Arquivo da tag: confinamento

Infectologista explica diferença entre confinamento vertical e horizontal

O médico infectologista Fernando Chagas, do Hapvida em João Pessoa, faz um alerta à população para a importância de se manter o confinamento horizontal nesse momento de enfrentamento à proliferação do coronavírus no Brasil. De acordo com ele, por meio do confinamento horizontal é possível resguardar a saúde de idosos e pessoas que possuam comorbidades, ou seja, que tenham ocorrência de duas ou mais doenças relacionadas no mesmo paciente e ao mesmo tempo.

Fernando chagas explica que existe o confinamento horizontal e o vertical. O horizontal é aquele voltado para toda a população, sem distinção, de forma que garanta que todos estejam resguardados e não se tornem o foco de transmissão do coronavírus, por exemplo. Já o confinamento vertical é voltado ao paciente mais propenso a evoluir para um caso grave da doença.

“Então num tipo de confinamento em que se isola a população de maior risco, seria para garantir que essas pessoas mais vulneráveis não adquirissem a doença e evoluíssem para a forma grave. No outro caso, seria para diminuir a probabilidade da pessoa de risco contrair a doença, mas também das outras que não têm tanto risco se tornarem vetor para a transmissão. Dessa forma, os confinamentos horizontais e verticais são fundamentais nesse momento”, destaca o infectologista.

Risco – O especialista fez uma comparação do coronavírus com o O H1N1. Segundo ele, o H1N1 tem uma média de mortalidade de uma pessoa a cada mil acometidos. No caso do coronavírus, esse número pode chegar a até 50 pessoas a cada mil infectados. “É um universo grande de letalidade e quando consideramos que milhares de pessoas podem ser acometidas pela doença, a gente tem uma dimensão do risco do que ela representa para toda a comunidade. O coronavírus têm a potencialidade de causar muitas mortes”, alerta.

O infectologista do Hapvida disse ainda que o momento agora é de manter a calma e cumprir o isolamento. Para ele, é importante que a população se mantenha atenta para o risco do coronavírus no Brasil. “Nesse momento temos que ter mais cuidado, mas também temos que trocar o medo pelo respeito à doença”, observa.

 

Múltipla Comunicação

 

 

Vereadores denunciam confinamento e manobra na Câmara de Cacimba de Dentro

(Foto: Reprodução / Google Street View)

Um suposto confinamento de vereadores antes da eleição antecipada na Câmara Municipal de Cacimba de Dentro, marcada para esta quarta-feira (11), pode parar na Justiça. É que parlamentares da oposição estão denunciando uma possível manobra do prefeito Nelinho (PSB) e do presidente da Casa, vereador Pollyanno Pereira (PSB), que é cunhado dele, para tentar angariar os votos necessários e vencer a disputa.

Segundo a denúncia, os parlamentares estariam hospedados em uma casa na orla marítima da cidade de Natal, no Rio Grande do Norte. Áudios que circulam nas redes sociais apontam para uma suposta articulação do prefeito Nelinho e do vereador Pollyanno para convencer os vereadores a aceitarem participar do confinamento.

Em contato com o Portal Correio, a vereadora Ozana Domingos (PSDB) disse que recentemente foi aprovada uma alteração na Lei Orgânica do Município para permitir a antecipação da eleição da mesa da Câmara, mas nessa segunda-feira (9) o presidente da Casa, Pollyanno Pereira, teria ligado para os vereadores comunicando a não realização da eleição porque a alteração na Lei Orgânica não foi publicada no Diário Oficial.

Ozana revelou a suspeita de que o presidente só recuou na realização da eleição após um vereador da base do prefeito externar queixas ao grupo após não ter recebido a convocação para a eleição. Segundo ela, o atual presidente quer garantir a reeleição em chapa única, o que acabou causando uma insatisfação dos demais parlamentares. “De repente o presidente comunicou que a eleição não aconteceria mais, só porque queria ser candidato único. Agora vamos à Justiça para denunciar esse confinamento e cobrar a realização da eleição”, disse.

A reportagem tentou, por diversas vezes, manter contato com o prefeito Nelinho e o presidente da Câmara, Pollyanno Pereira, mas os telefones se encontravam desligados ou programados para não receber chamadas.

portalcorreio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br