Arquivo da tag: casal

Casal atira contra vizinhos e deixa duas pessoas feridas em Campina Grande

Um casal atirou várias vezes contra vizinhos na noite de segunda (6), em Campina Grande. Uma mulher e uma criança de 4 anos ficaram feridas. Segundo relato de uma das vítimas à Polícia Civil, o crime pode ter acontecido após os suspeitos terem o portão de sua casa chutado. O caso aconteceu por volta das 22h, no bairro da Conceição.

De acordo com as informações das vítimas, a família estava na calçada de sua residência quando o casal de vizinhos chegou em uma motocicleta e efetuou os disparos. Uma mulher foi atingida na perna e uma criança pode ter ficado ferida de raspão no ombro.

Ainda conforme as vítimas, um homem, que supostamente é usuário de drogas e frequenta a casa das vítimas, teria chutado o portão da casa dos suspeitos antes da situação acontecer, o que pode ter motivado os disparos.

A mulher atingida na perna deu entrada no Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande e encontra-se estável. Não há registros no hospital sobre a criança.

Até as 9h10 ninguém foi preso. A polícia deve investigar o caso.

G1

 

Advogado de casal acusado de atropelar e matar um pedreiro bate-boca com jornalista e diz que imprensa cria factoide

A polêmica em torno do acidente que resultou na morte do pedreiro Walmir Pedro de Brito, de 43 anos, continua, pois a defesa do casal acusado de causar o atropelamento, feita pelo advogado Genival Veloso, bateu-boca, com o radialista Emerson ‘Môfi’ durante seu programa radiofônico.

Segundo o advogado ele ainda está tomando conhecimento do caso.

“O que eu posso adiantar é que era ela, mesmo que vinha dirigindo e isso não há mais nenhuma dúvida e não adianta ficar especulando isso Mofi, por que isso é maldade”, disse Genival Veloso.

Em rebate o jornalista indaga de quem seria a maldade alegada. Para Genival Veloso, a maldade viria da imprensa. “O seu trabalho é nessa condição de fazer essa pressão toda”.

O repórter destacou, porém, que só estaria noticiando o fato, pois houve a morte de um pai de família. Veja o desenrolar da discussão no link:

pbagora

 

 

Casal é encontrado morto dentro de casa em Marizópolis, no Sertão da Paraíba

Um casal foi encontrado morto dentro da casa onde morava em Marizópolis, no Sertão paraibano, na manhã de domingo (22). De acordo com o delegado de homicídios de Sousa, Calos Seabra, a Polícia Militar foi acionada e ao chegar no local encontraram os corpos em estado de decomposição.

Segundo relato dos familiares do casal à polícia, eles não foram vistos desde a sexta-feira (20). O delegado informou que ainda não existe a confirmação da motivação do crime. As investigações consideram a hipótese de feminicídio seguido de suicídio.

Os corpos foram encaminhados ao Núcleo de Medicina e Odontologia Legal (Numol) e devem passar pela necrópsia ainda nesta segunda-feira (23).

G1

 

Casal discute e mulher acaba ferida nas costas com golpe de tesoura, em Alagoa Grande

Um homem foi preso em flagrante após ter ferido a esposa com um golpe de tesoura nas costas. O caso aconteceu na noite desta quinta-feira (28), na cidade de Alagoa Grande, no Brejo da Paraíba.

Segundo informações, o casal estava dentro de casa quando iniciaram uma discussão e vizinhos acionaram a Polícia Militar. Quando os policiais chegaram, encontraram a mulher ferida e o acusado tinha fugido.

Ela recebeu os primeiros atendimentos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e em seguida foi encaminhada ao hospital. O estado de saúde não foi divulgado.

O homem foi localizado e encaminhado a Delegacia de Polícia em Guarabira. Ele foi entregue ao delegado plantonista, que o autuou em flagrante delito por violência doméstica.

Os nomes dos envolvidos não foram divulgados.

Redação e Créditos | Blog do Pedro Júnior

 

 

Casal de irmãos é preso em Guarabira suspeito de estupro de vulnerável, desacato, desobediência, resistência e lesão corporal

Um casal de irmãos, ele com 26 e ela com 23 anos de idade, foi preso por policiais do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) nesta segunda-feira (21), na cidade de Guarabira, suspeito de estupro de vulnerável, desacato, desobediência, resistência e lesão corporal. A ocorrência teve início quando os policiais foram acionados para atender a uma solicitação onde uma jovem com um bebê estaria sendo agredida por um homem que dizia ser o marido dela. Quando os militares chegaram ao local informado, a vítima, de 14 anos, informou que o pai da sua filha, um bebê de dois meses, teria peço a criança à força e, sem a sua autorização, a teria levado. Na tentativa de impedi-lo, ela foi empurrada e derrubada no chão por ele.

As guarnições de Rádio Patrulha e do CPU (Coordenador de Policiamento da Unidade), tenente Danilo, se dirigiram até a residência do suspeito, que foi localizado, porém, ao tentar verbalizar com ele, o oficial foi desacatado e contra ele foram desferidas palavras de baixo calão. Diante da situação, a guarnição adentrou na residência e deu voz de prisão ao suspeito que, muito agressivo, ainda resistiu à prisão e desobedeceu às determinações legais da polícia. Ele ainda tentou fugir pelo quintal da residência, mas foi localizado e capturado pela guarnição comandada pelo cabo Rogério, momento em que a irmã do acusado, tentando impedir a prisão dele, jogou uma cadeira na direção da guarnição, atingindo o braço e o pescoço do policial.

A irmã do suspeito, que também passou a proferir ofensas contra os policiais, foi detida junto com ele e os dois foram conduzidos à delegacia. A criança foi entregue à mãe, que relatou que mantinha relações sexuais com o suspeito desde os 12 anos de idade, o que caracteriza o estupro de vulnerável. As partes envolvidas foram conduzidas à delegacia.

 

Assessoria 4º BPM

 

 

Em Tacima, polícia prende casal acusado de tráfico de drogas

Nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira (04) a Polícia Civil e a Polícia Militar da Paraíba, a primeira representada pela Seccional de Solânea-21ª DSPC, através da delegacia de Araruna e a segunda, representada pelo Núcleo de Inteligência e guarnições das cidades de Araruna, Tacima, Cacimba de Dentro e Dona Inês, realizaram uma operação na cidade de Tacima e prenderam em flagrante o casal José Carlos Gonçalves Nascimento e Lívia Kethylle Alves de Lima com uma vasta quantidade de drogas (crack, maconha e cocaína) além de uma arma calibre .38 e munições.

O casal vai responder pelo crime de tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo e já se encontram à disposição da justiça.

 

FN com ROTA DA NOTÍCIA

 

 

Justiça mantém prisão de casal suspeito de torturar criança em Boqueirão

O casal preso pela Polícia Civil e suspeito de torturar uma criança de sete anos, na cidade de Boqueirão, interior da Paraíba, vai aguardar julgamento recolhido em dois  presídios de Campina Grande.

A decisão foi tomada pela  Justiça, durante audiência de  custódia realizada na manhã desta terça-feira (23).

Maria Aparecida Souza Silva, mãe da criança, será transferida para o Presídio Feminino de Campina Grande. O companheiro dela, Edilson Cosme Albuquerque, padrasto da vítima, será conduzido à Penitenciária Padrão de Campina Grande.

As informações foram repassadas pelo delegado da Policia Civil, Yasley Almeida, que conduziu as investigações.

A justiça acatou pedido feito pela Polícia para decretar a prisão preventiva dos dois suspeitos, após investigações apontarem que eles praticavam maus tratos e até torturas conta um menino de sete anos de idade.

“A criança apanhava com fios, tinha as mãos queimadas com gotas de velas e era acorrentado ao guarda-roupa, para não sair e nem se alimentar”, afirmou o delegado.

O caso gerou comoção social, principalmente porque a principal acusada dos crimes é mãe da criança.

De acordo com informações da Polícia Civil, Maria Aparecida Sousa Silva praticou os crimes com ajuda do seu companheiro Edilson Cosme Albuquerque.

Os dois foram presos na manhã da última quinta-feira (18) pela Polícia Civil.

No dia da prisão, o delegado explicou que os mais tratos foram denunciados pela tia do menor, no dia 10 de julho deste ano. Após acionar a Polícia, a mulher foi até a casa onde estava a criança, junto com conselheiros tutelares para resgatar o menino.

“Eles encontraram o menino muito debilitado, desnutrido, com muitas lesões na cabeça, tórax e outras partes do corpo. Foi levado ao hospital e ainda permanece em tratamento”, declarou o delegado.

Ao tomar conhecimento do caso, a Polícia Civil instaurou inquérito policial e começou a ouvir pessoas próximas. “Ouvimos conselheiros tutelares, assistentes sociais da escola onde o menino estuda  e ouvimos  a criança, que  nos relatou a rotina de sofrimento que vivia”, afirma Almeida.

Para o delegado, o menino  foi vítima  de tentativa de  homicídio triplamente qualificado. “Ao praticar as agressões, o casal pretendia causar a morte do menino, por motivo fútil, sem possibilidade de defesa e com uso de requintes de tortura”, declara.

A mãe e o padrasto da criança negaram a prática do crime, mas as provas coletadas pela Polícia levaram a Justiça a decretar a prisão preventiva contra eles.

A criança continua sob cuidados médicos.

 

clickpb

 

 

Bebê abandonada em maternidade foi adotada por casal de Guarabira

Um casal da cidade de Guarabira adotou a recém-nascida abandonada pela mãe depois do parto no Hospital Regional de Guarabira. A menina foi adota há pouco mais de 30 dias, respeitando-se a fila da adoção, de acordo com a Vara da Infância e Juventude da Comarca de Guarabira.

Uma jovem, identificada por Juliana Fernandes da Paz, de 23 anos, moradora da cidade de Araçagi, ganhou neném em parto normal no dia 7 de maio passado, no Hospital Regional de Guarabira, e fugiu dois dias depois pela janela do banheiro da enfermaria.

Uma funcionária da limpeza contou que teve de pedir ajuda para arrombar a porta, que foi fechada pela mãe. Ela teria usado um balde grande, cheio de roupas, para escalar a parede até chegar à janela, por onde conseguiu fugir.

A direção da unidade hospitalar acionou o Conselho Tutelar para que fossem adotadas as medidas. A criança permaneceu no hospital sob os cuidados da equipe de enfermagem e pediatria até ser transferida para uma casa de acolhimento da cidade (Comunidade Talita), onde ficou até que a Justiça definisse seu destino.

Preenchidos os critérios para adoção definidos em lei, o juízo sacramentou a adoção para o casal, que não teve a identidade nem endereço revelados, para garantir o sigilo e a segurança do casal e da criança.

Quando o caso foi levado a conhecimento público e amplamente divulgado pela imprensa, muitos foram os casais que apresentaram para adotar a criança, mas somente os que já estavam na fila de espera é que tiveram as condições avaliadas pela Justiça.

Quem pode adotar e como?

Qualquer pessoa maior de 18 anos, independente do estado civil, credo religioso, orientação sexual ou aspectos econômicos pode adotar. No entanto, o pretendente deve ser, pelo menos, 16 anos mais velho que o adotando e estar disposto a oferecer um ambiente familiar adequado para o desenvolvimento da criança ou adolescente.

Uma das modalidades legalizadas de adoção ocorre por meio do Cadastro Nacional de Adoção (CNA), quando uma equipe da Vara da Infância e Juventude cruza as informações no sistema e encaminha a criança ou adolescente para a pessoa ou casal que se encontra na fila de pretendentes.

Já nos casos em que um dos cônjuges ou companheiro decide adotar o filho do outro, acontece a chamada adoção unilateral, na qual mantém-se a relação de filiação do adotado com o pai ou a mãe, incluindo, apenas, a nova relação de parentesco.

Além disso, em algumas situações, também é permitido que a mãe biológica entregue diretamente seu filho a alguém. As situações específicas envolvem adoção unilateral; adoção em família, desde que haja afetividade ou afinidade; ou casos em que o adotante for tutor ou guardião legal de criança maior de três anos de idade.

 

portal25horas

 

 

Casal é esfaqueado na porta de casa, em João Pessoa; vizinho é suspeito

Um casal foi esfaqueado na noite deste domingo (7), na porta de casa, em um apartamento no bairro do Bessa, em João Pessoa. De acordo com a Polícia Militar, o vizinho é o principal suspeito do crime.

Segundo informações de testemunhas e Polícia Militar, o vizinho teria batido na porta do apartamento do casal durante a noite. Quando a mulher abriu a porta, ele a esfaqueou. Em seguida, o marido dela saiu, entrou em luta corporal com o vizinho, mas acabou também sendo esfaqueado.

O casal foi levado para o Hospital de Emergência e Trauma por outros vizinhos. O homem, de 31 anos, recebeu alta. A esposa dele, de 32 anos, passou por cirurgia e o estado de saúde dela é considerado estável.

Após o crime, o suspeito conseguiu fugir. No entanto, ele foi detido pela Polícia Militar na mesma rua onde o prédio fica localizado. Em depoimento, o suspeito, de 26 anos, contou para Polícia Civil que estava em casa quando um oficial de Justiça foi até a casa dele para entregar uma medida protetiva por conta de agressões que ele teria praticado contra a mãe, na última sexta-feira, além de ter ameaçado uma jovem de 14 anos. Após receber o documento, ele disse que “surtou”, foi até o guarda-roupa, pegou um canivete e foi até a casa dos vizinhos. Ele ainda disse que não sabe por qual motivo teve essa atitude.

O suspeito é advogado e, após o depoimento, permaneceu preso. Ele deve passar por audiência de custódia nesta segunda-feira (8).

Foto: Clara Rezende/G1

G1

 

Casal é perseguido e morto a tiros em Santa Rita, PB, diz polícia

Um casal foi perseguido e morto a tiros no início da tarde desta segunda-feira (17), no Alto das Populares, na cidade de Santa Rita, na Grande João Pessoa. De acordo com informações da Polícia Civil, o casal tinha ido até a cidade Bayeux e quando retornava à casa, foram perseguidos e baleados ao tentar se esconder. O casal não resistiu e morreu antes de ser levado para um hospital.

De acordo com informações da Polícia Militar, as vítimas foram identificadas como Clara Estephanie Oliveira Santos, de 31 anos, e Daniel Henrique Alves da Silva, de 34 anos. O delegado que registrou o caso, Diego Garcia, explicou que o casal foi visto promovendo uma festa na casa em que estavam.

Ainda conforme a polícia, o casal havia ido em Bayeux comprar drogas e foi morto no retorno à Santa Rita. A equipe de perícia do Instituto de Polícia Científica (IPC) foi até o local e coletou os vestígios no local do crime. A Polícia Militar foi acionada e realizou buscas, mas até a tarde desta segunda-feira, nenhum suspeito tinha sido localizado.

Os corpos foram encaminhados para Gerência Executiva de Medicina e Odontologia Legal (Gemol), em João Pessoa, após o trabalho do IPC.

G1