Arquivo da tag: cardíaca

Esposa do secretário de comunicação de Cabedelo morre após sofrer parada cardíaca durante parto

Mariana Bezerra, esposa do secretário de Comunicação de Cabedelo, Leandro Borba, faleceu na manhã desta quarta-feira (4) após dar a luz ao filho do casal. Ela teve uma parada cardíaca. O bebê, chamado Bernardo, passa bem.

As informações são de que Mariana havia passado mal por falta de ar e uma tomografia mostrou lesões no pulmão. Foram feitos testes de covid-19, mas os resultados foram negativos. Os médicos optaram então por fazer a cesária. Ela teve problemas durante a cirurgia, mas foi estabilizada e encaminhada para a UTI, onde os médicos acabaram descobrindo um problema cardíaco. A família de Mariana tinha histórico de problemas cardíacos, mas ela não havia apresentado sintomas até então.

O velório será no Parque das Acácias, em João Pessoa, mas o horário ainda não foi confirmado pela família. O sepultamento deve ocorrer nesta quinta-feira (5).

O prefeito de Cabedelo, Vitor Hugo, divulgou uma nota de pesar pelo falecimento de Mariana Bezerra. Leia na íntegra:

Dentre tantas quedas que a vida nos impõe, nada destrói mais do que a perda de alguém que amamos. O ciclo da vida às vezes se mostra impiedoso, e só mesmo crendo nos desígnios de nosso Pai para aceitarmos e convivermos com ele, certos de que os planos de Deus são sempre mais sábios que os nossos.

Com o coração cheio de tristeza e dor, venho aqui lamentar profundamente a perda da nossa amiga Mariana Bezerra, esposa do secretário de Comunicação de Cabedelo, Leandro Borba.

Mariana se foi de forma precoce e inesperada. Antes, deu vida ao filho Bernardo, que chega nesse mundo para tentar preencher o imenso vazio por ela deixado, e para ser luz em meio às trevas que sua morte representa.

A você, meu amigo Leandro, e a toda família de Mari, nosso mais sincero pesar. Apenas Deus pode confortar o coração de vocês nesse momento de indizível tristeza. Todos estão com você, cheios de certeza de que Mari foi luz em vida e deixou conosco o fruto de um amor infinito e puro, para ser cuidado e amado como ela foi durante o tempo que passou conosco!

 

clickpb

 

 

Ariano Suassuna tem parada cardíaca e morre em Recife, depois de três dias na UTI

ariano-suassunaMorreu na tarde desta quarta-feira (23) o escritor e dramaturgo paraibano Ariano Suassuna. Ele estava internado no Real Hospital Português, em Recife, desde a segunda-feira (21), quando sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) hemorrágico. Após a realização de um procedimento cirúrgico, Ariano Suassuna entrou em estado de coma. Esta foi a terceira internação do escritor em um ano. Ariano Suassuna sofreu uma parada cardíaca por volta das 17h40 desta quarta-feira.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O velório do escritor deve ser realizado no Palácio do Campo das Princesas, em Pernambuco. De lá, o corpo do paraibano segue para cortejo em carro do Corpo de Bombeiros até o Cemitério Morada da Paz, onde será sepultado.

A última vez que Ariano Suassuna apareceu em público foi na sexta-feira (18). Ele concedeu uma aula-espetáculo no Festival de Inverno de Garanhuns, município localizado no Agreste pernambucano, a 228 km da capital Recife. No sábado (19), ele tirou fotos com fãs que participavam do evento.

Biografia 

Considerado um dos maiores escritores paraibanos de todos os tempos, Ariano Suassuna era filho do ex-governador João Suassuna. Um contador nato de histórias. E uma delas, que mais gostava de contar, era de que foi a única criança que circulou nua pelos corredores do Palácio da Redenção. Ariano nasceu dentro da sede do Governo do Estado da Paraíba.

Desse fato, derivou outra história. Ariano contava que, já adulto e escritor renomado, iria participar de uma solenidade no Palácio da Redenção numa época onde os homens só tinham acesso ao local vestidos de paletó e gravata. Desavisados, Ariano não estava de terno e foi barrado. E reagiu com bom humor, lembrando ao soldado da PM que fazia a guarda nos portões do Palácio: “Amigo, fique sabendo que eu já andei nu aí dentro”.

Ariano Vilar Suassuna nasceu em Nossa Senhora das Neves, hoje João Pessoa (PB), em 16 de junho de 1927, filho de Cássia Villar e João Suassuna. No ano seguinte, seu pai deixa o governo da Paraíba e a família passa a morar no sertão, na Fazenda Acauã.

Com a Revolução de 30, seu pai foi assassinado por motivos políticos no Rio de Janeiro e a família mudou-se para Taperoá, onde morou de 1933 a 1937. Nessa cidade, Ariano fez seus primeiros estudos e assistiu pela primeira vez a uma peça de mamulengos e a um desafio de viola, cujo caráter de “improvisação” seria uma das marcas registradas também da sua produção teatral.

A partir de 1942 passou a viver no Recife, onde terminou, em 1945, os estudos secundários no Ginásio Pernambucano e no Colégio Osvaldo Cruz. No ano seguinte iniciou a Faculdade de Direito, onde conheceu Hermilo Borba Filho. E, junto com ele, fundou o Teatro do Estudante de Pernambuco. Em 1947, escreveu sua primeira peça, ‘Uma Mulher Vestida de Sol’. Em 1948, sua peça ‘Cantam as Harpas de Sião’ (ou ‘O Desertor de Princesa’) foi montada pelo Teatro do Estudante de Pernambuco. Os ‘Homens de Barro’ foi montada no ano seguinte.

Entre 1951 e 1952, volta a Sousa, para curar-se de uma doença pulmonar. Lá escreveu e montou Torturas de um coração. Em 1955, Auto da Compadecida o projetou em todo o país. Em 1962, o crítico teatral Sábato Magaldi diria que a peça é “o texto mais popular do moderno teatro brasileiro”. Sua obra mais conhecida, já foi montada exaustivamente por grupos de todo o país, além de ter sido adaptada para a televisão e para o cinema.

Em seguida, retorna a Recife, onde, até 1956, dedica-se à advocacia e ao teatro. Abandonou a advocacia para tornar-se professor de Estética na Universidade Federal de Pernambuco. No ano seguinte foi encenada a sua peça ‘O Casamento Suspeitoso’, em São Paulo, pela Cia. Sérgio Cardoso, e ‘O Santo e a Porca’; em 1958, foi encenada a sua peça ‘O Homem da Vaca’ e o ‘Poder da Fortuna’; em 1959, ‘A Pena e a Lei’, premiada dez anos depois no Festival Latino-Americano de Teatro.

Em 1959, em companhia de Hermilo Borba Filho, fundou o Teatro Popular do Nordeste, que montou em seguida a ‘Farsa da Boa Preguiça’ (1960) e ‘A Caseira e a Catarina’ (1962). No início dos anos 60, interrompeu sua bem-sucedida carreira de dramaturgo para dedicar-se às aulas de Estética na UFPE. Ali, em 1976, defende a tese de livre-docência ‘A Onça Castanha’ e a ‘Ilha Brasil: Uma Reflexão sobre a Cultura Brasileira’. Aposenta-se como professor em 1994.

Membro fundador do Conselho Federal de Cultura (1967); nomeado, pelo Reitor Murilo Guimarães, diretor do Departamento de Extensão Cultural da UFPE (1969). Ligado diretamente à cultura, iniciou em 1970, em Recife, o ‘Movimento Armorial’, interessado no desenvolvimento e no conhecimento das formas de expressão populares tradicionais. Convocou nomes expressivos da música para procurarem uma música erudita nordestina que viesse juntar-se ao movimento, lançado em Recife, em 18 de outubro de 1970, com o concerto ‘Três Séculos de Música Nordestina – do Barroco ao Armorial’ e com uma exposição de gravura, pintura e escultura. Secretário de Cultura do Estado de Pernambuco, no Governo Miguel Arraes (1994-1998).

Entre 1958-79, dedicou-se também à prosa de ficção, publicando o ‘Romance d’A Pedra do Reino’ e o ‘Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta’ (1971) e ‘História d’O Rei Degolado nas Caatingas do Sertão’/’Ao Sol da Onça Caetana’ (1976), classificados por ele de “romance armorial-popular brasileiro”.

Ariano Suassuna construiu em São José do Belmonte (PE), onde ocorre a cavalgada inspirada no ‘Romance d’A Pedra do Reino’, um santuário ao ar livre, constituído de 16 esculturas de pedra, com 3,50 m de altura cada, dispostas em círculo, representando o sagrado e o profano. As três primeiras são imagens de Jesus Cristo, Nossa Senhora e São José, o padroeiro do município.

Em 2000, ele passou a integrar a lista de membros da Academia Paraibana de Letras e recebeu o título de Doutor Honoris Causa da Faculdade Federal do Rio Grande do Norte.

Em 2004, com o apoio da ABL, a Trinca Filmes produziu um documentário intitulado ‘O Sertão: Mundo de Ariano Suassuna’, dirigido por Douglas Machado e que foi exibido na Sala José de Alencar.

Ariano Suassuna, um dos maiores escritores do país, dizia sempre: “Você pode escrever sem erros ortográficos, mas ainda escrevendo com uma linguagem coloquial.”

 

portalcorreio

Morre em Campina Grande o prefeito de Caraúbas após parada cardíaca

LutoMorreu na madrugada deste domingo (20) 0 prefeito de Caraúbas Severino Virgínio da Silva (Severino Dudu). Ele tinha 74 e estava internado desde o dia 12 de abril.

Severino Dudu faleceu na Clinica Santa Clara, em Campina Grande, às 2:10h deste domingo. Ele estava internado desde o dia 12 de abril e neste sábado foi submetido a uma cirurgia após uma parada cardíaca, mas não resistiu as complicações de seu quadro clinico.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O Sepultamento acontece nesta segunda-feira (21), às 10 horas, em Caraúbas.

O vice-governador Rômulo Gouveia divulgou uma Nota de Pesar pela partida de Severino Dudu.


Rômulo Gouveia lamenta morte do prefeito de Caraúbas


O vice-governador Rômulo Gouveia lamentou, na madrugada deste domingo (20), a morte de Severino Virgínio da Silva, atual prefeito de Caraúbas.

Rômulo destacou o trabalho do prefeito Severino Dudu em defesa e pelo desenvolvimento da cidade, além de sua dedicação a família.

O Severino Dudu faleceu na Clinica Santa Clara, em Campina Grande, às 2:10h deste domingo. Ele estava internado desde o dia 12 de abril e neste sábado foi submetido a uma cirurgia após uma parada cardíaca, mas não resistiu as complicações de seu quadro clinico. 

MaisB com Assessoria 

Fio de cabelo pode revelar risco de doença cardíaca, diz pesquisa

cabeloBasta um fio de cabelo para poder revelar o risco de desenvolver doenças cardíacas, de acordo com um estudo do Centro Médico Erasmus, da Universidade de Roterdã, na Holanda. É que as madeixas permitem visualizar as taxas do hormônio do estresse, cortisol, por meses, enquanto o exame de sangue revela apenas como está no momento. Os dados são do jornal Daily Mail. 

Para chegar a essa conclusão, os cientistas analisaram 283 idosos, entre 65 e 85 anos. Por meio de amostras de cabelo de três centímetros de comprimento, tiradas de perto do couro cabeludo, foram capazes de medir os níveis de cortisol em um período de três meses. Pessoas com altas quantidades eram mais propensas a ter um histórico de doença cardíaca, acidente vascular cerebral, insuficiência arterial periférica ou diabetes.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Estudos adicionais são necessários para explorar o papel da medição de cortisol em longo prazo como forma de predizer doença cardiovascular e como ele pode ser usado para informar o novo tratamento ou estratégias de prevenção”, disse a cientista Elisabeth van Rossum. Vale acrescentar que levantamentos anteriores apontaram que a análise do cabelo pode diagnosticar alergias alimentares e deficiências minerais.

 

 

 

Ponto a Ponto Ideias

Dominguinhos sofre parada cardíaca no hospital

O cantor Dominguinhos sofreu uma parada cardíaca na última terça-feira (8), de acordo com boletim médico divulgado pelo Hospital Santa Joana no Recife nesta quarta (9).

O comunicado diz que o problema foi “rapidamente tratado” e, no momento, o sanfoneiro está com a pressão arterial estabilizada com o auxílio de medicações.O herdeiro artístico de Luiz Gonzaga luta contra um câncer de pulmão.

MSN

Comandante dos bombeiros de Campina Grande morre de parada cardíaca

Há mais de um mês, o comandante estava internado no Hospital de Trauma de Campina Grande por causa de um acidente automobilístico ocorrido no dia 22 de setembro.

Morreu de parada cardiorrespiratória na noite dessa terça-feira (13), o major Fábio Santos – comandante do 2º Batalhão de Bombeiros Militares -, em Campina Grande (132 km de João Pessoa). Ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande Dom Luiz Gonzaga Fernandes há mais de um mês.

De acordo com as primeiras informações repassadas pelo hospital, o estado de saúde do policial se agravou após falência do fígado e não resistiu a uma cirurgia realizada nesta terça-feira.

Companheiros e colegas da Polícia Militar prestaram homenagens nas redes sociais. O tenente-coronel Souza Neto, lamentou a morte do amigo. “É com muito aperto no coração que recebo a notícia do falecimento do Major Fábio do Bombeiros de CG. Que Deus te guarde em um bom lugar amigo!”, disse Souza Neto pelo Twitter.

Major Fábio Santos e amigos de profissãoFoto: Visita do major Fábio Santos e dos amigos de profissão a fábrida da Lebom

Há mais de um mês, o comandante estava internado no Hospital de Trauma de Campina Grande por causa de um acidente automobilístico ocorrido no dia 22 de setembro. No órgão hospitalar ele ainda foi submetido a quatro cirurgias ficando internado na UTI por três semanas.

O major Fábio Santos trafegava no sentido contrário da BR 230 e acabou colidindo em outro veículo. Garrafas de bebidas alcoólicas foram encontradas dentro do carro do comandante.

Na época, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que o major apresentava sinais claros de embriaguez. Ele também estava com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e o documento do veículo vencidos.

O major Fábio Santos era bacharel em segurança pública e Direito, além de especialista em Gestão Tática de Políticas de Segurança Pública pela Universidade Estadual do Ceará.

Portal Correio, com Priscila Andrade e Hyldo Pereira
Focando a Notícia

Comer maçã reduz risco de doença cardíaca em mulheres

 

 

Para quem gosta de maçã, uma boa notícia: comer duas por dia pode reduzir o risco de doença cardíaca em mulheres. Isso acontece, pois a fruta diminui os níveis de colesterol, de acordo com uma pesquisa da Universidade Estadual da Flórida, nos Estados Unidos, divulgada pelo jornal Daily Mail.

Os cientistas analisaram 160 pessoas do sexo feminino que já haviam passado pela menopausa. Metade delas teve de comer 75 g de maçã seca (o equivalente a duas maçãs médias frescas) por dia e, o restante, a mesma quantidade de ameixa. Todas fizeram exames de sangue a cada três meses durante um ano.

Após o primeiro trimestre, os níveis de colesterol total no grupo que saboreou maçã caíram 9% e, de LDL (mau colesterol), 16%. Depois de seis meses, os níveis eram ainda menores, com colesterol total 13% a menos e, LDL, 24%. Não houve nova redução nos seis meses restantes. A ameixa diminuiu as taxas de colesterol ligeiramente, mas não na mesma medida que a maçã.

Fonte: Portal Terra