Arquivo da tag: casamentos

Casamentos, confissões e demais serviços das igrejas católicas são retomados durante pandemia; agendamentos são decididos por padres

Após mais de quatro meses de portas fechadas, as igrejas católicas na Paraíba retomaram de vez todos os serviços que são oferecidos à população. Casamentos, confissões, batizados e demais celebrações já são realizados normalmente. A abertura gradual que foi iniciada desde de 20 de junho foi ampliada para a realização desses eventos, após a flexibilização adotada pelo governo para a retomada do ‘novo normal’.

Segundo a assessoria da Arquidiocese da Paraíba, todos os serviços que foram retomados nas últimas semanas seguem o protocolo sanitário em prevenção à covid-19. A ocupação nos espaços dos templos são de 30%, o uso de máscara é obrigatório, os grupos de risco são orientados a redobrar os cuidados e evitar aglomerações participando das celebrações durante a semana quando tem menos gente nesses espaços. Todas as orientações são reforçadas também pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil).

Desde o dia 19 de março quando as igrejas foram fechadas devido a pandemia, casamentos e demais celebrações passaram a ser realizadas apenas de forma virtual através das redes sociais e plataformas de vídeo.

O agendamento de todas as atividades depende de cada paróquia e o padre é o responsável pela aprovação ou não das atividades.

 

clickpb

 

 

Paraíba registra 29 casamentos formais entre pessoas do mesmo sexo em 2013

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

A Paraíba registrou 29 casamentos envolvendo pessoas do mesmo sexo no ano de 2013, segundo dados do levantamento do Registro Civil 2013, divulgados nesta terça-feira (9), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo o levantamento, dos 29 casamentos entre cônjuges do mesmo sexo, 17 casais são de homens e 12 casais de mulheres foram oficialmente formalizados em 2013.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

De acordo com o levantamento, a faixa etária dos paraibanos do mesmo sexo que se uniram matrimonialmente em maior quantidade foi a dos 30 aos 34 anos, com sete casamentos. Dos 20 aos 24 anos e dos 25 aos 29 anos, foram registrados quatro casamentos para cada faixa etária. Dos 35 aos 39 anos o levantamento mostra que cinco uniões foram feitas entre pessoas do mesmo sexo.

Com relação à população com faixa etária dos 40 aos 44 anos, foram formalizadas três uniões.  Já dos 45 aos 49 anos e dos 50 aos 54 anos, o levantamento aponta que dois casamentos em cada faixa de idade foram realizados. Por fim, dos 55 aos 59 anos e dos 60 aos 64 anos a Paraíba teve um casamento registrado para cada faixa etária.

Segundo os dados do IBGE, em 2013, o Brasil totalizou o registro de 3.701 casamentos envolvendo pessoas do mesmo sexo, sendo 52% entre homens e 48% entre mulheres. Essa foi à primeira pesquisa realizada no âmbito do casamento do envolvendo pessoas do mesmo sexo no Brasil.

Em 14 de maio de 2013, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou a Resolução nº 175, a qual determina a todos os Cartórios de Títulos e Documentos no território brasileiro habilitar ou celebrar casamento civil ou, até mesmo, de converter união estável em casamento entre pessoas de mesmo sexo, removendo assim, possíveis obstáculos administrativos à efetivação de direitos.

 

portalcorreio

Psicóloga dá dicas para apimentar o sexo em casamentos mornos

sexoCom a correria do dia a dia e os inúmeros afazeres, a mulher, muitas vezes, acaba deixando a vida sexual em segundo plano e, com isso, pode prejudicar o relacionamento. “Não acredito que seja por falta de desejo, mas sim por tempo hábil e energia que muitas mulheres deixam o sexo em segundo plano. Com tantas responsabilidades, o sexo fica para o fim da noite, depois de ter trabalhado 8 horas, passado no mercado, cuidado dos filhos, etc. E depois das 11 h da noite toma um banho e, se não estiver exausta, quer ter um tempo para e-mails pessoais ou algo que deixou de fazer e, aí sim, o sexo”, diz Mariana Yamada, psicóloga especialista em relacionamentos da agência Lunch 42.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A principal reclamação dos homens é em relação à frequência, porque, no geral, eles veem o sexo de uma forma mais cotidiana do que as mulheres. Especialmente em situações em que o relacionamento é longo, propor algumas formas de apimentar a relação é fundamental. “O segredo é apimentar a relação na medida, conhecendo bem o seu parceiro e entendendo o que ele toparia ou não”, afirma.

Veja algumas dicas da especialista para aumentar o apetite sexual em longos relacionamentos:

1. Converse sobre o tema. Tem casais juntos há vinte anos que apenas fazem sexo mas não conversam a respeito. Fale do que gosta mais, do que não gosta. Traga o tema para a conversa.

2. Faça do sexo uma ocasião especial. Ter apenas transas rotineiras é maçante. Combine um dia de irem ao motel, transem de forma inesperada enquanto o filho está fora de casa, façam sexo no chuveiro. Façam coisas diferentes.

3. Tentem novas posições ou brinquedos para a relação. As mulheres podem investir em lingeries sensuais ou até cursos de strip-tease.

4. Tirem um dia para um day-spa juntos; aumenta o clima romântico e a intimidade do casal.

5. Mantenha sua identidade e se cuide individualmente. O parceiro vai perdendo o interesse na medida em que o outro se acomoda e deixa de se cuidar. Sinta-se atraente para que possa ser sempre desejado.

6. Procure profissionais de saúde e especialistas caso tenha alguma disfunção. Não há idade para sexo e todos podem transar e ter prazer.

7. Conheça melhor a si mesmo. A masturbação é a melhor forma de saber o que lhe dá prazer.

 

itodas

Um ano após norma, cartórios de SP têm mais de 700 casamentos gays

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Os cartórios da cidade de São Paulo registraram 701 uniões entre pessoas do mesmo sexo no 1º ano da norma do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) que regulamenta o casamento gay, segundo levantamento da Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen-SP). Os números foram divulgados nesta sexta-feira (28).

Antes de a norma começar a valer, em 1º de março de 2013, alguns processos de casamento gay em São Paulo precisavam ser submetidos ao juiz corregedor do cartório. Caso aprovada, a união era realizada. Muitos casais precisaram recorrer ao TJ-SP. Agora, a concordância do magistrado não é mais necessária, assim como ocorre num casamento entre homem e mulher.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O balanço da Arpen mostra que o mês de outubro foi o preferido para casamentos gays nos 58 cartórios da capital paulista, com 90 celebrações. Em novembro, houve 80 casamentos, seguido de maio (73), agosto (71) e abril (57).
O cartório que mais realizou casamentos gays neste ano foi o de Registro Civil de Cerqueira César, na região central de São Paulo, com 41 celebrações. Bela Vista (38), Tucuruvi (35), Santa Cecília (30) e Saúde (25) aparecem na sequência entre os cartórios da capital paulista com mais uniões homossexuais.

A pessoa que, sem motivo aparente, não conseguir registrar o casamento em qualquer um dos 832 cartórios espalhados pelo estado pode fazer uma denúncia à Corregedoria Geral da Justiça.

G1

Contra o atraso das noivas, padre veta casamentos à noite

noivaNo dia 9 de novembro, a secretária Patrícia Maniero, 25, realizará um sonho que cultiva há nove anos. Vai se casar com o coordenador mecânico Evandro Lima, 27.

A vontade de subir ao altar, no entanto, não será a mesma que ela alimenta desde a infância: casar-se na Igreja Matriz de Batatais –com o maior acervo sacro do pintor Cândido Portinari.

A proibição dos casamentos aos sábados à noite, decidida pelo padre, acabou com a esperança de outras noivas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O padre Pedro Bartolomeu diz que as noivas se atrasam muito e que passaram a usar o casamento como um evento social, e não religioso. Agora, para casar à noite só se for às sextas-feiras. Aos sábados, só pode até as 17h.

“Depois que o padre resolveu proibir, mudei para a igreja do meu bairro. O padre disse que os casamentos lá são só para promover festa.” A prática vigora também em igrejas de Ribeirão Preto e na igreja Matriz de Brodowski, terra natal de Portinari e vizinha a Batatais.

‘SHOW DA XUXA’

“O meu ideal, enquanto padre, é salvar almas e não apenas satisfazer o ego de noivos”, disse Bartolomeu. Ele também opina na decoração. “Uma vez tinha gelo seco e canhões de luz coloridos na porta da igreja. Me senti no show da Xuxa, em um evento teatral”, afirma.

São exageros que o pároco credita ao fato de as pessoas procurarem a igreja “pela beleza do prédio e não pelo interesse sacramental”. Segundo Bartolomeu, o veto aos casamentos noturnos é adotado desde 2012 –data questionada por noivas. A empresária Renata Rodrigues, que se casou em 8 de dezembro –um sábado–, diz que a cerimônia foi à noite.

“Foi no curso de noivos que frequentei que o padre Pedro deu a notícia da proibição”, afirmou.

Bartolomeu afirma que a procura por casamentos caiu após o veto. “Concluímos que estavam vindo casar por beleza, por luxo e por status, não pelo sacramento.”

O padre Nelci Souza, da igreja de Santa Rita de Cássia, também em Batatais, apoia a decisão do colega. “O pároco determina o que deve fazer dentro de seu território paroquial”, disse.

Questionada se havia alguma paróquia com regra semelhante, a diocese de São Carlos, que tem 104 paróquias, informou desconhecer. “A grande maioria dos matrimônios é celebrada no período noturno”, afirma Stéfano Fachina, secretário da Cúria Diocesana. “Seria um absurdo suspendê-los.”

Folha.com

Insônia causada por choro dos bebês acaba com 30% dos casamentos

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Que mãe nunca passou a noite em claro tentando lidar com o choro do bebê? De acordo com uma pesquisa encomendada pelo Channel 4, essa experiência é responsável por um em cada três divórcios de casais. As informações são do Daily Mail.

 

A pesquisa realizada com 2 mil pais mostrou que, ao ter filhos pequenos, os participantes dormiam aproximadamente seis horas por noite. Por outro lado, especialistas indicam que o ideal é pelo menos sete.

Na pesquisa, 30% dos que se separaram culparam as noites em que ficaram acordados por causa do choro dos filhos. Onze por cento disse que fingiu estar dormindo ao ouvir a criança chorar para que o parceiro levantasse da cama, outros 11% fecharam a porta para diminuir o barulho e 9% ligaram a televisão.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook
A pesquisa mostrou ainda que um em cada 20 pais disse que ficou tão cansado com a privação do sono que chegou a dormir no volante – uma das mães relembrou que conduziu um carro por 100 m com os olhos fechados.

“Vejo pessoas cujos filhos têm problemas crônicos para dormir e elas se sentem culpadas em tentar colocá-los na cama. Eu prometo a vocês, eles não vão te odiar pela manhã. A falta de limites só vai causar mais dificuldades”, aconselhou a psicóloga Tanya Byron.

No início deste ano os cientistas americanos afirmaram que o sono de qualidade melhora a relação dos casais, tornando-os menos egoístas. A pesquisa feita por acadêmicos da Universidade de Berkley, na Califórnia, mostrou que aqueles que dormiram bem eram mais propensos a ser educados com o outro.

 

Terra

Casamentos evangélicos estão naufragando por ‘não fazer sexo’, alerta líder presbiteriano

Casamentos cristãos estão naufragando por não aplicarem os conceitos bíblicos na vida conjugal. Pastor presbiteriano Paulo Junior ensina sobre o sexo no casamento, que muitas vezes é motivo de ruína na relação matrimonial.

Ele cita 1 Coríntios 7, que fala sobre o relacionamento entre marido e mulher. (“O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher ao marido. …)” e diz que os princípios bíblicos balizam o casamento em uma relação saudável.

“Nós precisamos aprender isso, as relações sexuais, dentro do contexto do matrimônio, são mandamentos.”

Apontando para Provérbios 5, ele incentiva os casais a terem uma vida sexual ativa, afirmando que o sexo é “prazerozo”, “gostoso”, “feito por Deus”, para ser feito dentro do matrimônio. Segundo ele, a carta de Coríntios aponta que não fazer sexo é pecado e que por isso muitos estão em crise.

Algumas pessoas sofreram sequelas nessa área, como mulheres que foram ofendidas quando solteiras e agora tem bloqueios para realizar uma relação sexual. Assim, diz o pastor, isso deve ser trabalhado.

O corpo de um pertence ao outro, ele aponta. E ressalta que a mulher deve levar o homem ao clímax bem como o homem à mulher. Ele rechaça a atitude, por exemplo, de um homem que chega tarde em sua casa, trata a mulher com “estupidez” e como se ela fosse um “objeto”. Ambos tem que saber tratar-se com carinho e levar um ao outro ao prazer máximo.

No sexo também, há liberdade, aponta Paulo Junior, em que ambos podem buscar meios para atingir o prazer. E satisfazendo a curiosidade de muitos, ele afirma que o sexo anal é proibido, alegando que isso vem de elementos da pornografia.

Usar a área sexual para fazer chantagem também é errado e pode ser perigoso, segundo ele. “Você não pode usar o sexo como jogo de interesse, você não pode manipular relação através do sexo”. O pastor presbiteriano alerta que uma vez que um se fecha para isso, por motivos como “não conseguir um ‘sim’ por algo”, isso pode levar o parceiro a ir buscar outras fontes.

Assim, atitudes como essa e o fato de não se manter uma relacão sexual regular, pavimenta o caminho para o cônjuge trair o parceiro. O parceiro vai buscar na pornografia, masturbação e finalmente pode chegar a um adultério.

“Muito do adultério são frutos dos casais não terem vida sexual ativa, dos cônjuges não serem satisfeitos por seus parceiros”.

Ele urge que os Cristãos, assim, busquem na Bíblia os princípios para um bom relacionamento.

The Christian Post

Mulher é presa acusada de realizar casamentos sem a presença de juiz

 

Casamento

Yaffa Maria Evagelista Fernandes (idade não revelada) foi flagrada na tarde da quarta-feira (25) realizando casamento sem a presença física de um juiz de direito na cidade de Malta (PB).

Conforme informações da polícia, a acusada já estava sendo investigada após várias denúncias de casais que supostamente tiveram a união oficializada por ela no Cartório de Registro Civil de Malta sem a presença de um Juiz.

A união do casal só será oficializada no Cartório de Registro Civil e consiste na leitura e assinatura do contrato de casamento, desde que haja a presença de um juiz de direito e poderá ser um contrato de Comunhão Universal de Bens.

A mulher foi acusada pela justiça de usurpação da atividade e falsificação de documentos. Logo após receber voz de prisão foi encaminhada direto para o Presídio Regional Feminino na cidade de Patos.

O delegado Edson Pedrosa designado para apurar as investigações passou boa parte da tarde desta quarta na cidade de Malta em campana com alguns investigadores, visto que havia um casamento marcado e seria esta a hora de prender a acusada.

Após realizar um casamento e assinar a documentação no lugar do juiz, o homem e a mulher foram abordados na saída do Cartório e a polícia deu voz de prisão em flagrante a acusada.

Portal Patos
Focando a Notícia