Arquivo da tag: chuvas

Partida entre Náutico e Botafogo-PB é adiada por conta das chuvas em PE

O jogo entre Náutico e Botafogo-PB, válido pela oitava rodada da Série C, que estava marcado para acontecer neste domingo, a partir das 18h, no estádio dos Aflitos, em Recife, foi adiado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

As fortes chuvas que também atingem a capital de Pernambuco impossibilitou o bom estado do gramado para realização da partida.

 

paraiba.com.br

 

 

João Pessoa registra quase 500 mm de chuvas em quatro dias

Em quatro dias, choveu em João Pessoa quase 500 milímetros, de acordo com os dados da Defesa Civil no município, divulgados neste domingo (16). De acordo com o coordenador do órgão, Noé Estrela, a precipitação registrada na cidade desde quinta-feira (13) foi de 460 milímetros, o maior volume concentrado em 96 horas dos últimos 30 anos.

No início da manhã, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta de perigo de chuva até a segunda-feira (17). O Centro de Monitoramento de Alertas e Desastres Naturais (Cemaden) também voltou a emitir um alerta de “risco alto” de chuvas neste domingo.

Em João Pessoa, as chuvas registradas entre a noite do sábado (16) e a manhã deste domingo causaram transtornos. A barreira do Castelo Branco voltou a deslizar e interditou uma faixa da BR-230, no sentido João Pessoa – Cabedelo. Também houve deslizamento na encosta da Rua Desportista José Eduardo de Holanda, no Cabo Branco, e uma árvore caiu na Rua Bancário Wagner Alexandrino Bezerra Japyassu, nos Bancários. As apresentações culturais na Casa da Pólvora e no Parque da Lagoa foram canceladas por causa do alerta.

Deslizamento de encosta no bairro do Cabo Branco, em João Pessoa — Foto: Antônio Vieira/TV Cabo Branco

Deslizamento de encosta no bairro do Cabo Branco, em João Pessoa — Foto: Antônio Vieira/TV Cabo Branco

O trecho da BR-230 onde houve o deslizamento foi interditado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) às 12h, para que a Defesa Civil faça a retirada do material oriundo da queda da barreira. O órgão orienta os motoristas a desviarem pela Avenida Pedro II.

Desde a quinta-feira, 64 famílias estão desabrigadas ou desalojadas, sendo assistidas pela Prefeitura de João Pessoa. Conforme Noé Estrela, estas famílias são abrigadas em espaços públicos, como escolas, ou em associações de bairros. Duas cozinhas comunitárias estão à disposição destas pessoas.

Árvore caiu no bairro dos Bancários, em João Pessoa — Foto: Walter Paparazzo/G1

Árvore caiu no bairro dos Bancários, em João Pessoa — Foto: Walter Paparazzo/G1

“Pelo volume de chuvas, João Pessoa está conseguindo se portar de uma forma surpreendente. Registramos quedas de barreiras e árvores, alguns pontos de alagamento e estas famílias que moram em regiões ribeirinhas e que foram retiradas das casas, mas assim que a água baixar, vai ser avaliado se elas podem voltar às casas ou se vai ser preciso continuarem abrigadas e, em seguida, cadastradas em programas de habitação”, diz Noé.

A recomendação da Defesa Civil, em caso de chuvas, é de que a população evite sair de casa e, se sair, evitar andar próximo a muros em risco ou ficar embaixo de árvores. Também devem ser evitadas as calçadas com postes de alta tensão. O órgão recomenda aos motoristas que andem com faróis ligados e evitem poças de água.

G1

 

Ponte que liga os municípios de Santa Rita e Cruz do Espirito Santo cede após fortes chuvas

A ponte que faz o acesso entre os municípios de Santa Rita e Cruz do Espirito Santo cedeu, na madrugada deste sábado (15), prejudicando o tráfego pela rodovia PB-004. De acordo com informações do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PB), a estrutura não resistiu após as fortes chuvas que caíram na região litorânea nas últimas horas.

Ponte cedeu nas imediações da Rodovia PB-004 (Reprodução Whatsapp)
Ponte cedeu nas imediações da Rodovia PB-004 (Reprodução Whatsapp)

Equipes do DER-PB estão no local para orientar motoristas e adotar os procedimentos de correção do problema.

 


Portal WSCOM

 

 

Açude que abastece João Pessoa sangra após chuvas

O Açude Marés, um dos que abastece João Pessoa, atingiu capacidade máxima e sangrou nesta sexta-feira (14), conforme dados fornecidos pela Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa).

De acordo com os números, o manancial de 2.136.637 metros cúbicos (m³) está com 107,56% da capacidade máxima. O excesso se deu por causa das chuvas acima da média registradas no Litoral da Paraíba nessa semana.

O Açude Marés é o único que está sangrando em toda a Paraíba. O segundo manancial que abastece João Pessoa, Gramame/Mamuaba, está com 76,25% da capacidade total.

 

portalcorreio

 

 

Chuvas e deslizamentos deixam mortos e desaparecidos no Recife

Duas pessoas morreram, cinco ficaram feridas e mais seis estão desaparecidas, incluindo cinco crianças, por causa das fortes chuvas que caíram nesta quinta-feira, 13, sobre a região do Grande Recife. O alto índice de precipitação provocou diversos deslizamentos de barreira.

Dois desses incidentes levaram à destruição de quatro casas nas cidades de Camaragibe e Jaboatão dos Guararapes, deixando todos os moradores soterrados. A Prefeitura do Recife pediu que os moradores das áreas de risco se dirijam a locais seguros. Houve o registro de 186 milímetros de chuva – equivalentes ao esperado para 15 dias.

Segundo secretário municipal de Defesa Civil, Roberto Ferraz, uma barreira de 70 metros de altura caiu em cima de três casas. Segundo moradores do bairro, um dos imóveis atingidos estava desocupado. Porém, oito pessoas estavam nas outras duas residências. Em uma delas, um casal foi atingido. O homem, de aproximadamente 20 anos, morreu. Já a mulher, de 30 anos, foi resgatada com vida após quase cinco horas de resgate.

“A casa de trás foi ainda mais atingida. Ainda não localizamos os moradores”, acrescentou Ferraz. Ainda conforme os moradores, uma mulher estava com seus cinco filhos, todos crianças, nesta residência. “Infelizmente, devem estar mortos, mas as buscas continuam”, afirmou Ferraz.

MSN Brasil

 

 

Perigo por acumulado de chuvas faz Inmet emitir alerta para João Pessoa e mais 12 cidades

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta laranja sinalizado perigo por acumulado de chuvas para João Pessoa e mais 12 cidades paraibanas no litoral. O alerta vigora desta segunda-feira (10) até as 10h desta terça-feira (11).

De acordo com o alerta, existem riscos potenciais de chuva entre 30 mm/h a 60 mm/h, ou de 50 mm/dia a 100 mm/dia. Além disso, também existe o risco de alagamentos, deslizamentos de encostas ou transbordamento de rios em cidades com estas áreas de risco.

As orientações feitas pelo órgão é de que a população evite enfrentar o mau tempo e observe alterações nas encostas. Também é recomendado que, se possível, os aparelhos elétricos e quadro geral de energia sejam desligados. Em caso de situação de inundação, a população deverá proteger seus pertences da água envolvendo-os em sacos plásticos, por exemplo.

Em casos de emergências, os atingidos poderão acionar a Defesa Civil através do telefone 199 e o Corpo de Bombeiros através do número 193.

Além das regiões do Litoral e Mata paraibanos, também são afetados pelo alerta algumas regiões do litoral do Rio Grande do Norte.

Confira as cidades paraibanas que foram citadas no alerta do Inmet:

  • Bayeux
  • Baía Da Traição
  • Cabedelo
  • Capim
  • Cruz Do Espírito Santo
  • Jacaraú
  • João Pessoa
  • Lucena
  • Mamanguape
  • Marcação
  • Mataraca
  • Rio Tinto
  • Santa Rita

 

 

clickpb

 

 

Previsão para o fim de semana é de chuvas e maré de até 2,2m

O fim de semana poderá ser de nebulosidade em toda a Paraíba, segundo previsão do tempo do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) para estes sábado (8) e domingo (9). Há previsão de chuvas para os dois dias e a maré deve chegar a 2,2 metros por volta das 8h do sábado e 9h do domingo.

O sábado terá máxima de 36º C e mínima de 16º C em todo o estado. O céu deve estar nublado a parcialmente nublado com pancadas de chuva isolada no Litoral. Chuva isolada no agreste. Parcialmente nublado a claro nas demais áreas.

Já no domingo, também terá máxima de 36º C e mínima de 17º C em todo o estado. O céu deve estar nublado a parcialmente nublado com chuva isolada no litoral e mata. Parcialmente nublado a claro nas demais áreas.

Tábua de Marés

Aqueles que irão à praia devem ficar atentos à tábua de marés no fim de semana.

Sábado, dia 8

  • 01h38 – 0.6 m
  • 08h02 – 2.2 m
  • 14h23 – 0.4 m
  • 20h45 – 2.1 m

Domingo, dia 9

  • 02h41 – 0.7 m
  • 09h04 – 2.2 m
  • 15h34 – 0.5 m
  • 21h53 – 2.0 m

 

portalcorreio

 

Fortes chuvas já fizeram cinco mananciais do estado da Paraíba sangrar

A Agência Executiva de Gestão de Água da Paraíba (Aesa) divulgou mais um balanço, onde revela que atualmente o Estado está com cinco mananciais sangrando, 68 reservatórios com capacidade superior a 20% do seu volume total, 36 em observação (menor que 20% do seu volume total), e 23 açudes em situação crítica (com capacidade menor que 5% do seu Volume Total). O monitoramento da Aesa foi feito com base nos últimos volumes registrados, entre o último dia 3 até ontem.

A Paraíba tem 132 açudes monitorados pela Aesa. Entre eles, apenas cinco estão sangrando, ou seja, com mais de 100% da capacidade. São os açudes Araçagi, em Mamanguape; Cachoeira da Vaca, em Cachoeira dos Índios; Cafundó, em Serra Grande; Pimenta, em São José de Caiana e São Salvador, no município de Sapé. Segundo a Aesa, os 23 açudes que estão em situação crítica são aqueles que estão com menos de 5% da capacidade total.

Chuvas – Segundo a meteorologista da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), Marle Bandeira, o período de abril a julho se caracteriza por ser os meses mais chuvosos do ano no Nordeste. “Ainda estamos no outono e o inverno tem início em junho, quando as temperaturas tendem a ser mais baixas por conta das chuvas”, explicou a meteorologista.

Segundo dados da Aesa, amanhã o tempo deve permanecer com nebulosidade variável e chuvas localizadas no Litoral, Brejo e Agreste, com o tempo parcialmente nublado, podendo ocorrer pancadas de chuvas.

 

pbagora

 

 

Meteorologista prevê chuvas até o fim de semana na Paraíba

A Agência Executiva de Gestão de Água da Paraíba (Aesa) divulgou mais um balanço meteorológico, onde destaca que no Agreste, Brejo e Litoral paraibano, a previsão é de chuvas esparsas até o próximo domingo.

Segundo a meteorologista da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), Marle Bandeira, o período de abril a julho se caracteriza por ser os meses mais chuvosos do ano no Nordeste. “Ainda estamos no outono e o inverno tem início em junho, quando as temperaturas tendem a ser mais baixas por conta das chuvas”, explicou a meteorologista.

Segundo dados da Aesa, amanhã o tempo deve permanecer com nebulosidade variável e chuvas localizadas no Litoral, Brejo e Agreste, com o tempo parcialmente nublado, podendo ocorrer pancadas de chuvas.

A previsão para Cariri e Curimataú é de nebulosidade variável, podendo ocorrer pancadas de chuva entre a tarde e noite. Enquanto no Sertão e Alto Sertão, o tempo deve ser de nebulosidade variável com chuvas no fim do dia.

No Litoral, a previsão para o fim de semana é de perspectivas de chuvas esparsas durante o dia e à noite. No sábado, a temperatura tende a variar entre 24°C e 30°C e no domingo, a previsão é de 23°C e 30°C. Em Campina Grande, a previsão até o final de semana também é de pancadas de chuva à tarde e à noite. As temperaturas tendem a variar entre 22°C e 32°C.

 

pbagora

 

 

Previsão indica ‘chuvas intensas’ em pontos da PB

O próximo trimestre deve ser de chuvas dentro da média histórica no Agreste, Brejo e Litoral, segundo o Prognóstico Climático divulgado nesta quarta-feira (24) pela Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado (Aesa). A previsão não descarta a possibilidade de chuvas acima da normalidade em algumas cidades dessas regiões.

“Mesmo com a previsão de índices pluviométricos dentro da média, é muito provável a ocorrência de chuvas intensas em pontos isolados. Lembrando que o prognóstico indica probabilidades de uma tendência média do volume acumulado de chuva para todo o quadrimestre e não para cada mês em particular”, explicou o gerente de Monitoramento e Hidrometria da Aesa, Alexandre Magno Teodósio de Medeiros.

A expectativa é de que a soma dos índices pluviométricos de abril a julho (período considerado a época das chuvas no setor leste da Paraíba) fique em torno dos 430 milímetros no Agreste. No Brejo são esperados 600 milímetros e no Litoral, 900. Já no Cariri a expectativa é de cerca de 240 milímetros, 310 no Sertão e 300 no Alto Sertão.

Isso porque, de acordo com o Prognóstico Climático da Aesa, o oceano Atlântico Sul permaneceu mais aquecido do que o Norte e essa condição manteve a Zona de Convergência Intertropical mais ao sul de sua posição climatológica, favorecendo as chuvas na região Nordeste do Brasil, descreve o documento elaborado pela equipe de meteorologistas do Governo do Estado.

 

portalcorreio