Arquivo da tag: celebração

Justiça derruba decisão que proibiu celebração ao 31 de março de 1964

A Advocacia-Geral da União (AGU) informou hoje (30) que a desembargadora Maria do Carmo Cardoso, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), sediado em Brasília, derrubou a decisão da primeira instância que proibiu as comemorações do aniversário de 55 anos da instituição do regime militar no domingo (31).

Ao analisar o recurso da AGU, a magistrada entende que não há ilegalidades na mensagem enviada pelo Ministério da Defesa para que seja lida nos quartéis das Forças Armadas. Em decisão proferida ontem (29), a juíza Ivani Silva da Luz, da 6ª Vara da Justiça Federal em Brasília, proibiu a leitura da mensagem.

Por recomendação do presidente Jair Bolsonaro, as unidades militares devem ler a ordem do dia para relembrar a data, que teve início o período militar, que durou 21 anos (1964 a 1985).

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes também rejeitou o mesmo pedido feito pelo Instituto Vladimir Herzog e por parentes de vítimas para proibir comemorações.

A decisão do ministro foi tomada por razões processuais. De acordo com a decisão, seria necessário um ato de ofício por parte do governo para que a questão pudesse ser analisada pela Corte.

 

Agência Brasil

 

 

Pe Luciano fala da “oração permanente e solidária, mas nunca fruto do egoísmo”, durante celebração na Catedral de Campina  

pe-lucianoO Padre Luciano Guedes da Silva, pároco da Catedral Diocesana de Nossa Senhora da Conceição, no centro de Campina Grande, destacou, durante as celebrações deste domingo (16), a importância da oração para os cristãos. Ele aproveitou o Evangelho de São Lucas para dizer aos fiéis o quão importante é perseverar na oração.

No Evangelho, São Lucas fala de um juiz nada justo, que cede aos apelos de uma viúva para lhe fazer justiça, após esta ter insistido no pedido ao magistrado. No Evangelho, Jesus diz, ao final da história, que se o juiz, injusto, atendeu aos apelos da viúva, imagine Deus em relação à perseverança de seus filhos.

Padre Luciano disse que o Evangelho é exemplo para que os cristãos também perseverem na oração, pedindo com insistência, até que os pedidos sejam aceitos. “Mas Deus vai nos atender não no momento que queremos. Ele atenderá tudo a seu tempo”, destacou o pároco da Catedral.

As Consequências da Oração – Ainda de acordo com Padre Luciano, a oração tem que ser perseverante, mas também feita sempre pensando nas suas consequências em relação aos que vivem ao nosso redor. Segundo o pároco, quando pedimos algo a Deus, temos que fazer uma profunda reflexão sobre as consequências desse nosso pedido.

É que, de acordo com o Padre, é preciso que façamos nossos pedidos imaginando se este pedido, realmente, é bom para nós e também para as pessoas com quem convivemos diariamente, seja no seio das nossas famílias, junto aos amigos, aos vizinhos, aos companheiros de trabalho ou em qualquer outro ambiente.

“Toda oração deve ser solidária, nunca fruto do egoísmo”, destacou Padre Luciano, reforçando que esse desejo deve ser permanente nos cristãos, em suas orações. “Já pensou se Deus atendesse a todos os pedidos que fazemos a Ele diariamente? Com certeza muitas injustiças poderiam ser cometidas, conosco e com os nossos irmãos”, justificou.

Padre Luciano finalizou dizendo que uma das principais características do cristão é a oração perseverante e pediu para que os fiéis nunca desanimem diante de um pedido que ainda não foi atendido. “Certo dia alguém me procurou para dizer que Deus tinha ‘tapado os ouvidos’ para as suas orações e eu sempre digo: ele atenderá de acordo com os critérios Dele e no tempo Dele. Se for bom para nós, Ele atenderá, no tempo certo”.

Pascom – Catedral

 

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Celebração Eucarística marca comemoração dos 60 anos da EVL

60anos_4Na manhã desse domingo (24), a Escola Virgem de Lourdes reuniu professores, alunos, funcionários, familiares e amigos em uma Celebração Eucarística em Ação de Graças pelo seu sexagésimo aniversário.

As pessoas que compareceram ao Ginásio de Esportes da Escola, local onde aconteceu a Missa, foram recepcionadas por uma exposição, que contou a história da chegada das Irmãs Lourdinas em Campina Grande, bem como a fundação e evolução da instituição de ensino.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A solenidade começou com a entrada da imagem de Nossa Senhora de Lourdes e dos quadros de Santa Bernadete Soubirous, vidente de Lourdes, e de Madre Maria de Jesus Crucificado, fundadora do instituto da Imaculada Conceição de Nossa Senhora de Lourdes. Logo em seguida, foram recebidas as bandeiras da França, Brasil, Paraíba, Campina Grande, Instituto e Colégio, acompanhadas por professores e funcionários da EVL.

60anos_3A Missa foi celebrada pelo Padre José Hermes Fernandes de Macedo e co-celebrada pelos padres José Acírio de Medeiros, Tiago de Melo e Roberto Silva. O coral formado por alunos da EVL juntamente com a orquestra “A Pauta Mágica” foram os responsáveis pelas músicas da celebração.

“Através da educação, as Irmãs Lourdinas conseguem transmitir para nós o sorriso estampado no rosto de Maria. Hoje, os mais de 1.750 alunos vivem a alegria de saboreá-lo no carisma Amar é Servir”, assinalou o Padre Hermes durante a sua reflexão, onde destacou a importância da instituição de ensino em Campina Grande.

No momento das Ofertas, alunos da Educação Infantil, do Fundamental I e II e do Ensino Médio trouxeram rolos de preces para serem oferecidas no Altar. Após a Comunhão, estudantes e professores participaram de uma apresentação teatral, que contou a história da aparição de Nossa Senhora a Bernadete, passando pela fundação da EVL até chegar aos seus 60 anos de existência.

Durante os agradecimentos, a Irmã Maria Sueli Germano, superiora provincial das Irmãs Lourdinas se mostrou grata pelos frutos gerados pela EVL na Rainha da Borborema. “Elevo a Deus minha gratidão por todos os que fazem a Família Lourdinas, doando diariamente suas vidas a este serviço por acreditarem no propósito de educar e evangelizar”, disse.

Em seguida, professores e funcionários ofereceram 60 rosas vermelhas às religiosas presentes na Celebração Eucarística, que foi encerrada com o tradicional “Parabéns”. Ao final, foi servido um bolo para marcar o momento de comemoração do sexagésimo aniversário da Escola Virgem de Lourdes.

 

 

 

Assessora de Comunicação e Eventos para o Focando a Notícia

Celebração em Natal (RN) marca 50 anos da Campanha da Fraternidade

Foto: Cacilda Medeiros
Foto: Cacilda Medeiros

Cerca de duas mil pessoas lotaram o Centro de Convenções na Via Costeira de Natal (RN), na sexta-feira (15/02), para o lançamento nacional da Campanha da Fraternidade (CF) 2013, que tem como tema “Fraternidade e Juventude”. Um seminário marcou as comemorações alusivas ao jubileu da Campanha, que teve origem na Arquidiocese de Natal, na comunidade de Timbó, município de Nisia Floresta.

A solenidade de lançamento contou com a participação do secretário geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Leonardo Steiner; do presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude, dom Eduardo Pinheiro; do arcebispo metropolitano de Natal, dom Jaime Vieira Rocha; e diversos bispos do Regional Nordeste 2.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Em suas palavras, dom Jaime recordou o papel da CF para a evangelização no Brasil. “Podemos destacar neste momento, a contribuição da Campanha da Fraternidade, como ação social e evangelizadora da Igreja. Vivemos com muito empenho e alegria, este momento em nossa Arquidiocese”, comemora.

Foto Cacilda Medeiros 94Já para o secretário geral da CNBB, a importância da CF se dá, principalmente, pelo objetivo social que desempenha. “Os temas das Campanhas nos trazem uma reflexão, promovendo uma discussão entre Igreja e sociedade. Além disso, hoje a campanha dispõe de subsídios que auxiliam nos debates nas escolas, e isso mostra a ação social que a CF desempenha”, pontuou dom Leonardo.

Para dom Genival Saraiva, presidente do Regional Nordeste 2, voltar às origens da Campanha da Fraternidade, remete ao trabalho pastoral que a Igreja Católica realiza. “Lembro a iniciativa de dom Eugênio Sales, de investir nas ações sociais da Igreja, e os resultados dessa proposta, nós podemos observar ao longo do tempo, com diversos projetos que hoje a Igreja financia. Isso sem dúvida contribuiu para a ação evangelizadora da Igreja”.

Durante a solenidade de lançamento da CF, o vigário-geral da Arquidiocese de Natal, padre Edilson Nobre, leu uma carta enviada pelo Núncio Apostólico no Brasil, dom Giovanni D’aniello, em razão dos 50 anos da CF. Na carta, dom Giovanni ressaltou a importância de dom Eugênio Sales na difusão desta iniciativa, que contribuiu para a caminhada de solidariedade e de esperança da Igreja no Brasil. “Este é um momento celebrativo, e também, um momento de revisão da Campanha da Fraternidade, frisando a necessidade de um aprimoramento do conteúdo da Campanha, para que esta possa ser sempre mais um forte poder de evangelização”.

Foto Cacilda Medeiros 256Ainda de acordo com a carta do Núncio, a celebração adquiriu uma maior representatividade, considerando que a Igreja vive o Ano da Fé. “Como afirmou o Santo Padre, foi instituído para suscitar “em cada crente, o anseio de confessar a fé e com renovada convicção, com confiança e esperança” (Carta Apostólica Porta Fidei, 9)”, realçou.

 

 

CNBB

Celebração lembra os oito anos da morte da irmã Dorothy Stang

Freira reconhecida como defensora da reforma agrária e da causa dos pequenos agricultores de Anapu, no Pará, acabou assassinada no dia 12 de fevereiro de 2005, aos 73 anos, a mando de grileiros e madeireiros 

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Irmã Dorothy Stang
– Foto: Arquidiocese de Fortaleza

Os grupos religiosos “Justiça Paz e Integridade da Criação” (JUPIC) e “Vida ReligiosaInserida” (VRI) realizam neste sábado (16), em São Paulo, uma homenagem em razão dos oito anos da morte da irmã Dorothy Stang.

Irmã Dorothy era reconhecida como uma defensora da reforma agrária e da causa dos pequenos agricultores de Anapu, no Pará, mas acabou assassinada aos 73 anos a mando de grileiros e madeireiros, em uma estrada de difícil do município.

Segundo o frei dominicano João Xerri, essa celebração é uma forma de manter viva não apenas a memória de Dorothy, mas também a luta pela reforma agrária no Brasil. “Essa memória nos incentiva a não arredar o pé. É preciso reconhecer o que fizemos no passado para nos animar o presente. Além disso, a causa de Dorothy não está na moda, não se fala mais em reforma agrária, por isso, mais ainda, temos que refazer a memória”, afirmou.

Em carta para o evento, Dom Pedro Casaldáliga, que no ano passado precisou se esconder em razão de uma série de ameaças por causa da defesa ao povo indígena Xavante, convocou os religiosos a assumirem a herança da irmã “com realismo militante e com a esperança pascal”. “[Dorothy era] Mártir das causas verdadeiramente do povo, no lugar certo e na hora certa”, ressaltou.

Para Xerri, uma das grandes qualidades da irmã era estimular o protagonismo do pequeno agricultor na luta, dando voz aos mesmos.

Serviço

O quê: Celebração dos oito anos da morte de Dorothy Stang
Quando: 16 de fevereiro de 2013, das 14 às 16h30hs
Onde: Centro de Pastoral São José do Belém, na Av. Álvaro Ramos, 366, bairro Belém, São Paulo – SP (ponto de referência metrô Belém)

Brasil de Fato, com Aline Scarso

Papa critica a violência religiosa na celebração da Missa do Galo

A rejeição a Deus pelo mundo contemporâneo leva à rejeição do outro, principalmente dos mais vulneráveis, advertiu nessa segunda-feira (24) o Papa Bento XVI, durante a Missa do Galo, antes de definir qualquer violência em nome de Deus como uma ‘doença’ da religião.

O Papa, que celebrou a missa com o auxílio de cerca de 30 cardeais, rezou pela paz na Palestina, Síria, Líbano e Iraque para que os cristãos possam ‘conservar sua morada’ nestes lugares e para que ‘cristãos e muçulmanos possam construir juntos seus países na paz de Deus’.

Papa Bento XVI celebra a tradicional Missa do Galo na basílica de São Pedro do Vaticano nesta segunda-feira (24) (Foto: AP)Papa Bento XVI celebra a tradicional Missa do Galo na basílica de São Pedro do Vaticano nesta segunda-feira (24) (Foto: AP)

Violência é ‘doença
“Estamos completamente repletos de nós mesmos, de modo que já não há espaço para Deus. Também não resta espaço para os outros, para as crianças, os pobres, os estrangeiros”, disse o Papa na missa celebrada na Basílica de São Pedro. “Não é precisamente a Deus que rejeitamos?” – questionou Bento XVI.

No início de uma cerimônia de mais de duas horas, acompanhada por coral em latim, música de órgão e som de trombetas, Bento XVI percorreu a imensa Basílica de São Pedro sobre uma plataforma móvel, mostrando cansaço.

“Correntes de pensamento muito difundidas afirmam que (…) a religião, em particular o monoteísmo, seria a causa da violência e das guerras no mundo; que seria preciso libertar a humanidade da religião para se estabelecer a paz; que o monoteísmo, a fé em um único Deus seria prepotência, motivo de intolerância, já que por sua natureza tentaria se impor a todos com a pretensão da única verdade’.

“É certo que o monoteísmo serviu durante a história como pretexto para a intolerância e a violência. É verdade que uma religião pode se desviar e chegar a se opor à natureza mais profunda quando o homem pensa que deve tomar em suas mãos a causa de Deus, fazendo de Deus sua propriedade privada. Devemos estar atentos contra a distorção do sagrado”.

“Mas mesmo que seja incontestável um certo uso indevido da religião na história, não é verdade que o ‘não’ a Deus restabeleceria a paz. Se a luz de Deus se apaga, se extingue também a dignidade divina do homem”, concluiu Bento XVI.

Papa Bento XVI celebra a tradicional Missa do Galo na basílica de São Pedro do Vaticano nesta segunda-feira (24) (Foto: AP)Papa Bento XVI celebra a tradicional Missa do Galo na basílica de São Pedro do Vaticano nesta segunda-feira (24) (Foto: AP)
Pessoas observam cena do nascimento de Jesus representada na Praça São Pedro durante a Missa do Galo nesta segunda-feira (24) (Foto: AP)Pessoas observam presépio na Praça São Pedro durante a Missa do Galo nesta segunda-feira (24) (Foto: AP)
Presépio foi disposto na Praça São Pedro durante a Missa do Galo nesta segunda-feira (24) (Foto: AFP)Presépio foi disposto na Praça São Pedro durante a Missa do Galo nesta segunda-feira (24) (Foto: AFP)
Papa Bento XVI celebra missa na basílica de São Pedro nesta segunda-feira (24) (Foto: AP) (Foto: AP)Papa Bento XVI celebra missa na basílica de São Pedro nesta segunda-feira (24) (Foto: AP) (Foto: AP)
Do G1, com agências internacionais

Homenagens marcam celebração do centenário de Luiz Gonzaga

(Foto: Divulgação)

Nesta Quinta-feira (13) a Assembléia Legislativa da Paraíba (ALPB) realiza uma sessão especial em comemoração ao centenário de Luiz Gonzaga – “O Rei do Baião”. O evento acontecerá no plenário Deputado José Mariz, a partir das 15h00.

A sessão foi proposta conjuntamente pelos deputados Vituriano de Abreu (PSC) e Lea Toscano (PSB). Eles destacam que a data é de grande importância para o Nordeste, pois a coragem de Luiz Gonzaga como retirante e divulgador da cultura nordestina representa o orgulho do povo sertanejo. “Através de suas músicas, todo o Brasil passou a conhecer o Nordeste de forma simples e autêntica”, afirmou Vituriano.

Não serão apenas os deputados que homenagearão Gonzaga, aqui em João Pessoa. A SOFORRÓ-PB (Sociedade dos Forrozeiros da Paraiba) prestará uma homenagem ao Dia Nacional do Forró e ao aniversário de nascimento de Luiz Gonzaga. A programação inclui Palestras e shows musicais. A festa que começou na segunda-feira (11) e se encerra hoje.

Já no Fórum Cível de João Pessoa, na avenida João Machado, em Jaguaribe, uma exposição reúne objetos que ajudam a contar história de Gonzagão.

Homenagem do Google

O Google usou seu  logo  nesta quinta-feira (13) para prestar uma homenagem aos 100 anos de Luiz Gonzaga, o rei do baião. Clicando no doodle, é possível ver o conteúdo indexado no mecanismo de buscas a respeito do músico pernambucano.

Biografia

Luiz Gonzaga do Nascimento nasceu em Exu (PE), em 13 de dezembro de 1912, e morreu em Recife, 02 de agosto de 1989. Conhecido como o Rei do Baião, foi uma das mais completas, importantes e inventivas figuras da música popular brasileira. Cantando acompanhado de sua sanfona, além de zabumba e triângulo, levou a alegria das festas juninas e dos forrós pé-de-serra, bem como a pobreza, as tristezas e as injustiças de sua árida terra, o sertão nordestino, para o resto do país, numa época em que a maioria das pessoas desconhecia o baião, o xote e o xaxado.

paraibaja

Padre de 48 anos passa mal e morre durante celebração de Missa


O padre e pároco da Paróquia de Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos, do bairro Dom Pedro, Zona Centro-Oeste de Manaus, morreu após passar mal quando celebrava Missa para fiéis da comunidade na manhã desse domingo (21). O sacerdote Cláudio Walmir Rossini tinha 48 anos e chegou a ser socorrido, mas faleceu antes de chegar ao Hospital 28 de Agosto.

De acordo com a ministra da eucaristia, Kátia Bulcão, por volta das 9h, o padre Cláudio Rossini passou mal e caiu no momento da homilia. Na ocasião, centenas de fiéis participavam da missa e da celebração de renovação de batismo.

“No momento, havia médicos na igreja que estavam na missa e logo o socorreu. Em seguida, o Samu [Serviço de Atendimento Móvel de Urgência] chegou e levou o padre para o 28 de Agosto”, contou Kátia Bulcão.

Ruth Frazão, integrante da pastoral da Paróquia de Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos, revelou que a igreja estava lotada, sendo que logo após o padre começar demonstrar problemas de saúde as crianças foram retiradas do local. Um outro sacerdote da Paróquia deu continuidade à missa.

“Antes da missa, padre Cláudio aparentava estar bem de saúde. Não tínhamos conhecimento de que ele sofria problemas de saúde. Além disso, recentemente ele fez uma bateria de exames que não apontou nada”, disse a representante.

Segundo a assessoria da Arquidiocese de Manaus, a arquidiocese aguarda a decisão do Bispo para se pronunciar sobre o assunto e ainda não tem informações sobre o velório. “O médico Edmilson Guerra, que esteve no 28 de Agosto, disse que foi um infarto fulminante”, informou a Arquidiocese.

Padre Cláudio Rossini é natural do Rio Grande do Sul e estava há sete anos em Manaus. Depois de congregado durante seis anos na Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, do Bairro Praça 14 em Manaus, o sacerdote assumiu neste ano a função de pároco Paróquia de Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos também na capital. O sacerdote pertencia à congregação dos padres Palotinos.

Emocionada com a morte do antigo orientador religioso, Andréa Castro, relembrou os momentos que trabalhou ao lado do padre Cláudio durante permanência na Paróquia de Nossa Senhora de Fátima. “Vai deixar muita saudade e ensinamentos de ser fiel ao trabalho do senhor Jesus Cristo. Ele era símbolo de dedicação na ação de repassar a palavra do senhor”, destacou Andréa Castro.

Fonte: G1

Focando a Notícia