Arquivo da tag: cartazes

‘Paciência, por favor. Minha mãe fez cirurgia’: Filha põe cartazes em caminhonete para justificar lentidão em viagem até SC

Por conta da recente cirurgia da mãe que exigiu uma viagem interestadual, a designer de turismo sensorial Audmara Veronese, de 47 anos, encontrou uma forma criativa para alertar os outros motoristas sobre o motivo para trafegar lentamente pelas rodovias entre Pato Branco (PR) até Xanxerê, no Oeste catarinense.

Com três cartazes colocados na traseira da caminhonete, Audmara fez o apelo: “Paciência, por favor! Minhã mãe fez cirurgia. Tenho que dirigir devagar”.

Cirurgia da mãe

A recém-operada Iolanda Veronese, de 70 anos, passou por uma cirurgia para retirar quatro hérnias da região abdominal no dia 31 de outubro e teve alta no último domingo (3).

Segundo Audmara, a ideia surgiu como resposta após uma recomendação médica. “O médico disse que os solavancos na estrada poderiam comprometer a recuperação da minha mãe depois da cirurgia. Então eu tinha que dirigir bem devagar, principalmente por conta dos buracos. Mas, quem está no trânsito tem suas razões e condições na hora de dirigir. Foi quando pensei nas placas de forma bem prática para explicar a situação”, disse.

Dirigir devagar

Ela lembra que levou quase três horas para percorrer 110 km. “Teve trechos que tinha lombadas e precisei reduzir para 20km/h ou até menos para a minha mãe não sentir tanta dor. Quando eu olhava pelo retrovisor tinha uma fila enorme de veículos. Por incrível que pareça, não tinha ninguém buzinando, foi inacreditável. Todos respeitaram e quando me ultrapassavam as pessoas acenavam”, disse.

A iniciativa foi parar na internet e ganhou grande repercussão nas redes sociais. “Recebi muito retorno de pessoas que eu não conheço e de todo país desejando melhoras para minha mãe, além de outras falando que já tiveram que enfrentar o trânsito com alguém doente”, explica a designer.

No Hospital Thereza Mussi em Pato Branco, antes de Iolanda ir para a cirurgia — Foto: Audmara Veronese/ Arquivo pessoal

No Hospital Thereza Mussi em Pato Branco, antes de Iolanda ir para a cirurgia — Foto: Audmara Veronese/ Arquivo pessoal

‘Paciência, por favor’

Audmara, que é natural de Caçador e reside em São Paulo (SP), afirmou que está acostumada com o trânsito complicado e que a palavra paciência poderia ser mais aplicada diante de tantos transtornos. A mãe, que também é de Caçador, e reside há cinco anos em Xanxerê terá que retornar até o Paraná para dar andamento no tratamento.

“Vamos usar as placas novamente, uma vez que alguns trechos da rodovia são muito ruins assim como a passagem das lombadas que exige uma velocidade baixa. Ela ainda sente dor e se tiver solavancos será pior, mesmo a caminhonete sendo um veículo grande e pesado, não consegue vencer os buracos e remendos da pista sem trepidar”, afirma.

A designer explica que a experiência também trouxe lições compartilhadas. “Tem muita gente que precisa dirigir com maior lentidão e isso deve repetir diariamente em grandes capitais ou no interior. O que me deixou feliz foi perceber que as pessoas que conseguiram ler as placas estavam se colocando no lugar do outro. O mais importante é que em tempo de tanta intolerância existe empatia e respeito”, finaliza Audmara.

Audmara e a mãe Iolanda  — Foto: Audmara Veronese/ Arquivo pessoal

Audmara e a mãe Iolanda — Foto: Audmara Veronese/ Arquivo pessoal

 

G1

 

 

Deputado pede desobrigação de cartazes contra homofobia: ‘empresários reclamam’

O deputado estadual Wallber Virgolino (Patriotas), nesta terça-feira (02), revelou esperar que o seu projeto pedindo a desobrigação da fixação de cartazes contra a homofobia em estabelecimentos comerciais da Paraíba seja votado na próxima semana. A solicitação já passou pela Comissão de Comissão e Justiça, de Direitos Humanos e deve ir a plenário.

“Nossa intenção não é aguçar discriminação, é garantir a isonomia. Existem outros segmentos da sociedade que também mereciam esse tratamento e o Estado não pode impôr de maneira onerosa nada ao empresariado, à iniciativa privada. Foram várias reclamações de empresários, principalmente os pequenos comerciantes, que se sentem onerados”, declarou.

O parlamentar garantiu que o projeto está ao lado do interesse público, é constitucional e conto com os outros deputados para que seja aprovado. “Nossa intenção não é acabar, mas facultar, é deixar a critério do comerciante. Com isso, espero que haja a união entre os diferentes, héteros e homossexuais, pretos e brancos, união da sociedade”.

Yves Feitosa/Fernando Braz

 

 

Abertas inscrições para concurso nacional de cartazes, vídeos, fotografias, jingles e monografias

Inscrições-AbertasEstão abertas, até o dia 10 de maio, as inscrições para os concursos de cartazes, fotografias, vídeos e jingle da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas do Ministério da Justiça (Senad). O tema é A Educação na Prevenção ao Uso de Drogas.

O objetivo dos concursos é incentivar a participação dos diferentes níveis estudantis em atividades culturais de valorização da vida e estimular a mobilização e o engajamento da sociedade nas atividades relacionadas à prevenção do uso de drogas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Segundo o MJ, a  ampla participação de crianças, adolescentes, jovens e adultos nestes concursos, que são realizados anualmente, tem mostrado a percepção da sociedade sobre a importância das ações de prevenção do uso de drogas.

Categorias

Na categoria cartazes, podem participar alunos que estejam devidamente matriculados e cursando o 2º, 3º, 4º e 5º anos do ensino fundamental, em escolas públicas ou privadas de todo o País. Serão premiados 1°, 2° e 3° colocados por região brasileira – Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sul, Sudeste. A finalidade do concurso é incentivar a discussão sobre a questão das drogas no ambiente escolar. O valor da premiação é de R$ 2 mil para o 1º lugar; R$ 1,5 mil para o 2º lugar; e R$ 1 mil para o 3º lugar.

A categoria fotografia é aberta para o público em geral, que disputa um único prêmio por região. A intenção da Senad é motivar a reflexão sobre a prevenção do uso de drogas, por meio da linguagem visual. A categoria jingle também é aberta a todos os interessados e premiará os melhores trabalhos de cada região. A premiação para estas duas categorias é de R$ 3 mil.

A categoria vídeos é especial para alunos que estejam devidamente matriculados e cursando o 6º, 7º, 8º e 9º anos do ensino fundamental e o ensino médio, em escolas públicas ou privadas do País. O concurso, que tem também como objetivo incentivar a reflexão e a discussão sobre a questão das drogas no ambiente escolar, premiará o 1º lugar de cada região. O valor da premiação é de R$ 3 mil.

Concurso de monografia

Com o tema Drogas e Direitos Humanos, a Senad – em parceria com o Centro de Integração Empresa/Escola (CIEE) – lança ainda o 12º Concurso Nacional de Monografia, que é voltado para estudantes universitários, devidamente matriculados em cursos de graduação das Instituições de ensino superior reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC).

Serão premiados os três melhores trabalhos em nível nacional e a intenção com o concurso é o envolvimento da comunidade acadêmica, em especial, os alunos de graduação em ações relacionadas à prevenção do uso de drogas. O 1º lugar receberá R$ 6 mil como premiação; o 2º, R$ 4 mil; e o 3º, R$ 3 mil. Os trabalhos também deverão ser postados até o dia 10 de maio de 2013.

Os regulamentos dos concursos estão disponíveis nos sites www.senad.gov.br e www.obid.senad.gov.br .

Crack, É Possível Vencer

 

Lançado em dezembro de 2011, a campanha prevê um investimento total de R$ 4 bilhões em recursos federais, até 2014, para prevenir o uso, oferecer tratamento e reinserção social de usuários e enfrentar o tráfico de crack e outras drogas ilícitas.

As ações – que se dividem em três eixos: cuidado, autoridade e prevenção – são executadas por meio de parcerias entre a União, os estados, o Distrito Federal e os municípios, e com a participação da sociedade civil e do controle social. O plano une as políticas e ações de saúde, assistência social, segurança pública, educação, desporto, cultura, direitos humanos, juventude, entre outras, em consonância com os pressupostos, diretrizes e objetivos da Política Nacional sobre Drogas.

 

Fontes:

Ministério da Justiça

Blog da Justiça

Observatório Brasileiro de Informações Sobre Drogas