Arquivo da tag: cidades

Governo Federal reconhece situação de emergência em 177 cidades

O Governo Federal reconheceu situação de emergência em 177 municípios paraibanos em decorrência da seca. A informação foi publicada nesta sexta-feira (1º) no Diário Oficial da União.

O reconhecimento aconteceu por meio de portaria assinada pelo secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Alexandre Lucas Alves. A lista dos 177 criticamente afetados pela estiagem havia sido divulgada pelo Governo do Estado há um mês.

Para emitir o decreto, o governador da Paraíba, João Azevêdo, considerou, entre outras questões, que persiste a escassez de água nos municípios, causando danos à subsistência e à saúde da população; que a estiagem prolongada tem gerado prejuízos importantes e significativos às atividades produtivas do Estado da Paraíba, principalmente a agricultura e pecuária dos municípios afetados; que a escassez pluviométrica prejudicou a recarga dos mananciais, caracterizando assim um desastre que vem exigir a ação do Poder Público Estadual; e que há a necessidade de prover a subsistência da população afetada pelo fenômeno da estiagem.

 

portalcorreio

 

 

Tião Gomes informa que LOA será discutida em cidades do interior

A Lei Orçamentária Anual do Estado para o exercício de 2020, cujo projeto foi aprovado pela Comissão de Orçamento, Fiscalização Tributária e Transparência da Assembleia legislativa, será discutida em audiências públicas programadas para as cidades de Campina Grande e Sousa, esta, no Alto Sertão paraibano, conforme revelou o deputado Tião Gomes (Avante), relator da LOA. O projeto de iniciativa do Poder Executivo estabelece para o próximo ano uma despesa orçamentária de R$ 11.872.020.067,00, sendo R$ 8.482.131.979,00 para os gastos da máquina e R$ 3.389.888.088,00 destinados à Seguridade Social.

Haverá, ainda, a realização de audiências temáticas, dentro do objetivo de ampliar o debate e fazer com que mais pessoas tenham a oportunidade de participar, sugerindo e discutindo o orçamento do nosso Estado – expressou o deputado Tião Gomes. Na opinião do presidente da Comissão de Orçamento, Wilson Filho, do PTB, a tramitação irá ser cumprida de acordo com o calendário divulgado, sem maiores dificuldades. “Na primeira quinzena do mês de novembro já realizaremos a audiência pública para debater com os representantes do governo do Estado e dos Poderes, aqui na Casa e em alguns municípios. Convidamos a população para participar do debate, a fim de que todos possam conhecer o orçamento apresentado para o próximo ano”, adiantou. O parlamentar lembrou que o prazo para apresentação de emendas por parte dos deputados será deflagrado no dia primeiro de novembro, estendendo-se até o dia 18 do mesmo mês.

O parecer final da peça orçamentária deverá ser apreciado entre os dias 19 de novembro e 09 de dezembro. A partir do dia 10 de dezembro, a proposta já poderá ser incluída na Ordem do Dia para ser votada em plenário por todos os deputados. Houve uma sugestão formulada por membros da Comissão de Orçamento para ampliar um pouco mais o debate da Lei Orçamentária Anual e discutir temas como segurança pública, desenvolvimento, infraestrutura, educação, cultura, esporte, ciência e tecnologia, saúde e ação social. Tião Gomes acrescentou que a proposta da LOA está cumprindo todos os princípios constitucionais. A descentralização das audiências é defendida simultaneamente por ele e pelo deputado Wilson Filho.

Os deputados também aprovaram na Comissão de Orçamento o projeto de lei encaminhado pelo governo do Estado, que institui o Plano Plurianual da Paraíba para o período de 2020-2023. O relator é, igualmente, o deputado Tião Gomes. Participaram da reunião os deputados Ricardo Barbosa, Eduardo Carneiro, Taciano Diniz, Lindolfo Pires, Junior Araújo, além de Tião Gomes e de Wilson Filho. A reunião contou com a participação de ativistas culturais da Paraíba, que solicitaram aos deputados o empenho no sentido de sensibilizar o governo do Estado sobre a urgente necessidade de retomada do Programa de Fomento à Cultura Paraibana, com lançamento imediato de um novo edital de cultura que volte a incrementar a produção artística, gerando emprego e renda.

 

Por Nonato Guedes

 

 

Inmet alerta 94 cidades para risco de baixa umidade do ar

Noventa e quatro municípios paraibanos estão sob alerta de perigo de baixa umidade nesta quinta-feira (3). O aviso é do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Conforme o órgão, a umidade relativa do ar deve ficar entre 20% e 30%. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estabelece que níveis abaixo de 50% são inadequados para o organismo humano.

O Inmet orienta que moradores das cidades sob alerta evitem se expor ao sol nas horas mais quentes do dia e se desgastar fisicamente nas horas mais secas. É recomendada a ingestão de bastante líquido. Além de risco à saúde, há chance baixa de incêndios florestais. Situações de emergência devem ser comunicadas ao Corpo de Bombeiros ou Defesa Civil.

Veja a lista de cidades em alerta para baixa umidade:

  1. Aguiar
  2. Amparo
  3. Aparecida
  4. Areia De Baraúnas
  5. Belém Do Brejo Do Cruz
  6. Bernardino Batista
  7. Boa Ventura
  8. Bom Jesus
  9. Bom Sucesso
  10. Bonito De Santa Fé
  11. Brejo Do Cruz
  12. Brejo Dos Santos
  13. Cachoeira Dos Índios
  14. Cacimba De Areia
  15. Cacimbas
  16. Cajazeiras
  17. Cajazeirinhas
  18. Carrapateira
  19. Catingueira
  20. Catolé Do Rocha
  21. Conceição
  22. Condado
  23. Coremas
  24. Curral Velho
  25. Desterro
  26. Diamante
  27. Emas
  28. Ibiara
  29. Igaracy
  30. Imaculada
  31. Itaporanga
  32. Jericó
  33. Joca Claudino
  34. Juru
  35. Lagoa
  36. Lastro
  37. Livramento
  38. Malta
  39. Manaíra
  40. Marizópolis
  41. Mato Grosso
  42. Maturéia
  43. Monte Horebe
  44. Monteiro
  45. Mãe D’Água
  46. Nazarezinho
  47. Nova Olinda
  48. Olho D’Água
  49. Ouro Velho
  50. Passagem
  51. Patos
  52. Paulista
  53. Pedra Branca
  54. Piancó
  55. Pombal
  56. Poço Dantas
  57. Poço De José De Moura
  58. Prata
  59. Princesa Isabel
  60. Quixabá
  61. Riacho Dos Cavalos
  62. Santa Cruz
  63. Santa Helena
  64. Santa Inês
  65. Santa Luzia
  66. Santa Teresinha
  67. Santana De Mangueira
  68. Santana Dos Garrotes
  69. Serra Grande
  70. Sousa
  71. Sumé
  72. São Bentinho
  73. São Bento
  74. São Domingos
  75. São Francisco
  76. São José Da Lagoa Tapada
  77. São José De Caiana
  78. São José De Espinharas
  79. São José De Piranhas
  80. São José De Princesa
  81. São José Do Bonfim
  82. São José Do Brejo Do Cruz
  83. São José Dos Cordeiros
  84. São João Do Rio Do Peixe
  85. São Mamede
  86. Taperoá
  87. Tavares
  88. Teixeira
  89. Triunfo
  90. Uiraúna
  91. Vieirópolis
  92. Vista Serrana
  93. Várzea
  94. Água Branca

 

 

portalcorreio

 

 

Tribunal de Justiça bloqueia mais de R$ 1 milhão de 14 cidades para pagamento de precatórios

Mais de R$ 1 milhão das verbas de 14 municípios paraibanos foram bloqueadas por decisão do presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos. O sequestro foi publicado na edição desta sexta-feira (27) do Diário da Justiça Eletrônico e acontecerá via Bacen Jud.

O sequestro foi motivado devido às parcelas vencidas e não pagas referentes a precatórios de 14 municípios paraibanos: Soledade, Nazarezinho, Marizópolis, Itapororoca, Salgado de São Félix, Pitimbu, Matinhas, Caaporã, Princesa Isabel, Cubati, Barra de Santa Rosa, Riacho dos Cavalos, Gurinhém e Pirpirituba.

O ato seguiu o parecer ofertado pelo juiz auxiliar da Presidência, Gustavo Procópio, responsável pela pasta de precatórios do TJPB, e em harmonia com o parecer do 1º subprocurador-geral de Justiça, Alcides Orlando de Moura Jansen.

A determinação do presidente do TJPB está em consonância com os termos da Resolução nº 115/2010 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), c/c artigo 104, inciso I do ADCT.

Na maioria dos municípios, o sequestro se refere ao período de janeiro a julho de 2019.

Para não prejudicar a administração pública no tocante à prestação dos serviços básicos para a população, o desembargador Márcio Murilo decidiu que em alguns casos o sequestro será efetuado em mais de uma parcela.

É o caso de Caaporã, que teve o maior volume de recursos bloqueados: R$ 300.205,91. O sequestro no município será dividido em cinco parcelas mensais no valor de R$ 60.041,18, a ser realizado nos meses de setembro de 2019 a janeiro de 2020. Caso não sejam bloqueados os valores para satisfazer o débito nestes meses, o sequestro deve continuar nos meses subsequentes até a quitação integral da dívida. Também foi determinado o sequestro das parcelas vincendas de 2019 (agosto a dezembro).

Os valores bloqueados dos demais municípios são os seguintes: Soledade (R$ 27.036,54), Nazarezinho (R$ 112.680,12), Marizópolis (R$ 33.228,22), Itapororoca (R$ 30.337,83), Salgado de São Félix (R$ 11.987,33), Pitimbu (R$ 103.330,56), Matinhas (R$ 85.495,06), Princesa Isabel (R$ 10.601,58), Cubati (R$ 30.162,35), Barra de Santa Rosa (R$ 104.421,19), Riacho dos Cavalos (R$ 5.624,11), Gurinhém (R$ 174.205,57) e Pirpirituba (R$ 51.654,92).

A lista completa dos municípios foi publicada no Diário da Justiça eletrônico desta sexta-feira (27).Confira o Diário da Justiça Eletrônico.

 

clickpb

 

 

Paraíba tem mais de 80 cidades em alerta de baixa umidade, segundo Inmet

O Instituto Nacional de Meteorologia publicou nesta quinta-feira (29) um alerta de baixa umidade para mais de 80 cidades da Paraíba. De acordo com o aviso, há riscos à saúde da população e de incêndios florestais devido à seca.

O aviso tem início nesta quinta-feira (29) e tem previsão de término às 18h de sexta-feira (30). Durante este período, a umidade relativa do ar irá variar de 30% a 20%. O instituto recomenda que a população consuma bastante líquido, evite desgastes físicos nas horas mais secas do dia e evite exposição ao sol nas horas mais quentes.

Ainda é registrado um risco, porém baixo, de incêndios florestais na área. O Inmet indica que para mais informações, os moradores da região afetada consulte a Defesa Civil (telefone 199) e ao Corpo de Bombeiros (telefone 193).

Munícipios com alerta de baixa umidade na Paraíba

  1. Água Branca
  2. Aguiar
  3. Aparecida
  4. Areia de Baraúnas
  5. Belém do Brejo do Cruz
  6. Bernardino Batista
  7. Boa Ventura
  8. Bom Jesus
  9. Bom Sucesso
  10. Bonito De Santa Fé
  11. Brejo Do Cruz
  12. Brejo Dos Santos
  13. Cachoeira Dos Índios
  14. Cacimba De Areia
  15. Cacimbas
  16. Cajazeiras
  17. Cajazeirinhas
  18. Carrapateira
  19. Catingueira
  20. Catolé Do Rocha
  21. Conceição
  22. Condado
  23. Coremas
  24. Curral Velho
  25. Desterro
  26. Diamante
  27. Emas
  28. Frei Martinho
  29. Ibiara
  30. Igaracy
  31. Imaculada
  32. Itaporanga
  33. Jericó
  34. Joca Claudino
  35. Juru
  36. Lagoa
  37. Lastro
  38. Malta
  39. Manaíra
  40. Marizópolis
  41. Mato Grosso
  42. Maturéia
  43. Monte Horebe
  44. Mãe D’Água
  45. Nazarezinho
  46. Nova Olinda
  47. Olho D’Água
  48. Passagem
  49. Patos
  50. Paulista
  51. Pedra Branca
  52. Piancó
  53. Pombal
  54. Poço Dantas
  55. Poço De José De Moura
  56. Princesa Isabel
  57. Quixabá
  58. Riacho Dos Cavalos
  59. Santa Cruz
  60. Santa Helena
  61. Santa Inês
  62. Santa Luzia
  63. Santa Teresinha
  64. Santana De Mangueira
  65. Santana Dos Garrotes
  66. Serra Grande
  67. Sousa
  68. São Bentinho
  69. São Bento
  70. São Domingos
  71. São Francisco
  72. São José Da Lagoa Tapada
  73. São José De Caiana
  74. São José De Espinharas
  75. São José De Piranhas
  76. São José De Princesa
  77. São José Do Bonfim
  78. São José Do Brejo Do Cruz
  79. São José Do Sabugi
  80. São João Do Rio Do Peixe
  81. São Mamede
  82. Tavares
  83. Teixeira
  84. Triunfo
  85. Uiraúna
  86. Vieirópolis
  87. Vista Serrana
  88. Várzea

 

 

Foto: Reprodução/Site da Prefeitura Municipal de Monte Horebe

G1

 

 

Rota Cultural Raízes do Brejo começa em setembro e percorre nove cidades

O projeto Rota Cultural Raízes do Brejo chega a sua terceira edição e foi lançado na tarde desta quarta-feira (24) no Engenho Balancinho, em Alagoinha. A rota será aberta oficialmente no dia 20 de setembro, na cidade de Belém. Realizado numa parceria entre Sebrae Paraíba, Fórum de Turismo do Brejo e PBTur, ela vai integrar nove cidades da região e a programação completa pode ser visualizada online, no link ‘Raízes do Brejo’.

O tema abordado será “Terra de Arte, Fé e Cultura”. A programação na primeira cidade, Belém, segue até o dia 22 de setembro e terá oficinas de artesanato e visitas a locais de experiências exitosas, a exemplo do primeiro restaurante rural do município. “São nove municípios irmãos que têm em comum não apenas a parte geográfica, mas também a cultura e a história. Vamos focar na gastronomia, arte, cultura e lazer, com apresentações culturais e visitas ao engenho da cachaça D’dil, entre outros locais”, afirmou a prefeita de Belém, Renata Barbosa.

A prefeita do município de Alagoinha, Maria Rodrigues, explicou que a temática a ser trabalhada na cidade será “Engenho e suas belezas”. “A nossa programação vai contar com passeio de jipes, pedal até uma cachoeira, onde faremos um forró, além de visitas aos engenhos da região. Um dos pontos altos será a apresentação do Bloco Pereira, que sairá pelas ruas da cidade na meia-noite do sábado, como um grande carnaval fora de época. Alagoinha estava adormecida na cultura até integrar a Rota Raízes do Brejo. Agora, a população quer mostrar cada vez mais o artesanato e a cultura da cidade”, destacou.

A gerente da agência do Sebrae em Guarabira, Jacy Viana, explicou que a programação do evento, que acontecerá a cada fim de semana em uma cidade, inicia na sexta e se encerra aos domingos.

Municípios

Belém – 20 a 22 de setembro
Alagoinha – 27 a 29 de setembro
Duas Estradas – 11 a 13 de outubro
Lagoa de Dentro – 18 a 20 de outubro
Serra da Raiz – 25 a 27 de outubro
Borborema – 8 a 10 de novembro
Dona Inês – 15 a 17 de novembro
Pirpirituba – 22 a 24 de novembro
Pilõezinhos – 29 a 01 de dezembro
portalcorreio

 

Inmet renova alerta de perigo potencial para chuvas e ventos fortes em 64 cidades

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) renovou o alerta de perigo para chuvas em potencial e vento costeiro em 64 cidades da Paraíba. O alerta que inicia a partir das 09h desta terça-feira (23) e se estende até as 9h desta quarta-feira (24).

Existe possibilidade de chuvas de até 50mm/dia e baixo risco de alagamento e pequenos deslizamentos em cidades com tais zonas de risco. Agreste, Brejo, Litoral e Mata Paraibana.

As instruções são:
evite enfrentar o mau tempo.
Observe alteração nas encostas.
Evite usar aparelhos eletrônicos ligados à tomada.
Obtenha mais informações junto à Defesa Civil (telefone 199) e ao Corpo de Bombeiros (telefone 193).

A respeito dos ventos, o Inmet orienta a procurar a Marinha do Brasil.

Veja as cidades atingidas:

Município UF
Alagoa Grande PB
Alagoinha PB
Alhandra PB
Araçagi PB
Areia PB
Aroeiras PB
Bananeiras PB
Bayeux PB
Baía Da Traição PB
Belém PB
Borborema PB
Caaporã PB
Cabedelo PB
Caiçara PB
Caldas Brandão PB
Capim PB
Conde PB
Cruz Do Espírito Santo PB
Cuitegi PB
Cuité De Mamanguape PB
Curral De Cima PB
Dona Inês PB
Duas Estradas PB
Guarabira PB
Gurinhém PB
Ingá PB
Itabaiana PB
Itapororoca PB
Itatuba PB
Jacaraú PB
João Pessoa PB
Juarez Távora PB
Juripiranga PB
Lagoa De Dentro PB
Logradouro PB
Lucena PB
Mamanguape PB
Marcação PB
Mari PB
Mataraca PB
Mogeiro PB
Mulungu PB
Natuba PB
Pedras De Fogo PB
Pedro Régis PB
Pilar PB
Pilões PB
Pilõezinhos PB
Pirpirituba PB
Pitimbu PB
Riachão Do Poço PB
Rio Tinto PB
Salgado De São Félix PB
Santa Rita PB
Sapé PB
Serra Da Raiz PB
Serra Redonda PB
Serraria PB
Sertãozinho PB
Sobrado PB
São José Dos Ramos PB
São Miguel De Taipu PB
Tacima PB
Umbuzeiro PB

http://paraiba.com.br

 

 

Inmet emite alerta de perigo potencial para 62 cidades na Paraíba por causa de chuvas

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta de risco por causa das chuvas na Paraíba. Nesta segunda-feira (22), 62 cidades paraibanas estavam elencadas no alerta.

O alerta deverá vigorar pelo menos até às 9h de terça-feira (21), podendo ser prorrogado caso haja necessidade.

Confira as cidades:

  • Alagoa Grande
  • Alagoinha
  • Alhandra
  • Araçagi
  • Areia
  • Bananeiras
  • Bayeux
  • Baía da Traição
  • Belém
  • Borborema
  • Caaporã
  • Cabedelo
  • Caiçara
  • Caldas Brandão
  • Capim
  • Conde
  • Cruz do Espírito Santo
  • Cuitegi
  • Cuité de Mamanguape
  • Curral de cima
  • Dona Inês
  • Duas Estradas
  • Guarabira
  • Gurinhém
  • Ingá
  • Itabaiana
  • Itapororoca
  • Itatuba
  • Jacaraú
  • João Pessoa
  • Juarez Távora
  • Juripiranga
  • Lagoa de Dentro
  • Logradouro
  • Lucena
  • Mamanguape
  • Marcação
  • Mari
  • Mataraca
  • Mogeiro
  • Mulungu
  • Natuba
  • Pedras de Fogo
  • Pedro Régis
  • Pilar
  • Pilões
  • Pilõezinhos
  • Pirpirituba
  • Pitimbu
  • Riachão
  • Riachão do Poço
  • Rio Tinto
  • Salgado de São Félix
  • Santa Rita
  • Sapé
  • Serra da Raiz
  • Serraria
  • Sertãozinho
  • Sobrado
  • São José dos Ramos
  • São Miguel de Taipú
  • Tacima

 

clickpb

 

 

Cerca de 100 famílias ribeirinhas estão desalojadas após água de barragem invadir cidades na BA

Cerca de 100 famílias ribeirinhas da cidade de Coronel João Sá ficaram desalojadas depois que o município foi invadido por águas de uma barragem que fica no distrito de Quati, na cidade de Pedro Alexandre, na manhã desta quinta-feira (11). Não há registro de feridos ou desaparecidos.

Em Pedro Alexandre, também não há registro de desaparecidos, feridos, desalojados ou desabrigados. Moradores dos dois municípios falaram sobre a situação da região depois da inundação.

A barragem do Quati foi construída pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR) e entregue em novembro de 2000 à Associação de Moradores da Comunidade do distrito. Ela represa água do Rio do Peixe para o período de estiagem, mas transbordou após as fortes chuvas que caem na região.

Imagem aérea de Coronel João de Sá após barragem de água transbordar em Pedro Alexandre — Foto: Studio Júnior Nascimento

Imagem aérea de Coronel João de Sá após barragem de água transbordar em Pedro Alexandre — Foto: Studio Júnior Nascimento

A cidade de Coronel João Sá foi a mais atingida pela inundação, porque fica em uma altitude mais baixa que Pedro Alexandre. Antes da enxurrada chegar em Coronel João Sá, o prefeito Carlinhos Sobral se pronunciou nas redes sociais e pediu que os moradores saíssem das casas.

“Eu peço encarecidamente que todas as pessoas que moram nas áreas de risco que saiam das suas casas. Peguem seus documentos pessoais, peguem também seus objetos de valor, o que puder levar de eletrodoméstico, o que puder salvar de móveis, porque a gente não sabe ainda as consequências porque nunca passamos por ela”, disse ele.

A Defesa Civil de Pedro Alexandre informou ao G1 que houve o rompimento da barragem. O rompimento também foi confirmado pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), pela Agência Nacional de Águas (ANA) e pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

No entanto, na noite desta quinta, o Governo do Estado informou que não houve rompimento da barragem, mas sim um transbordamento. O G1 questionou se técnicos do estado estiveram no local para constatar que não houve rompimento. No entanto, o governo respondeu que a posição oficial é que não houve colapso no equipamento, mas não detalhou o que de fato aconteceu, e nem como se chegou a essa conclusão.

José Pedro de Carvalho Neto – morador de Pedro Alexandre

Prefeitura de Pedro Alexandre decreta situação de emergência e calamidade pública após rompimento de barragem — Foto: Arquivo pessoal/Gino Giubbini

Prefeitura de Pedro Alexandre decreta situação de emergência e calamidade pública após rompimento de barragem — Foto: Arquivo pessoal/Gino Giubbini

“A barragem fica a 6 km da cidade e rompeu uma parte da lateral dela. É uma barragem na comunidade da zona rural. É uma água salobra, que serve para irrigação e para os animais. Em Pedro Alexandre, um rio que passa pela cidade alagou um pouco, mas não tem a ver com a barragem. A altura da água chegou a 70 cm. Não temos notícia de morte. O povoado de Boa Sorte foi o mais atingido pelas águas. Ele [povoado] fica às margens da BR-235. Acho que não chega a 100 o número de casas atingidas, mas a água chegou até a metade da parede”.

Deuza Maria Barreto – moradora de Coronel João Sá

Município de Coronel João Sá tomado pela água após chuva e rompimento de barragem de cidade vizinha — Foto: Studio Júnior Nascimento

Município de Coronel João Sá tomado pela água após chuva e rompimento de barragem de cidade vizinha — Foto: Studio Júnior Nascimento

“A situação aqui é muito preocupante. A água não para de subir e está subindo muito rápido. Tomou conta de todas as ruas que ficam perto do rio, está tudo inundado. Graças a Deus, a gente não teve nenhuma morte, mas muitas famílias estão desabrigadas. As famílias que moram perto do rio e as famílias que moram na rua da igreja tiveram que ser retiradas. Essas pessoas foram levadas para uma escola da cidade, mas até essa escola tá sendo inundada também”.

“Aqui não temos mais cemitério, o cemitério foi todo alagado. Aqui está todo mundo em estado de alerta, porque a situação é muito crítica. A minha casa é um pouco mais afastada dessa área do rio e eu estou com medo, nem consigo imaginar quem mora mais perto. Nós começamos a receber as informações de que a barragem tinha rompido ainda cedo, pelo WhatsApp. Por isso, muitas famílias tiveram resistência em sair de casa. A Defesa Civil, a Guarda [Civil] e a polícia precisaram ir para o local para conseguir tirar as pessoas de casa”.

Caso

A barragem transbordou no povoado de Quati, que fica na cidade de Pedro Alexandre, localizada a cerca de 435 km de Salvador, na manhã desta quinta-feira. Conforme a Defesa Civil da cidade, as fortes chuvas que caem na região do Rio do Peixe contribuíram para o possível rompimento da estrutura. Não há registro de feridos.

A preocupação da gestão de Coronel João Sá, cidade que fica a 45 km de Pedro Alexandre, é com as famílias que moram às margens do Rio do Peixe, que corta a região. A água que vazou da barragem segue o curso do rio e, por volta das 15h30, já havia chegado a João de Sá.

O percurso do rio entre as duas cidades é de cerca de 80 km. Não há informações da velocidade da água, mas há confirmação de risco de invasão de casas e de prejuízos materiais por todo o município.

Desde o início da manhã, a administração de Coronel João Sá, que fica em um nível abaixo da barragem e é cortado pelo Rio do Peixe, pede para cerca de 120 famílias que moram às margens do rio deixem o local. No total, 300 pessoas vivem na área considerada com risco de ser atingida pela água.

Coronel João Sá já tinha áreas alagadas, mas por conta da chuva. A preocupação adicional é justamente com a enxurrada provocada pelo vazamento da barragem do Quati. A água começou a invadir a cidade por volta das 15h30.

Até esse horário, a prefeitura da cidade ainda não tinha conseguido fazer a retirada das pessoas das casas. Os moradores, segundo o secretário de comunicação, se recusam a deixar os imóveis. Escolas foram disponibilizadas pelo município para abrigá-los.

Conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pedro Alexandre tem cerca de 16.695 moradores. Já Coronel João Sá tem uma população que chega a 17.066.

Situação de emergência e calamidade pública

Prefeitura de Pedro Alexandre decreta situação de emergência e calamidade pública após rompimento de barragem — Foto: Arquivo pessoal/Gino Giubbini

Prefeitura de Pedro Alexandre decreta situação de emergência e calamidade pública após rompimento de barragem — Foto: Arquivo pessoal/Gino Giubbini

A prefeitura da cidade de Pedro Alexandre, que fica a cerca de 435 km de Salvador, decretou situação de emergência e calamidade pública nesta quinta-feira, após o município ser invadido pela água da barragem do povoado de Quati.

O documento foi publicado no Diário Oficial do município. No decreto, o prefeito Pedro Gomes Filho informou que a situação de emergência foi decretada “considerando o volume de água que tomou a cidade, causando inundações, enxurradas, alagamentos que ocasionaram danos materiais em residências, vias públicas, pontes e equipamentos públicos diversos”.

Prefeitura de Pedro Alexandre decreta situação de emergência e calamidade pública após rompimento de barragem — Foto: Arquivo pessoal/Gino Giubbini

Prefeitura de Pedro Alexandre decreta situação de emergência e calamidade pública após rompimento de barragem — Foto: Arquivo pessoal/Gino Giubbini

Cidades são invadidas pela água após barragem transbordar na Bahia — Foto: Arte/ G1

Cidades são invadidas pela água após barragem transbordar na Bahia — Foto: Arte/ G1

 

 

G1

 

 

Cinco são presos durante operação policial nas cidades de Caiçara e Logradouro

Na manhã dessa segunda-feira (08), nas cidades de Caiçara-PB e Logradouro-PB, a Polícia Civil (8ªDSPC) e a Polícia Militar-PB (4ºBPM), em ação conjunta, deram cumprimento a 09 mandados de busca e 02 de prisão.

Na ocasião, 5 pessoas foram presas em flagrante delito ou por força das ordens judiciais: Maria Lúcia Henrique da Silva (52 anos), Sebastião de Souza (65 anos), Cosmo Manoel da Silva (31 anos), Francisco de Assis Laurentino dos Santos (NENÉM DE BIRRIM) e o presidiário José Tibério da Silva (atualmente, no  presídio João Bosco Carneiro, em Guarabira-PB). A

Ainda como parte dessa mesma ação policial, na última sexta-feira (5), outro presidiário (também da penitenciária de Guarabira) Fabiano Gomes, líder do grupo, teve um mandado de prisão cumprido em seu desfavor.

Aos acusados são atribuídos diversos crimes: homicídios, tráfico de drogas, roubos e posse de armas de fogo.

 

Pedro jr