Arquivo da tag: castiga

Seca castiga a PB e 21 reservatórios já secaram totalmente

seca_no_nordesteO número de reservatórios em situação crítica na Paraíba aumentou neste ano. Dos 127 açudes monitorados pela Agência Executiva de Gestão das Aguas do Estado (Aesa), 73 estão com menos de 5% do seu volume; outros 28 têm menos de 20% de seu volume total. Só em 26 reservatórios a situação não é tão grave – estão com sua capacidade armazenada superior a 20%. Não há registro de açude sangrando em 2017.

Na relação divulgada pela Aesa, há 21 açudes que estão completamente secos: Algodão, Algodão de Jandaíra; Bichinho, Barra de São Miguel; Escondido, em Belém do Brejo do Cruz;  Tapera, em Belém do Brejo do Cruz ; Campos, em Caraúbas; Cordeiro, no Congo ; Gurjão, em  Gurjão;  Cachoeira dos Alves, Itaporanga; Carneiro, em Jericó; Olivedos, em Olivedos; Ouro Velho,  em Ouro Velho; Caraibeiras, Picuí; Prata II, em Prata; Riacho dos Cavalos, em Riacho dos Cavalos; Serra Branca I, em Serra Branca; Jenipapeiro, em São José da Lagoa Tapada; São José IV, em São José do Sabugi; São Mamede, em  São Mamede; Novo II, em Tavares; Bastiana, em Teixeira, e  Riacho das Moças, em Teixeira.

Ainda de acordo com a Aesa, há alguns casos que chamam a atenção. Como e o caso do reservatório São José, em Monteiro. Em uma das regiões mais castigadas pela seca, no Cariri, o açude tem 65,86% de seu volume total.

A Capital paraibana e as cidades no entorno que são abastecidas por dois reservatórios  aparentemente continua saldo da crise hídrica. O reservatório de Marés  com capacidade superior  a dois milhões de metros cúbicos tem uma volume total de 1,2 milhão de metros cúbicos. Já o Gramame/Mamuaba tem 70,4% de sua capacidade armazenada. A barragem tem capacidade máxima (m3) de 56.937.000.

Confira a situação em cada reservatório.

clickpb

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Castiga pela seca, cidade de Belém na Paraíba comemora as chuvas caídas e esperança do belenense se renova

belemPrestes a sofrer um colapso total no fornecimento d’água, com racionamento forçado e o seu principal manancial a Lagoa do Matias praticamente vazio, a cidade de Belém, no brejo da PB, amanheceu em clima de festa, graças as chuvas caídas na “terra do pão”.

Era visível durante toda amanhã as participações de ouvintes nas emissoras de rádio da cidade e da região a ‘celebração eufórica’ da população com a chegada das chuvas de março.

As esperanças são renovadas no sentido de que acabe o mais breve possível o racionamento e a água volte as torneiras da população belenense.

Nas redes sociais muitos internautas publicaram fotos da cidade banhada por água.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

ExpressoPB

Seca castiga municípios do agreste paraibano considerada a pior em pelo menos 30 anos

A cidade de Solânea esta em estado de alerta a barragem que abastece a cidade e outros municípios do brejo esta com um nível muito baixo e se a chuva não cair nos próximos meses essas cidades irão ficar sem o abastecimento a paisagem da barragem é desoladora quase vazia e a unica coisa que nos sobra é a esperança da chuva.

Dicas de como economizar água

– Ao escovar os dentes e se barbear, manter a torneira fechada;
– Fechar a torneira enquanto ensaboar as louças e talheres;
– Usar a máquina de lavar roupas na capacidade máxima;
– Na hora do banho, procurar se ensaboar com o chuveiro desligado e procurar tomar banho rápido;
– Não deixar que ocorram vazamentos em encanamentos dentro da residência;
– Entrar em contato com a companhia de água ao verificar vazamentos de água na rede externa;
– Usar a descarga no vaso sanitário apenas o necessário. Manter a válvula sempre regulada;
– Reutilizar a água sempre que possível;
– Utilizar regador no lugar de mangueira para regar as plantas;
– Usar vassoura para varrer o chão e não a água da mangueira;
– Lavar o carro com balde ao invés de mangueira;
– Colocar sistemas de controle de fluxo de água (aeradores) no bico das torneira.

As poucas incidências de chuvas nessas regiões vem mudando toda a paisagem do agreste paraibano no campo o pasto verde deu lugar aos galhos secos sem chuvas satisfatórias a meses o gado que sobrevivia daquele pasto esta magro alguns até morrendo  mais aqueles que ainda estão vivos os agricultores estão vendendo.Em muitos municípios o abastecimento esta sendo realizado por carros pipas.

 
Fonte: cliquetudoonline