Arquivo da tag: combustível

Suspeitos explodem cofre de posto de combustível e roubam cerca de R$ 20 mil, em João Pessoa

O local onde fica o cofre de um posto de combustível foi explodido na madrugada desta segunda-feira (29), no Bairro das Indústrias, em João Pessoa. A explosão acabou atingindo a loja de conveniência do posto e algumas lojas próximas do local, mas não houve feridos.

No momento da ação, que aconteceu por volta das 3h, apenas o vigia, de 36 anos, do posto estava no local. Ele foi rendido por cerca de seis suspeitos vestidos de preto, armados e encapuzados. Eles chegaram em dois carros, anunciaram o assalto e disseram que queriam apenas o cofre.

De acordo com a Polícia Militar, todo o dinheiro foi roubado. Segundo os representantes do estabelecimento contaram à polícia, dentro do cofre tinha cerca de R$ 20 mil.

Após a explosão, a tampa do cofre parou a cerca de 100 metros do local, mas ninguém foi atingido. Na manhã desta segunda-feira, os funcionários do posto faziam a limpeza do local. Os suspeitos fugiram e até as 6h10 não houve prisões.

Foto: Danilo Alves/TV Cabo Branco

G1

 

Princípio de incêndio no posto de combustível em Guarabira

Na noite dessa sexta-feira (19) às 19:35 no Posto de Combustível Petro Via um motorista em um carro sem notar que o bico da bomba de abastecimento ainda encontrava-se conectado ao tanque do automóvel e ao sair arrancou a bomba de combustível provocando um principio de incêndio.

Os funcionários agiram de forma rápida combatendo o fogo com a utilização de extintores de incêndios evitado uma possível explosão.

 

Nordeste1

 

 

PRF apreende 3.800 litros de combustível furtado de caminhões tanque

Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu, na noite dessa sexta-feira (17), combustível furtado de caminhões-tanque, nas proximidades do Porto de Cabedelo, na BR 230, km 0. Ao todo foram 3.800 litros de combustível apreendidos.

A PRF estava realizando uma operação de combate à exploração sexual de crianças e adolescentes quando flagrou o crime. Ao avistarem as viaturas, muitas pessoas correram e deixaram para trás 7 carros lotados com galões de combustível que haviam sido furtados de caminhões tanque.

Em apelas um dos veículos flagrados , uma caminhoneta GM Blazer, foi apreendido 500 litros de combustível, mangueiras, funis e R$ 5.500 reais em espécie.

O furto de combustível, além de comprometer a economia, coloca em risco a vida da população. O material transportado é armazenado de forma irregular pode provar acidentes graves, incêndios e explosões.

A PRF alerta também que quem compra o combustível furtado também pode ser detido por receptação de produto furtado.

A PRF realizou buscas pelo local e consegui realizar a prisão de um indivíduo. Também foi conduzido para polícia judiciária o motorista de um dos caminhões tanque que estava no local para averiguar se havia conhecimento e facilitação para o furto do combustível apreendido. Todos os veículos, o material apreendido, o homem detido e o motorista do caminhão foram conduzido para a Central de Flagrantes da Polícia Civil.

Com a apreensão dos veículos, a polícia agora pretende localizar os proprietários e condutores que estavam cometendo o crime. Novos desdobramentos dessa apreensão poderão ocorrer.

Assessoria

 

 

Economize combustível: 10 dicas simples de seguir para poupar com seu carro

Hoje em dia a palavra de ordem das montadoras é eficiência energética, com veículos e, especialmente motores, cada vez mais tecnológicos para render o mesmo desempenho de sempre com cada vez menos combustível. A prática do “downsizing” é um dos exemplos mais conhecidos, consistindo em trocar motores grandes por unidades menores, geralmente sobrealimentadas por turbo e/ou injeção direta, além de outros recursos, para reduzir o consumo sem abrir mão da performance.

Porém, mesmo com tanta tecnologia, uma peça continua essencial para o veículo gastar menos combustível — ela fica posicionada entre o volante e o banco do motorista. Exatamente: você. Estilo de condução, cuidados com manutenção e até rodar com o tanque na reserva, por exemplo, são fatores pessoais que podem significar dinheiro a mais ou a menos no bolso no final do mês.

UOL Carros conversou com Gilberto Pose, coordenador técnico de combustíveis da Raízen, para elencar algumas dicas simples para você deixar menos grana no posto de combustível e prolongar a vida útil do motor. Confira.

  • Não caia na armadilha do combustível adulterado

    A dica mais óbvia é abastecer com combustível de qualidade, com procedência garantida e preferencialmente em posto com bandeiras conhecidas para reduzir o risco de colocar no tanque um produto adulterado, que eleva o consumo e ainda pode causar danos ao motor e outros componentes do veículo.

  • Não encha até o talo

    Gilberto Pose recomenda nunca colocar mais combustível após o gatilho do bico da bomba desarmar, indicando que o nível no tanque já está próximo ao gargalo. O especialista explica que, nos veículos modernos, existe um dispositivo chamado de cânister, responsável por aproveitar os gases resultantes do combustível, levando-os para a câmara de combustão do motor via coletor de admissão. Com o tanque quase transbordando, há risco de combustível passar para o cânister.

    “Isso danifica o componente — que não foi feito para receber líquido — que perde a função de aproveitar os gases. Além disso, a central eletrônica do motor entende que há algo de errado e isso afeta seu funcionamento em geral, elevando o consumo. Sem falar que, enchendo até a boca, há risco de transbordamento, com desperdício e potencial dano à pintura”, explica. Além disso, o sistema automático protege o frentista do posto, que fica menos exposto a esses gases dos combustíveis, que são tóxicos.

  • Não rode “na reserva”

    Rodar com o tanque na reserva, sempre com a luzinha acesa, pode causar prejuízos. “O próprio combustível ajuda a lubrificar e refrigerar a bomba de combustível. A cada vez que você liga o carro, a bomba envia combustível para o motor e o excesso retorna ao tanque, aquecido. Com pouco líquido, a temperatura dele fica mais alta que o indicado e não resfria a bomba, que pode travar”, explica Pose. Ele também alerta que, com pouco volume, risco de a bomba sugar resíduos e sujeiras no fundo do tanque aumenta, o que também coloca seu funcionamento em risco e pode até chegar aos bicos injetores, prejudicando a performance e elevando o gasto.

    Manutenção em dia poupa combustível também

    Siga os prazos e as especificações do fabricante para a troca de fluidos e filtros do motor indicados no manual, especialmente no que se refere ao óleo lubrificante. Também verifique as condições das correias, velas e cabos de vela. Todos esses itens de manutenção constante influenciam no funcionamento do carro e, em condições inadequadas, contribuem consideravelmente para elevar o consumo.

    Carro não é armário (leve só o necessário)

    Andar com o carro cheio de bagagens no porta-malas ou bagagem sem necessidade eleva o peso do automóvel. Isso aumenta o consumo. Portanto, carregue apenas o necessário e se livre dos “pesos-mortos”.

    Alivie o pé direito

    Prefira um estilo de condução mais suave, com acelerações lineares e troca de marchas no tempo certo, sem “esticar” se não houver necessidade. Evite frenagens e desacelerações bruscas para não apenas poupar combustível, como também prolongar a vida útil de diversos componentes. Outra dica é, dentro do possível, escapar do trânsito de horários de pico — o para-e-anda dos congestionamentos é um dos fatores que mais impactam no consumo, além de causar maior desgaste.

    Pneus podem gastar mais que o motor

    Também não deixe de manter os pneus calibrados corretamente — pneus vazios são grandes vilões para elevar o consumo, pois ampliam a superfície de contato com o solo, criando mais atrito. Com isso, sobe também a força necessária para o veículo se movimentar.

    Mas fique atento: como o ar quente se expande, os pneus devem sempre ser calibrados frios para garantir a aplicação da pressão correta, indicada no manual. Verifique a calibragem antes de pegar a estrada ou a cada 15 dias, aproximadamente, sem esquecer de incluir o estepe.

    Rode sempre quente

    Embora atualmente a maioria das montadoras não traga uma recomendação específica para aguardar o aquecimento do motor antes de começar a rodar, Gilberto Pose afirma que esse costume é benéfico para o veículo e ajuda no consumo de combustível. “Nunca é bom sair com o motor frio, exigindo o máximo do funcionamento do propulsor. Ao entrar no carro, dê ignição no motor antes de colocar o cinto, ligar o som e ajustar o banco. Três minutos são suficientes para o óleo subir e lubrificar as partes altas”, destaca. Com o motor mais quente, as partes metálicas também se expandem, reduzindo folgas e fazendo o carro ficar mais “solto”. A recomendação é não acelerar demais nem esticar marchas enquanto o propulsor não estiver na temperatura ideal.

    Nada de “banguela”

    A prática, apesar de perigosa, até poderia ajudar a reduzir o consumo em carros carburados mais antigos. Mas isso não se aplica a modelos com injeção eletrônica. “Ao colocar o câmbio no ponto-morto, a central eletrônica entende que o carro está parado e injeta combustível no motor apenas para mantê-lo em funcionamento de marcha lenta”, analisa Pose. Além disso, ele avisa que esse costume é perigoso em descidas, pois carro desengatado perde a função do freio-motor e fica mais difícil de ser controlado, elevando risco de acidentes.

    Ar-condicionado ou vidro aberto

    O uso do ar-condicionado interfere diretamente no consumo de combustível, que pode subir em média até 10%, pois o equipamento necessita da força do motor para fazer girar o compressor do gás refrigerante, por meio de uma correia. Além disso, rodar com os vidros abertos, mesmo com o ar desligado, aumenta a resistência do veículo ao ar e também faz o motor beber mais.

UOL 

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Assaltantes atacam posto de combustível no Castelo Branco e tenente da PM é salvo por colete

Um assaltante foi preso e outro fugiu, ferido, após tentativa de assalto a um posto de combustíveis, no bairro Castelo Branco, em João Pessoa. O crime aconteceu ao meio-dia desta segunda-feira (10).

Um tenente do Batalhão da Polícia Ambiental também foi baleado na tentativa de assalto. “A bala ficou encravada no colete”, disse a assessoria de imprensa da PM.

Segundo a assessoria de comunicação da Polícia Militar, um dos suspeitos foi preso e arma apreendida. O revólver estava com toda deflagrada. Ele foi levada para a Central de Flagrantes. O outro suspeito conseguiu fugir..

Os funcionários e o proprietário do posto foram rendidos. Um dos frentistas descreveu que teve a arma apontada para a cabeça e quase levou um tiro, mas a bala não saiu do revólver.

A Polícia Ambiental disse que houve troca de tiros com os bandidos e um deles fugiu ferido, pois havia manchas de sangue pelo chão. O preso foi conduzido para a Central de Polícia Civil.

tambaú247

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Aposentado é baleado no rosto ao reagir a assalto em posto de combustível da PB

Reprodução/Google Street View Caso ocorreu em Queimadas
Reprodução/Google Street View
Caso ocorreu em Queimadas

Um aposentado de 78 anos foi ferido com um tiro no rosto ao segurar no braço de um bandido para que ele não roubasse uma corrente de prata durante um assalto. O caso ocorreu em um posto de combustíveis, na manhã desta quarta-feira (29), no município de Queimadas, no Agreste paraibano, a 145 km de João Pessoa.

Segundo o Centro Integrado de Operações Policiais em Campina Grande (Ciop), o crime aconteceu quando dois homens armados renderam clientes e funcionários do posto e exigiram dinheiro e objetos pessoais.

Após terminar o roubo, um dos bandidos viu o aposentado se aproximando do posto e o abordou, exigindo que ele entregasse a corrente de prata.

“O aposentado se negou a entregar o objeto e segurou na mão do bandido quando ele tentou arrancar a corrente. O bandido não teria gostado da reação do idoso e efetuou disparo, atingindo o aposentado no rosto, abaixo do olho direito”, contou o Ciop.

Ainda segundo o Ciop, a dupla de bandidos fugiu após o crime. Socorrido pelo Samu, o aposentado foi encaminhado para o Hospital de Trauma de Campina Grande, onde deu entrada e foi direcionado ao bloco cirúrgico, conforme o Ciop.

O Portal Correio tentou contato com a assessoria de comunicação da Trauma de Campina Grande para saber o estado de saúde do idoso, mas as ligações não foram atendidas até a publicação desta matéria.

Por Halan Azevedo

Combustível “batizado” prejudica o bolso e o motor; saiba se defender

gasolinaEm viagem com a família partindo de São Paulo a Botucatu, o Honda Fit do jornalista Luiz Carlos Amando de Barros quase parou no meio da rodovia Castello Branco, faltando cerca de metade dos 240 quilômetros entre as duas cidades. Do nada, o ponteiro do marcador de combustível despencou e, por sorte, ele conseguiu achar um posto de combustível de antes do que achou ser uma situação de “pane seca”.

Barros conta que o susto aconteceu apesar de ter enchido o tanque do veículo antes de pegar a estrada. “Na pressa, completei o nível da gasolina em um posto perto do acesso à Marginal Pinheiros, onde nunca tinha abastecido antes. Como tinha bandeira, pensei que não haveria problema”, afirma. “Normalmente, um tanque cheio dá para ir e voltar tranquilamente”, aponta.

Abastecer não resolveu: durante o trajeto, o motor do carro começou a falhar.

Esse segundo problema, somado ao consumo excessivo, são sintomas típicos do uso de combustível adulterado, um problema bastante frequente e que pode causar danos sérios ao automóvel, além de grande prejuízo ao consumidor.

A adulteração do combustível é ilegal, mas bastante comum: de janeiro a novembro, a ANP (Agência Nacional do Petróleo) já fez 577 autos de infração por má qualidade no Brasil, com 124 interdições. Em 2015, foram gerados 355 autos de infração — a alta de um ano a outro (ainda incompleto) já é de 62%. O Estado de São Paulo tem o maior número de ocorrências: 101 autos, com 59 interdições.

Alessandro Reis/UOL
Luiz Carlos de Barros sofreu com gasolina batizada no seu Honda Fitimagem: Alessandro Reis/UOL

Tipos de fraude

O caso de Barros ficou só no susto: por sorte, ao reabastecer com combustível de qualidade, o carro voltou a funcionar como deveria. Desde então, ele nunca mais abasteceu em posto suspeito, para não passar outra vez pelo mesmo perrengue.

Feita por meio da adição de produtos fora das especificações estabelecidas pela ANP (Agência Nacional do Petróleo), a fraude tem o objetivo de aumentar o volume original e elevar as margens de lucro dos revendedores.

Quem paga a conta é sempre o dono do carro: além de levar “gato por lebre”, usar combustível “batizado” pode render prejuízo considerável na hora de pagar a conta do mecânico com os reparos de danos causados ao veículo.

“A adulteração por adição de solventes à gasolina e ao diesel, por exemplo, é bastante comum e pode ser considerada a mais danosa ao motor e ao carro, pois determinados solventes atacam os materiais com os quais entram em contato, como injetores e bombas de combustível, e provocam depósitos nas válvulas”, alerta o engenheiro Henrique Pereira, membro da Comissão Técnica de Motores da SAE Brasil (Sociedade de Engenheiros da Mobilidade).

“Já no etanol existe a venda fora das especificações da ANP, que causa a formação de gomas internas no motor”, avisa Pereira. No caso do álcool combustível, segundo o especialista, fraudadores geralmente usam mistura com água. A ANP lista ainda uso de álcool anidro, que só poderia ser misturado à gasolina.

Outra tática adotada por donos desonestos de postos é burlar a aferição volumétrica do combustível adquirido, por meio de um dispositivo eletrônico escondido na bomba: ela informa um volume maior menor que o que está entrando de fato no tanque. O dono do posto pode ainda desligar o dispositivo a qualquer hora, justamente na tentativa de enganar os fiscais.

No caso da volumetria, mais uma dificuldade: a fiscalização cabe ao Ipem (Instituto de Pesos e Medidas), órgão com gestão a cargo de cada Estado.

Como evitar armadilhas

Para fugir do problema, UOL Carros buscou dicas básicas junto aos especialistas da ANP, da SAE Brasil, da Raízen e do Procon-SP.

Vamos ao básico: abasteça sempre em posto conhecido, instalado há bastante tempo no mesmo endereço, que tenha bandeira (a marca do posto/distribuidora) conhecida, e tenha público constante. E sempre peça nota fiscal para cada abastecimento: é com ela que você cobrará seus direitos em caso de problemas.

Lembre-se: não existe facilidade, nem “almoço grátis”. Se o preço da gasolina, etanol ou diesel for barato demais — ou o preço de variações aditivadas for o mesmo do combustível normal — desconfie e não abasteça.

1. Quais são os sinais de que o veículo foi abastecido com combustível adulterado?

Trancos, falhas em marcha lenta, dificuldade de partida do motor a frio e a quente, alto consumo de combustível. Todos são indicativos importantes de combustível ruim no tanque.

2. Quais são as principais fraudes/adulterações?

+ Etanol: a adulteração mais comum é o chamado “álcool molhado”. O fraudador mistura água ao etanol combustível. Existe ainda a mistura de sobras de etanol anidro, que deveria ser adicionado apenas à gasolina — de cor alaranjada, a variante é colocada à proporção de 27% ao combustível fóssil, proporção prevista na lei. Também há casos de mistura de metanol ao etanol hidratado, flagrada, inclusive, em fiscalizações de rotina. Além de ser altamente tóxico, o metanol é bastante corrosivo e sua chama é invisível, dificultando o controle de incêndios.

+ Gasolina: o mais comum é o excesso de etanol anidro, acima da porcentagem máxima permitida por lei, de 27%. Também há a mistura solventes.

+ Diesel: a principal irregularidade é vender um diesel mais sujo e com impurezas. A quantidade de enxofre no óleo combustível varia do S-500 (500 partes de enxofre por milhão) ao S-10 (10 partes por milhão).

+ Todos os combustíveis líquidos: é frequente a chamada “bomba baixa”, quando a quantidade de combustível colocada no tanque do carro é menor do que a registrada na bomba.

3. Fique ligado

É complicado sacar na hora se o combustível é irregular, mas você pode adotar algumas práticas para se proteger:

+ Peça nota fiscal sempre. Ela é o documento que comprova a sua compra e o posto é obrigado a fornecê-la.

+ Desconfie sempre de promoções ou de preços iguais para variantes aditivadas. O posto é obrigado a exibir os preços dos combustíveis em paineis logo na entrada. O preço exibido no painel deve ser igual ao cobrado na bomba.

+ Quando a gasolina, o etanol ou o diesel forem aditivados, o posto deve expor claramente esta informação na bomba de combustível.

+ Fique de olho na empresa que fornece o combustível. Postos de bandeira branca (sem distribuidora exclusiva) devem informar em cada bomba qual distribuidora forneceu o combustível. Número de CNPJ, razão social e endereço do posto também devem estar visíveis, nas bombas. Estas informações podem ajudar a localizar autores de irregularidades.

+ Peça o teste de combustível sempre que quiser: os postos são obrigados a fazê-lo e devem manter os equipamentos de medição e certificação em dia.

4. Quais são esses testes?

+ Proveta: mede a porcentagem de etanol anidro misturado à gasolina. O percentual deve ser de 27%.

+ Volume: sempre que for solicitado, o posto tem de realizar o teste na frente do consumidor, usando a medida padrão de 20 litros aferida e lacrada pelo Inmetro. Se o visor da bomba registrar quantidade diferente da que foi adicionada ao recipiente de teste, reclame e denuncie. A diferença máxima permitida é de 100 ml para mais ou para menos.

+ Teor alcoólico do etanol: o produto deve ter entre 92,5% e 95,4% (etanol premium deve ter entre 95,5% e 97,7%). O equipamento é o termodensímetro, que deve estar fixado nas bombas de etanol. Observe o nível indicado pela linha vermelha: precisa estar no centro do densímetro, não pode estar acima da linha do etanol. Observe também se o etanol está límpido, isento de impurezas e sem coloração alaranjada.

5. Fui lesado, o que faço?

+ Denuncie posto e distribuidora que vende combustível adulterado: encaminhe denúncias ao Centro de Relações com o Consumidor da ANP pelo telefone 0800-970-0267 ou pela página na internet do Fale Conosco da agência. Se tiver prejuízos, recorra ao Procon.

+ Postos que vendem de combustível adulterado são interditados pela ANP de forma preventiva. Também são autuados e respondem a um processo administrativo, durante o qual podem apresentar sua defesa. Após o julgamento definitivo do processo, caso seja confirmada a adulteração deliberada, o estabelecimento é enquadrado em ato infracional da Lei nº 9.847/99. Dentre as sanções, há multa de R$ 20 mil a R$ 5 milhões.

+ A partir desta punição, você pode pedir ressarcimento de prejuízos.

etanol anidro

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Posto de combustível é assaltado na cidade de Belém-PB

viaturaDois homens armados de revolveres assaltaram na noite desta segunda-feira (02) o Posto de Combustível São Francisco, que fica na Rodovia PB-073, próximo a Pirpirituba. De acordo com as informações os acusados chegaram em uma moto Honda Bros 160 de cor vermelha, renderam os frentistas e roubaram uma quantia em espécie de aproximadamente R$ 500,00 (quinhentos reais), em seguida tomaram destino ignorado.

Compareceu ao local a guarnição na VTR 6093 comandada pelo SGT Dinarte, com apoio da guarnição na VTR 6510 comandada pelo CB Souza, da ROTAM ALFA comandada pelo CB Evangelista e da FORÇA TÁTICA comandada pelo SGT Amaro, que efetuaram diversas rondas a procura dos acusados, porém, não obtiveram êxito.

 

Blog do Mago

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Trio armado assalta Posto de Combustível e Oficina em Guarabira

sireneUm trio encapuzado portando um revólver e a pé, assaltaram um posto de combustível e uma oficina. O roubo aconteceu na Av. Feliciano Batista de Amorim, em Guarabira, Agreste paraibano, na noite desta quinta-feira (15). Os criminosos roubaram uma quantia em dinheiro não informada e dois aparelhos celulares e um relógio.

De acordo com a Polícia, os assaltantes roubaram o Posto de Combustível Marinho, na saída de Guarabira para Pirpirituba. O trio levou uma quantia em dinheiro não revelada, na fuga, os criminosos entraram numa oficina próxima ao “Posto” e furtaram dois aparelhos celulares, além de um relógio.

Compareceu ao local a guarnição da viatura 6836 comandada pelo Cabo Umbelino e a guarnição da Força Tática comandada pelo Soldado Gomes, onde foram feitas varias diligencias na tentativa de localizar os acusados, porem sem êxito.

nordeste1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Com produção mais barata, consumidor paga mais caro por combustível

gasolinaDados divulgados pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) aponta que o preço médio da gasolina apontou queda pela terceira semana seguida no País. Mas, os valores cobrados nas bombas de combustível ficaram levemente mais altos.

Levantamento da ANP identificou que o preço médio do combustível por litro foi de R$ 3,655, sendo 0,03% – menos de R$ 0,001 – acima do valor registrado pela entidade na primeira quinzena de outubro, quando o valor nas bombas era de R4 3,654. Vale ressaltar que, o corte nos preços, refere-se aos valores cobrados nas refinarias e pode não ser repassado ao consumidor.

Já o preço do diesel e do etanol apresentou queda nos valores cobrados do consumidor. O diesel teve q quarta queda semanal consecutiva ao atingir R$ 2,979. O preço se comparado ao mês de outubro, quando a Petrobras anunciou a primeira redução dos preços, teve retração de 0,77%, cerca de R$ 0,03 mais barato ao consumidor.

No segundo anuncio feito em novembro a retração no preço foi maior e atingiu 1%. O etanol também apresentou leve queda e atingiu preço médio de R$ 2,811, recuo de 0,18%.

As mudanças nos valores cobrados pela Petrobras em suas refinarias faz parte da nova política adotada pela empresa em outubro, mais precisamente, no dia 14, que terá preço de paridade internacional (PPI), margem para remuneração de riscos inerentes à operação e nível de participação no mercado.

Mais barato

No primeiro anuncio de redução dospreços, a Petrobras informou que a empresa estabeleceu a política de não ter preços abaixo da paridade internacional. A PPI inclui também os custos com frete de navios, custos internos com transportes e taxas portuárias.

Na primeira queda anunciada em outubro a companhia decidiu reduzir o preço do diesel em 2,7% e da gasolina em 3,2%. Em novembro a estatal anunciou que o preço do diesel teve redução de 10,4% e a gasolina de 3,1%.

A Petrobras estimava ainda que o preço dos combustíveis tivesse queda de quase 7% nas bombas, mas os postos de combustível, em sua maioria, aumentou o preço cobrado do consumidor.

IG

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br