Arquivo da tag: como

Bolsa Família é bloqueado para mais de 14 mil famílias da PB; veja como resolver

bolsa familiaO governo federal suspendeu o benefício de 14.067 famílias paraibanas por falta de atualização cadastral no programa Bolsa Família. Em João Pessoa, são 2.880 benefícios bloqueados. Outras cidades como São José do Sabugi, no Sertão paraibano, que está com 90% dos cadastros desatualizados, e Massaranduba e Cabaceiras, no Cariri do estado, que contabilizam 77% das famílias na mesma situação, também constam com benefícios bloqueados.

A revisão cadastral começou no mês de maio de 2014 e terminou em 16 de janeiro deste ano. Confira a relação completa das cidades com benefícios bloqueados.

As famílias que estão com o benefício bloqueado devem comparecer aos Centros de Referência da Assistência Social (Cras) ou as prefeituras locais para regularizarem a situação, podendo voltar a receber o benefício a partir do dia 20 de março.

“As famílias que fizerem a atualização até 20 de março poderão voltar a receber o Bolsa Família, desde que continuem com perfil para o programa”, destaca a coordenadora-geral de administração de benefícios do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Caroline Paranayba.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Para a atualização cadastral, os titulares do cartão Bolsa Família devem levar o CPF ou título de eleitor. Responsáveis por famílias indígenas devem apresentar qualquer outro documento de identificação de validade nacional.

Caso o cadastro vá ser atualizado por outro membro da famílias, o responsável deve levar, pelo menos, Certidão de Nascimento, Certidão de Casamento, Certidão Administrativa de Nascimento do Indígena (Rani), CPF, Carteira de Identidade; Carteira de Trabalho e Previdência Social ou Título de Eleitor.

Em fevereiro, o benefício será pago para mais de 525,4 mil famílias, que vão receber pouco mais de R$ 93,6 milhões.

 

Portal Correio

Dor de garganta: confira principais inflamações e como curá-las

200285275-001O que é: inflamação na faringe – parede localizada no final da boca. Normalmente é provocada por vírus e pode evoluir para uma amigdalite bacteriana. Sinusite e refluxo são outros culpados pela inflamação.

Sintomas: dor para engolir, falar e bocejar, e mal-estar; vermelhidão na parede no fundo da boca e furinhos vermelhos chamados aftas. Quando é infecção bacteriana, há também formação de placas de pus.
Tratamento: com analgésico e antitérmico (dipirona ou paracetamol). Se não houver melhora após um dia tomando o medicamento, procure um médico, pois a infecção pode ser bacteriana e você precisará de antibiótico.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Amigdalite

O que é: inflamação nas amígdalas – tecidos arredondados que ficam um de cada lado na parede lateral da garganta; o mais comum é acontecer uma infecção viral, mas infecções por bactéria também são frequentes.

Sintomas: dor intensa, principalmente para engolir, febre, mal-estar e indisposição. Se as amígdalas estiverem inchadas e a região bem vermelha, a infecção é viral, e pequenas feridas vermelhas podem aparecer. Quando houver placas de pus, uma bactéria foi a causadora da infecção.
Tratamento: se parecer viral, siga as mesmas indicações dadas para faringite. Mas se você enxergar pus, procure o médico imediatamente.

Laringite

O que é: pode ser confundida com faringite, mas a infecção acontece na laringe e frequentemente é provocada por vírus. A laringe fica mais abaixo no pescoço, na região do pomo de Adão, onde a voz é produzida – não é possível vê-la sem ajuda de aparelhos médicos.

Sintomas: primeiro, aparece dor local na região da laringe. Em seguida, vem a rouquidão e, por último, surge uma tosse seca e irritativa.
Tratamento: siga o mesmo indicado para faringite. E caso a rouquidão dure por mais de uma semana, vá o médico – ainda mais se você beber e fumar muito. Esse ato pode diagnosticar ou prevenir câncer na laringe!

Diga ah!

Abra a boca e veja onde dói. Se consegue enxergar a região, é mesmo uma dor de garganta


Tire suas dúvidas sobre as inflamações

Há prevenção para a dor de garganta?

Sim. “O principal é não respirar pela boca, o que resseca a mucosa e facilita o alojamento de bactérias”, diz o otorrinolaringologista Fernando Pochini. Além disso, coma bem e evite entrar em contato com fatores que desencadeiem reações alérgicas em você.
O que é irritação na garganta?

É uma inflamação, normalmente causada por refluxo, nariz entupido ou poeira que entrou na garganta. Os sintomas são coceira, secura e sensação de que algo arranha. Para não virar infecção, desobstrua o nariz, lave-o com soro fisiológico e beba bastante água.
Qual a duração de cada caso infeccioso?

Quando é viral, permanece entre três e quatro dias. Já a infecção bacteriana dura mais – e é o uso de antibiótico que diminui o ciclo.
Posso usar pastilhas?

A maioria das pastilhas tem anestésico na fórmula, o que ameniza a dor. Entretanto, “ela não mata o vírus ou a bactéria. Portanto, o melhor é tratar com medicamentos”, explica o otorrinolaringologista Ronaldo Frizzarini.
Quando é preciso retirar as amígdalas?

Quando se tem de cinco a sete infecções bacterianas em um ano. Outro motivo acontece quando o pus formado na amigdalite fica represado na amígdala, permitindo que as bactérias se desenvolvam. “Vale lembrar que quem retira amígdala não está livre de ter faringite”, diz Ronaldo Frizzarini.

Mitos e verdades sobre a dor de garganta

 

Ela pode evoluir para conjuntivite?

Verdade. Os micro-organismos que atacam a faringe não têm preconceito: eles afetam qualquer mucosa, inclusive a dos olhos. Por isso, quando estiver doente, não ponha as mãos na boca e, depois, perto das pálpebras.
Tomar sorvete causa dor?

Mito. No máximo, alimentos e bebidas geladas constringem os vasos, dificultando a chegada de células de defesa. Isso, todavia, não gera irritação por si só.
Beber água ajuda a prevenir e a tratar o desconforto?

Verdade. O tal muco é composto de 95% de H20. Na falta de líquido, essa barreira natural se torna espessa e, portanto, menos eficaz. Está aí outro argumento para não ficar com sede.
Gargarejo com água morna, sal e vinagre combate os micro-organismos?

Mito. Misturas como essa alteram o pH da garganta. Como é sensível à acidez, ela pode até se irritar com o enxágue, o que só serve para piorar a infecção.
Sair de um ambiente quente para outro frio e seco sem se agasalhar gera mais dor?

Verdade. Essa troca resseca o muco protetor. Desidratado, ele não intercepta as partículas nocivas, que passam a agredir o local. Um casaco atenua a mudança brusca de clima.
Dor de garganta não é contagiosa?

Mito. Como geralmente decorre de vírus ou bactéris, que transitam de uma pessoa a outra pelo ar ou por um aperto de mãos, ela pode passar, sim.

Receitas caseiras para se livrar da dor de garganta

 

Maçã com mel

Quem está com a garganta inflamada deve evitar consumir líquidos gelados ou muito quentes, pois as temperaturas extremas causam irritação instantânea e pioram o incômodo. Para aliviar a dor, fatie uma maçã, cubra com mel e deixe descansando por três minutos. A fruta reduz a inflamação local enquanto o mel tem ação lubrificante e calmante. Coma cerca de duas unidades por dia.
Gengibre

Trata gripe, dor de garganta e má digestão. Ajuda a aliviar amigdalite, gripes, resfriados, gases, cólicas e dores musculares. Deve ser preparado como chá por infusão. Beba de manhã, à tarde e à noite Atenção: não é indicado para mulheres com menos de três meses de gravidez.
Limão

Faça gargarejo várias vezes ao dia com água morna, suco de limão e uma pitada de sal.

MDMulher

Aprovada PEC que obriga nomeação de servidor como procurador-geral

Assembleia-LegislativaAssembleia Legislativa da Paraíba aprovou, em segundo turno, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que modifica as regras para nomeação do procurador-geral do Estado. De autoria do deputado estadual Raniery Paulino (PMDB), a medida obriga o governador do estado a nomear um servidor de carreira para o cargo.

A proposta passou com uma ampla maioria de votos favoráveis, foram 26 pela aprovação e cinco contra. O deputado Raniery Paulino justificou a medida com o argumento de que era preciso adequar a Constituição da Paraíba com a legislação vigente, e consolidada, em outros estados brasileiros.

Segundo Raniery, a PEC 17/2013, que altera o artigo 138, tem também a intenção de evitar conflitos de interesses , pois com ela, advogados estranhos ao serviço público, que podem inclusive ter causas contra o Estado, não poderão mais atuar como procurador-geral.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O procurador-geral do Estado, Gilberto Carneiro, foi procurado pela reportagem, mas não atendeu as ligações telefônicas. Quando a matéria foi apresentada, em 2013, ele disse que há alguns anos havia sido apresentada iniciativa parecida e que já existe um precedente no Tribunal de Justiça da Paraíba contra a medida. Carneiro ressaltou que o cargo de procurador é de livre provimento e a mudança na forma da escolha seria um retrocesso.

Matérias tributárias e tramitação de MPs

A Assembleia Legislativa aprovou outras duas PECs de autoria de Raniery Paulino. A 14/2013 modifica o artigo 63 da Constituição, assegurando o direito também ao Poder Legislativo de apresentar matérias no campo tributário. O placar foi de 24 votos favoráveis contra sete.

“É uma forma de valorizar o Poder Legislativo estadual, nos garantindo esse direito. Isso não mudará a metodologia utilizada pela Casa de Epitácio Pessoa, mas nos repassará também a competência de propor matérias nesta seara, assim também como o Poder Executivo”, explicou Raniery.

Os deputados ainda aprovaram a PEC 18/2013, pelo placar de 23 contra oito. A proposta altera o artigo 4º da Constituição Estadual e estabelece o prazo de vigência de 60 dias das Medidas Provisórias (MP), contados a partir de sua publicação. De acordo com a proposta, a validade pode ser prorrogado uma única vez por igual período.

 

Léa Toscano desiste da reeleição e lança a filha Camila como pré-candidata a deputada estadual

A ex-prefeita de Guarabira e atual deputada estadual pelo PSB, Léa Toscano, anunciou na tarde desta segunda-feira (09), a retirada da sua pré-candidatura à reeleição e confirmou o que já vinha sendo cogitado na política paraibana. Camila Toscano, filha da deputada e do prefeito de Guarabira Zenóbio Toscano, é pré-candidata a deputada estadual, em substituição à sua mãe. O anúncio foi feito durante entrevista concedida na Rádio Constelação FM de Guarabira.Camila Toscano e Pedro Cunha Lima

Camila Toscano e Pedro Cunha Lima

Camila fará uma dobradinha com o filho do senador Cássio, Pedro Cunha Lima, pré-candidato a deputado federal pelo PSDB, que esteve acompanhando pessoalmente a entrevista da ex-prefeita Léa.

Zenóbio e Léa Toscano
Zenóbio e Léa Toscano

A advogada Camila Toscano, vem de uma família tradicional na política da paraíba e principalmente do Brejo. O seu pai Zenóbio Toscano governa a Rainha do Brejo em seu segundo mandato, tendo se destacado como um dos maiores administradores da terra das garças azuis. Ele também foi deputado estadual por cinco mandatos, além de assumir a Secretaria de Infra-estrutura do Estado e a PBGás. Já a sua mãe, Léa Toscano, além de ser eleita deputada estadual nas últimas eleições estaduais, também já teve a oportunidade de governar Guarabira por dois mandatos consecutivos.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Léa foi eleita deputada pelo PSB, dando sustentação ao governo de Ricardo Coutinho, na Assembléia Legislativa, mas depois do rompimento entre Ricardo e Cássio, ela achou por bem acompanhar a decisão do seu esposo Zenóbio em apoiar a pré-candidatura do tucano ao governo da Paraíba, deixando assim a base aliada do governador.

 

por Juka Martins

RC diz que não tem como demitir servidores e avisa que vai recorrer para manter codificados

ricardo-coutinhoO governador  Ricardo Coutinho disse nesta sexta-feira (30) que vai recorrer à Justiça para não demitir os mais de 7 mil codificados na área da saúde. A deterninação partiu do Tribunal de Contas do Estado ao negar um recurso de apelação do governo do Estado.

O TCE deu prazo de 120 dias para o restabelecimento da legalidade, através da admissão de pessoal pela regra do concurso público, e por excepcional interesse público nas hipóteses previstas em lei. Além disso, foi fixado prazo de 30 dias para o secretário de Estado da Saúde, Waldson de Souza, disponibilizar no Sagres a relação dos servidores ‘codificados’ ou sem vínculo.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Com isso, será possível para o tribunal, inclusive, verificar se esses servidores estão relacionados na despesade pessoal para fins de contabilização para o limite previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal de despesas com folha de pessoal.

O governador Ricardo Coutinho disse que sem os codificados o Estado não tem como manter aberto os hospitais. “Respeito a posição do Tribunal de Contas, mas dentro do estado democrático de direito nós temos a condição de recorrer ao Poder Judiciário para manter os empregos e manter o funcionamento dos hospitais”.


pbagora com JP Online

Jardineiro revela ter sido usado como ‘laranja’ de deputado

franciscoO jardineiro Francisco Félix de Sousa procurou a imprensa de Sousa para denunciar que teria sido usado como “laranja” do deputado Lindolfo Pires Neto (DEM) e que vem sofrendo com constantes cobranças da Receita Federal para que atualize um débito junto ao órgão.

Tico Félix, como é conhecido em Sousa, revelou ao programa Cidade Notícia (Rádio Líder FM) que desde 2009 ‘empresta’ o nome para que o deputado pague o seu salário e de outras pessoas da sua base política na cidade. Ele disse que recentemente, ao tentar fazer acordo trabalhista, foi demitido da fazenda dos pais do deputado no sítio Matumbo. “Sequer recebi meu salário. Dona Fátima Pires (mãe do deputado) só meu deu R$ 100,00 porque minha mãe implorou”. Contou.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O denunciante tem em mãos as declarações de Imposto de Renda desde 2009 nas quais aparecem recebimentos da ordem de R$ 37 mil a até R$ 75 mil por ano. Tico Félix adiantou ainda que – mesmo sem carteira assinada – recebia o salário como jardineiro da fazenda da família Pires das mãos do senhor Armando Mariz, assessor do deputado.
Ainda de acordo com a denúncia, os pagamentos eram feitos com recursos públicos, destinados pela Assembléia Legislativa que também favorecia outras pessoas na cidade, a exemplo de funcionários de uma emissora de rádio pertencente a Lindolfo Pires. Sobre uma empresa em seu nome, Tico disse desconhecer, mas se lembra de que certa vez esteve em um cartório da cidade acompanhado do assessor do parlamentar, onde assinou alguns documentos.
O outro lado – A reportagem procurou a assessoria do deputado. O senhor Armando Mariz informou que não há nada o que se pronunciar sobre o caso, apenas que se trata de uma briga pessoal do jardineiro com a senhora Zilda Pires e que nos últimos dias Tico Félix tem perdido o controle emocional a ponto de atacar o parlamentar Lindolfo Pires e a sua família.
Cidade Notícia/Parlamentopb

 

CFO dos Bombeiros 2015 vai usar nota do Enem 2014 como avaliação do exame intelectual

bombeirosO concurso público para o Curso de Formação de Oficiais Bombeiros Militares da Paraíba – CF0 BM/2015 utilizará como avaliação do Exame Intelectual as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2014. Quem tiver interesse em concorrer a uma das vagas tem até a sexta-feira (23) para se inscrever no Enem 2014.

Portaria que trata sobre o assunto foi assinada pelo comandante geral do Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba, coronel Jair Carneiro, e está publicada no site.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Os candidatos interessados deverão tomar conhecimento dos requisitos de ingresso nas corporações militares publicados na Lei Estadual nº 7.605/2004.

Mais informações através dos telefones (83) 3218 5732 e 3218 5745

 

portal correio

Justiça Federal define que cultos afro-brasileiros, como a umbanda e candomblé, não são religião

candombleA Justiça Federal no Rio de Janeiro emitiu uma sentença na qual considera que os cultos afro-brasileiros não constituem religião e que “manifestações religiosas não contêm traços necessários de uma religião”.

A definição aconteceu em resposta a uma ação do Ministério Público Federal (MPF) que pedia a retirada de vídeos de cultos evangélicos que foram considerados intolerantes e discriminatórios contra as práticas religiosas de matriz africana do YouTube.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O juiz responsável entendeu que, para uma crença ser considerada religião, é preciso seguir um texto base – como a Bíblia Sagrada, Torá, ou o Alcorão, por exemplo – e ter uma estrutura hierárquica, além de um deus a ser venerado.

A ação do MPF visava a retirada dos vídeos por considerar que o material continha apologia, incitação, disseminação de discursos de ódio, preconceito, intolerância e discriminação contra os praticantes de umbanda, candomblé e outras religiões afro-brasileiras. “Para se ter uma ideia dos conteúdos, em um dos vídeos, um pastor diz aos presentes que eles podem fechar os terreiros de macumba do bairro”, disse o procurador regional dos Direitos do Cidadão, Jaime Mitropoulos.

De acordo com o site Justiça em Foco, o MPF vai recorrer da decisão em primeira instância da Justiça Federal para continuar tentando remover os vídeos da plataforma de streaming do Google.

“A decisão causa perplexidade, pois ao invés de conceder a tutela jurisdicional pretendida, optou-se pela definição do que seria religião, negando os diversos diplomas internacionais que tratam da matéria (Pacto Internacional Sobre os Direitos Civis e Políticos, Pacto de São José da Costa Rica, etc.), a Constituição Federal, bem como a Lei 12.288/10. Além disso, o ato nega a história e os fatos sociais acerca da existência das religiões e das perseguições que elas sofreram ao longo da história, desconsiderando por completo a noção de que as religiões de matizes africanas estão ancoradas nos princípios da oralidade, temporalidade, senioridade, na ancestralidade, não necessitando de um texto básico para defini-las”, argumentou Mitropoulos.

Geledes

Sargento flagrado como cambista é afastado do Corpo de Bombeiros

sargentoO sargento Rogério Cruz, flagrado pela reportagem do Fantástico vendendo ingressos para jogos da Copa do Mundo em um quartel, foi afastado do Corpo de Bombeiros nesta segunda-feira. A corporação informou ainda que abriu um inquérito policial militar para apurar o caso e, ao término do processo, ele poderá ser expulso.

O processo será remetido agora à Promotoria Pública por crime militar e à Central de Inquéritos por crime comum. Lá, o caso será analisado para uma possível denúncia que, se confirmada, resultará nas sanções previstas.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Além de comunicar o afastamento do sargento e as possíveis penas que ele pode sofrer, a corporação emitiu uma nota sobre o caso.

“O Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro repudia esse comportamento, que não é compatível com as diretrizes da instituição. O militar foi afastado de suas funções e permanece à disposição da corporação, podendo ser expulso ao término do processo”.

Durante a reportagem, que foi ao ar neste domingo e levou três semanas de investigação, Rogério deu a entender que participava de um esquema e afirmou ter quase R$ 250 mil em ingressos. Além disso, ele pedia R$ 9 mil pelas entradas para a final da competição (veja mais detalhes no vídeo acima).

Além das sanções previstas pela corporação, o Estatuto do Torcedor proíbe a venda de um ingresso por preço superior ao indicado no bilhete. A pena prevista é de até quatro anos de cadeia.

 

Por 

Anvisa divulga orientação sobre como importar remédio feito a partir de substância da maconha

anvisaAnvisa publicou nesta segunda-feira orientações gerais de como solicitar a autorização de importação de medicamentos controlados sem registro no país para uso pessoal, como medicamentos à base de canabidiol, usados em tratamentos de doenças crônicas graves, como epilepsia.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“As substâncias de controle especial no Brasil, listadas no Anexo I da Portaria 344/98, cuja última atualização está na RDC 06/2014, tem propriedade psicotrópicas, entorpecentes, teratogênicas e em alguns casos são controladas internacionalmente. Por isso a autorização da Anvisa é fundamental para que o medicamento entre no país. Em situações específicas é um requisito também para que a carga seja liberada pela autoridade sanitária no país de origem. As orientações estão no portal da Anvisa, na página do Cidadão, item “Importação para Pessoa Física”

A Anvisa frisa ainda como a legislação brasileira trata o tema:

“De acordo com a Lei 11.343/06, Lei Antidrogas, e o Decreto 5.912/06, que regulamenta a lei, é possível que os casos de utilidade para a saúde sejam autorizados pelas autoridades competentes.

O artigo 2° da Lei diz que “Ficam proibidas, em todo o território nacional, as drogas, bem como o plantio, a cultura, a colheita e a exploração de vegetais e substratos dos quais possam ser extraídas ou produzidas drogas, ressalvada a hipótese de autorização legal ou regulamentar, bem como o que estabelece a Convenção de Viena, das Nações Unidas, sobre Substâncias Psicotrópicas, de 1971, a respeito de plantas de uso estritamente ritualístico-religioso. Parágrafo único. Pode a União autorizar o plantio, a cultura e a colheita dos vegetais referidos no caput deste artigo, exclusivamente para fins medicinais ou científicos, em local e prazo predeterminados, mediante fiscalização, respeitadas as ressalvas supramencionadas.”

Já o artigo 31 traz que “É indispensável a licença prévia da autoridade competente para produzir, extrair, fabricar, transformar, preparar, possuir, manter em depósito, importar, exportar, reexportar, remeter, transportar, expor, oferecer, vender, comprar, trocar, ceder ou adquirir, para qualquer fim, drogas ou matéria-prima destinada à sua preparação, observadas as demais exigências legais.”

Além disto, o Decreto 5.912/06, em seu Artigo 14º, parágrafo único, diz que a “Pode a União autorizar o plantio, a cultura e a colheita dos vegetais referidos no caput deste artigo, exclusivamente para fins medicinais ou científicos, em local e prazo predeterminados, mediante fiscalização, respeitadas as ressalvas supramencionadas.

c) autorizar o plantio, a cultura e a colheita dos vegetais dos quais possam ser extraídas ou produzidas drogas, exclusivamente para fins medicinais ou científicos, em local e prazo predeterminados, mediante fiscalização, ressalvadas as hipóteses de autorização legal ou regulamentar.

d) assegurar a emissão da indispensável licença prévia, pela autoridade sanitária competente, para produzir, extrair, fabricar, transformar, preparar, possuir, manter em depósito, importar, exportar, reexportar, remeter, transportar, expor, oferecer, vender, comprar, trocar, ceder ou adquirir, para qualquer fim, drogas ou matéria-prima destinada à sua preparação, observadas as demais exigências legais;”.

O Globo