Arquivo da tag: clássicos

Cruzeiro vence Atlético-MG e amplia tabu sobre o rival para seis clássicos

cruzeiroQuando se trata de clássico, nenhum outro número agrada mais ao cruzeirense do que o seis, desde 2011. Número que o torcedor celeste vai poder usar para tirar onda com o amigo atleticano nas próximas semanas. Afinal de contas já são seis clássicos que o Cruzeiro não perde para o Atlético-MG. No primeiro duelo de 2017, a quarta vitória azul nesta sequência. Com gol de Arrascaeta a equipe celeste venceu por 1 a 0, pela primeira rodada da Primeira Liga.

Além de vencer o maior rival e ampliar a invencibilidade no clássico para seis partidas, o bom futebol apresentado diante do Atlético também deixou o cruzeirense satisfeito. Mesmo sem Thiago Neves e Lucas Silva, duas das grandes contratações para a temporada, o Cruzeiro foi sempre melhor do que rival. Portanto, um resultado inquestionável, acabando com o jejum de clássicos sem vitórias no Mineirão, que era de sete confrontos.

À vontade no clássico, Arrascaeta faz outro gol

Iniciando a terceira temporada pelo Cruzeiro, o meia Arrascateta já enfrentou o Atlético-MG em outras oportunidades. O jogador uruguaio mostra que está bem à vontade quando o jogo é diante do maior rival. Com o gol pelo duelo da Primeira Liga, Arrascaeta já tem três gols anotados em clássicos com o Atlético. Além de gols, o uruguaio coleciona assistências e boas atuações diante do rival alvinegro.

Felipe Santana sofre com a falta de ritmo

Após deixar o futebol russo, no meio de 2016, o zagueiro Felipe Santana ficou alguns meses sem jogar. O retorno ao futebol aconteceu na estreia do Atlético, no Mineiro, diante do América, de Teófilo Otoni. Ainda sem ritmo e três dias depois do primeiro jogo oficial após um período parado, o defensor mostra que ainda está sem ritmo. O gol do Cruzeiro deixa claro como Felipe Santana sofre para readquirir a forma técnica e física. O camisa 26 do Atlético errou o tempo de bola, deixando Arrascaeta sozinho com Giovanni. No segundo, uma nova falha e mais susto para os atleticanos, mas o Cruzeiro não aproveitou a chance.

Mano supera Roger no primeiro duelo de gaúchos

Com dois técnicos nascidos no Rio Grande do Sul, os clássicos entre Cruzeiro e Atlético vão ter um gostinho de Gre-Nal em 2017. No primeiro deles, melhor para Mano Menezes. O Cruzeiro foi muito melhor do que o Atlético, em todos aspectos. Abafa e controle do jogo até abrir o placar. Depois uma marcação eficiente com uma equipe postada para o contra-ataque. Não fosse as oportunidades perdidas pelos atacantes, o resultado poderia ser ainda melhor. Um ótimo alento para quem espera voltar a brigar por títulos nesta temporada.

Sem criar, Atlético apela para o lateral alçado na área

O Atlético trocou mais passes do que o Cruzeiro, mas quase sempre no campo de defesa. Com muita dificuldade para chegar perto da área adversária, o time alvinegro voltou a apelar para um velho recurso: bola alçada na área através da cobrança de lateral. Isso ocorreu em pelo menos cinco oportunidades, a primeira delas antes dos 15 minutos de jogo. Mas nada funcionou. Embora já mostre um melhor posicionamento em campo, o time de Roger Machado está muito longe do que espera a torcida alvinegra.

Duelo das torcidas foi o ponto alto da noite

É claro que o cruzeirense deixou o Mineirão muito mais satisfeito do que o atleticano. Mas se teve algo que agradou a todo mundo foi o duelo de torcidas, para ver quem cantava mais alto. Após quatro anos o clássico voltou a ter as duas principais torcidas do estado divididas meio a meio. Desde a abertura dos portões, por volta das 17h30, quando entraram os primeiros torcedores no estádio, já era possível ver a disputa de quem contaria mais. Nesse ponto, vitória do futebol mineiro.

Reforços de Cruzeiro e Atlético foram no Mineirão

Anunciados como reforços do Cruzeiro e do Atlético-MG nos últimos dias, os volantes Lucas Silva e Elias, respectivamente, estiveram no Mineirão na noite desta quarta-feira. Ainda sem condições de jogo, os atletas foram acompanhar o clássico mineiro. Novato em Belo Horizonte, Elias chegou a o estádio com a delegação atleticana, enquanto Lucas Silva já conhece muito bem a capital mineira e não fazia parte da delegação cruzeirense. Ambos acompanharam a partida dos camarotes do Mineirão.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 1 X 0 ATLÉTICO-MG

Data: 01/02/2017 (quarta-feira)
Horário: 19h30 (de Brasília)
Motivo: 1ª rodada da Primeira Liga
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Público: 39.811 pagantes
Renda: R$ 1.139.052,00
Árbitro: Wanderson Alves de Souza (MG)
Assistentes: Luiz Antônio Barbosa (MG) e Felipe Alan de Oliveira (MG)
Cartões amarelos: Rafael Sóbis, Ezequiel e Alisson (CRU) Yago, Lucas Pratto, Ralph, Fábio Santos e Gabriel (CAM)
Cartão vermelho: Robinho (CRU)
Gols: Arrascaeta aos 27 do primeiro tempo

CRUZEIRO
Rafael; Ezequiel, Léo, Manoel e Diogo Barbosa; Henrique (Hudson, no intervalo), Ariel Cabral, Robinho e Arrascaeta (Rafinha, aos 36 do 2º); Alisson e Rafael Sóbis (Ábila, aos 28 do 2º).
Treinador: Mano Menezes.

ATLÉTICO-MG
Giovanni, Marcos Rocha, Felipe Santana, Gabriel e Fábio Santos; Rafael Carioca, Yago (Ralph, no intervalo), Otero, Maicosuel (Clayton, aos 28 do 2º) e Cazares (Rafael Moura, aos 40 do 2º); Lucas Pratto.
Treinador: Roger Machado.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Definidos os grupos da Copa do Nordeste 2017 que terá Grupo da Morte e dois clássicos

copaEstão definidos os grupos para a Copa do Nordeste 2017. O sorteio foi realizado na noite desta terça no Centro Cultural Ariano Suassuna, em João Pessoa. A cidade paraibana recebeu representantes da CBF, das nove federações estaduais da região e dos 20 clubes participantes para o sorteio dos grupos da competição.

A competição vai seguir os mesmo moldes da edição deste ano, contendo 20 clubes divididos em cinco grupos com quatro equipes cada, avançando os primeiros colocados e os três melhores segundos seguem para o mata-mata.

Entre os pernambucanos, a novidade é a volta dos três grande da capital na competição – já que nas duas últimas temporadas, o Salgueiro esteve entre os representantes do estado.

Confira como ficaram os grupos da Copa do Nordeste 2017:

Grupo A: Náutico, Santa Cruz, Campinense e (representante do Ceará)*

Grupo B: Bahia, Fortaleza, Moto Club e Altos

Grupo C: Sport, Sampaio Correa, River e Juazeirense

Grupo D: ABC, CRB, CSA e Itabaiana

Grupo E: Vitória, América RN, Botafogo PB e Sergipe

* Oficialmente, a vaga seria do Uniclinic, mas o clube cearense desistiu da competição. Depois dele, desistiram em cadeia Guarani de Juazeiro e Guarany de Sobral, abrindo assim vaga para o Ceará – quinto colocado do Campeonato Cearense de 2016 – participar do Nordestão. Mesmo com as desistências, a “bolinha” do Uniclinic esteve em branco no sorteio.

Caso o Ceará seja incluído, a tendência é que ele simplesmente substitua o Uniclinic, entrando no Grupo A, fazendo assim, um Grupo da Morte.

PB Agora com informações de Torcedores.com

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Corinthians encerra jejum em clássicos, bate Santos e mantém folga

brasileirãoO Corinthians finalmente sofreu com o forte calor das 11h (de Brasília) no Campeonato Brasileiro, reclamação de muitas equipes nacionais. A alta temperatura, contudo, não impediu a equipe paulistana de fazer grande duelo contra o Santos, em Itaquera, pela 27ª rodada do torneio. O bom desempenho, no que talvez tenha sido a melhor atuação do time em um clássico na competição, foi suficiente para o fim de jejum de nove partidas sem vitórias contra os rivais. Pior para a equipe da Baixada Santista, que levou 2 a 0 com gols de Jadson alcançados na reta final do duelo.

Em campo, o Corinthians justificou os quase 40º C da matinê paulistana e fez um duelo quente contra o rival. Melhor em campo, os donos da casa tiveram as principais chances para sair na frente do placar, mas sofreram com erros de finalização ou com o goleiro Vanderlei. Na reta final do confronto, contudo, Jadson, em pênalti bem marcado pela arbitragem e em rápido contra-ataque, garantiu o triunfo que mantém a folga alvinegra na ponta.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

O time paulistano mantém a liderança do Campeonato Brasileiro com pelo menos a mesma vantagem que tinha até antes do duelo. A equipe vai aos 57 pontos e agora torce contra o Atlético-MG, vice-líder com 49 pontos que pega o Flamengo ainda nesta tarde. O Santos, por sua vez, fica mais longe do G-4, em oitavo com 40 pontos.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 2 x 0 SANTOS

Data: 20 de setembro de 2015
Horário: 11h (horário de Brasília)
Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Árbitro:  Flávio Rodrigues Guerra
Auxiliares: Rodrigo Pablo Zanardo e Alex Ang Ribeiro
Público pagante: 41.748 pessoas
Renda: R$ 2.649.100,00
Gols: Jadson, aos 40 minutos do segundo tempo e aos 43 minutos do segundo tempo
Cartão amarelo: Ricardo Oliveira, Marquinhos Gabriel, Neto Berola e Werley (Santos) Elias e Felipe (Corinthians)
Cartão vermelho: Werley e David Braz (Santos)

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Felipe, Gil e Yago; Ralf; Jadson, Elias (Cristian), Renato Augusto e Malcom (Lucca); Vagner Love (Danilo). Técnico: Tite

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, David Braz e Zeca; Thiago Maia, Renato, Lucas Lima e Marquinhos Gabriel (Leandro); Gabriel (Neto Berolo) e Ricardo Oliveira (Paulo Ricardo). Técnico: Dorival Júnior

 

 

Uol

Fabuloso x Guerrero: artilheiros são armas contra clássicos ‘zerados’

São Paulo e Corinthians possuem suas apostas para acabar com a sequência de três empates sem gols nos clássicos do Campeonato Paulista e, de quebra, aumentar a motivação para a próxima rodada da Libertadores. Artilheiros de seus clubes em 2013, Luis Fabiano e Paolo Guerrero chegam ao confronto deste domingo, às 16h, no Morumbi, como referências.

Escalados, os artilheiros são esperança de, enfim, um clássico com gols. Dos cinco realizados até agora, apenas dois tiveram bolas nas redes: Santos 3 x 1 São Paulo e Palmeiras 2 x 2 Corinthians. Nos demais, igualdade por 0 a 0.

montagem Luis Fabiano Guerrero  (Foto: Editoria de Arte / Globoesporte.com)Luis Fabiano e Guerrero: atrações do clássico (Foto: Editoria de Arte / Globoesporte.com)

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

 

O momento do Fabuloso pode não ser dos mais calmos, porém, os números são incontestáveis. Em 15 partidas até agora, o centroavante fez 12 gols. O rendimento recente é ainda melhor. Nos últimos quatro jogos, todos pelo estadual, ele anotou nada menos que cinco. Os dois últimos na vitória por 2 a 0 sobre o Paulista, em Jundiaí.

Mas balançar a rede não é suficiente. Luis Fabiano voltou a se envolver em polêmicas ao ser expulso após o apito final do empate por 1 a 1 diante do Arsenal, no Pacaembu, pela Libertadores. Acabou suspenso por quatro rodadas pela Conmebol por ofender o árbitro Wilmar Roldán e aguarda o julgamento do recurso para saber se vai a campo na quinta, frente ao Strongest, na Bolívia.

Algumas declarações do atacante também serviram para esquentar o clima no Morumbi. O camisa 9 disse que “coisinhas” estavam minando o ambiente do elenco neste período de instabilidade na competição. Por conta disso, vem evitando falar com a imprensa após os jogos.

Tite garante que não pretende tirar proveito do temperamento explosivo de Luis Fabiano no clássico.

– Sobre a real qualidade técnica dele, há preocupação, mas não vamos tirar vantagem de alguma situação. Ele é um grande jogador e nos preocupa por seu futebol. Não é do perfil do Corinthians, do técnico e dos atletas aproveitar qualquer outro fator. Queremos ganhar jogando melhor – afirmou.

Já Guerrero não se acomodou com o posto de herói alvinegro por ter feito os dois gols do Timão no Mundial de Clubes, em dezembro, no Japão. O centroavante manteve o faro de artilheiro no início de 2013 e, mais uma vez, lidera com folga as estatísticas. Em 14 partidas, fez oito gols.

A concorrência pesada criada no elenco corintiano também não foi problema para o peruano que fez carreira no futebol alemão. Apesar da presença de Alexandre Pato no grupo, o também camisa 9 continuou como referência do setor ofensivo. A prova está nos números. Ele tem nada menos que o dobro dos gols marcados pela estrela contratada ao Milan.

 

 

Globoesporte.com

Brasil bate Argentina no vôlei e abre o dia dos clássicos com autoridade

Se a quarta-feira reserva dois clássicos decisivos entre Brasil e Argentina nas Olimpíadas de Londres, o primeiro teve jeitão de aquecimento. A começar pela Arena de Vôlei, que tinha muito mais bandeiras verde-amarelas e pequenos focos de azul e branco aqui e ali. Sentindo-se em casa, a seleção de Bernardinho não tomou conhecimento. Sem o peso de uma partida de quartas de final, o time jogou solto, manteve a concentração em dia e, quando os hermanos piscaram, já estavam liberados para a viagem de volta. Com boas atuações de Murilo e Sidão, o Brasil venceu tranquilo por 3 a 0 (25/19, 25/17, 25/20) e avançou às semifinais em Londres. Agora faltam dois passos para retornar ao topo do mundo olímpico.

Murilo na partida de vôlei do Brasil contra Argentina (Foto: Reuters)Murilo desce o braço contra os hermanos: ele foi o melhor atacante do Brasil em quadra (Foto: Reuters)

– Quando o time joga bem, acaba ficando mais fácil. Sacamos muito bem, e a atenção de todo mundo estava num nível muito alto. Nosso objetivo sempre é colocar o erro em zero, e hoje jogamos com muita consistência. A expectativa pelo basquete é muito grande, tomara que eles consigam a vitória, porque lutaram muito para estar aqui. Queríamos ir ao jogo à noite, mas acho que não vamos conseguir ingresso – afirmou Murilo, destaque do Brasil no jogo.

Com a vitória sobre os rivais argentinos, o vôlei masculino do Brasil se classificou para sua sexta semifinal olímpica. Nas cinco vezes anteriores em que ficou entre as quatro melhores do Jogos, a seleção levou a melhor em quatro: 3 a 1 na Itália (Los Angeles 1984); 3 a 1 EUA (Barcelona 1992); 3 a 0 EUA (Atenas 2004) e 3 a 1 Itália (Pequim 2008). A única derrota aconteceu nas Olimpíadas de Seul, em 1988, na derrota por 3 a 0 para os Estados Unidos.

Campeão em Atenas 2004, o Brasil caiu na final em Pequim 2008 para os americanos, que podem ser os adversários nas semis. Eles enfrentam a Itália ainda nesta quarta, às 12h (de Brasília). O próximo duelo está marcado para sexta-feira, ainda sem horário definido. O SporTV transmite ao vivo, e o GLOBOESPORTE.COM acompanha os lances em Tempo Real. Na outra chave, as quartas de final são Rússia x Polônia (15h30m) e Bulgária x Alemanha (17h30m).

O basquete masculino completa a quarta de clássicos enfrentando a Argentina às 16h desta quarta e tentando voltar à semifinal olímpica após 44 anos de ausência.

Com Bruninho variando bem as jogadas e acionando atacantes em todos os cantos da quadra, o Brasil começou tranquilo na Arena de Vôlei. Cozinhou os primeiros minutos e, na parada técnica, vencia por 8/7. Na volta, deslanchou. Abriu 11/7, obrigou o treinador Javier Weber a parar o jogo, e nem isso adiantou. Com Murilo puxando o ataque, a vantagem subiu para oito pontos. No 20/13, o susto: Leandro Vissotto caiu e levou a mão à virilha direita. Saiu mancando, sob aplausos, e passou o restante da partida no banco, com aplicação de gelo na perna. Dentro da quadra, não fez falta. Pouco depois, Dante sentiu o joelho, mas logo se recuperou e voltou à quadra. O Brasil fechou o set em 25/19, graças a mais uma pancada de Murilo.

A segunda parcial foi mais equilibrada, mas só até a metade. Coube aos hermanos abrir vantagem no início e segurar os 8/7 na primeira parada. Aos poucos, o Brasil foi se encontrando. Quando os rivais piscaram, já perdiam por 16/12. E dali para frente, só deu Brasil. Com Sidão participando mais do jogo, as coisas ficaram mais fáceis. Foi num saque monstruoso dele que o set chegou ao fim: 25/17.

O roteiro foi parecido no terceiro set, com a Argentina ameaçando no início pelas mãos de Conte, mas o Brasil controlando sem perder a cabeça. Ao fazer 8/7 na parada técnica, Lucão caprichou no saque e abriu dois pontos, mas desta vez os adversários demoraram mais para largar o osso. Com apertados 16/15 na segunda parada, foi preciso enfiar o pé no acelerador para evitar surpresas. Feito. Perdendo por 20/17, Weber parou o jogo outra vez. Mas não adiantou, e teve até cortada de Dante na cabeça de Castellani. Àquela altura, já não havia mais clássico algum. De um lado, eram argentinos perdidos em busca do último suspiro. Do outro, um Brasil que fechou a parcial em 25/20 e, com o pé na porta, abriu seu caminho até a semifinal.

vôlei brasil argentina londres 2012 (Foto: Agência Reuters)vôlei Festa brasileira na quadra: vitória tranquila põe o Brasil nas semis em Londres (Foto: Agência Reuters)
Globoesporte.com