Arquivo da tag: campanha

Paraíba imuniza 83% do público-alvo da campanha de vacinação contra gripe, diz Saúde

Cerca de 83,1% do público-alvo da campanha de imunização contra a gripe já recebeu a dose da vacina na Paraíba, de acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES), contabilizados até as 16h20 desta quarta-feira (29). A meta da ação, que começou no dia 10 de abril e deve seguir até a sexta-feira (31), é atingir 90% de cobertura em cada estado.

Esse percentual indica que, em todo o estado, 986.502 doses foram aplicadas. Segundo a SES, a vacina está disponível em todos os 223 municípios paraibanos e, até a terça-feira (28), 47 cidades já haviam atingido a meta.

A imunização, feita com o vírus atenuado e fragmentado, protege contra três tipos do influenza: H1N1, H3N2 e B. A campanha é voltada para os grupos prioritários, uma vez que, conforme a Secretaria, as pessoas que se encaixam nessas categorias estão mais propensas a desenvolver complicações ou quadros graves, devido à doença.

Grupos de risco

  • pessoas com 60 anos ou mais de idade
  • crianças na faixa etária de 6 meses até 5 anos, 11 meses e 29 dias
  • gestantes
  • puérperas (até 45 dias após o parto)
  • trabalhadores da saúde
  • professores das escolas públicas e privadas
  • povos indígenas
  • grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais
  • adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas
  • população privada de liberdade
  • funcionários do sistema prisional e profissionais das forças de segurança e salvamento (policiais, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas)

Outras formas de prevenção devem ser adotadas, como informado pela gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES, Talita Tavares. Entre essas medidas estão higienizar as mãos com água e sabão ou com álcool gel; evitar tocar os olhos nariz ou boca após manter contato com superfícies que podem estar contaminados; e manter hábitos de alimentação saudáveis.

João Pessoa

A capital paraibana tem uma cobertura vacinal de 72% dos grupos prioritários, o que representa 151 mil doses aplicadas, conforme informado pela Secretaria Municipal de Saúde na manhã desta quarta-feira (29). Em João Pessoa, a meta é vacinar 190 mil pessoas.

G1

 

Vigilância Ambiental de Solânea inicia campanha contra o mosquito Aedes Aegypti, que transmite a dengue

“Carro Fumacê” será utilizado próxima semana e agentes de Endemias irão realizar pulverização em locais de maior foco do mosquito .

Vigilância Ambiental iniciou hoje (17), em Solânea, campanha contra o mosquito Aedes aegypti em ruas da cidade. Durante toda a manhã, os agentes fizeram apelo em carro de som, distribuíram panfletos e conversaram com a população sobre as ações para evitar a proliferação do mosquito, além de realizarem visitas às residências. A ação, faz parte das iniciativas que serão realizadas pela Vigilância Ambiental através da Secretaria de Saúde de Solânea com o objetivo de educar a população quanto aos procedimentos e cuidados para evitar a dengue.

O Secretário de Saúde, João Rocha, explicou que neste primeiro momento a campanha foca na conscientização: “Estamos trabalhando a conscientização da população, vamos partir para o trabalho nas escolas e em loco. Para fazer o trabalho onde for detectado um maior foco do mosquito da dengue os agentes irão utilizar bombas motorizadas e manuais. E conseguimos, junto à Secretaria do Estado, o “carro fumacê”, contou. Entre as ruas visitadas estão a Leôncio Costa, Panorâmica, Pernambuco, Pedro Augusto de Almeida e Dionísio Rodrigues. A iniciativa foi muito elogiada pela população “Isso é muito importante, mas primeiro todos precisam se educar e fazer sua parte: limpar lixo da casa e quintal, emborcar pneus e tanques e deixar tudo coberto”, contou Oziélia que mora na Dionísio Rodrigues.

Como evitar a dengue

   O Coordenador da Vigilância Ambiental, Toinho da Saúde, chamou a atenção para a importância dos cuidados da população para evitar a dengue. “É muito importante todos trabalharmos juntos e estarmos vigilantes. O Aedes aegypti põe seus ovos em recipientes como latas e garrafas vazias, pneus, calhas, caixas d’água descobertas, pratos sob vasos de plantas ou qualquer outro objeto que possa armazenar água da chuva”, chamou a atenção.

Assessoria de Comunicação

 

Nova etapa da Campanha contra a Gripe começa nesta segunda

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe entra em uma nova etapa na próxima segunda-feira (22) em todo o país. A primeira fase, que teve início em 10 de abril, vacinou crianças, gestantes e puérperas. A partir da próxima segunda, o Ministério da Saúde abrirá ao restante do público-alvo.

Dessa forma, poderão receber a vacina trabalhadores da saúde, indígenas, idosos, professores de escolas públicas e privadas, pessoas com comorbidades e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade.

De acordo com o ministério, 41,8 mil postos de vacinação estão à disposição da população. Além disso, 196,5 mil profissionais estão envolvidos, bem como a utilização de 21,5 mil veículos terrestres, marítimos e fluviais.

A doença

A influenza é uma doença sazonal, mais comum no inverno, que causa epidemias anuais, sendo que há anos com maior ou menor intensidade de circulação desse tipo de vírus e, consequentemente, maior ou menor número de casos e mortes.

No Brasil, devido a diferenças climáticas e geográficas, podem ocorrer diferentes intensidades de sazonalidade da influenza e em diferentes períodos nas unidades federadas. No caso específico do Amazonas, a circulação, de acordo com o ministério, segue o período sazonal da doença potencializado pelas chuvas e enchentes e consequente aglomeração de pessoas.

Até o final de março, antes do lançamento da campanha, foram registrados 255 casos de influenza em todo o país, com 55 óbitos. Até o momento, o subtipo predominante no país é influenza A H1N1, com 162 casos e 41 óbitos. O Amazonas foi o estado com mais casos registrados, com 118 casos e 33 mortes. Por isso, a campanha foi antecipada no estado.

 

Agência Brasil

 

 

Em Solânea, campanha de vacinação contra a gripe H1N1 começa esta semana

A partir desta quarta-feira, 10, os grupos prioritários crianças de 6 meses até 6 anos e grávidas já podem procurar os PSFs mais próximos para receber a vacina.

A Secretaria de Saúde do Município de Solânea informa a toda a população que na próxima quarta-feira inicia em todos os Postos de Saúde da Família (PSFs) a campanha de vacinação contra a influenza H1N1, que provoca a gripe.

Na primeira etapa, de 10 a 19 de abril, serão imunizadas crianças – com idade entre seis meses até 5 anos 11 meses e 29 dias – e gestantes. Este ano, uma das novidades é a atualização da caderneta de vacinação das crianças de acordo com a situação encontrada pelos profissionais e as indicações do Calendário Nacional de Vacinação. A partir do dia 22 de abril a imunização será aberta para os demais grupos prioritários. O Dia Nacional de Mobilização, o “Dia D” está previsto para 4 de maio.

Grupos prioritários para vacinação
Estão entre os grupos alvos que precisam receber a vacinação: Crianças de seis meses a menores de seis anos; gestantes; puérperas ( mulheres com até 45 dias pós-parto); idosos de 60 anos ou mais de idade; portadores de doenças crônicas não transmissíveis; trabalhadores de saúde; população privada de liberdade; funcionários do sistema prisional; adolescentes e jovens sob medida educativa; professores da rede pública e privada.

 Assessoria de Comunicação

 

Na reta final da campanha, Lula escreve nova carta à Paraíba e reforça importância de ter Luiz Couto no Congresso

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) encaminhou, nesta segunda-feira (1), nova nova carta direcionada ao povo da Paraíba. No texto, ele agradece pelo apoio dos paraibanos que, de acordo com as pesquisas de intenção de votos, deverão votar em sua maioria no candidato a presidente do PT, Fernando Haddad.

Lula lembrou ainda a importância da eleição de Luiz Couto (PT) como senador em um cenário tendo Haddad como presidente.

Segundo Lula, a eleição de Luiz Couto é fundamental para fazer o Brasil voltar a sonhar, ao lado de Haddad.

Confira a íntegra do documento:

Em nova carta à Paraíba, Lula diz que Luiz Couto é fundamental para ajudar o Brasil voltar a sonhar

 

PB Agora

 

Saiba o que eleitores e candidatos podem ou não fazer na última semana de campanha

Mais curta e com recursos limitados, a campanha eleitoral entra na reta final nesta segunda-feira. Faltam apenas sete dias para o primeiro turno de votação, em 7 de abril, quando 147,3 milhões de eleitores poderão depositar os votos nas urnas eletrônicas. A proximidade do pleito acende o alerta para o que a lei eleitoral permite a votantes e candidatos fazer. Será punido com detenção e multa, por exemplo, quem fizer propaganda de boca de urna, tirar selfie na cabine de votação ou participar de mobilização coletiva de campanha no dia da votação.

O horário eleitoral gratuito na televisão e no rádio termina na quinta-feira, mas os candidatos podem continuar em campanha nas redes sociais e nas ruas até a véspera do pleito. As pesquisas de intenção de voto que forem realizadas antes do dia de votação podem ser divulgadas em qualquer hora, inclusive do dia 7 de outubro. As sondagens feitas no próprio domingo só podem vir a público ao fim da votação estimada por elas. No sábado, o Jornal Nacional, da “TV Globo”, revela pesquisas das capitais com os maiores colégios eleitorais.

No dia da eleição, a lei eleitoral só permite manifestação individual e silenciosa de preferência do eleitor com bandeiras, broches, dísticos e adesivos. Qualquer mobilização coletiva é vedada, assim como o uso de veículos para divulgar jingles, nesta data. Os comícios de encerramento das campanhas, excepcionalmente, podem correr até 2h da madrugada. Os “showmícios”, no entanto, são proibidos.

Saiba o que os eleitores e candidatos podem ou não fazer durante a campanha eleitoral:

NO DIA DA VOTAÇÃO

— É crime arregimentar eleitores ou fazer propaganda de boca de urna no dia da votação. A legislação prevê detenção de seis meses a um ano, com alternativa de prestação de serviços à comunidade pelo mesmo período, e multa a infratores de 5 mil a 15 mil UFIR (indexador para atualização do saldo devedor).

— É crime usar alto-falantes e amplificadores de som ou promover comício e carreata no dia da eleição.

— É crime divulgar qualquer espécie de propaganda de partidos políticos e de seus candidatos na data da votação.

— É proibido qualquer ato que caracterize manifestação coletiva, com ou sem utilização de veículos, como aglomeração de pessoas portando vestuário padronizado.

— É proibido tirar selfie na urna eletrônica. A lei eleitoral proíbe o porte de celular ou máquinas fotográficas na cabine de votação, assim como equipamentos de radiocomunicação, filmadoras ou qualquer instrumento que possa comprometer o sigilo do voto. Apesar de ser considerado um crime de menor gravidade, a desobediência dessa ordem tem pena de quinze dias a seis meses de detenção, além de multa com valor a ser decidido em juízo.

— A legislação permite a manifestação individual e silenciosa de preferência do eleitor por partido político, coligação ou candidato, revelada exclusivamente pelo uso de bandeiras, broches, dísticos e adesivos.

— O uso de vestuário ou objeto que contenha propaganda de partido político, coligação ou candidato é proibido a servidores da Justiça Eleitoral, a mesários e a escrutinadores nas seções eleitorais e nas juntas de apuração de votos.

— Durante os trabalhos de votação, os fiscais partidários somente podem usar crachás em que constem o nome e a sigla de sua legenda ou sua coligação. É proibida a padronização de vestuário desses fiscais.

— É proibido comprar ou vender voto. O candidato pode ser punido com quatro anos de reclusão, pagamento de cinco a quinze dias-multa (valor unitário variável a ser pago pelo réu a cada dia de multa imposta), cassação do registro da candidatura, multa e inelegibilidade por oito anos. O eleitor que vender o voto também pode ser condenado a quatro anos de reclusão e a pagar de cinco a quinze dias-multa.

PESQUISAS ELEITORAIS

— As pesquisas realizadas em data anterior ao dia das eleições podem ser divulgadas a qualquer momento, inclusive na data do pleito.

— A divulgação de levantamento de intenção de voto realizada no dia das eleições só pode ocorrer a partir de 17h do horário local. Esta regra vale para sondagens dos cargos de governador, senador e deputados federal, estadual e distrital.

— As pesquisas de intenção de voto para presidente realizadas no dia da eleição só podem ser divulgadas após o horário previsto para encerramento da votação em todo o território nacional.

— A legislação eleitoral prevê que a divulgação de pesquisas inclua os dados: período de realização da coleta, margem de erro, nível de confiança, número de entrevistas, nome da entidade ou empresa realizadora, número de registro do levantamento e, se for o caso, nome de quem o contratou.

CAMPANHA NA RUA

— Distribuir folhetos, adesivos e folders impressos. Bonecos e outdoors eletrônicos estão vetados.

— Fixar propaganda eleitoral no para-brisa traseiro, em adesivo microperfurado, e em outras pontos do veículo, desde que não ultrapassem meio metro quadrado.

— Utilizar bandeiras de candidatos ou partidos em vias públicas.

— Usar alto-falantes, amplificadores, carros de som e minitrios entre 8h e 22h, em carreatas, caminhadas e passeatas ou durante reuniões e comícios, desde que estejam a, no mínimo, 200 metros de distância de repartições públicas, hospitais, escolas, bibliotecas, igrejas e teatros.

— Fica proibido o uso de qualquer tipo de veículo para divulgar jingles no dia das eleições.

— Os comícios devem ser feitos entre 8h e 24h. Os candidatos podem usar trios elétricos em locais fixos, desde que toquem apenas o jingle da campanha e reproduzam discursos políticos. Comícios de encerramento de campanhas podem ir até as 2h da madrugada.

— Os candidatos podem fixar propagandas em papel ou adesivo de até meio metro quadrado em bens particulares, como casa, carros e bicicletas, desde que seja autorizado pelo proprietário de forma gratuita.

REDES SOCIAIS, JORNAIS E REVISTAS

— Podem pagar por até 10 anúncios em jornais ou revistas, em tamanhos pré-definidos e em datas diversas. O candidato deve informar na própria publicidade o valor pago ao veículo.

— Os candidatos estão liberados para arrecadar dinheiro para a campanha por meio de financiamento coletivo.

— As campanhas podem fazer propaganda na internet de forma gratuita no site oficial do candidato, do partido ou da coligação hospedados no Brasil ou em blogs e redes sociais.

— Nas redes sociais, os candidatos podem promover o impulsionamento de conteúdo, desde que identificado e contratado exclusivamente por partidos políticos, coligações e candidatos e seus representantes. Os posts patrocinados devem conter o CNPJ ou CPF do responsável e a expressão “Propaganda Eleitoral”.

— Os candidatos podem Fazer propaganda em blogs, redes sociais e sites de mensagens instantâneas com conteúdo produzido ou editado por candidato, partido ou coligação;

— Usar ferramentas para garantir posições de destaque nos sites de busca.

— Enviar mensagens eletrônicas, desde que disponibilizem a opção para descadastramento, que deverá ser feito em até 48 horas.

PROPAGANDA NA TV

— As campanhas não poderão usar efeitos especiais, montagens, trucagens, computação gráfica, edições e desenhos animados no horário eleitoral gratuito e inserções durante o dia.

— Os candidatos podem apresentar legendas que façam referências aos candidatos a presidente, governador ou senador na propaganda de outros candidatos do mesmo partido ou coligação, exibir cartazes ou fotografias dos candidatos a presidente, governador ou senador.

— É permitido apresentar depoimentos de candidatos a outros cargos no horário da propaganda do mesmo partido ou coligação.

— É permitido exibir entrevistas com o candidato para que ele apresente realizações do governo, aponte falhas nos serviços públicos ou fale sobre alguns atos parlamentares ou debates legislativos.

SHOWS ARTÍSTICOS

— Os “showmícios” estão vetados nesta eleição. O candidato que descumprir a norma poderá ter o registro ou o diploma cassados pela Justiça Eleitoral.

O Globo

Campanha contra pólio e sarampo será prorrogada até sábado (01)

A Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo e a Poliomielite, que teve início no dia 6 de agosto, encerra nesta sexta-feira (31). Até o momento, a Paraíba tem a cobertura total de 84,15% para pólio e 83,79% para sarampo, ambas com mais de 190 mil doses aplicadas.

A recomendação do Ministério da Saúde (MS) é que os municípios que não atingirem a meta de 95% das doses aplicadas deverão abrir os postos de vacinação no sábado, 1° de setembro, para a realização de um segundo Dia D. Dos 223 municípios do estado, 126 ainda estão com a cobertura abaixo da meta estabelecida pelo MS.

“Diante deste cenário, é fundamental que os municípios dediquem-se ao máximo a fim de aproveitarem esta nova oportunidade, no sentido de alcançarem as metas estabelecidas e proteger a população alvo da campanha. Nove municípios ainda apresentam uma cobertura menor que 70%”, explica a técnica do Núcleo de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Márcia Fernandes.

Ela afirma que o MS não fala em prorrogação e pontua a importância de levar a criança para se vacinar até o final da campanha. “A SES recomenda intensificar a busca ativa para a vacinação contra o sarampo e a poliomielite. No Brasil, depois do sarampo ter sido eliminado em 2016, já foram confirmados mais de 1.400 casos em oito estados, com a ocorrência de sete óbitos em crianças até cinco anos”, informa.

Márcia lembra que a alimentação do sistema de informação em campanhas de vacinação é necessária e deve ser feita diariamente. “O acompanhamento da cobertura é em tempo real. Alertamos os gestores de saúde para que intensifiquem esta ação em seus municípios. O monitoramento oportuno é muito importante para o acompanhamento do alcance da meta estabelecida”, pontua.

 

pbagora

Em primeiro vídeo da campanha, Alckmin “ataca” Bolsonaro

O primeiro vídeo para a propaganda eleitoral do candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, divulgado nesta quinta-feira, visou os eleitores do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, ao afirmar que os problemas do país não serão resolvidos “na bala”.

O vídeo mostra uma sequência de problemas do país, como desemprego, falta de saneamento, analfabetismo, filas na saúde e fome, cada um deles simbolizado por um objeto que é detonado por um tiro de arma de fogo.

O primeiro vídeo para a propaganda eleitoral do candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, divulgado nesta quinta-feira, visou os eleitores do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, ao afirmar que os problemas do país não serão resolvidos "na bala"
O primeiro vídeo para a propaganda eleitoral do candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, divulgado nesta quinta-feira, visou os eleitores do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, ao afirmar que os problemas do país não serão resolvidos “na bala”

Foto: Reuters

Na peça, um copo com a palavra “desemprego” é destroçado por um projétil. Uma bolsa de sangue com os dizeres “filas na saúde” tem o mesmo destino, assim como livros que formam a palavra “analfabetismo”, um jarro de água onde se lê “falta de saneamento” e uma melão com a palavra “fome” têm o mesmo destino.

Aparece na tela então uma criança e, em vez de a bala atingir a cabeça da menina, aparecem os dizeres “Não é na bala que se resolve”, encerrando o vídeo de um minuto.

Bolsonaro, que lidera as pesquisas de intenção de voto no cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tem defendido uma flexibilização nas regras para obtenção de porte de arma e em entrevista nesta semana defendeu que policiais que matam mais criminosos devem ser condecorados.

Bolsonaro, que lidera as pesquisas de intenção de voto no cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tem defendido uma flexibilização nas regras para obtenção de porte de arma
Bolsonaro, que lidera as pesquisas de intenção de voto no cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tem defendido uma flexibilização nas regras para obtenção de porte de arma

Foto: Wilton Júnior / Estadão Conteúdo

Alckmin terá o maior tempo do horário da propaganda de rádio e TV, que se inicia no sábado para os candidatos a presidente.

O tucano, que tem encontrado dificuldades para crescer na preferência do eleitorado, terá também o maior número de inserções durante a programação normal das emissoras, que começam a ser veiculadas já na sexta-feira.

 

Reuters 

Prefeito de Bananeiras observa crescimento da campanha de Veneziano: “tem todas as condições de nos representar muito bem no Senado”

Em entrevista à imprensa paraibana, o Prefeito de Bananeiras, Douglas Lucena (PSB) avaliou o crescimento da campanha socialista na Paraíba, para estas eleições, e ratificou sua confiança na vitória do candidato a Senador pelo PSB Veneziano Vital do Rêgo (400). Segundo Douglas, o trabalho desenvolvido por Veneziano como Deputado Federal para Bananeiras e o Brejo vai ser ampliado com a presença dele no Senado Federal.

“O crescimento da campanha de Veneziano é notado a olhos vistos, pois a Paraíba sabe o que quer. Quer desenvolvimento, quer planejamento, quer organização administrativa e Veneziano tem todas as condições de nos representar muito bem no Senado. Vamos à vitória”, disse Douglas. Veja: (https://youtu.be/Oo4HsxwzoHw).

Segundo dados da Câmara dos Deputados, Veneziano já destinou para a cidade emendas para a implantação de infraestrutura esportiva no município no valor de R$ 250 mil; outra emenda para a compra de equipamento para Secretaria de Saúde Municipal, no valor de R$ 190 mil; e recursos na ordem de R$ 472.960 mil para o Fundo Municipal de Saúde.

Assessoria para o FN

Campanha eleitoral na PB ainda não registrou nenhuma denúncia, mas discurso de ódio nas redes sociais preocupa, diz juiz

Distância do cidadão do processo político eleitoral na Paraíba está fazendo com que o início da campanha eleitoral no Estado da Paraíba tenha um gostinho de ‘paz e amor’.

É que mesmo após uma semana do início oficial da campanha, o Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba não registrou, até agora, nenhuma denúncia sequer.

Para o juiz da propaganda eleitoral, Marcos Sales, esse ano as farpas do eleitorado estão mais direcionadas às redes sociais que ao corpo a corpo. Os conflitos que antes começavam nas ruas, agora começam nas redes sociais.

“O eleitor tem se mantido com um certo distancioamento crítico, inclusive com relação ao poder judiciário. Mas, diferentemente das ruas, as mídias sociais trazem em si um certo discurso do ódio, essa é a nossa maior preocupação, por isso fazemos um apelo par aque esse discurso não chegue às ruas, pois eleição passa”, disse.

O juiz ressalta que quem quiser fazer denúncia, deve estar munido de provas, para não ser processado pela denunciação caluniosa.

“O eleitor pode procurar a justiça eleitoral ou pode comunicar o fato via smarphone, porque todo denúncia deve ser efetivada por meio de provas. Se a denúncia for caluniosa, o responsável pagará as medidas cabíveis”, ressatou.

 

 

PB Agora