Arquivo da tag: camisa

Após mensagens de apoio, papa Francisco ganha camisa da Chapecoense

papa_franciscoO papa Francisco ganhou de presente uma camisa da Chapecoense, como forma de agradecimento às mensagens de apoio aos familiares das vítimas e sobreviventes da tragédia. As informações são da Agência Ansa e da Rádio Vaticano.

O uniforme traz estampado o nome do sumo-pontífice e o número 71, que faz referência à quantidade de mortos no desastre aéreo com o avião da equipe catarinense na Colômbia, ocorrido no último dia 29 de novembro.

A camisa foi entregue no dia 25 de dezembro, após a bênção de Natal do papa, por meio da redação brasileira da Rádio Vaticano. Segundo a emissora, Francisco comentou que a tragédia foi um “evento muito triste” e agradeceu a todos os chapecoenses, aos quais enviou uma bênção especial.

Logo após o acidente, papa Francisco dirigiu uma mensagem à diocese colombiana de Sonsón Rionegro lamentando a tragédia. Já no dia 30 de novembro, ele dedicou uma mensagem ao Brasil durante sua audiência geral.

Ele também mandou um recado para ser lido durante o velório coletivo realizado na Arena Condá, em Chapecó, no dia 3 de dezembro.

Agência Brasil 

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Torcedora do Flamengo vai seminua para jogo e com ‘camisa’ pintada no corpo

 Foto: Edilson Dantas / O Globo
Foto: Edilson Dantas / O Globo

Uma torcedora do Flamengo roubou a cena durante a partida contra o Figueirense, neste domingo, no Pacaembu, em São Paulo, pelo Campeonato Brasileiro. No meio de muitos flamenguistas nas arquibancadas, a jovem se destacou porque estava seminua, apenas com um short jeans, botas e uma “camisa” do time pintada no corpo. Ela pintou até o personagem do desenho animado Popeye, um dos mascotes do Flamengo.

Os torcedores que estavam perto da morena adoraram a iniciativa e posaram para muitas selfies, como mostram as imagens registradas pelo otógrafo Edilson Dantas, do O Globo.

Torcedora do Flamengo mostra a ‘camisa’ 22
Torcedora do Flamengo mostra a ‘camisa’ 22 Foto: Edilson Dantas / O Globo

O Flamengo venceu a partida por 2 a 0, com gols de Willian Arão, que marcou no primeiro tempo, e de Diego, de pênalti, na segunda etapa. O atacante Leandro Damião também teve a chance de marcar, mas errou a primeira cobrança de penalidade dada ao time. Com isso, o Rubro-negro se mantém na vice-liderança do Campeonato Brasileiro, com 50 pontos, um a menos que o líder Palmeiras, que venceu o clássico contra o Corinthians, no sábado.

Torcedora do Flamengo seminua na arquibancada
Torcedora do Flamengo seminua na arquibancada Foto: Edilson Dantas / O Globo
Torcedora do Flamengo mostra a ‘camisa’ 22
Torcedora do Flamengo mostra a ‘camisa’ 22 Foto: Edilson Dantas / O Globo

Extra

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Wesley Safadão usa camisa com David Bowie em show na PB e vira hit na web

wesley_safadaoUma foto de Wesley Safadão está repercutindo nas redes sociais depois que foi anunciada a morte do cantor David Bowie. A foto, em que o forrozeiro aparece vestindo uma camisa com a imagem de Bowie, foi feita antes do início do show dele em um festival em Cabedelo, região metropolitana de João Pessoa, no domingo (10), horas antes da morte de Bowie.

Bowie morreu no domingo, aos 69 anos, vítima de câncer. A postagem foi feita antes da morte do cantor britânico ser anunciada, mas acabou se transformando em um painel de homenagens por parte de fãs dos dois. Até as 17h desta segunda-feira (11), a foto já somava mais de 150 mil curtidas em duas redes sociais.

A ideia do figurino que Safadão usou durante o show foi do personal stylist Neto Pinheiro, que há três anos cuida do visual de Wesley. “Na verdade já era uma camisa que eu queria há um tempão, mas que não tinha em Fortaleza. Em João Pessoa encontrei e levei: ele adorou”, conta.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Sobre os comentários e brincadeiras de que Safadão tinha tido uma premonição com a morte de Bowie, Neto é enfático: “não teve nada de previsão, foi pura coincidência”. “Eu fiquei impressionado quando acordei hoje [segunda-feira] com a notícia da morte”, diz. Segundo o especialista em moda, Bowie faz parte de um universo de referências tanto para ele quanto para o próprio Safadão. “Wesley é muito antenado, já disse que ia usar na hora”, lembra.

Do G1 Paraíba

Sem Guerrero, Fla consegue vencer Atlético-PR na estreia de novo camisa 10

flamengoO Flamengo foi mais uma vez irregular, mas superou a ausência de Paolo Guerrero e se recuperou no Brasileirão. Com boa estreia do camisa 10 Ederson, aplaudido ao ser substituído no segundo tempo, o time venceu o Atlético-PR por 3 a 2, nesta quarta-feira, no Maracanã. Wallace, Emerson Sheik e Alan Patrick marcaram os gols – Hernani e Kadu fizeram para os paranaenses.

O resultado colocou com 23 pontos. O Furacão soma 29 pontos. Na próxima rodada, o Flamengo encara o Palmeiras, domingo, às 11h, no Allianz Parque. O Atlético-PR recebe o Santos, sábado, às 18h30, na Arena da Baixada.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

FLAMENGO 3 X 2 ATLÉTICO-PR

Local: Maracanã (RJ)
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (SP)
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis (SP) e Rogério Pablos Zanardo (SP)
Renda: R$ 595.975,00
Público: 17.962 pagantes / 20.881 presentes
Cartões amarelos: Pará e Canteros (Flamengo); Kadu, Fernando Barrientos, Sidcley e Hernani (Atlético-PR)
Cartão vermelho: Hernani (Atlético-PR)
Gols: Wallace, aos 12min do primeiro tempo; Hernani, aos 25min do primeiro tempo; Emerson Sheik, aos 40min do primeiro tempo; Alan Patrick, aos 45min do primeiro tempo; Kadu, aos 19min do segundo tempo

Flamengo
César; Pará, César Martins, Wallace (Samir) e Jorge; Márcio Araújo, Canteros (Jonas) e Alan Patrick; Everton, Ederson (Kayke) e Emerson.
Técnico: Cristóvão Borges.

Atlético-PR
Weverton; Eduardo, Christián Vilches, Kadu e Sidcley; Otávio (Daniel Hernandez) e Hernani; Marcos Guilherme, Nikão (Crysan) e Bruno Mota (Fernando Barrientos); Walter.
Técnico: Milton Mendes.

 

Uol

Fla tem liberação da Lazio e fecha com Ederson para vestir camisa 10

REUTERS/Tony Gentile
REUTERS/Tony Gentile

O Flamengo fechou a contratação do esperado camisa 10. Nesta terça-feira (21), o meia brasileiro Ederson obteve a liberação da Lazio-ITA e acertou os últimos detalhes do vínculo com o Rubro-negro por dois anos. O meia é aguardado no Rio de Janeiro na próxima sexta-feira (24) para a realização dos exames médicos e apresentação oficial.

O jogador tinha mais um ano de contrato com os italianos, mas negociou a rescisão pelo desejo de retornar ao Brasil. Ele entrou em campo pela última vez em 18 de abril, quando a Lazio perdeu por 2 a 0 para a Juventus.

Aos 29 anos, Ederson comprou o desafio de defender a camisa do Flamengo após dez anos na Europa. Ele chega com muita expectativa, já que a criação de jogadas é um problema do time rubro-negro desde o início do ano.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Ederson exerceu a função de camisa 10 nos últimos três clubes pelos quais passou. Antes de atuar na Lazio, foi comprado pelo Lyon-FRA ao Nice-FRA por 15 milhões de euros.

O meia começou a carreira no Internacional e também passou pelo Juventude, sempre com relativo destaque. Ele foi convocado para a seleção brasileira pelo então técnico Mano Menezes em 2010, entrou em campo com a amarelinha no dia 10 de agosto e jogou apenas três minutos. No primeiro lance, sentiu dores na coxa direita e foi substituído.

O novo camisa 10 do Flamengo conquistou o Mundial sub-17 pela seleção brasileira (2003), o Campeonato Gaúcho (2004), a Copa da França (2011-2012) e a Copa Itália (2012-2013).

 

 

Uol

Taffarel está de volta à seleção e já tem seu novato favorito à camisa 1

taffarelTaffarel foi titular do Brasil em três Copas, sendo campeão em 1994. Agora, ao lado de quem levantou a taça há 20 anos, tentará reerguer a combalida seleção brasileira, recém-saída do maior vexame de sua história na Copa que sediou. Como preparador de goleiros, ele sabe que a opção final é de Dunga, o comandante, mas já pensa em quem pode vestir a camisa um do Brasil e treinar sob sua responsabilidade.

Em entrevista ao UOL Esporte, ele dá a dica de quem pode ser a aposta para ser o titular do Brasil no gol daqui quatro anos – Rafael Cabral, ex-Santos -, mas assume que precisa acompanhar ainda mais quem atua na sua antiga posição agora que está na seleção. Leia a entrevista completa com o novo preparador de goleiros da seleção abaixo.

UOL Esporte: Quais os principais goleiros promissores visando o futuro na seleção brasileira?
Taffarel: Se eu falar dos destaques e dar a minha opinião eu estou quase convocando. parece pegadinha. Eu não posso nem responder essa pergunta. Eu me coloco na posição de estar falando demais. Imagina o Dunga ouvindo essa nossa conversa ou lendo depois, aí o Dunga vai falar ‘o Taffarel está falando de mais’. Eu acho legal a convocação e todo mundo ficar esperando o que vai acontecer. Eu particularmente também fico ansioso como é que o Dunga está pensando, se vai levar jovens. Nem eu fiz essa pergunta para ele, eu fico na esperança de como ele vai começar o trabalho e depois vai progredir.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

UOL Esporte: Mas você não tem nomes?
Taffarel: Eu tenho nomes sim, sem dúvida, e a partir de agora eu vou começar a acompanhar muito mais. Eu até pedi aqui para o pessoal do Galatasaray um sistema que eles tem aqui, um ‘scout’ que mostra tudo sobre o goleiro com imagens. Então você começa a acompanhar muito mais essa questão dos goleiros, até para não passar em branco. De repente aquele ali poderia ser chamado para não cometer algum erro neste sentido, Eu gosto muito do Rafael Cabral, ex-Santos e agora no Napoli, e até no ano passado nós fizemos um amistoso contra o Napoli e eu conversei com ele depois. Eu disse, ‘cara, aproveita essa oportunidade porque a Itália tem um futebol sério, disciplinado, exigente. Aproveita muito aqui, aproveita porque você tem muito a aprender, porque você é goleiro de seleção’; Foi o que eu falei para ele. É uma pena que ele teve uma lesão, ficou afastado muito tempo, até o Napoli contratar o goleiro espanhol Reina que é um goleiro mais experiente, optou mais por essa situação. Mas nesse ano o Rafael está sendo o primeiro goleiro, já nos amistosos está jogando, então é um goleiro que eu estou acompanhando bastante e vou acompanhar até para dar uma sugestão para o Dunga.

UOL Esporte: Atualmente, quem é o melhor goleiro do mundo?
Taffarel:
 Eu dizia antes da Copa: ‘Vamos esperar terminar para tirar uma conclusão’. E depois dela posso dizer que o Neuer é o melhor de todos. Ele é forte, tem a técnica, joga avançado, está sempre ligado, joga quase como um líbero. Quer dizer, ele joga muito com o time. Teve também o da Costa Rica, o Navas foi bem. O do México também, o Ochoa. São goleiros que jogam em equipes menores e muitas bolas vão para o gol. Mas o destaque importante foi o Neuer, participou, jogou e contra o Brasil no primeiro tempo ele fez 3 defesas importantíssimas. Estava 5 a 0 mas ele estava atento. Gostei também do goleiro da Holanda, tanto o do jogo como aquele que entrou para a disputa de pênaltis. Os goleiros foram bem.

UOL Esporte: Depois de você, qual o melhor goleiro que a seleção brasileira produziu?
Taffarel:
 Eu acho assim, antes de mim já tinha o Carlos, tinha jogado em 1986, depois eu em 1990, 1994 e 1998, depois veio o Marcos que fez uma grande Copa do Mundo em 2002, o Dida em 2006, então não tem essa coisa. Eu tive o meu período, assim como o Julio César. Eu penso que nas últimas Copas do Mundo o Brasil tem ido bem com os goleiros. O Brasil tem sido bem representado pelos goleiros. Então é renovação, é uma posição que a gente vêm melhorando a cada ano, a escola de goleiros brasileiros é muito boa.

UOL Esporte: Acha que o Julio Cesar ainda tem condição de seguir na seleção brasileira?
Taffarel:
 Esses goleiros acima de 30 anos, no caso do Julio César e outros, são goleiros experientes que terão na próxima Copa 34, 35 anos. Basta saber se o Dunga vai querer contar com esses goleiros, se quer essa experiência. Eu já acho que nessa última Copa teria que ter levado um goleiro mais jovem. Eu sempre fui a favor disso. Por exemplo, eu sofri, e quem sou eu para sofrer alguma coisa, em 1986, quando eu jogava há apenas dois anos futebol. Em 1986 no México o Leão foi como terceiro goleiro com 38 anos, vê se serviu alguma coisa para o Leão ter ido. E antes da convocação lá no Sul o pessoal falava ‘você vai ser convocado, vai ser convocado’. Eu acho que eu não estava pronto para ir para a seleção, nem para ser o segundo goleiro, mas depois de quatro anos eu fui para a Copa do Mundo, então é muito favorável levar um goleiro jovem, dando aquela experiência, aquela bagagem. Mas vamos ver o que vai acontecer.

UOL Esporte: Muito se fala na deficiência da preparação de jogadores no Brasil. Neymar falou disso em suas entrevistas. Acha que o mesmo se aplica em relação à preparação e formação dos goleiros?
Taffarel
: O goleiro brasileiro trabalha bastante. Já na minha época trabalhava muito e eu no Galatasaray puxava muito. A filosofia é da escola brasileira: trabalhar muito forte tecnicamente com perfeição, cuidando dos detalhes. E agora procuro passar isso na seleção brasileira. Gosto de trabalhar bastante, chegaram até dois goleiros novos aqui e começaram a sentir: “Nós nunca caímos tanto na vida”. Eu disse que o goleiro tem que se jogar para direita ou para esquerda. ‘Vai lá, tem que trabalhar forte’.

UOL Esporte: Como recebeu a informação que faria parte da equipe do Dunga como preparador de goleiros?
Taffarel
: O pessoal começou a ligar aí do Brasil e eu não sabia nada, a mesma coisa aconteceu quando o Dunga foi para o Internacional. O pessoal me ligava e diziam “e aí, quando é que você virá?”, e na época eu não fui convidado porque o Dunga sabia que eu tinha contrato aqui no Galatasaray. E eu não ia deixar o Galatasaray e ir para o Internacional e ele até entendeu, mas agora essa situação foi diferente. O Dunga me chamou para fazer parte da comissão. O Gilmar falou: “Você não precisa abandonar o Galatasaray, você continua trabalhando aí e quando sair a convocação você se apresenta como se apresenta os jogadores. Então as coisas foram acontecendo aos poucos. Mas aí depois tinha a situação aqui, mas para eles não tinha problema nenhum. O próprio treinador (Cesare) Prandelli é novo aqui. Nosso presidente aceitou que eu ficasse aqui e aconteceu da melhor maneira possível. Então vai dar para conciliar quando o jogador se apresentar eu me apresento também, vou me sentir como jogador.

UOL Esporte: Vai querer ter voz ativa para definir qual será o goleiro titular?
Taffarel
: Olha, eu não lembro como era na época quando eu era convocado, eu não lembro como funcionava isso, mas haverá  conversas com o Dunga. Foi sempre assim, reunião com viva voz com o Gilmar, com o Mauro Silva. Na última conversa nossa foi assim, mais específica, e eu disse que a gente estava bem de goleiros. Então eu entendo que ele vai contar com a minha opinião. Sou eu que vou decidir no sentindo de quem vai ou não vai, mas acho que a minha opinião vai ajudá-lo ou pode esclarecer alguma dúvida dele, mas é lógico que é sempre o treinador que tem o poder de convocar o jogador. A decisão sempre cabe a ele, ao Dunga.

UOL Esporte: Julio César na Copa do Mundo
Taffarel
: Ele não comprometeu. Gostei do Julio, ele sempre foi um goleiro que na seleção brasileira deu o máximo, fez grandes jogos. Acho que ele sofreu muito com essa coisa de ficar sem jogar, mas nesta última Copa ele fez a parte dele. Ele saiu muito bem nos pênaltis contra o Chile o Julio não comprometeu em nada, ele fez a Copa dele.

 

Uol

Ninguém quer comprar a camisa da Seleção brasileira

CamisaA camisa da seleção brasileira, que era uma das mais procuradas no comércio popular do Rio de Janeiro durante a Copa do Mundo, agora é oferecida a um preço promocional por conta da queda nas vendas em consequência da dolorosa derrota do Brasil nas semifinais perante a Alemanha.

A maioria dos produtos relacionados com a participação do Brasil no Mundial, especialmente as camisas, está agora em liquidação, disseram à Agência Efe os vendedores do Saara, o grande mercado popular do Rio de Janeiro. “Só quem compra é turista (a camisa) e porque baixamos muito seu preço”, assegura Lucia Santos, vendedora da loja esportiva LOOP, no coração do Saara.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“A maioria das lojas já retirou as camisas das vitrines. Nós ainda temos algumas expostas, mas já colocamos a maioria em caixas e as guardaremos para oferecê-las no próximo Mundial daqui a quatro anos”, acrescenta.

A derrota por 7 a 1 sofrida no estádio do Mineirão deixou nos brasileiros um desinteresse quase total, uma rejeição que é patente nestes dias em frente às lojas de produtos do Mundial pelas quais passam sem parar.

Elio Bittencourt, de 81 anos, que preside a associação de comerciantes do Saara e é dono da loja de artigos esportivos GMB Sports, disse à Agência Efe que a derrota diante da Alemanha “representou um verdadeiro desastre”.

As vendas, comenta, caíram estrondosamente no dia seguinte da partida. “Desde então não vendi praticamente nada da cor verde e amarela e agora estamos brigando para nos desfazer o mais rápido possível do estoque”, relata.

O comerciante reconhece, no entanto, que as vendas já estavam baixas no começo da Copa. “Começamos vendendo menos do que esperávamos, como 30% abaixo das expectativas, mas hoje o negócio é praticamente zero. Em 52 anos que trabalho no Saara, este foi o Mundial mais frouxo em vendas”, diz.

Dezenas de milhares de pessoas passam diariamente pelo Saara na busca de uma boa oferta. Nos últimos dias, os cartazes que anunciam a liquidação dos produtos do Mundial estão servindo para atrair os estrangeiros, a maioria deles com as malas quase feitas para retornar a seus países após a final.

Os argentinos são os mais numerosos e os que mais visitam as lojas na última semana. “Nos disseram que aqui tudo é mais barato e viemos comprar cornetas ou qualquer coisa que faça muito barulho para ver a partida e celebrar nosso terceiro título mundial”, comenta um deles sobre a expectativa para o resultado da final entre Argentina e Alemanha no próximo domingo, no Maracanã. Outro argentino carrega um copo de cerâmica alusivo ao Mundial enquanto pergunta onde pode comprar um chaveiro com a figura do Cristo Redentor.

As cangas de praia são um dos artigos que melhor estão aguentando este recesso consumista. As que mais são vendidas nestes dias são as feitas com as cores das bandeiras nacionais.Um carioca que adquiriu uma canga ilustrada com a bandeira alemã afirma que seu maior desejo agora é “que Müller e companhia repitam, contra a Argentina, a goleada que aplicaram em nós”.

Hoje a camisa do Brasil, inclusive a que estampa o 10 de Neymar, podia ser comprada no Saara por R$ 19,90, R$ 10 a menos que antes da goleada. Mas nem isso será suficiente e Elio Bittencourt prevê que, “a partir da semana que vem, os preços vão cair 20% ou 30% a mais”.

 

Época

Brasil jogará os três jogos da primeira fase com a tradicional camisa amarela

brasilA CBF divulgou nesta quinta-feira os uniformes que a seleção brasileira usará nos três jogos da primeira fase na Copa do Mundo. Em todas as partidas, a equipe de Felipão vestirá camisas amarelas, sendo que apenas no segundo duelo, contra o México, dia 17 de junho, em Fortaleza, irá a campo de calção azul – nos demais jogará de branco. O meião será branco em todos os confrontos, e o goleiro vestirá um uniforme todo cinza durante a fase de grupos.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A combinação de amarelo com branco que o Brasil usará contra Croácia e Camarões, aliás, é uma boa notícia para os mais supersticiosos. Afinal, foi assim que a Seleção derrubou a Espanha na decisão da Copa das Confederações de 2003.

Assim, ficam definidos também os uniformes dos rivais do Brasil na fase de abertura. No jogo de abertura do Mundial, dia 12 de junho, em São Paulo, a Croácia jogará com camisa, calção e meião azul. O goleiro vestirá verde.

O México também usará uniforme reserva contra o Brasil, com camisa vermelha e preta – mesmas cores do calção e do meião. Por fim, dia 23 de junho, em Brasília, a Seleção se despedirá da primeira fase contra a equipe de Camarões, que vestirá camisas verdes e calções e meiões vermelhos.

180 Graus

Dilma presenteia Francisco com camisa de Pelé e bola da Copa

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira (21) durante entrevista coletiva após encontro com o Papa Francisco, que pediu ao Santo Padre uma mensagem pela paz e contra o preconceito, que serão os temas da Copa do Mundo de 2014.

“Vim aqui porque a Copa do Mundo vai ocorrer no Brasil em julho. E eu vim dizer para o Santo Padre que nós vamos fazer uma Copa com um tema muito importante. O tema é uma Copa pela paz e uma Copa contra o racismo”, afirmou.

Dilma presenteou o Papa Francisco com uma bola autografada pelo jogador Ronaldo e uma camisa da Seleção Brasileira autografada por Pelé. Ela também brincou com a rivalidade entre brasileiros e argentinos no futebol.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook
Dilma presenteou o Papa Francisco com uma camisa da Seleção Brasileira autografada por PeléDilma presenteou o Papa Francisco com uma camisa da Seleção Brasileira autografada por Pelé

“Fiquei muito feliz de estar aqui e necessariamente também nós falamos a respeito dessa questão que, sempre que brasileiros e argentinos se encontram e falam sobre a Copa é tocada: a questão de quem ganha a Copa do Mundo. A única coisa que eu pedi era que a neutralidade fosse mantida por parte do Santo Padre e assim a ‘Mão de Deus’ não empurrasse a bola de ninguém”.

A presidente disse que a ida do papa ao Rio de Janeiro na Jornada Mundial da Juventude foi um momento muito importante para o Brasil. “Acho que o Brasil mostrou ao Papa aquilo que ele tem de melhor, que é essa imensa generosidade do povo brasileiro, aquela capacidade de acolhimento. Acho que o Brasil abraçou o Papa e mostrou também, eu acho que a contribuição do Papa é em termos dos valores que ele transmitiu naquele momento. Nós somos um estado absolutamente laico. O Papa, como um chefe de Estado, foi recebido. Mas ele também teve esse papel inequívoco, que foi expressar valores, que são os valores da fraternidade, da solidariedade, da relação um com o outro de forma respeitosa. E mostrou a possibilidade de um grande congraçamento de pessoas com um grau de pacifismo imenso. Então foi um momento especial para o Brasil”, concluiu Dilma.

Sobre a nomeação do arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta, como cardeal, a presidente disse estar muito feliz com a indicação feita pelo Papa. Neste sábado (22), Dilma estará presente no consistório, cerimônia na qual o Santo Padre ordenará os novos cardeais

“Eu fiquei muito feliz com a indicação de Dom Orani. Eu acredito que foi mais uma manifestação muito boa que o Papa teve em relação ao Brasil. Acho que a escolha do Dom Orani é uma escolha merecida. Dom Orani, além de ser um homem de fé, é uma pessoa com grande capacidade de solidariedade, que se interessa pelos movimentos sociais, pelos pobres. Então eu estou aqui inclusive para prestigiar a criação do Dom Orani como cardeal”.

 

 

JB Online

O retorno de Renato: camisa 11 faz dois e dá vitória ao Fla sobre o Olaria

A camisa 11 do Flamengo voltou a brilhar na noite deste sábado, mas desta vez não foi com Rafinha. Como não há numeração fixa neste início de temporada, o novo xodó da torcida cedeu o número que vinha usando para Renato, o antigo dono. De volta ao time titular na vaga de Elias, o meia retornou inspirado e, em lances de bola parada, fez os dois gols da vitória por 2 a 0 sobre o Olaria, em Volta Redonda. O primeiro teve assistência de Carlos Eduardo, que cobrou falta em direção à área – e se mostrou melhor fisicamente em seu segundo jogo. O outro saiu em uma bela cobrança de falta, com muito efeito.

A partida, que nada valia para o Flamengo em termos de classificação, teve a estreia de Gabriel e Alex Silva. Ambos entraram no segundo tempo para atuar diante de 4.712 pagantes (6.653 presentes) no Raulino de Oliveira – a renda foi de R$ 60.840. O meia-atacante, que passou por um longo trabalho de reforço muscular, movimentou-se bastante, mas não teve chance de gol. Já o zagueiro, de volta ao clube depois de passar por uma séria lesão no Cruzeiro, jogou ao lado de Wallace, mas ainda demonstra falta de ritmo e entrosamento.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

– A gente consegue corresponder àquilo que o treinador pede. E, ainda mais com dois gols, é maravilhoso. Sei que o Elias vai voltar à equipe. Acho que dá (para jogar junto com Elias), mas o técnico é que sabe a melhor formação para a equipe. Se puder jogar 90 minutos, ou 15 minutos, ou dar uma palavra no vestiário, quero ajudar. Pude contribuir e fico feliz. Sei que posso sempre dar mais. É bom saber que, quando entra, pode corresponder – comemorou Renato.

Já classificado com a melhor campanha do turno para a semifinal da Taça Guanabara, o Flamengo chegou a 22 pontos e agora aguarda a conclusão da rodada neste domingo para saber seu adversário no mata-mata. O Olaria, por sua vez, é o oposto do Rubro-Negro até agora: tem a pior campanha entre os 16 participantes Soma três pontos e terá o segundo turno para lutar contra o risco de rebaixamento. O primeiro adversário na Taça Rio será o Madureira, no dia 17 de março, às 16h (de Brasília), na Rua Bariri.

– Ainda temos sete jogos. Vamos agora para uma intertemporada com o professor Luiz Antônio. Perdemos o jogo com duas bolas paradas. Tivemos chances de empatar, mas perdemos as oportunidades – observou Calisto, ex-Vasco, lateral-esquerdo do Olaria.

Renato Abreu comemora gol do Flamengo sobre o Olaria (Foto: Ernesto Carriço/Agência Estado)Renato teve seu nome gritado pela torcida e uma noite de herói (Foto: Ernesto Carriço/Agência Estado)

Renato assume papel de Rafinha, tem nome gritado e vira destaque

A troca dos números não confundiu a torcida, que ovacionou o camisa 8 Rafinha logo em seu primeiro toqure na bola. Arisco como de costume, o atacante caiu pelos dois lados do campo, tabelou, mas sofreu com uma marcação mais forte, principalmente do lateral-esquerdo Calisto. Em compensação, sobrava mais espaço para Carlos Eduardo. Melhor fisicamente, o meia-atacante voltava para marcar no campo de defesa e apertava a saída de bola dos zagueiros adversários. Em uma delas, aproveitou falha de Cleberson e arriscou seu primeiro chute, defendido por Moreno.

Se na finalização o meia-atacante não teve sucesso, ele mostrou qualidade no passe. Aos 21 minutos, cobrou falta e cruzou na medida para Renato cabecear por baixo do goleiro, abrindo o placar numa conclusão atípica do camisa 11. Três minutos depois, o meia repetiu a dose, mas agora em sua especialidade: a cobrança de falta. Relembrando os velhos tempos, teve o nome gritado pela torcida, soltou uma pancada e colocou a bola no ângulo esquerdo de Moreno. O goleiro, que com a exceção dos dois gols não foi muito exigido no primeiro tempo, impediu a única chance que teve o artilheiro Hernane no jogo, na pequena área, após tabela de calcanhar de Rafinha e João Paulo.

Carlos Eduardo, Flamengo x Olaria (Foto: Alexandre Vidal/Fla Imagem)Em seu segundo jogo, CE10 foi melhor e deu uma assistência (Foto: Alexandre Vidal/Fla Imagem)

Olaria para em Felipe e na trave. Gabriel e Alex Silva estreiam

O Flamengo voltou do intervalo com Alex Silva no lugar de González, promovendo a reestreia do zagueiro que voltou ao clube para esta temporada. O Olaria retornou com mudança de postura e aproveitou o desentrosamento da zaga do Fla. A equipe, que na etapa inicial teve oportunidade de marcar apenas num chute de Leozinho – que Felipe defendeu com o pé – e numa finalização com perigo de Waldir para fora, criou duas chances claras logo de início. E sempre nas costas de João Paulo, que dava espaços na marcação. Sorte do lateral que Felipe estava inspirado. O goleiro fez uma defesa incrível no chute de Lenine, no cantinho da trave, e saiu no abafa para dividir com Leozinho no mano a mano e salvar o Fla.

O Rubro-Negro demorou 15 minutos para acordar. Em dois chutes cruzados de Rafinha e Ibson, da direita, quase saiu o terceiro gol. Dorival, então, promoveu a estreia de Gabriel no lugar de um já exausto Carlos Eduardo. E logo depois colocou Igor Sartori na vaga de um apagado Hernane. A nova dupla de ataque aumentou a movimentação, mas com poucas chances de conclusão. A bola parada continuou sendo a melhor arma do Fla, mas Moreno impediu que Renato fizesse o seu terceiro. O Olaria, que ainda viu um cruzamento de Emílio carimbar a trave direita de Felipe, já não tinha mais forças para nada.

 

 

Globoesporte.com