Arquivo da tag: Covid-19

Covid-19: pessoa com doença neuromuscular precisa de cuidado redobrado, alerta neurologista do HULW

Especialista reforça necessidade de isolamento social e orienta sobre uso de equipamentos como BiPAP, Ambu e Cough-Assist

O cenário de pandemia de coronavírus preocupa toda a população, mas um público em especial, formado por pacientes com doença neuromuscular, precisa tomar muito mais cuidado neste momento. É o que alerta a médica Isabella Araújo Mota, neurologista responsável pela Neurorreabilitação do Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW-UFPB), vinculado à Rede Ebserh. Entre as doenças neuromusculares, estão Esclerose Lateral Amiotrófica, Distrofia Muscular de Duchenne e Atrofia Muscular Espinhal (AME).

Pacientes com doença neuromuscular, explica a especialista, têm maior incidência de mortalidade, morbidade ou internamento hospitalar devido a acometimentos respiratórios, como insuficiência respiratória e infecções respiratórias. Isso ocorre porque esse público apresenta debilidade dos músculos respiratórios, com consequente comprometimento do ato de tossir, de respirar e de eliminar secreções.

“Então, às vezes, um processo infeccioso que poderia se resolver tranquilamente em uma pessoa sem doença neuromuscular pode se tornar algo mais sério em quem tem a doença, e as alterações respiratórias, na verdade, são a principal sintomatologia clínica do coronavírus”, esclarece. A Covid-19 é uma doença que se caracteriza por sintomas leves, como dor de garganta, tosse, febre e fadiga, mas pode ser mais grave para algumas pessoas, causando pneumonia ou dificuldade de respirar.

Também por isso, o isolamento social de quem tem alguma doença neuromuscular é imprescindível na prevenção contra o coronavírus. Ou seja, a recomendação “fique em casa” deve ser seguida à risca por esse público. Conforme a neurologista Isabella Mota, se o paciente com doença neuromuscular está estável, não há necessidade de ir a uma consulta de rotina, podendo remarcá-la para um momento oportuno. Se for necessário pegar algum laudo ou prontuário, outra pessoa pode fazer isso em nome dele.

Caso o paciente necessite de um cuidador, esse profissional também precisa ficar atento às práticas de higiene, como lavar as mãos ou utilizar álcool em gel. Importante: visitas não são aconselháveis, porque as complicações decorrentes desse encontro podem ser impactantes para a saúde de quem possui doença neuromuscular.

Aos pacientes que fazem fisioterapia motora ou respiratória, a recomendação da médica Isabella Mota é não parar com os exercícios, mesmo que seja em casa. “Tente replicar os exercícios que você faz nas clínicas, com o fisioterapeuta ou o fonoaudiólogo, mas evite sair. Obviamente, alguns pacientes não podem evitar, terão de ir, de toda forma. Para esse tipo de situação, a orientação é que vá em um horário mais tranquilo e que tenha todos os cuidados de higiene, para evitar a contaminação pelo coronavírus”.

OUTRAS ORIENTAÇÕES
• Paciente que utiliza o balão autoinflável (Ambu): deve manter o uso duas a três vezes por dia, ou conforme a orientação de seu médico;
• Paciente que usa o BiPAP:  deve manter o uso do equipamento;
• Paciente que utiliza o equipamento Cough-Assist: caso tenha sintomas respiratórios, deve procurar cuidar, tentando eliminar as secreções, conforme orientado pelo profissional que o acompanha;
• Paciente que usa qualquer tipo de medicação:  deve continuar usando;
• Paciente que faz fisioterapia motora ou respiratória: não deve parar.
• Paciente que for à Urgência Médica: tem que comunicar ao médico de plantão que possui uma doença neuromuscular. Também deve levar seu equipamento, como BiPAP etc., porque o aparelho pode ser importante em uma situação de urgência; os profissionais de saúde também devem ser orientados em relação à doença de base.
ATUAÇÃO DA REDE EBSERH
Desde os primeiros anúncios sobre a Covid-19, a Ebserh tem trabalhado em parceria direta com o Ministério da Saúde e com participação do Centro de Operações de Emergência (COE) do órgão, tendo como diretrizes monitorar a situação no país e em suas unidades, realizar treinamento de funcionários da Rede, promover webaulas, definir fluxos, montar câmaras técnicas de discussões com especialistas e atuar como hospitais referência em algumas regiões.​
Assessoria de Comunicação 

 

Ações que pequenas e micro empresas na pandemia de Covid-19 devem tomar para minimizar crise

Consultor empresarial aponta quais atitudes os negócios devem ter para lidar com o momento caótico na economia 
A pandemia do novo coronavírus tem levado o mundo a inúmeras transformações, sendo a econômica, umas das mais importantes e relevantes no momento. Segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE ou clube dos países ricos), a economia global pode levar anos para se recuperar do impacto desse problema de saúde pública mundial.

No Brasil, algumas medidas têm sido tomadas para tentar evitar a crise, principalmente nas micro e pequenas empresas. Foi anunciado no dia 19 de março que empresas com faturamento bruto anual de até R$10 milhões passam a contar com linha de crédito de recursos de 1 bilhão do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Destinada ao financiamento de capital de giro, o intuito dessa liberação é a tentativa de minimizar os impactos da pandemia sobre os micro e pequenos negócios.

Dia 27 de março, nesta mesma linha de socorro às micro e pequenas empresas, o governo lançou uma linha para pagar os salários (limitado a dois salários mínimos) onde o empresário teria 6 meses de carência e 2 anos para quitar este empréstimo. O dinheiro irá diretamente para a conta do trabalhador.

Com a minha experiência de mais de 35 anos na vida corporativa e desde 2015 à frente da MORCONE Consultoria Empresarial, hoje apresento ações que devem ser tomadas pelas pequenas e micro empresas na pandemia de Covid-19, para que possam minimizar ao máximo os efeitos dessa crise e continuar em atividade no mercado.

Pequenas e micro empresas na pandemia de Covid-19 – ações para lidar com a crise econômica

O que tem sobressaído no mundo nos últimos dias é o pânico das pessoas. Quanto aos colaboradores, o medo de perderem os seus empregos, quanto às empresas, as muitas incertezas sobre a continuidade no mercado após o tempo de paralisação devido à pandemia do novo coronavírus.

Decidi trazer algumas orientações sobre as atitudes que devem ser tomadas pelas pequenas e micro empresas na pandemia de Covid-19, para que possam minimizar ao máximo os efeitos dessa crise mundial. Vamos a elas:

Corte de custos

Essa é obviamente a primeira ação emergencial que as empresas precisam tomar. A minha orientação é cortar tudo o que for possível, tanto de custos fixos, quanto de variáveis.

Mas é preciso minuciosa análise quanto a quais cortes podem ser realizados, de maneira que não afete a empresa. Essa pandemia tem, por exemplo, mostrado a muitos negócios sobre a eficiência do home office e o quanto pode economizar para as empresas manter esse modelo de trabalho nos próximos meses.

Muitos negócios podem encontrar a necessidade de procurar orientação para esse momento de rever os seus custos e quais poderiam ser cortados. O auxílio de um especialista pode ser muito bem-vindo nesse momento.

Diminua o volume de atividades

Muitas indústrias adotaram o funcionamento parcial, mantendo 50% de suas atividades. Essa diminuição de volume também impacta sobre os custos fixos e variáveis, por isso, é uma ação importante em um momento emergencial.

Comunicação clara com clientes

Nesse período de crise, as empresas devem direcionar as suas energias também ao esclarecimento, à comunicação com clientes. Muitas empresas, principalmente no setor da alimentação, tem adotado, por decreto governamental, o serviço delivery como alternativa para prosseguir em funcionamento, essa mudança requer o cuidado da comunicação com os consumidores.

Qualquer tipo de mudança precisa ser comunicada claramente e, para isso, o marketing digital é fundamental.

Negociação de pagamento com fornecedores/parceiros

Nesse momento caótico que estamos vivenciando em nossa economia, acredito que a habilidade da negociação será a ação mais importante para as empresas. Tentar uma negociação de prazos de pagamento com fornecedores/parceiros é essencial, levando em conta a diminuição do volume de atividades, provavelmente haverá diminuição também da demanda com essas empresas parceiras.

Investimento em técnicas de venda mais eficientes e humanizadas

Algumas coisas por conta da pandemia já mudaram, como já mencionei, algumas empresas passaram a investir mais no modelo e-commerce e daqui para frente enfatizo que será cada vez mais importante o investimento em técnicas de vendas eficientes em que a humanização do atendimento seja uma das principais prioridades.

Transformações nas pequenas e micro empresas na pandemia de Covid-19

Diante desse problema tão grave para a economia brasileira e mundial, friso a importância de que as empresas não esperem o problema acontecer e se antecipem. Essas ações demonstram confiabilidade por parte do negócio.

As lideranças nesse cenário precisam estar prontas para lidar com dias difíceis. Negociação será a principal ferramenta das empresas em tempos de pandemia.

O planejamento estratégico nesse cenário é fundamental, aliás, vale lembrar sobre a importância de constantemente atualizar o planejamento, para que em momentos complexos como esse atual no Brasil e no mundo, as empresas saibam quais ações precisam ser tomadas em curto e longo prazo.

Atitudes impulsivas só podem prejudicar as empresas nesse momento, qualquer decisão como corte de gastos, demissão de pessoas, mudanças em processos operacionais, entre outras, devem ser realizada sob análise, por isso saliento a importância de que nesse momento, as empresas recorram à ajuda especializada para lidar com esse cenário por conta da pandemia de Covid-19.

Carlos Moreira – Há mais de 35 anos atuando em diversas empresas nacionais e multinacionais como Manager, CEO (Diretor Presidente), CFO (Diretor Financeiro e Controladoria) e CCO (Diretor Comercial e de Marketing).É empresário há mais de 15 anos e sócio e fundador da MORCONE Consultoria Empresarial.

 

Secretário Executivo de Saúde pede que Covid-19 não seja subestimado: “Não viramos o jogo ainda”

O secretário executivo de Saúde, Daniel Beltrami, declarou, após avaliar os esforços de cada estado no intuito que prevenir a disseminação do novo coronavírus (Covid-19) que é preciso se esforçar ainda mais. Segundo Daniel, a luta contra o colapso na Saúde não se trata a uma “corrida de 100 metros”, mas de uma longa e intensa maratona.

Beltrami destacou que nem os estados e nem o Governo Federal podem subestimar a capacidade de crescimento da quantidade de infectados. “Há duas semanas atrás o Nordeste tinha 35 casos, hoje, só o Ceará tem dez vezes mais que isso. Precisamos entender o contexto que estamos e possamos compreender que a gente não virou esse jogo ainda. Nós vamos precisar de tempo pra fazer isso. Não é corrida de 100m rasos, é preparação pra maratona”, analisou o secretário.

O secretário voltou a recomendar as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), do Ministério da Saúde e das Secretarias Estaduais pela continuidade do isolamento social e a quarentena daqueles que apresentem qualquer sintoma semelhante a uma gripe comum. “Para que os profissionais de Saúde possam estar nos centros de cuidados, cuidando das pessoas e as forças de segurança possam estar nas ruas garantindo a tranquilidade e a soberania da população paraibana as pessoas precisam ficar em casa”, declarou Daniel Beltrami.

 

PB Agora

 

 

Secretário de Saúde da PB pede cuidados com fake news e faz alerta sobre Covid-19: “Mata jovens também”

O secretário de Estado da Saúde, Geraldo Medeiros, chamou atenção dos paraibanos em relação ao perigo da disseminação de fake news através das redes sociais. Medeiros argumentou que a melhor forma de se informar é através de sites de órgãos oficiais. O secretário, em entrevista à emissora de rádio em João Pessoa, aproveitou para ressaltar que o novo coronavírus não é letal apenas para idosos, como foi propagado.

O secretário de Saúde da Paraíba demonstrou preocupação ao ter que lhe dar com dois tipos de disseminação. A primeira: a do novo coronavírus, por isso, destaca as relevantes medidas de isolamento social. E a segunda: as fake news, que, segundo ele, também precisam ser combatidas por todos. “É um vírus que tem um alto poder de transmissibilidade e não mata só pessoas idosas, mata jovens também. É uma realidade nova que nós estamos observando na Europa, muitos jovens morrendo”, argumentou Medeiros.

Para ter acesso a informações verídicas e de credibilidade, Geraldo Medeiros orienta que a população busque fontes confiáveis e evite espalhar dados falsos, pois as consequências podem ser letais. “Não vejam informações oficiosas e de redes sociais, as chamadas fake news. Existe o site da Secretaria Estadual de Saúde, existe o site do Ministério da Saúde, então, em caso de dúvidas, a população deve se basear nesses sites e não informar errado porque isso pode representar a perda de vidas”, declarou.

 

PB Agora

 

 

Paraíba tem primeiro óbito confirmado por COVID-19

A Secretaria de Estado da Saúde confirmou, no início da tarde desta terça-feira (31), a primeira morte por coronavírus na Paraíba.

De acordo com o boletim, trata-se de um homem, 36 anos, residente do município de Patos que estava internado na UTI do Hospital Clementino Fraga. A confirmação laboratorial para COVID-19 se deu nessa segunda, 30 de março.

A Secretaria de Estado da Saúde se solidariza com a família neste momento de dor e pesar.

Assessoria

 

 

Covid-19: boa alimentação melhora a imunidade, destaca nutricionista

Um dos assuntos mais pesquisados no google neste período de pandemia do COVID-19 é IMUNIDADE. Mas será que as pessoas estão buscando informações confiáveis?

Na internet existem muitas informações boas, mas também existem pessoas querendo se aproveitar pra ganhar dinheiro vendendo produtos ou receitas milagrosas, que muitas vezes não funcionam.

Diante disto, a nutricionista Danielly Targino alerta que é preciso prestar informações com qualidade e respeito para que cada um possa se nutrir de fontes seguras.

Ela lembra que a nutrição pode auxiliar o bom funcionamento do sistema imunológico.

“Esse auxílio não impede que você pegue o vírus, mas caso entre em contato com o vírus e adquira a COVID-19, apresente sintomas menos grave, onde seu corpo vai estar funcionando da melhor forma possível no combate. Uma nutrição inadequada e pobre em nutrientes gera uma resposta imune enfraquecida”, ressaltou.

Nutrientes importantes para o bom funcionamento do Sistema Imune:

  • Boas fontes proteicas: as células do sistema imunológico são formadas por proteínas (carne branca, ovos, aminoácidos como arginina e glutamina)
  • Ômega 3: Potente anti-inflamatório (Peixes como salmão, sardinha, atum, arenque; linhaça e chia)
  • Vitaminas antioxidantes A,C e E: goiaba, ovo de galinha, abóbora, cenoura, oleaginosas(castanhas), laranja, acerola, limão, brócolis, banho de sol. Recente estudo mostrou que os pacientes internados com Covid-19 apresentam deficiência de vitamina D.
  • Vitamina B6 – banana, abacate, alho, castanha de caju, amendoim, atum.
  • Ácido fólico: espinafre, brócolis, beterraba, grão-de-bico.
  • Magnésio: Folhosos verde-escuro, sementes de abóbora e girassol, aveia, grão-de-bico.
  • Zinco e cobre: carne vermelha(consumir 2x/semana), feijão carioca, lentilha, semente de abóbora, castanha de caju, amendoim.
  • Selênio: Castanha do Pará, nozes,amendoa, semante de girassol.
  • Prebióticos e Probióticos: desinflamam o intestino e através de uma barreira intestinal íntegra reforçam nossa imunidade. Exemplos de prebióticos: diversas fibras alimentares, biomassa de banana verde, psyllium. Exemplo de probióticos: alimentos fermentados que contenham bactérias benéficas como : Kefir, kombuchá, iogurtes com probióticos ou lactobacillus.

É perceptível que onde se encontram os nutrientes necessários para o bom funcionamento da imunidade são principalmente nos alimentos naturais, como frutas, verduras, legumes, folhosos, boas fontes de gordura (castanhas, abacate, azeite, peixes) e boas fontes de proteína (frango, peixe, ovos e algumas leguminosas como feijões, grão de bico e lentilha).

“Aproveite o tempo em casa pra se alimentar de forma mais natural, evitando excesso de açúcar e gordura, farináceos, alimentos ultra processados e industrializados(os aditivos químicos fazem mal ao nosso corpo). Utilize sua alimentação para evitar o uso futuro de medicamentos. Como dizia Hipócrates, o pai da medicina: “Que teu alimento seja o teu remédio”, emendou.

 

PB Agora

 

 

Companhias suspendem temporariamente vôos para CG, por Covid-19

Por conta da pandemia do novo coronavírus e das medidas de prevenção para conter o avanço do Covid 19, o aeroporto Presidente João Pessoa em Campina Grande, está temporariamente sem operar até o fim da quarentena.

As companhias aérea Azul e Gol anunciaram a suspensão das operações aéreas até o dia 30 de Junho, em Campina Grande, como medida de prevenção ao aumento do contágio do novo coronavírus. ,

Segundo a Azul, primeira a suspender os voos , os clientes que já haviam comprado passagens para viajar durante o período de suspensão em Campina Grande serão encaminhados para outros voos.

No total, a capacidade de transporte aéreo da companhia será reduzida de 20% até 25%, até o fim do mês de março, e de 35% a 50%, no mês de abril. Nos meses seguintes a diminuição deverá acontecer de forma gradativa, de acordo com a situação do país em relação a disseminação do coronavírus. Segundo a empresa, todos os clientes afetados serão contatados.

Já a Gol deixou de operar os voos de Campina Grande com destino a Guarulhos, desde a última quarta-feira. A interrupção segue até o dia 3 de maio. Até lá, a Gol vai operar apenas nas capitais.

PB Agora

 

 

Bahia registra primeira morte de paciente com covid-19

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) registrou a primeira morte pelo novo coronavírus (Covid-19) no estado. A informação foi divulgada na manhã deste domingo (29).

O paciente era um homem de 74 anos, que estava internado em um hospital privado de Salvador. Ele estava entubado e em diálise continua. A Sesab não divulgou mais detalhes sobre o paciente e nem quando ocorreu a morte.

O idoso estava internado no Hospital da Bahia, segundo confirmou a assessoria de comunicação do hospital.

Até a noite de sábado (28), a Sesab havia confirmado mais quatro novos casos de contaminação pelo novo coronavírus no estado. Com isso, o total de casos confirmados no estado totaliza 127.

Boletim

Os novos casos divulgados no último boletim são em Itagibá (1) e Salvador (3). Não há detalhes sobre os perfis dos pacientes, como gênero, idade e forma de contaminação. De acordo com a secretaria, 1.380 suspeitas foram descartadas. O órgão também divulgou que 2.702 casos estão em investigação.

A Secretaria de Saúde informou também que, do total de infectados, 17 pessoas já estão curadas e outras 14 hospitalizadas. O restante dos infectados está em isolamento domiciliar.

Segundo informações do órgão, 58,3% dos casos confirmados são mulheres e 41,7% são homens. A faixa de idade em que mais foram registrados casos foi entre 30 e 39 anos, representando 25,58% do total.

Porém, o coeficiente de incidência por 100.000 habitantes foi maior na faixa de 70 a 79 anos, seguida da faixa de 80 e mais, indicando o maior risco de adoecer entre os idosos.

Os municípios com casos positivos são: Alagoinhas (01); Barreiras (01); Brumado (01); Camaçari (01); Canarana (01); Conceição do Jacuípe (01); Conde (01); Feira de Santana (09); Ilhéus (02); Ipiaú (01); Itabuna (02); Itagibá (01); Jequié (01); Juazeiro (02); Lauro de Freitas (07); Porto Seguro (10); Prado (03); Salvador (81 casos, sendo 60 residentes na capital, 1 residente em Mossoró RN, 1 São Paulo e 1 Miami); São Domingos (01); Teixeira de Freitas (01); e 4 em investigação epidemiológica.

Os números representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA) em conjunto com os Cievs municipais.

A Sesab ressalta que os números são dinâmicos e, na medida em que as investigações clínicas e epidemiológicas avançam, os casos são reavaliados, sendo passíveis de reenquadramento na sua classificação.

O diagnóstico positivo para o novo coronavírus pode cursar com grau leve, moderado ou grave. A depender da situação clínica, pode ser atendido em unidades primárias de atenção básica, unidades secundárias ou precisar de internação. Mesmo definindo unidades de referência, não significa que ele só pode ser atendido em hospital.

Os casos graves devem ser encaminhados a um hospital de referência para isolamento e tratamento. Os casos leves devem ser acompanhados pela Atenção Primária em Saúde (APS) e instituídas medidas de precaução domiciliar.

 

G1

 

 

Duas mortes por suspeita de Covid-19 são descartadas na Paraíba, diz SES

Mais duas mortes que tinham sido classificadas por suspeita de coronavírus foram descartadas pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). Os resultados foram obtidos no sábado (28), mas divulgados neste domingo (29) pela SES. Estão descartados a morte da mulher de 40 anos na cidade Patos e da criança de 10 anos na cidade de Conceição, ambas localizadas no Sertão paraibano.

Ainda de acordo com a SES, a morte da mulher de 40 no Hospital Regional de Patos não foi causada por nenhum vírus respiratório, com base nos exames realizados na paciente. Por sua vez, o caso do menino de 10 anos, que morreu no Hospital e Maternidade Caçula Leite (HMCL) de Conceição, houve apenas o descarte para Covid-19, seguindo as investigações para outros tipos de vírus respiratórios.

As duas mortes descartadas eram as que faltavam ser investigadas entre os casos que tinham sido notificados como mortes suspeitas por Covid-19. Antes, outras quatro mortes foram descartadas para coronavírus. Na última terça-feira (24) exames descartaram que as mortes de três pacientes da Paraíba tenham sido causadas pelo novo coronavírus. Na quinta-feira (26), mais uma morte que estava sendo investigada como suspeito do coronavírus também foi descartada.

Mortes descartadas para Covid-19

  • Mulher, de 29 anos, que morava em João Pessoa
  • Homem, de 67 anos, que morava em Zabelê
  • Mulher, de 34 anos, que morava em João Pessoa
  • Mulher, de 39 anos, que morava em João Pessoa
  • Mulher, de 40 anos, que morava em Patos
  • Criança, de 10 anos, que morava em Conceição

Caso descartado segue investigado

A morte de Quézia Leite Batista, de 34 anos, servidora pública que trabalhava na maternidade Frei Damião, em João Pessoa, descartada para Covid-19 segue sob investigação. De acordo com a SES, apesar da coleta e do resultado obtido no Laboratório Central de Saúde Pública da Paraíba (Lacen-PB), uma amostra foi enviada para o Instituto Evandro Chagas.

Ainda de acordo com a SES, a amostra foi enviada ao mesmo tempo em que era analisada no Lacen-PB. Como não houve um diagnóstico preciso da causa da morte dela, a amostra foi enviada para o Pará.

G1

 

Itália tem quase mil mortes causadas pela Covid-19, o recorde diário

O número de mortes na Itália por causa do Covid-19, a doença causada pelo coronavírus aumentou em 919, disse a agência de proteção civil nesta sexta-feira (27). Até agora, 9.143 pessoas morreram por conta da epidemia no país.

É o recorde para um único dia. Antes, havia sido o 21 de março, quando 793 pessoas haviam morrido. No entanto, 50 delas são referentes à mortes de quinta-feira, na região do Piemonte, que foram contabilizadas nesta sexta-feira.

Nos últimos dias, os números foram os seguintes:

  • 23 de março: 602
  • 24 de março: 743
  • 25 de março: 683
  • 26 de março: 712
  • 27 de março: 919
Na Itália, muita gente ainda segue desrespeitando a quarentena

Na Itália, muita gente ainda segue desrespeitando a quarentena

Prefeito de Milão

A região mais atingida é a da Lombardia, onde fica a cidade de Milão. Lá, houve 5.402 mortes.

No dia 22 de março, durante uma entrevista à TV RAI, o prefeito de Milão, Giuseppe Sala, afirmou que errou ao divulgar, no fim de fevereiro, um vídeo que dizia que a cidade não pode parar.

“Muitos se referem àquele vídeo que circulava com o título ’Milão não Para’. Era 27 de fevereiro, o vídeo estava explodindo nas redes, e todos o divulgaram, inclusive eu. Certo ou errado? Provavelmente, errado”, ele afirmou à RAI no domingo (22).

Ainda não chegou o pico

As infecções de coronavírus na Itália não atingiram seu pico, disse Silvio Brusaferro, chefe do Instituto Superior de Saúde do país nesta sexta-feira (27).

“Não atingimos o pico e não passamos dele”, disse Brussaferro.

Ele disso que há, no entanto, sinais de uma desaceleração no número de pessoas que estão ficando infectadas, o que sugere que o pico não está longe. Depois disso, os novos casos vão entrar em tendência visível de queda.

“O nosso comportamento vai influenciar em quão íngreme vai ser a queda, quando ela começar”, afirmou ele, em uma referência à aderência dos italianos às restrições ao movimento impostas pelo governo.

Mortes na Espanha

A Espanha é o segundo país da Europa mais atingido pela pandemia. Lá, foram 769 mortes nas últimas 24 horas. Ao todo, são 4.858 mortes.

Foto: Claudio Furlan/LaPresse via AP

G1