam e aumentam tributos.

“Nós chegamos a criar uma lei que não era competência nossa e para corrigir esse erro, estamos apresentando esse projeto para fazer com que a justiça seja reestabelecida e nossa economia e postos de trabalho não sejam prejudicados”, afirmou o deputado.

Na época da aprovação da Lei de autoria do deputado Frei Anastácio (PT), por meio da derrubada do veto do Governo do Estado, o deputado Tovar estava de licença para tratamento de saúde.

22 parlamentares derrubaram o veto

O veto total do governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSDB) ao projeto de lei de autoria do deputado Frei Anastácio (PT), que determina que as empresas da Paraíba destinem até 1% do faturamento bruto para programas socioambientais no estado, foi rejeitado na Assembleia Legislativa por 22 votos. Além disso, outros cinco deputados optaram pela abstenção do voto durante a análise do veto no plenário da Casa.

As informações constam na certidão de tramitação do processo legislativo que, no entanto, não traz os nomes dos deputados que votaram pela rejeição ao veto.

Em relação às abstenções, foram listados os deputados João Henrique, Hervázio Bezerra, Branco Mendes, Antônio Mineral e Estela Bezerra. A derrubada do veto do governador ocorreu na sessão de 6 de setembro deste ano.

O deputado Tovar Correia Lima, disse que acha natural a Assembleia Legislativa ter essas discussões. Na opinião dele, ao tentar revogar a lei, ele não estaria indo de encontro ao pensamento do deputado Frei Anastácio, mas “sim indo a favor das empresas paraibanas, dos empregos da Paraíba e da não criação de imposto. Não tem quem aguente mais impostos”, argumentou o deputado.

O projeto apresentado por ele ontem pode já ser apreciado pelo plenário em sessão na próxima semana, segundo informações da Assembleia Legislativa.

Deputados que assinaram o projeto

▶ Adriano Galdino (PSB)

▶ Antônio Mineral (PSDB)

▶ Arnaldo Monteiro (PSC)

▶ Arthur Cunha Lima Filho (PRTB)

▶ Bosco Carneiro (PSL)

▶ Bruno Cunha Lima (PSDB)

▶ Camila Toscano (PSDB)

▶ Emano Santos (PTN)

▶ Gervásio Maia (PSB)

▶ Guilherme Almeida (PSC)

▶ Janduhy Carneiro (PTN)

▶ Jeová Campos (PSB)

▶ João Henrique (DEM)

▶ Jutay Meneses (PRB)

▶ Nabor Wanderley (PMDB)

▶ Raniery Paulino (PMDB)

▶ Raoni Mendes (DEM)

▶ Renato Gadelha (PSC)

▶ Tião Gomes (PSL)

▶ Tovar Correia Lima (PSDB)

▶ Trócolli Júnior (PSB)

 

 

Correio da Paraiba

 

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br