Arquivo da tag: Campina Grande

Campina Grande começou a estabilizar curva de contaminação por coronavírus no início de junho

O secretário Municipal de Saúde de Campina Grande, Filipe Reul, informou que a covid-19 começou a se estabilizar há seis semanas, conforme dados levados pela Comissão Técnica, que é responsável por traçar um quadro da situação epidemiológica na cidade. Os dados levam em consideração os levantamentos feitos na Unidade de Pronto Atendimento Dr. Maia (UPA 24h), referência no atendimento das pessoas com coronavírus.

No 1º relatório de flexibilização, leva em consideração a capacidade de atendimento da UPA (Alto Branco) é de até 4.900 atendimentos por semana e até agora o máximo de público atingido tem se mantido em torno de 50% da capacidade instalada e dos recursos humanos disponíveis. Conforme o relatório, os dados corroboram com a tese de que a flexibilização em Campina Grande está sendo feita de forma segura, deve-se considerar que a cidade não atingiu o número de 8 mortes diárias por milhão de habitantes (OMS).

No boletim divulgado nesta sexta (10), Campina Grande estava com 7.629 casos conformados, 152 óbitos, 1.205 casos suspeitos, 11.876 descartados e 7.030 casos recuperados. Foram realizados 17.202 testes rápidos. Estavam disponíveis 65 leitos de UTI e 171 de enfermaria. Em coletiva, na sexta-feira (10), o secretário informou.

“Atingimos o platô da doença em Campina Grande. Espera-se que os casos comecem a cair na cidade. Além disso, os pacientes que têm procurado a UPA apresentam os primeiros sintomas da doença ainda em grau leve. O tempo de permanência tem diminuído na rede de hospitais da cidade. A taxa de ocupação de leitos de UTI está abaixo de 50% de ocupação”.

Outro aspecto, segundo Reul, é que as últimas flexibilizações nas atividades comerciais de Campina Grande não trouxeram mudanças substanciais no quadro epidemiológico. Destacou também que o fluxo de passageiros no transporte público urbano por ônibus (monitorado pela Superintendência de Trânsito e Transporte Público – STTP), tampouco alterou a qualidade do atendimento UPA Dr. Maia.

A Comissão vai avaliar, pelos próximos 20 (vinte) dias, o impacto no índice de novos casos, aferir a taxa de internação hospitalar e de ocupação dos leitos, assim como, o número de óbitos registrados no município.

 

clickpb

 

 

Bares, restaurantes, academias e parques reabrem em Campina Grande

O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD), por meio de transmissão ao vivo pelas redes sociais ocorrida na manhã desta sexta-feira (10), divulgou detalhes de relatório de inspeção técnica sobre o avanço da pandemia da Covid-19 na cidade e anunciou medidas que serão tomadas na próxima etapa de flexibilização das atividades econômicas, que deve começar na próxima segunda-feira (13).

Obedecendo protocolos sanitários definidos para cada setor da economia, Romero anunciou o retorno das atividades presenciais em bares, restaurantes, academias e parques na cidade.

De acordo com explicação do prefeito, os bares e restaurantes poderão funcionar com, no máximo, 50% da capacidade de ocupação, em duas faixas de horário, das 10h às 15h, e das 18h às 22h, havendo fiscalização por parte do Procon Municipal.

Conforme detalhou, o intervalo de fechamento entre as 15h e as 18h deverá ser utilizado para as medidas de combate ao novo coronavírus nos estabelecimentos. “Fecha, higieniza. Se não disciplinar, a gente vai ter que voltar para a etapa anterior”, disse Romero.

Com relação às academias, o prefeito explicou que a liberação das atividades ocorrerá com obediência ao distanciamento e redução do número de acessos. O comparecimento a parques, onde podem ser feitas atividades ao ar livre, também fica liberado.

Romero afirmou que os protocolos específicos serão publicados e divulgados à população, mas não definiu quando isso deve ocorrer.

Nas atividades flexibilizadas, o gestor lembrou que na convivência com o vírus a população deve seguir usando máscaras e adotando as práticas de higiene recomendadas. Ele também ressaltou que idosos e pessoas com comorbidades devem procurar manter o isolamento social.

Romero concluiu pedindo desculpas aos setores que ainda não foram liberados para flexibilização e evidenciou que as decisões tomadas pela gestão municipal estão embasadas em questões científicas.

Educação

Também na próxima segunda-feira serão liberadas apenas atividades internas do setor educacional. Na prática, voltarão a funcionar a sede da Secretaria Municipal de Educação (Seduc), além da escolas e creches municipais.

As atividades administrativas vão ocorrer em horário reduzido, das 9h às 12h, de segunda à sexta-feira, tanto para a Seduc quanto para as unidades de educação. Para o retorno ao trabalho, a Seduc está adotando uma série de medidas sanitárias e distanciamento, com redução no número de servidores e restrição no número de atendimento.

No caso das escolas e creches, irão retornar ao trabalho presencial apenas os servidores que desempenham funções administrativas e não será permitida a entrada de funcionários nem público em geral sem o uso da máscara. Já os professores continuam com as atividades online, como vêm sendo realizadas desde o início da pandemia.

Conforme o planejamento, permanecem em regime de teletrabalho os servidores integrados ao grupo de risco, que são gestantes, lactantes, pessoas com mais de 60 anos, pessoas com doenças crônicas ou respiratórias, obesidade mórbida, imunossuprimidas ou com outras comorbidades preexistentes, que possam conduzir agravamento do estado geral de saúde a partir do contágio.

A retomada das aulas presenciais será discutida em fases futuras de flexibilização.

Relatório epidemiológico

Romero Rodrigues esteve acompanhado na live pelo secretário municipal de Saúde, Filipe Reul, e pelo diretor do Hospital Municipal Pedro I, Tito Lívio, que divulgaram dados sobre o relatório epidemiológico promovido pela Prefeitura em Campina Grande.

“Estamos entrando na sexta semana de estabilização da doença na cidade. Percebemos que atingimos o platô da doença em Campina Grande e esperamos uma queda na curva de crescimento de casos nos próximos dias”, disse Filipe Reul.

O secretário afirmou que a quantidade de pessoas circulando na cidade não influenciou os atendimentos na UPA Alto Branco (porta de entrada dos pacientes do SUS em Campina Grande), mesmo após a primeira fase de flexibilização. Ele acrescentou que outras unidades registraram poucas admissões de pacientes, que têm procurado os sistemas de Saúde com sintomas mais leves, devido ao tratamento precoce, logo nos primeiros sintomas.

Reul também informou que o tempo de internação dos pacientes está menor, o que aumenta a rotatividade de leitos, cuja taxa de ocupação atual está abaixo de 50%.

Já Tito Lívio trouxe números do Hospital Municipal Pedro I e relatou que a unidade apresenta cerca de 45% de ocupação de leitos, com menor ocorrência de pacientes graves e que, em contato com outras gestões hospitalares, constata que a queda das internações é geral.

Os dados do relatório epidemiológico foram, segundo Romero Rodrigues, encaminhados ao Ministério público nessa quinta-feira (9).

MPT faz recomendações

O Ministério Público do Trabalho na Paraíba (MPT-PB) encaminhou recomendações à Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Campina Grande (PB) e à Associação Comercial e Empresarial (ACCG) para adoção de procedimentos na retomada das atividades comerciais. Também foram enviadas recomendações para três shoppings da cidade: Partage Shopping Campina Grande, Shopping Cirne Center e Shopping Luiza Motta. O objetivo é evitar a disseminação da Covid-19 no ambiente de trabalho.

Considerando que estados e municípios têm flexibilizado as medidas de isolamento e distanciamento social com a retomada das atividades consideradas não essenciais, o MPT recomendou à CDL e à ACCG a adoção de algumas providências. Dentre elas, a orientação aos lojistas filiados para que elaborem um plano de contingência, que deve ter ampla divulgação entre os trabalhadores e também incluir a proteção dos empregados terceirizados.

Aos shopping centers e às empresas que funcionam dentro desses empreendimentos, O MPT recomendou a adoção de oito providências. Dentre elas, o cuidado com a limpeza e a desinfecção do ambiente e com a ventilação dos espaços. Consta, ainda, no documento recomendatório, a atenção especial aos trabalhadores integrantes do grupo de risco.

As recomendações tratam, ainda, sobre a realização de ações de monitoramento e vigilância epidemiológica pelos shopping centers, pela CDL e pela ACCG. Segundo a procuradora do Trabalho Marcela Asfóra, o monitoramento dos trabalhadores que apresentam sintomas suspeitos ou confirmação de contaminação pela Covid-19 é extremamente importante para atestar a eficácia das medidas de prevenção adotadas pelos estabelecimentos ou a necessidade de ampliação das medidas de proteção.

As providências adotadas deverão ser informadas ao Ministério Público do Trabalho em Campina Grande num prazo de cinco dias a contar do dia 6 de julho, data em que as recomendações foram expedidas.

 

portalcorreio

 

 

Geraldo Medeiros: “Campina Grande, Guarabira e Patos nos preocupam muito”

O secretário de Saúde do Estado da Paraíba, Geraldo Medeiros, atribuiu o aumento de casos do novo coronavírus em Guarabira à flexibilização, segundo ele, ‘atabalhoada’ no município.

Geraldo disse que há preocupação maior com o aumento de casos e mortes nas cidades de Campina Grande, Guarabira e Patos.

“Campina Grande, Guarabira e Patos nos preocupam muito, foram cidades que não obedeceram as medidas do Estado, flexibilizaram atabalhoadamente e os reflexos estão surgindo com novos casos e mortes, infelizmente. O vírus não tem segredo. Aproximou, aglomerou, ele se propaga”, disse Medeiros em entrevista ao Hora H, da Rede Mais de Rádio.

A última atualização, segundo o boletim da Secretaria de Saúde do Estado, Guarabira já contabiliza 2.495 casos, Campina Grande tem 7.416 e Patos, no Sertão, 1832 casos até agora.

A Paraíba registrou 1.651 novos casos de Covid-19 e 27 óbitos confirmados desde a última atualização, 6 deles ocorridos nas últimas 24 horas. De acordo com dados divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde nesta terça-feira (7), são 54.802 pessoas que já contraíram a doença, 19.373 que já se recuperaram e 1.145 faleceram.

Fonte: MaisPB

 

 

Com reabertura de atividades, população faz fila para entrar no Shopping Edson Diniz em Campina Grande

Nesta segunda-feira (29), shoppings centers e galerias,  além das lojas acima de 200 metros quadrados estão autorizados a abrir no município de Campina Grande, na Paraíba. Com a reabertura, a população fez fila para entrar no Shopping Edson Diniz.

Uma imagem gravada por um cinegrafista amador mostra, várias pessoas em uma fila para entrar no estabelecimento. Na porta do local um funcionário está com álcool em gel para colocar nas mãos dos clientes.

Nesta chamada fase laranja do Plano, elaborado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Campina Grande, os shoppings estão proibidos de reabrir equipamentos como praça de alimentação, cinemas e salões de jogos.

Os estabelecimentos reabrem sob rigorosos protocolos sanitários e com restrições de horários e acesso ao número de clientes.

 

clickpb

 

 

Decreto efetiva mudanças na 2ª etapa de flexibilização de Campina Grande; shoppings abrem nesta segunda

O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD), assinou o decreto 4.494, que faz mudanças no plano de flexibilização econômica no município e foi foi publicado na noite de domingo (28). As galerias e shoppings devem reabrir nesta segunda-feira (29), mas com cinemas, praças de alimentação e salões de jogos fechados.

Os bares, restaurantes e academias, que deveriam retornar nesta segunda-feira, continuarão fechados e só devem reabrir na última fase do plano de flexibilização.

Segundo o decreto, “as lojas dos shopping centers, galerias e congêneres poderão abrir na fase amarela, ficando vedada a abertura de game station, cinemas e praças de alimentação”. O prefeito Romero Rodrigues informou ao G1 que a prefeitura enquadra o município na bandeira amarela de classificação e não na laranja, como o governo do estado classifica.

Conforme o decreto, as instituições de ensino deverão programar retorno das suas atividades administrativas apenas na fase verde e as demais na edição de outro decreto. Já os eventos festivos permanecerão fechados e sem plano definido de retomada das suas atividades.

A prefeitura decidiu modificar a 2ª Etapa do Plano de reabertura após duas reuniões com representantes do Ministério Público com a gestão municipal. As etapas de flexibilização que deveriam acontecer a cada 14 dias agora acontecerão a cada 20 dias. Segundo o prefeito, o aumento de dias de uma etapa para outra permite uma melhor análise da situação do município.

De acordo com o plano de flexibilização econômica do estado, que divide os municípios por bandeiras de classificação e avaliação que determinam se as cidades podem adotar os parâmetros de fiscalização, Campina Grande tem bandeira laranja.

Nessa classificação devem ser permitidos serviços essenciais como agropecuária; cadeia produtiva e atividades essenciais; bancos, casas lotéricas, correspondentes bancários e seguradoras; empresas de telecomunicação, comunicação e imprensa; distribuidoras e geradoras energia, atividades de extração, produção, siderúrgica e afins; transporte, armazenagem, empresas de logística, correios e manutenção de veículos automotores; supermercados e afins; serviços de saúde; tratamento de água e esgoto e coleta de resíduos; e administração pública.

G1

 

Shoppings e galerias comerciais de Campina Grande reabrem na segunda-feira

Os shoppings e galerias comerciais de Campina Grande reabrirão a partir da próxima segunda-feira (29), com algumas restrições. A novidade foi anunciada pelo prefeito da cidade, Romero Rodrigues, nesta sexta-feira (26).

De acordo com o prefeito, as praças de alimentação e de jogos ainda não terão autorização para funcionar, assim como os cinemas. Os clientes dos shoppings deverão usar máscaras e poderão ser abordados na entrada para verificação de temperatura.

 

(Foto: Walla Santos/ClickPB)

clickpb

 

 

 

Romero Rodrigues volta atrás e garante ao Ministério Público que vai manter academias, restaurantes e parques fechados em Campina Grande

O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, informou que, por medida de segurança, resolveu retirar da próxima fase de reabertura as academias, os restaurantes e os parques, mantendo apenas os shoppings (com exceção dos cinemas) e galerias.

A decisão foi comunicada em audiência realizada na manhã da quarta-feira (24), por videoconferência, com integrantes dos Ministérios Públicos da Paraíba (MPPB), Federal (MPF) e do Trabalho (MPT). Na audiência ficou decidido que o Município de Campina Grande deverá editar, até esta sexta-feira (26), um novo decreto de flexibilização do isolamento social, que deve ser revisado em intervalos de 15 dias.

Também ficou definido que a comissão será criada pelo mesmo decreto municipal. Seus integrantes terão prazo de cinco dias após os 14 dias antecedentes para formalização do relatório de avaliação, que deverá ter como parâmetros de aferição a taxa de obediência da população ao isolamento social; a taxa de progressão de casos novos de covid-19; a taxa de letalidade da doença e a taxa de ocupação hospitalar pelo novo coronavírus.

Participaram da audiência a promotora de Justiça que atua na defesa da saúde de Campina Grande, Adriana Amorim; os procuradores da República, Acácia Suassuna e José Guilherme Ferraz; os procuradores do Trabalho, Raulino Maracajá, Andressa Coutinho e Marcos Almeida, o prefeito Romero Rodrigues e o secretário de Saúde do município, Filipe Reul.

Monitoramento e cautela

Conforme explicou a promotora Adriana Amorim, desde o início da pandemia, a promotoria tem feito um trabalho de acompanhamento e monitoramento das ações do poder público em relação ao enfrentamento do novo coronavírus no município. A última audiência foi designada principalmente para debater a retomada das atividades econômicas na cidade e o decreto “Novo Normal”, publicado pelo Governo do Estado.

Os integrantes do MPPB, MPF e MPT ressaltaram que a abertura das atividades não essenciais deve ser precedida de estudos técnicos, com dados seguros principalmente diante do último Decreto Estadual, que enquadrou o município de Campina Grande na bandeira laranja.

Ações em outros municípios

Outra medida adotada pela promotora de Justiça Adriana Amorim foi a instauração, no último dia 18, de procedimento administrativo para acompanhar os casos de covid-19 e como está sendo feita a testagem dos pacientes com suspeita da doença nos municípios de Boa Vista, Lagoa Seca e Massaranduba.

Foi determinado o envio de notificação aos respectivos secretários de saúde das duas cidades solicitando uma série de informações sobre o assunto, tais como quantidade de testes realizados, de casos de síndrome gripal notificados através do e-SUS VE, como está sendo feita a testagem dos profissionais de saúde do município, que laboratórios estão fazendo os testes e se estão comunicando os números de testes realizados, inclusive quanto aos positivos e aos negativos; qual o protocolo de medicamentos utilizado pelo município para o tratamento da covid-19, estoque de medicamentos, locais onde está sendo feito o atendimento de pacientes suspeitos da doença, entre outras.

 

Assessoria

 

 

Número de feridos por queimaduras no São João cai mais de 77% em Campina Grande

Cinco pessoas vítimas de queimaduras provocadas por fogos ou fogueiras deram entrada no Hospital de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes de Campina Grande, na terça (23) e na quarta-feira (24), véspera e dia de São João. As vítimas foram duas crianças, dois adolescentes e um adulto. De acordo com a unidade hospitalar, no mês de junho do ano passado, 76 pessoas deram entrada vítimas de queimaduras no hospital de Trauma. Desse total, 22 deram entrada somente nos dias 23 e 24 de junho, o que corresponde a uma queda de 77,2%, se considerados os números do mesmo período neste ano.

Neste ano, uma lei proibiu o acendimento de fogueiras em espaços urbanos em todo o estado, por causa da pandemia do novo coronavírus. Durante operação de fiscalização da lei, a Polícia Militar apagou 35 fogueiras e recolheu outras 67, antes de serem acesas.

No Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa Senador Humberto Lucena, os casos também tiveram redução nos dias 23 e 24 de junho, se comparados ao mesmo período do ano passado. Segundo os dados divulgados pela unidade de saúde, foram registradas cinco vitimas de queimaduras. Já em 2019, 18 pessoas deram entrada.

Segundo o balanço divulgado pelo Trauma de Campina Grande, na manhã desta quinta-feira (25), a unidade realizou 395 atendimentos durante o feriado de São João. O balanço tem como base as entradas realizadas a partir da 0h da terça-feira (23) até as primeiras horas desta quinta-feira (25). Nesses dias, foram realizadas 50 cirurgias.

De acordo com a assessoria de imprensa da unidade de saúde, dos 395 atendimentos, 63 foram vítimas de queda, superando os acidentes de moto, que foram 43. Outros casos de emergência registrados na unidade de saúde foram acidente de automóvel (cinco), agressão física (quatro), vítimas de projéteis de arma de fogo (quatro) e arma branca (quatro), atropelamentos (dois) e acidentes com bicicleta (seis). Os demais atendimentos médicos foram na clínica médica e na pediatria.

De acordo com relatório, o município de Campina Grande registrou 13 acidentes de motos nesse período junino, seguido por Boqueirão (quatro), Seridó (quatro), Esperança (três) e Juazeirinho (três).

Já no mesmo período do ano passado, deram entrada 507 pessoas na véspera e no dia de São João, entre urgências e emergências. Desse total 95 foram vítimas de acidente de moto, acidente de automóvel (três), agressão física (18), vítimas de projéteis de arma de fogo (uma) e arma branca (três), atropelamentos (cinco) e acidentes com bicicleta (três).

G1

 

Secretário: Campina Grande é a cidade com maior poder de propagação do coronavírus

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) está de olho nos municípios que não estão cumprindo o alerta das bandeiras determinadas pelo decreto do governo do Estado, em relação ao que deve e o que não deve ser flexibilizado pelos prefeitos como forma de conter a contaminação do coronavírus.

Um dos municípios advertido é Campina Grande, além de Patos e Guarabira.

O secretário de Saúde do Estado, Geraldo Medeiros informou que a maioria dos prefeitos tem seguido as orientações da Secretaria Estadual de Saúde, mas em algumas cidades os gestores, desde o início, não seguem as determinações e hoje são as que têm maior R, ou seja, com poder de propagação e transmissibilidade do coronavírus.

“Campina Grande hoje é a cidade de maior poder de propagação do vírus, infelizmente, e nós teremos, ao longo de 15 dias, um aumento substancial no número de casos novos confirmados e de mortes”, disse.

Em relação à região de João Pessoa, o secretário afirmou que esta área deverá passar por um decréscimo no número de casos, mas poderá voltar a crescer se a população não obedecer as regras de isolamento e de higiene, que precisam ser contínuas.

“É preciso que as pessoas entendam que essa pandemia ocorre no país inteiro e no Estado em ondas alternantes nos municípios. Elas não ocorrem simultaneamente”, disse acrescentando que este fato já aconteceu na Grande João Pessoa, que foi o centro da pandemia por várias semanas e depois o vírus se alastrou pelo interior do Estado.

Segundo ele, na região metropolitana, principalmente na Capital, há uma tendência de estabilização e, brevemente, haverá um decréscimo no número de casos, porque já atingiu muitas pessoas que agora estão imunizadas.

“Nesse momento de flexibilização lenta e gradual, eu gosto de enfatizar que as pessoas não devem entender que todos já podem circular pelas ruas, pela orla marítima e liberar tudo, não é isso. Se isso acontecer, vamos ter que retroagir, como está acontecendo em Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte e no interior do Rio Grande do Sul, e é isso que estamos tentando evitar na Paraíba”, alertou.

 

paraibaonline

 

 

Polícia investiga denúncia de pedofilia na internet por meio de perfil falso, em Campina Grande

A Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Infância e a Juventude de Campina Grande recebeu, nesta segunda-feira (15), uma denúncia de pedofilia na internet, que acontecia com um perfil falso que se passava por uma criança e solicitava fotos íntimas a outras crianças por meio das redes sociais. O registro do crime foi feito on-line. A investigação ainda está na fase inicial, e nenhum suspeito foi identificado.

A ocorrência será investigada na Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Infância e Juventude. Segundo a delegada Ellen Maria, uma mãe observou que foi feito um perfil falso com fotos da filha dela, por meio do qual o criminoso conversa com outras crianças, da mesma idade da filha dela, solicitando fotos íntimas.

A delegada alerta pais e responsáveis sobre o perigo de crianças terem seus próprios perfis nas redes e pede fiscalização e orientação. Ela também pede para avaliarem o risco-beneficio de crianças terem redes sociais e caso seja verificado uma necessidade, responsáveis devem sempre conversar com filhos e observar com quem eles estão falando. Ellen aconselha que, caso fotos de crianças sejam postadas, priorizar a postagem em perfis privados, nunca abertos para o público.

A recomendação para casos dessa natureza é a denúncia, que pode ser feita na Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Infância e a Juventude por meio dos números (83) 3214-3255 e (83) 3218-5346 ou de forma online. A delegada também recomenda que não se apague esse tipo de prova; fazer uma captura de tela das conversas antes de apagar pode ajudar nas investigações.

G1