Arquivo da tag: coronel

“Não podemos conceber, a legislação não permite” diz coronel Euller sobre possibilidade de greve da PM

O comandante geral da PM da Paraíba, coronel Euller Chaves, destacou durante entrevista à Band News na manhã desta quinta-feira (06), que a Polícia Militar, por lei não pode deflagrar greve.

A declaração foi feita após o coronel ser questionado sobre o movimento de policiais para que se chegue a um consenso com relação aos vencimentos da categoria.

De acordo com Euller, o governador João Azevêdo tem o total interesse de oferecer mais e melhor não só para os ativos, mas para os veteranos, mas que as melhorias, diante da crise pela qual passa o país devem ser discutidas e implementadas de uma forma que contemple ambos os lados.

“O governador João Azevêdo vem buscar em um momento de dificuldade nacional do ponto de vista financeiro, resgatar essa necessidade universalizando os ganhos de forma linear, dando no início do ano 5% que atingiu os ativos e veteranos, logicamente que governador não gostaria de oferecer mais e melhor? Naturalmente o governador tem o maior interesse de fazer. Há de se enaltecer o processo de diálogo democrático com as associações de classe. Há avanços mais ainda, o governador de forma sensível oferece mais 5% a partir de outubro, aquelas pessoas que estão na ativa em cima da bolsa desempenho, ofereceu a possibilidade de incorporar parte da bolsa desempenho dos ativos para os inativos. Há tempo para discussões e construção de momentos melhores” destacou, continuando:

“Essa concepção de greve prévia, como militares greve não podemos conceber, a legislação não nos permite, temos a consciência do nosso papel perante a sociedade, existem pessoas que torcem por esse momento mas não são os presidentes das associações. Não creio que dentro dessa consciência profissional que tem os militares e o compromisso que fizeram perante a bandeira, suas famílias e Deus não vão deixar o cidadão paraibano na mão” disse.

PB Agora

 

 

‘Calvário’: Dinheiro desviado era escoltado por coronel da PMPB, delata Livânia Farias

A ex-secretária de administração da Paraíba Livânia Farias, investigada na Operação Calvário, detalhou como o dinheiro desviado das áreas da saúde e educação saía do Rio de Janeiro e chegava à Paraíba. Segundo novos trechos da delação de Livânia, divulgados nesta terça-feira (7), o hangar do Governo da Paraíba e um coronel da Polícia Militar do estado eram utilizados para a chegada e escolta dos valores, que teriam sido usados nas campanhas eleitorais de 2012 e 2014.

A operação investiga uma organização criminosa suspeita de desviar R$ 134,2 milhões de recursos que seriam utilizados na saúde e educação. A Calvário identificou fraudes em procedimentos licitatórios e em concurso público, além de corrupção e financiamento de campanhas de agentes políticos e superfaturamento em equipamentos, serviços e medicamentos. Do valor total desviado, mais de R$ 120 milhões foram destinados a agentes políticos e às campanhas eleitorais de 2010, 2012, 2014 e 2018.

Livânia foi presa em 16 de março de 2019. Segundo o Ministério Público da Paraíba, ela recebia, por mês, propina de R$ 80 mil paga pela Cruz Vermelha, Organização Social que administrava o Hospital de Trauma de João Pessoa.

G1 teve acesso a dois trechos da delação dela, publicados em setembro de 2019 e na segunda-feira (6). Os trechos divulgados nesta terça-feira no Bom Dia Paraíba foram gravados pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) no dia 16 de abril de 2019.

Livânia Farias, durante audiência de custódia em João Pessoa — Foto: Walter Paparazzo/G1

Livânia Farias, durante audiência de custódia em João Pessoa — Foto: Walter Paparazzo/G1

Veja trechos transcritos da colaboração de Livânia Farias ao MP

Segundo Livânia, o dinheiro era trazido do Rio de Janeiro por Ivan Burity, ex-secretário executivo de turismo da Paraíba, que foi preso na quinta fase da operação e apontado como recebedor de propinas, em delação premiada feita pelo ex-assessor de Livânia, Leandro Nunes Azevêdo. Atualmente, Ivan responde ao processo em liberdade.

  • Livânia: O que é que Ivan fazia? Ele conversava com o dono da empresa, da Brink Mobil, era ‘Seu Valdemar’, ele negociava o percentual de quanto era. Como também com a Grafset, com a Editora Moderna, que já foi agora, depois de 2016, 2017, e essa do Rio de Janeiro. Ele negociava o percentual, ele pegava o dinheiro. Teve ocasião de voos que ele fazia, voos fretados com o dinheiro. Em 2012 houve um voo que veio do Rio de Janeiro, ele foi pegar R$ 1 milhão no Rio de Janeiro, que era da Cruz Vermelha para as eleições de 2012. Veio para o aeroporto, parou no hangar do Estado. Já era tarde, ele ficou receoso de não conhecer a pessoa que estava lá e uma pessoa chamada Bernardo, que era quem ia acompanhá-lo e esperá-lo, ele [Bernardo] tinha ido e não tinha chegado lá. Aí eu entrei em contato com coronel Chaves, coronel Chaves se dirigiu ao hangar, eu me encontrei com ele no meio do caminho, para que levasse o dinheiro e o dinheiro foi para a casa de uma co-cunhada minha. O valor de R$ 1 milhão. E esse dinheiro foi destinado à campanha de 2012.
  • Ministério Público da Paraíba: E esse dinheiro veio de onde, só para deixar registrado?
  • Livânia: Esse dinheiro veio do Rio de Janeiro e quem encaminhou foi Daniel, da Cruz Vermelha.
  • Livânia: Em 2014 ocorreu uma outra viagem em que ele [Ivan Burity] chegou também lá para o hangar do Estado e o coronel Chaves estava lá junto com Bernardo. E aí vinha mais de um milhão nesse valor, e esse dinheiro foi levado para a casa de Bernardo.
  • MP: Certo
  • Livânia: E esse dinheiro foi gasto na campanha de 2014.
Daniel Gomes da Silva, operador da Cruz Vermelha (CVB) — Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

Daniel Gomes da Silva, operador da Cruz Vermelha (CVB) — Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

O Daniel citado por Livânia é Daniel Gomes, operador da Cruz Vermelha e suspeito de ser chefe da organização criminosa, segundo o MPPB. Ele foi preso na primeira fase da operação. O coronel Chaves citado pela ex-secretária é Fernando Chaves, que foi chefe da Casa Militar da Paraíba. Ele morreu em um acidente de carro em agosto de 2014. Bernardo é o gestor da Bernardo Vidal Advogados. Ele é acusado de coordenar um núcleo que desviava recursos de prefeituras com base na confecção de documentos e informações falsos, causando prejuízos milionários aos municípios. A empresa dele chegou a ser contratada pela prefeitura de João Pessoa entre os anos de 2009 e 2011.

O advogado da empresa Grafset, Felipe Negreiros, disse à TV Cabo Branco que não vai se pronunciar sobre o assunto. A produção tentou entrar em contato com a empresa Brink Mobil e com a Editora Moderna, mas não conseguiu resposta até às 15h.

Propina para campanha ao Senado em 2014

Na mesma delação, Livânia falou ainda de um suposto financiamento fraudulento para a campanha de Lucélio Cartaxo (PV), então candidato ao Senado pelo PT, em 2014, na chapa de Ricardo Coutinho (PSB), ex-governador da Paraíba investigado na Calvário.

Segundo a delatora, ela mesmo entregou R$ 300 mil à Zennedy Bezerra, atual secretário de desenvolvimento urbano de João Pessoa e que na época trabalhava na campanha. Lucélio Cartaxo é irmão do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV).

  • Livânia: Então o que aconteceu com Zennedy foi no sábado antes das eleições no primeiro turno em 2014. Eu passei para ele… Ele havia pedido R$ 1 milhão e eu disse que não tinha condições. Ele me disse “pelo menos R$ 600 mil” e eu entreguei R$ 300 mil na mão dele, no Canal 40.

Em nota, Zennedy classificou como inverídicos os fatos que relacionam o nome dele ao recebimento de recursos para a campanha eleitoral. Ele disse que está à disposição da Justiça e defende as investigações feitas pelo MPPB na Operação Calvário.

G1

 

Major Givaldo Medeiros é promovido a tenente coronel da PM

O Diário Oficial do Estado circulou hoje com ato do governador João Azevêdo promovendo o guarabirense major PM Givaldo Medeiros ao posto de tenente coronel PM, com atuação no 4º Batalhão de Polícia Militar.

Givaldo já foi sub-comandante do 4º BMP e realizou importante de trabalho de enfrentamento ao crime e, sobretudo, o desmantelamento do tráfico de drogas e tantas outras ações. Foi coordenador na região do PROERD (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência), formando centenas de crianças de diversas escolas de Guarabira e região. Também dirigiu um programa de rádio que tratava especificamente sobre a as ações do PROERD.

Em seu perfil na rede social Facebook, o agora tenente coronel comemorou a promoção, ressaltando ter entrado na PM 1989 para servir à sociedade.

“Há tempo para plantar e tempo para colher, há tempo para sorrir e tempo para chorar, há tempo para trabalhar e tempo para descansar! Tudo tem seu tempo, mas tudo tem que ser no tempo de DEUS!. Obrigado Senhor por essa graça em minha vida profissional. Em 1989 eu eu comecei minha carreira profissional na Briosa Polícia Militar da Paraíba como soldado para servir a sociedade e hoje estou recebendo minha merecida promoção a Tenente Coronel por tempo de serviço. São 30 anos de proteção divina nessa minha carreira Militar e amanhã sairei dela com a certeza do meu dever cumprido. DEUS no comando sempre!”, postou.

 

portal25horas

 

 

‘Bancos do RN não têm dinheiro, mas PB tem; somos alvos’, diz coronel da PM

O comandante geral da Polícia Militar, Coronel Euller Chaves, afirmou nesta quinta-feira (21) que já tomou as providências necessárias para evitar roubos a bancos nas 33 cidades da Paraíba que fazem divisa com o estado do Rio Grande do Norte.

Policiais e agentes penitenciários do estado vizinho estão em greve em função do atraso no pagamento do salário de novembro e do 13°.

“Nós já determinamos às equipes onde estão os 33 municípios que fazem divisa com o RN para avançarmos os efetivos em razão de outras possibilidades”, disse Euller em entrevista à rádio Correio 98 FM.

De acordo com o coronel, não há dinheiro nos caixas eletrônicos do Rio Grande do Norte e a Paraíba pode ser alvo da ação de criminosos.

“Não há dinheiro nos caixas eletrônicos daquele estado, mas aqui na Paraíba há. Então nós somos o alvo. Essa medida já foi adotada; os comandantes já estão atentos, buscando evitar um problema maior”, explicou.

Euller Chaves também voltou a defender veementemente as atuações da PM no estado. De acordo com o coronel, os números da segurança pública na Paraíba são bons, se comparados com os nacionais

“Eu tenho que agradecer a cada policial militar que participou dessa construção de números positivos dentro de um cenário nacional onde a violência urbana tem perpetrado e a Paraíba vive realmente um bom momento”, disse Chaves.

portalcorreio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Indignado, Coronel Telhada fala em separar SP do País

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Deputado estadual eleito em São Paulo, Coronel Telhada (PSDB) usou as redes sociais para manifestar sua indignação com a reeleição de Dilma Rousseff (PT) à Presidência da República, que venceu o tucano Aécio Neves no segundo turno da eleição.

“Mais quatro anos de corrupção e de desgoverno para o Brasil”, escreveu Telhada no Facebook. “Parabéns aos que votaram em Branco e Nulos, vocês condenaram o Brasil com a sua omissão e covardia.”

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O deputado estadual eleito disse estar “triste, estou muito triste” e que acha “que chegou a hora de São Paulo se separar do resto desse país”. “Que o Brasil engula esse sapo atravessado”, afirmou.

Terra

Ramalho Leite – De Coronel, só o chapéu


O jornalista José Euflávio não me deixava em paz. Toda vez que ia a Bananeiras acompanhando o governador Cássio Cunha Lima, insistia no pedido. Queria por que queria que eu lhe presenteasse um quadro de Ariano Suassuna que pendia meio torto na parede da minha sala. O quadro do Movimento Armorial e pintado a bico de pena me fora ofertado por um gerente de banco, não me lembro qual. Um dia me rendi ao assédio cultural do jornalista e mandei que levasse o quadro antes que Marta notasse a sua ausência. Até hoje ele me goza pelo feito.

Na realidade ele caçoa da minha ignorância pictórica ao  “desconhecer” o valor do quadro de Suassuna que lhe doei. Mas ele mesmo só descobriu seu valor quando foi mandar trocar a moldura e recebeu proposta de compra. Daí em diante ele não perde uma ocasião para contar a todos que conseguiu me levar um patrimônio valioso, por minha pura ignorância cultural, sempre naquele seu estilo chistoso.

Esta semana ele investiu no facebook a pretexto de elogiar o meu pai, mostrado em uma foto que permanecia há trinta anos agregada à porta do guarda-roupa de uma saudosa eleitora: “ O Sr Arlindo Ramalho era um homem de bens e de bem, zelador do que era dele. Já sobre um certo coronel,Ramalho Leite,que anda em Bananeiras de chapéus panamá, esse não.Esse não cuida nem do patrimônio de casa, né não doutora Marta Ramalho?”

De pronto, respondi: “ De coronel, só o chapéu Ze Euflávio. Quanto a defender meu patrimônio confesso que posso ser vitima de um certo esperto jornalista que sente o cheiro de obra de arte onde eu só vira um enfeite kkk”

Geraldo Bezerra Veras que é outro “facebuqueiro” inveterado julgou que Euflávio  com o seu humor mal explicado estava me destratando e me acusando de dilapidar meu patrimônio. Aliás, essa é a grande piada pois patrimônio mesmo eu  nunca fiz e, meu pai, referido como homem de bens, deixou muito pouco além da educação que proporcionou aos filhos.

As redes sociais, com os espaços curtos que põem à disposição dos seus frequentadores, às vezes deixam as histórias em pedaços, daí por que, fui obrigado a contar a historia da tela de Ariano Suassuna, agora fazendo parte do acervo cultural do jornalista Ze Euflávio.

Por outro lado, devo explicar que o uso do chapéu veio em virtude da alva pele com que nasci, pouco resistente ao sol e já motivo de algumas pequenas intervenções do meu dermatologista preferido, dr. Otavio Sérgio. A minha ação política no interior nunca foi parecida com a prática coronelista que predominou nos primórdios do  século passado. Na minha forma de fazer política, de coronel, só o chapéu…

RAMALHO LEITE

O texto é de inteira responsabilidade do assinante

Promotor critica Coronel Jarlon por dificultar aprovação de Corregedoria

Coronel Jarlon aparece na foto sendo condecorado por Maranhão. Ele é contra o projeto

João Pessoa (PB) – O promotor de Justiça Marinho Mendes Machado, integrante do Conselho Estadual dos Direitos Humanos da Paraíba (CEDH-PB), critica resistência adotado pelo Coronel Jarlon Cabral Fagundes acerca da aprovação de Projeto de Lei que cria a Corregedoria Única das Policias Militar e Civil.

O texto a seguir foi enviado pelo próprio Marinho Mendes. Leiam:

“O governador Ricardo Coutinho (PSB) resolveu encaminhar a Assembléia Legislativa do Estado da Paraíba projeto de lei que cria a Corregedoria Única das Polícias Militar e Civil, ou seja, a Corregedoria da Secretaria de Segurança e Defesa Social, todavia, dito projeto encontra a mais obstinada resistência comandada pelo Coronel Jarlon Cabral Fagundes, ficando isto bem patente, quando da realização da Audiência Pública realizada dia 31 de outubro de 2012 na ALPB, onde os militares oposicionistas exteriorizaram de forma apaixonada, emocional e altamente corporativista suas ferrenhas e ácidas críticas ao projeto de lei, defendendo com ardor que os poderes do Comandante Geral permaneçam intocáveis.

Acompanharam as críticas de Jarlon os Coronéis Ilton Guimarães, Francisco e Maquir (inativos), enquanto que os representantes dos Cabos e Soldados fizeram críticas tão somente em terem ficado de fora do projeto, sendo que da ativa, apenas o Corregedor do Corpo de Bombeiros e outro Coronel não identificado, apoiaram Jarlon.

O mais interessante nisto tudo, é que Jarlon foi defender tão somente os poderes do Comandante Geral da PM, sendo ambos ocupantes de cargos de confiança, enquanto Conselheiros dos Direitos Humanos que nada percebem de remuneração, estavam presentes, articulados e bem engajados em defesa do projeto que vem atender os reclamos de uma sociedade que necessita de respeito e que suas denúncias contra policiais com desvios sejam devidamente recepcionadas por um órgão independente, o que não ocorre hoje com o modelo de corregedoria que temos na PM.

O governo na oportunidade estava representado por tímido representante da Secretaria de Segurança Pública, que após falar de forma resumida e pouco esclarecedora sobre o projeto, se calou aos brados apaixonados dos coronéis, sendo obrigado ocorrer a atuação enérgica e corajosa dos Membros do Conselho Estadual dos Direitos Humanos que defendem o projeto, com pequenos ajustes.

O governo precisa se posicionar sobre os seus ocupantes de cargo de confiança irem à ALPB desqualificar o projeto e a sociedade não pode se furtar a esse acontecimento, que se aprovado sem as 22 alterações propostas pela PM, significará avanço para todos nós, inclusive para a PM que se livrará dos maus policiais.”

Da Assessoria de Imprensa

Acusado de dupla tentativa de homicídio, coronel reformado da PM é preso dentro de delegacia

O coronel reformado da Polícia Militar da Paraíba, José Francisco Xavier, foi preso na tarde desta quarta-feira (31), em cumprimento a um mandado de prisão expedido pelo 2º Tribunal do Júri da Capital. Ele é acusado de dupla tentativa de homicídio. O mandado foi expedido no dia 31 de agosto deste ano.

De acordo com o delegado Wagner Dorta, gerente executivo da Polícia Civil na região metropolitana da Capital paraibana, “a prisão do coronel ocorreu dentro da 3ª Delegacia Distrital, quando ele, que também é advogado, prestava serviço para um cliente”.

“Estava na companhia de um agente que reconheceu o coronel. Dei voz de prisão a ele e constatei que tinha um mandado de prisão contra o policial reformado acusado de efetuar disparos contra dois jovens no bairro dos Estados, em João Pessoa”, revelou o delegado.

Ainda segundo Dorta, um revólver calibre 38 sem numeração foi encontrado dentro do veículo do coronel. “Ele foi autuado em flagrante por porte ilegal de armas. José Francisco foi encaminhado para a Delegacia de Homicídios e será entregue ao Comando Geral da Polícia Militar”.

Hyldo Pereira

Portal Correio

‘Entrei no PSDB em lealdade a Serra’, diz coronel que ameaçou jornalista de morte

O tucano Paulo Telhada, ao centro, foi o quinto vereador mais votado (Foto: reprodução/Página de Telhada no Facebook)

O coronel Paulo Adriano Lopes Telhada, ex-comandante da Rota eleito vereador em São Paulo no último domingo (7), afirmou em entrevista para o repórter Gabriel Mestieri, do portal R7, que entrou para o PSDB em “lealdade” ao ex-governador José Serra, hoje candidato a prefeito na capital paulista.

Telhada é alvo de três ações do Ministério Público que pedem a impugnação de sua candidatura. Em uma delas, por incitação à violência em seu perfil no Facebook. Ele também é acusado de ameaçar de morte o jornalista André Caramante, da Folha de S.Paulo, que teve de sair do país para preservar sua vida.

telhada com serra
Telhada, à esquerda, com imagem da campanha de Serra ao fundo (Foto: reprodução/Facebook)

Após publicar um artigo com críticas aos crimes cometidos pela Rota, em 14 de julho, Caramante passou a receber várias ameaças. Uma delas foi postada por Telhada no Facebook. Disse o coronel: “Quem defende bandido, é bandido também. Bala nesses safados”. Em outra mensagem, um policial militar chamado paulo Sérgio Ivasava Guimarães dá apoio a Telhada: “Esse Caramante é mais um vagabundo. Coronel, de olho nele”.

Eleito vereador com a quinta maior votação, Telhada diz que agora irá às ruas para ajudar a eleger Serra prefeito. “Com certeza [vou participar da campanha de Serra]. No que ele precisar de mim. Entrei no PSDB em lealdade ao Serra, que me deu o comando da Rota quando ninguém acreditava em mim”, afirmou.

redebrasilatual

Guarabira: 4º Batalhão realiza a 7ª edição da corrida Coronel Elísio Sobreira

 

 

O 4º Batalhão de Polícia Militar realizou no último domingo dia 26/08 a 7ª edição da  Corrida Coronel Elísio Sobreira no município de Guarabira-PB, com um percurso de 8km e 300m, os participantes partiram da sede da Unidade  e percorreram os principais  bairros de Guarabira, terminando no centro da cidade. O evento, em todas as outras edições, foi Coordenado pelo Capitão Andrade.

Neste ano foram distribuídos mais de R$ 1.500,00 em prêmios nas seguintes categorias: Geral masculino e feminino, Atletas de Guarabira masculino e feminino, categoria militar, veterano e júnior.  E também foram distribuídos diversos brindes ao final do evento.

A Corrida Cel. Elísio Sobreira é um evento que a cada ano atrai cada vez um número maior de participantes. Atletas de toda a região do brejo paraibano, de todo o estado da Paraíba e até mesmo de outras unidades da federação prestigiam o evento.

A intenção do evento é comemorar simultaneamente o Dia do patrono da Polícia Militar e também o dia do soldado. E desenvolver e incentivar a prática de exercícios físicos e da prática de hábitos de vida saudáveis. Ao final do evento os atletas receberam um banho pela equipe dos bombeiros.

QUADRO DE VENCEDORES:

GERAL MASCULINO:

RICARDO DOS SANTOS PESSOA – CAMPINA GRANDE

GERAL FEMININO:

MARY EMANUELA C. OLIVEIRA – CAMPINA GRANDE

ATLETAS DE GUARABIRA

 MASCULINO:

MARCELO PACÍFICO DE PAIVA

FEMININO:

RENATA SUZANA SANTOS

CATEGORIA MILITAR:

CB PM SEVERINO MATIAS

4º BPM para o Focando a Notícia