Arquivo da tag: comenta

Lutadora faz fotos sensuais e comenta sobre sexo: “30 minutos de preliminares”

Considerada a lutadora de MMA mais sexy do Brasil, Jamila Sandora posou para fotos sensuais na “Playboy” e foi a primeira entrevistada do programa “Quase Nuas”, que estreou no canal do Youtube da revista masculina, respondendo a perguntas quentes.

Jamila Sandora é modelo, ring girl e também lutadora
Adilson / Divulgação

Jamila Sandora é modelo, ring girl e também lutadora

A lutadora foi questionada quanto tempo deve durar uma relação sexual e não se acanhou em responder. “No mínimo 30 minutos de preliminares”, respondeu Jamila, avaliando também que a maioria dos homens não sabe fazer sexo oral.

Confira o vídeo da entrevista:

No programa, a cada pergunta que a convidada se recusa a responder, ela tem que tirar uma peça de roupa. Jamila Sandora terminou a entrevista de lingerie . Ela também fez um ensaio de fotos sensuais para o site da revista e já fala em posar completamente nua. “Já fui convidada. Não tenho coragem, mas quem sabe por uns R$ 2 milhões (risos)”.

Jamila Sandora é modelo, ring girl e também lutadora
Adilson / Divulgação

Jamila Sandora é modelo, ring girl e também lutadora

Modelo, ring girl e lutadora

Jamila Sandora tem mostrado recentemente que é bem versátil quando o assunto é luta, acumulando dupla função. Além de ser ring girl, ela estreou com vitória no muay thai e, por isso, foi convidada para participar da maior equipe de MMA feminina do Brasil, guiada pelo mestre Gilliard Paraná, da PRVT.

Jamila Sandora é modelo, ring girl e também lutadora
Adilson / Divulgação

Jamila Sandora é modelo, ring girl e também lutadora

A beldade, que tem algumas conquistas na carreira de modelo fora do esporte, como Rainha do Rodeio Carioca, em Barretos, e também musa do Vasco, agora quer ganhar títulos como lutadora. Para isso, a morena, de 1,75 metro de altura vem se dedicando diariamente aos treinos para poder estrear no MMA em breve.

Jamila Sandora vai entrar para o MMA. Ela já é lutadora e também ring girl
Divulgação

Jamila Sandora vai entrar para o MMA. Ela já é lutadora e também ring girl

A morena também acredita que sua postura com os outros companheiros de treinos mostra profissionalismo e respeito. “Quem já me conhece sabe como meus trabalhos são super sérios”, contou a moça, que espera surpreender muita gente. “Quem me olha, não dá nada por mim. Acha vai ser fácil me levar à lona, mas eu estou entrando pro MMA pra dar trabalho”, comentou a lutadora.

 

iG

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Raul Gil comenta ‘saída’ do SBT e apoio para continuar na emissora: “Obrigado”

Raul-GilRaul Gil comentou no início da edição do programa deste sábado (18) sobre as notícias da sua saída da emissora. O apresentador esclareceu que as informações eram verdadeiras, mas permaneceu no SBT por causa de pedidos da equipe e, principalmente, da família.

“Vocês sabem que muitas fofocas saíram, mas eram verdadeiras. Eu estava saindo do SBT. Eu até falava ‘estou na minha última temporada’, como dizia Jô Soares. Mas, na verdade, o Raul Gil continua no SBT. Renovação de contrato”, disse.

O apresentador agradeceu o apoio para permanecer na emissora. “Eu quero agradecer os diretores do SBT que forçaram praticamente: ‘Raul Gil você não vai embora’ […] E a minha família. A minha família foi a que mais falou”, desabafou, agradecendo Silvio Santos e toda família Abravanel.

observatoriodatelevisao

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Gilmar Mendes comenta sobre possibilidade de novas eleições presidenciais

(Foto: Walla Santos)
(Foto: Walla Santos)

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, concedeu entrevista durante evento na Esma, em João Pessoa. Ele disse ser contra a eleição unificada e comentou o julgamento das contas da chapa Dilma e Temer – exercício de 2014. “O Tribunal tem grande responsabilidade institucional porque certamente é uma decisão que, se levada ao extremo, traria graves consequências. Por isso tem que ser bem ponderada”, disse ele, lembrando que o processo tem muitas peculiaridades.

“Primeiro é saber se esse processo vai prosseguir em relação ao presidente Temer agora; uma vez que ele foi movido contra a chapa. Depois saber se o Tribunal entende – se responder que o processo prossegue em relação a ele (Michel Temer) – se a ação é procedente”, explicou Gilmar Mendes, lembrando que se for julgada no ano que vem e se houver a possibilidade de cassação, teria que haver eleição indireta. “Não seria mais uma eleição direta, como ocorreria se a decisão fosse tomada este ano”, disse Gilmar Mendes

No entanto, o ministro vê uma precipitação muito grande em torno do julgamento desse processo e diz que antes de qualquer coisa, é preciso levar em conta que esse processo é histórico – é a primeira vez que se faz uma impugnação a candidatura presidencial. “Portanto ninguém precisa ficar frustrado se o Tribunal não condenar”.

O tribunal fará um levantamento muito rigoroso do que aconteceu na campanha de 2014, disse o presidente do TSE. Para ele, só isso já algo extremamente positivo. “Pois nós saberemos como foi feita a campanha de 2014. Se houve abuso, que abusos foram praticados, inclusive para orientar as próximas eleições, as próximas campanhas”. O ministro também foi questionado sobre os possíveis pedidos de impeachment de Temer pela oposição no Congresso.

O ministro disse ser contrário à realização de eleições unificadas porque, na sua opinião, as lógicas das eleições são diferentes.

“Nós votamos para prefeito e vereador com uma lógica, e votamos para a eleição nacional com outra lógica. Então a mim me parece que esses fundamentos devem ser levados em conta”, argumentou. Mendes também avaliou o argumento da maioria dos que defendem a unificação, que é a redução dos custos das eleições. “Nós temos que conviver com os custos da democracia”, disse.

clickpb

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Raniery comenta passagem de Olenka pela ALPB e acredita que meta de adversários é acabar com PMDB na PB

Raniery-PaulinoNão é de hoje que os partidos políticos se unem e brigam por alianças, não apenas na Paraíba, mas no país inteiro. Aqui o deputado estadual Raniery Paulino (PMDB) analisou a saída da suplente de deputada Olenka Maranhão (PMDB) da Assembleia Legislativa, bem como a aliança entre o PMDB e PSDB na Capital paraibana.

Olenka como suplente se tornou titular após articulação e gesto do governador Ricardo Coutinho (PSB) em convidar o deputado estadual Trócolli Júnior para assumir uma secretaria de Estado. Assim, ele beneficiou o PMDB que foi decisivo para sua reeleição em 2014.

O rompimento foi declarado no mês de julho de 2016, após o PMDB sacramentar aliança com o PSD e PSDB, no âmbito de João Pessoa e assim ficar contra o projeto da candidata do governador à prefeitura da Capital, Cida Ramos.

Com esse troca troca de lados, Raniery comentou a saída da colega da Assembleia e a importância de Trócolli.

“Infelizmente todos esses projetos que estavam em andamento na secretaria de Trócolli paralisaram da noite para o dia. E isso me entranhou, apesar da responsabilidade de nomear ou tirar cargos comissionados no Governo é do Governador! Mas se o alvo era a deputada Olenka, ele utilizou o deputado Trócoli para isso. Eu me solidarizo com a deputada Olenka”, afirmou Raniery destacando ainda que a peemedebista cumpriu com proeza seu mandato e mandou um recado para o governador e os tucanos. “São forças fortes, mas eles não vão conseguir acabar o PMDB não.”

De acordo com Paulino, tanto filiados do PSDB e como do PSB estão associados na tentativa de desestabilizar o PMDB no Estado, mas que os verdadeiros peemedebistas não permitirão tais inciativas. “Tem partidos ai que querem dar aula de coerência, mas Ave Maria, estavam unidos a quatro anos atrás, portanto eu tenho dificuldades de assimilar certas aulas de coerência”, disse.

Por fim o deputado peemedebista afirmou eu a solução para parte dessa crise ideológica dos partidos e a Reforma Política que permitirá o fim desse arco íris de coligações nas eleições proporcionais. “Isso seria uma forma de diminuir essas negociações que as vezes reúne partidos de extrema esquerda com partidos de extrema direita.”

PB Agora

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Lula não comenta acusações sobre propina na Petrobras

Heinrich Aikawa/Instituto Lula
Heinrich Aikawa/Instituto Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se recusou a comentar diretamente as acusações de Augusto Ribeiro de Mendonça Neto, executivo da empresa Toyo Setal, de que propinas devidas ao ex-diretor da Petrobras Renato Duque foram pagas como doações eleitorais ao PT. Ao sair de um seminário sobre integração sul-americana na cidade equatoriana de Guayaquil, Lula apenas afirmou que estranhava ver informações que deveriam ser sigilosas serem vazadas.

“Eu estou pensando em falar sobre isso um dia desses para colocar umas verdades no lugar. Porque como a delação é sigilosa só a Polícia Federal e o Procurador que sabem tudo isso”, afirmou. “Se é sigilo eu estou estranhando como está vazando, a quem interessa e quem está promovendo isso”. Perguntado se achava fantasiosas as declarações de Mendonça Neto, disse que sim.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O executivo da Toyo Setal deu depoimento em 29 de novembro para a Polícia Federal como parte de um acordo de delação premiada. O nome de Duque já havia surgido durante as investigações, mas Mendonça Neto fez as primeiras acusações diretas ao ex-diretor, que é ligado ao PT. As propinas devidas a ele teriam sido pagas de três formas. Além da doação ao partido, envolveria transferências ao exterior e parcelas em dinheiro vivo.
Lula está no Equador para participar de um seminário sobre integração na região organizado pelo governo do país e por seu instituto. Ao terminar o encontro, sua assessoria tentou evitar de todas as formas o acesso da imprensa brasileira ao presidente chegando a cancelar uma entrevista prometida a rede de TV venezuelana TeleSur. Ao sair da sala onde se encontra com outros convidados, no entanto, Lula não tentou fugir. Apenas afirmou que não comentaria.

Diário de Pernambuco

Cássio afirma que irá continuar obras de RC se for eleito para o Governo e comenta lentidão de serviços

cassioO senador Cássio Cunha Lima (PSDB), pré-candidato ao Governo do Estado, afirmou que irá continuar as obras do governador Ricardo Coutinho (PSB) no caso de ser eleito nas eleições de outubro deste ano.

Cássio destacou o fato de que RC continuou muitas obras deixadas pelo Governo dele e afirmou que irá fazer o mesmo. “Porque são boas para a Paraíba, pior seria se ele não tivesse feito e se eu não fizer. Ricardo entregou milhares de casas que eu não pude fazer, porque meu mandato foi interrompido”, explicou.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Dentre as obras que Cássio citou incluiu o Hospital Metropolitano de Santa Rita, o Viaduto do Geisel. O senador ainda aliviou as cobranças em cima das obras. “É lento mesmo, a reforma do Espaço Cultural e do Dede, foram planejadas ainda no meu Governo, mas só agora o governador pôde fazer”, disse.

A entrevista foi concedida na Rádio CBN.

Pedro Callado

Médico brasileiro comenta gritaria da mídia sobre médicos cubanos

CubaDebate
CubaDebate

Bom, como opinião inteligente se constrói com o contraditório, vou tentar levantar aqui algumas informações sobre a vinda de médicos cubanos para regiões pobres do Brasil que ainda não vi serem abordadas.

– O principal motivo de reclamação dos médicos, da imprensa e do Conselho Federal de Medicina (CFM) seria uma suposta validação automática dos diplomas destes médicos cubanos, coisa que em momento algum foi afirmado por qualquer membro do governo. Pelo contrário, o próprio ministro da saúde, Alexandre Padilha, já disse que concorda que a contratação de médicos estrangeiros deve seguir critérios de qualidade e responsabilidade profissional. Portanto, o governo não anunciou que trará médicos cubanos indiscriminadamente para o país. Isto é uma interpretação desonesta.

– Acho estranho o governo ter falado em atrair médicos cubanos, portugueses e espanhóis, e a gritaria ser somente em relação aos médicos cubanos. Será que somente os médicos cubanos precisam revalidar diploma? Sou médico e vivo em Portugal, posso garantir que nos últimos anos conheci médicos portugueses e espanhóis que tinham nível técnico de sofrível para terrível. E olha que segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), Espanha e Portugal têm, respectivamente, o 6º e o 11º melhores sistemas de saúde do mundo (não tarda a Troika dar um jeito nesse excesso de qualidade). Profissional ruim há em todos os lugares e profissões. Do jeito que o discurso está focado nos médicos de Cuba, parece que o problema real não é bem a revalidação do diploma, mas sim puro preconceito.

– Portugal já importa médicos cubanos desde 2009. Aqui também há dificuldade de convencer os médicos a ir trabalhar em regiões mais longínquos, afastadas dos grandes centros. Os cubanos vieram estimulados pelo governo, fizeram prova e foram aprovados em grande maioria (mais à frente vou dar maiores detalhes deste fato). A população aprovou a vinda dos cubanos, e em 2012, sob pressão popular, o governo português renovou a parceria, com amplo apoio dos pacientes. Portanto, um dos países com melhores resultados na área de saúde do mundo importa médicos cubanos e a população aprova o seu trabalho.

– Acho que é ponto pacífico para todos que médicos estrangeiro tenham que ser submetidos a provas aí no Brasil. Não faz sentido importar profissionais de baixa qualidade. Como já disse, o próprio ministro da saúde diz concordar com isso. Eu mesmo fui submetido a 5 provas aqui em Portugal para poder validar meu título de especialista. As minhas provas foram voltadas a testar meus conhecimentos na área em que iria atuar, que no caso é Nefrologia. Os cubanos que vieram trabalhar em Medicina de família também foram submetidos a provas, para que o governo tivesse o mínimo de controle sobre a sua qualidade.

Pois bem, na última leva, 60 médicos cubanos prestaram exame e 44 foram aprovados (73,3%). Fui procurar dados sobre o Revalida, exame brasileiro para médicos estrangeiros e descobri que no ano de 2012, de 182 médicos cubanos inscritos, apenas 20 foram aprovados (10,9%). Há algo de estranho em tamanha dissociação. Será que estamos avaliando corretamente os médicos estrangeiros?

Seria bem interessante que nossos médicos se submetessem a este exame ao final do curso de medicina. Não seria justo que os médicos brasileiros também só fossem autorizados a exercer medicina se passassem no Valida? Se a preocupação é com a qualidade do profissional que vai ser lançado no mercado de trabalho, o que importa se ele foi formado no Brasil, em Cuba ou China? O CFM se diz tão preocupado com a qualidade do médico cubano, mas não faz nada contra o grande negócio que se tornaram as faculdades caça-níqueis de Medicina. No Brasil existe um exército de médicos de qualidade pavorosa. Gente que não sabe a diferença entre esôfago e traqueia, como eu já pude bem atestar. Porque tanto temor em relação à qualidade dos estrangeiros e tanta complacência com os brasileiros?
Revalida.

– Em relação este exame de validação do diploma para estrangeiros abro um parêntesis para contar uma situação que presenciei quando ainda era acadêmico de medicina, lá no Hospital do Fundão da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Um rapaz, se não me engano brasileiro, tinha feito seu curso de medicina na Bolívia e havia retornado ao país para exercer sua profissão. Como era de se esperar, o rapaz foi submetido a um exame, que eu acredito ser o Revalida (na época realmente não procurei me informar). O fato é que a prova prática foi na enfermaria que eu estava estagiando e por isso pude acompanhar parte da avaliação. Dois fatos me chamaram a atenção, o primeiro é a grande má vontade dos componentes da banca com o candidato. Não tenho dúvidas que ele já havia sido prejulgado antes de a prova ter sido iniciada. Outro fato foi o tipo de perguntas que fizeram. Lembro bem que as perguntas feitas para o rapaz eram bem mais difíceis que aquelas que nos faziam nas nossas provam. Lembro deles terem pedidos informações sobre detalhes anatômicos do pescoço que só interessam a cirurgiões de cabeça e pescoço. O sujeito que vai ser médico de família, não tem que saber todos os nervos e vasos que passam ao lado da laringe e da tireoide. O cara tem que saber tratar diarreia, verminose, hipertensão, diabetes e colesterol alto. Soube dias depois que o rapaz tinha sido reprovado.

Não sei se todas as provas do Revalida são assim, pois só assisti a uma, e mesmo assim parcialmente. Mas é muito estranho os médicos cubanos terem alta taxa de aprovação em Portugal e pouquíssimos passarem no Brasil. Outro número que chama a atenção é o fato de mais de 10% dos médicos em atividade em Portugal serem estrangeiros. Na Inglaterra são 40%. No Brasil esse número é menor que 1%. E vou logo avisando, meu salário aqui não é maior do que dos meus colegas que ficaram no Brasil.

– Até agora não vi nem o CFM nem a imprensa irem lá nas áreas mais carentes do Brasil perguntar o que a população sem acesso à saúde acha de virem 6 mil médicos cubanos para atendê-los. Será que é melhor ficar sem médico do que ter médicos cubanos? É o óbvio ululante que o ideal seria criar condições para que médicos brasileiros se sentissem estimulados a ir trabalhar no interior. Mas em um país das dimensões do Brasil e com a responsabilidade de tocar a medicina básica pulverizada nas mãos de centenas de prefeitos, isso não vai ocorrer de uma hora para outra. Na verdade, o governo até lançou nos últimos anos o Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica (Provab), que oferece salários mensais de R$ 8 mil e pontos na progressão de carreira para os médicos que vão para as periferias. O problema é que até hoje só 4 mil médicos aceitaram participar do programa. Não é só salário, faltam condições de trabalho. O que fazemos então? vamos pedir para os mais pobres aguentar mais alguns anos até alguém conseguir transformar o SUS naquilo que todos desejam? Vira lá para a criança com diarreia ou para a mãe grávida sem pré-natal e diz para ela segurar as pontas sem médico, porque os médicos do sul e sudeste do Brasil, que não querem ir para o interior, acham que essa história de trazer médico cubano vai desvalorizar a medicina do Brasil.

– É bom lembrar que Cuba exporta médicos para mais de 70 países. Os cubanos estão acostumados e aceitam trabalhar em condições muito inferiores. Aliás, é nisso que eles são bons. Eles fazem medicina preventiva em massa, que é muito mais barata, e com grandes resultados. Durante o terremoto do Haiti, quem evitou uma catástrofe ainda maior foram os médicos cubanos. Em poucas semanas os médicos dos países ricos deram no pé e deixaram centenas de milhares de pessoas sem auxílio médico. Se não fosse Cuba e seus médicos, haveria uma tragédia humanitária de proporções dantescas. Até o New England Journal of Medicine, a revista mais respeitada de medicina do mundo, fez há poucos meses um artigo sobre a medicina em Cuba. O destaque vai exatamente para a capacidade do país em fazer medicina de qualidade com recursos baixíssimos.

– Com muito menos recursos, a medicina de Cuba dá um banho em resultados na medicina brasileira. É no mínimo uma grande arrogância achar que os médicos cubanos não estão preparados para praticar medicina básica aqui no Brasil. O CFM diz que a medicina de Cuba é de má qualidade, mas não explica por que a saúde dos cubanos, como muito menos recursos tecnológicos e com uma suposta inferioridade qualitativa, tem índices de saúde infinitamente melhores que a do Brasil e semelhantes à avançada medicina americana (dados da OMS).

– Agora, ninguém tem que ir cobrar do médico cubano que ele saiba fazer cirurgia de válvula cardíaca ou que seja mestre em dar laudos de ressonância magnética. Eles não vêm para cá para trabalhar em medicina nuclear ou para fazer hemodiálises nos pacientes. Medicina altamente tecnológica e ultra especializada não diminui mortalidade infantil, não diminui mortalidade materna, não previne verminose, não conscientiza a população em relação a cuidados de saúde, não trata diarreia de criança, não aumenta cobertura vacinal, nem atua na área de prevenção. É isso que parece não entrar na cabeça de médicos que são formados para serem superespecialistas, de forma a suprir a necessidade uma medicina privada e altamente tecnológica. Atenção! O governo que trazer médicos para tratar diarreia e desidratação! Não é preciso grande estrutura para fazer o mínimo. Essa população mais pobre não tem o mínimo!

Que venham os médicos cubanos, que eles façam o Revalida, mas que eles sejam avaliados em relação àquilo que se espera deles. Se os médicos ricos do sul maravilha não querem ir para o interior, que continuem lutando por melhores condições de trabalho, que cobrem dos governos em todas as esferas, não só da Federal, melhores condições de carreia, mas que ao menos se sensibilizem com aqueles que não podem esperar anos pela mudança do sistema, e aceitem de bom grado os colegas estrangeiros que se dispõe a vir aqui salvar vidas.

Infelizmente até a classe médica aderiu ao ativismo de Facebook. O cara lê a Veja ou O Globo, se revolta com o governo, vai no Facebook, repete meia dúzia de clichês ou frases feitas e sente que já exerceu sua cidadania. Enquanto isso, a população carente, que nem sabe o que é Facebook morre à mingua, sem atendimento médico brasileiro ou cubano.

*Pedro Saraiva é médico, brasileiro, e exerce a profissão em Portugal

 

Por Pedro Saraiva*, no blog do Nassif

Rômulo comenta a ‘briga dos Ricardos’ e faz alerta sobre desfecho: “Quem perde é o Estado”

Vice-governador da Paraíba comenta a ‘briga dos Ricardos’ e faz alerta sobre desfecho: “Quem perde é o Estado”

Rômulo Gouveia (PSD) - foto: Assessoria

O episódio envolvendo a mudança do Regimento Interno da Assembleia Legislativa da Paraíba já está sendo rotulado em determinados setores da imprensa como uma briga pessoal entre o governador Ricardo Coutinho (PSB) e o presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Ricardo Marcelo (PEN), ou seja, ‘a briga dos Ricardos’.

Nesta quinta-feira (27) quem resolveu comentar o imbróglio foi o vice-governador do Estado, Rômulo Gouveia (PSD), que inclusive já teve a oportunidade de gerir o poder legislativo da Paraíba. Para Gouveia, esse embate entre os poderes compromete a autonomia dos poderes e consequentemente a Paraíba. “Esse embate compromete a autonomia dos poderes, sabemos que a harmonia e a sintonia é fundamental. Isso compromete a estabilidade das instituições e nesse embate quem perde é o Estado”, disse.

Rômulo Gouveia diz entender que a mudança do Regimento Interno da Casa Legislativa, proposta pela presidência da Casa é Constitucional, no entanto, ele entende que ela não deva ser adotada.

“Com todo respeito ao presidente da Assembleia, mas eu entendo o contrário, essa mudança compromete o trabalho do Tribunal de Contas, mas enfim, eu torço pelo restabelecimento da relação entre os poderes”, defendeu.

Sobre o governador ter exonerado aliados de correligionários que votaram a favor da ALPB e contra o Governo, Rômulo disse achar correto o Governo querer definir quem é Governo e quem é Oposição.

“O governador tem que saber quem é Governo e quem é Oposição, isso existe em qualquer Governo e qualquer tentativa de desestabilizar o Governo quem perde é os paraibanos”, destacou.

PB Agora

Secretário geral da CNBB comenta pedido de retirada da expressão “Deus seja louvado” das cédulas de reais

A expressão “Deus seja louvado” pode ser retirada das cédulas da moeda brasileira. Isto é o que pede uma ação da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão (PRDC), em São Paulo. O principal argumento utilizado é o de que o Brasil é um país laico e, portanto, não deve estar vinculado a qualquer manifestação religiosa. Os comentários do secretário foram feitos ao Jornal Folha de São Paulo.

De acordo com a assessoria de comunicação da PRDC, no ano passado, houve uma representação questionando a permanência da frase nas cédulas de reais. Durante a fase de inquérito, a Casa da Moeda informou que cabe privativamente ao Banco Central (Bacen) “não apenas a emissão propriamente dita, como também a definição das características técnicas e artísticas” das cédulas. Já o Bacen afirmou que o fundamento legal para a existência da expressão “Deus seja louvado” nas cédulas é o preâmbulo da Constituição, que afirma que ela foi promulgada “sob a proteção de Deus”.

“Deveríamos nos preocupar com coisas muito mais essenciais. Muitas pessoas dar-se-ão conta da frase somente depois desta ação. Não é novidade esse tipo de ação! A frase, agora, recordará a presença de Deus na vida do povo brasileiro”, afirma o secretário geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Leonardo Ulrich Steiner.

A ação também pede que seja concedido à União o prazo de 120 dias para que as cédulas comecem a ser impressas sem a frase, sob pena de multa diária de R$ 1,00 caso a União não cumpra a decisão de retirar a expressão religiosa das cédulas. A multa teria caráter simbólico.

O pedido da PDCR ainda alega que a expressão “constrange a liberdade de religião de todos os cidadãos que não cultuam Deus, como os ateus e os que professam a religião budista, muçulmana, hindu e as diversas religiões de origem africana”.

Para dom Leonardo, a expressão “não constrange, mas pode incomodar aos que afirmam não crer”. “As pessoas que vivem a sua fé, em suas diversas expressões, certamente não se sentem constrangidas, pois vivem da grandeza da transcendência. É que fé não é em primeiro lugar culto a um deus, mas relação. Se a frase lembra uma relação, poderia lembrar que o próprio dinheiro deve estar a serviço das pessoas, especialmente dos pobres, na partilha e na solidariedade. Se assim for, Deus seja louvado!”, afirma o bispo.

CNBB

Luiz Couto comenta decisão que deferiu registro de candidatura em Pombal‏

O deputado federal Luiz Couto (PT) comentou a decisão do ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Antônio Dias Toffoli, que deferiu o registro da candidatura de Pollyanna Dutra (PT) para concorrer à reeleição em Pombal, município do Sertão paraibano.
“Fez-se justiça. O ministro acatou recurso da nossa candidata que agora, finalmente, vai poder exercer o seu direito constitucional e democrático de concorrer ao pleito, disse, em tom de alívio, informando em seguida que o TSE mudou a sentença da Justiça Eleitoral de Pombal e do TRE-PB, que haviam impugnado o registro de Pollyanna por entender que ela estaria disputando um terceiro mandato.
O parlamentar esclareceu que, no julgamento, Dias Toffoli considerou a consulta respondida anteriormente pelo TSE, de que cônjuge de prefeito (a) falecido (a), sucedido pelo vice por mais de um ano, pode ser reeleito em mandatos seguintes.
Luiz Couto afirmou que Pollyanna venceu a batalha no tribunal e vai vencer a guerra nas urnas no domingo (7), pois, segundo ele, além da longa espera na esfera judicial, a campanha petista vem enfrentando um turbilhão de calúnias e ameaças por parte daqueles “que não querem o bem da população pombalense”,
Confira a sentença na íntegra: 

Redação da Alhandra fM