Arquivo da tag: Cinco

Cinco são presos durante operação policial nas cidades de Caiçara e Logradouro

Na manhã dessa segunda-feira (08), nas cidades de Caiçara-PB e Logradouro-PB, a Polícia Civil (8ªDSPC) e a Polícia Militar-PB (4ºBPM), em ação conjunta, deram cumprimento a 09 mandados de busca e 02 de prisão.

Na ocasião, 5 pessoas foram presas em flagrante delito ou por força das ordens judiciais: Maria Lúcia Henrique da Silva (52 anos), Sebastião de Souza (65 anos), Cosmo Manoel da Silva (31 anos), Francisco de Assis Laurentino dos Santos (NENÉM DE BIRRIM) e o presidiário José Tibério da Silva (atualmente, no  presídio João Bosco Carneiro, em Guarabira-PB). A

Ainda como parte dessa mesma ação policial, na última sexta-feira (5), outro presidiário (também da penitenciária de Guarabira) Fabiano Gomes, líder do grupo, teve um mandado de prisão cumprido em seu desfavor.

Aos acusados são atribuídos diversos crimes: homicídios, tráfico de drogas, roubos e posse de armas de fogo.

 

Pedro jr

 

 

4º BPM participa de lançamento de projeto de arborização de cinco cidades da região

Policiais do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) participaram, na semana passada, do lançamento do projeto “Muda: mude de vida, plante uma árvore!” que será desenvolvido nas cidades de Alagoa Grande, Alagoinha, Mulungu, Juarez Távora e Araçagi, que integram a área do Batalhão, que é um dos parceiros do projeto. A iniciativa, que visa à conscientização e educação ambiental, além da arborização e embelezamento dos municípios da região, através do plantio de ipês e outras árvores ornamentais, também conta com as parcerias da Afink (Associação de Formação e Incentivo para o Nordeste Karente), Poder Judiciário e Ministério Público das Comarcas de Alagoa Grande e Alagoinha, e as Prefeituras Municipais de Alagoa Grande, Alagoinha, Mulungu, Juarez Távora e Araçagi.

Na solenidade compareceram várias autoridades representantes das instituições parceiras, entre eles, o subcomandante do 4º BPM, tenente-coronel Brandão, o comandante e subcomandante da 2ª Companhia, respectivamente capitão Jones e tenente Eslley, o juiz das Comarcas de Alagoa Grande e Alagoinha, José Jackson Guimarães, o prefeito de Mulungu, Melquíades Nascimento, o coordenador do projeto junto a Afink, Luís Carlos, secretários de Educação, Agricultura e Assistência Social dos municipais envolvidos, além de alunos do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos do Município de Araçagi.

Ao final da solenidade, mudas de árvores foram distribuídos entre as pessoas presentes.

Fotos: Gustavo Chaves e cabo Marconi

 

Assessoria 4º BPM

 

 

Paraíba tem cinco casos de mortes por H1N1 confirmados em 2019, diz Secretaria de Saúde

Cinco casos de morte por H1N1 em 2019, na Paraíba, foram confirmados pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) nesta segunda-feira (10). Os casos aconteceram nas cidades de São Bento, Santa Rita, João Pessoa, Alagoa Nova e Cachoeira dos Índios.

Em maio, quatro casos estavam sendo investigados. A Secretaria foi notificada no dia 1º de maio, após a morte de uma criança de quatro anos, que morava no município de Alagoa Nova, no Agreste da Paraíba. Uma outra morte por suspeita de H1N1 foi notificada no dia 4 de maio. A vítima foi um homem de 45 anos, morador do município de São Bento, no Sertão do Estado.

Além disso, a SES informou que, em 2019, foi confirmado que 17 pessoas estão tratando a influenza.

Nesta segunda-feira (10), também foi confirmado que um homem de 59 anos está em tratamento no Hospital Regional de Sousa, com suspeita de H1N1. Ele fez os exames necessários, que foram encaminhados para o Laboratório Central do Estado (Lacen). A Secretaria aguarda o resultado.

Vacinação

A campanha de vacinação contra a gripe terminou no dia 31 de maio. Em algumas cidades, como Patos e João Pessoa, a vacina foi liberada para toda a população nesta segunda-feira (10), quando atingiu a meta prevista pelo Ministério da Saúde.

A vacina protege contra três tipos do vírus – H1N1, H3N2 e influenza B – e começou voltada, especialmente, para os grupos prioritários, que incluem crianças e idosos. Agora, toda a população já pode ter acesso às doses.

Conforme a gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES, Talita Tavares, outras medidas de prevenção podem ser adotadas, como higienizar as mãos com água e sabão ou álcool gel; evitar tocar os olhos, nariz ou boca após contato com superfícies possivelmente contaminadas, como corrimão, bancos e maçanetas; e manter hábitos de alimentação saudáveis.

G1

 

Com auxílio de helicóptero, polícia prende cinco, apreende armas e localiza carro roubado

O helicóptero Acauã 2, da Secretaria de Segurança e da Defesa Social, atuou durante a abertura dos festejos juninos nesta sexta-feira (7) em Campina Grande, e participou de ações que resultaram na apreensão de armas e prisão de cinco pessoas, além da localização de um veículo roubado.

As prisões ocorreram em operação conjunta com o 10º Batalhão de Polícia Militar. Os presos, suspeito de assaltos, foram localizados na saída para Massaranduba. Na ação, três armas de fogo foram apreendidas além de facões e machados.

Horas antes, a equipe do Grupamento Tático Aéreo foi responsável pela localização de um veículo roubado na manhã desta sexta-feira (7). O carro foi encontrado numa região de mata no Bairro do Jardim Tavares e devolvido aos proprietários.

Blog do Márcio Rangel

 

 

PM apreende armas em cinco cidades do estado

A Polícia Militar da Paraíba apreendeu de seis armas de fogo em cinco cidades do estado em nesta segunda-feira (3). As apreensões aconteceram em João Pessoa, Campina Grande, Alagoa Grande, Arara e Bayeux.

A última delas foi em Bayeux, onde dois adolescentes, de 17 anos cada, foram abordados em uma moto e flagrados com um revólver, no fim da noite. O veículo que a dupla estava havia sido roubado na noite do domingo (2), no centro da mesma cidade.

No município de Arara, foi apreendida uma espingarda com um homem de 56 anos, que estaria ameaçando moradores do Sítio Serrote Branco. Em Alagoa Grande, um suspeito de 50 anos foi preso com um revólver, após ameaçar pessoas com a arma.

Já em Campina Grande, policiais da Ronda Ostensiva Tática com Apoio de Motocicletas (Rotam) do 2º Batalhão apreenderam um revólver durante abordagem a um jovem de 21 anos, no bairro de Bodocongó.

Na capital, as armas apreendidas foram consequência de duas ações de combate ao tráfico. A primeira, em Mangabeira, onde policiais da Força Regional apreenderam um revólver em meio a drogas que estavam escondidas no telhado de uma Unidade de Saúde da Família (USF). A segunda arma foi apreendida na comunidade do Riachinho, no bairro Treze de Maio, com um suspeito de 20 anos, que ainda foi flagrado com 122 pedras de crack, munição e dinheiro.

MaisPB

 

 

Fortes chuvas já fizeram cinco mananciais do estado da Paraíba sangrar

A Agência Executiva de Gestão de Água da Paraíba (Aesa) divulgou mais um balanço, onde revela que atualmente o Estado está com cinco mananciais sangrando, 68 reservatórios com capacidade superior a 20% do seu volume total, 36 em observação (menor que 20% do seu volume total), e 23 açudes em situação crítica (com capacidade menor que 5% do seu Volume Total). O monitoramento da Aesa foi feito com base nos últimos volumes registrados, entre o último dia 3 até ontem.

A Paraíba tem 132 açudes monitorados pela Aesa. Entre eles, apenas cinco estão sangrando, ou seja, com mais de 100% da capacidade. São os açudes Araçagi, em Mamanguape; Cachoeira da Vaca, em Cachoeira dos Índios; Cafundó, em Serra Grande; Pimenta, em São José de Caiana e São Salvador, no município de Sapé. Segundo a Aesa, os 23 açudes que estão em situação crítica são aqueles que estão com menos de 5% da capacidade total.

Chuvas – Segundo a meteorologista da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), Marle Bandeira, o período de abril a julho se caracteriza por ser os meses mais chuvosos do ano no Nordeste. “Ainda estamos no outono e o inverno tem início em junho, quando as temperaturas tendem a ser mais baixas por conta das chuvas”, explicou a meteorologista.

Segundo dados da Aesa, amanhã o tempo deve permanecer com nebulosidade variável e chuvas localizadas no Litoral, Brejo e Agreste, com o tempo parcialmente nublado, podendo ocorrer pancadas de chuvas.

 

pbagora

 

 

Paraíba registra quatro casos de feminicídio em apenas cinco dias

Quatro casos de feminicídio foram registrados nos últimos cinco dias na Paraíba. O último caso foi registrado  na noite desta sexta-feira (19) no sítio Floresta, município de Sousa, Sertão do Estado.

De acordo com informações da Polícia Militar, a agricultora Fabiana Ferreira, de 30 anos, foi atingida com um tiro na cabeça enquanto participava de uma comemoração entre amigos. O companheiro, que também estava na festa, fugiu logo após o crime.

O delegado Ilamilto Simplício afirmou que o caso está sendo investigado como feminicídio e que policiais do Grupo Tático Especial estão em diligência para encontrar Artur Garrido da Silva.

Os outros casos – Ainda esta semana a policia registrou mais três casos de feminicidio na Paraíba. O primeiro foi registrado na segunda-feira (15) quando um homem assassinou a tiros a ex-companheira dentro de um motel em Campina Grande.

O segundo caso aconteceu dia 18 no bairro da Torre quando um empresário, dono de uma concessionária de veículos, matou também a tiros a ex-companheira.

Na madrugada de ontem foi registrado o terceiro caso quando um homem assassinou a companheira a facadas no bairro de Mangabeira, em João Pessoa.

paraiba.com.br

 

 

Ginecologista fala sobre as cinco principais dúvidas sobre esse tema

O parto humanizado ou humanização do parto trata-se de um direito garantido por lei e é considerado um processo no qual todas as atenções são voltadas às necessidades da gestante. Segundo o ginecologista e obstetra, Alberto Guimarães, defensor do parto humanizado, é a mulher quem tem o controle da situação e as suas decisões devem ser respeitadas e levadas em consideração para tornar o momento do parto em uma experiência única, saudável, instintiva, entendendo esta ação como um ato fisiológico e natural do ser humano.

O parto humanizado oferece inúmeros benefícios como: apoio emocional, maior percepção do momento do parto, recuperação mais rápida, uma vez que não é necessário realizar cortes e nem aplicar anestesia. Além disso, a interação entre mãe e filho é imediata, haja vista que a amamentação ocorre no local onde o nascimento aconteceu.

1.       O que é um parto humanizado?

O parto humanizado é aquele em que o evento maior que é de se parir, é realizado pela mulher. A mulher colocada como protagonista deste evento, uma pessoa que tem e teve seu desejo respeitado, teve suas necessidades atendidas. Tais quais, principalmente, a ideia de acompanhante por ela escolhida, um ambiente acolhedor, pouca luz, pouca gente circulando nesse meio, possibilidade dela ingerir alimentos se ela desejar, de caminhar durante o trabalho de parto, de ter uma ajuda, a colaboração da doula com massagens para diminuir o desconforto e dar apoio. Então o parto normal humanizado é o parto em que o protagonismo é da mulher, como nós costumamos defender, dizendo que o parto é um evento feminino e tem que ser respeitado como tal.

2.       Uma cesárea também pode ser humanizada?

Claro que quando nós falamos no parto humanizado, a maioria das pessoas imaginam que seja um parto natural/normal e, na verdade uma cesariana com indicação obstétrica, também pode nesse ato ser incorporados práticas onde respeita a passagem do neném para ser feito o contato pele a pele ou o corte tardio do cordão, isso não precisa abrir mão pelo fato de ser uma cesárea, esses aspectos que vão fazer diferença depois desse nascimento na vida do bebê e da mãe.

3.       Porque as taxas de cesárea são tão altas no Brasil?

O Brasil sem dúvida é um campeão mundial de cesáreas, esse tema é complexo. A percepção porque chegamos nesse ponto, sem dúvidas existem aspectos que diz respeito a parte médica, ao sistema de saúde vigente no Brasil, diz respeito a remuneração, ao estímulo e a mudança da questão do parto que era no primeiro momento num tipo de estrutura domiciliar. Essa ida para a parte hospitalar, atuação de especialista, medicalização do parto na questão da anestesia, antibióticos, a sinalização de que a segurança viria com a questão hospitalar e a participação médica, é um dos fatores que acabou carreando pra essa quantidade de cesáreas que observamos hoje.

Ouve um momento que a mulher ia simplesmente para uma cesárea eletiva, ela começou imaginar que isso seria uma situação privilegiada que o dinheiro estaria resolvendo o principal medo do parto que é relacionado a dor. Então a ilusão de que seria mais seguro  na questão hospitalar, estaria usando recursos mais avançados e fazendo uso da questão financeira pra ter um parto entre aspas em condições mais favoráveis que o parto normal, foi também um responsável por essa distorção. Onde se imaginava “ah eu posso, vou lá e faço e uma cesárea. Quem não pode, espera o tempo que for pra nascer”.

E sem dúvida, acreditar no parto cirúrgico, no parto agendado como melhor, é uma distorção, pode até entender que seja mais tranquilo no sentido de previsível, mas não é mais seguro, é o que mostram os estudos.

4.       As mulheres têm medo do parto?

Em nossa cultura, realmente o parto é percebido como uma experiência que leva muito ao medo, remete a dor, remete a um desafio quase instransponível. Daí na questão da criação desse programa Parto Sem Medo, nós tínhamos uma clareza de que ajudar a mulher a enfrentar essa questão do medo, ela perceber a fisiologia do parto, como ele acontece, quais as modificações que acontecem, como é que funciona a questão das contrações, do corpo, que ajuda ela pode ter desde o pré-natal, quais preparos pode ter nesse sentido e que suporte terá por ocasião do parto. Acredito que isso, faz a diferença, porque muitas mulheres de posse desse conhecimento e desse resgate, da coragem, realmente estão se colocando no que nós chamamos de protagonismo. As mulheres que passaram por essa experiência que é desafiadora sim, mas ao receber seu neném no colo ainda cheio de secreção, de sangue, a criança externa, ela traz a vibração que aquela experiência foi marcante e aquela experiência valeu a pena e muitas dizem imediatamente pós-parto que fariam tudo de novo. Então isso nos encoraja em falar e a fazer a diferença na assistência de parto e ajudar a mulher a resgatar essa força que é dela.

5.       Como podemos tranquilizá-la e deixá-la ser a protagonista desse momento tão especial?

A mulher poder compartilhar com a equipe de saúde seu desejo na questão do parto, sentir que esse desejo vai ser respeitado. Discutir claramente as condições para esse nascimento e ficando claro nesse contrato, que pode ser verbal, de que as cesáreas existem sim, podem e devem ser usadas no caso de indicações precisas. Uma cesárea bem indicada se for preciso, vai ser realizada. Então, se a mulher sabe que a experiência do parto é assistida, que está sendo acompanhada e estando tudo bem com ela, se houver alguma situação realmente que leve a complicações para o bebe e para sí, obvio que a equipe de saúde tem que estar ali de maneira verdadeira, assistindo sem fazer nada sem for necessário e fazer tudo que precisar ser feito caso tenha indicação desse atendimento. Quando fica clara a comunicação entre o que a mulher, o casal grávido estão procurando, o que estão desejando e que possibilidade aquela equipe de saúde tem em relação a multiprofissional com participação do obstetra, da doula, da obstetrícia. Enfim, essa conversa fica mais fácil e nós vamos perceber que o médico e a equipe de saúde busca é tão grande quanto essa mulher busca e achar um desfecho positivo: neném bem, mãe bem e de preferência alta breve, isso é o que desejamos.

Alberto Guimarães

Formado pela Faculdade de Medicina de Teresópolis (RJ) e mestre pela Escola Paulista de Medicina (UNIFESP), o médico atualmente encabeça a difusão do “Parto Sem Medo”, novo modelo de assistência à parturiente que realça o parto natural como um evento de máxima feminilidade, onde a mulher e o bebê devem ser os protagonistas. Atuou no cargo de gerente médico para humanização do parto e nascimento do Centro de Estudos e Pesquisas Dr. João Amorim, CEJAM, em maternidades municipais de São Paulo e na Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo

Assessoria de Comunicação

 

 

Cinco termos para conhecer antes de começar a investir

Professor de Gestão Financeira da Uninter, Daniel Cavagnari, simplifica conceitos que podem parecer “técnicos” aos investidores iniciantes

Cerca de 60% dos brasileiros não têm nenhum investimento financeiro – nem na poupança. É o que mostra uma pesquisa da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). Para facilitar a entrada dessa população no mundo dos investimentos, Daniel Cavagnari, coordenador do curso de Gestão Financeira do Centro Universitário Internacional Uninter, dá algumas dicas.

“Para iniciantes, é sempre melhor buscar as aplicações mais seguras. As mais conhecidas são a poupança e o CDB (Certificado de Depósito Bancário), mas a melhor e mais confiável é o Tesouro Direto. Dá para começar a montar sua carteira com apenas R$ 30”, recomenda.

Por outro lado, a grande maioria dos títulos do Tesouro Direto têm liquidez baixa e o investidor pode sofrer prejuízos em sua lucratividade caso saque o dinheiro antes do tempo, mesmo que tenha tido boa rentabilidade. Não entendeu? O professor tranquiliza. “Esses termos parecem técnicos, mas são fáceis de aprender. Com esse conhecimento, fica mais fácil escolher os investimentos adequados”, diz.

Acompanhe abaixo o significado de cinco termos essenciais para investidores iniciantes.

– Liquidez

A liquidez é a capacidade de um determinado investimento ser convertido novamente em dinheiro. Se a liquidez for alta, o dinheiro pode ser recuperado rapidamente, mas se for baixa, é preciso esperar. A poupança, por exemplo, é um investimento de alta liquidez, pois o dinheiro pode ser sacado a qualquer momento. Já uma previdência privada, como VGBL ou PGBL, geralmente tem baixa liquidez e cobra altas taxas caso o dinheiro seja sacado antes do tempo.

“Se você tem R$ 100 mil, em mãos ou na conta corrente, esse dinheiro vale R$ 100 mil. Agora imagine que esse valor está aplicado em um terreno. O valor ainda é R$ 100 mil, mas é relativo. Se você tem tempo para buscar um comprador, vai conseguir o valor integral. Mas se está com pressa e precisa do dinheiro rapidamente, pode perder até mesmo metade do dinheiro”, exemplifica.

– Indexador

Indexadores são taxas percentuais que definem quanto o dinheiro vai render. “Por exemplo, hoje a taxa Selic é de 6,5% ao ano. Isso significa que uma aplicação que tenha essa taxa como indexador renderá, daqui um ano, ao menos 6,5% de seu valor inicial”, ilustra.

A taxa Selic é a taxa básica de juros, definida pelo Comitê de Política Monetária (Copom), órgão pertencente ao Banco Central do Brasil. Ela é reajustada, em média, a cada 45 dias – ou oito vezes ao ano. Outro indexador popular é o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Ele é medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mês a mês e reflete a inflação acumulada ao longo do ano.

– Pré-fixado ou pós-fixado

Investimentos pré-fixados são aqueles em que o investidor sabe exatamente quanto vai resgatar ao final, desde que não recupere o dinheiro antes do vencimento. A porcentagem que ele vai render é informada de antemão.

Já investimentos pós-fixados rendem de acordo com algum indexador que sofrerá alterações, como a taxa Selic e o IPCA. Como essas taxas são reajustadas com frequência, o investimento poderá render mais ou menos do que o simulado no momento da aplicação.

– Rentabilidade e lucratividade

“Rentabilidade é o valor que rende um título. Se você aplicou R$ 1 mil e retirou R$ 1,5 mil ao final, a aplicação rendeu R$ 500. O problema é que muitas pessoas confundem rentabilidade com lucratividade”, explica o professor. Para calcular a lucratividade, é preciso deduzir todos os custos do investimento da rentabilidade – taxas de administração, imposto de renda e imposto sobre operações financeiras (IOF).

Por esse motivo, um investimento como o CDB pode ser mais rentável do que a poupança, mas render menos lucros caso seja sacado em um período curto de tempo, em que terá mais taxas. Caso o investidor iniciante esteja montando uma reserva de emergência, por exemplo, precisa ter em vista que o dinheiro pode ser sacado rapidamente e priorizar a liquidez em vez da rentabilidade, para não perder seu lucro.

Sobre o Grupo Uninter

O Grupo Uninter é o maior centro universitário do país, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) e a única instituição de ensino a distância (EAD) do Brasil recredenciada com nota máxima pelo Ministério da Educação (MEC).  Sediado em Curitiba (PR), já formou mais de 500 mil alunos e, hoje, tem mais de 210 mil alunos ativos nos mais de 200 cursos ofertados entre graduação, pós-graduação, mestrado e extensão, nas modalidades presencial, semipresencial e a distância. Com mais de mil polos de apoio presencial, estrategicamente localizados em todo o território brasileiro, mantém cinco campi no coração de Curitiba. São 2 mil funcionários trabalhando todos os dias para transformar a educação brasileira em realidade. Para saber mais acesse uninter.com.

 

 

Cinco são presos e um adolescente é apreendidos suspeitos de assalto em clube de tiro, na PB

Cinco pessoas foram presas e um adolescente apreendido, na manhã desta quinta-feira (4), em Cabedelo, na Região Metropolitana de João Pessoa, durante a Operação Tiro Certo, da Polícia Civil, com apoio da Polícia Militar. Os detidos são suspeitos de envolvimento no assalto a um clube de tiro, na capital, em fevereiro de 2019. De acordo com o delegado Carlos Othon, que comanda a operação, pelo menos três armas e drogas também foram apreendidos.

As pessoas que são alvos da operação são suspeitas de envolvimento com o assalto à Associação Pessoense de Tiro, que aconteceu na noite do dia 21 de fevereiro deste ano, em João Pessoa. A operação também busca desarticular o tráfico de drogas na região do bairro do Renascer, em Cabedelo.

Os presos foram encaminhados à Central de Polícia Civil, em João Pessoa, junto com os materiais apreendidos.

Assalto em clube de tiro

Na noite do dia 21 de fevereiro de 2019, duas pessoas saíam do clube de tiro, localizado próximo a BR-230, no bairro do Bessa, quando o grupo, em um carro branco, invadiu o local, rendeu os funcionários em um quarto e, em seguida, roubou pelos menos nove armas.

G1