Arquivo da tag: cada

INSS injeta R$ 500 mi a cada mês na Paraíba

Previdencia SocialA folha do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) injeta mensalmente quase R$ 500 milhões na Paraíba (R$ 494,573 milhões), em um total de 680,154 mil benefícios. Os recursos são quase o dobro do pagamento mensal da folha de servidores do Estado, o que mostra peso ainda na economia dos municípios. O montante do INSS tem crescido a cada ano porque o reajuste dos beneficiários é feito acima da inflação.

A maioria recebe até um mínimo. Cerca de 90% dos segurados (598 mil) na Paraíba recebem até um salário mínimo de benefício.

Os dados são do Boletim Estatístico da Previdência Social, publicado mensalmente pela Secretaria de Políticas de Previdência Social do Ministério da Previdência Social, referente ao mês de maio.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O estudo do Boletim mostra que o perfil de concessões salariais se manteve em abril: dos 7.926 benefícios liberados na Paraíba em abril, 41 vieram para pessoas que recebem até um salário mínimo, 6.139 ganharam valor igual a um salário mínimo, 1.713 tiveram de um a cinco salários mínimos e 33 paraibanos tiveram benefício de cinco a dez mínimos.

Em abril, o número de benefícios requeridos (11.268) apresentou queda de 8,47% comparado a março, e desses, 4.130 foram indeferidos, ficando estável com relação ao mês anterior (0,98%).

A maior parte do que foi concedida (2.604) foi pelo fator de incapacidade.

ZONA RURAL LIDERA

A Paraíba, com 52,77%, tem a 4ª maior taxa de benefícios rurais do Nordeste. Maranhão (66,58%), Piauí (65,92%) e Ceará (54,46%) lideram.

Segundo o Boletim, do total da folha liberada para o Estado, apenas 10% dos beneficiários recebem de um a cinco salários mínimos, enquanto 90% recebem até 1 salário mínimo. Do total dos benefícios, 321.263 são urbanos (47,23%) e outros 358.891 rurais (52,77%).

A Paraíba fica na quarta colocação nacional no ranking dos Estados com relação ao tempo médio para liberar a concessão, apresentando 17 dias, ficando atrás apenas de Roraima (9), Rio Grande do Norte (13) e Acre (14). Em abril, 8.637 benefícios foram encerrados em um total de R$ 7,324 milhões de recursos.

1ª PARCELA DO 13º SERÁ EM AGOSTO 

O INSS deverá pagar em agosto a primeira parcela  do 13º salário para aposentados e pensionistas. A informação é do secretário de políticas de Previdência Social, Benedito Adalberto Brunca, que adiantou que o Ministério da Previdência Social aguarda apenas a definição do decreto da Casa Civil para oficializar a antecipação do pagamento.

Os depósitos deverão começar no dia 25 de agosto para os aposentados e pensionistas que ganham até um salário mínimo, de R$ 724 neste ano. “Estamos esperando a definição do decreto. A expectativa é que seja feito”, disse Brunca.

O calendário para quem ganha mais do que um salário mínimo começa em 1º de setembro e termina no dia 5. As datas variam de acordo como número final do cartão de benefício do segurado.

A primeira parcela do 13º salário vem sendo antecipada nos últimos anos, mas os aposentados não têm garantias de que isso será feito, justamente por depender desse decreto que precisa ser assinado pela presidente Dilma Rousseff.

O benefício depositado a partir de 25 de agosto corresponde a 50% do valor. O desconto do Imposto de Renda (IR), para quem tiver, só será feito no pagamento da outra parcela do abono de Natal, que sai em dezembro.

Nem todos têm esse desconto, no entanto. Os aposentados com mais 65 anos têm uma isenção a mais e pagam menos IR.

Portalpágina.comCom Jornal da Paraíba

Um em cada três casos de Alzheimer pode ser evitado

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Um terço dos casos de Alzheimer no mundo tem prevenção, já que é desencadeado por fatores que podem ser evitados. São eles: sedentarismo, tabagismo, diabetes, hipertensão, obesidade, depressão e baixos níveis de educação. A conclusão faz parte de uma pesquisa publicada nesta segunda-feira na revista médica The Lancet Neurology.

O estudo, feito por especialistas americanos e britânicos, foi conduzido no Instituto de Saúde Pública da Universidade de Cambridge. A estimativa apontada pelo trabalho é menor do que a de um estudo anterior feito pelos mesmos pesquisadores, que havia indicado que metade dos casos de Alzheimer poderia ser evitada.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Acredita-se que 44 milhões de pessoas no mundo tenham Alzheimer e que esse número chegue a 106 milhões de casos até 2050. Segundo pesquisa de Cambridge, no entanto, se a população mundial diminuir em 10% cada um dos fatores de risco modificáveis da doença, será possível evitar cerca de 9 milhões de casos de Alzheimer até 2050.

O novo estudo se baseou em estatísticas sobre a doença nos Estados Unidos e na Europa e relacionou esses dados com a prevalência de fatores de risco à saúde, como obesidade e diabetes, nessas regiões.

“Embora não exista uma forma única de prevenir o Alzheimer, talvez nós possamos dar alguns passos para reduzir o nosso risco de demência em idades mais avançadas. Praticar atividade física, por exemplo, diminui os níveis de obesidade, hipertensão e diabetes, e pode evitar demência em algumas pessoas, além de melhorar a saúde em geral com o envelhecimento”, diz Carol Brayne, professora da Universidade de Cambridge e coordenadora do estudo.

“A nossa esperança é que essas estimativas ajudem a traçar estratégias para prevenir e lidar melhor com essa condição”, diz Deborah Barnes, especialista do Departamento de Epidemiologia da Universidade da Califórnia em São Francisco, Estados Unidos, e uma das autoras da pesquisa.

 

Veja

Zagallo piora, está fora da estreia e cada vez mais longe da Copa

zagaloZagallo está fora da abertura da Copa do Mundo. O Velho Lobo piorou da dor na coluna, provocada por uma bactéria, e não foi liberado por seus médicos para assistir à estreia do Brasil contra a Croácia, nesta quinta-feira, no Itaquerão, a partir das 17h.

Seu filho, Paulo, revelou ao blog Extracampo que Zagallo, de 82 anos, está desapontado por não poder ir ao estádio ver a seleção brasileira.

– Eu sempre achei difícil, mas ele tinha alguma esperança. Agora, está vetado. Ele voltou a sentir dores fortes, agudas, durante a noite. Não conseguiu dormir. Está chateado, pois sempre foi muito ativo – disse.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Zagallo não voltou a ser internado, mas conta com uma equipe médica na sua casa, já que continua tomando medicação intravenosa.

– Em casa, ele tem o mesmo tratamento que receberia no hospital. E não corre o risco de contrair outras bactérias – explicou.

– Estou achando muito difícil ele ir a algum jogo da Copa. Os três primeiros, acho que a gente já pode descartar – encerrou o filho.

Extra Online

Apenas uma em cada cinco cidades do País tem local preparado para receber menor infrator

presidioApenas um em cada cinco municípios brasileiros tem unidades de atendimento a adolescente em conflito com a lei, ou seja, os menores infratores, de acordo com a pesquisa Munic (Perfil dos Municípios Brasileiros) – Assistência Social 2013, divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta-feira (14).

No ano passado, havia, no País, 1.918 unidades para cuidar de adolescentes infratores em liberdade assistida e prestação de serviços à comunidade. Esses centros estavam em 1.240 cidades brasileiras, ou seja, 22,3% dos municípios do País contavam com essas unidades.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Feita no ano passado, a Munic está em sua 11ª edição e se concentra, pela terceira vez, na questão da assistência social no âmbito municipal, investigando todos os 5.570 municípios do País.

A maior parte das casas para tratamento de menores infratores está concentrada na região Sudeste, onde 35,4% dos municípios têm ao menos uma unidade. A região Sul tem 27,9% das cidades com algum centro deste tipo. As regiões Centro-Oeste e Norte apresentaram, respectivamente, coberturas de 19,9% e 15,8% de centros de apoio aos menores.

Por fim, a Região Nordeste apresentou o menor percentual, com apenas 8,6% dos seus municípios contando com esse tipo de unidade.

Outro recorte interessante sobre as unidades de ressocialização de adolescentes infratores é que, das 1.240 cidades que têm o serviço, 308 têm de 20.001 a 50 mil habitantes. Outras 224 cidades com centros para menores infratores têm de 10.001 a 20 mil pessoas. As maiores cidades, com mais de 500 mil pessoas, possuem apenas 33 unidades de ressocialização.

População de rua

Quando se tratam de abrigos para a população de rua, apenas 5,4% dos municípios têm um Abrigo Institucional ou Casa-Lar para essa população. Ao todo, são 482 unidades distribuídas por 300 cidades brasileiras.

A pesquisa do IBGE indica, porém, que os Estados do Amazonas, Roraima, Amapá e Maranhão não têm nenhum município com essas unidades para abrigar moradores de rua.

Por outro lado, a proporção é mais expressiva está no Sudeste, onde 10% das cidades possuem ao menos um local para receber moradores de rua — segundo o IBGE, é natural, já que a região tem municípios mais populosos.

Nas regiões Sul e Centro-Oeste, respectivamente, 6% e 6,2% dos municípios oferecem esses locais para esse público específico. Por fim, no Norte, apensa 1,8% das cidades oferecem o serviço, porcentual semelhante ao do Nordeste, com 1,3% das cidades com centros para receber moradores de rua.

R7

Seca atual só ocorre a cada 3.378 anos, afirma relatório

MARTIN GERTEN/EFE
MARTIN GERTEN/EFE

Um relatório técnico produzido pelo Centro Tecnológico de Hidráulica e Recursos Hídricos do governo Geraldo Alckmin (PSDB-SP) aponta que uma crise de estiagem tão crítica quanto a registrada no Sistema Cantareira em pleno período chuvoso ocorre só a cada 3.378 anos. Segundo o estudo, que avaliou a severidade desta seca histórica no principal manancial paulista, a probabilidade de o cenário se repetir é de apenas 0,033%.

“Isto comprova que a estiagem ocorrida no período de outubro/2013 a março/2014 foi bastante crítica, com o período de retorno extremamente elevado, em outras palavras, baixíssima probabilidade de ocorrência”, afirma o documento ao qual a reportagem teve acesso. O parecer é assinado pelo técnico Paulo Takashi Nakayama e avalia o período de retorno da chuva registrada nesses seis meses na região e das vazões afluentes ao Cantareira.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O período de retorno ou tempo de recorrência é o tempo médio em anos em que um evento é igualado ou superado pelo menos uma vez. Calculou-se o período de retorno da chuva acumulada entre outubro de 2013 e março deste ano com base na série histórica da chuva mensal registrada em quatro estações pluviométricas distribuídas na região onde ficam os rios e represas que compõem o Sistema Cantareira.

Com exceção da estação em Nazaré Paulista, onde fica a Represa Atibainha, todos os outros pontos registraram período de retorno do volume de chuva superior a 1.000 anos. Mais crítico da história do sistema, inaugurado na década de 1970, o mês de fevereiro apresentou um tempo de recorrência de 10.000 anos. Ou seja, um índice pluviométrico tão baixo só voltaria a ocorrer no ano 12.014.

Para integrantes do governo Alckmin, o estudo comprova que a crise atual é a mais severa da história, e ajuda a desconstruir as críticas feitas pelos adversários políticos de que faltou planejamento para evitar a escassez hídrica.

Os pré-candidatos ao governo do Estado Alexandre Padilha (PT) e Paulo Skaf (PMDB) têm criticado o tucano e a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) por falhas na gestão dos recursos hídricos.

TV.

Após escalar o apresentador de TV Rodrigo Faro para convocar seus clientes a economizar água por causa da histórica estiagem do Sistema Cantareira, a Sabesp agora enaltece a “coragem”, “determinação” e “solidariedade” dos paulistas para enfrentar a crise de abastecimento de água.

“Paulista é aquele que nasceu para vencer, faça chuva ou faça sol”, afirma a nova peça publicitária da Sabesp. Com um minuto de duração, a propaganda diz que “paulista é todo aquele que nasce da união da coragem com a determinação” e que “agora um novo desafio surgiu” porque “a chuva não veio” e “São Paulo vive a maior seca da sua história”.

Nesta segunda-feira, Alckmin voltou a descartar a necessidade de racionamento de água. “Nós não temos nenhum racionamento nos municípios operados pela Sabesp. Nenhum caso”, disse.

Estado de S. Paulo

Levantamento aponta que houve tentativa de fraude a cada 17 segundos

cartao-creditoEm março, a cada 17 segundos, houve uma tentativa de golpe financeiro com o uso de identidade falsa, segundo o Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraudes-Consumidor. Foram feitas 155.399 operações do gênero, o que representa 1,6% mais do que em fevereiro. No trimestre, as tentativas cresceram 2,4% e, na comparação entre março deste ano e igual mês do ano passado, foi constatada queda de 4,5%.

O setor de telefonia foi o mais visado pelos golpistas com 59.255 tentativas ou 38,1% do total. Essa parcela é ligeiramente inferior à registrada em março de 2013 (38,7%). Em serviços (construtoras, imobiliárias, seguradoras, salões de beleza, pacotes turísticos), os golpistas arriscaram lesar os consumidores 49.768 vezes ou 32% do total, crescimento de 0,07 ponto em relação ao ano passado.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Em terceira posição, está o segmento bancário, com 30.829 ações ou 19,8% do total. Em 2013, foram registrados 18,9% no mesmo mês. No varejo, ocorreram 12.883 tentativas, o equivalente a 8,3% das investidas. No ano passado, o percentual ficou em 8,1%.

De acordo com o Serasa Experian, os criminosos costumam roubar os dados pessoais por meio de cadastros na Internet feitos por pessoas que fornecem as informações sem verificar a idoneidade e a segurança dos sites. Eles também usam a estratégia de comprar telefone para ter um endereço e comprovar residência. Assim conseguem abrir contas em bancos, ter acesso a talões de cheque, cartões de crédito e empréstimos bancários em nome de outras pessoas.

As principais tentativas de fraude são: emissão de cartões de crédito – em que o golpista solicita um cartão de crédito com identidade falsa e deixa a conta para a vítima que teve os dados roubados –, financiamento de eletrônicos, compra de celulares, abertura de conta bancária, compra de automóveis e abertura de empresas.

Entre as dicas de segurança estão a orientação para que os consumidores não forneçam ou confirmem informações pessoais ou número de documentos pelo telefone, tomando cuidado com promoções ou pesquisas. A empresa aconselha ainda a não perder de vista seus documentos de identificação quando solicitados para protocolos de ingresso em determinados ambientes ou quaisquer negócios.

Além disso, quando for digitar o número da senha de cartão de débito ou crédito, o consumidor deve ficar atento para que desconhecidos não gravem as informações. Também não deve informar os números dos seus documentos quando for preencher cupons para participar de sorteios ou promoções de lojas.

IG

Sete em cada 10 mulheres descobrem câncer de ovário ‘tarde demais’

Cancer de colo de uteroDe acordo com levantamento recente do Icesp (Instituto do Câncer do Estado de São Paulo), 70% das mulheres com câncer de ovário chegam ao hospital com a doença avançada, o que pode comprometer o sucesso do tratamento.

Mensalmente são realizados mais de 800 atendimentos no serviço de ginecologia do instituto. Do total de pacientes, cerca de 20% têm entre 45 e 54 anos e 70% das mulheres estão acima dos 55 anos, período em que é mais frequente o desenvolvimento do tumor.

Entre os fatores de risco para o câncer de ovário estão o histórico familiar e a obesidade. Mulheres que fazem terapia de reposição hormonal e tratamento para a fertilidade também estão mais propensas a desenvolver a doença.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O tumor é considerado “silencioso”, e os poucos sintomas apresentados costumam ser ignorados pela maioria das mulheres, uma vez que são confundidos com desconfortos comuns como inchaço (aumento) do volume abdominal, menstruação irregular e indigestão. Também podem ocorrer dores abdominais e na região pélvica, perda do apetite e náuseas.

Estimativas do Inca (Instituto Nacional de Câncer) apontam aproximadamente seis mil novos casos da doença para esse ano no Brasil, incidência relativamente baixa se comparada aos 60 mil novos casos de tumor de mama.

Entretanto, o câncer de ovário é o tipo de tumor ginecológico com maior índice de mortalidade, chegando a 50%. Por isso é importante que as mulheres estejam atentas a mudanças no corpo, bem como a incômodos e dores constantes.

Para a coordenadora da oncologia clínica do Icesp, Maria Del Pilar Estevez Diz, a visita anual ao ginecologista e a procura por médicos em casos de alguma anormalidade podem ajudar a antecipar o diagnóstico, aumentando as chances de sucesso do tratamento.

Uol

A cada 100 mulheres, 37 podem ter câncer de mama no Nordeste; Entenda

cancer-de-mamaNo mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, um dado alarmante ainda preocupa muitas mulheres. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), cerca de 57 mil novos casos de câncer de mama são estimados para 2014. Os dados fazem parte da publicação Estimativa 2014 – Incidência de Câncer no Brasil, lançado em parceria com o Ministério da Saúde.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O câncer de mama é o tipo que mais acomete as mulheres em todo o mundo, tanto em países em desenvolvimento quanto em países desenvolvidos, respondendo por 22% dos novos casos a cada ano. No Brasil, a doença é a mais fequente nas mulheres das regiões Sul (71 casos/100 mil), Sudeste (71 casos/100 mil), Centro-Oeste (51 casos/100 mil) e Nordeste (37 casos/100 mil). Na região Norte é o segundo tipo mais incidente (21 casos/100 mil).

 

Os dados revelam que as taxas de mortalidade por câncer de mama continuam elevadas, muito provavelmente porque a doença ainda é diagnosticada em estágios avançados. Segundo a médica ginecologista e mastologista do Hapvida Saúde, Nair Margotti, o risco de desenvolvimento do câncer de mama aumenta quando a paciente apresenta fatores de riscos, como histórico familiar. A ginecologista destaca a importância da realização da mamografia. Para a médica, esse é o melhor método para diagnosticar a doença em uma fase inicial, antes que ela se dissemine para outros órgãos. Nesse estágio, as chances de cura são de 90%. “Devemos ter atenção para a realização da consulta com o mastologista e a realização da mamografia anualmente a partir dos 40 anos de idade”, explica.

 

A prevenção primária ainda é a melhor forma de combater a doença. Cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados por medidas como uma alimentação saudável, prática de atividade física regular e manutenção do peso ideal.

 

Segundo a fisioterapeuta Juliana Elias, da clínica Equilibra, o exercício físico é indicado não só na prevenção como também na recuperação das mulheres com câncer de mama, mas é preciso alguns cuidados. “Além de conversar com o médico para saber quando iniciar a atividade física após uma mastectomia, as pacientes devem buscar profissionais qualificados, que trabalhem exercícios adequados a cada fase de reabilitação pós-cirúrgica. Os movimentos devem focar o ganho de amplitude de movimento perdida após a cirurgia, equilibrando o trabalho de flexibilização e fortalecimento muscular”, alerta.

 

Para Juliana Elias, também é importante o profissional observar a resposta do exercício, ficar alerta a qualquer inchaço na região e ajustar o programa de acordo com a evolução da paciente. “O Pilates já pode ser iniciado assim que houver a possibilidade de movimento, pois irá trabalhar a reconexão desta mulher com o próprio corpo, a partir da respiração consciente e da percepção de cada movimento proposto. Neste método, a qualidade do movimento realizado promove uma reeducação e recuperação dos movimentos perdidos e da postura, levando ao resgate da autoconfiança e autoestima”, destaca a fisioterapeuta da Equilibra.

 

Campanha educativa

 

Com o intuito de alertar, prevenir e orientar as mulheres a respeito da importância do diagnóstico precoce do câncer de mama, o Paraíba Cap lançou uma campanha educativa em parceria com o Hospital Napoleão Laureano. O vídeo, com duração de quase dois minutos, traz o depoimento da médica mastologista Lakime Ângelo Mangueira Porto, que faz uma série de recomendações, destacando as principais armas de combate à doença, sendo a principal delas o diagnóstico precoce.

 

“Quanto mais cedo se faz o diagnóstico dessa patologia, mais chances de cura e de tratamento do paciente. As nossas armas são: o autoexame, o exame clínico com um profissional da área de saúde e a mamografia”, alerta a médica.

 

O vídeo faz parte do projeto “Minuto Cidadania” e pode ser conferido na internet, através do canal do youtube (https://www.youtube.com/watch?v=MezP-1DsaL8&list=UUUcQl63wh5-EwQ7NDnJVdfA).

paraiba.com com Assessoria