Arquivo da tag: Conheça

Conheça os sinais do câncer de mama que aparecem na pele

O mês de outubro traz uma oportunidade ótima pra tirarmos dúvidas sobre o câncer de mama. Formas de prevenção, diagnóstico, tratamento… Tudo entra em pauta. É, também, uma boa hora pra você lembrar de marcar os seus exames.

Como você provavelmente deve ter ouvido falar nesses dias de Outubro Rosa, o câncer de mama é o tipo de câncer que mais mata mulheres no Brasil e o segundo mais comum entre elas. atrás apenas do câncer de pele não melanoma- ainda assim, é curável em estágios iniciais. É muito importante, portanto, agir de maneira preventiva.

O que pouca gente sabe é que existe um tipo de câncer de mama que pode ser diagnosticado pelo dermatologista. Chamado Doença de Paget, ele é raro e surge como lesão na região do mamilo e da aréola da mama.

Convidei Luciano Moro*, mastologista de São Paulo, pra uma conversa sobre esse tema:

Thais Bello: O que é o carcinoma de Paget? O que ele tem em comum e no que se diferencia dos outros tipos de câncer de mama?

Luciano Moro: Doença de Paget é definida pela presença de células malignas (células de Paget) na epiderme da papila mamária, ou seja, na pele do mamilo. Corresponde de 1 a 5% dos casos de câncer de mama e acomete mais frequentemente mulheres acima dos 50 anos.

Em metade dos casos, no momento do diagnóstico, se observa tumor palpável. Além disso, em 85 a 95% dos casos há relação com alguma doença dentro da mama.

Justamente por este dado, a teoria mais aceita para esta doença é de que células malignas da mama migrem pelos ductos da mama para a superfície da pele. Esta forma da doença é pouco comum dentro das apresentações do câncer de mama

TB: Quando devemos suspeitar?

LM: A doença de Paget invariavelmente é unilateral, atingindo então apenas uma das mamas, e se manifesta como uma descamação ou crosta no mamilo associada à saída de secreção através da papila. Pode se estender para a aréola e eventualmente para a pele adjacente. Como mencionado anteriormente, palpa-se tumor associado em metade dos casos. É importante diferenciar de outras doenças benignas da pele, sobretudo os eczemas ou dermatites – que são muito frequentes nas duas mamas –, micoses e outros cânceres da pele.

O dermatologista pode suspeitar pela falta de resposta ao tratamento e investigar através de uma biópsia da pele acometida. Se a suspeita for de doença de Paget, outros exames são necessários, mesmo se não houver tumor palpável. Em alguns casos, podem ser necessárias novas biópsias ou complementação com ressonância magnética.

TB: Como é o tratamento deste tipo de câncer de mama? O carcinoma de Paget tem cura?

LM: O tratamento da doença de Paget é cirúrgico, através da retirada da aréola e papila acometidas. No entanto, como na grande maioria dos casos existe doença também na mama (chamada carcinoma in situ ou invasivo), na prática o que se realiza é a ressecação deste câncer mamário juntamente com a doença da aréola e papila (quadrantectomia central ou mastectomia, a depender do tamanho do tumor e da mama ou da multiplicidade de lesões na mama).

A indicação de radioterapia, quimioterapia ou hormonioterapia seguem os mesmos critérios utilizados para outras formas de câncer de mama e são baseados nas características e informações destes tumores associados. Um aspecto muito relevante na doença de Paget é que em 80% das vezes o tumor expressa uma proteína (HER 2) que indicaria um tratamento chamado “terapia alvo” (imunoterapia). Portanto, o prognóstico da doença está diretamente relacionado à presença ou não de tumor mamário associado e ao estágio do mesmo.

 

womenshealthbrasil

Conheça alguns dos chás que ajudam no emagrecimento

chaOs chás são grandes auxiliadores no emagrecimento. Pensando nisso, selecionamos alguns deles que vão te ajudar a perder peso. Confira:

1. Chá mate

O chá-mate é produzido a partir da erva-mate tostada. Ele possui as metilxantinas (cafeína e teobromina) em sua composição. Essas substâncias conferem ao chá o efeito termogênico, pois ele acelera o metabolismo e aumenta o gasto calórico em repouso. Esse mecanismo aumenta a queima de gordura, por isso a bebida pode contribuir para o emagrecimento.

Além disso, a cafeína estimula a lipólise ao inibir uma enzima chamada fosfodiesterase. A lipólise consiste em utilizar as células de gordura estocadas em nosso corpo para gerar combustível para queima durante momentos em que o corpo necessita de uma energia extra.

2. Chá verde

O chá verde possui forte ação termogênica. Isto ocorre por dois motivos. Primeiro, a bebida conta com cafeína em sua composição que tem efeito estimulante e contribui para a queima mais intensa de calorias, especialmente de gorduras. Além disso, o chá verde possui polifenóis que inibem a ação de uma enzima chamada catecol-O metiltransferase microssomal hepática. Quando a ação desta enzima é impedida a termogênese aumenta.

O chá verde ainda age na composição de gorduras no corpo. Estudo preliminares apontam que uma das catequinas mais presentes no chá verde, a epigalocatequina galato, estimula diversas enzimas que controlam o metabolismo das gorduras e até incentivam a quebra delas. Assim, as gorduras são melhores utilizadas pelo nosso organismo e não ficam paradas no tecido adiposo.

3. Chá preto

O chá preto, assim como o verde e o branco, é elaborado a partir da planta Camellia sinesis. A diferença entre eles é a fase em que a planta [e colhida e a maneira como são preparados. Portanto, esses chás contam com nutrientes. A diferença entre o chá verde e o preto é que este último conta com maior quantidade de cafeína.

Por isso, o chá preto também é o que possui maior ação termogênica. Este benefício ocorre da mesma forma que o que o chá verde. Ou seja, a bebida ajuda na perda de peso por conter cafeína e polifenóis. Isto porque a cafeína acelera o metabolismo e a queima gorduras. Enquanto as catequinas, tipos de polifenóis, reduzem o apetite e também diminuem as gorduras. O chá preto também irá inibir as enzimas que atrapalham a termogênese.

4. Chá branco

Os mecanismos que fazem o chá branco ter ação termogênica são os mesmos dos chás preto e verde. Com a diferença de que a termogênese no chá branco é menor porque entre os três chás ele é o que possui menor quantidade de cafeína. Ao invés disso, o chá branco conta com alta concentração de antioxidantes. Por isso, o chá branco ajuda a prevenir o câncer, protege o cérebro e a visão.

A quantidade recomendada da bebida pode variar entre duas e três xícaras de chá por dia. Para preparar uma porção utilize cerca de três gramas da folha seca para 300 ml de água. Para preparar uma porção de chá branco utilize três gramas da folha seca para 300 ml de água. Aqueça a água até um pouco antes da fervura, cerca de 80º, depois desligue o fogo e coloque a planta dentro. Deixe descansar por cinco minutos, coe e consuma.

5. Chá de hibisco

O chá de hibisco é preparado com o cálice do botão seco da flor chamada Hibiscus Sabdariffa, que não é aquela espécie de hibisco normalmente encontrada nos jardins. Esta bebida evita o acúmulo de gordura. Uma pesquisa publicada no Journal of Ethnopharmacology da Sociedade Internacional de Etnofarmacologia concluiu que o chá de hibisco é capaz de reduzir a adipogênese. Este processo consiste na maturação celular no qual as células pré-adipócitas se convertem em adipócitos maduros capazes de acumular gordura no corpo.

Ao diminuir este processo, o chá de hibisco contribui para que menos gordura fique acumulada na região do abdômen e nos quadris. Ainda não está claro qual é a substância presente na bebida que é responsável pelo benefício. Porém, acredita-se que a ação antioxidantes dos flavonoides antocianina e quercetina contribuem para reduzir o depósito de gordura.

Fonte: Minha Vida

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Conheça mitos e verdades a respeito do diabetes, doença que afeta 14 milhões de brasileiros

– Dia Mundial do Diabetes é lembrado em 14 de novembro e chama atenção para a necessidade do controle adequado da doença –

diabetesUma epidemia – é desta maneira que a Federação Internacional de Diabetes (IDF) define a abrangência atual do diabetes ao redor do mundo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que a população mundial com diabetes esteja acima de 380 milhões de pessoas, e deverá atingir mais de 470 milhões até 2035. “O mundo está enfrentando uma epidemia sem precedentes de diabetes”, confirma David Cavan, diabetologista diretor de políticas e programas da IDF31.

Só no Brasil estima-se que existam 14,25 milhões de portadores da doença, sendo que um a cada dois adultos diabéticos ainda não está diagnosticado2 3. Neste 14 de novembro, quando se celebra o Dia Mundial do Diabetes, a Sanofi preparou um guia com dez mitos e verdades a respeito da doença, já que a educação é parte fundamental do tratamento do diabetes.

“O fato é que o paciente leva um tempo até conseguir compreender e se adaptar à nova condição crônica”, avalia a endocrinologista Denise Franco, pesquisadora do Centro de Pesquisas Clínicas (CPClin) e coordenadora do departamento de Novas Terapias da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD). “Mas, uma vez que se adapte à nova rotina, tudo fica mais fácil”.

1)    Precisar tomar insulina é o último recurso e significa que minha doença é grave.

MITO. Assim como acontece em qualquer problema de saúde crônico, como é o caso do glaucoma e da asma, por exemplo, muitas vezes o paciente precisa fazer uso de uma medicação de modo contínuo – é para isso que servem os colírios para baixar a pressão ocular e a “bombinha” do asmático. Quando o corpo não dá conta de equilibrar o nível de açúcar no sangue sozinho, algumas pessoas diabéticas precisam recorrer à insulina, um hormônio que ajuda nesta função. Isso não significa, necessariamente, que a doença tenha atingido um alto grau de gravidade. Significa, apenas, que o paciente poderá contar com a ajuda de um medicamento que vai controlar a doença, retardando, deste modo, por muitos anos, as complicações crônicas do diabetes.

2)    O diabetes pode até ser uma doença grave, mas a Aids, por exemplo, matou mais pessoas nos últimos anos.

MITO. Um estudo publicado pela revista científica britânica The Lancet aponta que o diabetes tem matado mais do que a Aids/HIV nos últimos anos. A estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) é de que cerca de 1 a 5 milhões de pessoas morreram, só em 2012, vitimadas pela doença4.

3)    A hipoglicemia pode matar.

VERDADE. A hipoglicemia é um dos sintomas que mais causam medo nos pacientes com diabetes. Se ela ocorre durante a noite, enquanto o paciente está dormindo, pode não ser percebida. E, sem uma intervenção rápida, um quadro de hipoglicemia pode até ser fatal. Entre os sintomas de hipoglicemia estão sensação de fraqueza ou fome, tontura, tremor, palpitação, sudorese, alterações da visão e até perda da consciência5.

4)    Só aplicar a insulina é suficiente para o controle do diabetes.

MITO. Para que o controle ideal do diabetes aconteça, é preciso que o paciente também invista em uma alimentação balanceada e na prática de atividade física regular, além do controle da glicemia e o uso medicação prescrita de forma contínua. Além disso, há uma preocupação por parte do Ministério da Saúde em estimular que se torne prioridade a perda de peso, entre os obesos, como forma de se obter mais qualidade de vida. Até porque, estudos apontam que são essas as únicas formas de se reduzir as complicações do diabetes.

5)    Diabéticos que não controlam os índices glicêmicos têm mais chances de sofrer ataque do coração e derrames.

VERDADE. O estudo6 UK 1994 Prospective Diabetes Study – UKPDS mostrou que a chance de morte prematura é maior nos diabéticos que não controlam a doença adequadamente. Além disso, a falta de controle glicêmico de quem tem diabetes pode levar a complicações crônicas decorrentes da hiperglicemia, como alteração na visão, problemas renais, neuropatia diabética, insuficiência cardíaca e infarto agudo do miocárdio. No entanto, a evolução da doença pode ser modificada se, desde o início, o paciente realizar mudanças em seu estilo de vida.

6)    Ter repetidos episódios de hipoglicemia não traz maiores consequências além de desconforto físico.

MITO. Estudos mostram que os episódios frequentes de hipoglicemia aumentam em quatro vezes o risco de a pessoa desenvolver uma doença cardiovascular, além de levar à diminuição da função mental e até à demência.

7)    Quase metade dos brasileiros portadores de diabetes mellitus tipo 2 não sabem que têm a doença.

VERDADE. Diabetes do tipo 2 é mais prevalente entre os diabetes. Está presente em 90% a 95% dos casos. Mesmo assim, de acordo com o Estudo de Prevalência do Diabetes Mellitus, no Brasil, coordenado pelo Ministério da Saúde, existem 46,5% de portadores do DM tipo 2, em todo o País, que desconhecem ter a doença. Esses brasileiros estão sem diagnóstico e sem tratamento7.

8)    O diabetes mellitus tipo 2 pode não apresentar sintomas.

VERDADE. Especialmente no início, quando ainda existe uma considerável produção de insulina, é comum que o diabetes mellitus tipo 2 cause pouco ou nenhum sintoma. “Já o diabetes tipo 1 pode ter um início dramático, se sintomas como urinar muito, tomar muita água e emagrecer sem deixar de se alimentar não forem reconhecidos a tempo”, explica a endocrinologista Rosângela Réa, do Paraná.

9)    O tratamento com insulinas envolve sempre mais de uma aplicação por dia.

MITO. Cada caso deve ser avaliado pelo médico, que vai prescrever os medicamentos e as posologias adequadas àquele paciente. Mas, graças à oferta de novos medicamentos pela indústria farmacêutica, quem tem diabetes passou a contar com mais opções de tratamento. Recentemente foi lançada no Brasil a insulina glargina de última geração U300, indicada para o tratamento do diabetes mellitus tipo 1 e tipo 2 em adultos. A insulina glargina U300 proporciona ao paciente efeito estável e prolongado de controle do nível glicêmico, para além de 24 horas8 9. Trata-se de um aliado poderoso, por exemplo, nos casos de diabetes mellitus tipo 1, quando, no geral, recomenda-se a associação de uma insulina de ação lenta, como a insulina glargina U300, e outra de ação rápida, junto com as refeições. Já em pacientes de diabetes tipo 2, é possível realizar o tratamento apenas com uma insulina glargina de última geração.

10)  A obesidade na infância pode levar ao diabetes mellitus na adolescência.

VERDADE. O diabetes mellitus em adolescentes tem sido atribuído às elevadas taxas de obesidade na infância e na adolescência que, por sua vez, estão relacionadas ao crescente sedentarismo e hábitos alimentares ricos em calorias e gorduras. Além disso, segundo afirma a Sociedade Brasileira de Diabetes, estudos recentes feitos em adolescentes com diabetes mellitus tipo 2 mostraram que o efeito do diabetes e da obesidade tem grande influência no sistema vascular, aumentando a rigidez dos vasos. Com isso, os pesquisadores alertam que o tipo 2, quando desenvolvido precocemente, é mais agressivo do ponto de vista cardiovascular do que em adultos.

 

Referências bibliográficas

  1. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes (2015) ; www.diabetes.org.br/images/2015/area-restrita/diretrizes-sbd-2015.pdf. Acessado em maio de 2016.
  2. International Diabetes Federation. IDF. Diabetes Atlas, 7ª edição, atualizada em 2015. Disponível em http://www.idf.org/diabetesatlas. Data de acesso : maio de 2016.
  3. Fowler MJ, et al. Microvascular and Macrovascular Complications of Diabetes, Clinical Diabetes 2008 ; 77-82.
  4. The Lancet 2016; 387: 1513-30, Published Online, April 6, 2016. http://www.thelancet.com/pdfs/journals/lancet/PIIs0140-6736(16)00618-8.pdf. Acessado em maio de 2016.
  5. McCall AL. Insulin therapy and hypoglycemia. Endocrinol Metab Clin North Am. 2012 Mar;41(1):57-87. doi: 10.1016/j.ecl.2012.03.001. Epub 2012 Apr 17. Review.PubMed PMID: 22575407; PubMed Central PMCID: PMC4265808.
  1. UK Estudo Proespective Diabetes (UKPDS). XI: fatores de risco bioquímicos em pacientes diabéticos tipo 2 no momento do diagnóstico em comparação com indivíduos normais de idade; Manley SE, Meyer LC, Neil HAW, Ross é, Turner RC, Holman RR; Diabetic Medicine 1994; 11; 534-544, Publicado: Jul-1994 PMID: 7955969, doi: 10,1111 / j.1464-5491,1994.tb02032.x; https://www.dtu.ox.ac.uk/ukpds. Acessado em maio de 2016.
  2. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: diabetes mellitus; Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica; 2013; Cadernos de Atenção Básica, n.36
  3. Becker RH., et al. Diabetes Care 2015;38(4): 637-43
  4. Shiramoto M, et al. Diabetes Obes Metab 2014;17(3): 254-60

 

Sobre a Sanofi

A organização está presente no Brasil desde 1919, a partir de diversas aquisições ao longo dos anos. A Sanofi é a maior multinacional no mercado farmacêutico brasileiro, com 5 mil colaboradores e sólida plataforma industrial no País. Possui um portfólio diversificado que abrange medicamentos isentos de prescrição e produtos de consumo; tratamentos em áreas terapêuticas como dor e inflamação, alergias, diabetes, doenças cardiovasculares, doenças metabólicas, pediatria e oncologia; vacinas, com a atuação da Sanofi Pasteur; genéricos e similares, com a Medley; e doenças raras e esclerose múltipla, com a Sanofi Genzyme. Entre as marcas da Sanofi estão: Dorflex, Dorflex IcyHot, Novalgina, Cewin, Vitawin, Depura, Targifor, Os-Cal e Os-Cal Kids, Enterogermina, Naturetti, Dermacyd,Allegra, Profenid, Puran, Clexane, Jevtana, Taxotere, Lemtrada, Aubagio, Lantus,Toujeo, Praluent, FluQuadri e Dengvaxia.

Este material é dirigido exclusivamente à imprensa especializada como fonte de informação. Recomenda-se que o conteúdo não seja reproduzido integralmente. As informações veiculadas neste documento têm caráter apenas informativo e não podem substituir, em qualquer hipótese, as recomendações do médico ou farmacêutico nem servir de subsídio para efetuar um diagnóstico médico ou estimular a automedicação. O médico é o único profissional competente para prescrever o melhor tratamento para o seu paciente.

 Aline Dumelle

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Conheça as drogas que mais destroem os neurônios

ÁLCOOL.

A droga mais popular do mundo causa “depressão” no SNC, Sistema Nervoso Central. O álcool em forma de bebida, isto é, a funesta bebida alcoólica, é uma droga poderosamente destruidora de neurônios.

Inclusive, segundo os últimos estudos da ciência médica, o álcool usado como bebida é tão violento que em muitos casos chega a diminuir o tamanho do cérebro (massa encefálica). Uma vez iniciado um acontecimento como este começa a aceleração dos problemas neurológicos e psíquicos.

MACONHA

A maconha, (cannábis sativa), possui uma grande capacidade de matar neurônios, e mata com mais facilidade neurônios em desenvolvimento. Diante do exposto, no caso das pessoas mais jovens, isto explica os prejuízos na aprendizagem de filhos de mães que fumaram durante a gravidez, não ficando de fora os jovens que usam a droga pela livre e espontânea decisão.

Igualmente reduzindo a coordenação cognitiva desses dependentes.

COCAÍNA

A cocaína é uma droga poderosamente degenerativa de todo o conjunto que forma a vida corpórea e mental. A cocaína na realidade é um ácido dopante e grande matador de neurônios. Seus usuários com o passar do tempo terão o septo nasal destruído, bem como o palato (céu da boca) comido pela droga,

isso na melhor das hipóteses. Com o uso contínuo do entorpecente, os circuitos cerebrais que promovem a sensação de prazer serão muito prejudicados. Uma vez danificados estes circuitos, a depressão se apresenta violentamente na vida dos viciados.

ANFETAMINAS

Constantemente usadas no intuito de aumentar o desempenho físico e mental, as mesmas terminam trabalhando contra a saúde, principalmente dos neurônios.

As anfetaminas simplesmente matam os neurônios, que são os produtores de dopamina, um dos vários neuro-transmissores mensageiros responsável pelo envio das sensações de prazer, entre outras.

Fonte: Babelai

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Conheça os 11 sintomas do câncer de mama mais ignorados

cancer-de-mamaNormalmente se recomenda que a mulher faça o toque mamário para tentar descobrir se existe algo diferente – com um nódulo ou uma massa estranha – que possa indicar o risco de câncer de mama.

Mas, como destaca o site Good Housekeeping, o tumor da mama pode apresentar outros sintomas que não devem ser negligenciados. Conheça-os:

Ter os mamilos muito sensíveis, inchados ou que liberam líquido – que não seja leitematerno;

A textura da pele da mama está diferente, tipo casca de laranja, e com os poros muito abertos;

Tem um hematoma (nódoa negra) ou uma ferida que não desaparece ou sara;

Uma tosse ou rouquidão que surge do nada e não desaparece;

Tem alterações no funcionamento da bexiga e/ou do intestino sem motivo aparente;

Está sem energia e sente-se muito cansada e fraca independentemente de quantas horas durma;

Notou mudanças significativas no seu peso, apesar de não estar fazendo nada para isso;

Tem um nódulo na axila – o tecido mamário estende-se até às axilas, por isso é possível que um tumor surja na axila e não no peito;

Os seus seios ficaram com um tamanho irregular – um ficou notavelmente maior ou menor do que o outro?

Tem muita coceira nos seios;

Tem dores na parte superior das costas que não passam.

(Com Notícias ao Minuto)

180 Graus

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Conheça o novo compacto da Fiat que chega em 2016 por R$ 30 mil

FOTO: RENATO ASPROMONTE/AUTOESPORTE
FOTO: RENATO ASPROMONTE/AUTOESPORTE

Os populares abaixo dos R$ 30 mil viraram miragem no mercado. Os que restaram são carros focados no puro custo-benefício ou projetos antigos, como o próprio Fiat Palio Fire, cuja origem remonta a 1996. Justamente quando o compacto está na véspera de completar 20 anos, o sucessor é revelado em primeira mão por Autoesporte, em projeções que foram publicadas originalmente na edição 604, que chegou ainda em agosto às bancas. As imagens ficaram bem parecidas com as primeiras publicadas por Autoesporte na última edição de fevereiro, junto com o flagra da mula feita sobre o Uno. Agora é chegada a hora de você dar uma espiada nas linhas do compacto que será lançado no primeiro trimestre de 2016.  A produção na fábrica de Betim (MG) começa até janeiro, então as vendas serão iniciadas até abril.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Se você está agora pensando que o citycar parece o fruto de uma noitada entre o Uno e o Palio, a suspeita faz sentido. Para manter a receita de bom preço, o X1H usa a mesma base dos primos, só que com um entre-eixos menor. O Uno tem 2,37 m, a mesma medida do Palio Fire, uma distância bem menor do que os já curtos 2,42 m do novo Palio. Pode esperar por algo em torno de 2,35 m. Dentro da ideia de substituir o Palio Fire, o novo X1H também terá versão Way.

Porém, o que o deixa realmente parecido é a reutilização do para-brisa (no grau de inclinação) e da moldura das portas do Uno para economizar (apenas a chaparia será um pouco diferente para criar o vinco que você vê nas projeções). As portas traseiras e lanternas parecem ter sido surrupiadas da prateleira do Palio, mas são novas.

Projeção revela como será a traseira do novo subcompacto da Fiat que chega em 2016 (Foto: Renato Aspromonte/Autoesporte)

Quanto ao motor, ele também será compartilhado, mas será um empréstimo do tipo “vai e volta rápido”. A estreia exigirá um volume de produção que não será possível com a nova linha global de motores pequenos  (GSE). Por ora, o pequeno virá com o conhecido 1.0 EVO de 75 cv e 9,9 kgfm de torque, talvez com algum aperfeiçoamento. O novo três canecos com apenas duas válvulas por cilindro é feito em alumínio e vai gerar cerca de 80 cv e 10 kgfm, com curva de torque focada no regime inferior a 3.500 giros.  Com ele, virá o start-stop de série. Só que a estreia será provavelmente no Uno. Já o 1.4 GSE de com mais de 100 cv e 14 kgfm ficará restrito ao Uno e ao Palio.

 

 

revistaautoesporte

Conheça o ‘quinteto fantástico’ da política brasileira

politicosEles posam de bons moços para uma trupe que se alimenta do que a mídia lhes fala todos os dias.

A refeição é servida diariamente pela Globo, Veja, CBN, Jovem Pan e outros. Afinal, a gula dos alienados não pode ficar de jejum! Agora vejam quem são os guias desses garotos que detestam jejuar! Vamos ao quinteto fantástico!

Eduardo Cunha

Eduardo Cunha é o atual presidente da Câmara. Foi eleito deputado federal pelo Rio de Janeiro. Já foi dito, inúmeras vezes, que Cunha defende interesses empresariais na Câmara. Sua campanha de 2014 recebeu R$ 6 milhões em doações de empresas de todos os ramos.

Não foi à toa que Cunha liderou a aprovação da PEC da Corrupção na quinta-feira, que oficializou a doação empresarial para candidatos e partidos políticos.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Cunha também foi acusado de ter recebido US$ 5 milhões do empresário Júlio Camargo, que, inclusive, indicou as contas nos paraísos fiscais para onde foram remetidos os dólares. E, apesar de todas as denúncias, Cunha segue presidente da Câmara. É um ávido defensor do impeachment da Presidenta Dilma!

Aécio Neves

Aécio Neves é o senador mineiro mais carioca do País. Sua campanha para presidente da República, em 2014, assim como a Geraldo Alckmin (governador) e de José Serra (senador), recebeu recursos de quase todas as empreiteiras investigadas na operação Lava Jato. Mas todos calam sobre o assunto, inclusive o MPF, a PF, o STF e o Moro.

Aécio também está sendo acusado pelo MPF de não aplicar R$ 14 bilhões em saúde quando governador de Minas, conforme mandamento constitucional. Os procuradores querem saber para onde foi o dinheiro desviado do SUS.

Já durante a campanha presidencial de 2014, Aécio foi acusado de ter distribuído recursos públicos para as empresas de rádio e de jornal de sua família. Apesar de todas essas denúncias, Aécio segue incólume, sem ninguém a perturbar sua paz interior!

Até a semana passada, Aécio era um ardoroso defensor do impeachment da Dilma. Chegou até a pronunciar a seguinte frase: “Acredito que em breve o partido será chamado a assumir sua responsabilidade de tirar o Brasil desse poço sem fundo em que o PT nos enfiou”. Eis uma fera ferida pela derrota!

Cassio Cunha Lima

Cunha Lima já teve o mandado de governador cassado em 2008 pelo TSE. Em 2006, ele foi acusado de distribuir 35 mil cheques a pessoas carentes por meio de um programa assistencial do governo estadual, no valor total de R$ 4 milhões.

Em 2006, a PF desencadeou a operação Concord para apurar a compra de votos na eleição para governador da Paraíba. Um assessor de Cunha Lima, para evitar o flagrante, jogou R$ 300 mil pela janela de um apartamento do edifício Concord, localizado no centro de João Pessoa. A PF também encontrou no apartamento R$ 100 mil, além de contas de água e de luz quitadas.

Em 2010, Cunha Lima foi eleito senador, adquirindo, assim, foro privilegiado, por isso a investigação da PF foi enviada para o STF. A relatora do caso, ministra Rosa Weber, aguarda despacho do juiz instrutor para concluir o processo e indiciar Cunha Lima. O juiz instrutor é o Dr. Sergio Moro. Espero que ele não deixe a denúncia contra Cunha Lima caducar.

O senador paraibano era um ardoroso defensor do impeachment, mas mudou de ideia. Agora defende a renúncia da presidenta!

Agripino Maia

José Agripino Maia é senador pelo Rio Grande do Norte, filiado ao DEM. É um dos poucos coronéis que ainda sobrevivem na política nacional. No senado, Agripino é um ativista anticorrupção que defende o impeachment da Dilma.

Em março de 2015, o STF aceitou denúncia do Ministério Público Federal contra Maia por conta da operação Sinal Fechado, deflagrada em 2011 pelo MP do Rio Grande do Norte. A operação procurou desvendar um esquema de corrupção sobre a inspeção veicular no DETRAN daquele Estado. Agripino foi acusado por um dos delatores, Sr. George Olímpio, de ter recebido R$ 1 milhão em propina, com o intuito de influir junto ao governo do Estado para a continuação do esquema no DETRAN.

Maia defende a saída imediata de Dilma da presidência.

Ronaldo Caiado

Em março de 2015, Ronaldo Caiado e Demóstenes Torres trocaram diversas acusações. Torres acusou Caiado de tudo, inclusive de ter sido financiado por Carlinhos Cachoeira. Torres também falou que Caiado roubava, mentia e traia. É célebre a frase de Torres sobre o seu conterrâneo: Ronaldo Caiado é só uma voz à procura de um cérebro.

Caiado é da bancada ruralista no Senado. Em 2012, Caiado era deputado federal e votou contra a PEC do trabalho escravo, que punia com as perdas das terras os fazendeiros que utilizassem mão de obra escrava em suas propriedades.

Em 2014, sua campanha recebeu recursos de diversas empresas que mantinham trabalho escravo. Em 2015, o Ministério do Trabalho acusou alguns parentes de Caiado de manterem trabalhadores em condições análogas à de escravidão nas fazendas da família.

Caiado também é uma das vozes que defende o impeachment da Dilma.

Resumo da ópera: Eduardo Cunha, Aécio Neves, Cassio Cunha Lima, Agripino Maia e Ronaldo Caiado fazem parte da trupe que deseja apear Dilma do Planalto. São as vozes da ética e da retidão a tamborilar nos ouvidos de centenas de desavisados.

BR 29

Conheça 8 alimentos para consumir antes ou depois de malhar

Alguns alimentos consumidos antes ou depois da atividade física podem trazer resultados surpreendentes.  Segundo a nutricionista Ana Maria Gonçalves, uma alimentação bem programada e equilibrada em nutrientes é mais do que necessária para obter um melhor desempenho nos treinos.

Image title

Antes de malhar, por exemplo, a especialista indica alimentos que sejam ricos em carboidratos complexos, pois é preciso energia durante a atividade. “O Ideal são alimentos ricos em fibras, como cereal integral, biscoito integral ou barra de cereal”, afirma Ana Maria.

Uma torrada integral com requeijão ou pão integral com azeite ou ainda banana com aveia e uma colher de chá de óleo de coco ou mamão com granola também são algumas opções benéficas para antes da prática esportiva.

Depois da malhação, a nutricionista sugere que as refeições contenham proteína animal: carne sem gordura, atum, filet de frango sem pele, rosbife, carpaccio de filé, peito de peru ou presunto sem capa.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

O carboidrato integral também é indicado da malhação, assim como as hortaliças e as leguminosas, pois garantem a reposição de vitaminas e sais minerais perdidos durante a atividade física.

Ovo

A ingestão de ovos pode ser feita em diversas formas, como mexidos, cozidos, ponche, em omeletes. Os ovos possuem, por exemplo, a albumina, presente na clara, que é um aminoácido importante para formação e desenvolvimento muscular.

Peixe fresco de água salgada (atum/ sardinha/ badejo)

O peixe fresco de água salgada é uma excelente fonte de iodo e contém quatro vezes mais concentração de cálcio do que as carnes comuns.Seu baixo conteúdo de tecido conjuntivo o torna de mais fácil desintegração e digestão, além de ser uma carne magra.

Banana

A banana possui 20% de carboidratos, vitaminas do complexo B e potássio. Ótima opção para um lanche rápido, pois é rica em energia, apesar de não ser muito calórica. Ela ainda pode ser misturada com cereal tipo aveia, granola ou linhaça.

Leite e derivados desnatados

O leite e seus derivados possuem cálcio, proteínas de alta qualidade e vitaminas A e D, fósforo. O ideal é o consumo de duas a três porções diárias nos intervalos das grandes refeições. As versões desnatadas não possuem as gorduras saturadas de origem animal.

Cereais (aveia /arroz integral/farinhas integrais)

Os cereais integrais compõem o grupo dos carboidratos com baixo índice glicêmico.Eles demoram mais para que sejam transformados em glicose no sangue e evitam o acúmulo de gordura. Além de serem ricos em energia, fibras, vitaminas e minerais.

Azeite de oliva

O azeite é um antioxidante poderoso para quem faz atividades físicas e também rico em gorduras monoinsaturadas – aquelas consideradas boas e que não se acumulam em forma de gordura localizada e/ou nas artérias. O ideal é que ele seja utilizado sobre o pão ou torradas e para temperos de saladas.

Frutas oleaginosas (amêndoas/castanhas/ nozes/ avelãs)

As frutas oleaginosas possuem 16% de carboidratos, 20% de proteínas, e 60% de lipídeos de difícil digestão. Esse grupo possui grande concentração de calorias, mas que raramente se acumulam como gordura localizada, desde que você consuma uma palma de mão em forma de concha por dia.

Batata doce

A batata doce é uma hortaliça do grupo C, com 20% de glicídios, mas rica em fibras.Sua liberação de energia no sangue é mais lenta do que os outros tipos de batata e, por isso, é tão usada no meio esportivo. Ela também é rica em vitamina A.

 

  • Com informações do Brasil Post

Conheça as 10 fobias mais comuns que atingem adultos e crianças

(Foto: Getty Images)
(Foto: Getty Images)

O medo é natural e até saudável, mas há pessoas que desenvolvem um pavor irracional a situações ou objetos que não oferecem perigo.

Chamadas de fobias, essas aversões envolvem um transtorno de ansiedade, impedem que a pessoa tenha uma vida normal e levam à necessidade de tratamento.

Os sintomas variam em cada paciente mas, normalmente, envolvem taquicardia, suor em excesso, boca seca e tremores.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Os tipos mais comuns

Orlando Vicko, psicólogo especializado em tratamento de ansiedade e Síndrome do Pânico pela Universidade de Miami, lista as 10 fobias mais frequentes:

  1. Acrofobia: medo de lugares altos. A pessoa pode ter acessos de pânico ao visualizar o solo e se desesperar para buscar uma saída do ambiente que gera desconforto.
  2. Aerofobia: medo de voar ou de se expor a correntes de ar intensas. Essa fobia impede que a pessoa viaje de avião e, em casos mais graves, impossibilita a prática de esportes ao ar livre.
  3. Agorafobia: medo de locais cheios e multidões. Consiste, basicamente, em ansiedade antecipatória, pois o agorafóbico teme a multidão pela ideia de que não poderá sair do meio dela, caso se sinta mal.
  4. Aracnofobia: medo de aracnídeos. O pavor pode impedir que a pessoa permaneça em locais onde acredita que existam aranhas ou, ainda, que se desespere diante de qualquer contato inesperado do animal com a pele.
  5. Catsaridafobia: medo de baratas. Assim como a aracnofobia, este distúrbio pode impedir que a pessoa frequente certos lugares e pode desencadear também uma obsessão por limpeza.
  6. Claustrofobia: medo de lugares fechados, como elevadores, salas sem ventilação, trens e aviões. A sensação de falta de ar e taquicardia são os principais sintomas. A claustrofobia pode estar diretamente associada a um quadro de agorafobia.
  7. Glossofobia: medo de falar em público. Não deve ser confundida com quadros normais de ansiedade diante de uma plateia. Quem sofre de glossofobia apresenta taquicardia, suor em excesso, desmaios e até diarreia ao ser obrigado a falar em público.
  8. Hematofobia: medo de sangue. Os sintomas envolvem tremores, fraqueza, falta de ar, dor de cabeça e transpiração excessiva ao ver sangue. Muitas pessoas desenvolvem ainda o medo a todo tipo de objeto cortante e pontiagudo, como facas e agulhas, pois estão associados com sangramento.
  9. Hidrofobia: medo de água. A pessoa se desespera ao menor contato com qualquer tipo de líquidos, seja ao entrar no mar ou em uma piscina ou simplesmente ser atingida por um jato de água.
  10. Nictofobia: medo da noite ou de locais escuro. Por temer o que não pode ver, a pessoa que sofre de aversão ao escuro se apavora ao menor ruído ou sombra. Ocorre geralmente logo na infância, mas pode continuar na idade adulta, se não for tratada.

 

A origem das fobias

“É impossível determinar de forma genérica qual é a origem de uma fobia, pois cada caso apresenta suas peculiaridades”, explica Orlando.

De acordo com o especialista, pode-se apenas apontar que todo medo extremo está diretamente relacionado a um episódio traumático na vida do paciente. Isso significa que um afogamento na infância – ou mesmo na fase adulta – pode desencadear um quadro de hidrofobia anos mais tarde, por exemplo.

A experiência impactante pode ser vivida pelo paciente ou apenas presenciada por ele. “Já acompanhei pessoas que desenvolveram uma fobia a sangue após testemunharem um grave acidente”, conta o especialista.

Para evitar traumas profundos, os pais devem tomar alguns cuidados diante de situações intensas. “Ao notar a insegurança da criança diante de uma situação nova, como um voo de avião, os adultos devem conversar com calma e tranquilidade, mostrando à criança que o medo é natural, mas que pode ser superado”, sugere Orlando.

Segundo o psicólogo, a postura dos pais influencia muito a reação da criança em uma situação nova.

Marlene Muniz, 42 anos, é mãe de Vitória, 9 anos, que sofre de um caso grave de aracnofobia. Após muitas sessões de terapia, a origem do problema foi identificada.

“Durante o tratamento descobrimos que aquele medo irracional começou na infância. Quando ela tinha 4 anos, viajamos para um sítio da família e logo na primeira noite ela encontrou uma aranha grande na cama. Ela pegou com uma folha de jornal e veio me mostrar. Eu me apavorei e comecei a gritar, mandando que soltasse a aranha porque ela poderia ser muito perigosa. Após esse dia, ela passou a ter um medo insuperável do animal”, relata Marlene.

O que parecia ser um pavor comum começou a ganhar proporções incontroláveis. A menina fazia xixi na calça ao ver fotos ou cenas de uma aranha na televisão e desmaiava se encontrasse um animal “ao vivo”, por menor que ele fosse.

“Ela faz terapia há 2 anos e já apresentou muito avanço. Conseguimos controlar os desmaios e o xixi involuntário. A terapia foi essencial, mas também abrimos o diálogo em casa, falando abertamente sobre o problema”, revelou Marlene.

Tratamentos possíveis

O primeiro passo é conscientizar os familiares e amigos de que esta aversão não é frescura e precisa, sim, de tratamento, pois pode levar a quadros incapacitantes, interferindo diretamente na vida das vítimas.

“Há pessoas que se tornam escravas do medo de situações que não oferecem nenhum perigo real”, argumenta o psicólogo.

A terapia cognitivo-comportamental é, na grande maioria dos casos, o tratamento mais indicado para fobias. “Com a ajuda de um psicólogo, a pessoa vai sendo lentamente exposta aos objetos que geram o medo. O profissional vai ajudando o paciente a remanejar seus pensamentos nessas situações e, assim, superar a fobia”, explica ele. O especialista ressalta que os estímulos são graduais, para não causar agonia.

Para ele, é importante ter em mente que buscar a raiz do problema não deve ser o foco do tratamento. “Como toda fobia gera algum tipo de sofrimento ao paciente, o intuito do tratamento deve ser superar o medo”, aponta.

 

 

disneybabble

Conheça as gafes mais comuns em festas de casamento e passe bem longe delas

Getty Images
Getty Images

Ainda que sem perceber, muitos convidados têm atitudes consideradas desrespeitosas com os noivos durante a cerimônia e a festa do enlace. Para ajudar a minimizar esses equívocos –com benefícios tanto para quem promove quanto para quem curte esse tipo de evento –o UOL Casamento conversou com especialistas e listou as gafes mais comuns. Confira e fuja delas.

Usar vestido branco
De acordo com a consultora de etiqueta Célia Leão, não importa o tipo de evento ou o perfil dos donos da festa, o branco sempre será a cor exclusiva de quem sobe ao altar –ainda que a noiva escolha usar um vestido colorido. Cabe apenas aos anfitriões liberarem o uso da cor, se quiserem. “Em casamentos na praia, por exemplo, o branco é bem-vindo. Mas, mesmo assim, é preciso consultar e obter autorização expressa dos noivos”, diz a cerimonialista Raquel Abdu.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Beber demais
Beber além da conta em qualquer evento social é considerado uma gafe. Mas em festas de casamento o impacto negativo pode ser ainda maior. Afinal, a pessoa alcoolizada tende a incomodar os outros e pode se tornar inconveniente. “Manter-se sóbrio durante o casamento é um sinal de respeito e consideração com os anfitriões”, diz a assessora de eventos Talita Uoya.

Levar muitos bem-casados para casa
Pegar o tradicional docinho já é hábito, mas segundo Célia há um limite de quantidade que deve ser respeitado, até para não faltar aos demais convidados. “Você não tem que levar para os outros, apenas para si. E dois docinhos costumam ser suficientes”, diz. Quantos aos outros doces da festa, só não é deselegante levar para casa se os noivos disponibilizarem embalagens com esse propósito, como marmitas de alumínio e cones de papel. “Se não tiver nada desse tipo na mesa de doces, contente-se em comer na festa”, diz Raquel.

“Roubar” os arranjos de mesa
Muitos convidados não resistem, mas é preciso perguntar para a noiva ou para a assessora de eventos responsável pela organização do casamento se é permitido fazer isso. “Mesmo se houver consentimento, o ideal é levar o arranjo no encerramento da festa e nunca no meio dela. Caso o convidado queira ir embora mais cedo, não deverá levar”, diz Talita. Afinal, não seria justo desmontar parte da decoração enquanto a festa acontece, não é mesmo?

Levar acompanhantes que não foram convidados
O casamento é planejado com base na quantidade de pessoas definida pelos noivos. Por isso, se cada convidado resolver levar um acompanhante que não está na lista, os serviços de buffet, bar e até a disposição dos assentos poderá ficar prejudicada. “Se tiver intimidade com os noivos, você pode perguntar sobre a possibilidade de levar um acompanhante. O vínculo próximo dará ao anfitrião a liberdade de negar, se quiser”, diz Célia.

Ir somente à festa e não à cerimônia
Salvo os casos em que houve um imprevisto e o convidado não conseguiu chegar em tempo para a cerimônia, ir direto para a festa pode ser visto como um ato grosseiro pelos noivos. “O enlace matrimonial acontece justamente na cerimônia, esse é o motivo da celebração”, diz Talita. “Se houver compromisso importante, o convidado deve informar aos noivos que não poderá comparecer à cerimônia e verificar se eles se importam caso tenha que ir direto para a festa”, afirma a assessora. Igualmente deselegante é sair do local da cerimônia antes do fim, para guardar lugar no salão.

Não confirmar presença no casamento, ainda que os noivos façam esse pedido
A sigla ‘RSVP’, que aparece em muitos dos convites de casamento, indica que a pessoa deve confirmar sua presença por meio do contato mencionado. “Os noivos pedem isso para que o convidado seja servido com fartura e todo mundo possa ser bem acomodado”, explica Célia. Por isso, é de bom tom avisar a presença (e até mesmo a ausência) pelo menos 15 dias antes. Se já sabe que não poderá ir, seja sincero e não dê uma falsa confirmação por medo de dizer não. “Quando você diz que vai e não aparece, você faz os noivos pagarem pelo seu consumo, já que a reserva é feita com antecedência. Nesse caso, eles estarão jogando dinheiro fora por você”, diz a consultora de etiqueta.

Desrespeitar as mesas reservadas
Em alguns casamentos, há mesas destinadas aos pais dos noivos e aos padrinhos. E, nessas situações, retirar as placas que indicam a reserva e acomodar-se nesses lugares é desrespeitoso. “E quando vamos argumentar, há quem se recuse recusam a levantar”, explica Raquel.

Atrapalhar os noivos durante os protocolos da festa
Quem faz um casamento formal precisa cumprir alguns cerimoniais: tirar fotos com padrinhos, com os pais, na mesa de bolo, além de jantar no horário estipulado. E, de acordo com Talita, os convidados não devem atrapalhar esses momentos, para não prejudicarem o andamento da festa. Eles poderão curtir os anfitriões quando os noivos estiverem liberados das formalidades. “Jamais entre na sessão de fotos com pais e padrinhos ou os interrompa quando estiverem jantando”, diz.

 

Marina Oliveira e Amanda Sandoval
Do UOL