Arquivo da tag: complica

Belo sai na frente, mas toma virada do Imperatriz e se complica na Série C

O Botafogo-PB até conseguiu sair na frente, mas teve um jogador expulso no início do segundo tempo, tomou a virada e perdeu por 2 a 1 para o Imperatriz na noite desta quinta-feira (25), no estádio Frei Epifânio D’Abadia, se complicando no Grupo A da Série C do Campeonato Brasileiro.

A partida teve validade pela 14ª rodada da chave.

Clayton inaugurou o marcador para o time paraibano aos 26 minutos de jogo. Léo Mineiro e Matheus Lima, que entraram na etapa complementar, anotara os gols da vitória do Cavalo de Aço, aos 21 e 39, respectivamente.

Enquanto o Belo permanece na sexta colocação, com 18 pontos, o Imperatriz entrou no G-4, somando os mesmos 21 pontos do Náutico, só que com um saldo de gols melhor, embora, agora, um jogo a menos.

O jogo

O Imperatriz teve mais a bola no primeiro tempo. O Botafogo-PB, desde o começo da partida, trabalhou  reativamente, mas sempre tentando ocupar o campo do adversário.

O Cavalo de Aço, dono da casa e com o grande apoio da torcida, tentou jogadas perigosas, em velocidade, pelas laterais. Mas sem tanto perigo.

Foi aí que o Belo subiu a marcação, forçou o erro da defesa maranhense e quase marcou com Marcos Aurélio, aos 15 minutos.

A postura do Botafogo-PB foi premiada aos 26 minutos. Em jogada de Dico, pela esquerda, o meia Clayton, melhor em campo pelo time paraibano, escorou para as redes o cruzamento do camisa 11.

O Imperatriz continuou controlando as ações da peleja, mas Manoel não conseguiu acertar o alvo quando foi acionado.

Segundo tempo

O Imperatriz começou a segunda parte do jogo bem diferente. Desde o começo pressionou e buscou o gol de empate, principalmente após a entrada de Rayllan, pela esquerda.

O Botafogo-PB teve que se defender de qualquer forma e começou também a retardar o reinício do jogo para tentar ganhar mais tempo.

Não adiantou muito, pois aos 20 minutos Leandro Mineiro empatou e aos 38, Matheus Lima virou o placar.

O dono da casa ainda teve chances de ampliar com Rayllan e o próprio Matheus Lima, assim como o Botafogo chegou perto do empate no finalzinho em cobranças de falta com Fábio Alves, mas não passou disso.

Ficha técnica

Imperatriz 2 x 1 Botafogo-PB

Data: 25/07/2019 – 20h

Local: Estádio Frei Epifânio / Imperatriz-MA

Competição: Série C do Campeonato Brasileiro / Grupo A (14ª rodada)

Arbitragem: Luiz Paulo de Moura Pinheiro; Fábio Rodrigo Rubinho e Eduardo Teodoro Rodrigues (Mato Grosso)

Cartões amarelos: Dos Santos, Ramon (I); Enercino (B)

Cartão vermelho: Enercino (B)

Gols: Clayton (aos 26’ do 1ºT) para o Botafogo-PB; Léo Mineiro (aos 21’ do 2ºT) e Matheus Lima (aos 39′ do 2ºT)

Imperatriz: Jean; Jonas (Matheus Lima), Ramon, Renan Dutra e Renan Luís; Diogo Oliveira (Léo Mineiro), Dos Santos e Gabriel Caju; Xavier (Rayllan), Lucas Campos e Manoel. Técnico: Paulinho Kobayashi.

Botafogo-PB: Saulo; Neilson, William Goiano, Donato e Rogério; Enercino, Marcos Vinícius, Dico (Erivelton) e Marcos Aurélio (Fábio Alves); Clayton (Serginho) e Nando. Técnico: Evaristo Piza.

Foto: Vagner Junior / Coluna do Futebol

paraibaonline

 

 

Argentina volta a tropeçar no Peru em La Bombonera e se complica

Um 1969, a Argentina precisava de uma vitória em cima do Peru do técnico brasileiro Didi para ir à Copa do Mundo do ano seguinte. À época, resolveu levar o confronto para o mítico estádio de La Bombonera. Porém, um empate por 2 a 2 acabou com o sonho argentino em plena Buenos Aires. Desde então, os Hermanos nunca mais ficaram de fora de um Mundial.

A noite desta quinta-feira certamente trouxe lembranças ruins para os argentinos mais velhos. De novo a pressão da casa do Boca Juniors foi a aposta dos albicelestes diante da seleção que carrega um uniforme semelhante ao do River Plate. E, como em 69, a ideia não surtiu efeito. Messi e companhia não passaram de um empate por 0 a 0 na penúltima rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo da Rússia e tornaram a situação dos atuais vice-campeões do mundo em um drama inimaginável há pouco tempo.

Já são quatro jogos seguidos sem um triunfo, e a última chance de ir à Copa será disputada dia 10, na altitude de 2.850 metros de Quito, contra o Equador. Em sexto lugar, com 25 pontos, a Argentina estaria fora do Mundial hoje.

E quis o destino que Ricardo Gareca fosse um dos responsáveis por jogar mais lenha na fogueira argentina. Autor do gol que colocou a Argentina na Copa do Mundo de 1986, de novo depois de um empate por 2 a 2 com o Peru no ano anterior, nesta quinta o ex-treinador do Palmeiras levou os peruanos à quinta colocação, posição que leva a equipe à repescagem, com os mesmos 25 pontos, mas com um saldo de gols melhor.

Invicta há cinco rodadas, a seleção do Peru terá contra a Colômbia, em Lima, também dia 10, o jogo mais importante de sua história recente. Um resultado positivo e Paolo Guerrero e seus companheiros estarão na Copa do Mundo, o que não acontece desde 1982.

Bastou o primeiro apito do árbitro brasileiro Wilton Sampaio para o panorama do que viria pela frente ficar evidenciado. Sem qualquer constrangimento, o Peru, com quatro desfalques, um deles o meia são-paulino Christian Cueva, deixou claro que se concentraria na marcação atrás do meio de campo, apostando na eficiência defensiva e na perda de paciência dos argentinos, que por sua vez fizeram o que lhe cabia: foram para cima, muitas vezes com os dez homens de linha no campo de ataque.

Dominante, mas com dificuldade de encontrar os espaços tendo Messi tão bem marcado, a primeira oportunidade clara veio aos 13 minutos, justamente com o camisa 10, após jogada ensaiada em cobrança de escanteio. A zaga peruano afastou o perigo no susto.

Dez minutos depois, Di Maria ficou com sobra de bola na entrada da área e buscou o ângulo oposto, mas isolou, para desespero da Bombonera. Aos 33, o único ataque mais incisivo do Peru gerou alguns segundos de silêncio no estádio xeneize. O lateral flamenguista Trauco cruzou rasteiro e Farfán teve liberdade dentro da área para finalizar, mas errou o alvo.

Pouco antes do intervalo, Messi despertou. Primeiro executou sua típica jogada: recebeu na entrada da área, cortou para a esquerda e mandou a bomba, de “rosca”. A bola raspou a trave. Na sequência, o craque achou Benedetto nas costas da zaga adversária, mas o centroavante do Boca Juniors testou por cima do travessão.

Jorge Sampaoli, então, decidiu sacar Di Maria para apostar em Rigoni. Além da troca, a postura da equipe em campo mudou, com mais agressividade e Messi inspirado. Antes do primeiro minuto, o capitão argentino deixou Benedetto na cara do gol mais uma vez. Gallese defendeu com o peito e o próprio Messi pegou o rebote. De primeira, do jeito que deu, mandou a bola na trave.

Foi só uma amostra do que o goleiro peruano estaria por fazer. Aos 2 minutos, Biglia arriscou de longe e Gallese buscou a bola no ângulo. Antes da metade da etapa final, Lionel Messi usou toda sua inteligência para colocar Gómez, Benedetto e Rigoni em situações claras de acabar com o drama dos donos da casa. Em todas elas, Gallese foi melhor que os atacantes.

O enredo ganhou ainda mais cara de drama quando Sampaoli resolveu apostar em Gago, mesmo ciente de que o veterano jogador não tinha 100% das condições físicas. A torcida cantou o nome do volante ex-Boca Júniors, mas em apenas quatro minutos Gago sentiu uma lesão no joelho e precisou sair para a entrada de Pérez.

Já sem muita organização, apelando para jogadas individuais e bolas aéreas, a Argentina até tentou sufocar os peruanos. A torcida, que apoiou o jogo todo, não conseguiu esconder a apreensão e a impaciência nos minutos finais. No fim, o drama virou melancolia na Bombonera assim que Wilton Sampaio soou o apito pela última vez.

FICHA TÉCNICA

ARGENTINA 0 X 0 PERU

Local: La Bombonera, em Buenos Aires (Argentina)

Data: 5 de outubro de 2017 (Quinta-feira)

Horário: 20h30 (de Brasília)

Árbitro: Wilton Sampaio (Brasil)

Assistentes: Kleber Lúcio Gil (Brasil) e Bruno Boschilia (Brasil)

Cartões amarelos: ARGENTINA: Biglia, Mascherano. PERU: Farfán, Tapia, Guerrero

ARGENTINA: Romero, Otamendi, Mascherano e Mercado; Acuña, Lucas Biglia, Ever Banega (Gago) (Pérez), Lionel Messi e Angel Di María (Rigoni); Gómez e Benedetto

Técnico: Jorge Sampaoli

PERU: Gallese, Aldo Corzo, Miguel Araujo, Alberto Rodríguez e Miguel Trauco; Renato Tapia, Yoshimar Yotún, Peña (Cartagena), Farfán (Andy Polo) e Édison Flores; Paolo Guerrero

Técnico: Ricardo Gareca

Gazeta Esportiva

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Campinense perde em Itabaiana e se complica na Série D

Em um domingo chuvoso no interior sergipano, com o gramado do Etelvino Mendonça completamente encharcado, o Campinense perdeu por 1 a 0 para o Itabaiana e se complicou de vez na Série D do Brasileiro.

Paulinho Macaíba, aos 26 minutos do primeiro tempo, aproveitando escanteio, anotou o único gol da peleja para o time da casa, que já não aspirava mais chances de classificação.

Com cinco pontos, a Raposa caiu para a terceira colocação do Grupo A-8 e agora depende de combinações de resultados para passar de fase.

Foto: Paraibaonline

Foto: Paraibaonline

Ficha técnica

Itabaiana 1 x 0 Campinense

Data: 18/06/2017 – 16h
Local: Estádio Etelvino Mendonça / Itabaiana

Competição: Série D (5ª Rodada – Grupo A8)

Arbitragem: José Ricardo Vasconcelos (AL); Daniel Vidal e Wendel Augusto Lino (SE).

Cartões amarelos: Chapinha, Vitor Sapo (I); Fernando Pires, Osvaldir, Sillas (C)

Gol: Paulinho Macaíba (aos 26′ do 1T) para o Itabaiana.

Itabaiana: Genivaldo, Ney Maruim, Tiago Garça, Hugo e Jefferson; Zaquel, Chapinha (Carlos Henrique), Alex Murici e Fabio Gama; Paulinho Macaíba (Thomas Anderson) e Vitor Sapo (Diego Neves). Técnico: Betinho.

Campinense: Gledson, Osvaldir, Joécio, Rafael Jensen e Sávio; Negreti, Fernando Pires (Janeudo), João Paulo (Tarcisio) e Diego Barboza (Maranhão); Sillas e Reinaldo Alagoano. Técnico: Ailton Silva.

paraibaonline

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Marinho salva de novo, Vitória bate o Coritiba e complica o Internacional

Mesmo sem entrar em campo, o Internacional deu na noite desta segunda-feira (28) mais um passo em direção à Série B do Campeonato Brasileiro. Isso porque o Vitória, seu principal concorrente na luta contra o descenso, bateu o Coritiba por 1 a 0 no Couto Pereira, com golaço de Marinho, e deixou os gaúchos em situação extremamente complicada para a última rodada.

Com o triunfo, o Vitória chegou a 45 pontos e abriu três em relação ao Internacional, com apenas mais uma rodada pela frente. Fora isso, a equipe baiana tem -1 de saldo, contra -6 do Internacional. Portanto, o time gaúcho precisa, além de vencer o Fluminense fora de casa e torcer por uma derrota do Vitória diante do Palmeiras, tirar a diferença de saldo de gols.

Outra probabilidade de o Internacional escapar do rebaixamento é, além de triunfar, torcer para o Sport não vencer o já rebaixado Figueirense na Ilha do Retiro. A equipe pernambucana soma 44 pontos. O Coritiba, por sua vez, estaciona nos 46 pontos e dificulta a sua ida para a Sul-Americana 2017.

Marinho, sempre ele!

GIULIANO GOMES/ESTADÃO CONTEÚDO

Já virou rotina Marinho decidir os jogos para o Vitória, especialmente nesta reta final de Campeonato Brasileiro. E na noite desta segunda-feira não foi diferente. O atacante precisou de apenas dez minutos para abrir o placar e marcar um golaço no Couto Pereira. Ele arrancou pela direita, driblou toda defesa do Coritiba e, de canhota, fuzilou o goleiro Wilson. Com isso, Marinho marca pelo quinto jogo consecutivo e chega a 11 gols na competição nacional.

Quem foi mal: Iago

O Coritiba praticamente não criou na etapa inicial. Com o meio-campo pouco efetivo e sem espaço, o time da casa foi presa fácil para a marcação do Vitória, que dominou o jogo antes do intervalo mesmo no Couto Pereira. Insatisfeito, Carpegiani sacou Iago já no intervalo.

Vitória resiste bravamente no 2ºT

Se por um lado praticamente não levou sustos na etapa inicial, o Vitória teve bastante trabalho para segurar a pressão do Coritiba no segundo tempo. Atrás no placar e empurrado pela torcida, o time alviverde partiu para cima e passou a criar diversas chances – apesar de, a maioria, em bolas alçadas para a área. Coube à defesa rubro-negra resistir como pôde.

Prejuízos para a última rodada

Kieza, Norberto e Victor Ramos levaram cartão amarelo e, como estavam pendurados, viraram desfalques importantes do Vitória para a última rodada do Brasileiro.

Vitória briga para não cair, mas tem 4º melhor ataque

Curiosamente, apesar de ainda brigar para não cair para a Série B, o Vitória é dono do quarto melhor ataque do Campeonato Brasileiro, agora com 50 gols. Fica atrás apenas dos quatro primeiros colocados da tabela: Palmeiras (60), Flamengo (52), Santos (58) e Atlético-MG (61).

Torcida rubro-negra teve companhia…

Torcedores do Grêmio puderam ser vistos entre os rubro-negros no Couto Pereira. O motivo? Torcer pelo Vitória e ver o arquirrival Internacional mais perto da segunda divisão.

FICHA TÉCNICA

CORITIBA 0 X 1 VITÓRIA

Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR)
Data: 28 de novembro de 2016 (segunda-feira)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva (Fifa-GO) e Cristhian Passos Sorence (GO)
Cartões amarelos: Nery Bareiro, Leandro, Yan, Dodô, Vinícius (Coritiba); Norberto, Kanu, Willian Farias, Victor Ramos, Kieza (Vitória)
Gol: Marinho, aos 10min do primeiro tempo
Público pagante: 12.755
Público total: 13.566
Renda: R$223.095,0

CORITIBA: Wilson, Dodô, Walisson Maia, Nery Bareiro e Juninho; Amaral, Yan e Iago (Vinícius); Leandro, Kazim (Evandro) e Kleber.
Técnico: Paulo César Carpegiani

VITÓRIA: Fernando Miguel; Norberto, Kanu, Victor Ramos e Euller; Willian Farias, Marcelo e Cárdenas (Tiago Real); Marinho (Amaral), Kieza e Zé Love (David).
Técnico: Argel Fucks

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Flu perde pênalti no fim, só empata com Atlético-PR e se complica pelo G6

fluO Fluminense fez promoção e a torcida compareceu – 43.691. Mas de nada adiantou. A equipe não teve bom desempenho na ‘decisão’ contra o Atlético-PR por uma vaga na Libertadores e só empatou por 1 a 1, neste sábado, no Maracanã. Cícero abriu o placar, e Hernani, de pênalti, definiu o placar. Scarpa teve a chance da vitória nos acréscimos, mas o camisa 10 perdeu pênalti.

O resultado é péssimo para o Fluminense que se complicou ainda mais na briga por uma das vagas na Libertadores de 2017. O Tricolor agora soma 49 pontos e segue na 8ª colocação a três do Atlético-PR, último do G6, com 52. O time volta a campo no domingo, quando medirá forças com a Ponte Preta, em Campinas.

Marcão perde 100% de aproveitamento como treinador em primeiro jogo do BR

No terceiro jogo como treinador, Marcão perdeu o 100% de aproveitamento, Nos dois primeiros, pelo Estadual deste ano, o treinador assumiu a equipe precisando de duas vitórias, o que ocorreu. Triunfos sobre o Friburguense por 2 a 1 e América por 1 a 0. A missão, agora, é mais difícil, já que ele foi definido como treinador até o fim do Brasileiro.

Marcão usa esquema de Tite com Cícero de atacante

Com muitos treinos fechados, o Fluminense de Marcão não deu qualquer dica da armação do time para encarar o Atlético-PR. Na escalação uma surpresa: nenhum centroavante de ofício e cinco jogadores de meio de campo. Na prática, porém, o que se viu foi algo inovador. O esquema escolhido é o mesmo que consagrou Tite: 4-1-4-1. Pierre jogou entre as linhas. No meio de campo, Scarpa, Edson, Marquinho e Wellington. Cícero? O volante foi improvisado como único atacante.

Improvisado, Cícero faz gol mas volta para o meio de campo no 2º tempo

Novidade na escalação de Marcão, Cícero teve bom desempenho atuando como atacante. Ele fez o único gol do Tricolor e deu muito trabalho aos adversários. No segundo tempo, porém, o treinador precisou de mais ímpeto e lançou Richarlison, fazendo com que o volante voltasse ao meio de campo. Acabou substituído no fim do jogo e foi aplaudido pelos torcedores.

Falha na defesa complica vitória do Fluminense

A boa jogada de Lucas Fernandes, jogador do Fluminense e emprestado ao Atlético-PR, complicou os cariocas. Willian Matheus acabou fazendo pênalti e deixando o Tricolor em situação complicada.

Scarpa completa 100 jogos pelo Flu e ganha homenagem

O meia Gustavo Scarpa chegou a expressiva marca de 100 jogos como profissional com a camisa tricolor no último jogo contra o Cruzeiro. Ele foi homenageado recebeu a camisa das mãos do presidente Peter Siemsen

FLUMINENSE 1 X 1 ATLÉTICO-PR

Data e hora: 15/11/2016, nesta terça-feira, às 17h (horário de Brasília)
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP)
Auxiliares: Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP) e Herman Brumel Vani (SP)
Gols: Cícero, aos 28min do primeiro tempo; Hernani, aos 16min do segundo tempo
Cartões amarelo: Wellington Silva, Pierre e Wellington (FLU) Paulo André (CAP)

Fluminense
Julio Cesar; Wellington Silva, Gum, Henrique e William Matheus; Pierre, Edson (Osvaldo), Cícero (Douglas), Marquinho (Richarlison) e Gustavo Scarpa; Wellington
Técnico: Marcão (interino)

Atlético-PR
Santos; Léo (Rafael Galhardo), Thiago Heleno, Paulo André e Nicolas; Hernani, Octávio, Lucho Gonzalez (Nikão) e Lucas Fernandes (Marcos Guilherme); André Lima e Pablo
Técnico: Paulo Autuori

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Sob vaias, SP perde para Juventude no Morumbi e se complica na C. do Brasil

jogoEm sua estreia na Copa do Brasil depois da participação na Libertadores, o São Paulo saiu do Morumbi com uma derrota por 2 a 1 para o Juventude. Nesta quarta-feira (24), a equipe de Ricardo Gomes sofreu para criar chances e deixou o campo sob protestos da pouca torcida presente – apenas 6.643 pessoas estiveram no estádio.

Roberson foi responsável pelos dois gols do Juventude na partida – Chávez descontou para o São Paulo. A partida contou ainda com a expulsão do zagueiro Ruan, aos 35 minutos do segundo tempo. Apesar de ter um a mais por 10 minutos, o time do Morumbi pouco conseguiu criar para buscar o empate.

Com o resultado, o São Paulo precisará vencer por dois gols de diferença no Rio Grande do Sul para conseguir a classificação para as quartas de final do torneio. O duelo está marcado para o dia 21 de setembro, no estádio Alfredo Jaconi.

Juventude aposta no contra-ataque e Roberson aproveita as chances

A partida começou com o São Paulo pressionando. Mas à espera do contra-ataque, foi o Juventude quem abriu o placar. Aos 9 minutos do primeiro tempo, Roberson invadiu a área pela esquerda e bateu rasteiro. A bola passou por baixo do goleiro Denis e morreu no fundo do gol.

No segundo tempo, um roteiro parecido: o São Paulo ficava com a bola e tentava sem sucesso criar jogadas de ataque, enquanto o Juventude esperava por uma chance. E ela veio quando Lucas invadiu a área e foi derrubado por Thiago Mendes. Na cobrança, mais uma vez Roberson balançou as redes do São Paulo.

Mais um estrangeiro marca para o São Paulo

Com dificuldade na criação durante todo o primeiro tempo, o São Paulo conseguiu o empate após um cruzamento para a área. Aos 39 minutos, Carlinho foi ao fundo e lançou na cabeça de Chávez. O argentino se antecipou à marcação e mandou para as redes de Elias.

O gol conta com uma curiosidade. Os últimos nove tentos são-paulinos foram marcados por estrangeiros: Jonathan Calleri (2), Cueva (2) e Chávez (5).

Torcida pouco comparece, mas protesta

Em sua estreia na Copa do Brasil, o São Paulo contou com um público baixo no Morumbi. Apenas 6.643 estiveram no estádio para acompanhar o empate contra o Juventude. E logo no começo, a torcida se mostrou impaciente com a equipe, reclamando a cada erro cometido.

Mais tarde, com 1 a 1 no placar, a torcida passou a pedir raça e reclamar da atuação do São Paulo. “Não é mole, não. Eu estou cansado de time amarelão”, foi um dos cantos ouvidos no Morumbi. Quando o Juventude fez o segundo, o alvo passou a ser Gustavo Vieira de Oliveira, gerente de futebol do time são-paulino.

Alterações no time titular não surtem efeito

Depois da fraca atuação contra o Internacional, o técnico Ricardo Gomes decidiu mexer na equipe titular para melhorar a movimentação em campo. Para o duelo, duas alterações: Thiago Mendes no lugar de Michel Bastos e Carlinhos na posição antes ocupada por Mena.

As mudanças, porém, fizeram pouco efeito dentro de campo. Durante todo o primeiro tempo, o São Paulo quase não conseguia criar jogadas com a bola no chão. Apesar disso, foi de Carlinhos a assistência para o único gol são-paulino. O jogador, inclusive, acabou vaiado pela torcida ao pedir apoio depois do tento.

Desfalque olímpico

Para o duelo, o São Paulo não pôde contar com o zagueiro Rodrigo Caio. Campeão olímpico com a seleção brasileira, o defensor foi liberado para viajar à Itália e obter a cidadania italiana. Antes da partida, o presidente Leco admitiu que a saída do jogador para a Europa é uma possibilidade. “Ele tem interesse, já revelou para mim em mais de uma oportunidade”, afirmou.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Botafogo perde de goleada para o Fortaleza e se complica na Série C do Brasileirão

castelãoO Botafogo amargou mais uma derrota neste sábado (18) em jogo contra o Fortaleza pela Série C do Campeonato Brasileiro. O Belo, que veio de uma derrota para o Vila Nova na competição, perdeu de goleada por 3 a 0 no Castelão, em Fortaleza (CE), para o time da casa.

Com a derrota o Botafogo se distanciou ainda mais dos quatro primeiro colocados do grupo A, que se classificam para próxima fase, e caiu da sexta para sétima posição na tabela com nove pontos. Já o Fortaleza manteve a invencibilidade e a liderança do grupo com 19 pontos.

O jogo no Castelão começou às 16h com o time da casa pressionando o Botafogo. Nos primeiros minutos o Belo fez falta perigosa contra o Fortaleza. O jogador Pio cobrou chutando a bola na barreira, que foi para fora.

O Botafogo esboçou reação e saiu com o primeiro chute ao gol com Jean Cleber, mas continuou sem levar perigo ao Fortaleza e nos primeiro minutos do jogo levou dois gols.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Aos 17 minutos, Maranhão invadiu a área do Belo com a bola e tentou toque com Lúcio Maranhão. O goleiro Edson estava pronto para controlar a situação, mas André Lima foi tentar tirar a bola e terminou mandando para as próprias redes. Cinco minutos depois, o Botafogo levou outro gol. De calcanhar, após receber a bola que sobrou de Daniel Sobralense, Maranhão mandou para o fundo da rede.

Aos 25 minutos, o Bota levou susto ao time do Fortaleza e quase diminuiu o placar. André Cassaco chutou à queima-roupa a gol, mas o goleiro Ricardo Berna salvou espalmando a bola. No rebote, a bola passou raspando o gol.

Ainda no primeiro tempo o goleiro do Fortaleza sentiu uma pancada no rosto, após um choque com André Cassado, e foi substituído por Erivelton.

O Botafogo tentou pressionar o Leão. Aos 40 minutos o goleiro substituto fez grande defesa para o Fortaleza depois de Alex Cazumba cobrar falta e a bola passar perto da meta de Erivelton, mas a primeira etapa da partida terminou em 2 a 0.

No segundo tempo o Belo tentou apertar o Leão, que ficou no contra-ataque. Nos primeiros minutos o jogador Pio chutou a gol, mas a bola ficou nas mãos do goleiro Erivelton.

No início da segunda etapa a partida seguiu disputada. Aos 26 minutos Thallyson do Fortaleza chegou com perigo pela esquerda, driblou o zagueiro e tentou tocar para Daniel Sobralense, porém terminou chutando fraco e goleiro Edson defendeu.

Aos 38 minutos, o Botafogo levou mais um gol. Everton recebeu pela esquerda, entrou na área e chutou cruzado. O goleiro Edson pulou para pegar a bola, mas falhou e bola foi parar no fundo da rede.

Por pouco a derrota do Belo ainda não foi maior. No fim da partida Tiago Azulão avançou para esquerda, cruzou e Daniel Sobralense fez o gol, mas a arbitragem anulou por causo de impedimento.

 

portalcorreio

Belinho perde do Goiás e se complica na Copa SP

botaO Botafogo-PB perdeu para o Goiás na Copa SP de Futebol Júnior e se complicou na competição. A garotada do time de João Pessoa não conseguiu segurar a equipe goiana, que conseguiu vencer pelo placar tranquilo de dois gols à zero, no Estádio Comendador Souza, na capital de São Paulo, na tarde desta quarta-feira (7).

Os gols da partida foram marcados por Leônidas, de pênalti, aos 45 minutos do primeiro tempo e por Resende, de cabeça, aos 10 minutos da etapa complementar.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Mais cedo, pelo mesmo grupo, Rio Claro e Nacional-SP empataram por 2 a 2. Com os resultados, o Belinho fica na lanterna do grupo, com 1 ponto. Como passam de fase apenas os primeiros classificados de cada grupo, mais os seis segundo melhores colocados de acordo com os critérios técnicos, o Botafogo-PB está virtualmente eliminado, já que não possui chances de ser o primeiro do grupo, podendo alcançar no máximo 4 pontos, pontuação que historicamente não garante a vaga para o segundo.

Na última rodada, o time de João Pessoa enfrenta o Rio Claro, às 13h. Já o Goiás enfrenta o Nacional-SP, às 15h. Os jogos acontecem no Estádio Comendador Souza, que sedia o grupo X da competição.

Da Redação
WSCOM Online

Campinense perde dentro de casa e se complica na série D do Campeonato Brasileiro

Divulgação/ ASCOM Campinense
Divulgação/ ASCOM Campinense

O Campinense recebeu o Coruripe-AL na tarde desse domingo (31), no estádio Amigão, em Campina Grande, e perdeu pelo placar de 2 a 0. A partida foi válida pela 7ª rodada do brasileirão Série D. Com a derrota a Raposa se complicou no campeonato e ocupa a 4ª colocação do grupo A3.

Na etapa inicial o jogo foi muito movimentado, com o Campinense dominando a partida, indo ao ataque inúmeras vezes. Faltava o ataque rubronegro acertar o último chute e o Coruripe-AL apenas se defendia. Sem a rede balançar, o primeiro tempo se encerrou com a torcida empolgada e empurrando o time.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Na etapa complementar o Campinense voltou da mesma forma agressiva, buscando sempre o ataque e levando perigo à meta do time alagoano. Até que aos 21 minutos, o jogador Gustavo, da equipe do Campinense, fez falta dentro da área e o juiz marcou pênalti contra a Raposa. Na cobrança de Aurélio, o Coruripe-AL abriu o placar.

Após o gol, o Campinense tentou se estabilizar, partindo para o ataque. Até que aos 37 minutos veio o balde de água fria. Mais um pênalti para o time alagoano. João Paulo fez a cobrança e marcou o segundo gol da partida. Fim de jogo 2 a 0 para o Coruripe-AL.

Com o resultado a Raposa precisa vencer o líder Jacuipense-BA, na próxima rodada, para continuar sonhando com a classificação para a próxima fase.

 

portalcorreio

Inter fura bloqueio do Atlético-MG e complica Alvinegro na luta pelo título

Desfalques de um lado e do outro, e curiosamente levou a melhor o time com menos titulares em campo. Sem sete de seus principais jogadores, o Inter fez valer o fator campo, segurou o ímpeto do Atlético-MG, que não pôde escalar cinco de seus atletas, e saiu do Beira-Rio com uma vitória por 3 a 0 na noite desta quarta-feira Jackson e Fred construíram a vantagem ainda na etapa inicial, e Cassiano fechou o placar no segundo tempo. Jô ainda perdeu a chance de diminuir para os mineiros ao desperdiçar um pênalti no fim.

Com o resultado, o Inter permanece na sexta posição, com 45 pontos. No entanto, beneficido pela derrota do Vasco para o São Paulo, viu a distância para o G-4 diminuir para cinco. O Atlético-MG, com 56, agora está a nove do líder o Fluminense e ainda pode perder a vice-liderança para o Grêmio. O Tricolor gaúcho pode chegar aos mesmo 56 pontos caso derrote o Sport nesta quinta, às 21h, na Ilha do Retiro, mas levaria vantagem no número de vitórias (ambos têm 16).

Na próxima rodada, os gaúchos enfrentam o Atlético-GO no sábado, às 18h30, no Serra Dourada. O Galo recebe no domingo, às 16h, o Sport no Independência.

Inter se impõe, mas Giovanni salva o Atlético-MG

Com a necessidade de vencer para seguir com possibilidades de lutar pelo G-4, o Inter começou com o intuito de amassar o Atlético-MG. Aos 55 segundos, Fred fez fila na esquerda, mas errou o cruzamento. Dois minutos depois, o time gaúcho avançou pela direita. Nei tentou encontrar Rafael Moura. Antes do centroavante colorado, Rafael Marques afastou de cabeça.

Jackson marca na vitória do Inter sobre o Atlético-MG (Foto: Alexandre Lops / Inter, DVG)Jackson marcou o primeiro gol da vitória do Inter sobre o Atlético-MG (Foto: Alexandre Lops / Inter, DVG)

O Galo não se assustou com o ímpeto inicial e foi para frente. Serginho arrancou pela direita e cruzou. Ygor impediu que a bola chegasse a Jô. Os mineiros pediram mão do colorado, mas o árbitro André Luiz de Freitas Castro mandou a partida seguir. No contra-ataque, o Inter ficou perto de abrir o placar. Nei cruzou na área sem perigo, mas o goleiro visitante quase colocou a bola para dentro do seu gol. Os gaúchos seguiam melhores em campo. Trocavam passes no campo de ataque e tentavam furar o bloqueio do Atlético-MG, que só esperava um erro para tentar sair em velocidade. E, aos 15 minutos, esteve próximo de marcar. Bernard recebeu passe na grande área de Guilherme. O meia tentou encobrir Muriel, que segurou firme.

O desempenho do Galo não animava Cuca, que buscava incentivar o seu time. O técnico gritava a todo instante, gesticulava, roía as unhas e fazia caretas. Em contrapartida, Fernandão mantinha mais serenidade, com a mão no queixo, aprovando a atuação.

Aos 23, Giovanni salvou o Atlético-MG. Dátolo iniciou jogada pela direita. O argentino tocou para Josimar, que encontrou Cassiano. O atacante cruzou na cabeça de Rafael Moura, que buscou o canto esquerdo do goleiro adversário, que fez grande defesa. Seis minutos depois, Giovanni voltou a evitar o gol colorado. Josimar aproveitou a sobra na entrada da área e mandou a bomba, obrigando o arqueiro visitante a espalmar. O Galo, entretanto, nas poucas oportunidades que tinha, mostrava a razão de estar na luta pelo título. Aos 32 minutos, Escudero passou por Muriel e tentou marcar, mas o camisa 1 colorado encostou com o pé e evitou o perigo.

O final do primeiro tempo foi uma síntese do seu início. O Inter com maior posse de bola e com muita vontade, mas sem efetividade. Enquanto isso, a equipe de Cuca aguardava e buscava surpreender na base da velocidade.

Colorado aproveita as chances e faz a vitória no segundo tempo

Sem conseguir marcar na primeira etapa, o Inter voltou ao segundo tempo modificado. Fernandão sacou Dátolo e colocou Lucas Lima. Todavia, foi o Galo quem teve a primeira chance de gol. Escudero virou a bola para Marcos Rocha, que cruzou rasteiro, mas nenhum jogador mineiro colocou o pé para empurrar para as redes.

O lance não assustou o Colorado, que foi para frente. A equipe trocava passes no campo de ataque, mas não conseguia penetrar na área mineira. Com a dificuldade de entrar, o jeito foi arriscar de fora. Aos 10 minutos, Josimar arrematou forte da entra da área. Novamente, Giovanni salvou. Quatro minutos depois, Bolatti saiu com a bola dominada e tocou para Rafael Moura. O He-Man mandou a bomba, mas a zaga afastou.

Pouco acionado na partida, Guilherme deixou o gramado aos 15 minutos para a entrada de Carlos César. Três minutos depois, Fernandão chamou Dagoberto, que substituiu Rafael Moura. E, sem o centroavante, um zagueiro mostrou qualidade para vencer a marcação mineira. Aos 21, após cobrança de escanteio, a bola sobrou para Jackson. Com tranquilidade, ele driblou o defensor visitante e chutou no canto de Giovanni, que nada pôde fazer.

O Galo não se abalou. Dois minutos depois, Fellipe Souto cobrou falta na cabeça de Jô, que obrigou Muriel a realizar grande defesa, mas já havia sido marcado impedimento. Aos 26, Júnior César cruzou na cabeça de Carlos César, que mandou para fora.

O jogo ficou aberto e, três minutos depois, o Inter teve a oportunidade de garantir a vitória. Josimar fez lançamento na medida para Cassiano, que apareceu livre dentro da área. O atacante desviou de Giovanni, mas acertou a trave. Se o camisa 34 desperdiçou, Fred não perdoou. Dagoberto aparou cruzamento da direita e o garoto dominou e marcou um golaço.

O Inter ainda teve tempo para anotar mais um. Aos 41, Dagoberto cruzou para Cassiano que, de cabeça, marcou o seu terceiro no Brasileirão. O Atlético-MG poderia ter diminuído aos 43, quando teve um pênalti a seu favor cometido por Nei. Jô, ex-colorado, entretanto, errou a cobrança com uma defesa com o pé de Muriel, que deu a alegria aos gaúchos, vermelhos e azuis.

Globoesporte.com