Arquivo da tag: comércio

Secretário prega cautela em flexibilização e cita cidades com explosão de casos após reabertura do comércio

O secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, comentou neste sábado o processo de flexibilização do isolamento social na Paraíba, que já está na sua segunda etapa, segundo calendário programado pelo Governo do Estado.

À rádio Educativa, de Sousa, ele pontuou que não é possível fazer uma flexibilização ‘atabalhoada’ e citou exemplos de cidades que voltaram atrás na reabertura do comércio após explosão de casos e mortes por Covid-19.

“Estamos iniciando na Paraíba um processo lento e gradual e não há espaço para atropelamento e flexibilização atabalhoada. Vocês estão vendo os exemplos de Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, interior de São Paulo e Rio Grande do Sul, em que as pessoas abriram rapidamente comércio, bares e restaurantes, produziram aglomerações e estão tendo avalanche de casos novos e mortes”, disse

Ele lembrou que os resultados dos esforços da Secretaria de Saúde colocaram a Paraíba com bons índices no combate à doença causada pelo novo Coronavírus.

“Todo esse controle, cautela e cuidado que a Secretaria de Saúde da Paraíba tem tido ao longo desses 100 dias é com objetivo de preservar a vida dos paraibanos. Por isso, a Paraíba hoje é o estado do Nordeste com menor ocupação de leitos, menor taxa de letalidade e um dos estados com maior testagem”, declarou.

 

Prefeitura de Araruna publica novo decreto e flexibiliza a reabertura de alguns setores do comércio

O Prefeito Vital Costa assinou um novo decreto nessa quarta-feira, 01 de julho, visando combater a pandemia da Covid 19 e também flexibilizando a reabertura de alguns setores do comércio, com intuito de que a cidade retome progressivamente as suas atividades cotidianas, dentro do conceito denominado “Novo Normal”, porém seguindo rigorosamente as regras dos órgãos de saúde no combate ao novo coronavírus. A validade do decreto de número 023 é até 15 de julho de 2020.

As aulas da Rede Municipal de Ensino e das Instituições Privadas continuam suspensas. Por enquanto, fica proibido o funcionamento de academias de ginásticas e as feiras livres, bem como aglomerações de vias públicas e praças. Mantem-se obrigatório o uso de máscaras por parte da população, em logradouros públicos e privados. Por sua vez, bares, restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos congêneres poderão funcionar exclusivamente para entrega em domicílio (delivery), inclusive por aplicativos, e como pontos de coleta pelos próprios clientes (takeaway).

Está permitido o funcionamento do comércio em geral, com a necessidade de atendimento das medidas estabelecidas nos decretos anteriores, ficando a Vigilância Sanitária incumbida da fiscalização nos estabelecimentos. O descumprimento das determinações estabelecidas no presente decreto, acarretará ao infrator pessoa física a aplicação de multa no valor de R$ 150,00 e à pessoa jurídica o valor de R$ 300,00.

Fica também autorizado o funcionamento de templos religiosos e respectivos cultos/celebrações, no limite de até 30% da capacidade de cada templo, bem como o funcionamento dos Salões de beleza e barbearias, através de atendimento por agendamento, devendo os proprietários atender um único cliente por vez.

BARREIRAS SANITÁRIAS

A ação de combate relativa às barreiras sanitárias, fica substituída por Equipes móveis que atuarão em pontos diversos do município, realizando a entrega de máscaras, aferição de temperatura e orientações diversas, inclusive com a competência de encaminhar casos suspeitos as unidades de saúde.

Confira aqui o decreto de nº 023/2020.


 

ASCOM PMA

 

 

Pesquisa da Consult constata que 63,5% dos paraibanos querem o retorno do comércio

Uma pesquisa realizada pelo Instituo Consult, em parceria com o Sistema Arapuan de Comunicação, mostra que 63,5% das pessoas entrevistas na Paraíba querem que o Governo do Estado libere a retomada do comércio em algumas atividades não essenciais.

Na mesma pesquisa 31,5% dos entrevistados não concordam com a flexibilização das atividades comerciais no Estado e 1% não tem opinião formada sobre o assunto.

A pesquisa foi realizada com 2000 entrevistados entre o dia 18/06 e 22/06 em sete regiões da Paraíba. O resultado está sujeito a uma margem de erro máximo permissível de 2,0%, com confiabilidade de 95%.

 

paraiba.com.br

 

 

Retomada do comércio em Cabedelo inclui reabertura de lojas, bares, restaurantes, salões de beleza e academias a partir de segunda-feira

O prefeito de Cabedelo, Vitor Hugo, anunciou a reabertura do comércio e serviços marcada para segunda-feira (29). O município terá reabertura de lojas de comércio varejista e atacadista, bares e restaurantes, academias e salões de beleza.

Segundo o prefeito, essa retomada ocorre “mediante a todo protocolo de segurança que está disponível no site da Prefeitura de Cabedelo”. “Cabedelo vive esse novo normal mediante a números de estabilização da doença. Chegamos no platô. Cabedelo começa a sua curva de descendência. Há mais de 15 dias, não tivemos nenhum óbito na nossa cidade. E o número de recuperados passou dos 80%. Então Cabedelo, a partir de segunda-feira, começa a viver o seu novo normal.”

Poderão funcionar, a partir do dia 29 de junho, os seguintes segmentos e com as seguintes condições:

– comércio de varejo com 50% da capacidade de funcionamento;

– comércio atacadista com 70% da capacidade de funcionamento;

– construção civil com 100% da capacidade de funcionamento;

– bares e restaurantes com 30% da capacidade de funcionamento;

– academias e salões de beleza somente com horário marcado.

clickpb

Transporte público e profissionais liberais voltam às atividades, mas comércio em shoppings continuam fechados em JP

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), declarou na manhã desta sexta-feira (26), que o combate à covid-19 na Capital paraibana é o maior desafio do poder público nos últimos 100 anos.

O gestor apresentou a segunda fase do Plano Estratégico de Flexibilização das atividades econômicas da Capital.

Entre as medidas anunciadas, está o retorno do transporte público, testagem em massa nos terminais de integração, liberação das atividades para alguns profissionais liberais, além da abertura das lojas de material de construção para atendimento presencial, à partir de 6 de julho.

“Esse sem dúvida é o maior desafio dos últimos 100 anos. Não são decisões fáceis e simples, mas temos parâmetros que vêm norteando toda nossa ação planejada. Quero deixar claro que a nossa decisão fundamental é salvar vidas humanas, essa é nossa prioridade e tenho essa responsabilidade enquanto prefeito de João Pessoa. Chego hoje com alegria e satisfação pois como eu disse anteriormente esse plano não é uma camisa de forças, poderíamos chegar hoje 15 dias depois mantendo o que já estava, ou retrocedendo ou avançando e vamos avançar. Quero agradecer à população que tem entendido a necessidade de continuar ficando em casa” disse.

O número de óbitos, a diminuição da taxa de ocupação em leitos de Unidade de Terapia Intensiva e da pressão hospitalar, principalmente nas UPAS foram fatores apontados como preponderantes para a retomada.

Confira algumas mudanças:

– Retorno do transporte coletivo
– Retorno das atividades para profissionais liberais (contadores, corretores, advogados)
– Retorno das atividades para atletas profissionais, incluindo os clubes da Capital
– Retorno das lojas de material de construção, saindo de delivery para atendimento presencial respeitando os protocolos de medidas sanitárias.

PB Agora

 

 

Bananeiras, Casserengue e Solânea estão na bandeira laranja de funcionamento do comércio; entenda

O Governo do Estado divulgou neste sábado (13) as bandeiras do plano ‘Novo Normal Paraíba’, que estabelecem a matriz de orientação para a retomada gradual das atividades em todo o Estado a partir desta segunda-feira (15). O sistema também será capaz de subsidiar os gestores municipais na tomada de decisões acertadas e seguras para a população dos 223 municípios da Paraíba. Bananeiras, Casserengue e Solânea ficaram na bandeira laranja.

Veja aqui a classificação dos municípios em ordem alfabética.

De acordo com os dados já disponíveis no site do novo Coronavírus (paraiba.pb.gov.br/coronavirus), 126 municípios (56% do total) estão enquadrados na bandeira laranja; 82 (37%) na bandeira amarela; 14 (6%) na bandeira vermelha; e um (1%) na bandeira verde.

Nos municípios sinalizados com bandeira laranja e vermelha, poderão funcionar atividades essenciais, como agropecuária; cadeia produtiva e atividades acessórias essenciais; bancos, casas lotéricas, correspondentes bancários e seguradoras; empresas de telecomunicação, comunicação e imprensa; distribuidoras e geradoras energia, atividades de extração, produção, siderúrgica e afins; transporte, armazenagem, empresas de logística, Correios e manutenção de veículos automotores; supermercados e afins; serviços de Saúde; tratamento de água e esgoto e coleta de resíduos; administração pública (observada a adoção regimes home office), além dos já sinalizados com adequações para funcionamento.

Nos municípios com bandeira amarela, funcionam os já autorizados nas bandeiras vermelha e laranja, além de hotéis, pousadas e afins; comércio; shoppings centers; comércio popular (camelôs) e serviços em geral; escolinhas de esporte sem contato físico (natação e tênis, por exemplo).

Todos os segmentos da economia e da sociedade podem retomar suas atividades nos municípios que se encontram na bandeira verde, observando a adoção de protocolos operacionais para funcionamento das diversas atividades, que terão como foco a proteção do indivíduo, que deve passar a viver o ‘novo normal’, fazendo escolhas e evitando o contato entre pessoas; ambientes fechados e confinados e aglomerações, mesmo ao ar livre.

Será liberado para o funcionamento, em qualquer bandeira, salões de beleza e barbearias, atendendo exclusivamente por agendamento prévio e sem aglomeração de pessoas nas suas dependências e observando todas as normas de distanciamento social; shoppings centers, exclusivamente para entrega de mercadorias por meio de (delivery), inclusive por aplicativos, e como pontos de retirada de mercadorias (drive trhu), vedado, em qualquer caso, o atendimento presencial de clientes dentro das suas dependências; as lojas e estabelecimentos comerciais, exclusivamente para entrega de mercadorias (delivery); missas, cultos e demais cerimônias religiosas poderão ser realizadas online, por meio de sistema de drive-in e nas sedes das igrejas e templos, neste caso com ocupação máxima de 30% da capacidade e observando todas as normas de distanciamento social; hotéis, pousadas e similares, exclusivamente para atendimentos relacionados à pandemia do novo coronavírus; estabelecimentos que trabalham com locação de veículos; e treinamentos de atletas profissionais, observando todas as normas de distanciamento social.

 

Redação FN

 

 

Cacimbas é único município da Paraíba com bandeira verde e pode reabrir todo comércio e serviços

Todos os segmentos da economia e da sociedade podem retomar suas atividades nos municípios que se encontram na bandeira verde. Hoje (13), Cacimbas é o único município nessa condição. (Veja lista completa no final da matéria)

O Governo do Estado divulgou, neste sábado (13), as bandeiras do plano ‘Novo Normal Paraíba’ que estabelecem a matriz de orientação para a retomada gradual das atividades em todo o Estado a partir da próxima segunda-feira (15). O sistema também será capaz de subsidiar os gestores municipais na tomada de decisões acertadas e seguras para a população dos 223 municípios da Paraíba.  De acordo com os dados já disponíveis no site do coronavírus (paraiba.pb.gov.br/coronavirus), 126 (56%) municípios estão enquadrados na bandeira laranja; 82 (37%) na bandeira amarela; 14 (6%) na bandeira vermelha;  e um (1%) na bandeira verde.

Nos municípios sinalizados com bandeira laranja e vermelha, poderão funcionar atividades essenciais, como agropecuária; cadeia produtiva e atividades acessórias essenciais; bancos, casas lotéricas, correspondentes bancários e seguradoras; empresas de telecomunicação, comunicação e imprensa; distribuidoras e geradoras energia, atividades de extração, produção, siderúrgica e afins; transporte, armazenagem, empresas de logística, Correios e manutenção de veículos automotores; supermercados e afins; serviços de Saúde; tratamento de água e esgoto e coleta de resíduos; administração pública (observada a adoção regimes home office), além dos já sinalizados com adequações para funcionamento.

Nos municípios com bandeira amarela, funcionam os já autorizados nas bandeiras vermelha e laranja, além de hotéis, pousadas e afins; comércio; shoppings centers; comércio popular (camelôs) e serviços em geral; escolinhas de esporte sem contato físico (natação e tênis, por exemplo).

Todos os segmentos da economia e da sociedade podem retomar suas atividades nos municípios que se encontram na bandeira verde, observando a adoção de protocolos operacionais para funcionamento das diversas atividades, que terão como foco a proteção do indivíduo, que deve passar a viver o ‘novo normal’, fazendo escolhas e evitando o contato entre pessoas; ambientes fechados e confinados e aglomerações, mesmo ao ar livre.

Será liberado para o funcionamento, em qualquer bandeira, salões de beleza e barbearias, atendendo exclusivamente por agendamento prévio e sem aglomeração de pessoas nas suas dependências e observando todas as normas de distanciamento social; shoppings centers, exclusivamente para entrega de mercadorias por meio de (delivery), inclusive por aplicativos, e como pontos de retirada de mercadorias (drive trhu), vedado, em qualquer caso, o atendimento presencial de clientes dentro das suas dependências; as lojas e estabelecimentos comerciais, exclusivamente para entrega de mercadorias (delivery); missas, cultos e demais cerimônias religiosas poderão ser realizadas online, por meio de sistema de drive-in e nas sedes das igrejas e templos, neste caso com ocupação máxima de 30% da capacidade e observando todas as normas de distanciamento social; hotéis, pousadas e similares, exclusivamente para atendimentos relacionados à pandemia do novo coronavírus; estabelecimentos que trabalham com locação de veículos; e treinamentos de atletas profissionais, observando todas as normas de distanciamento social.

O plano ‘Novo Normal Paraíba’ foi viabilizado devido à consistente ampliação das capacidades de resposta do Sistema de Saúde paraibano, com a oferta de mais de mil leitos para os cuidados demandados pela Covid-19 em toda a Paraíba; ao aumento da testagem da população; e aos avanços das medidas para desaceleração paulatina da disseminação do vírus; além da manutenção da menor taxa de letalidade da região Nordeste. As diretrizes também foram discutidas com representantes da sociedade civil e do setor produtivo, com o objetivo de implementar e avaliar ações e medidas estratégicas de enfrentamento à pandemia decorrente do coronavírus.

O secretário executivo de Gestão da Rede de Unidades de Saúde, Daniel Beltrammi, informou que o Governo do Estado manterá uma avaliação contínua das informações de todos os municípios paraibanos, levando em consideração a progressão de casos novos ao longo do dia, a taxa de letalidade, a obediência ao isolamento social e a taxa de ocupação de leitos, medidas em um intervalo de 15 dias.

“O modelo foi desenvolvido depois de quase 90 dias de aprendizado de gerenciamento da maior crise de ordem sanitária que o país e o Estado já puderam enfrentar e que afetou a nossa rotina. Os aprendizados foram grandes, mas os avanços e as conquistas para o Estado também, pois mais de mil leitos foram abertos, além de três hospitais. Em momento algum, tivemos pessoas em fila de espera, aguardando internação em leitos de UTI ou de enfermaria, tivemos uma imensa expansão da capacidade laboratorial e de testagem no Estado. O povo paraibano se mostrou muito forte nessa caminhada, o que permitiu que chegássemos a esse momento”, explicou.

Confira as bandeiras do plano Novo Normal Paraíba

 

clickpb

 

 

Prefeitura de Santa Rita decide iniciar flexibilização do comércio

Na manhã desta quarta-feira (10), o prefeito de Santa Rita Emerson Panta fez o anúncio, por meio de redes sociais, do início do processo de flexibilização das atividades comerciais no município a partir do próximo dia 15 de junho.

Pelas novas determinações, após cumprimento de todas as etapas preconizadas pelos órgãos de saúde para enfrentamento de pandemias, algumas atividades começam a ser liberadas, mediante o atendimento às regras específicas que estarão contidas no novo decreto.

De acordo com o prefeito Emerson Panta estão liberadas:

– Abertura do comércio das 7h às 13h de segunda a sábado (as atividades essenciais, que já estavam permitidas, continuam sem mudanças no atendimento ao público);

– Retorno das atividades da construção civil no município, seguindo regras de contenção de possíveis contaminação com oferta de EPIs para todos os trabalhadores, visando a uma maior segurança em saúde;

– Mercados públicos e feiras livres permanecem fechadas às segundas e terças-feiras, com funcionamento de quarta a domingo, das 7h às 13h

Dentre as regras estabelecidas, e que serão mais detalhadas no novo decreto, estão a exigência de uso de máscara em toda cidade, limite de clientes no interior das lojas, oferta de produtos de higienização das mãos para funcionários e clientes, entrega de EPIs para trabalhadores do comércio, bem como áreas específicas para trabalho e atendimento a grupos de risco.

Emerson Panta enfatizou que é essencial o apoio da população no controle da pandemia para o cumprimento das recomendações sanitárias, a exemplo do uso de máscaras e manutenção do distanciamento social, evitando-se aglomerações que possam facilitar a transmissão do novo coronavírus.

Antes de anunciar as novas medidas, que serão detalhadas em um decreto municipal a ser publicado até 14 de junho, o prefeito fez o resumo das ações executadas desde o dia 17 de março, quando foi instituído o primeiro decreto de combate ao coronavírus em Santa Rita.

Panta destacou ainda a parceria com Governo do Estado para transformar a UPA de Tibiri II em centro de atendimento exclusivo para pacientes com Covid- 19, após transferência dos leitos infantis para o Centro de Referência (CER) aberto pela Prefeitura de Santa Rita.

A medida possibilitou duplicar o atendimento na UPA e isolar o serviço pediátrico em uma unidade nova e equipada com todos os requisitos necessários para receber paciente da pediatria.

Além disso, o prefeito lembrou da abertura do Centro de Testagem para o coronavírus, que está funcionando no antigo CAIC. Todo cidadão que for encaminhado por uma unidade de saúde para o Centro de Testagem vai fazer o exame rápido e, em caso positivo, será atendido por um médico e já sairá do local com a medicação determinada pelo profissional de saúde capacitado para prescrever os remédios necessários para início do tratamento.

No próximo dia 15 de junho, será iniciada a primeira das cinco fases de flexibilização, sendo a última prevista para 15 de setembro.

 

pbagora

 

 

João Pessoa deverá iniciar flexibilização e retomar abertura de comércio e serviços a partir da próxima segunda-feira

A Prefeitura de João Pessoa deve optar pela flexibilização do isolamento social ao final do prazo do atual decreto, que é válido até o próximo domingo (14). A informação é do jornalista Luís Torres e foi revelada durante o programa Arapuan Verdade, da Arapuan FM.

Luís Torres informou que obteve informações em primeira mão com uma fonte de dentro da prefeitura e que lá ficou decidido que após o dia 14 deve ser iniciada a flexibilização, com a retomada das atividades econômicas na cidade.

O jornalista destacou, porém, que não sabe se o Governo do Estado terá a mesma postura.

 

clickpb

 

 

Coronavírus: prefeitura de Patos, PB, flexibiliza funcionamento do comércio em novo decreto

A prefeitura de Patos, município do Sertão da Paraíba, publicou nesta terça-feira (9) um novo decreto que flexibiliza o funcionamento do comércio, mesmo com a prorrogação das medidas preventivas ao novo coronavírus em vigor até o dia 15 de junho. A informação foi publicada no Diário Oficial do Município e o decreto começa a valer nesta quarta-feira (10).

O novo decreto foi publicado considerando “que estudos recentes demostram a eficácia das medidas de afastamento social precoce para restringir a disseminação do coronavírus, considerando a necessidade de adotar outras medidas para se reduzir a circulação de pessoas e evitar aglomerações em toda a cidade, inclusive no transporte alternativo”.

Com isso, o decreto esclarece que os estabelecimentos considerados essenciais, ficarão restrito ao horário máximo de funcionamento de até às 22 horas. São considerado essenciais os supermercados, conveniências, postos de combustível, farmácias, hortifrutis, padarias, lava-jato, oficinas mecânicas, serviços funerais funcionará em plantão de 24 horas, borracharias, frigoríficos, óticas, fornecedores de órteses e próteses e insumos de saúde.

O decreto também estabelece que fica permitido, a partir do dia 10 de junho, no horário das 7h às 16h, o funcionamento dos estabelecimentos comerciais não elencados acima, seguindo obrigatoriamente o Protocolo de Segurança publicado em anexo no decreto.

A partir desta quarta-feira (10), os estabelecimentos comerciais e serviços abaixo relacionados seguirão, também, protocolos de segurança específicos, que poderão regulamentar horário, condições de funcionamento e logística para atendimento de clientes em feiras livre; mercados públicos, clínica de estética, academias, salões de beleza e shoppings, obedecendo o Protocolo de Segurança em anexo no decreto.

Na circulação de táxis, mototáxi e transportes alternativos municipais e intermunicipais, é obrigatória a utilização dos Equipamentos de Proteção Individual EPI’s, bem como a desinfecção periódica do automóvel e motocicletas.

O funcionamento de bares, restaurantes, espetinhos, lanchonetes e afins seguirá um protocolo de segurança específico que deve ser expedido até o dia 15 de junho, quando poderão voltar a funcionar, obedecendo o regulamento de horário, condições de funcionamento e logística para atendimento de clientes.

Permanecem suspensas as aulas presenciais da rede pública municipal de ensino até o dia 20 de julho do corrente ano, podendo ser antecipado ou postergado de acordo com os dados epidemiológicos do município.

A infração a quaisquer dos dispositivos do decreto vai acarretar cassação de alvará de funcionamento e interdição imediata do estabelecimento.

Ficam revogadas todas as disposições anteriores que tratem do funcionamento dos estabelecimentos comerciais no âmbito do município de Patos.

Enquanto durar a situação de emergência instituída pelo decreto municipal ficam liberados do comparecimento pessoal no setor de trabalho, os servidores com mais de 60 anos, com problemas respiratórios e os portadores de doenças crônicas para execução de suas atividades na modalidade de teletrabalho, resguardando-se que o número de pessoas em atividade presencial seja suficiente para a adequada prestação do serviço público.

Será priorizada a tramitação dos processos de teletrabalho de servidores e empregados públicos que:

  • forem portadores de doenças crônicas, inclusive, respiratórias, devidamente comprovadas por atestado médico;
  • estiverem gestantes;
  • tiverem filho menor de seis meses;
  • forem maiores de 60 anos.

Igrejas e Templos podem funcionar com as seguintes limitações:

  • instalar barreira sanitária nos acessos dos templos;
  • permitir o acesso aos templos apenas com o uso de máscaras;
  • colocar à disposição e exigir o uso do álcool em gel;
  • manter o distanciamento pessoal de 1,5 metros com identificação nos assentos;
  • manter aberta as portas e janelas e utilizar ventiladores durante a realização dos cultos;
  • não permitir a entrada de pessoas no templo após a sua capacidade preenchida conforme as regras e os protocolos sanitários exigidos;
  • não permitir a presença de pessoas que fazem parte do grupo de risco;
  • quanto às igrejas que possuem capacidade de 150 pessoas, permitir a realização de três cultos no domingo, sendo que cada reunião deve comparecer apenas 30%, no caso em questão apenas 45 pessoas em cada culto, caso o templo seja espaçoso.

As medidas previstas no decreto podem ser reavaliadas a qualquer momento, de acordo com a situação epidemiológica da cidade.

G1