Arquivo da tag: coração

Homem é preso após ameaçar perfurar coração da própria mãe em JP

A Polícia Militar prendeu ontem, sábado (19), um homem de 32 anos após ele ameaçar perfurar o coração da própria mãe. O caso aconteceu no bairro Alto do Mateus, em João Pessoa, Capital da Paraíba.

Com um martelo na mão, o suspeito também prometia esmagar a vítima de 51 anos, mas foi impedido por irmãos que chegaram no momento da ação e evitaram a tragédia.

A polícia foi informada que o acusado estava alcoolizado e sob efeitos de drogas e teve que ser amarrado até a chegada das autoridades.

O inusitado é que após ele ter sido encaminhado para a Central de Polícia ele foi liberado, já que a mãe não quis prestar queixa.

 

PB Agora

 

 

 

João Kléber é internado em São Paulo e fará cirurgia no coração

João Kléber foi internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, após um exame cardíaco de rotina mostrar que duas artérias de seu coração estão obstruídas. Mara Ferraz, namorada do apresentador do Você na TV e do João Kléber Show, deu detalhes em uma conversa ao vivo com Sonia Abrão no “A Tarde é Sua”.

“João foi fazer exames de rotina e na esteira descobriu uma alteração no coração. Ele tem obstruções em duas artérias, uma delas 95% obstruida e a outra com mais de 70%. O melhor tratamento é colocar dois stents para o João ter uma vida normal, feliz e com muito trabalho”, disse ela.

O apresentador passará por uma cirurgia nesta sexta-feira (31) para colocar os dois stents no coração, que são pequenos tubos usados para restaurar o fluxo sanguíneo.

A namorada disse que João Kléber deve receber alta em dois dias: “Em dois dias, ele terá alta. João não bebe, não fuma, faz atividade física todos os dias, mas o médico do Sírio entendeu que, após a angiotomografia, ele não deveria ir embora para ele não correr risco de vida. Com uma artéria 95% entupida, ele poderia infartar a qualquer momento”.

Reprodução/Instagram)

TV Fama

 

 

Adoção rima com coração

Em maio, o Dia das Mães (sempre no segundo domingo do mês) e o Dia Nacional da Adoção (25 de maio) guardam especial afinidade. O sagrado dom da maternidade, também expresso no belo gesto da adoção, deve compartilhar amor e afeto igualmente de forma inclusiva.

Esse importante tema foi discutido na Boa Vontade TV (Oi TV — Canal 212 — e Net Brasil/Claro TV — Canais 196 e 696), no programa Sociedade Solidária. Na ocasião, o sociólogo e apresentador Daniel Guimarães entrevistou Mônica Natale de Camargo, gerente executiva do Grupo de Apoio à Adoção de São Paulo (Gaasp).

 

Mudança de cultura

Estimativas apontam que, para cada criança na fila de adoção, há seis casais ou indivíduos pretendentes. Mônica Natale esclarece: “Ainda temos aquela cultura do perfil. O que a maioria dos pretendentes deseja? Eles geralmente querem aquelas crianças menores, bebês, brancos ou da mesma etnia. E as crianças que estão disponíveis geralmente são de grupos de irmãos e com idade avançada, e algumas com necessidades especiais. Então, o que tem de se fazer? Mudar essa cultura em torno da adoção no Brasil. O pretendente tem que entender qual é a realidade do país, e começar a olhar com carinho para as crianças, mudar aquela concepção do filho idealizado para o filho possível”.

 

Longe de nós o preconceito

O alto sentido de humanidade precisa habitar o coração das criaturas, não deixando espaço para preconceitos. A gerente do Gaasp aponta para o que pode ser feito: “Primeiro, uma divulgação maior do que é a adoção, entender o que significa adotar, o que significa um filho na sua vida. Isso é importante! A cultura da adoção tem que ser mudada, sim, com programas de TV como este onde se discute, onde se fala dessas necessidades”.

O assunto realmente merece um olhar mais atento da parte de todos, seja das políticas públicas ou da sociedade. É direito básico de toda criança ter uma família que a proteja, ame e respeite.

Quem quiser se informar melhor, acesse o site do Grupo de Apoio à Adoção de São Paulo: www.gaasp.org.br. Procure também conhecer a legislação brasileira sobre o tema.

 

Tirem o vidro!

No dia 27 de maio, completam-se 33 anos de dois grandes eventos da Legião da Boa Vontade na capital federal. Na ocasião, além de inaugurar o primeiro anexo (sede administrativa) do Conjunto Ecumênico, comandei a cerimônia de lançamento da Pedra Fundamental do Templo da Boa Vontade.

Momentos antes do início do cerimonial, um fato curioso proporcionou a todos importante lição. Eu me encontrava no segundo andar do prédio administrativo da LBV com os meus filhos e, ao olhar para o pátio, que estava superlotado, vi que o palco era baixo demais. E decidi: Sabem de uma coisa? Vou falar aqui de cima da marquise de entrada. E perguntei: Essa marquise aguenta o peso da gente? Ao que me responderam que sim, ao mesmo tempo em que me perguntavam: “Mas como é que o senhor vai passar para lá? Tem um vidro na frente!” Ora, se o vidro atrapalha, tirem o vidro!, disse-lhes. O vidro foi retirado e pude, então, fazer o discurso lá de cima mesmo.

Naquele momento, destaquei, lembrando-me de Moisés e de Alziro Zarur (1914-1979), que o Templo do Ecumenismo Divino, o Templo da Paz, surgia para que houvesse a interiorização de bons e elevados valores. Porque não se pode exteriorizar coisa alguma de útil se a criatura não tem nada para oferecer. É a questão do conteúdo espiritual que precisamos nutrir para que ele frutifique em nosso íntimo, de maneira que possamos externar a todos à nossa volta.

Ante aos embates que surjam em sua vida, jamais desista do Bem! Confie em Jesus e… tire o vidro!

 

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

 

 

Papa diz que pessoas que rejeitam homossexuais ‘não têm coração humano’

O Papa Francisco afirmou durante uma conversa com o comediante britânico Stephen K. Amos – que ainda não foi ao ar, mas teve trechos antecipados nesta sexta-feira (19) pela rede de televisão “BBC” nas redes sociais – que as pessoas que rejeitam os homossexuais “não têm coração humano”.

Na conversa para o programa “Pilgrimage: The Road To Rome”, o comediante conta ao Papa Francisco que não é crente e que viajou a Roma “em busca de respostas e fé”.

“Porém, como homem gay, não me sinto aceito”, disse Stephen.

Diante dessa questão, o Papa Francisco disse imediatamente que dar “mais importância ao adjetivo [gay] do que ao substantivo [homem] não é bom”.

“Todos somos seres humanos, temos dignidade. Se uma pessoa tem uma tendência ou outra, isso não lhe tira a dignidade como pessoa”, disse Francisco.

“As pessoas que decidem rejeitar o outro por um adjetivo não têm coração humano”, acrescentou Francisco, deixando Amos visivelmente emocionado.

O Papa Francisco já havia defendido em várias ocasiões a necessidade de respeitar pessoas homossexuais e, na viagem de retorno a Roma após uma visita ao Brasil, em 2013, perguntou quem era ele para julgar os gays.

 

G1 

Foto: Carlos Jasso/Reuters

 

Solânea será consagrada ao Imaculado Coração de Maria neste sábado

irmasA cidade de Solânea recebeu, na quarta-feira (23), a imagem de Maria Imaculada, vinda de Fátima, em Portugal, e será consagrada ao Imaculado Coração de Maria no próximo sábado, 26 de novembro, data em que a cidade comemora 63 anos de emancipação política.

A imagem foi trazida pelas irmãs portuguesas Maria Luiza e Maria Eleonor. As duas conversaram com o FN e destacaram a importância da consagração para a comunidade religiosa.

Para as irmãs, o chamado de Maria fez com que a cidade fosse a escolhida. Solânea será a quarta cidade da Paraíba a receber a consagração. A programação para a consagração foi iniciada desde o dia 20 e terá seu ápice neste sábado, com a Consagração e colocação da Imagem no monumento em frente a Igreja Matriz de Santo Antônio.

Acompanhe a entrevista completa e confira a programação abaixo:

programacao

Focando a Notícia

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Mortes por câncer no Brasil já superam óbitos por doenças do coração

radioterapiaO câncer já é a principal causa de morte entre os brasileiros, conforme dados divulgados pelo Datasus (Sistema de Informática do Ministério da Saúde), a partir de uma pesquisa que aponta uma média de 3.245 óbitos no País, o equivalente a 5,9 milhões em um período que vai de 2010 a 2014. Dessas mortes, o câncer aparece em primeiro lugar, com um total de 935.947 vítimas – ou seja, a doença tem matado mais do que as moléstias cardiovasculares, que aparecem em segundo lugar na pesquisa (522.542 mortes), ou os acidentes de trânsito.

Em entrevista concedida à Rádio USP, a médica oncologista Maria Del Pilar Estevez, coordenadora de Oncologia Clínica do Icesp (Instituto do Câncer do Estado de São Paulo), diz não se  surpreender com esses números, que “já eram esperados” devido a alguns fatores, como o envelhecimento da população, o aumento da expectativa de vida e uma maior exposição aos carcinogênicos. Esses fatores, segundo ela, estão causando um aumento no número de casos de câncer – “não só no Brasil como em todo o mundo” –  e uma maior mortalidade provocada pela doença. “Já era esperado que, até o ano 2020, a moléstia se tornasse a principal causa de morte no mundo, um fenômeno que vem sendo acompanhado pela Organização Mundial da Saúde”.

Para a especialista, é importante que se esteja preparado para essa realidade, aperfeiçoando as medidas de diagnóstico e de tratamento e, principalmente, cuidando da prevenção. Não se pode esquecer que, em relação ao tratamento, tudo vai depender do tipo de câncer, cada qual exigindo uma abordagem distinta. O conhecimento da especificidade do câncer permitirá que o tratamento seja mais eficaz. “Quanto mais precoce, melhor o prognóstico e as chances de cura, o que, por outro lado, irá demandar menos recursos”, razão pela qual os estudos atuais sobre a doença enfatizam a importância do diagnóstico precoce.

Maria Del Pilar diz que, no caso de suspeita de câncer, a rapidez no diagnóstico é primordial, a fim de que o encaminhamento do paciente para tratamento não seja prejudicado pelo fator tempo. Infelizmente, as coisas nem sempre funcionam da forma que deveriam, e é alto por aqui o porcentual de pacientes nos estágios mais avançados da doença, quando a chance de cura se torna mais difícil. Isso já não ocorre em nações mais desenvolvidas.

De acordo com a especialista, dois motivos contribuem para o estabelecimento de um diagnóstico tardio: o tipo de câncer, já que existem algumas doenças que, em sua fase inicial, não são sintomáticas ou que evoluem rapidamente, e a dificuldade de acesso do paciente ao sistema de saúde, impedindo que se chegue a um diagnóstico precoce e ao consequente encaminhamento para um serviço de referência. “O número de mortes é muito alto não porque pioramos”, revela a médica, “mas porque há muita coisa a fazer para melhorar o sistema como um todo, desde a fase inicial até a fase final, que é a do tratamento propriamente dito”.

Ela preconiza a necessidade de programas de prevenção sólidos, com boa adesão da população a campanhas de vacinação como a do HPV e da hepatite, e rastreamento (mamografia, papanicolau) para diagnóstico precoce de lesões pré-malignas. Da mesma forma, “é importante melhorar hábitos, procurar manter peso adequado, comer verduras, parar de fumar e reduzir o consumo de bebidas alcoólicas, além de poder contar com programas eficientes de tratamento”, diz a dra. Maria Del Pilar. “Nós só vamos conseguir reduzir a mortalidade por câncer se agirmos em todas as frentes, compartilhando as responsabilidades entre a população e os agentes de saúde.”

(*) Conteúdo publicado pelo Jornal da USP

painelacademico

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

“Há vida depois do infarto”: médico dá dicas de como viver bem após problemas no coração

Ataque cardíaco: quanto mais rápido o atendimento, menor a mortalidade(iStock/VEJA)
Ataque cardíaco: quanto mais rápido o atendimento, menor a mortalidade(iStock/VEJA)

Mais de 4 mil paraibanos morreram este ano por problemas no aparelho circulatório, 1.243 somente de infarto. A quantidade assusta, porém, outros tantos conseguem sobreviver a esses ataques. Setembro é oficialmente o mês do coração. E para saber a relação dos pacientes com o problema, a reportagem do Jornal Correio da Paraíba Online conversou com o cardiologista Helman Campos Martins, que garantiu: “Há vida depois de um infarto”.

“A vida não vai piorar. É o que tenho falado para os meus pacientes. Pelo contrário, vai melhorar. Há vida depois de um infarto. Óbvio que, estes, irão tomar maiores cuidados, sobretudo, no seu estilo de vida, acrescentando uma atividade física, uma caminhada, uma hidroginástica. Outro ponto que temos visto é a redução no uso do cigarro, no quadro de pessoas que já sofreram um infarto. Isso reduz o risco de uma nova recorrência”, disse.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

De acordo com a Federação Mundial do Coração, 80% das mortes são em função de quatro fatores de risco: tabagismo, dieta inadequada, natividade nociva, uso nocivo de álcool.  Sobreviver a um episódio como esse torna obrigatória a mudança de hábitos, como, por exemplo, iniciar uma atividade física.

“Nestes casos, a atividade física é fundamental. Seja um exercício aeróbico, caminhar ou uma hidroginástica. Sempre de forma proporcional ao perfil do paciente, a idade e claro, as condições físicas”, explicou. “Além das medicações, para diminuir o colesterol de maneira continua, também é importante uma dieta saudável. E, fumar nem pensar”, acrescentou.

Em muitos casos, o ataque de infarto está relacionado à idade do indivíduo. Segundo Martins, a vulnerabilidade do homem é maior. “Depende do gênero. O homem, a partir dos 40 anos, está sujeito a uma maior prevalência, enquanto as mulheres, até pelo seu sistema hormonal, tende a sofrer algum problema de coração, caso não se cuide, a partir dos 50, 55 anos. Depois dessa faixa etária, os gêneros equivalem”, revelou.

Para conscientizar a população sobre as doenças cardiovasculares, o Ministério da Saúde criou a campanha “Setembro Vermelho”, quando são agendadas várias ações educativas pelo Brasil. O mês foi escolhido, porque no dia 29 é comemorado o Dia Mundial do Coração.

Maurílio Júnior /Correio da Paraiba

Suplementos podem engordar e trazer doenças nos rins e no coração; veja orientações

Reprodução/TV Correio HD
Reprodução/TV Correio HD

O uso indiscriminado de suplementos alimentares pode trazer riscos para a saúde. Essa é a orientação de especialistas para aqueles que buscam, a todo custo, dar forma ao corpo sem se preocupar com as doses desses produtos.

Os suplementos alimentares podem provocar problemas nos rins ou aumentar riscos de doenças em pessoas que têm predisposição para diabetes ou ataques cardíacos, por exemplo.

Especialistas recomendam que os produtos sejam consumidos sob orientação de médicos para que a busca pela boa forma não se transforme em um filme de terror para a saúde.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Assista à matéria exibida na TV Correio HD.

 

portalcorreio

III Caravana do Coração chega à Guarabira em julho

(Foto: Reprodução/Secom-PB)
(Foto: Reprodução/Secom-PB)

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), e a ONG pernambucana Círculo do Coração realizará, no próximo dia 09, a Caravana do Coração, em Guarabira.

O objetivo é atender crianças (de 0 a 12 anos) e gestantes (com fase gestacional de 22 a 28 semanas), priorizando as que apresentam cardiopatia, febre reumática, sopro, cianose, taquicardia e desmaio, que apresentem sintomas de diabetes clínica, cardiopatia, ultrassonografia com suspeita, outro filho com cardiopatia ou má formação fetal.

A Caravana do Coração é fruto do projeto Círculo do Coração, que nasceu de uma parceria entre o Governo do Estado da Paraíba e a ONG pernambucana Círculo do Coração, desde outubro de 2011. O projeto surgiu da necessidade de melhorar o atendimento em cardiologia pediátrica no Estado. O convênio foi firmado no dia 17 de outubro de 2011, no valor de R$ 3.327.633,12 e renovado em novembro de 2013 com investimento de R$ 6 milhões.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Serão 50 profissionais, entre os quais, médicos especialistas em cardiologia clínica e em diagnóstico por imagem; psicólogo; nutricionista; assistente social e enfermeiras. Além do atendimento, que vai desde a consulta de enfermagem, avaliação nutricional, psicológica, do serviço social, consulta médica e dos exames de imagem, terão cursos de capacitação aos profissionais de saúde dos 13 municípios. Serão 60 vagas por cidade para os cursos: “Transporte do Recém-nascido de Risco”; “Assistência de Enfermagem ao Recém-nascido”; “Reanimação Neonatal”; “Auxiliar da Reanimação Neonatal”; “Acesso venoso no recém-nascido” e “Uso do suporte ventilatório no recém-nascido”.

Nesta terceira edição, o evento terá algumas novidades. A presidente do Círculo do Coração, a cardiologista pediátrica Sandra Mattos, explicou que uma grande novidade da III Caravana será a implantação das “salas do coração”. “Serão salas de telemedicina, que vão servir de ambientes virtuais de ambulatórios, onde médicos e enfermeiros locais vão trabalhar com profissionais do Círculo para fazer o acompanhamento das crianças cardíacas da cidade”, disse.

Outra novidade será a capacitação continuada em saúde, na qual as aulas serão disponibilizadas na internet, no site do Círculo. Toda semana a equipe do Círculo do Coração faz reunião na qual discute casos clínicos, trabalhos de literatura e rotinas do projeto. Todas as discussões são gravadas e vão para o programa de educação continuada. Os profissionais de saúde poderão acessar a qualquer momento.

Ainda terá a implantação do “Ecotaxi”, no qual uma mala com todos os equipamentos necessários para fazer ambulatório de cardiologia (máquina de ecocardiografia, estestoscópio, tensiômetros) irá para as cidades fazer o atendimento ambulatorial e diagnósticos emergenciais.

Balanço – Em 2013, foi realizada a 1ª Caravana do Coração. Foram nove dias de viagem e neste período foram feitos 4.608 atendimentos nas áreas de Enfermagem, Cardiologia, Ecocardiograma, Psicologia, Nutrição, Serviço Social, Arte Terapia, Ausculta Cardíaca e Eletrocardiograma em 512 pacientes.

Ano passado, aconteceu a 2ª Caravana do Coração, que visitou 13 municípios com duração de 14 dias e, desta vez, com 40 profissionais. Nesta Caravana, foram realizados 9.171 atendimentos nas mesmas áreas da primeira caravana, em 1.019 pacientes. Foram ainda realizadas capacitações em reanimação neonatal, transporte e cateterismo umbilical para 495 profissionais de saúde.

Outros dados – O projeto Círculo do Coração realizou nos últimos três anos cerca de 80 mil triagens neonatais. Nesse mesmo período, foram sete mil consultas e ecocardiogramas; 800 capacitações profissionais, além de 330 cirurgias no Complexo de Pediatria Arlinda Marques, na capital, referência na área, e mais 62 outras cirurgias, no Recife, Pernambuco, de pacientes cardiopatas paraibanos.

O projeto cobre hoje quase 85% dos nascimentos da rede pública de maternidades. A Paraíba é pioneira no projeto do Círculo do Coração e oferece assistência de qualidade à população, desde o atendimento ambulatorial até a alta complexidade. A Rede de Cardiologia Pediátrica é financiada com recursos da Secretaria de Estado de Saúde

O serviço também atua na capacitação dos profissionais do sistema público de saúde, em especial neonatologistas, ultrassonografistas, pediatras e enfermeiros, visando o diagnóstico e tratamento das doenças cardíacas em crianças. As equipes são treinadas para realizar a triagem neonatal por oximetria de pulso, exame feito nas primeiras 24 horas de vida do bebê, capaz de detectar doenças cardíacas congênitas. O exame mede a saturação de oxigênio no sangue. Nos casos em que é detectada alguma anormalidade, os bebês são encaminhados para realizar exames mais aprofundados. Também é feita triagem neonatal com ecocardiograma realizado pelo neonatologista, com supervisão de um cardiologista online. Além disso, contam com toda a assistência clínico-cirúrgica dos médicos ligados ao Círculo do Coração, de Pernambuco.

 

Secom-PB

Mulheres modificam mamilos para deixá-los parecidos com coração

Uma nova transformação corporal tem feito sucesso. Mulheres têm mudado o formato da auréola dos mamilos para deixá-los parecidos com um coração. A técnica é conhecida como “tittooing”, segundo o jornal inglês “Daily Telegraph”.

Mulheres têm mudado o formato da auréola dos mamilos para deixá-los parecidos com coração (Foto: Reprodução/Twitter/Gela)Mulheres têm mudado o formato da auréola dos mamilos para deixá-los parecidos com coração (Foto: Reprodução/Twitter/Gela)

A tendência surgiu em Liverpool, na Inglaterra. De acordo com o jornal, o procedimento é semipermanente e consiste, com ajuda de tatuagem, em escurecer, ampliar e definir a auréola dos mamilos no formato desejado, no caso coração.

O procedimento leva duas horas e pode custar mais de R$ 5 mil para fazê-lo nos dois mamilos. Como não é definitiva, ele permanece por um período de 12 a 18 meses. Por isso, é necessário fazer novas aplicações para restaurar caso a cor desapareça.

Apesar de a técnica ter ganhado destaque pela primeira vez em 2013, ela voltou a fazer sucesso nesta semana nas redes sociais após reportagem do site spi0n.com. No Twitter, vários usuários compartilharam fotos de “tittooing”.

 

G1