Arquivo da tag: costas

Corrija os erros de postura que favorecem a dor nas costas

dirigirSedentarismo, obesidade e fumo são alguns hábitos que favorecem as dores na região lombar e na coluna cervical (pescoço). No entanto, a principal vilã desse desconforto é a má postura adotada em diversos momentos do nosso dia. Hérnia de disco, escoliose e lombalgia são apenas alguns dos problemas decorrentes da postura inadequada. Pensando nisso, conversamos com especialistas, que deram dicas sobre como posicionar sua coluna corretamente em diversas atividades:

No carro

“A postura ideal no carro é sentada com o apoio completo da coluna vertebral”, afirma o ortopedista Luciano Pellegrino, da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Para que isso ocorra, devemos nos sentar com a coluna lombar e os glúteos totalmente apoiados no banco. Segundo a fisioterapeuta Thaís Vasconcelos Coutinho, da clínica Colunar, em São Paulo, o corpo deve ficar o mais próximo de um ângulo de 90 graus, e o encosto da cabeça deve estar alinhado. “Os joelhos precisam estar na mesma altura dos quadris, não podem ficar muito dobrados e devem estar a uma distância em que seja possível alcançar os pés nos pedais”, diz. Os braços no volante não devem ficar muito elevados, pois isso aumenta a tensão nos ombros. “Sabendo que a posição sentada aumenta a sobrecarga na coluna, devemos ter um cuidado especial, pois uma postura inadequada pode gerar dores ou até mesmo complicações mais severas”, completa Thaís. Os especialistas afirmam que a má postura ao dirigir pode gerar hérnia de disco, escoliose, dores na lombar e coluna cervical, além de dores nos membros inferiores e superiores.

Usando o computador

Nos dias atuais, em que a tecnologia cabe na palma da mão, as queixas de dores em coluna cervical vêm aumentando, em função do longo período em que as pessoas passam em posição de flexão – uma vez que a tela fica em uma posição muito abaixo do nível dos olhos. “Quando utilizamos o computador no sofá ou cama, com toda certeza não será possível ficar em uma boa postura e provavelmente ao desligar o computador você sentirá dor em alguma parte do corpo”, declara a fisioterapeuta Thaís. Mas a dor não é o maior dos problemas que esse hábito pode causar: além da hérnia de disco, o sujeito estará propenso a desenvolver ou agravar um quadro de escoliose, aumentar a tensão muscular, desalinhamento de vértebras, entre outras situações.

Por isso, sempre que usar o computador, esteja sentado. “Primeiro fique em pé e coloque as duas mãos no glúteo, depois passe para a posição sentada ‘empinando o bumbum’ e tire as mãos do glúteo”, conta Thaís. Sua coluna deve estar alinhada, encostada por inteiro na cadeira. “Suas pernas devem formas o ângulo de 90 graus os pés devem estar apoiados no chão, nunca cruzados”, lembra a especialista. Por fim, evite sentar em cima das pernas e mantenha a tela do computador na linha dos olhos, pois se estiver baixo ou alto demais pode aumentar a tensão da musculatura, aumentando o risco de patologias. A altura da mesa e cadeira também é importante, é preciso que sejam reguladas de acordo com sua altura e necessidade. Os braços precisam estar apoiados nos apoiadores da cadeira e os ombros longe das orelhas. O punho deve ficar neutro, pois se estiver apoiado no mouse de forma incorreta pode causar tendinite e outras patologias – uma dica é utilizar um apoio para punho. “Não se esqueça de fazer alongamentos e levantar-se periodicamente.”

Na cama

A postura correta para dormir é muito importante. “De uma forma geral, as melhores posições para dormir são deitado de lado ou deitado sobre as costas”, afirma o ortopedista Luciano. Nessas duas posições as curvaturas fisiológicas da coluna vertebral são mantidas, evitando quadros dolorosos. “Apesar da posição de dormir em decúbito ventral (de bruços) ser a preferida de muitas pessoas, nesse posicionamento existe maior chance de haver contraturas e dores musculares, principalmente na coluna cervical, por não manter adequadamente o alinhamento fisiológico da coluna.”

A fisioterapeuta Thaís completa dizendo que o travesseiro não pode ser muito alto, para não aumentar a curvatura da coluna cervical, e nem muito baixo – deve estar na metade do ombro. “Além disso, para a coluna lombar ficar mais neutra na posição de lado, deve ser colocado um travesseiro entre os joelhos e deixar o quadril flexionado próximo a 90 graus.”

Se optar por dormir de barriga para cima, não se esqueça de colocar travesseiros ou um rolinho (pode ser improvisado com edredom) embaixo dos joelhos, de modo que sua coluna vertebral fique encostada por inteiro no colchão.

Não se esqueça de que além da boa postura para dormir, também precisamos ter uma boa postura ao levantar da cama. “Vire primeiro de lado, depois coloque as pernas para fora e usando a força dos braços e contraindo o abdômen levante-se devagar”, diz Thaís.

Fazendo uma refeição

Assim como devemos ter uma postura adequada usando o computador, sentar-se a mesa também exige a postura sentada correta. “Durante as refeições é muito importante o ajuste correto da cadeira junto à mesa, por isso, evite fazer uma refeição no sofá ou na cadeira sem uma mesa de apoio”, explica o ortopedista Luciano. A altura da cadeira deve ser condizente com a altura da mesa e a coluna deve estar totalmente apoiada no encosto. “Tente manter a coluna alinhada, sem ficar realizando muitas inclinações para frente e na hora de levar a comida à boca, traga a comida até você, de forma que você só precise se inclinar um pouco”, completa a fisioterapeuta Thaís.

Carteiras escolares

Também é importante se preocupar com a postura, principalmente em sala de aula, pois alunos costuma passar muito tempo na mesma postura. “Para aqueles que têm filhos pequenos é preciso orientá-los desde cedo sobre a boa postura, pois a maioria das crianças já começa a sentar de forma incorreta desde cedo e, como estão em período de crescimento, a má postura em geral pode causar escoliose, que é o desvio da coluna vertebral”, alerta a fisioterapeuta Thaís Coutinho, da Colunar. A postura errada pode fazer com que o sujeito tenha desgaste das vértebras, dos discos e das articulações, podendo causar distensões dos ligamentos e desequilíbrio muscular no futuro.

Durante uma aula a nossa tendência é relaxar na cadeira e assumir um postura semissentada ou semideitada. Esse posicionamento é muito ruim para a região da coluna lombar e pode levar a sintomas dolorosos. “É preciso sempre sentar de forma reta na cadeira e com bom apoio de todas as curvaturas da coluna vertebral”, explica o ortopedista Luciano. Deve-se evitar sentar sobre alguma perna ou somente sobre um glúteo, pois isso determina dores musculares. “Outra orientação importante é observar a altura da mesa e o posicionamento correto dos livros, que não podem estar muito baixos nem muito altos – a altura ideal é próxima a altura dos olhos, para evitar movimentos de hiperflexão ou hiperextensão da coluna cervical.”

Brincando com crianças ou animais

“Essa é uma causa frequente de lombalgia nos consultórios”, afirma Luciano. Segundo o especialista, o ato de brincar com as crianças ou pets é muito saudável e não deve ser evitado – entretanto, devemos assumir uma postura correta nesse momento. “A melhor forma é sentar diretamente no chão ou em algum banquinho junto à criança para evitar ficar abaixado para alcançá-la”, explica. Quando isso for necessário, a melhor forma é mantermos a coluna reta e descer flexionando apenas os joelhos. “Outra situação que deve ser evitada é a torção exagerada do tronco para os lados, com movimentos repetitivos, evitando a sobrecarga da coluna. ” A fisioterapeuta Thaís lembra que sempre é importante contrair o abdômen quando colocar a criança próxima ao corpo para carregá-la, de forma a não sobrecarregar os membros superiores.

Enquanto andamos

Os problemas de uma má postura na posição em pé são similares aos da postura sentada, podendo gerar desalinhamento em quadril e a porção final da coluna, dores em membros inferiores, lombalgia, etc. A fisioterapeuta Thaís afirma que devemos estar o mais alinhado possível quando caminhamos. “A cabeça deve estar ereta e os ombros em linha reta. Para proteger a coluna vertebral, tente manter o abdômen em contração”, afirma. Os quadris devem acompanhar as passadas para frente e para trás, assim como os membros superiores devem movimentar-se junto com o andar das pernas. “Ao pisar o calcanhar tem de ser o primeiro a tocar o chão, depois a planta e por último a ponta do pé, que irá auxiliar no impulso.”

minhavida

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Dores nas costas podem ser sinal de estenose

A Organização Mundial de Saúde e as Nações Unidas declararam os anos de 2000 a 2010 como a década comprometida a melhorar a qualidade de vida para as pessoas com doenças musculoesqueléticas ao redor do mundo.

dor-nas-costas

 

Segundo estimativas da Associação Americana (AANS) e do Congresso de Neurocirurgiões (CNS), cerca de 400 mil americanos com mais de 60 anos sofrem de sintomas de estenose de canal lombar. E a tendência é que haja aumento de portadores, já que a cada ano há aumento da população idosa.

Estenose do canal é a condição causada pelo estreitamento dentro e ao redor do canal medular na coluna, pressionando os nervos e estruturas nervosas ali presentes. Ela pode causar dores lombares frequentes, dor nas nádegas, dificuldade ao andar, diminuição de sensibilidade nos membros inferiores e diminuição das atividades físicas. Há muitos tipos de estenose do canal medular, que podem afetar todas as regiões da coluna (cervical, torácica e lombar).

Ela pode causar dores lombares frequentes, dor nas nádegas, dificuldade ao andar, diminuição de sensibilidade nos membros inferiores e diminuição das atividades físicas.

Tipos comuns de estenose do canal

Os tipos mais comuns de estenose são as degenerativas, que acometem praticamente toda a população adulta como um processo natural de envelhecimento. É um estreitamento degenerativo do canal medular, dos canais por onde os nervos passam e/ou do orifício por onde os nervos saem, causados por hipertrofia dos ossos e/ou ligamentos nestes locais. Esse estreitamento pode ser segmentado (apenas em uma região da coluna) ou generalizado e resulta na compressão dos nervos da coluna ou mesmo na medula. As consequências são uma diversidade de sintomas, incluindo dores lombares e claudicação neurogênica, que gera dores intensas nas pernas ao andar e só melhoram caso o paciente se sente. Em casos mais graves, o problema pode vir acompanhado de alteração do hábito urinário, com retenção da urina ou falta de controle ou até mesmo intestinal. Além disso, pode ocorrer uma sensação de diminuição da sensibilidade na região da virilha e parte interna da coxa, nestes casos chamada de “anestesia em cela”, em alusão à cela usada nos cavalos.

Quando a região cervical é acometida, pode causar diminuição de força nos braços e principalmente dos movimentos finos das mãos, com dificuldade para escrever, segurar objetos e abotoar as roupas, além de causar alterações na forma de andar, pois a pessoa sente suas pernas mais presas.

Quando congênita, é relativamente rara e geralmente presente em idades mais precoces, entre 30 e 40 anos. Já a estenose de canal adquirida é mais comum e eventualmente se desenvolve quando os pacientes chegam ao redor dos 60 anos ou mais. É uma condição desafiante e não pode ser prevenida ou premeditada. Não distingue entre sexo, raça ou etnia, além de não estar relacionada a qualquer tipo de ocupação ou tipo físico.

Tratamento

Atualmente a tendência mundial para o tratamento da estenose de canal é optar por procedimentos menos agressivos e que resolvam o problema dos pacientes. Para isto, o planejamento detalhado do procedimento é muito importante, após um prognóstico físico muito minucioso e com auxílio de alguns exames de imagem como ressonância, tomografias e radiografias, entre outros.

O intuito de uma avaliação minuciosa é tentar encontrar mais especificamente o fator causal da dor. Assim, sendo mais preciso, podemos resolver o problema com uma cirurgia menos invasiva.

Na maioria dos casos nem todos os níveis são os responsáveis pelos sintomas dos pacientes, pois a alteração de desgaste e presença de proeminências ósseas estão presentes nos casos de envelhecimento sadio, ou seja, indivíduos podem apresentar os desgastes e proeminências ósseas nos exames de imagem, mas não sentem dor e levam uma vida normal. No caso de pacientes com estenose de canal, se abordados todos os problemas e desgastes na coluna, será necessário uma cirurgia muito grande, que muitas vezes pode gerar instabilidade, necessitando de muitos implantes e parafusos, e consequentemente um pós-operatório que tende a ser muito mais complicado.

Logo, para o tratamento com menores chances de complicações e retorno mais rápido aos nossos afazeres do dia-a-dia, as cirurgias de descompressão minimamente invasivas -, bem planejadas com equipamentos que permitam uma menor lesão nos músculos, menor possibilidade de sangramento e necessidade de UTI -, são a melhor opção para aqueles que necessitam de cirurgia para tratar a estenose de canal.

minhavida

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Quatro mitos sobre as dores nas costas

dor-nas-costasA dor nas costas afeta todo o mundo e é um dos principais motivos de ausência no trabalho.

Segundo a associação britânica de fisioterapeutas Chartered Society of Physiotherapy, há muitos mitos sobre o que provoca a dor nas costas e como lidar com ela.

Esses mitos, por sua vez, geram medos infundados. Por exemplo, o medo de nos movimentarmos quando sentimos dor. O problema, explicam os fisioterapeutas, é que não se mexer pode levar à piora no estado do paciente.

Numa tentativa de combater a desinformação sobre o tema, a entidade está promovendo uma campanha de conscientização. Com base em estudos e literatura especializada, a iniciativa quer derrubar quatro mitos sobre a dor nas costas. Veja o que diz Carley King, conselheira da organização:

1. ‘Se me mexer, minha dor nas costas vai piorar’

No passado, acreditava-se que a cura para dor nas costas exigia repouso absoluto. No entanto, já foi comprovado que a imobilidade não resolve o problema. E retomar os movimentos assim que possível é melhor para a recuperação do paciente do que ficar na cama.

Ainda assim, muitos temem girar ou dobrar as costas, por exemplo.

Esse medo é compreensível, já que, se você está com dor, fazer movimentos desse tipo pode ser extremamente desconfortável, dizem os fisioterapeutas. Mas é essencial continuar se mexendo, já que o movimento tem poder lubrificante.

A dica, segundo os especialistas, é aumentar gradativamente as atividades e evitar longos períodos de imobilidade.

2. ‘Devo evitar fazer exercícios — especialmente treinamento com peso’

Entre especialistas, há um consenso de que a melhor forma de se tratar a dor lombar aguda e crônica é o exercício.

Estudos sobre o assunto revelaram grandes benefícios e a segurança, a longo prazo, de vários tipos de exercícios, incluindo o treinamento com pesos.

Um dado curioso sobre esses estudos é que não foram encontradas evdências de que um tipo particular de exercício seja melhor ou pior no que diz respeito à dor nas costas. Portanto, aconselham os fisioterapeutas, simplesmente faça o que gosta de fazer ? e o que consegue fazer. E vá aumentando aos poucos a quantidade de exercício à medida que sua tolerância, autoconfiança e habilidade melhoram.

3. ‘Um exame de imagem vai mostrar exatamente o que está errado’

Um grande número de estudos concluiu que resultados de exames de imagem ? como raios-X, por exemplo ? não refletem adequadamente os sintomas de pessoas com dores lombares.

E para complicar ainda mais as coisas, as pesquisas também revelaram que a maioria dos exames feitos em pessoas que não sofrem de dor lombar apresenta alterações ? alterações que não são acompanhadas de qualquer sintoma.

Os fisioterapeutas dizem, portanto, que o exame em si não é capaz de explicar com exatidão por que alguém está sentindo dor.

Isso não quer dizer que os exames de ressonância magnética sejam irrelevantes em todos os casos, mas quer dizer, sim, que eles não são sempre necessários ou úteis.

Na verdade, alguns estudos sugerem que, em alguns casos, o exame pode piorar a situação, influenciando negativamente o paciente, por exemplo.

4. ‘Dor é sinônimo de lesão’

A vivência da dor raramente é proporcional à severidade da lesão, explicam os especialistas. A dor é mais complexa do que isso.

O nível de dor reflete, na verdade, a percepção subjetiva de um indivíduo a respeito de quão ameaçado ele está.

Por exemplo, experiências vividas, a saúde em geral, crenças, níveis de sono, de exercício e de bem estar psicológico ? tudo isso tem um papel importante em determinar quanta dor uma pessoa pode sentir.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Jovem é assassinado com um tiro nas costas em Guarabira

JosivaaldoMais um homicídio foi registrado em Guarabira, desta vez a vítima foi o jovem Josivaldo Vicente de Souza Junior, conhecido como Juninho. O crime aconteceu na noite deste domingo (14) nas proximidades do prédio onde funciona a Secretária de Educação, no Bairro Novo, o mesmo prédio do antigo Colégio Executivo.

Segundo informações, o jovem, que era usuário de drogas, sofreu um disparo de arma de fogo nas costas, chegou a ser socorrido para o Hospital Regional de Guarabira, não resistiu e morreu no hospital.

Coincidentemente, Juninho residia na mesma rua onde outro jovem foi morto neste sábado (14), Rua Cônego Matias Freire, no Bairro do Cordeiro.

A polícia ainda não tem informações sobre quem cometeu o homicídio e até o fechamento desta matéria ninguém havia sido preso.

nordeste1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Homem é assassinado com tiros nas costas em Pirpirituba-PB

vitimaNa tarde desta terça-feira (2), por volta das 17:30h na Travessa São José 2, no conjunto Alto do Damião, Pirpirituba-PB um homem foi assassinado com tiros nas costas. A vítima estava bebendo em casa e foi até à casa de um cidadão identificado por Paulo, que teria se armado e efetuado dois disparos de arma de fogo.
A polícia apura o motivo pelo qual Thiago foi assassinado. Ele ainda tentou fugir mas foi perseguido por Paulo e alvejado com mais um tiro a queima roupa.
Segundo populares, Paulo não gostou de saber que Thiago estava procurando informações do ex-marido de sua esposa, que cumpre pena no PB1, na capital.
Acusado e vitima tem envolvimento com o mundo do crime.

Portal Midia

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Aluno de 14 anos esfaqueia professora pelas costas em MT

Foto: Facebook
Foto: Facebook

Um estudante de 14 anos, da sétima série, esfaqueou em sala de aula a professora Adelair dos Santos Amaral, 45, pelas costas, com um canivete, porque, em 2014, ela tomou da mão dele o tubo de uma caneta esferográfica, que ele estava usando para jogar papel nos colegas, tumultuando a aula.

A escola onde a professora Adelair leciona Língua Portuguesa e Artes, há 25 anos, fica em Nova Bandeirantes, um município na região amazônica, ao Norte de Mato Grosso.

“Tinha acabado de bater o sino do recreio, para a gente retornar para a sala e assim que eu entrei, mal coloquei o material na mesa e quando fui até a porta, para tirar a chave, ele me golpeou”, conta Adelair, ainda abalada pelo que aconteceu na quinta-feira da semana passada (9).

Somente nesta quinta-feira (18), as aulas que haviam sido suspensas foram retomadas na Escola Municipal Ernesto Neiverth, que tem cerca de 570 alunos. No entanto, foi uma aula especial, somente para a direção conversar sobre o que ocorreu.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Os alunos, quando viram a cena acontecer se assustaram e foram correndo para o fundo da sala. As meninas começaram a chorar e se desesperar. Já a professora diz que não sabia bem o que estava acontecendo, que sentiu uma dor nas costas, mas não sabia se era um soco ou o que era, porque jamais poderia esperar uma facada em sala de aula.

“Eu não sabia o que tinha acontecido, porque naquela manhã, naquela semana, neste ano, não tivemos nenhum conflito e muito menos naquele dia, que nada aconteceu de anormal. Até então eu não conseguia ver o porquê da agressão, mas questionando, ele acabou falando. Eu perguntei: nossa, J., por que você está me agredindo assim? Ele falava assim: você não mexeu comigo ano passado? Não quebrou uma caneta minha na marra? Aí eu recordei que, no ano passado, quando ele era meu aluno da sexta série, no meio do ano mais ou menos, de tanto os alunos reclamarem dele atirar bolinha de papel com a caneta nas outras crianças, eu chamei a atenção dele. Disse: para com isso J. e nada, para com isso J. e nada, várias vezes. Daí fui à carteira dele e tirei o tubinho e joguei no lixo.  Falei assim: já que você não vai parar com isso, me dá isso aqui” – conta a professora, dando detalhes do episódio de motivou essa agressão de agora.

“No dia ele me xingou dentro de sala de aula, mas passou e eu continuei dando aula para ele até o final do ano e até a semana passada”, diz a professora.

O corte ensanguentou a blusa dela, que levou dois pontos. Em seguida fez exames em um hospital em Alta Floresta, cidade mais próxima e que tem um pouco mais de estrutura hospitalar, para um diagnóstico mais preciso.

 Foto: Arquivo pessoal
A professora de português levou dois pontos

Foto: Arquivo pessoal

“A facada perfurou profundo, perto do pulmão, mas não chegou a perfurá-lo. Mas eu senti muita dor, até porque eu não tomei nenhum medicamento de imediato”, explica a vítima.

O adolescente ficou detido na delegacia local por quatro dias e na segunda-feira, em uma audiência, ficou decidido que ele vai voltar a morar com a mãe em outra cidade, Sinop.

A avó que estava criando o rapaz não estaria mais dando conta de controlar o uso de drogas e as infrações que ele vem cometendo, conforme a polícia.

Adelair diz que está assustada. “O corte em si está sarando, mas a cabeça está dando um nó”.

Segundo ela, ama lecionar, desde criança, e não vai abandonar a profissão.

“Vou retornar à sala de aula com certeza, claro que sim. Esta é a profissão que escolhi para mim. É um prazer contribuir com o aprendizado dos meus alunos, vale a pena continuar sim. Não podemos deixar que um que perturba vença. O bem é que deve vencer o mal”.

Terra

Homem é atingido com um tiro nas costas em Guarabira

disparoUm jovem de aproximadamente 22 anos, foi atingido com um tiro nas costas por volta das 21h deste sábado (11), na cidade de Guarabira-PB. José Jonas de Lima Alves, estava no conjunto Nossa Senhora Aparecida, bebendo junto com alguns amigos em uma calçada, quando um disparo de arma de fogo, vindo do matagal o atingiu nas costas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

De acordo com a Polícia Militar, que está no local, “Joninha”, como a vítima é conhecida, é do Bairro do Rosário. Ele foi socorrido por amigos, para o Hospital Regional de Guarabira e deverá ser transferido para o Trauma da capital. O estado dele é regular.

A versão dada pela polícia foi contada por um dos amigos que estavam bebendo com a vítima.

 

portalmidia

Conheça as melhores posições sexuais para evitar dor nas costas

sexoDor de cabeça, cansaço, ter que acordar cedo no dia seguinte – muitas coisas podem virar desculpa para aqueles que simplesmente não estão “no clima” para o sexo. Mas se o seu parceiro tiver dor na coluna, uma solução para o problema pode estar na pesquisa divulgada nesta quarta por cientistas da Universidade de Waterloo, no Canadá. Eles documentaram pela primeira vez como a espinha se move durante o sexo e descobriram exatamente por que certas posições são melhores que outras para evitar dor nas costas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

– Qualquer médico de família irá dizer que vários casais perguntam como gerir a sua dor nas costas durante ou depois do sexo. Muitas pessoas permanecem celibatários porque uma noite de sexo para elas pode levar a meses de agonia na coluna – afirma o professor Stuart McGill, de Faculdade de Ciências Aplicadas de Saúde de Waterloo. – Até agora, os médicos nunca tiveram um estudo científicos para basear suas recomendações sobre o ato sexual.

O trabalho combinou sistemas de captura de movimentos infravermelho e eletromagnético (como aqueles usados ​​na criação de videogames)para acompanhar de que forma as colunas de 10 casais se moveram ao tentar cinco posições sexuais comuns. As descobertas foram usadas para determinar um conjunto de diretrizes. São recomendações de posições e técnicas para a penetração baseadas em movimentos que não provocam dor no paciente.

– Até agora, a “conchinha” era frequentemente recomendada por médicos como um posição que cabe a todos. Mas não é o caso – disse Natalie Sidorkewicz, doutoranda em Waterloo e autora principal do artigo. – Posições sexuais que são adequadas para um tipo de dor nas costas não são adequadas para um outro tipo de dor.

O estudo recomenda, por exemplo, que homens que sentem dor na coluna quando aproximam as mãos dos pés ou ficam sentados por muito tempo tentem o sexo no estilo cachorrinho. A ideia é que eles usem o movimento do quadril, e não empurrem o corpo com a espinha. Quem sente dor arqueando as costas para trás terá mais conforto transando de “conchinha” ou na posição conhecida como “papai e mamãe” (ambos deitados, com o homem sobre a mulher).

– Temos, agora, uma ciência muito sólida para orientar os médicos em suas recomendações para os pacientes que sofrem de uma debilitante dor nas costas, mas ainda quer ser íntimo – disse Sidorkewicz, que complementa que isso tem o potencial de melhorar a qualidade de vida – e vida amorosa – para muitos casais.

De acordo com a Statistics Canada, quatro em cada cinco pessoas experimentarão pelo menos um episódio de dor lombar incapacitante em sua vida. Até 84% dos homens com dor lombar e 73% das mulheres relatam uma diminuição significativa na frequência das relações sexuais quando sofrem dor nas costas.

ORGASMO MASCULINO

O estudo também traz à tona pela primeira vez a mecânica do orgasmo masculino. Eletrodos conectados a músculos dos participantes do sexo masculino revelaram que o abdômen e a nádega que são mais ativos durante o orgasmo, e não os músculos das costas. O movimento da espinha, por outro lado, varia com o indivíduo. Para alguns homens, foi observado um aumento drástico em flexão ou extensão, enquanto para outros o movimento da coluna não mudou muita coisa.

– Muitos dos pacientes com dor lombar que vemos nos disseram que eles experimentam níveis elevados de dor durante o orgasmo, até o ponto onde eles vão evitar ter um durante o sexo com seu parceiro – disse a estudiosa. – Estes resultados iniciais nos ajudam a começar a entender o que pode estar provocando sua dor durante o momento do clímax.

O trabalho documentando o movimento da coluna masculina foi publicado na revista “Spine”. Já os resultados em mulheres deverão ser publicados nos próximos meses. O próximo passo do estudo é envolver o recrutamento de pacientes com dor no quadril e categorias adicionais de dor nas costas para continuar a desenvolver as diretrizes.

O Globo

Homem leva tiros nas costas após reagir à assalto e fica paraplégico

homem-leva-tiros-nas-costas-apos-reagir-a-assalto-e-fica-paraplegicoNa noite desta sexta-feira (11), um homem foi alvejado com três disparos nas costas na praia da Poço, em Cabedelo. DE acordo com a poilícia, os bandidos acharam que um pedreiro era proprietário de uma Hilux e tentaram assaltá-lo quando ele saía de um bar.

Segundo a polícia, ele teria reagido com um soco em um dos criminosos, mas acabou esfaqueado nas costas.

A vítima foi socorrida para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, na Capital, onde passou por cirurgia e permanece internado em situação regular. De acordo com a unidade, ele perdeu os movimentos das pernas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Clickpb com Aguinaldo Mota

Dor aguda nas costas próxima do bumbum poderá ser diagnosticada com exame de sangue

costas“A dor era tão forte que eu acordei de noite e sentia como se tivesse uma faca cravada”, disse Martin, 44 anos. O policial comentou que ficar sentado na viatura de polícia tornou-se algo insuportável. Andar em terrenos irregulares o fazia sentir que “cacos de vidro” estavam dilacerando sua espinha.

O morador da pequena cidade de Derby, Reino Unido, era um homem ativo, competindo em triátlon, nadando mais de 3,8 km e pedalando mais de 180 km ao completar uma maratona. Mas, ao começar a treinar para a maratona de Londres, percebeu os terríveis sintomas. A dor iniciou em sua nádega direita e tornou-se cada vez mais forte.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Os médicos diziam que se tratava de uma lesão nas costas por esforço mecânico e que ele precisava de fisioterapia. Ele fez o que o médico recomendou por 3 meses, mas a dor era tanta que ele não conseguia mais andar.

Ele foi encaminhado para um cirurgião ortopédico que lhe deu injeções de dextrose (um tipo de açúcar) e várias anestesias locais para provocar uma inflamação e desencadear o processo de cicatrização.

As injeções foram dadas nos ligamentos que pensava-se que estavam feridos na articulação sacro-ilíaca, onde a coluna se “acopla” com a pélvis: “Meus sintomas tornaram-se imediatamente piores. Eu chorava de dor ao tentar andar”.

Após três meses, ele foi encaminhado para um reumatologista que fez vários testes, incluindo varredura de radioisótopos – onde uma pequena quantidade de radiação é injetada no corpo, fixando-se onde supostamente existe a inflamação: “O procedimento revelou que eu tinha uma inflamação na minha espinha – provando que a dor não era por lesão mecânica”, disse Martin.

Depois de meses, finalmente o diagnóstico correio veio. Ele possuía espondilite anquilosante – uma inflamação que afeta a coluna vertebral e articulações sacro-ilíacas. Isso foi confirmado após uma análise de sangue que mostrou que Martin tinha um marcador genético para a doença.

Pessoas com esse marcador não estão condenadas 100% a ter o problema, mas possuem enormes probabilidades de a desenvolverem.

Apesar de extremamente doloroso, a doença afeta mais de 600 mil pessoas só no Reino Unido. Ela não é provocada por desgaste e sim por um ataque do sistema imunológico e o tipo de identificação da doença usando o sangue é algo muito recente.

O que é a Espondilite Anquilosante?

É uma inflamação que ocorre na parte inferior da coluna, resultando em enorme dor, rigidez e incapacidade. No local existem as articulações que se conectam com a pélvis, restringindo os movimentos, relatou o professor de reumatologia, Dr. Stefan Siebert, da Universidade de Glasgow.

R7