Arquivo da tag: carioca

Sobrinho de Luxemburgo, técnico carioca busca primeiro título da carreira na 2ª divisão da Paraíba

Carioca, ex-jogador e agora técnico. Essas três características presentes em Bruno Jojô Abrahão são as mesmas do seu tio, Vanderlei Luxemburgo. Agora na Paraíba, Bruno terá a sua primeira experiência no futebol do Nordeste, comandando o Sabugy, na 2ª divisão estadual. Com passagens por clubes cariocas, o seu principal objetivo na precoce carreira como treinador é conquistar o primeiro título da sua carreira.

Bruno faz preleção com jogadores do time Sub-19 do Sabugy — Foto: Acervo pessoal / Bruno Jojô Abrahão

Bruno faz preleção com jogadores do time Sub-19 do Sabugy — Foto: Acervo pessoal / Bruno Jojô Abrahão

A missão de comandar times de futebol já está presente na família de Bruno Abrahão. O seu pai, que é irmão de Vanderlei Luxemburgo, também treinou equipes de menor porte no Rio de Janeiro.

O ex-goleiro lembra que recebeu uma “mãozinha” do tio no início da carreira, nas categorias de base do Flamengo. Depois, ele passou pelo Botafogo e por clubes menores, até pendurar as luvas e assumir a prancheta.

– Eu fui goleiro do Flamengo enquanto garoto e foi ele (Luxemburgo) que me colocou lá. Isso eu lembro muito bem e não tenho como negar essa influência no início da minha carreira. Depois fui para o Botafogo, já por méritos próprios, onde joguei por seis anos. Depois atuei em times menores e parei como goleiro – contou.

Bruno ao lado dos outros integrantes da comissão técnica do Sabugy — Foto: Acervo pessoal / Bruno Jojô Abrahão

Bruno ao lado dos outros integrantes da comissão técnica do Sabugy — Foto: Acervo pessoal / Bruno Jojô Abrahão

Bruno Jojô Abrahão explica que, após o fim da carreira, não teve como escapar do caminho para se tornar técnico. O primeiro passo foi buscar qualificação através de cursos da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e da Associação Brasileira de Treinadores de Futebol (ABTF), para depois ter as suas primeiras experiências no comando técnico.

O carioca só comandou times no futebol carioca, com passagens por Bela Vista (2016), Ceres sub-20 (2017) e Juventus (2018). Agora em 2019, será a sua primeira oportunidade fora do Rio de Janeiro.

A relação com Luxemburgo

“O contato hoje é pouquíssimo, para não dizer raro”. É assim que Bruno resume a sua relação com Vanderlei Luxemburgo. Segundo ele, a última vez em que os dois estiveram juntos foi em junho de 2017, na época em que o tio comandava o Sport.

– Estive em São Januário quando Luxemburgo era técnico do Sport e ia enfrentar o Vasco. Sempre falo com uma das filhas dele, a Vanessa, mas com ele essa foi a última vez. Aprendi muito com o Vanderlei. Na época do Palmeiras, eu entrava junto com a delegação, no intervalo ia para o vestiário ouvir a preleção e no final do jogo da mesma forma, para aquela conversa final. Quando ele começou a rodar por outros centros, perdemos contato – lembrou.

Bruno, no último encontro que teve com Luxemburgo, em 2017, quando Luxa ainda estava no Sport — Foto: Acervo pessoal / Bruno Jojô Abrahão

Bruno, no último encontro que teve com Luxemburgo, em 2017, quando Luxa ainda estava no Sport — Foto: Acervo pessoal / Bruno Jojô Abrahão

Chegada à Paraíba

Bruno contou que, na época em que atuou como técnico do sub-20 do Ceres, conheceu o preparador de goleiros Jefferson Sabino, paraibano de Itabaiana, com quem trabalhou no Rio de Janeiro. O treinador explicou que Sabino fez um acordo com o Sabugy e responderá durante dois anos como gestor dos times sub-19 e profissional.

– O Jefferson me fez este convite e resolvi aceitar. Sempre acompanhei o futebol do Nordeste e acho um cenário muito empolgante, com uma grande oportunidade de descobrir talentos. Topei o desafio e agora esperamos fazer um bom trabalho – falou.

Expectativa da primeira conquista como técnico

A missão na Paraíba é em dose dupla, pois Bruno Jojô Abrahão terá a responsabilidade de comandar os times sub-19 e profissional. O Sabugy está próximo de completar 100 anos e, para o seu novo treinador, o clube não pode continuar, ano após ano, fazendo campanhas abaixo do que um time histórico deve fazer.

– O meu jeito de trabalhar é muito como o do Luxemburgo, de não aceitar perder e gostar de times com intensidade. O paraibano sabe jogar muito assim, diferente do jogador carioca. Nas campanhas passadas, o time foi muito ruim, e tirar essa coisa de que é time pequeno é uma das minhas metas. Como estarei no sub-19, também quero classificar o time para a Copa São Paulo de Futebol Júnior. A região tem bons atletas, e eles merecem ter essa visibilidade – frisou.

*Raniery é repórter da CBN João Pessoa e colabora com o GloboEsporte.com/pb

GE

 

Flamengo repete o placar do primeiro jogo e é campeão carioca

O Flamengo conquistou o título carioca de 2019 com mais uma vitória por 2 a 0 sobre o Vasco, na segunda partida da final do Estadual. O confronto, disputado na tarde deste domingo no Maracanã coroou a melhor campanha na competição. O Vasco chegou à final por ter vencido a Taça Rio, primeiro turno do Carioca. O Flamengo venceu o segundo turno e foi a equipe com mais pontos em toda a fase de classificação. William Arão abriu o placar no primeiro tempo, e Vitinho fez o segundo gol na etapa final.

Passado o Estadual, Flamengo e Vasco têm compromissos importantes nesta próxima semana. O Rubro-Negro visita a LDU em Quito, em busca da classificação à próxima fase da Libertadores. Um empate garante a classificação com uma rodada de antecedência.

Já o Gigante da Colina recebe o Santos na quarta-feira, em São Januário, no jogo de volta da quarta fase da Copa do Brasil. No jogo de ida, a equipe foi derrotada por 2 a 0 na Vila Belmiro.

O Jogo – O primeiro tempo no Maracanã começou quente. O Vasco, precisando reverter a vantagem de 2 gols do Flamengo, iniciou a partida com uma postura agressiva, marcando em cima e tentando não deixar o Flamengo jogar. O Rubro-Negro, por sua vez, manteve a calma e chamava o Vasco para seu campo enquanto buscava impor velocidade em suas subidas ao ataque.

E a chegada do jogo foi do Flamengo. Com um minuto, Gabriel avançou pela direita e cruzou pelo alto. Arrascaeta recebeu e arrsicou o chute, mas a bola desviou em Danielo Barcelos e o goleiro Fernando Miguel defendeu.

O Vasco respondeu na cobrança de um escanteio no minuto seguinte. Bola levantada na área e Werley acertou cabeçada para fora.

A equipe de Alberto Valentim mostrava muita disposição, mas o Flamengo construia as melhores oportunidades. Aos 12, Arrascaeta cobra falta da intermediária, a zaga rebate e Renê solta a bomba. A bola passa rente ao poste esquerdo de Fernando Miguel.

Três minutos depois, o Flamengo usou uma de suas maiores armas, a bola aérea, para abrir o placar no Maracanã. Falta pela direita do ataque, Pará rolou para Arrascaeta, que levantou na medida para William Arão cabecear para o fundo da rede.

Mesmo em vantagem, Flamengo seguiu mais perigoso, e teve dois contra-ataques muito perigosos aos 27 e 28 minutos. No primeiro, Diego lançou Gabigol na ponta esquerda. Ele penetrou na área e, quase sem ângulo, tentou um chute cruzado, mas Fernado Miguel cortou.

No segundo lance, Arrascaeta lançou Gabigol novamente do lado esquerdo. Desta vez, ele entrou na área, chamou a marcação e tocou por baixo das pernas do zagueiro vascaíno. Na pequena área, Diego tocou para o gol mas mandou em cima do goleiro vascaíno. Aos 30, Arrascaeta cobrou escanteio e Renê chutou na rede pelo lado de fora.

Nos minutos finais da primeira etapa, o Vasco subiu de produção e conseguiu chegar com perigo em busca do empate. Na melhor oportunidade, aos 33, a bola é levantada na área e Diego Alves corta de soco. No rebote, Yago Pikachu chutou de primeira no canto, mas Renê cortou quase na linha e salvou o empate.

O Vasco ainda chegou com perigo por duas vezes antes do apito final do primeiro tempo, aos 39 e aos 44. Lucas Santos recebeu cruzamento da direita de Marrony e acertou o chute. A bola desviou em Pará e saiu pela linha de fundo, próximo à trave.

No último lance de perigo, Raul Cáceres cruzou da direita e, após disputa pelo alto, Danilo Barcelos chutou fraco e Diego Alves defendeu.

O Vasco voltou para o segundo tempo com Maxi López no lugar de Lucas Santos, e partiu para cima do Flamengo em busca do empate. Pressionando desde que a bola rolou, o Cruz-Maltino esteve perto do empate.

Com um minuto, Marrony arriscou de fora da área e mandou pela linha de fundo. Dois minutos depois, jogada pela direita do ataque, Cáceres tocou para Pikachu, que chegou batendo. Maxi tentou desviar de letra mas mandou nas mãos de Diego Alves.

O Vasco levou um susto aos 14. Em contra-ataque rápido, Arrascaeta tocou em profundidade para Gabigol, que entrou na área, driblou o goleiro e mandou para a rede. O VAR chamou o árbitro e apontou impedimento no lance e o gol foi anulado.

Aos 20, Diego Alves fez sua maior defesa no jogo. Bruno Cesar cruzou da esquerda e Maxi López tocou de primeira para o gol, mas o goleiro do Fla se esticou e tirou com a ponta dos dedos, em lance de grande reflexo.

Aos 25, o Fla respondeu com Gabigol. Jogada pela esquerda, o atacante entrou na área e acertou a trave de Fernando Miguel.

Aos 33, Abel Braga fez duas alterações no Flamengo. Saíram Gabigol e Arrascaeta, e entraram Ronaldo e Vitinho. E foi do atacante o gol que deu números finais ao confronto decisivo. Aos 37, Diego faz boa jogada, avança pelo campo adversário e toca na medida para a escapada de Vitinho, que acerta belo chute cruzado e mata Fernando Miguel: Fla 2 a 0.

O Vasco ainda teve uma oportunidade aos 40, quando Danilo Barcelos cobrou falta próximo a àrea e acertou o travessão. Aos 42, Werley recebeu o segundo amarelo e foi expulso de campo.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 2 x 0 VASCO

Local: Etsádio do Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)

Data: 21 de abril de 2019. domingo

Horário: 16h00 (horário de Brasília)

Árbitro: Rodrigo Carvalhaes de Miranda

Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Corrêa e Luiz Cláudio Regazone

VAR: Bruno Arleu e Daniel Espírito Santo

Cartões amarelos: Diego, Gabriel, Cuéllar (Flamengo); Leandro Castán, Werley, Danilo Barcelos, Bruno César, Raul, Marrony (Vasco)

Cartão vermelho: Werley (Vasco)

Público: 52.398 (47.995 pagantes)

Renda: R$ 2.152.256,00

Gols:

FLAMENGO: William Arão, aos 15 min do 1º tempo; Vitinho, aos 37min do 2º tempo

FLAMENGO: Diego Alves, Pará, Rodrigo Caio, Léo Duarte e Renê; Cuéllar, Willian Arão e Diego; Arrascaeta (Vitinho), Gabigol (Ronaldo) e Everton Ribeiro (Lincoln)

Técnico: Abel Braga

VASCO: Fernando Miguel, Raul Cáceres (Bruno César), Werley, Leandro Castán e Danilo Barcelos; Raul, Lucas Mineiro, Yago Pikachu e Lucas Santos (Maxi López); Marrony e Yan Sasse (Ribamar)

Técnico: Alberto Valentim

Gazeta Esportiva

 

Vasco vence Bangu e encara o Flamengo na final do Carioca

Não foi uma atuação de gala, mas o Vasco conquistou a classificação para a final do Campeonato Carioca. Neste domingo, o Cruz-Maltino venceu com dificuldades o Bangu pelo placar de 2 a 1, no Maracanã, pela semifinal da competição. Os gols da partida foram marcados por Bruno César (de pênalti) e Yan Sasse para os vascaínos. Yaya Banhoro diminuiu para os Alvirrubros.

Com o resultado, o time comandado por Alberto Valentim vai duelar contra o Flamengo na final e lutará pelo 25º título da competição em sua história. O primeiro jogo vai acontecer no próximo domingo, às 16h, também no Maracanã. Vale lembrar, que não há vantagem para nenhum dos times na decisão.

DESLIGADO

A proposta do Vasco no início do jogo foi reter a posse de bola, mas encontrou dificuldades para impor o ritmo de jogo. O Cruz-Maltino pecou na qualidade nos passes, sofreu sustos na defesa e pouco arriscou, com apenas dois chutes. O Bangu aproveitou a situação para criar oportunidades e conseguiu oito finalizações para assustar os adversários. Jairinho, Anderson Lessa, Marcos Junior e Yaya Banhoro foram os destaques do Alvirrubro.

NA BRONCA…

A torcida do Vasco começou a ficar impaciente com a apatia do time. Assim, uma substituição feita por Valentim confirmou a insatisfação: Rossi saiu machucado para dar lugar a Yan Sasse. Imediatamente, o Maracanã veio abaixo. Os gritos de ‘burro’ ecoaram no estádio e a saída para os vestiários foi bastante conturbada.

ANIMOU

Na volta para etapa final, o Cruz-Maltino voltou mais ligado e abriu o placar. O árbitro de vídeo (VAR) foi bem acionado ao marcar pênalti em cima de Lucas Mineiro após cobrança de escanteio. Na marca da cal, Bruno César bateu e comemorou o gol. Entretanto, o Bangu não se rendeu e partiu para cima. Três minutos depois, Yaya Banhoro recebeu cruzamento rasteiro e igualou o placar.

REDENÇÃO

Yan Sasse entrou contestado e respondeu à torcida porque merece a vaga de titular. O meia marcou um belo gol ao colocar a bola no ângulo após boa trama entre Bruno César e Cáceres. Em seguida, o treinador Alberto Valentim, aliviado, ajoelhou-se ao gramado e tirou um peso das costas.

ATÉ O FIM

Depois dos gols, as equipes diminuíram o ritmo, mas buscaram balançar a rede. O Vasco tentou manter o placar, enquanto o Bangu arriscou mais, porém o cansaço pesou e as jogadas não tinham a mesma qualidade. No fim, os jogadores se desentenderam, mas o árbitro agiu bem com os cartões. Fora isso, o Vasco fechou com o vitória e vaga na decisão do Estadual.

FICHA TÉCNICA 

VASCO 2×1 BANGU

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data-Hora: 07/04/2019 – 16h
Árbitro: Rodrigo Carvalhães de Miranda (RJ) – Nota L!: 7,0 – conduziu bem o jogo e foi bem na marcação de pênalti em Lucas Mineiro.
Assistentes: Michael Correia (RJ) e Carlos Henrique de Lima Filho (RJ)
Público / Renda: 19.786 / 560.680,00
Cartões Amarelos: Rossi, Yan Sasse, Yago Pikachu (VAS), Felipe Dias, João Lucas, Marcos Júnior, Anderson Penna (BAN)

Gols: Bruno César (7’/2º) (1-0), Yaya Banhoro (10’/2ºt), Yan Sasse (14’/2ºt)

VASCO 
Fernando Miguel; Raul Cáceres, Werley, Ricardo Graça, Danilo Barcelos; Raul (Bruno Silva – intervalo), Lucas Mineiro, Bruno César (Lucas Santos – 21’/2ºt); Marrony, Rossi (Yan Sasse – 28’/1ºt), Tiago Reis. Técnico: Alberto Valentim.

BANGU 
Jefferson Paulino; João Lucas, Anderson Penna, Rodrigo Lobão, Dieyson; Felipe Dias (Tchô – 16’/2ºt), Marcos Júnior (Josiel – 36’/2ºt); Yaya Banhoro, Alex Chander (Robinho – 25’/2ºt), Jairinho, Anderson Lessa. Técnico: Ado Souza.

 

Lance

 

 

Botafogo bate Fla e vai decidir o título do Campeonato Carioca

O Botafogo se classificou para a decisão do Campeonato Carioca ao derrotar o Flamengo por 1 a 0, em partida disputada na noite desta quarta-feira, no Maracanã. Agora, o Alvinegro de General Severiano vai decidir o título estadual com o vencedor do confronto entre Fluminense e Vasco que acontece nesta quinta-feira. O único gol do jogo foi marcado por Luiz Fernando, no primeiro tempo.

O resultado fez justiça ao desempenho do Botafogo que soube superar o adversário, principalmente no primeiro tempo, para buscar a vitória, único resultado que interessava. O Flamengo entrou acomodado e só reagiu no segundo tempo, quando partiu de forma desesperada para buscar o empate que lhe daria a vaga, mas encontrou o Botafogo se defendendo com muita determinação para alcançar o primeiro resultado positivo sobre o rival na atual temporada.

O jogo – A partida começou equilibrada com as duas equipes buscando o ataque. Aos três minutos, Leonardo Valencia arriscou de fora da área e Diego Alves segurou sem problemas. O Botafogo foi o primeiro a criar um momento de perigo. Aos oito minutos, Luiz Fernando desarmou Rhodolfo nas imediações da grande área e chutou com perigo.

Sem muita pressa, o Flamengo tocava a bola, esperando que aparecessem espaços na defesa alvinegra, enquanto o Botafogo, precisando da vitória, assumia uma postura mais agressiva, mas não conseguia criar condições para finalizar com sucesso. Aos 14 minutos, o volante Marcelo arriscou da entrada da área, mas mandou para fora.

Aos 19 minutos, após levantamento na área, o zagueiro Igor Rabello mete a cabeça e obriga Diego Alves a praticar sua primeira grande defesa.

Precoupado com o baixo rendimento ofensivo da sua equipe, o técnico Carpegiani inverteu a posição dos atacantes Vinicius Junior e Lucas Paquetá. Aos 23 minutos, Diego bateu falta, a zaga rebateu mal e Willian Arão aproveitou a sobra para chutar com perigo. Logo depois, o mesmo Arão aparece na área após cobrança de escanteio. O volante rubro-negro cabeceou com muito perigo.

O Flamengo se animou e voltou a ameaçar aos 29 minutos em cabeçada de Réver que Jefferson desviou para escanteio. A partida voltou a ficar equilibrada com as duas equipes se alternando na posse de bola, mas o time dirigido por Alberto Valentim se mostrava um pouco mais objetivo.

Aos 38 minutos, o Botafogo marcou o primeiro gol. Rodrigo Lindoso fez ótimo passe para Marcinho que investiu pela direita e cruzou para Luiz Fernando entrar e tocar para as redes de Diego Alves. Depois do gol, o volante Willian Arão que já vinha sendo vaiado pela torcida do Botafogo, passou a ser vaiado também pela torcida rubro-negra.

O Flamengo voltou modificado para o segundo tempo. O técnico Paulo César Carpegiani tirou os volantes Jonas e William Arão e colocou o volante Cuéllar e o atacante Geuvânio numa tentativa de dar maior poder ofensivo ao time.

E as mudanças tornaram o Flamengo mais agressivo. Aos dez minutos, Vinicius Junior recebeu na esquerda, derivou para o meio e bateu para defesa fácil de Jefferson.

O Botafogo só apareceu na área aos doze minutos em cobrança de falta executada por Renatinho, mas a bola encobriu o travessão defendido por Diego Alves. Um minuto depois, Diego bateu escanteio e Paquetá cabeceou para boa defesa de Jefferson.

O treinador rubro-negro decidiu queimar todas as substuições e colocou o atacante colombiano Marlos na vaga do apagado Lucas Paquetá. Aos 18 minutos, novamente Vinicius Junior assusta Jefferson com um chute perigoso. O Flamengo aumentou a pressão em busca do gol do empate, enquanto o Botafogo não conseguia repetir a boa atuação do primeiro tempo.

Aos 20 minutos, após cruzamento na área, a bola sobra para Vinicius Junior que fura na hora do chute e desperdiça grande oportunidade. A pressão rubro-negra aumentou e o Botafogo não conseguia sair do campo de defesa. O time comandado por Alberto Valentim se limitava a defender a vantagem.

Aos 30 minutos, Everton cruzou da esquerda e Henrique Dourado cabeceou na trave, para desespero da torcida do Flamengo que já contava com o gol.

Depois de mais um susto, o técnico do Botafogo trocou o chileno Leonardo Valencia por Rodrigo Pimpão. E o time de General Severiano criou a primeira grande oportunidade no segundo tempo aos 32 minutos. Após cruzamento na área, Joel Carli desviou, de cabeça, e Luiz Fernando chutou com muito perigo, mas a bola saiu.

O Flamengo respondeu em lance de grande perigo. Diego chutou forte, Jefferson defendeu parcialmente e a bola ficou com Marlos que concluiu, mas a bola desviou na zaga alvinegra e saiu para escanteio.

Preocupado com a pressão adversária, Alberto Valentim trocou o meia Renatinho pelo zagueiro Marcelo Benevenuto.

Aos 38 minutos, novamente Geuvânio, de esquerda, chutou com grande perigo e a bola passou raspando. Aos 43 minutos, Jefferson voltou a salvar o Botafogo, espalmando para escanteio uma cabeçada de Marlos.

Aos 48 minutos, Rhodolfo mandou uma bomba e a bola passou perto da trave esquerda na última chance do Flamengo na partida.

FICHA TÉCNICA 

FLAMENGO 0 X 1 BOTAFOGO

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 28 de março de 2018 (Quarta-feira)

Horário: 21h45(de Brasília)

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)

Assistentes: Wagner de Almeida Santos (RJ) e Daniel do Espírito Santo Parro (RJ)

Cartão Amarelo: Jonas, Cuéllar(Fla); Jefferson, Igor Rabello, Brenner(Bota)

Gols: 

FLAMENGO: 

BOTAFOGO: Luiz Fernando, aos 38 minutos do primeiro tempo

FLAMENGO: Diego Alves, Pará, Réver, Rhodolfo e Everton ; Jonas(Cuéllar), Willian Arão(Geuvânio) , Diego, Lucas Paquetá(Marlos) e Vinicius Junior; Henrique Dourado

Técnico: Paulo César Carpegiani

BOTAFOGO: Jefferson, Marcinho, Joel Carli,Igor Rabello e Moisés; Marcelo, Rodrigo Lindoso, Luiz Fernando, Leonardo Valencia(Rodrigo Pimpão) e Renatinho(Marcelo Benevenuto); Brenner(Pachu)

Técnico: Alberto Valentim

Gazeta Esportiva

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Flamengo arranca virada do Fluminense e fica com o título carioca

O Flamengo conquistou o Campeonato Carioca, de forma invicta, ao derrotar o Fluminense por 2 a 1, de virada, em partida disputada na tarde deste domingo, no Maracanã. Como havia vencido o primeiro jogo por 1 a 0, o Rubro-negro entrou com vantagem , mas soube reagir depois de ter saindo atrás no marcador e garantiu o troféu. Foi o 34º título estadual conquistado pelo Flamengo que é o maior vencedor entre os clubes do Rio de Janeiro. Henrique Dourado marcou para o Fluminense, enquanto Paolo Guerrero e Rodinei anotaram para o time da Gávea.

Quase 70 mil pessoas assistiram a um jogo muito equilibrado. E o resultado fez justiça ao desempenho da equipe rubro-negra. O Fluminense saiu na frente, logo no início do primeiro tempo, e o Flamengo precisou lutar muito diante de um adversário valente para alcançar o empate e depois a virada, transformando o Maracanã num palco de uma grande festa.

O jogo – o Fluminense começou a partida a todo vapor e logo aos três minutos, marcou o primeiro gol. Após cobrança de escanteio, Léo desviou e Henrique Dourado cabeceou sem chances de defesa para Alex Muralha.

Só depois de sofrer o primeiro gol é que o Flamengo começou a assumir uma postura ofensiva. O time rubro-negro atacava preferencialmente pela direita, para usar a velocidade do colombiano Berrio. Aos oito minutos, um novo susto para a torcida rubro-negra. Willian Arão recuou mal para Alex Muralha que teve que se livrar de Henrique Dourado para aliviar o perigo.

Dois minutos depois, Trauco lançou Guerrero, Renato Chaves aliviou mal e Pará completou, de primeira, mas mandou para fora. Logo depois, Everton bateu falta e a bola acabou sobrando para Renê que chutou para fora.

O Fluminense recuou para defender a vantagem e o Flamengo controlava as ações em busca do gol de empate. Só aos 13 minutos é que o Tricolor reapareceu na área adversária, mas o cruzamento de Léo encobriu o travessão.

Os laterais do Flamengo subiam constantemente ao apoio e , aos 18 minutos, Renê avançou e tentou encontrar Guerrero, mas o atacante peruano não aproveitou o lançamento que ficou nas mãos de Cavalieri.

A pressão rubro-negra continuava e, aos 22 minutos, foi a vez de Willian Arão arriscar. A bola desviou em Renato Chaves e saiu para escanteio. O Fluminense não conseguia ficar com a bola e se limitava a tentar barrar as investidas do adversário.

A partir dos 30 minutos, o jogo ficou truncado com as duas equipes abusando das faltas para interromper as jogadas. Só aos 31 minutos é que o time das Laranjeiras voltou a ameaçar. Léo levantou na área, a zaga não cortou e Henrique Dourado cabeceou com perigo. O Flamengo respondeu com uma arrancada de Renê que cruzou, Orejuela furou e Everton chutou, para ótima defesa de Diego Cavalieri.

No Fluminense, só Henrique Dourado dava trabalho aos zagueiros. Ele aproveitou um lateral executado por Léo para concluir com perigo.

Aos 41 minutos, após jogada confusa na área do Flamengo, a bola sobrou para Wellington Silva que chutou e Rafael Vaz desviou de ombro, mandando para escanteio. No último lance do primeiro tempo, Henrique Dourado fez bom passe para Wellington Silva que chutou forte, mas a bola foi bloqueada por Rafael Vaz.

Os dois times voltaram sem modificações para o segundo tempo. E o Flamengo partiu para o ataque. Logo no primeiro minuto, Trauco levantou a bola na área e Cavalieri saiu com precisão para afastar de soco. No primeiro avanço do Tricolor, a bola foi lançada por Wellington Silva para Henrique Dourado, mas Renê fez a cobertura e conseguiu evitar que a bola chegasse ao seu destino. Aos sete minutos, Léo tabelou com Richarlison, invadiu a área, mas se enroscou com Berrio e caiu, mas o árbitro nada marcou. Um minuto depois, Henrique Dourado investiu pelo lado e cruzou para a entrada de Wellington Silva, mas Alex Muralha se antecipou e ficou com a bola.

O técnico Zé Ricardo decidiu trocar Berrio por Gabriel para tentar dar mais força ofensiva ao time, mas o Fluminense seguia pressionando. Aos 12 minutos, após cruzamento na área, Muralha hesitou na saída e Henrique Dourado cabeceou, mas não conseguiu acertar a direção do gol. Dois minutos, o goleiro do Flamengo apareceu bem para defender um chute de Sornoza.

O time dirigido por Abel Braga voltou melhor para o segundo tempo enquanto o Flamengo encontrava dificuldades para armar jogadas de ataque. O lateral Rodinei entrou no lugar de Trauco para atuar aberto pela direita, formando dupla com Pará. Já o Fluminense trocou o apagado Wellington Silva por Maranhão.

Aos 24 minutos, o Flamengo voltou a criar boa chance. Guerrero foi lançado, mas Léo apareceu na cobertura e bloqueou o chute do peruano. Aos 30, Everton foi lançado na esquerda por Gabriel e cruzou para a entrada de Guerrero, mas Cavalieri se antecipou e impediu que a bola chegasse ao atacante. O Fluminense respondeu com um cruzamento de Léo para Henrique Dourado, mas Réver conseguiu desviar para escanteio. Na cobrança, Renato Chaves cabeceou e Muralha fez boa defesa.

Aos 38 minutos, Willian Arão chuta, a bola desvia em Henrique e sai para escanteio. Na cobrança, o Flamengo empatou. Réver cabeceou, Diego Cavalieri espalmou e Guerrero, de pé esquerdo, empurrou para as redes.

O Fluminense se desesperou e ainda teve o goleiro Diego Cavalieri expuldo. Ele recebeu cartão vermelho ao derrubar Rodinei que entrava livre. O volante Orejuela foi para o gol e o Flamengo acabou marcando o segundo gol, aos 50 minutos, com Rodinei.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 2 X 1 FLUMINENSE

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 7 de maio de 2017 (Domingo)

Horário: 16h(de Brasília)

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)

Assistentes: Luiz Cláudio Regazone (RJ) e Michael Correia (RJ)

Público: 68.165; Pagante: 58.399

Renda: R$ 3.242.130,00

Cartão Amarelo: Pará, Márcio Araújo(Fla); Wellington Silva, Henrique Dourado, Lucas, Léo(Flu)

Cartão Vermelho: Diego Cavalieri(Flu)

Gols:

FLAMENGO: Guerrero, aos 39 minutos e Rodinei, aos 50 minutos do segundo tempo

FLUMINENSE: Henrique Dourado, aos três minutos do primeiro tempo

FLAMENGO: Alex Muralha, Pará, Rafael Vaz, Rever e Renê; Márcio Araújo, Willian Arão e Trauco(Rodinei); Berrio(Gabriel), Paolo Guerrero e Everton(Juan)

Técnico: Zé Ricardo

FLUMINENSE: Diego Cavalieri, Lucas, Renato Chaves, Henrique e Léo; Jefferson Orejuela, Wendel(Marcos Junior) e Junior Sornoza; Wellington Silva(Maranhão), Richarlison(Pedro) e Henrique Dourado

Técnico: Abel Braga

Gazeta Esportiva

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Mancuello brilha contra o Nova Iguaçu e Fla mantém os 100% no Carioca

flaCom uma atuação de gala de Mancuello, o Flamengo venceu o Nova Iguaçu com facilidade por 4 a 0 e manteve os 100% de aproveitamento no Campeonato Carioca. O argentino foi responsável por dois gols, sendo o segundo uma pintura. Guerrero marcou os outros.

O Rubro-Negro é o líder isolado do Grupo A da Taça Guanabara com 9 pontos.

Classificação

Caso o Botafogo não vença o Macaé às 19h30, o Flamengo estará matematicamente classificado para as semifinais da Taça Guanabara.

O melhor – Mancuello

Além dos dois gols, o argentino se destacou com os passes e a organização no meio de campo, fazendo com que o time não sentisse a ausência de Diego.

O jogo

O Flamengo não sofreu sustos em Moça Bonita. Manteve a autoridade nos dois tempos conduzidos por um Mancuello inspirado, um Guerrero com faro de gol e um jovem Adryan querendo mostrar que pode ser uma opção mais usada pelo técnico Zé Ricardo.

Poupados

Os meias Diego e Romulo foram poupados da partida deste sábado. Após monitoramento da fisiologia do clube, constatou-se um desgaste muscular da dupla e a comissão técnica achou por bem preservá-los.

Presença ilustre

Reprodução Premiere

O ex-volante Douglas Silva, que atuou pelo Flamengo, esteve presente em Moça Bonita assistindo ao jogo da arquibancada, sem camisa e com seu filho no colo.

NOVA IGUAÇU 0 X 4 FLAMENGO
Data/hora:
04/02/2017, às 16h30 (de Brasília)
Local: Moça Bonita, em Bangu (RJ)
Árbitro: Luiz Antônio Silva dos Santos
Auxiliares: Diogo Carvalho Silva e Carlos Henrique Alves de Lima Filho
Renda e público:
Cartões amarelos: Raphael Azevedo, Murilo Henrique (NOV)
Cartões vermelhos: Não houve
Gols: Mancuello, aos 19 minutos do primeiro tempo (FLA); Guerrero, aos 45 minutos do primeiro tempo (FLA); Mancuello, aos 11 minutos do segundo tempo (FLA); Guerrero, aos 29 minutos do segundo tempo (FLA)

Nova Iguaçu
Jefferson; Yan (Marlos), Raphael Azevedo, Murilo Henrique e Lucas; Iuri, Paulo Henrique, Caio Cezar e Wescley; Renan Silva (Vinícius Matheus) e Adriano
Técnico: Edson Souza

Flamengo
Alex Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Trauco; Márcio Araújo, Willian Arão (Cuellar), Mancuello, Adryan (Marcelo Cirino) e Gabriel (Leandro Damião); Guerrero
Técnico: Zé Ricardo
Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Ataque volta a funcionar, Flamengo bate Macaé e segue 100% no Carioca

flaO Flamengo contou com a eficiência do ataque para vencer a segunda partida consecutiva no Campeonato Carioca nesta quarta-feira (1). O Rubro-negro não teve dificuldades para bater o Macaé por 3 a 0 no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. Os gols de Diego, Aislan (contra) e Willian Arão mantiveram o time 100% e na liderança (seis pontos) do Grupo B.

Na próxima rodada, os comandados de Zé Ricardo encaram o Nova Iguaçu, sábado (4), às 17h (de Brasília), em Moça Bonita. Já o Macaé, do técnico René Simões, enfrenta o Botafogo no mesmo dia, às 19h30 (de Brasília), no Engenhão. A equipe do Norte Fluminense está na lanterna do Grupo B e ainda não somou pontos na competição.

Flamengo envolve Macaé

Com boa atuação do setor ofensivo, principalmente por conta da intensa movimentação dos jogadores, o Flamengo envolveu o Macaé desde o início. O adversário manteve a postura defensiva na tentativa de segurar o ímpeto rubro-negro, mas não foi possível. Os apoios dos laterais, com as chegadas de Everton, Mancuello e Diego, foram determinantes no resultado.

Diego abre a porteira

Mesmo dominante, o Flamengo demorou para abrir o placar. O gol veio apenas aos 39min do primeiro tempo em cobrança de pênalti de Diego. Foi o suficiente para o Macaé desmontar toda a estratégia de jogo. O time se abriu e ficou ainda mais fácil para o Rubro-negro construir o placar elástico.

Ex-vascaínos têm atuação ruim

O zagueiro Aislan e o atacante Romarinho, ex-jogadores do rival Vasco, estiveram em uma noite infeliz. O primeiro fez até gol contra ao tentar cortar uma bola alçada na área logo no primeiro minuto da segunda etapa. Já o filho do senador Romário foi mais uma vez discreto e não conseguiu ajudar os companheiros.
Willian Arão aparece bem e completa o placar

Os volantes rubro-negros também estiveram bem no compromisso, como praticamente todo o time. Willian Arão voltou a aparecer na frente e deu resultado. Aos 6min, Everton acionou Mancuello, que cruzou para Arão balançar as redes. Foi uma noite de festa rubro-negra em Volta Redonda.

FLAMENGO 3 X 0 MACAÉ

Local: Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães
Auxiliares: Michael Correira e Silbert Faria Sisquim
Renda: R$ 197.490,00
Público: 8.379 pagantes / 9.829 presentes
Cartões amarelos: Everton e Guerrero (Flamengo); Romarinho e Aislan (Macaé)
Cartão vermelho: Everton (Flamengo)
Gols: Diego, aos 39min do primeiro tempo; Aislan (contra), aos 1min do segundo tempo; Willian Arão, aos 6min do segundo tempo

Flamengo
Alex Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Trauco; Romulo, Willian Arão, Diego (Rodinei), Mancuello (Cuéllar) e Everton; Guerrero (Leandro Damião)
Técnico: Zé Ricardo

Macaé
Milton Raphael; Léo Rodrigues, Aislan, Ramon e Ebert; Dierson, Rafinha (Alan), Zotti e Marquinho; Romarinho (Fernando Santos) e Charles Chad (Yago)
Técnico: René Simões

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

 

Peruanos decidem, e Flamengo vence time de Joel em estreia no Carioca

guerreroO Flamengo venceu sua primeira partida em 2017. E com uma ajuda especial dos estrangeiros do elenco. Mais especificamente dos peruanos. Com dois gols do atacante Paolo Guerrero, um do lateral recém-chegado Miguel Trauco e outro de Diego, o Rubro-negro superou o Boavista por 4 a 1, neste sábado (28), na Arena das Dunas, pela primeira rodada do Campeonato Carioca.

Com a vitória sobre a equipe comandada pelo experiente Joel Santana na partida inaugural, o Flamengo já assumiu a liderança do grupo B do torneio, ao lado do Madureira. As duas equipes têm três pontos conquistados, com dois gols de saldo. O time da Gávea volta a campo na quarta-feira (1), em Volta Redonda, quando encara o Macaé. Já o Boavista recebe o Nova Iguaçu.

O jogo

Após derrotas nos dois primeiros amistosos do ano – contra Vila Nova e Serra Macaense –, o Flamengo voltou a mostrar dificuldades nos minutos iniciais do jogo deste sábado. Com o Rubro-negro espaçado em campo, o Boavista conseguia chegar com perigo ao gol de Alex Muralha. Aos poucos, o time da Gávea se acertava em campo e devolvia a pressão. Quase sempre pelo lado esquerdo. E foi por ali que Miguel Trauco arranjou bom cruzamento para Guerrero tocar de cabeça e abrir o placar, aos 31 minutos.

Pelo lado do lateral estreante peruano, no entanto, também saiu o outro gol do primeiro tempo. Dessa vez do Boavista. Pedro Botelho cruzou da esquerda, Trauco falhou na disputa aérea e Mosquito surgiu para tocar de cabeça e empatar.

No segundo tempo, o estreante peruano se redimiu e voltou a mostrar seu poderio ofensivo. Logo aos oito minutos, tabelou com Mancuello e saiu na cara do gol, finalizando com belo toque para superar o goleiro Felipe e fazer 2 a 1 para o Flamengo. Minutos depois, seu compatriota encaminhou a vitória. Guerrero aproveitou cruzamento de Rodinei e testou para o fundo da rede: 3 a 1.

E os peruanos não queriam parar. Trauco e Guerrero ainda tiveram fôlego para, aos 46 minutos do segundo tempo, participarem do gol de Diego que fechou a boa vitória do Flamengo.

Falha em defesa não deixa estreia de peruano ser 100%

Após a saída de Jorge – vendido pelo Flamengo na última quinta-feira (26) ao Mônaco-FRA –, uma das grandes expectativas no jogo deste sábado era a estreia do lateral Miguel Trauco. E o peruano teve desempenho muito satisfatório. Atuando pela esquerda, mostrou ser boa opção ofensiva. Além de fazer um dos gols da vitória, ele cruzou a bola para o tento do compatriota Paolo Guerrero e participou do quarto. Na defesa, no entanto, uma falha no gol do Boavista – perdeu na disputa aérea para Mosquito – que impediu que a estreia fosse 100%.

Márcio Araújo barrado: redes sociais explodem

Antes mesmo de a bola rolar, os torcedores do Flamengo já se manifestavam. E tudo por um motivo relativamente simples: a barração do volante Márcio Araújo. O questionado jogador foi sacado pelo técnico Zé Ricardo na estreia oficial da temporada, dando lugar a Rômulo. E a torcida mostrou nas redes sociais sua reação à decisão da comissão técnica. Sempre com muito bom humor.

Cansou? Convocado não vai bem

Convocados pelo técnico Tite para o amistoso da seleção brasileira na última quarta-feira (25), o meias Willian Arão não teve boa atuação neste sábado. Após o desgaste no meio da semana, ele não repetiu o futebol que ajudou a levá-lo à equipe nacional. Já Diego, também convocado, fez um gol, apesar da atuação discreta.

FLAMENGO 4 x 1 BOAVISTA

Data: 28 de janeiro de 2017 (sábado)
Local: Arena das Dunas, em Natal (RN)
Árbitro: Leonardo Garcia Cavaleiro
Auxiliares: Jackson Lourenço Massara dos Santos e Diego Luiz Couto Barcelos
Público e renda: 9.211 presentes / R$ 635.775,00
Cartões amarelos: Trauco (FLA); Christiano e Mosquito (BOA)
Gols: Paolo Guerrero, aos 31 minutos do primeiro tempo e aos 15 do segundo, Miguel Trauco, aos 8 do segundo tempo, e Diego, aos 46 do segundo tempo (FLA); Mosquito, aos 40 minutos do primeiro tempo (BOA)

Flamengo
Alex Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz (Juan) e Miguel Trauco; Willian Arão e Rômulo (Márcio Araújo); Mancuello, Diego e Adryan (Rodinei); Paolo Guerrero
Técnico: Zé Ricardo

Boavista
Felipe; Maicon, Antônio Carlos, Lucas Rocha e Christiano; Pedroso, Júlio César (Fellype Gabriel), Mosquito, Pedro Botelho (Matheus Paraná) e Erick Flores; Tiago Amaral (Marcelo Nicácio)
Técnico: Joel Santana

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Eterno carrasco! Souza Caveirão marca e Madureira vence Botafogo no Carioca

Fernando Soutello/AGIF
Fernando Soutello/AGIF

Definitivamente, Souza Caveirão é um dos grandes carrascos recentes do Botafogo. Protagonista da polêmica histórica do “chororô”, quando ainda era jogador do Flamengo, o experiente atacante entrou no segundo tempo e fez um gol, deu assistência para outro e foi o protagonista na vitória do Madureira por 2 a 0 sobre o Botafogo, nesta quarta-feira, em Moça Bonita (RJ), na estreia das equipes no Campeonato Carioca.

Longo período afastado

Souza ficou um longo período afastado por conta de uma grave lesão no joelho direito. No total, Caveirão esteve afastado dos gramados por mais de um ano.

Musiquinha especial

O atacante já vinha tendo seu nome pedido pela torcida do Tricolor Suburbano desde o primeiro tempo. Quando ele entrou, os torcedores cantaram: “Ô, o Caveirão voltou!”.

O melhor – Souza

Embora tenha jogado somente o segundo tempo, Souza foi o melhor em campo. O atacante usou sua vasta experiência para incomodar a zaga alvinegra. Em seu gol, demonstrou o velho oportunismo. No tento de Geovane Maranhão, deu uma excelente assistência, mostrando que ainda tem lenha para queimar.

Que isso, Airton!?

Demonstrando que continua em boa fase, o volante Airton proporcionou o lance de maior categoria da partida ao dar dois chapéus em sequência ainda no primeiro tempo antes de sofrer a falta.

Parada para o refresco

Por conta do forte calor, a arbitragem realizou uma parada técnica aos 20 minutos de cada tempo para que os jogadores pudessem se refrescar.

Desfalques

O Botafogo não pôde contar com o meia Camilo, que está servindo a seleção brasileira, e o zagueiro Joel Carli, ainda se recuperando de dores na panturrilha esquerda. Os atacantes Joel e Guilherme, que recentemente foram contratados, ainda não regularizados.

MADUREIRA 2 X 0 BOTAFOGO
Local: Moça Bonita, Rio de Janeiro (RJ)
Hora: 16h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Luis Antônio Silva dos Santos
Auxiliares: Wagner de Almeida Santos e Daniel do Espírito Santo Parro
Renda e público:
Cartões amarelos: Ruan (MAD); Rodrigo Pimpão, Jonas (BOT)
Cartões vermelhos: Nenhum
Gols: Souza, aos 24 minutos do segundo tempo (MAD); Geovane Maranhão, aos 33 minutos do segundo tempo (MAD)

Madureira
Rafael Santos, Ruan, Diego Guerra, Jorge Fellipe e Wellington Saci; William, Leandro Carvalho, Luciano Naninho e Bruno (Souza); Júlio César e Douglas Lima (Geovane Maranhão)
Técnico: PC Gusmão

Botafogo
Gatito Fernández, Jonas, Renan Fonseca, Emerson Silva e Victor Luís; Airton (Sassá), Bruno Silva, Rodrigo Lindoso e Montilo; Pimpão (Vinícius Tanque) e Roger
Técnico: Jair Ventura

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Ferj procura Governo do RJ e tenta abrir Maracanã para finais do Carioca

Pedro Ivo Almeida/UOL
Pedro Ivo Almeida/UOL

Assim como em 2016, a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) tentará utilizar o Maracanã para as finais do Campeonato Estadual. Mesmo com todo o abandono sofrido pelo estádio, a entidade anunciou que irá procurar o Governo do Estado para uma solução momentânea para a competição.

De acordo com o presidente da Ferj, Ruben Lopes, a Federação não está pensando em assumir a gestão do estádio. “Mas precisamos nos movimentar. Não podemos deixar um equipamento como o Maracanã assim. É algo provisório, ao menos para as finais. Tentaremos ver uma solução já para as semis e finais da Taça Guanabara [primeiro turno do Carioca]”, explicou o cartola.

“Iremos direto no Governo, que é o real proprietário”, completou Rubens Lopes, evitando aumentar ainda mais o imbróglio que já envolve a concessionária atual – Odebrecht – e o Comitê Rio-2016, que utilizou o local durante os Jogos Olímpicos e é acusado de não cumprir as exigências de manutenção.

Antes de procurar o Governo do Rio, o presidente da Ferj recebeu, na manhã desta quarta-feira (11), representantes das três empresas que ainda atuam dentro do Maracanã: Sunset (segurança), Binarios (engenharia) e Greenleaf (gramado).

“Todas as partes estão muito empenhadas. Convidei-os para esse papo para tomar ciência da real situação do estádio. Eles me passaram tudo e estão realmente dispostos a ajudar nessa abertura provisória para as finais”, contou o presidente.

O cartola ainda esclareceu que todos os gastos para a sonhada abertura seriam divididos entre Federação, clubes e empresas. “Ninguém vai pagar conta de problemas antigos. Mas queremos ter o mínimo para abrir o local. Espero que todos entendam isso, inclusive o Governo. É uma conta alta, não tenho ideia ainda. Mas queremos autorização para entrar e ver. Aí, então, vamos analisar os custos e ver o que será possível”, completou.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br