Arquivo da tag: Cláudio Lima

“Isso é mentira e irresponsabilidade” desabafa Claudio Lima sobre boatos de palhaços praticando crimes na PB

palhaco“Isso é mentira”. Foi assim que o secretário de Segurança Pública do Governo da Paraíba, Cláudio Lima, desmistificou os boatos sobre possíveis ações de homens vestidos de palhaços, que estariam sendo apontados como sequestradores e estupradores de crianças e que estariam atuando na Paraíba. Ele informou que já solicitou informações sobre casos nesses moldes no Estado e, até agora, nada foi registrado nesse sentido.

“Para mim ninguém passa essas coisas, porque eu mando instaurar inquérito. Isso é irresponsabilidade de quem não tem o que fazer. Procurei saber de ocorrências nesse sentido não tinha em lugar nenhum. Na rua tem palhaços profissionais, promovendo ações do dia das crianças apenas. Isso é uma irresponsabilidade total. Eu não achei nenhuma ocorrência ainda”, disse.

O secretário lamentou ainda a disseminação de boatos através das redes sociais e o compartilhamento aleatório realizado pelos internautas de forma descompromissada, que só provoca pânico à população.

“Isso é mentira. Tem algumas pessoas que me mostraram essas mensagens de palhaços que estavam espantando crianças. São pessoas que usam a internet de forma irresponsável e também compartilham qualquer notícia sem saber da veracidade”, lamentou.

ENTENDA

Chamada de o “Apocalipse dos Palhaços” (“Clown Apocalypse”), uma onda de aparições como essa tem causado pânico em todo o mundo. No Reino Unido, nesta segunda-feira (10), alertas foram emitidos pela polícia, após uma série de relatos sobre “palhaços assassinos”. De acordo com a Reuters, indivíduos vestidos com roupas de palhaço, às vezes com facas ou machados, teriam perseguido pessoas e até crianças. A “brincadeira sem graça” começou nos Estados Unidos e há relatos de que tenha chegado no Brasil.

Uma página chamada Palhaços no Brasil tem publicado fotos e vídeos com figuras assustadoras em parques, ruas e avenidas. Nas legendas, os administradores da página contam que os casos retratados aconteceram no Brasil. Nos comentários, há quem duvide da localização da foto e há quem tema encontrar com algo parecido ao sair de casa.

Os boatos ganharam força nas redes sociais durante o fim de semana e, em Osasco, na Grande São Paulo, um evento chegou a ser criado com o objetivo de “caçar” os “palhaços assassinos”. Há relatos de que eles tenham sido flagrados na Lapa, em Itaquera e ainda na região da Avenida Paulista.Os flagrantes dessas criaturas começaram nos arredores de Greenville, na Carolina do Sul, EUA, em agosto, quando a polícia americana recebeu relatos de palhaços parados, tentando atrair crianças para florestas, com pacotes de dinheiro e lanternas.

Brincadeira seria jogada de marketing?

Em meio a tantos boatos que rodeiam o Apocalipse dos Palhaços, muitos internautas defenderam a ideia de que a brincadeira das criaturas assustadoras tenha começado como uma ação de marketing para promover o remake de “It- Uma obra-prima do medo”, uma adaptação do clássico filme de 1990, inspirado na obra de Stephen King, que conta com o assustador palhaço Pennywise. O remake será lançado em setembro de 2017.

A produção do filme, no entanto, já avisou que não tem nenhuma ligação com as aparições de palhaços nos Estados Unidos. No início do mês, o próprio Stephen King pediu para que os americanos se acalmassem.  


PB Agora

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Cláudio Lima defende integração das ‘inteligências’ para coibir fuga de presos

claudio limaO secretário de Segurança e da Defesa Social da Paraíba, Cláudio Lima declarou que considera preocupante a fuga de presos em estados vizinhos para a Paraíba e defendeu a integração das ‘inteligências’ da segurança. Segundo ele, o Estado tem que estar preparado para agir, caso algum desses criminosos escolham vir para a Paraíba como uma possível rota de fuga.

O secretário, disse ainda estar atento e orientando nossos policiais para ações mais efetivas em estradas e vias de acesso. “Já passamos por outras situações semelhantes e sempre estivemos bem aparelhados para agir em situações de extrema cautela como essa que ocorreu no nosso estado vizinho”, revelou, destacando ainda que recentemente participou de um encontro dos secretários de Segurança no Ceará, onde o tema foi violência armada contra o patrimônio público privado.

“Os bandidos não vão deixar de matar, então os governantes sejam eles, a nível federal, estadual ou municipal tem mesmo que se preparar, pois a coisa não está muito fácil não. Para você ter ideia, no ano passado, do Rio Grande do Norte fugiram 486 presos, a maioria assaltantes de bancos e esse ano já passam de 300 presos. Então nosso Estado está trabalhando com estados vizinhos como PE, CE e RN, onde já foram feitas várias prisões com o trabalho integrado dessas políticas”, afirmou, confirmando a importância da integração das policias no combate ao crime organizado.

PB Agora

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Cláudio Lima diz que Marinho Mendes vai ser convocado para depor sobre o caso Rebeca

claudio-limaO secretário de Segurança da Paraíba, Cláudio Lima, comentou em entrevista ao programa Rádio Verdade da Arapuan FM, nesta sexta-feira (15), que o promotor de Justiça, Marinho Mendes será convocado para depor, após ter ventilado na imprensa o nome do suposto assassino da jovem Rebecca, em 2011.

Para Lima, se Mendes sabe quem fez isso e ele é membro de uma instituição que tem poder de ação penal e dois promotores, ele não precisa nem de inquérito para denunciar e questiona: “Essa informação é ética com os demais procuradores que estão trabalhando? O Dr. Marinho Mendes é vice presidente do Conselho Estadual de Direitos Humanos e se essa pessoa que ele acusa não for ela? E se for ela por que não indicou para seus pares? Se a polícia soubesse já teria terminado esse caso”, destaca.

“Acompanho o trabalho de perto e não falo nada porque estaria traindo a investigação do delegado, mas se o doutor Marinho Mendes sabe é bom que ele leve ao MP, inclusive o delegado vai chamá-lo, porque se ele sabe, então é testemunha e vai ser intimado”, afirmou lembrando ainda que o rapaz que Mendes está acusando já entrou com representação contra ele na corregedoria e na Justiça”, garante.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Mudanças de delegado – o caso Rebecca levantou suspeitas devido ao grande número de delegados à frente. Lima afirmou que até agora foram cinco, mas justificou que o primeiro entrou de férias prolongadas por uma licença e para não deixar o trabalho parado mudou-se o delegado, os demais saíram por licença médica, porém garantiu que o trabalho não precisa ser feito do zero, pois é acompanhado pelo Ministério Público.

O secretário afirmou que espera um desfecho para as investigações e que não pode adiantar dados, pois correm em segredo de justiça, porém acredita não há pessoas influentes envolvidas, não que ele saiba.

Marília Domingues

Claúdio Lima diz que Cássio não tem ‘moral’ para falar de segurança: ‘o que eu digo, posso provar’

claudio-limaSecretário de Segurança e Defesa Social da Paraíba, Cláudio Lima, lamentou a postura do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) sobre a violência em Campina Grande, afirmou que no tempo que Cássio foi governador a situação de violência era pior que hoje mesmo com mais homens na polícia e população menor: “O que eu digo posso provar, mas tirar proveito do caos? A eleição passou!”.

Em entrevista ao programa Rádio Verdade da Arapuan FM, nesta sexta-feira (15), o secretário reclamou do grande número de ocorrências falsas em Campina Grande na quarta-feira (13). Lima garantiu que em nenhum momento a Polícia Militar pediu para os ônibus pararem e reclamou que as notícias falsas são um desserviço para a população.

Lima foi incisivo nas críticas principalmente ao senador Cássio Cunha Lima (PSDB). Baseado em dados expostos no livro “Panorama dos Homicídios no Brasil”,  o secretário afirmou que na época do Senador “foi onde mais aumentou os homicídios”. “Não sou eu quem digo”, afirmou. O livro do cientista político, doutor pela Universidade Federal de Pernambuco e professor da Universidade Federal de Campina Grande, José Maria Nóbrega Júnior, faz um comparativo ao efetivo e aumento da criminalidade. De acordo com Lima, o livro trata do aumento dos homicídios principalmente de 2004 a 2009 na Paraíba, enquanto houve no mesmo período um incremento no efetivo policial que chegou a ser 10 mil homens. “No início do nosso governo tínhamos 1700 policias”, lembrou o secretário afirmando que o governo contratou e atualmente mesmo com a deficiência o estado conseguiu diminuir o número de homicídios em 2012.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Para Lima, Cássio não tem moral para falar de segurança. “Esse discurso não pega mais se não quiser acreditar achar que é dado falso, peguem um órgão sério e busquem saber. Não vão fazer afirmativa inverídica, sem fundamento nem prova. A criminalidade foi crescente até 2011 porque apuramos e temos dados, dizer que aumentou e não ter prova. O que eu digo eu posso provar, mas tirar proveito político do caos? A eleição passou!”, reclama.

Lima também comentou as declarações do deputado estadual, Bruno Cunha Lima (PSDB) que saiu em defesa de seu tio, o senador Cássio, no programa Rádio Verdade desta quinta (14) e pediu que o tucano se “debruçasse” sobre a política da família dele e que verifique como era em 2003 onde eles tinham mais policiais e a população era menor.

O secretário afirmou que os dados apresentados pelo estado são verdadeiros, pois se não fossem, estaria cometendo um crime e Ricardo Coutinho (PSB) não permitiria que escamoteassem dados.

Marília Domingues

‘PB não produz os principais vetores da violência: drogas e armas’, diz Cláudio Lima, mas conta ‘solução’ de longo prazo

(Foto: Divulgação/Secom-PB)
(Foto: Divulgação/Secom-PB)

O secretário de Segurança da Paraíba, Cláudio Lima, comentou que existem problemas sim na segurança no estado, falando principalmente de João Pessoa, mas destacou a diminuição dos casos de homicídio e ressaltou: ‘o estado não produz as maiores fontes de criminalidade: armas e drogas’.

Em uma entrevista reveladora, Lima destacou que a violência é um problema do país como um todo. “Não quero dizer que somos perfeitos ou estamos fazendo um trabalho melhor que ninguém. Estamos na Paraíba, mas não podemos esquecer que estamos em um contexto nacional. A Paraíba não produz os principais vetores da violência que são a droga e a arma”.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Lima comentou que o maior número de assaltos na Capital paraibana se concentrava na região de Manaíra e entorno do Bairro São José e que foi preciso a integração das polícias e a instalação de uma Unidade de Polícia Solidária (UPS) para diminuir a criminalidade, contudo, ele apontou o efeito de ‘cobre/descobre’. “Quando você atua demais em uma área, acaba fazendo com que haja um deslocamento desse processo. Tivemos alguns bairros como o ‘Bola na Rede, Alto do Mateus e Mangabeira com problemas muito sérios. Estamos com reforço agora”, garante. O secretário apontou ainda que em Mandacaru houve um período de queda nos homicídios e crimes contra o patrimônio, mas o bairro já está voltando a preocupar.

Para resolver este problema, o secretário falou na criação de Distritos Integrados com Polícia Militar, Civil e UPS. “Em Mandacaru teremos que fazer assim. No Valentina já temos uma UPS, mas estamos melhorando, em Mangabeira temos uma Disp (PM e PC) e uma únidade da Força Tática. No Cristo precisamos ocupar melhor”, conta.

Lima explicou que é preciso muito empenho para fazer estes Distritos e apontou a necessidade de mais de um governo, empenhado, para fazer isso. Voltando às causas, o secretário lamentou o problema maior que é o crack. “Isso veio fazer com que houvesse uma motivação muito maior dos assaltos, com essa infeliz droga. Um verdadeiro câncer”, reclama.

O secretário mostrou números de contratações de policiais militares e civis, porém, apesar de ainda haver uma defasagem e de o governo não ter podido contratar no início do mandato devido ao comprometimento da folha de pessoal, a cidade cresceu. “Tivemos uma expansão democráfica e imobiliária na Zona Sul”, diz.

Marília Domingues

Conscientização não é suficiente: Cláudio Lima reclama de trotes ao CIOP e fala em repressão

(Foto: Divulgação/Secom-PB)
(Foto: Divulgação/Secom-PB)

O secretário de Segurança da Paraíba, Cláudio Lima, comentou  que um dos grandes problemas na atuação do Centro Integrado de Operações Policia (CIOP) é a quantidade de trotes que a população passa.

 

Para Lima, a população reclama, com razão, da segurança, contudo, ele também revela que o próprio povo tem parte da culpa. “Não podemos admitir um sistema com 10 mil ligações e de 20% a 30% são trotes. A própria população precisa se conscientizar que o bem público tem que ser utilizado em favor deles”, afirma.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Lima destacou que os trotes são inevitáveis, que é preciso conscientizar as pessoas e ressaltou a importância de estabelecer uma estratégia para tentar diminuir isso ou ‘no caso reprimir’.

paraiba.com.br

Cláudio Lima reúne responsáveis pelo “Caso Rebecca” e cobra resultado

rebeca“A polícia não parou um só minuto”. Foi o que disse o secretário da Segurança e Defesa Social, Cláudio Lima, sobre as investigações da morte da estudante Rebecca Cristina. Durante entrevista a uma emissora de rádio na última sexta-feira, 16, ele revelou que na quinta-feira reuniu os responsáveis pelo inquérito policial.

O objetivo da reunião, disse Cláudio Lima, foi cobrar resultados do grupo responsável pelas investigações para chegar a uma conclusão sobre o assassinato da estudante que era aluna do Colégio Militar da Paraíba.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A estudante Rebecca Cristina Gomes, que tinha 15 anos, foi assassinada na manhã do dia 11 de julho de 2011. O corpo foi encontrado semi-despido dentro da mata na Praia de Jacarapé, em João Pessoa, com sinais de violência sexual.

Segundo a família, a estudante havia saído de casa, como fazia todos os dias, por volta das 6h30 com destino ao Colégio da Polícia Militar, em Mangabeira, há poucos metros de sua residência, onde estudante, sendo a última vez que sua mãe, Teresa Cristina abençoou a filha e pediu cuidados.

Desde a ocorrência, vários delegados já presidiram o inquérito policial, que corre em segredo para não atrapalhar as investigações.

Um dos delegados que assumiu as investigações, Glauber Fontes, garantiu que o crime não ficará impune. Na ocasião, ele afirmou que a polícia está trabalhando, fazendo todo o possível para desvendar o crime, no entanto, para ele o caso é complicado porque ainda não existe provas concretas dos autores do assassinato. “Mais de 50 exames de DNA foram feitos e todos foram descartados. A suspeita é de que o autor tenha sido uma pessoa de longe, de outra cidade” reforçou o delegado.

A polícia quer a ajuda da população para chegar ao autor do crime bárbaro que chocou, não só alunos do Colégio Militar da Polícia Militar, como também toda a população. Quem tiver alguma pista pode telefonar para 190 (CIOP-Centro Integrado de Operações Policiais), 197 (Disque Denúncia), como também comunicar a qualquer órgão de segurança

Cardoso Filho
WSCOM Online

Caveira do BOPE: ‘Está se criando uma polêmica maior do que deveria’, diz Cláudio Lima

claudio-limaEm entrevista ao programa Cidade em Ação, do Sistema Arapuan, o secretário de segurança do estado Cláudio Lima, comentou sobre a polêmica levantada nesta sexta-feira (22) sobre a possível retirada do desenho de uma caveira, do símbolo do BOPE PB. “O trabalho da polícia não pode estar sendo vinculado exclusivamente ao símbolo, pois o valor do trabalho realizado é muito maior do que isto”, pontuou.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O secretário explicou que toda a polêmica começou quando o deputado Luiz Couto (PT) solicitou que o comandante do Batalhão paraibano, Euller Chaves, cumprisse a resolução ministerial publicada no ano passado. “Esta resolução orienta tanto a PM, quanto a qualquer polícia a evitar elementos que remetam a violência e os órgãos federais já haviam passado a exigir o cumprimento”, disse o secretário.

De acordo com Cláudio Lima, já havia uma orientação do governador Ricardo Coutinho (PSB) para que na formação dos oficiais já se trabalhasse com uma filosofia mais solidária, independente da simbologia. “O comandante geral fez esta determinação. No entanto, está se criando uma polêmica maior do que deveria prevalecer, pois o papel da polícia vai muito além, que é servir a população”, finalizou.

Mayra Medeiros