Arquivo da tag: craque

Pai de Messi se reúne com Barça para renovar contrato do craque; salário pode chegar a R$ 62 milhões

O pai de Messi, Jorge, se reuniu nesta terça-feira com representantes do Barcelona para tratar da renovação do contrato do craque argentino com o clube. A ideia é estender o compromisso por mais um ano, até 2019. Além disso, o salário do jogador pode subir para € 20 milhões por temporada (aproximadamente R$ 62 milhões), em vez dos atuais € 16 milhões (cerca de R$ 50 milhões).

Entretanto, ainda há detalhes para acertar. De acordo com o jornal “As”, o principal entrave diz respeito aos direitos de imagem, que pertencem 100% ao jogador – o Barcelona quer uma porcentagem. Em contrapartida, o clube oferece melhoras anuais nos rendimentos de Messi.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Outra questão é a forma de pagamento e como os ganhos do jogador serão distribuídos. Enquanto a diretoria quer incluir esse aumento em forma de premiações e pagando de acordo com o rendimento nos jogos, Messi quer essa quantia assegurada. Além disso, deseja uma premiação possível de mais 3 milhões de euros (cerca de R$ 9,5 milhões) como variável.

Jorge Horacio Pai do Messi (Foto: Agência AFP )Jorge Messi está em Barcelona para tratar renovação do contrato de seu filho (Foto: Agência AFP )

 

De qualquer forma, a cláusula de rescisão de Messi permaneceria inalterada. Atualmente, ela está estipulada em € 250 milhões (aproximadamente R$ 775,6 milhões).

Caso oficialize a ampliação de contrato, essa será a sétima renovação com o atual clube. O primeiro contrato profissional foi em 2005. Dois anos depois, houve a inclusão de uma multa rescisória no valor de 150 milhões de euros, assinando até 2014. Com a saída de Ronaldinho Gaúcho para o Milan, em 2008, o argentino passou a ter papel de protagonista e começou a 8 milhões de euros por ano.

Em setembro de 2009, mais um aumento de salário e tempo de contrato. Com validade até 2016, os ganhos passaram a ser de 11 milhões de euros, com uma multa de 250 milhões de euros. A última aconteceu em fevereiro de 2013, ampliando até 2018, com ganhos de 16 milhões de euros.

globoesporte

Arigatô, Neymar! Inspirado, craque lidera vitória do Brasil sobre o Japão

Mano Menezes não quer sobrecarregar Neymar com o rótulo de principal jogador da seleção brasileira, mas o atacante é realmente “o cara”. Não há como negar. Nesta terça-feira, ele mostrou mais uma vez por que com apenas 20 anos é considerado craque. À vontade, o garoto liderou o Brasil na vitória por 4 a 0 sobre o Japão, no estádio Miejski, na Breslávia, na Polônia. Ele fez dois gols, e Paulinho e Kaká marcaram os outros do amistoso.

Os gols, claro, coroaram a atuação de Neymar em grande estilo. Mas na partida desta terça ele mostrou enorme importância tática. O atacante não se limitou a dribles e contra-ataques, mas também apareceu para criar jogadas, deu passes desconcertantes e abriu o jogo nos momentos mais complicados. Contou, é verdade, com a ótima ajuda de Kaká, outro que fez uma grande partida diante dos japoneses.

Mais solta contra adversários que propõe um jogo mais ofensivo, como foi o caso do Japão, a Seleção completou seis jogos seguidos com vitória. A última derrota foi na final das Olimpíadas, para o México, em Wembley. De lá para cá, o time de Mano Menezes ganhou de Suécia, África do Sul, China, Argentina, Iraque e Japão. Nesse período, sofreu duras críticas no Brasil, mas encantou os europeus nos últimos dias.

Neymar kaká brasil gol japão - Agência AP (Foto: Agência AP)Neymar e Kaká comemoram o segundo gol da seleção brasileira (Foto: Agência AP)

O próximo desafio da seleção brasileira será contra a Colômbia, no dia 14 de novembro, em Nova Jersey, nos Estados Unidos. Depois disso, no dia 21, com um time formado apenas por jogadores que atuam no Brasil, a Seleção faz a decisão do Superclássico das Américas com a Argentina, em La Bombonera, em Buenos Aires.

Paulinho e Neymar colocam o Brasil em vantagem

paulinho brasil x japão (Foto: AFP)Paulinho vibra com o seu segundo gol com a
camisa da seleção brasileira (Foto: AFP)

O Japão começou em cima da Seleção, trocando passes na intermediária em busca de um espaço para chegar ao gol de Diego Alves. A equipe de Mano Menezes buscava roubar a bola para tentar chegar ao ataque nos contra-ataques. E foi justamente em lance rápido que o time canarinho perdeu uma ótima chance. Neymar recebeu na entrada da área e tocou para Ramires, que em vez de chutar tentou o passe e jogou pela linha de fundo.

Na sequência, aos oito minutos, Endo recebeu na entrada da área e finalizou para grande defesa de Diego Alves. E a partida seguiu com o mesmo panorama até os 12 minutos. Paulinho recebeu de Oscar na entrada da área e chutou de três dedos para deslocar o goleiro e marcar um golaço, o seu segundo com a amarelinha. A partir daí, os japoneses até tentavam tocar bola, mas o Brasil já era melhor e assustava mais o arqueiro Kawashima.

E Paulinho estava inspirado, aparecendo no ataque como elemento surpresa e confundindo os defensores japoneses. Aos 16, recebeu ótimo passe de Neymar, invadiu a área, driblou o goleiro e chutou para fora. O lance deu mostras de como seria a etapa inicial. Com o Brasil buscando o ataque, com trocas rápidas de passes e investidas individuais de Neymar, Kaká e Oscar.

Aos 25, Kaká tabelou com Adriano e recebeu dentro da área. O apoiador tentou tirar de um defensor japonês, mas a bola resvalou no ombro do atleta, que já estava caído no gramado. O árbitro assinalou a penalidade duvidosa. Na cobrança, Neymar fez mais um: 2 a 0. Seis minutos depois, o Japão respondeu com Hasebe. O volante finalizou da intermediária e Diego Alves voltou a fazer grande defesa, evitando o gol dos japoneses.

Na etapa inicial, o Brasil ainda teve uma ótima oportunidade de ampliar. Aos 34, Neymar rolou para Kaká na entrada área. O apoiador chutou colocado e a bola bateu caprichosamente na trave. Quase o terceiro gol da seleção brasileira.

Neymar faz mais um, e Kaká deixa a sua marca

kaka brasil x japão (Foto: EFE)Kaká também foi um dos destaques da vitória da seleção brasileira (Foto: EFE)

Logo no início do segundo tempo, Neymar marcou mais um. Aos dois minutos, o atacante foi lançado por Oscar na área, matou no peito e bateu desequilibrado. A bola desviou no zagueiro e enganou o goleiro Kawashima: 3 a 0.

paulinho brasil x japão (Foto: AFP)Jogadores comemoram o gol marcado por
Paulinho nesta terça-feira (Foto: AFP)

O Brasil passou a tocar a bola, administrar o jogo e a atuar nos contra-ataques. O quarto gol quase saiu em cobrança de falta de Hulk. O atacante soltou a bomba, a bola desviou no meio do caminho e triscou na trave. O goleiro já estava batido.

Aos 21, o Brasil chegou a marcar o quarto gol, mas o bandeirinha invalidou o lance, alegando que a bola teria saído pela linha de fundo em cruzamento de Neymar. Ramires até tocou para o fundo da rede, mas o lance foi anulado.

Faltava o gol de Kaká. Aos 29, o meia recebeu na entrada da área, passou por um adversário e tocou na saída do goleiro, que ainda encostou na bola, para marcar o quarto gol do Brasil.  Seis minutos depois, ele foi substituído por Lucas e saiu ovacionado do gramado. Neymar deixou a partida logo em seguida e recebeu o mesmo carinho da torcida em Breslávia. No fim, festa brasileira em solo polonês.

BRASIL 4 X 0 JAPÃO
Diego Alves, Adriano, Thiago Silva, David Luiz e Leandro Castán; Paulinho, Ramires (Sandro), Kaká (Lucas) e Oscar (Thiago Neves); Neymar (Leandro Damião) e Hulk (Giuliano). Kawashima; Uchida (Sakai), Konno, Yoshida e Nagatomo; Nakamura (Inui), Endo, Hasebe (Hosogai) e Kiyotake; Kagawa e Honda.
Técnico: Mano Menezes Técnico: Alberto Zaccheroni
Gols: Paulinho, aos 12 do primeiro tempo, Neymar, aos 25 minutos do primeiro tempo; Neymar, aos dois minutos do segundo tempo, Kaká, aos 29 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Ramires e David Luiz (Brasil)
Árbitro: Marcin Borski (Polônia)
Auxiliares: Rafal Rostkowski (Polônia) e Krzysztof Myrmus (Polônia)
Local: Miejski, na Breslávia (Polônia)

 

 

Globoesporte.com

Messi resolve: craque faz três e derruba o Brasil nos Estados Unidos

Messi brilha nos Estados Unidos: três gols contra a Seleção de Mano Menezes (Foto: Getty Images)

O Brasil voltou a sofrer com a maestria de Lionel Messi na tarde deste sábado, em Nova Jersey. Se antes muitos cobravam que o camisa 10 não resolvia para os “hermanos”, agora ele assumiu a responsabilidade e passou por cima do time canarinho. Com três gols, um deles uma pintura, “La Pulga” foi fundamental na vitória de sua equipe por 4 a 3 sobre a Seleção de Mano Menezes, no MetLife Stadium, nos Estados Unidos.

Mas não foi fácil para a Argentina. O Brasil ficou à frente do marcador em duas oportunidades. Os gols do time canarinho foram marcados por Rômulo, Oscar e Hulk. Além dos três tentos de Messi, o zagueiro Federico Fernández após cobrança de escanteio fez o outro para os Hermanos.

Essa foi a segunda vez em três anos que Messi decidiu uma partida contra o Brasil com um gol antológico. Em 2010, no Qatar, no triunfo dos Hermanos por 1 a 0, o jogador também resolveu com uma jogada individual. A seleção brasileira a partir de agora vai se preparar para os Jogos de Londres. A convocação definitiva para o torneio será divulgada no dia 6 ou 9 de julho. A CBF ainda não definiu a data.

Vale lembrar que esse foi o terceiro encontro entre Messi e Neymar. Nos anteriores, vitória do argentino. O primeiro aconteceu entre as equipes nacionais em Doha, no Qatar. O segundo foi na goleada por 4 a 0 do Barcelona sobre o Santos, em partida válida pela final do Mundial de Clubes da Fifa. Na ocasião, “La Pulga” marcou duas vezes.

Neymar na partida do Brasil contra a Argentina (Foto: Reuters)Neymar pede pênalti após cair na área: árbitro ignora dois lances polêmicos com brasileiro (Foto: Reuters)

Neymar pede pênaltis, e Messi resolve no primeiro tempo

Os primeiros minutos de jogo mostraram um Brasil disposto a pressionar a Argentina em seu campo de defesa. Neymar estava até melhor do que Lionel Messi. O brasileiro se movimentava, buscava o jogo e atuava pelo lado direito. Hulk ficou mais pelo lado esquerdo. Aos 10, o camisa 11 canarinho recebeu na entrada da área e errou o alvo. Segundos mais tarde, o argentino tocava pela primeira vez na bola. E não era para ser figurante.

Na primeira grande jogada da Argentina, Hulk deu bobeira e a bola sobrou para Dí Maria. O atacante do Real Madrid tocou para Messi. “La Pulga” invadiu a área, mas foi travado pela zaga canarinho. O jogo continuou corrido, e o Brasil atuando melhor. Mas desperdiçava muitas oportunidades de gol. Aos 15, Oscar fez um ótimo lançamento para Hulk. O atacante invadiu a área e finalizou em cima do goleiro Romero.

Sandro marcava Messi em cima. Não deixava o “melhor do mundo” tocar na bola. Aos 21, o Hermano pediu calma aos companheiros, queria paciência do time para sair da defesa para o ataque. No minuto seguinte, em jogada ensaiada treinada por Mano Menezes nos últimos dias, Neymar cobrou rápido e encontro Rômulo dentro da área. O volante soltou a bomba e abriu o marcador. O goleiro Romero ainda tocou na bola, mas não evitou o tento.

O time canarinho seguiu melhor e teve duas chances de abrir o marcador, todas com Neymar. Na primeira, aos 27, o atacante recebeu lançamento de Rômulo, entrou na área e levou um tranco. Pênalti não marcado pelo árbitro americano Jair Marrufo. Três minutos depois, o camisa 11 recebeu no meio, invadiu a área e vacilou no momento na finalização.

Como Neymar não marcou, Messi tratou de iniciar o seu show. Aos 31, Sandro, que até então estava marcando o argentino de maneira impecável, perdeu a bola no meio de campo para Higuaín, que lançou “La Pulga”. O craque invadiu a área e tocou na saída de Rafael Cabral. Três minutos depois, o camisa 10 tabelou com Dí Maria, recebeu na frente, passou pelo arqueiro brasileiro e virou a partida. Festa azul, branca e preta em Nova Jersey.

Mesmo com a virada, o Brasil seguiu tendo uma boa atuação. E Hulk perdeu outra oportunidade clara. O jogador recebeu ótimo passe de Neymar dentro da área e chutou em cima de Romero. Quase o empate canarinho.

E Messi decide o segundo tempo…

O panorama da partida continuou o mesmo. O Brasil buscava o ataque, e a Argentina esperava as vaciladas do time canarinho. Aos seis, Hulk fez boa jogada, invadiu a área e soltou a bomba. A bola passou por cima do gol de Romero. No lance seguinte. Higuaín ficou de frente para Rafael Cabral e finalizou para defesa do arqueiro canarinho.

E foi exatamente por conta dessa busca pelo empate que o Brasil passou a se expor mais na defesa. Higuaín começou a aparecer, principalmente recebendo lançamentos nas costas dos defensores do Brasil. Em uma dessa jogadas, o atacante do Real Madrid saiu na diagonal do gol canarinho e chutou cruzado para fora. Quase o terceiro da Argentina.

A persistência do Brasil surtiu efeito. Aos dez, o entrosamento do Internacional entrou em ação. Oscar tabelou com Leandro Damião e recebeu dentro da área. O jogador dominou de frente para Romero e tocou na saída do arqueiro para deixar tudo igual. Logo em seguida, o camisa 10 da Seleção pediu para sair por conta de uma pancada que levou na região abdominal.

Mano também tirou Damião para a entrada de Alexandre Pato, enquanto o colorado Guiñazu substituiu Sosa na Argentina. Aos 26, a virada brasileira: Neymar cobrou escanteio da esquerda, Romero falhou e deixou a bola escapar, Hulk pegou de primeira de canhota e marcou.

O gol movimentou os técnicos novamente. Mano tirou Rômulo para a entrada de Casemiro, e Sabella colocou Agüero, herói do título inglês do Manchester City, no lugar de Di María. E mais uma vez a rede balançou após escanteio. Mas, dessa vez, para a Argentina: Messi cruzou e Fernández, de cabeça, voltou a empatar aos 30.

Cinco minutos depois, Neymar teve boa chance para colocar o Brasil na frente. Após falha da zaga, o craque do Santos conseguiu driblar Romero na área e chutou, mas Fernández salvou os hermanos com um carrinho.

Logo em seguida, foi a vez de Messi aprontar. O camisa 10 driblou Danilo na entrada área, mas o lateral – que minutos antes entrara no lugar de Rafael – derrubou o craque do Barça. Falta perigosa: Messi cobrou com categoria, e Rafael Cabral defendeu.

Aos 39, Messi resolveu a parada. Dominou pela direita, deixou Marcelo para trás, arrancou e chutou de fora da área, no ângulo direito de Rafael: golaço. Vitória argentina por 4 a 3. Vitória de Messi.

Já nos acréscimos, Lavezzi e Marcelo se desentenderam, houve troca de empurrões entre brasileiros e argentinos e os dois foram expulsos.

– Perdi a cabeça. Não justifica o que eu fiz… – reconheceu Marcelo na saída de campo em entrevista à TV Globo.

BRASIL 3 x 4 ARGENTINA
Rafael Cabral, Rafael (Danilo), Bruno Uvini, Juan e Marcelo; Sandro, Rômulo (Casemiro) e Oscar (Giuliano); Neymar, Hulk (Lucas)  e Leandro Damião (Alexandre Pato). Romero, Zabaleta, Garay, Fernández, Clemente Rodríguez (Campanaro), Mascherano, Gago, Sosa (Guiñazu), Dí Maria (Agüero), Messi e Higuaín (Lavezzi).
Técnico: Mano Menezes Técnico: Alejandro Sabella
Gols: Rômulo, aos 22 do primeiro tempo; Messi, aos 31 do primeiro tempo; Messi, aos 34 do primeiro tempo; Oscar, aos 10 do segundo tempo; Hulk, aos 26 do segundo tempo; Fernández, aos 30 do segundo tempo; Messi, aos 39 do segundo tempo
Cartões amarelos: Rafael, Danilo (Brasil); Gago, Higuaín, Mascherano (Argentina). Cartão verrmelho: Lavezzi (Argentina) e Marcelo (Brasil)
Local: MetLife Stadium, em Nova Jersey (EUA).: Árbitro: Jair Marrufo (EUA) Auxiliares: Eric Boria (EUA) e Frank Anderson (EUA). Data: 09/06/2012

 

Globoesporte.com