Arquivo da tag: casar

Padre que largou a batina para se casar se separa em menos de 2 meses

O casamento do ex-padre Everson Danilo Vasconcelos não durou sequer dois meses. As especulações de que o casamento já chegou ao fim foram confirmadas à editoria do Portal25horas por pessoas próximas ao casal.

Natural de Alagoa Grande, o religioso, que era vigário da paróquia da Santíssima Trindade, se apaixonou por uma moça de Guarabira e resolveu largar a batina para realizar o sonho de viver um grande amor.

Everson e a jovem Anália trocaram alianças diante do juiz, no fórum da comarca de Guarabira, no começo de julho passado e não chegaram a se casar na igreja.

O bispo da diocese de Guarabira, dom Aldemiro Sena dos Santos, acolheu oficialmente no dia 10 de junho o pedido de demissão definitiva do estado clerical encaminhado livremente pelo padre Everson Danilo Vasconcelos Santos. O padre estava atuando na paróquia da Santíssima Trindade, em Guarabira.

O então padre Everson assim escreveu ao bispo:

“O motivo pelo qual ocorreu minha saída da Paróquia da Santíssima Trindade, foi devido ao cansaço pastoral que já vinha sendo sentido pela comunidade, pois já era do conhecimento de todos da Paróquia esta realidade; além disso, após uma caminhada de quase dois anos me vi na necessidade de reavaliar minha vocação. Feita a devida reflexão, vi que o ministério ordenado não estava compatível comigo. Portanto, pensando no bem da Igreja e buscando ser coerente, estarei me ausentando definitivamente do exercício do ministério ordenado. Espero contar com a compreensão e caridade pastoral de todos. Rezemos uns pelos outros e pela paz. A todos, que o Senhor nos proteja e nos guarde.” (Pe. Everson).

Embora não tenha informado a verdadeira razão do abandono da batina, dias depois a imprensa noticiou que Everson largou a missão de religioso para se casar.

A reportagem tentou ouvir os dois para saber o que levou ao desgaste do relacionamento e consequente desfecho, com o fim do casamento meteórico, mas não obteve êxito.

 

portal25horas

 

 

Padre da Diocese de Guarabira larga a batina para se casar

Como noticiado pelo Portal25horas, o padre Everson largou definitivamente a batina. Ele pediu demissão das atividades e o pedido foi acolhido pelo bispo da Diocese de Guarabira.

O padre se envolveu afetivamente com uma jovem de Guarabira, se apaixonou e decidiu não mais exercer as funções de pastoreio para conviver maritalmente com a moça, que ainda não tem 18 anos.

O religioso alegou que está cansado e que reavaliou sua vocação e “feita a devida reflexão, vi que o ministério ordenado não estava compatível comigo”, disse Everson em seu pedido de desligamento da igreja.

O site oficial da Diocese de Guarabira publicou matéria no começo da noite de hoje (10), confirmando a saída definitiva de Everson dos quadros da igreja católica.

O bispo da Diocese de Guarabira, Dom Aldemiro Sena dos Santos, acolheu oficialmente nesta segunda-feira (10), o pedido de demissão definitiva do estado clerical encaminhado livremente pelo padre Everson Danilo Vasconcelos Santos. O padre estava atuando na Paróquia Santíssima Trindade, em Guarabira.

Alegando cansaço pastoral e a necessidade de reavaliar sua vocação sacerdotal, em face de incompatibilidade com o ministério ordenado, o padre Everson pediu desligamento.

O padre Everson assim escreveu ao bispo diocesano:

“O motivo pelo qual ocorreu minha saída da Paróquia da Santíssima Trindade, foi devido ao cansaço pastoral que já vinha sendo sentido pela comunidade, pois já era do conhecimento de todos da Paróquia esta realidade; além disso, após uma caminhada de quase dois anos me vi na necessidade de reavaliar minha vocação. Feita a devida reflexão, vi que o ministério ordenado não estava compatível comigo. Portanto, pensando no bem da Igreja e buscando ser coerente, estarei me ausentando definitivamente do exercício do ministério ordenado. Espero contar com a compreensão e caridade pastoral de todos. Rezemos uns pelos outros e pela paz. A todos, que o Senhor nos proteja e nos guarde.” (Pe. Everson).

O Código de Direito Canônico, cân. 292, prevê que o clérigo que, segundo as normas do direito, perder o estado clerical, perde com ele os direitos próprios desse estado, e não fica sujeito às obrigações do estado clerical, sem prejuízo do prescrito no cân. 291; fica proibido de exercer o poder de ordem, salvo o prescrito no cân. 976, e pelo mesmo fato fica privado de todos os ofícios e cargos bem como de qualquer poder delegado.

Emergencialmente, conforme divulgado anteriormente, Dom Aldemiro Sena designou o padre Adauto Tavares Gomes e demais padres da Forania de Guarabira para assistirem o povo de Deus na Paróquia Santíssima Trindade.

portal25horas com Pascom

 

 

‘Matemática do amor’ calcula momento certo de se casar

coraçãoTalvez você suspeite, em segredo, que tenha “sossegado” muito cedo ou que poderia ter encontrado alguém melhor se tivesse esperado um pouco mais. Ou talvez você se preocupe que, se deixar seu parceiro(a), pode nunca mais encontrar alguém à altura.

Como saber qual a hora de parar de procurar? Será que a matemática pode nos ajudar a encontrar o melhor parceiro possível?

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O programa de rádio More or Less, da BBC, fez essas perguntas ao matemático Matt Parker, que sugere uma abordagem científica para resolver a questão.

“Quando você está entrevistando parceiros – ou seja, namorando e saindo em encontros -, à medida que você avalia os candidatos e rejeita um deles, depois, é muito difícil voltar e dizer, ‘Mudei de ideia – parece que você é o melhor que eu sou capaz de conseguir'”, diz ele.

Mas, por outro lado, você precisa ter contato com um número suficiente de parceiros para ter uma ideia geral das suas possibilidades.

Estratégia matemática 

Matematicamente, ele diz, sabemos que, se você quer obter a melhor pessoa possível dentro da média, precisa estimar o número total de pessoas com quem vai sair durante a sua vida.

Digamos que sejam cem pessoas. Então, você calcula a raiz quadrada desse número – no caso, dez. Use seus dez primeiros encontros para analisar qualidade, “compilando” a informação para sua própria pesquisa de mercado.

“Você pode até colocá-los em uma planilha, determinando quem foi o melhor”, diz Parker. “Feito isso, você continua nos encontros até encontrar alguém tão bom quanto ou melhor do que a amostra original. Daí, matematicamente você terá o melhor resultado, em média.”

A fórmula não é perfeita, claro. Quanto tempo você precisa de encontros e namoros até determinar a qualidade do parceiro? Como avaliar as pessoas de forma objetiva, e será que essa “qualidade” do parceiro – ou mesmo o que você considera ideal – não mudará ao longo do tempo?

Matemático usa raiz quadrada para determinar a equação do amor
Thinkstock Photos

Matemático usa raiz quadrada para determinar a equação do amor

Também estamos partindo do princípio de que você é capaz de estimar, com certa precisão, o número de pessoas com quem terá envolvimento romântico ao longo de sua vida.

“Como sempre, um modelo matemático só é bom se partir de boas premissas iniciais, e (depende de) quantos fatores você leva em conta e do quão preciso você é ao avaliá-los”, pondera Parker.

“Pesquisas parecem indicar que a maioria das pessoas se acomoda cedo demais, e não apenas na busca por parceiros para a vida toda, mas também em questões como comprar uma casa, um carro usado – então (a análise matemática) pode lhe dar uma ideia de quantas amostras avaliar.”

Em contrapartida, diz ele, “no namoro online, as pessoas entram num ciclo de nunca parar de analisar suas amostras, sempre pensando que há alguém melhor por aí. Você não deve seguir religiosamente esse algoritmo, mas é um guia razoável para mostrar, de forma aproximada, o que você deveria fazer.”

 

BBC Brasil

8 Razões para casar e 8 motivos para continuar solteiro

casadosExiste um momento chave na sua vida que você vai perceber uma epidemia matrimonial a te cercar. São antigos camaradas que sossegaram o facho e encontraram a tampa da panela, irmãos com sua metade da laranja e até suas ex-namoradas que desfilam com maridos e filhos.

Por outro lado, há aqueles solteiros convictos. Guerreiros de balada que pegam mas não se apegam. Colegas que vivem micro relacionamentos intensos, embora efêmeros. Outros tantos separados, com filhos, que tentaram, mas descobriram que não foram feitos para juntar as escovas de dente.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

E onde você está nisso tudo? Desculpe-me colocá-lo contra a parede, não foi esta intenção. Para te ajudá-lo a ser e fazer suas decisões por você mesmo, resolvi apontar as8 razões para você se casar e 8 motivos para continuar solteiro. Escolha seu lado e seja feliz!

8 MOTIVOS PARA CASAR

1# Casados tem a vida sexual mais ativa

8 Razões para casar e 8 motivos para continuar solteiro 6
Se você pensa que casar vai diminuir sua frequência na vida sexual, está redondamente equivocado. Apesar dos relacionamentos intercalarem curtos e longos períodos sem sexo, a atração química e física são ingredientes primordiais na maioria dos relacionamentos e são mais intensas do que na vida solteira.

Os estudos realizados pelos Centros de Pesquisa de Opinião Nacional, na Universidade de Chicago, EUA, apontaram que um casal abaixo de trinta anos faz sexo, em média, 112 vezes por ano. Essa pesquisa contraria ditos populares, já que a média dos solteiros na mesma idade é de 69 vezes.

2# Casados têm mais saúde e vivem mais
O matrimônio também te ajuda a ter viver mais e melhor. Estudos canadenses afirmam que o homem casado chega a viver até sete anos a mais do que um solteiro. Como o homem não é muito de se preocupar com a saúde, a parceira é fundamental nessas horas.

3# Construir uma família

8 Razões para casar e 8 motivos para continuar solteiro 5
Juntas as escovas ainda é a ponte mais segura para ter seus herdeiros. Sei que você pode pular a etapa do casamento para ter filhos, mas o matrimônio ainda é o método padrão para iniciar uma família. Especialistas apontam que ter um filho dentro de um casamento saudável é a opção mais indicada para o desenvolvimento familiar.

4# Ganho financeiro

8 Razões para casar e 8 motivos para continuar solteiro 19
O estudo foi realizado por John Helliwell e Shawn Grover, no National Bureau of Economic Research, no Canadá, comprovou que casados acumulam mais dinheiro. Para isto, tentaram analisar de que forma o casamento afeta o bem-estar do homem, levando em conta também o nível de felicidade antes do matrimônio, para descobrir em que medida a união com a mulher de fato mudou a vida do cara.

As pesquisas demonstraram que as pessoas que ficaram casadas, cada uma tinha cerca do dobro da riqueza de pessoas solteiras que nunca se casou. Juntos, a riqueza do casal foi quatro vezes maior do que uma única pessoa solteira.

5# Alguém para dividir os momentos difíceis

8 Razões para casar e 8 motivos para continuar solteiro 2
No caso de depressão, por exemplo, a Universidade de Ohio, nos EUA, comprovou que a união estável aumenta a saúde mental, especialmente em pessoas que sofrem de depressão. O casamento ainda é visto com maior importância na meia idade, quando as pessoas estão mais sensíveis a mergulhar no bem-estar ou cair na melancolia, não importa o estado civil.

6# Companheira para a vida

8 Razões para casar e 8 motivos para continuar solteiro 8
A grande chave para um casamento feliz está em fazer do seu cônjuge seu melhor amigo: “Aqueles que são melhores amigos dos seus parceiros obtêm os maiores benefícios do casamento e da convivência. O bem-estar do casamento é dobrado para aqueles cujo cônjuge também é seu melhor amigo”, revela o estudo do National Bureau of Economic Research. Muito mais do que escolher uma mãe para seus filhos, escolha uma parceira para sua vida.

7# Você se torna um cara melhor

8 Razões para casar e 8 motivos para continuar solteiro 18
Se você é um cara inteligente, vai optar por um relacionamento com uma mulher perspicaz, teimosa e honesta. Esse tipo de companheira vai te fazer uma pessoa melhor, pois ela vai desafiá-lo a ser sempre melhor. Além do mais, no matrimônio você aprende o verdadeiro significado dos autos sacrifícios e compromisso. Coisas mais difíceis de aprender na vida solteira.

8# Casados são mais felizes

8 Razões para casar e 8 motivos para continuar solteiro 9
Enfim, especialistas da universidade de Michigan analisaram dados de um levantamento feito com 10 mil pessoas sobre a satisfação com a vida ao longo do tempo. Assim, eles perceberam que o grau de felicidade caiu mais acentuadamente em longo prazo para os solteiros, enquanto os que tinham um companheiro eram mais felizes.

8 MOTIVOS PARA CONTINUAR SOLTEIRO

1# Ainda não estou pronto para dividir minha vida com alguém

8 Razões para casar e 8 motivos para continuar solteiro 10
Para encarar uma relação a dois, você precisa ter uma certa maturidade. Mas, se você não estiver neste patamar, sem problemas, não precisa ficar na neura. Você pode escolher seu caminho sem precisar se encaixar em padrões pré-estabelecidos, como aponta a campanha #umbrindeavidareal.  Aproveite sua zona de conforto, a casa dos pais, o fato de morar sozinho, sua estabilidade financeira ou o fato de poder fazer as mais diversas viagens que gostaria. Você pode muito bem adiar o projeto matrimônio ou descobrir que nunca foi feito para ele.

2# Solteiros estão mais em forma

8 Razões para casar e 8 motivos para continuar solteiro 11
Quem não tem aquele amigo que resolveu casar e deixou a vaidade de lado. Dois estudos nos EUA comprovaram que homens e mulheres ganharam peso depois que casaram e perderam peso quando terminaram o relacionamento. Uma pesquisa de 2014 publicado no Journal of Marriage and Family analisou mais de 13 mil homens e mulheres entre 18 e 64 anos e descobriu que aqueles que nunca haviam se casado praticavam mais exercício físico semanalmente do que os casados ou divorciados.

Outro estudo australiano de 2003, publicado no American Journal of Preventative Medicine, realizou entrevistas com milhares de mulheres a respeito de seus níveis de atividade física. Quatro anos depois, as mulheres que haviam se casado nesse ínterim estavam muito mais sedentárias. A tendência de grande parte dos casados é deixar de lado o cuidado com a aparência e aderir ao sedentarismo ao longo dos anos, ocasionando perda de interesse da parceira e até separação.

3# A separação deixa você muito mais pobre

8 Razões para casar e 8 motivos para continuar solteiro 21
Casamento deve ser algo bem pensado, pois suas consequências podem ser trágicas. Se, porventura, você não fizer uma boa escolha, a separação pode causar um mal bem pior ao seu bolso. Os divórcios tendem a diminuir a riqueza pessoal em 77%. Ou seja, é muito mais arriscado escolher a parceira para casar do que permanecer solteiro.

4# Relacionamento que sufoca e distanciam dos amigos

8 Razões para casar e 8 motivos para continuar solteiro 14
Um dos principais dilemas dos casamentos é o foco que o casal costuma dar para a relação, restringindo o círculo de amizades e aumentando a pressão sobre maridos e esposas para que eles sejam tudo para o parceiro. Sem esse convívio social, o casal fica muito mais propício ao estresse, desentendimentos e separação.

Seja porque você não sai mais com tanta frequência; porque eles estão na pista para negócio e você já se aposentou há tempos; ou porque simplesmente sua garota não curte seus amigos fanfarrões; o fato é que muitos dos seus grandes parceiros irão se afastar ou até sumir da sua vida quando você casar.

5# Objetivos pessoais e profissionais

8 Razões para casar e 8 motivos para continuar solteiro 15
Apesar de ser muito bom construir uma família, ela exige entrega, doação e deixar de lado muitos objetivos particulares. Uma vaga de risco em uma multinacional fora do país; aquele mochilão que você sempre sonhou na Europa ou aquele período sabático que você gostaria de fazer uma vez na sua vida terão que esperar. Se é que acontecerão algum dia.

6# Não dar satisfação a ninguém

8 Razões para casar e 8 motivos para continuar solteiro 16
Sair quando e com quem quiser; não ter horas para voltar; pegar o carro e embarcar em uma trip na sexta depois do expediente, são coisas que solteiros conhecem muito bem. Já os casados, é preciso de muita negociação e consentimento para a coisa rolar.

Aquela vida do velho lobo solitário chegará ao fim quando você disser sim no altar. Esqueça suas amizades coloridas, disk pizzas ou revival com ex-namoradas. Se você gosta de se conhecer e se envolver com pessoas novas, este é um sinal de que não seja uma boa hora para casar.

7# Um casamento feliz exige tempo, energia e dedicação

8 Razões para casar e 8 motivos para continuar solteiro 17
O pesquisador Eli J. Finkel concluiu que só se dá bem na vida a dois quem investe tempo e energia nos relacionamentos. De acordo com o sociólogo Jeffrey Dew e W. Bradfor Wilcox, os casais que passam tempo juntos, conversando ou fazendo outras atividades, têm 3,5 mais chances de serem felizes para sempre do que aqueles que mal se encontram. Ou seja, casar dá e exige muito trabalho.

8# Casar custa caro

8 Razões para casar e 8 motivos para continuar solteiro 13
Cada vez fica mais caro entrar em uma igreja e sair abençoado pelo casamento. Só para ter uma pequena ideia, uma festa simples, com cerimônia, festa e recepção, só com pessoas bem próximas, custa o preço de um carro popular, chutando baixo.

É preciso pensar antes de tomar a decisão, pois seus gastos na hora de juntar as escovas não é só o local da festa, é precisa procurar um lugar para morar (alugar, comprar ou financiar), decorá-lo e deixá-lo pronto para esta nova fase da vida. Resumindo, você precisa fazer um bom pé de meia antes de ir ao altar.

 

manualdohomemmoderno

Menina de 18 anos se prepara para casar com seu próprio pai após dois anos de namoro

casamentoNa década de 80, Barbara Gonyo, fundadora de um grupo de apoio a crianças adotadas que tiveram a chance de conhecer os pais biológicos, cunhou o termo “Atração Sexual Genética” (GSA – sigla em inglês).

Segundo ela, ele diz respeito aos intensos sentimentos amorosos e sexuais observados nas reuniões de reaproximação. Em entrevista ao The Guardian, contou que este sentimento tabu ocorre em 50% dos casos em que parentes afastados se reencontram na fase adulta. É exatamente esta a realidade vivida por uma garota americana de 18 anos.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Em entrevista à The New York Magazine, a jovem da região dos Grandes Lagos, nos Estados Unidos, deu todos os detalhes do relacionamento de dois anos com o seu pai biológico, que ela conheceu 12 anos depois de completo afastamento. Um relato bastante perturbador.

Os pais da menina se conheceram no colégio, aos 18 anos, e a conceberam na noite da festa de formatura. Eles tinham um relacionamento sério há seis meses, mas romperam durante a gravidez. “Eu acho que os problemas psicológicos da minha mãe contribuíram para que a relação não funcionasse. Ela sofre de bipolaridade e outros problemas mentais”, disse. “Eles não eram felizes e não mantiveram o contato depois do meu nascimento.”

Nos dois primeiros anos de vida, ela foi criada pelos avós por conta do descontrole da progenitora e teve um breve contato com seu pai entre os 3 e 5 anos de idade. Mas os encontros eram sempre conturbados e marcados por discussões do ex-casal. Logo, as visitas cessaram.

“Quando eu tinha uns 15 anos, ele escreveu para a minha mãe dizendo que gostaria de me ver. Eu disse que sentia falta dele e não me importaria em encontrá-lo. Ela me perguntou como eu poderia sentir saudades de alguém que eu mal conhecia, que eu não via há muito tempo. Mas a minha carência era de uma figura paterna.” Sua mãe sempre se relacionou com os caras errados e ela nunca conseguiu se sentir próxima dos padrastos.

Até que aos 17 anos, ela teve a chance de reencontrar o pai biológico. “Minha mãe era muito controladora. Ela tinha a senha do meu Facebook, desde a criação da conta. Um dia, depois de recuperar os meus privilégios de acessar a rede social, ele me adicionou como amigo. A princípio, pensei que fosse o meu avô, por causa do nome similar. Só depois me dei conta de que se tratava do meu pai. Eu disse que achava que ele estava morto e perguntei por que ele demorou para entrar em contato. Ele disse que sempre tentava me adicionar, mas eu sempre rejeitava o convite. Era a minha mãe controlando o meu perfil.”

O contato seguiu via internet e eles descobriram vários gostos em comum. Se encontraram uma semana depois. Passaram o dia todo abraçados. “Descobrimos que somos muito parecidos.” Foi aí que a menina pediu para passar uma semana com ele, que vivia há 30 minutos de distância da sua casa. “Acho que minha mãe sabia que eu iria me mudar. Chegamos a um ponto onde eu precisava escapar, ela era muito controladora.”

Os dois passaram cinco dias juntos. “Ele estava morando com a namorada. Na primeira noite, dormiu no sofá e eu no chão, só para ter a certeza de que estava tudo bem. Dormir em lugares diferentes me deixava ansiosa e eu pedi para que ele ficasse comigo, caso eu tivesse pesadelo durante a noite. Na segunda noite, ele dormiu no sofá novamente. E no terceiro dia, eu me vi dormindo com ele no chão, deitada em seu peito, nos braços. A quarta noite passamos no chão de novo. Desta vez, nós realmente nos abraçamos. Quando acordamos, estávamos de conchinha. Eu não soube disso na hora, mas depois que nos declaramos, ele confessou ter tido uma ereção. [Não senti nada]. Eu estava dormindo e ele foi discretamente ao banheiro.”

Na noite seguinte, enquanto brincavam de lutinha, antes de se deitarem, ela o mordeu. “Eu pude vê-lo arrepiado dos dedos dos pés aos ombros. Em seguida, ele beliscou minha coxa e eu me arrepiei toda. Paramos e dissemos que não sabíamos o que estava acontecendo, mas admitimos que sentíamos algo forte um pelo outro. Discutimos se isso era certo e nos beijamos. Depois, fizemos amor pela primeira vez. Foi quando eu perdi a virgindade.”

Ela nunca teve vida social, namorou um garoto durante dois anos, mas foi traída. Em seguida, se relacionou com uma garota, mas ela era muito religiosa e o namoro não vingou.

“Há uma razão para eu ter perdido a virgindade com ele – eu nunca me senti confortável com outro homem. Foi incrivelmente sensual. Nós dois tivermos orgasmos”, relatou. E disse que em nenhum momento foi coagida ou sentiu estranheza. “Foi natural. Não foi um tabu. Senti como se estivesse fazendo amor com um homem com que eu estava junto há anos.”

Em depoimento, ela confirmou que eles se sentiram completamente apaixonados, sentimento que causou o fim do namoro do pai, na época. A mãe e a família materna os veem como pai e filha; já a família paterna os aceitam como um casal e “estão ansiosos para que tenhamos filhos”.

Quase dois anos depois do início do relacionamento, eles planejam se casar. “Quero um casamento completo, mas não legalmente registrado. Não acredito que um pedaço de papel prove que você deseja ficar com a pessoa que ama.” Para isso, pretendem se mudar para New Jersey, onde podem se sentir seguros perante a lei. “O incesto entre adultos não é considerado ilegal por lá. E assim que estivermos lá, vou contar a todo mundo.”

O desejo do casal é também ter filhos biológicos. Eles não temem risco algum. “Eu não correria o risco de ter um filho, se eu soubesse que seria prejudicial. Eu pesquisei sobre isso. Todo mundo pensa que as crianças nascidas em relações incestuosas, certamente, terão problemas genéticos, mas isso não é verdade. Isso acontece quando há anos de consanguinidade, como com a família real.”

Mas ela garante que, às vezes, o procura como filha. “Quando eu preciso do meu pai, eu digo, ‘Ei, pai, preciso de você’. E nessa hora, ele não é meu noivo ou namorado, mas meu pai.”

Hoje, ela está com 18 anos e ele com 37, mas garantem que a diferença de idade não faz a menor diferença. “Eu nunca me senti dessa forma com ninguém.” Quanto aos julgamentos, ela diz: “Eu não entendo por que estou sendo julgada por ser feliz. Somos dois adultos que salvaram um ao outro. As pessoas precisam pesquisar mais sobre incesto e GSA, porque eles não sabem do que se trata e não entendem como acontece. Quando você tem 18 anos, você sabe o que quer.

Você é adulto diante da lei. Eu posso cuidar de mim mesma. Não preciso se proteção. Se eu estivesse em uma situação da qual eu tivesse que sair, eu sairia. Não tenho medo de me defender.”

G1

Jovem evangélica que sonhava casar virgem é estuprada em João Pessoa

estuproSem ter histórico sexuais com seu noivo, uma jovem evangélica sonhava casar virgem, mas nesta quarta-feira (19) ela foi abusada sexualmente por mais de duas horas na Zona Sul de João Pessoa. O caso foi revelado pela vereadora Eliza Virgínia (PSDB) que cobrou mais segurança na cidade nesta quinta-feira (20).

De acordo com o relato da vereadora, a jovem voltava da igreja para casa guando foi abordada por um homem nas imediações do Cristo e estuprada por cerca de duas horas. A mulher foi atendida na Maternidade Candida Vargas. “É alarmante a situação que estamos vivendo”, disse a vereadora em nome da Frente Parlamentar em Defesa da Mulher, cobrando segurança para João Pessoa.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Eliza anda afirmou que os números oficiais de estupros divulgados não representam a realidade e lembrou que a maioria das mulheres acabam não notificando os casos por vergonha. “Apesar das campanhas preventivas e da Lei Maria da Penha que é punitiva nós temos que ter um trabalho de conscientização maior”.

Écliton Monteiro – MaisPB

8 sinais de que ele não está a fim casar

Observar as atitudes (e não apenas as palavras), ter confiança na própria intuição e não ter medo de assumir quando um relacionamento não vai bem são atitudes importantes para perceber se o namorado (ou noivo) está realmente disposto a casar.

“Não é porque você quer que (o casamento) vai dar certo. As pessoas são voláteis, mudam de opinião. Se o homem está complicando a vida da gente, se está sendo muito difícil, alguma coisa anda muito errada”, explica ao Delas a psicóloga e terapeuta sexual Luciane Secco.

“Se as evidências mostrarem que você é uma coadjuvante na vida dele, que é apenas uma boa companhia para os momentos em que não há nada mais importante para fazer, você já terá esperado demais. E insistir, esperando que ele mude, pode não ser a decisão mais acertada”, aconselha o psicanalista Antonio Belamoglie.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Um dos sinais importantes para avaliar se há vontade de casar é verificar se a relação tem a mesma relevância para ambos.

“Preste atenção se ele envolve você nos eventos importantes da vida dele, se introduziu você efetivamente no convívio com os pais, se as atitudes e decisões estão direcionadas a uma vida a dois”, completa o especialista.

Insegurança ou desinteresse?

Apesar dos possíveis sinais de falta de comprometimento, é preciso observar se as negativas têm origem em insegurança ou imaturidade. Os homens, em geral, amadurecem mais tarde do que as mulheres para essas questões.

“É preciso que a mulher tenha em mente que ele vai demorar mais do que ela para chegar ao mesmo nível de maturidade. O que ela já almeja, ele vai querer apenas um pouco mais adiante”, completa o psicanalista.

A grande questão, apontam os especialistas, é saber diferenciar um homem inseguro, mas com boas intenções, de um que está realmente tentando se esquivar de compromisso.

“A mulher deve estar atenta às atitudes do seu parceiro para entender se haverá futuro no relacionamento. Se os sinais são de que vocês se completam, esperar um pouco mais não é um problema. Se os sinais são de que você está investindo seu tempo numa relação sem futuro, não espere mais”, adverte o psicanalista.

Veja a seguir alguns sinais de que ele não está tão a fim assim de se casar, pelo menos não com você. Fique atenta se ele:

1. Insistir que o casamento só pode ocorrer quando ele mudar de emprego ou for promovido. Essa justificativa pode valer por algum tempo, mas não pode durar muito.

2. Não fizer muita questão de envolver você com a família dele. Isso pode sinalizar que talvez não haja interesse da parte dele em levar o relacionamento a um estágio mais sério.

3. Evitar o contato dos filhos dele com você, alegando que as crianças não estão preparadas para o novo casamento.

Thinkstock/Getty Images

Discussão: brigas rotineiras não devem ser motivo para fugir do compromisso

4. Nunca falar com os amigos sobre vocês juntos no futuro. Isso pode indicar que a relação é provisória e que ele prefere não se desgastar dando explicações sobre um possível rompimento.

5. For individualista. Diferente de preservar a individualidade, necessária às duas partes da relação, o homem individualista não inclui a parceira em seus projetos e conquistas.

6. Sempre posterga o casamento colocando a culpa em situações do dia a dia. “Mesmo quando há insatisfação com o outro, quando uma pessoa gosta e quer se comprometer, ela não se afasta”, diz Luciane.

7. Vive dizendo que não casa porque falta dinheiro. Um problema financeiro grave é motivo para adiar o casamento, mas é preciso avaliar se isso não é mera desculpa.8. Nunca prioriza você. O que mesmo você ainda está fazendo ao lado de um homem como esse?

 

iG

Cinco perguntas que você deve saber responder antes de se casar

casamentoDe acordo com a ‘Psychology Today’, hoje há menos razões racionais para se casar do que nas décadas passadas. Já não temos mais vergonha de ter filhos e sermos pais separados, apesar de milhões de casais ainda contemplarem o casamento. É claro, no fim das contas, essa é uma decisão parcialmente emocional; mas vamos te ajudar a torná-la mais racional com as dicas do psicólogo e autor de sete livros Marty Nemko. Tudo o que você deve fazer é responder as perguntas abaixo e avaliar se vale a pena oficializar seu relacionamento ou terminar de vez por todas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

1) Existe compatibilidade sexual?
Observe a curva do seu relacionamento sexual. Depois de um período inicial, a frequência e intensidade sexual diminuem e isso é normal. Mas a questão é quanto diminui — o declínio é maior ou menor com essa pessoa? E o mais importante, você ainda se sente igualmente excitada por ele e ele por você após um ou dois anos de relacionamento? Se um dos parceiros se sente tão atraído como no início do relacionamento, mas o outro está cada vez mais apático, aí sim há um problema. Terapia de sexo e mais comunicação podem ajudar, mas não há garantias, até porque alguns casais reclamam que seus apetites sexuais são muito diferentes.

2) Há compatibilidade não-sexual?
Quanto vocês aproveitam um ao outro fora da cama? Isso inclui conversar ou simplesmente estar no mesmo ambiente juntos. Talvez mais importante que isso seja uma análise sobre se o tempo que vocês passam juntos aumentou, ficou estável ou diminuiu ao longo do tempo? A tendência provavelmente irá continuar.

3) Cadê a gentileza?
Não conte com mudar a personalidade do seu parceiro. Isso até pode acontecer, mas pode ser tão difícil quanto mudar seus desejos e inteligência. Portanto, pense muito bem em quão gentil é seu parceiro e se ele (a) fica feliz de verdade com o seu sucesso, ou fica enciumado (a) quando você se dá bem. Além disso, vale observar como ele (a) trata outras pessoas e até animais.

4) Você tolera os devastadores de relacionamento?
Os devastadores de relacionamento mais comuns são: temperamento difícil, dependência de substâncias, vício em jogos e compras, doença mental significativa, baixas perspectivas de emprego remunerado ou falta de capacidade ou desejo. Observe a gravidade do problema e quão bem você acha que pode lidar com essas questões ao longo de muitos anos.

5) Ele (a) ama mesmo você? Celebra suas conquistas, minimiza suas fraquezas e simplesmente se importa profundamente com você?
E você? Se sente assim em relação a seu parceiro? O amor pode ajudar as pessoas a sobreviverem problemas inevitáveis da vida.

 

Yahoo

Idosa convence o marido de 105 a se casar depois viverem 50 anos juntos

Foto: (Foto: Priscila Taline)
Foto: (Foto: Priscila Taline)

A aposentada Maria do Carmo Oliveira, de 88 anos, enfim, realizou o sonho de se casar. Nesta sexta-feira (13) ela oficializou no civil a união com José Varela dos Santos, que tem 105 anos. Eles moram juntos há meio século. “Estou muito feliz. Agora sim, realizei meu sonho”, disse a aposentada logo após a troca de alianças.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O casamento aconteceu no município de Maxaranguape, a 54 quilômetros de Natal, e contou com a presença dos filhos, netos e bisnetos do casal. Ao G1, Maria do Carmo contou que não foi fácil convencer o companheiro a se casar. “Eu via todo mundo se casando e eu só morando junto. Eu também queria me casar, sempre pedia a ele, mas ele não queria. Ele dizia que não se casou quando era novo, também não ia se casar depois de velho”, disse.

 

Depois de 50 anos de insistência, José Varela decidiu atender ao apelo da companheira. O casamento no civil é só o primeiro passo para a oficialização da união. No dia 14 de novembro, quando José completa 106 anos, o casal recebe as bençãos do padre na cerimônia religiosa que será celebrada na catedral da cidade. “Eu só vou usar aliança quando eu me casar no padre”, revela José Varela.

No civil, o casamento foi realizado dentro do programa Justiça na Praça do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, junto com outros 122 casais.

 

O casal é natural de Taipu, município a 50 quilômetros de Natal, e se mudou para a praia de Caraúbas, em Maxaranguape, há mais de 50 anos. José Varela é agricultor e Maria do Carmo, dona de casa. Há três anos ela teve a perna esquerda amputada por problemas vasculares. “Depois disso não consegui mais fazer tudo dentro de casa, só ando na cadeira de rodas, é mais difícil fazer tudo”, diz.

 

Atualmente, quem cuida do casal é o filho adotivo. Ele conta que José Varela e Maria do Carmo levam uma vida como todo casal normal. “Eles se dão bem, mas como todo casal têm suas brigas”, afirmou. A família ficou satisfeita com a decisão de oficializar a união. “Estamos todos muito felizes”, disse Josivan.

 

 

 

FONTE: G1

Pesquisa aponta que 56% dos evangélicos fazem sexo antes de casar

(Foto: iStock)
(Foto: iStock)

Uma pesquisa realizada pelo Bureau de Pesquisa e Estatística Cristã (Bepec) mostrou que o sexo antes do casamento ainda é tabu. Ela indica que 56% dos evangélicos tem relações com seu cônjuge antes de casar e entre os neo-pentecostais o índice sobe para 77%.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Nos Estados Unidos, outra pesquisa realizada, agora pelo instituto Guttmacher, diz que 95% dos americanos já fizeram sexo antes do casamento. Mas entre outras religiões um estudo da Universidade de Nova York publicado em 2013 apresentou os seguintes resultados: entre os muçulmanos 62% já tiveram relações antes do casamento, entre os hindus o número é igual a 66%, sem religião 72%, cristãos também os mesmos 72%, judeus 82% e os budistas no topo da lista com 84% fizeram sexo antes de casar.

 

Sweetlicious