Arquivo da tag: confrontos

CBF divulga data do sorteio dos confrontos a pré-Copa do Nordeste

Com um turbulento processo eleitoral em curso, e um planejamento indefinido em relação à permanência ou não da comissão técnica chefiada por Francisco Diá, o Campinense precisa agir rápido para sequenciar a temporada 2019.

É que depois do vice-campeonato paraibano, a Raposa vai disputar a Série D do Campeonato Brasileiro e a Pré-Copa do Nordeste de 2020, competições que têm início marcado para a semana que vem.

Nesta segunda-feira (22), a CBF confirmou para quarta-feira (24), às 16h, na sede da entidade, no Rio de Janeiro, o sorteio para definição dos confrontos da eliminatória que vai apontar os quatro clubes restantes os quais vão compor a fase de grupos do Nordestão do ano que vem.

A Pré-Copa tem jogos marcados para os dias 1º e 8 de maio, duas quartas-feiras, mas pode ter as datas alteradas em virtude do apertado calendário do futebol brasileiro.

CRB, Sampaio Corrêa, ABC ou América de Natal e Náutico no Pote 1, além de Campinense, Altos, Confiança e Juazeirense, no Pote 2, estão garantidos no torneio.

Essas equipes se classificaram para a referida eliminatória como melhores ranqueados de cada uma das seis federações piores colocadas da região (Alagoas, Maranhão, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe) no RNF e os segundos melhores ranqueados de Pernambuco e Bahia – com exceção sempre dos campeões estaduais deste ano.

Os mais bem posicionados no ranking de clubes, no caso os inseridos no Pote 1, jogam a segunda partida do duelo em seus domínios.Isso porque o sorteio vai ser dirigido da seguinte forma: os quatro melhores ranqueados vão enfrentar necessariamente um dos quatro piores ranqueados classificados à seletiva.

Nesse caso, o Campinense, enquanto representante da Paraíba, vai enfrentar CRB, Sampaio Corrêa, Náutico, ABC ou América de Natal (que decidem o Campeonato Potiguar justamente na próxima quarta).

Ano passado a Raposa também disputou a Pré-Copa para tentar retornar à fase de grupos do Nordestão. Na ocasião, o Rubro-Negro venceu o CRB em Campina Grande por 1 a 0 e perdeu em Maceió por 3 a 1, sendo eliminado pelo saldo de gols.

Voz da Torcida 

Foto: Nádya Araújo/ Botafogo-PB

 

 

Copa do Brasil: CBF sorteia mandantes de confrontos da terceira fase

(Foto: Fernando Freire)
(Foto: Fernando Freire)

A CBF sorteou, na tarde desta quinta-feira, os mandantes de campo da terceira fase da Copa do Brasil. Ao contrário das duas fases iniciais, que tiveram jogo único, os confrontos passam a ser decididos em jogos de ida e volta. As partidas da 3ª fase serão disputadas nos dias 08 e 15 de março. O Corinthians estreia fora de casa, contra o Luverdense. O Vasco joga em casa, contra o Vitória.

Em São Paulo, no jogo de ida, o São Paulo recebe o ABC. Murici, Criciúma, Asa, Joinville, Cruzeiro, Sampaio Corrêa são os outros mandantes.

Os demais confrontos serão decididos a partir dos seguintes chaveamentos: o vencedor de Ponte Preta x Cuiabá (que acontece nesta quinta) enfrenta o Goiás, e quem levar a melhor em Paraná x Bahia, que se enfrentam dia 08. O jogo contra o ASA, de estreia, acontece no dia 15. A volta será no dia 05 de abril.

Veja abaixo todos os confrontos:

JOGOS DE IDA – 08/03 ou 09/03
Criciúma x Fluminense
Vasco x Vitória
ASA x Paraná ou Bahia (15/08)
Luverdense x Corinthians
São Paulo x ABC
Boavista x Sport
Joinville x Gurupi
Murici x Cruzeiro
Sampaio Corrêa x Internacional
Goiás x Ponte Preta ou Cuiabá

JOGOS DE VOLTA – 15/03 ou 16/03
Fluminense x Criciúma
Vitória x Vasco
Paraná ou Bahia x ASA (05/04)
Corinthians x Luverdense
ABC x São Paulo
Sport x Boavista
Gurupi x Joinville
Cruzeiro x Murici
Internacional x Sampaio Correia
Ponte Preta ou Cuiabá x Goiás

Globoesporte.com

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Brasileiro 2017: campeão Palmeiras estreia contra o Vasco; veja confrontos

brasileiraoAs equipes que disputam o Campeonato Brasileiro 2017 conheceram nesta segunda o seus primeiros adversários na competição. O atual campeão, Palmeiras, estreia dentro de casa contra o Vasco, enquanto Flamengo e Atlético-MG se enfrentam com mando do Rubro-Negro. Outros duelos entre clubes grandes também marcam a primeira rodada (veja abaixo). A tabela foi aprovada após reunião na sede da CBF e deve ser divulgada oficialmente nesta terça-feira.

Confira os jogos do primeiro turno:

1ª RODADA (13 ou 14/5)
Fluminense x Santos
Flamengo x Atlético-MG
Palmeiras x Vasco
Corinthians x Chapecoense
Cruzeiro x São Paulo
Coritiba x Atlético-GO
Grêmio x Botafogo
Bahia x Atlético-PR
Ponte Preta x Sport
Avaí x Vitória

2ª RODADA (20 ou 21/5)
Botafogo x Ponte Preta
Vasco x Bahia
Santos x Coritiba
São Paulo x Avaí
Atlético-MG x Fluminense
Atlético-PR x Grêmio
Sport x Cruzeiro
Vitória x Corinthians
Atlético-GO x Flamengo
Chapecoense x Palmeiras

3ª RODADA (27 ou 28/5)
Botafogo x Bahia
Vasco x Fluminense
Santos x Cruzeiro
São Paulo x Palmeiras
Atlético-MG x Ponte Preta
Atlético-PR x Flamengo
Sport x Grêmio
Vitória x Coritiba
Atlético-GO x Corinthians
Chapecoense x Avaí

4ª RODADA (03 ou 04/06)
Fluminense x Vitória
Flamengo x Botafogo
Palmeiras x Atlético-MG
Corinthians x Santos
Cruzeiro x Chapecoense
Coritiba x Atlético-PR
Grêmio x Vasco
Bahia x Atlético-GO
Ponte Preta x São Paulo

5ª RODADA (07 ou 08/06)
Fluminense x Atlético-PR
Vasco x Corinthians
Santos x Botafogo
São Paulo x Vitória
Atlético-MG x Avaí
Coritiba x Palmeiras
Sport x Flamengo
Bahia x Cruzeiro
Atlético-GO x Ponte Preta
Chapecoense x Grêmio

6ª RODADA (10 ou 11/06)
Botafogo x Coritiba
Vasco x Sport
Palmeiras x Fluminense
Corinthians x São Paulo
Cruzeiro x Atlético-GO
Atlético-PR x Santos
Grêmio x Bahia
Vitória x Atlético-MG
Ponte Preta x Chapecoense
Avaí x Flamengo

7ª RODADA (14 ou 15/06)
Fluminense x Grêmio
Flamengo x Ponte Preta
Santos x Palmeiras
Corinthians x Cruzeiro
Atlético-MG x Atlético-PR
Coritiba x Bahia
Sport x São Paulo
Vitória x Botafogo
Atlético-GO x Avaí
Chapecoense x Vasco

8ª RODADA (17 ou 18/06)
Fluminense x Flamengo
Vasco x Avaí
Santos x Ponte Preta
São Paulo x Atlético-MG
Cruzeiro x Grêmio
Coritiba x Corinthians
Sport x Vitória
Bahia x Palmeiras
Atlético-GO x Atlético-PR
Chapecoense x Botafogo

9ª RODADA (21 ou 22/06)
Botafogo x Vasco
Flamengo x Chapecoense
Palmeiras x Atlético-GO
Corinthians x Bahia
Atlético-MG x Sport
Atlético-PR x São Paulo
Grêmio x Coritiba
Vitória x Santos
Ponte Preta x Cruzeiro
Avaí x Fluminense

10ª RODADA (24 ou 25/06)

Botafogo x Avaí
Vasco x Atlético-GO
Santos x Sport
São Paulo x Fluminense
Cruzeiro x Coritiba
Atlético-PR x Vitória
Grêmio x Corinthians
Bahia x Flamengo
Ponte Preta x Palmeiras
Chapecoense x Atlético-MG

11ª RODADA (01 ou 02/07)
Fluminense x Chapecoense
Flamengo x São Paulo
Palmeiras x Grêmio
Corinthians x Botafogo
Atlético-MG x Cruzeiro
Coritiba x Vasco
Sport x Atlético-PR
Vitória x Bahia
Atlético-GO x Santos
Avaí x Ponte Preta

12ª RODADA (08 ou 09/07)
Botafogo x Atlético-MG
Vasco x Flamengo
Santos x São Paulo
Corinthians x Ponte Preta
Cruzeiro x Palmeiras
Coritiba x Sport
Grêmio x Avaí
Bahia x Fluminense
Atlético-GO x Vitória
Chapecoense x Atlético-PR

13ª RODADA (12 ou 13/07)
Fluminense x Botafogo
Flamengo x Grêmio
Palmeiras x COrinthians
São Paulo x Atlético-GO
Atlético-MG x Santos
Atlético-PR x Cruzeiro
Sport x Chapecoense
Vitória x Vasco
Ponte Preta x Bahia
Avaí x Coritiba

14ª RODADA (15 ou 16/07)
Botafogo x Sport
Vasco x Santos
Palmeiras x Vitória
COrinthians x Atlético-PR
Cruzeiro x Flamengo
Coritiba x Fluminense
Grêmio x Ponte Preta
Bahia x Avaí
Atlético-GO x Atlético-MG
Chapecoense x São Paulo

15ª RODADA (19 ou 20/07)
Fluminense x Cruzeiro
Flamengo x Palmeiras
Santos x Chapecoense
São Paulo x Vasco
Atlético-MG x Bahia
Atlético-PR x Botafogo
Sport x Atlético-GO
Vitória x Grêmio
Ponte Preta x Coritiba
Avaí x Corinthians

16ª RODADA (22 ou 23/07)
Fluminense x Corinthians
Flamengo x Coritiba
Santos x Bahia
São Paulo x Grêmio
Atlético-MG x Vasco
Atlético-PR x Ponte Preta
Sport x Palmeiras
Vitória x Chapecoense
Atlético-GO x Botafogo
Avaí x Cruzeiro

17ª RODADA (29 ou 30/07)
Botafogo x São Paulo
Vasco x Atlético-PR
Palmeiras x Avaí
Corinthians x Flamengo
Cruzeiro x Vitória
Coritiba x Atlético-MG
Grêmio x Santos
Bahia x Sport
Ponte Preta x Fluminense
Chapecoense x Atlético-GO

18ª RODADA (02 ou 03/08)
Botafogo x Palmeiras
Vasco x Cruzeiro
Santos x Flamengo
São Paulo x Coritiba
Atlético-MG x Corinthians
Atlético-PR x Avaí
Sport x Fluminense
Vitória x Ponte Preta
Atlético-GO x Grêmio
Chapecoense x Bahia

19ª RODADA (05 ou 06/08)
Fluminense x Atlético-GO
Flamengo x Vitória
Palmeiras x Atlético-PR
Corinthians x Sport
Cruzeiro x Botafogo
Coritiba x Chapecoense
Grêmio x Atlético-MG
Bahia x São Paulo
Ponte Preta x Vasco
Avaí x Santos

A última rodada está marcada para o dia 3 de dezembro, com os mesmos duelos da 19ª, com mandos invertidos.

Globoesporte.com

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

CBF define datas e horários dos confrontos do Botafogo-PB no mata-mata da Série C

botafogo-pbA Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmou, na tarde desta segunda-feira (19), as datas e os horários dos confrontos da segunda fase da Série C do Campeonato Brasileiro.

Os jogos de ida serão realizadas nos dias 30 de setembro, 1º e 3 de outubro. As partidas da volta ocorrerão nos dias 7, 8 e 9 de outubro. Os confrontos definirão os quatro classificados para a Série B do Brasileirão em 2017.

Confirme a tabela da CBF, o Botafogo-PB faz o primeiro jogo da fase de mata-mata contra o Boa Esporte no dia 30 de setembro, às 21h, no Estádio Almeidão, em João Pessoa.

O jogo da volta entre Botafogo-PB e Boa Esporte acontecerá no dia 9 de outubro, às 11h, no Estádio do Melão, na cidade de Varginha, no interior de Minas Gerais.

Os vencedores dos confrontos estarão, automaticamente, classificados para a Série do B Campeonato Brasileiro da temporada 2017.

Confira abaixo como ficou a tabela do mata-mata da Série C:

Jogos de ida

30 de setembro

Jogo: Botafogo-SP x ABC

Hora: 19h

Local: Estádio Santa Cruz – Ribeirão Preto (SP)

30 de setembro

Jogo: Botafogo-PB x Boa Esporte

Hora: 21h

Local: Estádio Almeidão – João Pessoa (PB)

1 de outubro

Jogo: ASA x Guarani

Hora: 19h

Local: Estádio Coaracy da Mata Fonseca – Arapiraca (AL)

3 de outubro

Jogo: Juventude x Fortaleza

Hora: 19h15

Local: Estádio Alfredo Jaconi – Caxias do Sul (RS)

Jogos de volta

7 de outubro

Jogo: ABC x Botafogo-SP

Hora: 19h

Local: Estádio Frasqueirão – Natal (RN)

8 de outubro

Jogo: Guarani x ASA

Hora: 19h

Local: Estádio Brinco de Ouro da Princesa – Campinas (SP)

9 de outubro

Jogo: Boa Esporte x Botafogo-PB

Hora: 11h

Local: Estádio do Melão – Varginha (MG)

9 de outubro

Jogo: Fortaleza x Juventude

Hora: 19h

Local: Arena Casteão – Fortaleza (CE)

Paraíba Já

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Debate de confrontos tem Aécio no ataque, Dilma acuada e Marina regular

debate2Sete candidatos participaram na noite desta terça-feira (26) do primeiro debate entre presidenciáveis, realizado pela TV Band, em São Paulo. Os três líderes da corrida eleitoral, Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PSB), Aécio Neves (PSDB), não se pouparam do confronto direto e trocaram perguntas entre si. Mesmo se confrontando em todas as oportunidades que tiveram, os três presidenciáveis deixaram a desejar na apresentação de novas ideias.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O debate ocorreu poucas horas depois do Ibope ter divulgado pesquisa que mostrou um avanço da candidata do PSB no primeiro turno, que abriu dez pontos de vantagem sobre o tucano. A ex-senadora ainda venceria a petista no segundo turno. Os números da pesquisa para o primeiro turno apontaram as seguintes intenções de voto: Dilma, 34%, Marina, 29%, e Aécio, 19%.
Quando os candidatos puderam fazer perguntas entre si, Marina abriu a discussão, questionando Dilma sobre o que deu errado nos cinco pactos propostos pela presidente após as manifestações de junho de 2013. A petista rejeitou a afirmação da socialista, cintando números positivos nas áreas de saúde, economia e educação.

 

Na réplica, Marina fez o seu primeiro ataque mais direto a Dilma. “Para resolver problemas, precisamos reconhecer que eles existem. Esse Brasil colorido descrito por Dilma, quase cinematográfico, não existe”, atacou a ex-senadora. Em tréplica, Dilma (PT) propôs uma reforma política. “Só a força do povo brasileiro é capaz de transformar a relação política com a coisa pública”, indicou a petista.
Logo depois, Dilma questionou Aécio sobre supostas medidas impopulares que ele tomaria se fosse eleito, citando ainda que o desemprego quando o PSDB comandou a Presidência era dobro em relação ao governo atual petista. “O PT surfou e se valeu muito das reformas que foram feitas no governo Fernando Henrique. Mas a bendita herança acabou”, retrucou o tucano.

 

Na sua vez de perguntar, Aécio partiu para o ataque contra Marina. “A candidata tem falado muito sobre a nova política, disse que não subiria a determinados palanques. Será que não deveria ter uma boa dose de coerência?”, questionou o tucano, lembrando que a candidata se negou a subir no palanque de Geraldo Alckmin (PSDB), que é parceiro do PSB em São Paulo, mas disse recentemente que pediria o apoio do ex-governador paulista José Serra, caso fosse eleita.

 

Marina negou a incoerência e emendou crítica à disputa entre tucanos e petistas nas últimas eleições. “Me sinto inteiramente coerente. É combater a velha polarização que tem sido um verdadeiro atraso para o nosso País. A polarização PT e PSDB já deu o que tinha que dar”, respondeu a candidata do PSB.

Marcos Bezerra/Futura Press

Debate da TV Band é o primeiro encontro entre os concorrentes à Presidência da República

 

Nos outros blocos do debate,  o clima permaneceu com Dilma escolhendo o tucano como seu oponente principal. A petista buscou colar a imagem dele ao do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que deixou o governo com baixa popularidade.

 

Aécio, por sua vez, buscou ligar Dilma ao baixo crescimento da economia brasileira e também aos escândalos na Petrobras. Em relação a Marina, o tucano disse que faltava clareza em sua propostas.

 

Em todo o debate, Marina tentou se colocou como a representante da “nova política”, num espécie de passo a frente da polarização PT e PSDB.  Em mais de uma vez, a candidata do PSB lembrou do momento difícil que ela passou recentemente com a morte do Eduardo Campos.

 

Além de Dilma, Aécio e Marina, participaram do debate, Pastor Everaldo (PSC), Luciana Genro (PSOL), Eduardo Jorge (PV) e Levy Fidelix (PRTB). A discussão se prolongou por mais de três horas, chegando a cansar os telespectadores ou mesmo os presentes nos estúdios da Band.

 

Eduardo Jorge rouba cena

Com menos de 1% das intenções de voto no Ibope, o candidato do Partido Verde se destacou por levantar temas polêmicos como a legalização do aborto e da maconha. Com estilo informal, mas contundente, o candidato foi comparado nas redes sociais, durante o debate, a Plinio Arruda Sampaio, candidato do PSOL à Presidência em 2010. Plinio morreu recentemente.

 

“A legislação é cruel. Coloca 800 mil mulheres por ano à sua própria sorte, à métodos clandestinos”, declarou Jorge, questionando Aécio sobre a legalização do aborto. O tucano discordou do candidato do PV, dizendo que manteria a legislação vigente sobre o tema.

 

Jorge também foi irônico. Ao comentar a proposta de Marina de criar uma lei para tornar o Banco Central independente, o candidato do PV disparou: “Independente de quem? Do povo?”

Divulgação/PVEduardo Jorge (PV) chega aos estúdios da Band para o debate presidenciável

 

A atual candidata do PSOL também levantou um tema polêmico. Luciana confrontou o Pastor Everaldo, que tem declarado em sua campanha que os casais devem ser formados por homens e mulheres, numa rejeição as parcerias homossexuais.

 

“Homofobia e transfobia matam. A falta de educação a respeito desses temas nas escolas faz falta”, declarou Luciana. O candidato do PSC negou ser homofóbico e disse que “o povo cristão é o mais tolerante do mundo”.

 

Luciana se referiu ao candidato do PSC apenas como Everaldo, explicando que não se sentia confortável em usar a alcunha de pastor por acreditar que o Estado brasileiro deve ser laico.

IG 

Serra em campanha: Confrontos com cinco jornalistas em 19 dias

(Ricardo Morais/CNI/Arquivo RBA)

O tucano José Serra, candidato à Prefeitura de São Paulo, comporta-se como se fosse um político blindado pelos patrões midiáticos. Do contrário não seria tão deselegante com jornalistas. Basta um repórter perguntar algo que não lhe agrade ou não tenha interesse em responder, para Serra tratar o perguntador de forma ríspida.

O candidato tucano é, sem dúvida, um homem poderoso. Foi deputado, senador, ministro, prefeito e governador. Duas vezes candidato a presidente da República. É uma das lideranças mais importantes do PSDB. Os repórteres que fazem perguntas a ele são assalariados. Ao ousar, correm o risco de desagradar os patrões e perder o emprego.

Perguntas desagradáveis fazem parte da vida de candidatos. Uma resposta agressiva também é parte do jogo. Porém, o tucano se comporta como se fosse blindado pelo patronato midiático e, na prática, intimida os perguntadores.

Serra pede a cabeça de jornalistas?

Em 2010, Heródoto Barbeiro, que na época comandava o Programa Roda Viva, da TV Cultura, fez uma pergunta “desagradável” a Serra sobre pedágios. Coincidentemente, não durou muito na emissora. Hoje está na Record News.

Já imaginou o que os barões da mídia fariam se Fernando Haddad, candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, chamasse um repórter de “sem-vergonha”, como Serra fez em 28 de setembro deste ano durante campanha no bairro da Moóca?

Ou se o ex-presidente Lula e a presidenta Dilma tachassem um jornalista de disseminar propaganda do adversário, como Serra fez hoje com o jornalista Kennedy Alencar, na CBN, a quem acusou de espalhar “trololó petista”?

Não é preciso bola de cristal para saber que isso seria denunciado ao mundo pelos patrões. A mídia global se encarregaria de tornar o caso um escândalo internacional.

Já que os chefões da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) ainda estão por aqui, resolvemos fazer um levantamento de incidentes de José Serra com jornalistas brasileiros, que, na prática, representam intimidação ao livre exercício da nossa profissão.

Na campanha de 2010, por exemplo, colegas da RBS, Heródoto Barbeiro, Márcia Peltier e até Miriam Leitão foram alvo do seu desrepeito profissional:

Também em 2010, Serra se irritou com a pergunta de um repórter em São Luís, no Maranhão. O Blog do Décio registrou:

Durante entrevista coletiva em São Luís nesta terça-feira 13 de julho, o tucano José Serra se chateou com pergunta do jornalista Mário Carvalho sobre sua rejeição no Nordeste. As fotos do vídeo são de Biaman Prado.

Ao longo da campanha à Prefeitura de São Paulo, em 2012, levantamos cinco episódios.

No desta terça-feira 16, o mais recente, Serra se superou. Acusou Kennedy Alencar, comentarista político da rádio CBN de espalhar “trololó petista”.

Alencar perguntou sobre um kit gay semelhante ao que esteve em estudos no Ministério da Educação e que o tucano havia implementado na sua gestão enquanto governador. Queria saber se o tucano tinha dado uma guinada conservadora, já que em 2010 Serra baseou parte de sua campanha na questão do aborto. O tucano não respondeu à pergunta.

Em vez disso, bateu boca, disse que o jornalista estava mentindo e o acusou de fazer campanha para “outro candidato”. ”Kennedy, você não pode fazer campanha eleitoral na CBN”, incriminou.

A acusação de que um jornalista está usando o emprego para fazer campanha para um partido é gravíssima: pode causar demissão.

O primeiro ataque de Serra a jornalista na eleição de 2012 aconteceu em 28 de setembro.

Em campanha no bairro da Moóca, Serra, ao ser questionado por repórter da Rede Brasil Atual,  sobre onde os eleitores poderiam encontrar o seu plano de governo, disparou: “Eu não respondo pergunta de sem-vergonha”.

No dia 11 de outubro, a vítima foi a repórter da TVT.  Serra ignorou a pergunta dela e deu as costas à equipe da TV dos Trabalhadores. Foi durante coletiva para anunciar o apoio do PDT paulista à candidatura tucana no segundo turno.

No 12 de outubro, Serra repetiu a “dose” contra a TVT.

O tucano tem a mania de, antes de responder, querer saber o veículo representado pelo entrevistador.

Aparentemente, é assim que decide entre “amigos” e “inimigos”.

Praticado por um petista, tal comportamento seria denunciado como tentativa de “controlar” a mídia.

Ontem, 15 de outubro, Serra destratou a repórter do UOL, do Grupo Folha. Após caminhada no bairro Cidade Ademar,  no extremo da Zona Sul da capital, ela perguntou-lhe  se o tom agressivo do primeiro programa eleitoral do segundo turno, que recorreu  ao mensalão, seria uma estratégia da campanha tucana para diminuir a vantagem de Haddad nas pesquisas de intenção de voto.

Serra não gostou e reagiu: “Não sei, eu não vi. Vai lá para o Haddad. É a pauta dele. Não precisa ter uma assessora a mais para ele. Vai lá direto”.

Para quem diz defender a liberdade de imprensa e de expressão, são cinco episódios de agressividade com profissionais da imprensa em apenas 19 dias.

Não encontramos críticas do candidato aos patrões midiáticos no mesmo período.

brasildefato

Em 29 meses, 2882 pessoas foram mortas em supostos confrontos com policiais

 

PM recolhem os cadáveres de seis mortos no final de maio.

Ocorrência foi registrada como resistência seguida de morte.

Foto: Eduardo Anizielli/ Folha Press

Entre janeiro de 2010 e junho de 2012, 2882 pessoas foram mortas em supostos confrontos com policiais em quatro estados brasileiros: Santa Catarina (137), Mato Grosso do Sul (57), Rio de Janeiro (1590) e São Paulo (1098). Os outros estados não divulgam o número de homicídios, segundo a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR).

Devido ao alto número de homicídios, a ministra da SDH/PR, Maria do Rosário, recebeu na quinta-feira (11), em Brasília, integrantes do movimento Mães de Maio para tratar da questão da violência policial.

Um dos desdobramentos concretizados durante a reunião foi o conjunto no fim dos autos de “resistência seguida de morte” em todo o Brasil. Segundo o movimento, essa prática é uma verdadeira ‘licença para matar’ dada a policiais contra a juventude pobre, preta e periférica.

De acordo com Débora Maria, coordenadora do movimento Mães de Maio, o objetivo dessa reivindicação é para inibir a prática de extermínio que está institucionalizada na corporação da polícia militar.

“A gente sabe que quem matou em 2006 continua matando até os dias de hoje, porque não foram punidos. Eles ganharam carta branca para matar. O governo do estado é omisso, ele não admite que dentro das corporações policiais existem grupos de extermínio”, argumenta.

No Brasil não há pena de morte, salvo em caso de guerra declarada. No entanto, segundo dados da Anistia Internacional, em 2011 o número de mortes por autos de resistência apenas no Rio de Janeiro e São Paulo foi 42,16% maior do que todas as penas de morte executadas, após o devido processo legal, em 20 países.

Para o doutor em Antropologia e pesquisador do Departamento de Estudos Africanos e Afro-Americanos da Universidade do Texas (EUA), Jaime Amparo Alves, a resistência seguida de morte serve apenas para legitimar as práticas criminosas de agentes do estado para que continuem desempenhando sua força brutal nas periferias.

“O que temos é um instrumento burocrático que cria uma classe de funcionários públicos com poder soberano de vida e de morte sobre os tidos como ‘bandidos’, e que legaliza os homicídios praticados por agentes do Estado. É no mínimo estarrecedor ver que a polícia paulista mata em um mês o que a polícia de Nova York mata em um ano e que os números continuem crescendo assustadoramente.”

Consulta pública

O Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH)) disponibilizou para consulta pública a proposta de Resolução Recomendatória sobre o uso dos termos “autos de resistência” ou “resistência seguida de morte”. O objetivo é abolir o uso desses termos nos registros policiais, de modo a garantir que todos os homicídios sejam devidamente investigados.

Até o dia 23 de outubro de 2012, o CDDPH disponibilizará o e-mail consultaautosderesistência@sdh.gov.br para o envio de sugestões para a proposta de resolução.

brasildefato